Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Criatividade no processo de coaching

Criatividade no processo de coaching

Ler a amostra

Criatividade no processo de coaching

Duração:
221 páginas
3 horas
Lançados:
12 de set. de 2014
ISBN:
9788599519585
Formato:
Livro

Descrição

Este livro busca mostrar que é possível facilitar o processo transformador conscientemente desejado por executivos em processo de coaching nas organizações utilizando técnicas desbloqueadoras e ativadoras da criatividade para o desenvolvimento de hábitos favoráveis à criação e inovação dentro das empresas. O objetivo desta obra é identificar as ferramentas que propiciam o desenvolvimento da criatividade, facilitando o processo de mudança, e provocar a reflexão sobre quanto o ambiente organizacional impulsiona a atuação criativa, levando o indivíduo aos resultados por ele desejados.
Lançados:
12 de set. de 2014
ISBN:
9788599519585
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Criatividade no processo de coaching

Livros relacionados

Artigos relacionados

Amostra do livro

Criatividade no processo de coaching - Marta AndradeCastilho

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Castilho, Marta Andrade

Criatividade no processo de coaching [livro eletrônico]/Marta Andrade

Castilho, Stela Maris Sanmartin. – São Paulo: Trevisan Editora, 2013.

5Mb; pdf

Bibliografia.

ISBN 978-85-99519-58-5

1. Carreira profissional – Administração 2. Coaching 3. Criatividade nos

negócios 4. Motivação no trabalho 5. Pensamento criativo

I. Sanmartin, Stela Maris. II. Título.

Índices para catálogo sistemático:

1. Pensamento criativo: Coaching: Administração 658.4094

A Trevisan Editora agradece o envio de correções e comentários de seus livros, inclusive de erros tipográficos, de formatação ou outros. Por gentileza, faça uma cópia da página que contém o erro e envie por e-mail para editora@trevisaneditora.com.br.

Os livros da Trevisan Editora estão disponíveis com descontos para quantidades especiais destinadas a promoções de venda e prêmios ou para uso em programas de treinamento corporativo, além de outros programas educacionais. Para mais informações, entre em contato conosco.

Direitos reservados desta edição à Trevisan Editora

Av. Tiradentes, 998, 7º andar – Bairro Luz

01102-000 – São Paulo, SP

tel. (11) 3138-5282

editora@trevisaneditora.com.br

www.trevisaneditora.com.br

© Trevisan Editora, 2013

Dedicatória

Àqueles que buscam encontrar caminhos que conduzam à construção de organizações saudáveis.

Agradecimentos

ÀTrevisan Editora que nos abriu a oportunidade de difundir ideias provocadoras, que acreditamos serem necessárias para mobilizar ações em direção à realização de nossos ideais.

A todos os colegas que investem tempo e energia no desenvolvimento e na aplicação da criatividade, em busca de transformações vitais, e reconhecem o planeta Terra como um espaço único e interdependente.

O desejo de fazer algo por considerá-lo profundamente realizador e pessoalmente desafiante inspira os níveis mais elevados de criatividade, seja nas artes, nas ciências ou nos negócios.

Teresa Amabile

Prefácio

Acompanhei o nascimento do projeto do livro participando dos sonhos das autoras Marta Castilho e Stela Maris. Acreditando nas possibilidades, viajando, navegandocom elas.

A Stela, com a sua determinação de realizar o primeiro mestrado em Criatividade e Inovação do Brasil pela FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado) e pela UFP (Universidade Fernando Pessoa – Porto – Portugal), aceitei o convite, como professora, facilitadora.

A Marta, participando como coorientadora da sua tese de mestrado em Criatividade e Inovação, fazendo parte da sua banca e descobrindo as possibilidades do coaching.

O livro é o resultado dos sonhos, projetos e realizações das autoras, que são coerentes com as suas vidas, com as suas atividades, pois somente o compromisso do pensamento com a prática estabelece um contexto teórico verdadeiro.

As autoras propõem possibilidades para gerar mudança e provocar criatividade e diálogo, acreditando ser este uma relação horizontal, baseada no amor, na humildade, esperança, fé e confiança. E que uma das virtudes do diálogo consiste no respeito, na escuta das opções de cada um, da tolerância, que é o valor de conviver com o diferente e respeitar o saber de cada um.

