Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Comportamento das Baixas Frequências em Salas para Uso Musical: Acústica das Edificações

Comportamento das Baixas Frequências em Salas para Uso Musical: Acústica das Edificações

Ler a amostra

Comportamento das Baixas Frequências em Salas para Uso Musical: Acústica das Edificações

Duração:
43 páginas
20 minutos
Editora:
Lançados:
3 de set. de 2018
ISBN:
9788562069284
Formato:
Livro

Descrição

O objetivo desse trabalho é estudar o comportamento das baixas frequências em salas para uso musical, através dos efeitos e interferências acústicas exercidos pela formação de ondas estacionárias nesse tipo de recinto.
Editora:
Lançados:
3 de set. de 2018
ISBN:
9788562069284
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Comportamento das Baixas Frequências em Salas para Uso Musical

Livros relacionados

Amostra do livro

Comportamento das Baixas Frequências em Salas para Uso Musical - Daniel Mancini Fazzio

BIBLIOGRÁFICAS

Autor: Daniel Mancini Fazzio

Engenharia Acústica de Edifícios e Ambiental - Acústica das Edificações

Prof. Tiago Abreu

Novembro 2012

I. INTRODUÇÃO

Considerando um espaço aberto, sabemos que as ondas sonoras ocorrem somente devido a sua fonte, no entanto em um espaço fechado, como uma sala, por exemplo, temos dois tipos de ondas sonoras: a onda original sonora proveniente da fonte; e as ondas sonoras refletidas produzidas pelas reflexões da onda original pelos limites dessa sala, sendo eles: paredes, piso e teto. Logo, a oscilação da partícula do ar e o nível de pressão sonora em diversos pontos dentro de uma sala são devidos a combinação da onda original com suas reflexões.

Uma maneira de entendermos esse fenômeno inicialmente é examinar um simples tubo fechado de ambos os lados, condição que nos garante a existência de ondas refletidas dentro do tubo. Assumindo que este tubo possui um diâmetro muito inferior ao do comprimento da onda sonora, garantimos que o som percorrerá somente ao longo do comprimento do tubo, ou seja, em um recinto de somente uma dimensão. Nesse caso, podemos fazer uma comparação com uma sala, que seria um recinto de três dimensões (comprimento, altura e largura).

Ainda assumindo que uma fonte sonora é colocada em uma das extremidade do tubo (considerando que seu tamanho não interfere com as reflexões das ondas sonoras nessa mesma extremidade), e nosso gerador de som (fonte sonora) emitisse um tom com a frequência baixa, por exemplo 20Hz, e fosse gradativamente subindo até os 20KHz, se pudéssemos ouvir o som produzido dentro do tubo, por um microfone bem pequeno colocado no seu interior, seria possível perceber que em determinada frequência, o som no interior do tubo repentinamente seria muito mais alto, ou seja, poderíamos dizer que a uma determinada frequência o tubo exerce

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Comportamento das Baixas Frequências em Salas para Uso Musical

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor