Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

A Grande Virada
A Grande Virada
A Grande Virada
E-book69 páginas57 minutos

A Grande Virada

Nota: 0 de 5 estrelas

()

Ler a amostra

Sobre este e-book

Ele é um dos maiores arremessadores de beisebol, e de repente vê que sua melhor jogada não é tão boa quanto antes.

Após um jogo perfeito, Billy Wagner se aposenta do beisebol, mas o Mets seduz o jogador, oferecendo uma fortuna para voltar por mais uma temporada, botando fé que ele irá colocar o time no Campeonato Mundial.

Billy quer terminar a carreira em grande estilo, mas algo pelo qual ele não esperava pode impedir que isso aconteça.

Esta é uma história sobre amizade, coragem e superação. Ao perder algo, você tem a oportunidade de encontrar algo maior. Basta dar tudo de si.

IdiomaPortuguês
EditoraBadPress
Data de lançamento7 de nov. de 2016
ISBN9781507161661
A Grande Virada
Ler a amostra
Autor

Joe Corso

I grew up in Queens, New York. I'm a Korean Vet, FDNY Retired and I started writing late in life hoping to help my grandchildren pay for their college education. I found to my surprise that I could tell a good story which resulted in my writing 30 books (so far) while garnering 19 awards and a 4 time top 100 Best Selling Author.

Leia mais títulos de Joe Corso

Relacionado a A Grande Virada

Categorias relacionadas

Avaliações de A Grande Virada

Nota: 0 de 5 estrelas
0 notas

0 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

A avaliação deve ter pelo menos 10 palavras

    Pré-visualização do livro

    A Grande Virada - Joe Corso

    Capítulo 1.............................................................................................................................2

    Capítulo 2..........................................................................................................................10

    Capítulo 3..........................................................................................................................13

    Capítulo 4..........................................................................................................................17

    Capítulo 5..........................................................................................................................21

    Capítulo 6..........................................................................................................................25

    Capítulo 7..........................................................................................................................30

    Capítulo 8..........................................................................................................................34

    Capítulo 9..........................................................................................................................38

    Capítulo 10........................................................................................................................41

    Capítulo 1

    Toscana, Itália

    O frescor da manhã abria alas para o verão da Toscana; em uma tarde, Billy Wagner dirigia pela estrada estreita de mão dupla, típica da região, com seu carro alugado, uma Mercedes com ar-condicionado. Não havia quase carros nessa parte da via. Ele não tinha pressa. Passou pelos limoeiros, ciprestes, casas abandonadas, castelos e campos de plantações prestes a serem colhidas. Dirigir por aquela estrada sinuosa, passando pelas vastas colinas e cadeias montanhosas, era uma terapia para Billy.

    Passear pela Toscana fez com que sua mente clareasse e ele ficasse mais relaxado. Ele pensou sobre sua situação com a June e como ele estava entediado em esperar, dia após dia, ela voltar do trabalho. Isso o fazia se sentir preso. Ao acompanhar June à Itália, ele não imaginava que o tédio seria tão insuportável.

    Ele estava feliz por ter se prevenido ao enviar uma caixa de DVDs de filmes para a Itália antes de deixar os Estados Unidos. Ele sabia que teria períodos de inatividade enquanto June estivesse no trabalho; então, para passar o tempo, ele criou o hábito de ver um filme por dia. Foi decepcionante quando ele percebeu que havia visto todos os filmes. Ele procurou na caixa novamente e achou o Pacto de Justiça. Era um de seus filmes preferidos, ele podia rever centenas de vezes e, ainda assim, nunca se cansar. Ele estava prestes a colocar o DVD na bandeja, quando se deu conta de que assistir ao filme não era a resposta. Aquilo não iria resolver o problema latente, que era a solidão que sentia. Ele guardou o filme de volta na caixa e refletiu sobre sua situação. Até que caiu a ficha, ele devia estar de brincadeira consigo mesmo; esse estilo de vida não era para ele, e ele sabia disso. O amor (ou o que ele pensava ser amor) o havia cegado.

    Ele percebeu que o tédio, sim, era o problema óbvio sobre o qual ele não tinha coragem de falar. Essa não era a vida que ele pensava que teria, nem a vida que queria, disso ele tinha certeza. Quando eles chegaram à Itália, ele e June viajaram por Florença e Sena, comeram nos melhores restaurantes, compraram as roupas mais finas de Florença, cidade conhecida pelas lojas de moda. No entanto, quando as férias da June acabaram e ela teve de voltar ao trabalho, Billy se viu sozinho todos os dias, sem nada para fazer. O tédio o enlouqueceu. Billy era um atleta; um homem acostumado com ação e competitividade. Os dias se passaram e ele começou a perceber que aquela vida não era para ele, e assim que ele aceitou que havia sido um erro acompanhar June à Itália, ele decidiu romper a relação. Ele não fazia ideia para onde iria ou o que faria, mas já estava cheio e decidiu deixá-la. Não que ele não amasse June; ele a amava. Pelo menos, ele pensava que sim. Ela era inteligente, tinha senso de humor, era divertido estar com ela, mas ele começou a se perguntar: Será que isso é o suficiente? O Billy não era muito de festas; ele era uma pessoa reservada e, mesmo preferindo momentos para se manter mais retirado, ficar sozinho todos os dias não era parte de seus planos. No início, ele arrumou tarefas e lugares para conhecer, mas depois de meses com a mesma rotina, ele logo ficou entediado (muito entediado), foi quando ele decidiu deixar June.

    Sua mãe era italiana e ele pensou que seria possível localizar alguns dos parentes dela e visitá-los, apesar de não fazer ideia de como encontrá-los. Ou, ele poderia viajar pela Toscana para conhecer a cidade natal de seu avô. Sim, pensou ele. Ele iria visitar a cidade de seu avô. Pelo menos era algo para se fazer, e não tinha como ficar entediado com isso.

    Ele entrou em contato com uma locadora de veículos e, no dia seguinte, alugou um carrão da Mercedes, C220 CDI. No outro dia, após uma difícil conversa com June, ele explicou a ela que ele não aguentava mais ficar sozinho o dia inteiro, então iria deixá-la. Se quisesse vê-lo, ela poderia voltar para os Estados Unidos, porque era lá onde ele estaria. Ele tentou ser delicado, mas as palavras saíram mais duras do que sua intenção. Depois de ter dito e visto o quanto ela havia ficado magoada, ele se sentiu terrível e não tinha mais jeito de consolá-la. Ela estava magoada, muito magoada. O fato de ele a deixar foi como um tapa na cara dela, e ela não esperava por isso. O que ela também não esperava era que, àquela altura, nada do que ela dissesse iria importar. Ele tinha tomado a decisão, e pronto. Na

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1