Guias Viaje Mais

PRIMEIROS PASSOS NO PAÍS

Mudança: o primeiro mar de dúvidas

Despachar tudo num contêiner, embarcar com duas malas ou simplesmente comprar tudo por lá. Conheça as opções antes de se mudar para Portugal

Depois de decidir morar em Portugal e conseguir um visto, vêm à tona os dilemas da mudança: o que levar para lá e quais os custos disso? E mais: no duro, o que vale a pena transportar?

As atuais duas malas de 23 quilos permitidas pelas companhias aéreas podem não ser suficientes – nem pagando excesso de bagagem até o limite de 32 quilos cada. Crianças também implicam levar mais peso, por conta de acessórios, brinquedos, roupinhas... Enfim, há gente que simplesmente tem muitos pertences e não consegue se desapegar deles. Esse, talvez, seja o grande exercício ao se mudar.

Enviar a mudança num contêiner tem um custo bastante elevado, podendo ultrapassar os 4 mil euros entre São Paulo e Lisboa, para o transporte de 5 m3 de objetos. O frete pode ser feito por via aérea, com prazo de entrega de cerca de 30 dias, ou marítima, que pode levar até 80 dias. Várias empresas, como a One Moving (www.onemoving.com.br) e a IMT (www.imtmudancas.com.br) oferecem serviço de mudança “porta a porta”.

Isso inclui embalar todos os itens, com cuidado especial para frágeis, desmontar móveis, listar todos os artigos e transportá-los em caminhão adequado até o ponto de envio, bem como lidar com trâmites alfandegários e documentação. Em seguida, vem o despacho no navio ou avião e a coordenação com parceiros portugueses, até a chegada à nova residência.

Para muita gente, vale mais a pena vender tudo no Brasil e montar uma casa completamente nova do lado de lá, com custos semelhantes aos do envio. Às vezes, por muito menos você compra uma casa todinha nova. Roupas e artigos que entrem na categoria “inestimáveis” podem ser levados na mala. Jogos de louça, mobília e eletrodomésticos costumam custar mais barato em Portugal.

Lojas como Ikea (ikea.com/pt), Leroy Merlin (leroymerlin.pt), Zara Home (zarahome.com/pt) e H&M Home (hm.com/pt) vendem móveis e objetos de decoração. O El Corte Inglês (elcorteingles.pt), por sua vez, aposta em produtos mais sofisticados e eletrodomésticos, assim como a Worten (worten.pt). Uma dica é fazer pesquisas nos sites, ir até a loja ver se os produtos correspondem às expectativas, e voltar para casa. Sente com calma, acesse os sites novamente, veja de que realmente precisa e o que cabe na residência, e só então volte à loja física para fechar as compras.

Como tirar os principais documentos

Veja de que maneira proceder para emitir os papéis necessários, a exemplo do registro de identificação, para viver legalmente no país europeu

Como você logo perceberá em Portugal, foi de lá que herdamos boa parte de nossa burocracia. Assim como Cabral, muito do sistema lógico que embasa nossos processos de emissão de documentos veio d’além-mar. Por isso, não se assuste, abasteça-se de muita paciência e seja bem organizado e sistemático.

O NIF é o Número de Identificação Fiscal, semelhante).

Você está lendo uma amostra, registre-se para ler mais.

Mais de Guias Viaje Mais

Guias Viaje MaisLeitura de 4 mins
Centro
Projetada por Ramos de Azevedo e inaugurada em 1911, a construção é inspirada na Ópera de Paris, com seus vitrais, escadarias de mármore, mosaicos trazidos de Veneza e Florença, parapeitos revestidos com folhas de ouro e um lustre com 7 mil cristais
Guias Viaje MaisLeitura de 1 mins
Editorial
Nenhuma metrópole nordestina tem a cultura africana tão presente. Seja no batuque contagiante do Olodum pelas ladeiras do Pelourinho, nas carrancas e temperos do Mercado Modelo, nas delícias do tabuleiro da baiana, na ginga da capoeira ou no som dos
Guias Viaje MaisLeitura de 2 mins
Compras
Oprédio, de arquitetura neoclássica, foi projetado por Ramos de Azevedo em 1928 e é adornado por vitrais góticos de Conrado Sorgenicht Filho. Mas as principais atrações são de comer, como os famigerados sanduíches de mortadela do Bar do Mané e do Bar