Comece a ler

A Irmandade Hiramic: Profecia do Templo de Ezequiel

Notas:
674 páginas10 horas

Resumo

Num contexto de ódio e violência, A  Irmandade Hiramic: a Profecia do Templo de Ezequiel aprofunda a questão da limpeza étnica de palestinianos de Israel e aborda os crimes racistas contra a humanidade no Médio Oriente.

O romance segue o jornalista Conrad Banner,  influenciado pelo seu pai, Mark - um autor e correspondente estrangeiro com inúmeros prémios de jornalismo pela cobertura do Médio Oriente - que tem a intenção de filmar um documentário fatualmente imparcial acerca do conflito resultante de quase setenta anos de ocupação ilegal e muitas vezes bárbara. O ódio e a violência também foram provocados principalmente pela limpeza étnica da população indígena palestiniana por Israel, cujos crimes contra a humanidade estavam a ser retratados de uma forma de propaganda conhecida como hasbara, ou ”explicação”. Essa propaganda foi dirigida a uma audiência internacional para retratar as ações e políticas controversas de Israel - passado e presente -  numa luz positiva, proporcionando um retrato negativo dos árabes em geral, e os palestinianos em particular. Juntamente com o ativista judeu Adam Peltz e o guia palestiniano Sami Hadawi, os esforços de Banner são indesejáveis e muitas vezes culminam em consequências perigosas e, em última análise, fatais. O romance é motivado pela flagrante negação de direitos humanos básicos de Israel a milhões de palestinianos, incluindo crianças cuja perseguição sem fim é tolerada hipocritamente pelo duplo padrão das chamadas democracias ocidentais. Explorando os temas da cultura, racismo, religião e violência, Hanna traz a primeira história convincente de luta e divisão.

PUBLISHER: TEKTIME

Leia no app do Scribd

Baixe o app gratuito do Scribd para ler a qualquer hora, em qualquer lugar.