O livro Criatividade no processo de coaching – ressalta a importância dos elementos fundamentais para a conscientização do diálogo, da criatividade e da inovação pessoal dentro das empresas. Pois como bem afirma Paulo Freire (2000): ... ninguém educa ninguém. Ninguém se educa sozinho. Os homens se educam juntos, na transformação do mundo. A empresa tem esse papel intermediador.

A criatividade nos processos de coachingnos permite apontar as matrizes necessárias para conquistar a práxis ou chegar a ela por meio do diálogo ressaltando:

• O amor ao mundo e aos homens como um ato de criação e recriação;

• A humildade como qualidade compatível com o diálogo;

• A fé como algo que se deve instaurar antes mesmo que o diálogo aconteça, para que o homem tenha fé no próprio homem. Não refere ao sentimento que fica no plano divinal, mas ao fundamento que creia no poder de criar e recriar, fazer e refazer, por meio da ação e reflexão;

• A esperança, que se caracteriza pela espera de algo que se luta;

• A confiança, como consequência óbvia do que se acredita enquanto se luta na busca das realizações dos desejos.

Os homens e as mulheres são os únicos seres que, social e historicamente, são capazes de apreender, sendo o ato de aprender uma ação dialógica e criadora que contribui para diminuir as fronteiras entre os sujeitos. O processo criativo e o de coachingajudam e facilitam a reflexão sobre as relações no ambiente organizacional, a partir das questões pessoais e sociais.

As palavras de Paulo Freire (2000, p. 33), mencionadas a seguir, expressam o meu sentimento por este certo sonho ou projeto de mundo de Marta e Stela: Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível mudá-lo sem um certo sonho ou projeto de mundo, devo usar toda possibilidade que tenha para não apenas falar de minha utopia, mas participar de práticas com ela coerentes.

O resultado está em suas mãos, leitor e leitora! Que nas páginas que seguem as palavras sejam capazes de transmitir não somente conhecimento, mas, sobretudo, as experiências e as emoções que as autoras viveram ao longo da elaboração deste livro.

Espero que esta obra contribua para que cada um de seus leitores descubra e redescubra as suas potencialidades criativas e pessoais.

Que aproveitem o livro!

Profa. dra. Tânia Baraúna

Barcelona, primavera de 2013.

Sumário

Introdução

1 CRIATIVIDADE, MUDAR PARA QUÊ?

Não é possível não mudar

Alguns princípios da comunicação

A criatividade nos processos de mudança

Coaching: a chama da criatividade

2 A INFÂNCIA ESQUECIDA: IMAGINAÇÃO CRIADORA

Brincar é coisa séria

A pessoa e o coachee criativo

A brincadeira: uma possibilidade para os processos de coaching criativo

3 MOTIVAÇÃO E EMPECILHOS PARA A MUDANÇA

Ninguém motiva ninguém

Bloqueadores da criatividade

Então, o que motiva?

Ativadores criativos

Tormenta de ideias (TI)

4 COACHING NAS ORGANIZAÇÕES

Executivos poderosos

Coach: o facilitador da transformação

Felicidade nas organizações

5 CRIATIVIDADE NOS PROCESSSOS DE COACHING

Resultados de uma investigação

O coaching na vida do executivo

Considerações finais

Navegando no mar da criatividade

Referências

Introdução

Não haveria criatividade sem a curiosidade que nos move e que nos põe pacientemente impacientes diante do mundo que não fizemos, acrescentando a ele algo que fazemos.

Paulo Freire (1921-1997)

Oditado popular querer é poder muitas vezes deixou dúvidas para diversos profissionais em processo de coaching definido por Goldsmith, Lyons e Freas (2003, p. 30) como o processo que ajuda o executivo a construir um caminho individual para a consecução das aspirações pessoais ou organizacionais. A questão fundamental é: Por que, apesar de querer, a pessoa não consegue mudar?.

Por atuarmos com pessoas em processos educativos, nós, autoras deste livro, nos deparamos muitas vezes com as dificuldades que o ser humano enfrenta para adequar-se a uma sociedade que nem sempre está preparada para lidar com aquele que é diferente e que foge do padrão geral. Nem sempre o indivíduo consegue adaptar-se ao rumo inesperado e ao ritmo cada vez mais acelerado das transformações das sociedades em crise.

Depois de 12 anos de atuação como consultora organizacional e oito como coach, Marta Castilho considera possível afirmar que os gestores têm um longo caminho de aprendizagem no desenvolvimento de times criativos, cooperativos e alinhados com as mudanças necessárias para atingir um clima motivador e uma empresa saudável. Há 17 anos trabalhando com criatividade na educação, Stela Maris Sanmartin também constata que incorporar a criatividade na prática é ação intencional e deve ser cultivada todos os dias, uma vez que implica, para aqueles que decidem conscientemente mudar, substituir hábitos bloqueadores por hábitos favoráveis à criação.

Se por um lado, Hábito, como um princípio de funcionamento da lei mental nos chama a atenção como necessário à própria constituição da vida e sua continuidade, por outro e ao mesmo tempo, nos chama a atenção como muitas vezes serão estes mesmos hábitos, tão necessários à sobrevivência, aqueles que poderão exercer uma função bloqueadora ao aparecimento do novo, igualmente necessário à criação. Como se no Hábito convivesse o paradoxo de ser necessário à vida tal qual ele se apresenta, e ao mesmo tempo trazer em si, pela tendência à repetição incessante, a capacidade de impedir o surgimento do novo (Dib e Sanmartin, 2008, p. 242).

Essas experiências propiciaram o levantamento da hipótese de que, mesmo querendo mudar, muitos têm dificuldade para colocar em prática seus desejos e suas boas intenções. Saber o que é preciso fazer, conhecer o impacto que um comportamento indesejável causa na equipe, no ambiente ou nos resultados e identificar como realizar o que deve ser feito não é suficiente para efetivar a mudança. A frequente indagação por que uma pessoa não muda de comportamento se ela quer mudar? permanece. O modelo mental¹ da pessoa restringe suas atitudes, induz a ação a um repertório finito, preestabelecido pelo conjunto de vivências, valores, experiências e crenças adquiridas durante a sua formação.

O coaching é um processo psicoeducacional confrontador que impulsiona a pessoa a avaliar o presente e agir para viver o futuro desejado. O indivíduo em questão é designado como coachee. O profissional que conduz o processo é chamado de coach.

A necessidade de agir rapidamente em um cenário de contínua metamorfose e competitividade leva o dirigente a investir em ações de desenvolvimento para seus líderes em busca da excelência. Esse movimento nos despertou o desejo de investigar os fatores que dificultam a mudança de comportamento com a expectativa de apoiar o coachee, que busca ajuda para agilizar o seu próprio crescimento profissional, com maior sucesso.

Sendo crescente a preocupação com a qualidade de vida e a excelência no trabalho, é importante e urgente que os executivos que gerenciam pessoas tenham atitudes generosas, gentis e integradoras junto às suas equipes, garantindo a entrega de resultados significativos.

O cenário socioeconômico permite que o melhor colaborador escolha a empresa na qual quer trabalhar, sendo um fator decisivo a relação que ele tem com o gestor direto. Ao mesmo tempo, a instituição exige deste último o desenvolvimento de uma cultura de alta performance, com entrega de resultados crescentes, alta qualidade e redução dos custos.

As relações interpessoais são sem dúvida um dos quesitos a serem observados na configuração de um ambiente favorável à inovação, da mesma forma que empreender processos criativos deve ser ação intencional.

Encarados como desafios transpostos na busca da excelência, os erros resgatam no ambiente organizacional o prazer, a alegria e a contribuição para formar uma sociedade mais justa, democrática e sustentável. Como apontam os princípios sugeridos pela criatividade, é preciso saber lidar com o erro e agir com humildade para ser capaz de incluir o isso e o aquilo. Perceber que o talvez é uma possibilidade. E perguntar por que não? pode ser a melhor saída. Como disse Edgard Morin (Paris, 1921), a democracia exige o convívio com as minorias para não fortalecer a ditadura da maioria: a pluralidade facilita a existência do pensamento divergente, que amplia a visão do todo, possibilitando soluções criativas.

Como autoras, fomos inspiradas pelo poeta português Fernando Pessoa (Lisboa, 1888-1935) que, ao escrever Navegar é preciso, viver não é preciso, brinca com o duplo significado das palavras e convida a fazer a seguinte reflexão: mudar é preciso no sentido de ser necessário, justapondo à exatidão que permite a navegação ser segura, mesmo em mar bravio. Mudar pode ser também resultado da precisão do

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Criatividade no processo de coaching

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor