Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960

História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960

Ler a amostra

História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960

Duração:
197 páginas
1 hora
Lançados:
2 de jul. de 2013
ISBN:
9781301696178
Formato:
Livro

Descrição

A mais completa obra sobre o futebol português em números.Este livro diz respeito ao período dos campeonatos de futebol, de 1954 a 1960, em que engloba todos os acontecimentos, histórias, finais, resultados e classificações das Ligas, Campeonatos Nacionais, Regional e Taças de Portugal. Este trabalho foi ganhando forma ao longo dos anos; posso mesmo afirmar que terá começado na minha adolescência, sem ter ideia que poderia algum dia tomar este rumo. Quando adolescente e amante do futebol, mostrei sempre interesse pelas estatísticas dos resultados e classificações, começando a apontar tudo o que dizia respeito ao tema e no seu passado histórico, decidi compor esta obra pessoal, o mais completo possível, da história dos campeonatos de futebol. Esta 4a parte diz respeito aos campeonatos da Liga, campeonatos nacionais, distritais e Taça de Portugal.

Lançados:
2 de jul. de 2013
ISBN:
9781301696178
Formato:
Livro

Sobre o autor

Nasceu em Londres, Grâ-Bretanha, a 15 de Junho de 1968, formado em Engenharia Civil, do qual exerce a profissão, tem no desporto o complemento das suas necessidades. Gosto pelas histórias e estatísticas do futebol, acaba por ser um coleccionador de mesmo.


Relacionado a História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960

Amostra do livro

História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960 - Giusepe Giorgio

Giusepe Giorgio

2013

Título: História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960

Published by Giusepe Giorgio

At Smashwords Edition.

Julho 2013

ISBN 978 130 169 6178

Reservado todos os direitos de acordo com a legislação em vigor.

Reprodução proibida por todos e quaisquer meios.

Por vontade expressa do autor, a presente edição não segue as regras do Acordo Ortográfico.

Índice

Título

Introdução dos Campeonatos Nacionais e Taça de Portugal

Época 1954-55 - Discutido até ao último minuto

Época 1955-56 - FC Porto Campeão 16 anos depois

Época 1956-57 – Dobradinha para o Benfica

Época 1957-58 – com o fim dos violinos e após três anos de jejum, Sporting volta a vencer

Época 1958-59 - FC Porto Campeão e o caso Calabote

Época 1959-60 - Benfica, Campeão

BIBLIOGRAFIA

Introdução dos Campeonatos Nacionais e Taça de Portugal

Os Campeonatos de Futebol entre 1954 a 1960, conhece um novo ciclo, com o fim da era dos cinco violinos; surge a partir de 1954-55, uma nova série alternante (Benfica em 1954/55, FC Porto em 1955/56, Benfica em 1956/57, Sporting em 1957/58, FC Porto em 1958/59 e Benfica em 1959/60) começou a formar-se um ciclo de ouro do Benfica.

Na época 1954/55, o campeonato foi discutido até ao último minuto, com o Belenenses ao empatar em casa com o Sporting a ceder o título ao Benfica. Necessitando de ganhar para garantir aquele que poderia ser o seu segundo título nacional, mas a quatro minutos do fim quando já estoiravam os foguetes, João Martins empatou um jogo dramático, que assim terminou com 2-2, e ofereceu o Campeonato ao Benfica.

A época 1955/56, marcou o regresso do FC Porto à conquista do campeonato nacional depois de 16 anos de jejum. Depois de garantido o campeonato nacional, o FC Porto derrotou (2-0) o Torreense na Final da Taça de Portugal e conquistou a sua primeira dobradinha na história do futebol português. O maior responsável por esse êxito é Dorival Yustrich, um técnico muito respeitado pelos jogadores.

1956/57 foi uma época de glória para o Benfica. A conquista da dobradinha e a final (perdida) na Taça Latina. Os encarnados começavam a dar o ar da sua graça por essa Europa fora. O Benfica de Otto Glória, com o seu sistema da diagonal que mais não era que um 4-2-4, ou segundo alguns, um antecessor do mesmo, marcava o final da anarquia ofensiva das seis primeiras décadas de futebol e mudava a face do desporto-rei em Portugal.

Na época 1957/58, numa altura em que já pouco restava das equipas que tinham dominado o futebol português nos últimos anos, o Sporting aposta na contratação de um treinador consagrado para quebrar um jejum que já ia em três temporadas. Pela primeira vez festejava-se a conquista de um Campeonato no Estádio José Alvalade que era o oitavo para Vasques e Travassos que herdara a braçadeira de Capitão, depois do abandono de Passos, eram os últimos acordes do que restava dos Cinco Violinos.

