Adega

O centro de tudo

É INEGÁVEL QUE O MERCADO DO vinho vem surfando uma onda positiva desde o começo da pandemia. Para aqueles que esperavam talvez o colapso de muitas estruturas devido aos lockdowns e restrições, o que se viu foi um crescimento impressionante de vendas e consumo, o que colocou a indústria em um novo patamar.

Curiosamente, tudo isso se desenvolveu durante um período difícil. O vinho se tornou uma bebida mais próxima dos consumidores em seus lares durante os períodos de reclusão e passou a fazer parte do seu dia a dia. E, mais recentemente, após a “reabertura” continua a mostrar sua força em índices elevados. Diante da pandemia, durante dois anos houve poucos eventos de negócios que pudessem gerar alguma congruência para o setor.

As primeiras tentativas mais incisivas se deram no segundo semestre de 2012, quando a ProWine São Paulo foi retomada. Naquele momento, mesmo ainda diante de algumas restrições, como volume de público, por exemplo, era possível perceber que o mercado estava

Você está lendo uma amostra, registre-se para ler mais.

Mais de Adega

AdegaLeitura de 2 mins
Cartas
Na edição número 206, na página 132, “Ótimas compras”, há o vinho Casa Valduga Sur Lie 30 meses – 92 pontos R$ 95 e, na página 135 há o vinho Casa Valduga Sur Lie – 91 pontos R$ 95. As garrafas são iguais! Está correto? F.S. Vieira Cheguei ontem a Sã
AdegaLeitura de 3 mins
Vales E Montanhas
POR TER SE TORNADO SINÔNIMO DE espumante, muitas vezes pensamos em Champagne como uma coisa só. Mas a área de produção é de 34.000 hectares, ou seja, uma região relativamente ampla, que produz uvas com características distintas. Assim como na Borgonh
AdegaLeitura de 2 mins
Vinífera Ou Não Vinífera, Eis A Questão?
SEGUNDO A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA, “Vinho fino é o vinho de teor alcoólico de 8,6% (oito inteiros e seis décimos por cento) a 14% (catorze por cento) em volume, elaborado mediante processos tecnológicos adequados que assegurem a otimização de suas cara