Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

A certeza da oração atendida
A certeza da oração atendida
A certeza da oração atendida
E-book34 páginas37 minutos

A certeza da oração atendida

Nota: 5 de 5 estrelas

5/5

()

Ler a amostra

Sobre este e-book

A certeza da oração atendida é considerado um importante sermão do pastor Charles Spurgeon.

A sua mensagem nos desperta para uma verdadeira experiência de oração e acende em nossos corações uma chama de fé e esperança.

Esse pequeno texto nos convida a refletir sobre as promessas de Deus para a nossa vida e nosso propósito de estabelecer com Ele uma maior intimidade através da oração.

Prepare-se para uma mensagem edificante e abençoadora.



SOBRE O AUTOR:

Charles Haddon Spurgeon nasceu em 19 de junho de 1834 converteu se ao cristianismo aos 15 anos e começou a pregar logo em seguida. Ficou conhecido como O Príncipe dos Pregadores devido a sua habilidade em pregar a Palavra e tocar os corações de seus milhões de ouvintes.

Escreveu 135 livros e mais de 3000 sermões que foram distribuídos por todo o mundo.Seu ministério influenciou milhares de outros pregadores e sua mensagem pregada continua atual até os dias de hoje.
IdiomaPortuguês
Data de lançamento2 de abr. de 2020
ISBN9788564469860
A certeza da oração atendida
Ler a amostra
Autor

Charles H. Spurgeon

Charles Haddon (CH) Spurgeon (1834-1892) was a British Baptist preacher. He started preaching at age 19, and quickly became famous. He is still known as the "Prince of Preachers", and frequently had more than 10,000 present to hear him preach at the Metropolitan Tabernacle, in London. His sermons were printed in newspapers, translated into many languages, and published in many books.

Leia mais títulos de Charles H. Spurgeon

Relacionado a A certeza da oração atendida

Títulos nesta série (10)

Visualizar mais

Ebooks relacionados

Categorias relacionadas

Avaliações de A certeza da oração atendida

Nota: 5 de 5 estrelas
5/5

8 avaliações1 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

A avaliação deve ter pelo menos 10 palavras

  • Nota: 5 de 5 estrelas
    5/5
    Boa pregação. Alerta nossos corações não só para o fato de que nossas orações serão ouvidas, mas também o que realmente se deve pedir.

Pré-visualização do livro

A certeza da oração atendida - Charles H. Spurgeon

Introdução

"Por isso lhes digo: Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o

que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate,a porta será aberta."

Lucas 11:9-10

É um instinto da natureza humana, na hora da angústia,procurar ajuda em um ser sobrenatural. Não estamos afirmando que a natureza humana não regenerada sempre apresente orações verdadeiramente espirituais, ou mesmo que exerça a fé no Deus vivo. Não obstante, como uma criança na escuridão chorando desesperadamente e procurando por ajuda, mal sabendo ela o lugar de onde esse socorro virá, quase que invariavelmente a alma, em profundo sofrimento, o clama por ajuda a um ser sobrenatural.

Ninguém está mais propenso a orar no momento da aflição do que aquele que menosprezou a oração na hora da prosperidade – e provavelmente nenhuma oração tem sido mais autêntica em relação aos sentimentos do momento do que aquela oferecida pelos ateus debaixo da pressão do medo iminente da morte.

Em um de seus escritos no Tattler, Addison descreve um homem que, a bordo de um navio, gabava-se de seu ateísmo. Perante um grande vendaval, caiu prostrado e confessou ao capelão que havia sido ateu. Os marinheiros que nunca antes haviam ouvido tal coisa pensaram que fosse um peixe desconhecido, porém ficaram ainda mais surpresos quando viram que se tratava de um ser humano e ouviram de sua própria boca, que até aquele dia ele nunca havia acreditado que existisse um Deus. Um dos marinheiros mais experientes sussurrou ao contramestre que seria uma boa ideia içá-lo ao mar, porém esta era uma sugestão cruel, visto que a pobre criatura já se encontrava em miséria suficiente – seu ateísmo o havia consumido e ele, num medo mortal, clamou a Deus para que tivesse misericórdia dele!

Incidentes semelhantes têm acontecido, nem uma nem duas vezes. Na verdade, com grande frequência, o ceticismo prepotente no final acaba admitindo o que sempre esperávamos que o fizesse.

Retire a barreira antinatural da mente e se dirá de todos os homens que, da mesma forma como

Está gostando da amostra?
Página 1 de 1