Na época 1958/59, FC Porto é campeão e surge o caso Calabote. Ao Porto, chegava Bela Guttmann; era o começo de um mito. O F. C. Porto foi campeão com os mesmos pontos do Benfica, que precisava de marcar mais quatro golos do que os portistas na última jornada. Não marcaram. É aqui que surge o célebre caso de Inocêncio Calabote, ...o árbitro que fez tudo para o Benfica ser campeão. Acabou irradiado. Calabote foi o árbitro que deu nome ao maior caso na história do futebol português, virando mito No final, Inocêncio Calabote não conseguiu provar a sua inocência.

Esta temporada de 1959/60 ficou marcada pela conquista de mais um título de campeão nacional. O primeiro sobre as ordens do famoso treinador Bela Guttmann. Com efeito, no Campeonato Nacional, Benfica e Sporting travaram um duelo muito disputado e equilibrado até perto do fim, abrindo da melhor forma a década de 60 para o clube.

Época 1954-55 - Discutido até ao último minuto

O Campeonato foi discutido até ao último minuto, mas desta vez entre azuis e encarnados, e na derradeira jornada nas Salésias, o Belenenses recebia o Sporting, precisando de ganhar para garantir aquele que poderia ser o seu segundo titulo nacional, mas a quatro minutos do fim quando já estoiravam os foguetes, João Martins empatou um jogo dramático, que assim terminou com 2-2, e ofereceu o Campeonato ao Benfica, acabando a chorar com os homens de Belém. O Sporting cedo se viu afastado da corrida pelo título, que na 2ª volta foi disputado ombro a ombro entre Belenenses e Benfica, que chegavam à última jornada separados apenas por um ponto. No entanto, e apesar da sua vantagem, os azuis tinham de ganhar ao Sporting no derradeiro jogo do campeonato, a disputar nas Salésias. Marcou cedo o Belenenses por intermédio de Perez, mas pouco depois Albano empatava de penalti. Perto do intervalo, Matateu recolocou os homens da Cruz de Cristo na frente do campeonato. A 2ª parte foi um interminável suplício para o Belenenses, com os minutos a se transformarem em horas e o terceiro golo a não aparecer. Até que a 4 minutos do fim, João Martins faz o golo do empate para o Sporting, numa altura em que os adeptos do Belenenses já se precipitavam a atirar os foguetes preparados para a festa. Num gesto imediato que se seguiu ao golo, João Martins pediu desculpa a Carlos Silva, mas o mal estava feito e a verdadeira festa foi do Benfica. Nas Salésias, depois do apito final, rolaram lágrimas pelas faces de jogadores, dirigentes e adeptos e João Martins não foi capaz de se conter e também chorou com eles.

Ao contrário das épocas anteriores esta época foi a mais disputadas desde que há 14 clubes e foi também a época em que o Campeão Nacional teve menos pontos. O campeonato começa com o Sporting a empatar em Braga, o Benfica a golear o Setúbal por 5-0 e nos jogos grande das Salésias o Belenenses vence o FC Porto por 1-0. Na jornada seguinte só o Sporting é que vence e logo por 9-1 ao Lusitano; Belenenses empata no Barreiro, FC Porto cede um empate em casa com o SC Braga e o Benfica perde em Guimarães (1-2). Na 3ª jornada o Sporting goleia o FC Porto por 5-1 e tem a companhia do Belenenses na liderança (6-2 à Academica), com os portistas em ultimo lugar com apenas 1 ponto, mas nas jornadas seguintes, os resultados são benéficos para o Benfica; ambos empatam; os leões 0-0 no Barreiro, Belenenses 2-2 na Tapadinha e o Benfica junta-se à liderança com goleada ao Boavista por 11-0 para de seguida perderem ambos em casa; Sporting-Academica 0-1 e Belenenses-Setúbal 1-2. Benfica isola-se com 8 pontos e a Academica sobe ao 2º lugar com menos 1 ponto.

Na 6ª jornada o FC Porto em recuperação vence em Coimbra por 3-1 e os estudantes com esta derrota deixa o Benfica aumentar a vantagem para dois pontos dos 2ºs lugares, um trio de Sporting, Belenenses e SC Braga. O Benfica estava imparável e vai às Salésias vencer por 2-1, Sporting isola-se no 2º lugar com nova goleada aos setubalenses por 7-2. FC Porto não aproveita para se juntar aos bracarenses no 3º lugar pois empata em casa com o Atlético (3-3). Quando menos se esperava, SC Braga vence o Benfica em Lisboa (1-0), ficando a um pontos de Benfica que agora tinha a companhia do Sporting, os portistas mais animados já estavam a no 4º lugar a 2 pontos. Na jornada seguinte os líderes defrontavam-se num Sporting-Benfica.

O Sporting-Benfica era o jogo grande da 9ª jornada, águias vencem por 1-0 e o SC Braga sobe ao 2º lugar a um ponto após bater o Boavista por 4-1, FC Porto e Belenenses estavam no 4º lugar a três pontos. Na 10ª um Benfica-FC Porto com 1-0 para os líderes, para os portistas era a maior distancia para o líder

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de História dos Campeonatos de Futebol em Portugal, 1954 a 1960

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor