Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Jiu-Jitsu Brasileiro: A história que você precisa saber!
Jiu-Jitsu Brasileiro: A história que você precisa saber!
Jiu-Jitsu Brasileiro: A história que você precisa saber!
E-book89 páginas1 hora

Jiu-Jitsu Brasileiro: A história que você precisa saber!

Nota: 3 de 5 estrelas

3/5

()

Sobre este e-book

Livro feito após uma pesquisa de anos relatando a veracidade de fatos fundamentada em artigos confiáveis.

O e-book conta a história do Jiu Jitsu e também os principais personagens que fizeram acontecer e crescer o esporte aqui no Brasil. É surpreendente e empolgante pois muitos destes personagens não são conhecidos pelos praticantes do nosso esporte.

Antes mesmo de desenvolver o Jiu Jitsu aqui no Brasil, existia sim a pratica de arte marcial. Estas artes marciais tiveram outras nomenclaturas e eram similares ao nosso JIu Jitsu, saiba onde ocorreram algumas das praticas e os períodos correspondentes. O e-book desmistifica muitas referencias erronias existentes em academias, sites, revistas entre outros.
IdiomaPortuguês
Data de lançamento3 de jul. de 2015
ISBN9788582452479
Jiu-Jitsu Brasileiro: A história que você precisa saber!
Ler a amostra

Relacionado a Jiu-Jitsu Brasileiro

Livros relacionados

Categorias relacionadas

Avaliações de Jiu-Jitsu Brasileiro

Nota: 3 de 5 estrelas
3/5

1 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

    Pré-visualização do livro

    Jiu-Jitsu Brasileiro - Antonio Francisco Cordeiro Roza

    Referência

    Capitulo 1

    O ANTIGO JIU JITSU E O SEU SURGIMENTO

    Na Índia, cerca de 2000 a.C., pelos monges budistas, surge o Ju Jitsu antigo, neste período o objetivo era a auto defesa, como eles não podiam usar armas por motivo de cultura religiosa e quando se locomoviam para divulgar o budismo eram saqueados, com isso aparece a idea e desenvolveram técnicas de lutas, mas não baseadas em socos e ponta pés e sim em chaves, torções, estrangulamentos e alavancas, com isso surgiu uma arte marcial de defesa pessoal chamada de Ju Jitsu, este conteúdo pode ser facilmente encontrado em diversas literaturas, mas resumidamente por incrível que parece na formatação do Ju Jitsu antigo teve um dedo religioso. Em alguns países ocidentais usam também os termos Ju Jítsu, Ju Jutsu e Ju Jitso que podem ser traduzidos como arte suave, mas podendo interpretar como técnica de ceder ou arte da flexibilidade. (Gracie, 2008)

    O Jiu Jitsu é um dos esportes mais completos, não por ser uma arte marcial, mas por juntar ou agrupar de alguma maneira as artes marcial, segundo (Botelho, 2011), afirma que o Jiu Jitsu é a luta mais completa de todos os estilos de combate corpo a corpo, composta principalmente pelas seguintes partes: queda (Judô), traumatismo (Karate-Jitsu) e torções (Aiki-Jitsu).

    Para entender o significado de luta para o budismo, poderíamos entrar mais fundo no seu conhecimento, no conhecimento do religioso como era o entendimento na época sobre o aspecto da arte marcial Ju Jitsu antigo. Independente das várias contradições sobre a origem do Jiu Jitsu - é indiscutível que essa arte foi criada na Índia pelos monges budistas, que possuíam o conhecimento do corpo humano, sendo a arte de defesa mais completa, eficiente e eficaz, pode se dizer perfeita na época até os tempos de hoje. Tempos depois, séculos mais tarde os japoneses irão chamar de arte suave, por ser uma luta que permite o mais fraco derrotar o mais forte. (Botelho, 2011).

    No Japão feudal, também foi marcado pela predominância de uma classe guerreira, onde pode ser considerado como umas forças armadas de uma região eles eram conhecidos como os samurais, o modo de vida estabeleceu-se para atribuir a cada classe social uma função típica e essencial para o funcionamento como um todo do sistema, mais ou menos enrijecido. Neste período a sociedade foi organizada tendo como o topo das classes o imperador, que detinha tanto os poderes político e militar quanto a supremacia religiosa, mas, dependendo da época, esse poder militar e consequentemente o político era assumido pelo Xogum. Em nome desde, e eventualmente do imperador, existiam os daimiôs, os senhores feudais propriamente ditos, e estes controlavam um séquito de samurais. Abaixo destes, quando sem um líder, vinham os ronin. Sustentando a economia, vinham os camponeses, a grande maioria, que incluía desde os agricultores e pecuaristas aos pescadores e demais pessoas sem posses. Depois, vinham os artesãos que, apesar de fazerem os utensílios e ferramentas usados pelos demais, porque não produziam alimento eram mal-vistos. Por fim, vinham os mercadores.

    Desenvolveram no Japão muitos estilos diferentes de Jiu Jítsu, alguns usando mais técnicas no solo, outras em pé, não sendo correto afirmar que existe uma forma certa de se lutar Jiu Jítsu. Jigoro Kano criou seu próprio Jiu Jitsu que apresenta duas formas, uma que se aplica quedas da forma mais eficiente buscando a perfeição na técnica de projeção e também com imobilizações, alguns tipos de estrangulamentos e chaves em forma de alavancas, que atualmente conhecemos como judô, a outra que consiste em uma luta no solo com agarramentos, principalmente buscando finalização de forma mais rápida e eficiente com menor esforço por meio das chaves de braço e de perna, torções e estrangulamento. Jigoro Kano buscou fazer desta arte marcial uma forma de desenvolvimento do corpo, por intermédio da educação física buscou colocar regras direcionando o treinamento de forma preventiva a lesões e com maior amplitude de ganho na parte de desenvolvimento corpo e mente. Segundo Borges (1998), Jigoro Kano defendia o chamado princípio das três culturas que consistia no intelecto, na moralidade e no físico. A importância da educação está baseada na harmonia dessas três culturas.

    Jigoro Kano foi professor honorário da Escola Normal Superior de Tóquio e conselheiro do Gabinete Japonês de Educação Física. (Virgílio, 1986). Jigoro Kano teve seu primeiro contato com o Jiu Jitsu na adolescência com 17 anos, em pouco tempo inaugura seu próprio dojô no distrito de Tóquio no Japão. No mesmo ano viu nascer o judô, resultado de uma série de variedades de Jiu Jitsu, naquela época não era muito divulgado, mas reservados aos mais afamados mestres da arte.

    Jigoro Kano após ensinar o estilo Kano de Jiu-Jitsu pelo Japão, enviou seus discípulos para difundir o Judô pelo mundo. Desta forma Jigoro Kano teve seu nome perpetuado como educador e esportista, sendo considerado o Pai da Educação Física do Japão (Virgílio, 1986).

    Com isso o judô foi ganhando forças no Japão, já que aparentava uma luta mais tranqüila, até porque os japoneses não precisavam mais de samurais e sim de pessoas disciplinadas. E com isso o Jiu Jitsu foi se caracterizando mais em uma luta do que em um esporte. (Gracie, 2008)

    Um dos maiores e mais falados personagens sobre o Jiu Jitsu da Kodokan e precursor

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1