Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

O que é literatura infantil

O que é literatura infantil

Ler a amostra

O que é literatura infantil

notas:
4/5 (5 notas)
Duração:
70 páginas
52 minutos
Editora:
Lançados:
8 de set. de 2017
ISBN:
9788511350173
Formato:
Livro

Descrição

Quais as características da literatura infantil, seus comprometimentos e desafios? Que lugar ela pode ocupar nas escolhas? Como escolher entre tantos livros do gênero?

A autora responde a essas e outras perguntas, apresentando critérios de análise e seleção de obras, discorrendo sobre a origem dos contos clássicos e sobre as características da produção contemporânea destina às crianças.
Editora:
Lançados:
8 de set. de 2017
ISBN:
9788511350173
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a O que é literatura infantil

Livros relacionados

Categorias relacionadas

Amostra do livro

O que é literatura infantil - Ligia Cademartori

autora

Apresentação

Em 1986, escrevi a primeira edição de Oque é literatura infantil. Desde então, o livrinho tem circulado entre os interessados em sucessivas reimpressões. Naquela época, o gênero literário endereçado às crianças conquistava, gradualmente, espaço nas discussões universitárias, congregando estudiosos em instituições dedicadas ao tema. A literatura infantil deixava seu lugar à margem para ser apreciada em suas peculiaridades.

No plano das ações, livros literários para crianças começavam a ser distribuídos, em escolas e bibliotecas do país, pelo Ministério da Educação. A iniciativa pioneira recebeu o nome de Programa Salas de Leitura e era desenvolvido pela Fundação de Assistência ao Estudante, hoje extinta. Se a iniciativa oficializava os lações entre literatura infantil e educação, o que, na opinião de muitos, comprometia a natureza literária do gênero, na mesma medida vinha promovê-lo, tornando a distribuição de livros a estudantes parte de uma política pública. Simultaneamente, criava-se uma relação de dupla dependência entre a presença da literatura infantil nas escolas e a produção de livros desse segmento editorial pela indústria livreira. A oferta de títulos cresceu de modo significativo. Com a continuidade e expansão dos programas de aquisição de livros infantis pelo governo, pode-se dizer que essa literatura passou a contar com uma forma de patrocínio estatal.

Mesmo sendo inegável o vínculo estabelecido entre literatura infantil e educação, é importante ter clareza de que não cabe ao gênero o papel de subsidiário da educação formal. A natureza literária já o coloca além dos objetivos pedagógicos, assim como dos ideais, costumes e crenças que os adultos queiram transmitir às crianças.

É como entretenimento, aventura estética e subjetiva, reordenação dos próprios conceitos e vivências, que a literatura oferece, aos pequenos, padrões de leitura do mundo. Mas não foi movida pelo reconhecimento desse potencial que a escola, inicialmente, voltou-se para a literatura infantil. A educação formal passou a valorizar essa produção com vistas a interesses mais imediatos. Viu nela um bom instrumento do ensino da língua, modo de ampliar o domínio verbal dos alunos. Acreditava-se no slogan "quem lê, sabe escrever".

Além de ensinar a língua, a literatura seria veículo de informações. Supriria as grandes lacunas intelectuais dos alunos, oferecendo também elementos formativos. Ora, se a função da literatura parasse aí, seu papel seria meramente paradidático.

A criança que costuma ler, que gosta de livros de histórias ou de poesia, geralmente escreve melhor e dispõe de um repertório mais amplo de informações, sim. Mas essa não é a principal função que a literatura cumpre junto a seu leitor. Mesmo sem precisar discorrer sobre a função da literatura, sabemos que é o fato de ela propiciar determinadas experiências com a linguagem e com os sentidos – no espaço de liberdade que só a leitura possibilita, e que instituição nenhuma consegue oferecer – que a torna importante para uma criança.

Nos últimos anos do século XX, a noção da importância da literatura infantil na formação de pequenos leitores consolidou-se, integrando a pauta das políticas públicas de educação e cultura. Se ainda estamos longe de constituir um país de leitores, se os problemas da qualidade da educação fundamental são grandes e persistentes, a escola e o gênero, no entanto, já não são os mesmos que eram nos anos 1980. Passaram ambos por modificações conceituais e funcionais que alteraram seus perfis. A importância de aproximar as crianças dos livros de literatura infantil é hoje praticamente um consenso. A sociedade absorveu a ideia que, décadas atrás, era ainda objeto de pregação. Eram feitos esforços de convencimento para que pais e professores promovessem, entre os pequenos, a leitura de bons livros. Hoje, reflexões a respeito do assunto envolvem estudantes e estudiosos na produção de ensaios, dissertações, teses, que discutem diferentes aspectos da literatura infantil e contam com poder de irradiação. No entanto, entre a adoção de um conceito, o desenvolvimento de análises e a construção do cenário idealizado por aqueles que se empenham em semear livros a mão-cheia, parafraseando Castro Alves, a distância é grande.

Um dos principais fatores que agem nessa distância é o fato de a escola, atualmente, estar ainda mais esvaziada de seu potencial simbólico do que nos anos 1980, quando já dava sinais de declínio. Vive atualmente perda mais radical de seu antigo espaço de influência. Sobrevive sem condições de competir com os meios de comunicação de massa, esses, sim, geradores de valores e de modelos, que se impõem indistintamente ao amplo público, mediante informação, publicidade e entretenimento. As crianças crescem diante da televisão, brincam desde cedo com jogos eletrônicos e encontram pela internet, instantaneamente, as informações de que precisam. Podem saber de tudo o que está acontecendo em tempo real. À disposição delas, estão muitas informações. São tantas que atordoam.

O livro não concorre com isso e, no entanto, a literatura infantil, guardadas as diferentes proporções da oferta, conforme se trate de escola pública ou privada, está mais próxima das crianças do que estava nos anos 1980. Isso se deve a projetos e programas de diferentes instituições, resultado de iniciativas de diversas

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de O que é literatura infantil

4.2
5 notas / 1 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor

  • (5/5)

    1 pessoa achou isso útil

    Uma ótima indicação para vislumbrar o processo de surgimento da literatura infantil, contemplando análises sobre o Perrault e Lobato de forma bem atraente e descritiva, promovendo o conhecimento com uma linguagem convidativa!

    1 pessoa achou isso útil