Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Responsabilidade civil do prestador de serviços

Responsabilidade civil do prestador de serviços

Ler a amostra

Responsabilidade civil do prestador de serviços

Duração:
94 páginas
1 hora
Editora:
Lançados:
9 de jul. de 2018
ISBN:
9788554544492
Formato:
Livro

Descrição

O setor de serviços representa hoje, o setor de maior peso no PIB brasileiro, o que indica que a prestação de serviços é tema que merece ser estudado. Ao mesmo tempo, a responsabilidade civil e o direito do consumidor também são temas que se encontram em crescente interesse por todos, tendo em vista que nos últimos anos, a população passou a se atentar para a importância de seus direitos e garantias. Assim, surge essa obra, que une assuntos atuais e de grande relevância, para entender como os prestadores de serviços são responsabilizados no ordenamento jurídico brasileiro.

O livro aborda a relação de consumo, sua evolução histórica, princípios e requisitos, bem como o contrato de prestação de serviços, tanto no âmbito do direito civil quanto do direito do consumidor, além de analisar a responsabilidade civil, na esfera geral, e nas relações de consumo, se norteando por uma concepção interdisciplinar e dinâmica do Direito.

A obra destina-se a todos os estudiosos do Direito, de qualquer carreira jurídica, bem como a todo aquele que recebe ou presta um serviço.
Editora:
Lançados:
9 de jul. de 2018
ISBN:
9788554544492
Formato:
Livro


Relacionado a Responsabilidade civil do prestador de serviços

Livros relacionados

Artigos relacionados

Amostra do livro

Responsabilidade civil do prestador de serviços - Fernanda Maropo de Lima

1

Relação de Consumo

A relação de consumo é jurídica e socialmente relevante e ganhou grande importância na sociedade atual. O Código de Defesa do Consumidor, lei responsável pela proteção do consumidor e por regular as relações entre os fornecedores e consumidores, preocupou-se em apresentar diversos conceitos ao longo de seu texto. Entretanto, não conceituou a relação de consumo, abordando apenas as definições de consumidor, fornecedor, produto e serviço.

O Protocolo de Defesa do Consumidor, de 1997, produzido pelo Comitê Técnico n. 7 da Comissão de Comércio no âmbito do MERCOSUL, define, em seu artigo 5º:

I. Relação de consumo é o vínculo que se estabelece entre o fornecedor que, a título oneroso, oferece um produto ou presta um serviço a quem o adquire ou o utiliza como destinatário final.

II. Equipara-se a esta o fornecimento de produtos e a prestação de serviços a título gratuito, quando se realizem em função de uma eventual relação de consumo. ²

Tal relação pode ser compreendida, portanto, como a relação entre um consumidor e um fornecedor, tendo como objeto o fornecimento de produtos ou serviços.

1.1 Contexto Histórico

As relações de consumo permeiam as relações humanas desde o início da civilização. Com o desenvolvimento da tecnologia, elas se tornaram ainda mais evidentes, sendo acompanhadas pela defesa do consumidor e legislações reguladoras. Nos primórdios da história, o ser humano, para satisfazer suas necessidades e vontades, criava e construía os instrumentos necessários para tanto. Ele, manualmente, produzia seus alimentos, vestimentas e demais objetos necessários para sua subsistência, bem como para seus prazeres.

Com a criação de indústrias, fábricas e lojas, a relação do ser humano com os objetos necessários à sua existência foi modificada. Ele passou a não mais produzir seus instrumentos, mas, sim, adquiri-los por meio do trabalho de outras pessoas, perdendo a habilidade e a capacidade de atender sozinho aos seus desejos.

A Revolução Industrial foi o grande marco das relações de consumo. Com ela, que se iniciou no século XVIII, na Inglaterra, surgiram as indústrias de tecido de algodão e o aprimoramento das máquinas a vapor. A segunda fase da Revolução Industrial data dos anos de 1860 a 1900, com a forte industrialização na Alemanha, França, Itália e Rússia, período este no qual houve o desenvolvimento de produtos químicos.

No período pós-Revolução Industrial, houve expansão das cidades, e, consequentemente, crescimento das demandas e ofertas. O homem passou, cada vez mais, a comprar e consumir das indústrias, criando uma relação de dependência com o mercado porque, sem ele, não consegue mais sobreviver. Surgiu, assim, a massificação da produção, da distribuição e do consumo, de modo a caracterizar as relações de consumo como a sociedade contemporânea conhece.

No Brasil, a Lei n. 8.078, conhecida como Código de Defesa do Consumidor, foi editada em 11 de setembro de 1990, sendo, desta maneira, uma lei criada com muito atraso, tendo em vista a globalização e produção no país. Por todo o século XX, momento no qual as relações de consumo já haviam ganhado grande dimensão, a lei aplicável era o Código Civil, de 1916, que não conseguia tratar das relações jurídicas de consumo de forma clara, haja vista as mudanças ocorridas no decorrer do

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Responsabilidade civil do prestador de serviços

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor