Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Manual de Trigonometria Aplicada
Manual de Trigonometria Aplicada
Manual de Trigonometria Aplicada
E-book30 páginas30 minutos

Manual de Trigonometria Aplicada

Nota: 3.5 de 5 estrelas

3.5/5

()

Sobre este e-book

O livro começa com uma misteriosa carta e apresenta-nos a história de um engenheiro que parece ter encontrado na trigonometria e na matemática em geral uma forma muito pessoal de se exprimir e de refletir sobre a sua própria vida. A narração traça o seu percurso afetivo, o qual se revela afinal muito mais humano e mais sensível do que o título da obra poderia indiciar... Afinal, sempre ouvimos dizer que a matemática é uma linguagem universal, que pode servir afinal até para falar de emoções e sentimentos.

Difícil de definir e de enquadrar nos géneros literários mais convencionais, o livro surpreende entre outros aspetos pela densidade psicológica da personagem principal. Esta inquietante narrativa junta de forma singular o género epistolar com um certo tipo de 'suspense' que normalmente se associa sobretudo à literatura policial.

Esta novela venceu em 2002 o Concurso Literário “Ecos da Memória”.

-----------------------------------------------
O que disseram outros leitores:
-----------------------------------------------

"Eh pá! Cortaste-me o fôlego. A tua obra está absolutamente excepcional..." (Hugo R.)

"Misto de gênero epistolar (...) expõe, pelo vigor da prosa inquieta, um criador para cuja trajetória vale ficar atento. As dúvidas e constatações do protagonista, um engenheiro, alojadas no curioso título da obra, nos remetem ao dilema da natureza humana, a luta entre a razão e a sensibilidade. Para triunfo da arte, entretanto, aqui, malgrado os esforços do personagem em suas referências matemáticas, a segunda leva vantagem. O que temos é um itinerário afetivo de ocorrências e percepções de um mundo particular que a cada linha o personagem busca construir e nele reencontrar-se. Ou, mais precisamente, a descoberta do universo através da linguagem de que nos fala Sartre em seu 'Diário de uma guerra estranha'." (Antônio Mariano Lima, poeta e escritor)

IdiomaPortuguês
Data de lançamento4 de nov. de 2011
ISBN9781465886880
Manual de Trigonometria Aplicada
Ler a amostra
Autor

Victor Domingos

Victor Domingos (Portugal, 1981) é licenciado em Psicologia e um eterno autodidata de tudo e mais alguma coisa.A sua obra de narrativa "Ode a Um Poeta Naturalista"recebeu em 1999 o Prémio Literário Teixeira de Queirós. Em 2002, uma outra narrativa sua, intitulada "Manual de Trigonometria Aplicada" seria o trabalho vencedor do Concurso Literário “Ecos da Memória”. Três anos mais tarde, viria a ser atribuído o 2o prémio, no Concurso Nacional de Contos “D. Sancho I”, à sua narrativa "As Confissões de Dulce".No campo da poesia, publicou a obra "é preciso calar o monólogo". Tem também colaboração dispersa por variadas publicações, como a revista portuguesa "Terra de Val de Vez" (No18, 2007), a revista digital galega "Andar21.net" ou o portal brasileiro "Alma de Poeta".

Relacionado a Manual de Trigonometria Aplicada

Livros relacionados

Categorias relacionadas

Avaliações de Manual de Trigonometria Aplicada

Nota: 3.5 de 5 estrelas
3.5/5

8 avaliações2 avaliações

O que você achou?

Toque para dar uma nota
  • Nota: 5 de 5 estrelas
    5/5
    Um daqueles livros que são breves mas extremamente densos em sentimentos e ideias. A narrativa não é particularmente complexa, mas dei por mim a encontrar imensas alusões a temas universais e algumas problemáticas muito atuais, do bullying à solidão, do amor à depressão e ao luto, etc. Recomendo!

    1 pessoa achou esta opinião útil

  • Nota: 5 de 5 estrelas
    5/5
    Show

    2 pessoas acharam essa opinião útil

Pré-visualização do livro

Manual de Trigonometria Aplicada - Victor Domingos

Dedicatória

à minha família e a todos aqueles

de quem falam os meus pensamentos

Manual de Trigonometria Aplicada

Bairro da Sé, 13 de outubro de 1996

Caro João David:

É grande a distância que nos separa. Tão grande, que me não é possível conhecer notícias suas à hora em que lhe escrevo (dez da manhã, o sol entra pela janela adentro). Sei contudo, ou quero acreditar que sei, que há de você receber as notícias que ora lhe envio. Não que tenham muito para lhe contar, porque certamente o não têm, mas porque encurtam esta distância que chega por vezes a doer.

Saiba que é dura a minha existência. Houve em tempos quem vendesse a loucura, quem a aplaudisse, e houve também quem a queimasse viva. Assim também me parecem os meus dias, umas vezes nos ombros da multidão em êxtase, outras vezes nos ombros da madeira em chamas.

Mas sabe algo? Tenho a leve impressão de que tudo isto faz sentido, de que tudo isto tem um caminho certo. E, apesar de saber que eu pareço tudo menos uma pessoa normal, sei que o meu tempo tem um significado que transcende os limites habituais do universo. Como se hoje fosse amanhã, e como se amanhã fosse sempre nunca às vezes.

E é por isso que eu resolvi que quero ser papa. Acredite que eu sei que o meu destino chama, com uma voz terna, o meu nome sílaba a sílaba. E nem queira saber como isso nos move cá dentro!

Tenho em mim uma grande febre de correr correr correr e fundir estas minhas ideias comigo no que sou em si! Será algum dia possível, tida a distância que nos separa? Logo se verá.

Queira aceitar os mais cordiais cumprimentos que aqui vão, e sorria em resposta, já que mais não pode ser.

* * *

A escola, àquela hora da

Está gostando da amostra?
Página 1 de 1