Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar: Reconquiste o Melhor do seu Relacionamento
As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar: Reconquiste o Melhor do seu Relacionamento
As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar: Reconquiste o Melhor do seu Relacionamento
E-book274 páginas3 horas

As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar: Reconquiste o Melhor do seu Relacionamento

Nota: 5 de 5 estrelas

5/5

()

Ler a amostra

Sobre este e-book

Você pode tomar medidas práticas para tornar o seu desejo em realidade e colocar Deus em seu relacionamento. Extraído de pesquisas feitas com casais felizes, os Farrels, com seu bom humor característico e discernimentos realistas, o ajudará a descobrir as dez melhores decisões que você e seu cônjuge devem tomar para revitalizar o seu casamento.
Descubra como suas escolhas diárias podem ajudar a experimentar o melhor de Deus para o seu casamento e transformar os seus sonhos em realidade.

Um produto CPAD.
IdiomaPortuguês
EditoraCPAD
Data de lançamento8 de nov. de 2016
ISBN9788526314269
As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar: Reconquiste o Melhor do seu Relacionamento
Ler a amostra

Relacionado a As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar

Ebooks relacionados

Avaliações de As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar

Nota: 5 de 5 estrelas
5/5

1 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

A avaliação deve ter pelo menos 10 palavras

    Pré-visualização do livro

    As 10 Melhores Decisões que o Casal Deve Tomar - Bill Farrel

    Notas

    Decida Construir um Amor que Dure

    Aqui está o casamento, esse estado feliz que se assemelha às lâminas de uma tesoura: Estão tão juntas que não podem se separar, muitas vezes movendo-se em direções opostas, contudo punindo todo aquele que se ponha entre elas.— Sydney Smith

    Como é que um corretor de imóveis descreve seu casamento? Achado raro! Ideal! Extraordinário e perfeito! Bonito e elegante! Em estado de novo! Fantástico! Muitos casamentos recebem uma descrição mais realista: Encantadoramente reformado. Fundação sólida, mas precisa de um trato. Primeira impressão boa, mas o interior precisa de muita reforma. Boa vizinhança — fácil de reformar!

    A televisão está cheia de propagandas de lojas de materiais de construção e decoração, sem falar nos programas que ensinam como fazer pequenos consertos. São programas que mostram técnicas e estratégias eficazes para tornar qualquer habitação em um lugar melhor para chamar de lar. Da mesma forma, seu casamento precisa de uma estratégia para ficar em boa forma.

    Assim como as paredes não se pintam sozinhas, a grama não se corta sozinha e os pratos não se lavam sozinhos, o casamento não se torna forte e bonito sem ajuda. Construir uma casa bonita requer um bom conjunto de plantas, um empreiteiro competente, trabalhadores capacitados e decoradores talentosos. Tudo que vale a pena investir. Casas que regularmente recebem cuidado atencioso e carinhoso são avaliadas com um valor mais alto. Da mesma forma, todo casamento que receber amor e atenção consistente se tornará uma obra de arte, um santuário de amor e um refúgio de esperança.

    Pense neste livro como um conjunto de plantas para construir um amor duradouro. Seu primeiro passo é decidir construir um amor que dure. Decida que você quer descobrir o que faz o amor durar por toda a vida. Decida procurar um bom conjunto de plantas para construir um amor e uma vida. Queremos dar uma olhada bem-humorada e prática no casamento e fornecer ferramentas diárias para o casal que quer fazer pequenos trabalhos em torno da casa e criar uma casa na qual vocês dois queiram viver — uma casa construída com amor.

    Lições do Empreiteiro

    No momento da escrita deste livro, já fomos os orgulhosos proprietários de três casas. Todas foram projetadas e nos ajudaram a aprender algumas das mais importantes lições em nosso relacionamento.

    Pensamos que nossa primeira casa era a casa mais maravilhosa que já tínhamos visto. Foi construída na década de 1950, mas para nós parecia um diamante novo e brilhante. O papel de parede amarelo e laranja brilhante da cozinha era horroroso, mas pensamos: Não há problema. Vamos colocar papel de parede novo. O carpete felpudo verde em toda a casa era repugnante, mas pensamos: Não há problema. Vamos arrancá-lo e retocar o piso de madeira. Sabíamos que a casa tinha cupim, mas pensamos: Não há problema. A casa acaba de ser dedetizada, então não há mais cupim.

    Olhando para trás, percebemos que essa foi a lição número um do relacionamento. Todos entramos no casamento pensando: Não há problema. Vamos resolver tudo, porque nos amamos. Esse idealismo é necessário, porque se soubéssemos tudo o que está envolvido na construção de um relacionamento íntimo, chegaríamos à conclusão de que é impossível e fugiríamos para o outro lado. Mas parece que temos um ímã maravilhoso no coração que nos convence de que precisamos desesperadamente uns dos outros.

    Na verdade, todo casamento tem defeitos, falhas, desafios, inconsistências e deficiências. Como Henry Ironside é famoso por dizer: Onde há luz, há defeitos. Os casais que são bem-sucedidos aprendem a viver com os olhos bem abertos aos desafios e presumem que terão de reformar a relação regularmente para agir contra o processo natural de deterioração.

    O que É isso?

    Assim, com entusiasmo juvenil, começamos nossa aventura. Com os olhos bem abertos e o coração cheio de expectativa, nos pusemos a consertar nossa nova casa. Começamos arrancando o horroroso papel de parede da cozinha. Anexado à cozinha, havia um canto para pequenas refeições com uma janela de sacada com molduras de madeira, e o canto era ressaltado com lambris de madeira. O lambri não era original, por isso decidimos removê-lo, já que estávamos reformando a cozinha.

    Quando eu (Bill) estava entusiasticamente retirando o revestimento de madeira da parede, um dos peitoris da janela veio junto! A peça de madeira podre caiu no chão. Tinha sido, obviamente, o ninho dos cupins por um longo tempo. Uma rede cavernosa de túneis percorria a madeira. Partes do peitoril eram nada mais que uma fachada de papel fino. Não tenho certeza, mas acho que ouvi a casa rindo de mim. Com o peitoril no chão, pude ver claramente a parte inferior da moldura da janela. O que vi foi espantoso. Cupins mortos estavam empilhados uns sobre os outros. A metade inferior da moldura da janela fora quase totalmente devorada. Alguns cupins gordos deviam estar passeando pelas redondezas do bairro! Lembro-me de pensar: O que foi que eu fiz? Sabíamos que tínhamos cupins, mas ninguém nos disse que estávamos comprando o Tampão da Casa para Cupins!

    Lição número dois: Todo casal passa por um período em que se pergunta: No que foi que me meti? Ninguém pode prever tudo o que está envolvido num relacionamento íntimo, de modo que surpresas são inevitáveis. Lembro-me da minha primeira grande surpresa. Pam e eu estávamos sossegadamente sentados em nossa sala de estar durante nosso primeiro ano de casamento. Eu pensava comigo mesmo: É incrível. Ela é linda, o sexo é maravilhoso, somos jovens e temos muito ainda a viver. Então aconteceu. Eu disse algo que apertou um botão em Pam.

    Ela levantou-se abruptamente e exclamou:

    — Você não me ama mais!

    E saiu correndo para o quarto, bateu a porta e jogou-se na cama. Quando entrei, ela estava chorando compulsivamente. Eu sabia que nosso casamento teria desafios, mas nunca ninguém me falou sobre isso!

    Aprendi que uma das melhores coisas que posso fazer para Pam é ajudá-la a sentir-se segura. Ela precisa saber que é importante e valorizada. Sei disso agora, mas não sabia então. Naquele dia, ela correu para o quarto, e eu fiquei imaginando quem era essa pessoa e quando foi que ela tomara minha esposa.

    Eu Tenho um Sonho!

    Voltemos para a casa. Tive de contratar um empreiteiro para refazer a moldura da janela, porque já não havia janelas iguais à venda. Com a ajuda de um especialista, consertamos a janela e continuamos com a cozinha.

    O papel de parede velho tinha de ser tirado, porque agora resolvemos pintar. Por alguma razão, pensamos que pintar ficaria melhor e seria mais fácil de limpar. Cobrir a parede com papel de parede novo teria sido mais fácil, mas tínhamos um sonho.

    O papel de parede estava bem colado e era difícil de tirar, por isso tivemos de alugar um vaporizador. Ninguém me disse que um vaporizador é como uma serpente fervente procurando alguém para atacar. Ele cuspiu. Trancou. Recusou-se a funcionar. Era mera teimosia. Eu poderia ter parado agora, no início, e colocado papel de parede, mas tínhamos um sonho. Empenhei-me em consertar o vaporizador. Nesse empenho, eu me pulverizei no rosto com vapor. Isso me assustou e, ao mesmo tempo, me deixou mais determinado. Felizmente, tudo o que ganhei foi um bronzeamento indesejado pelos meus esforços! Nesse ponto, eu deveria ter dito a Pam: Precisamos desistir desse plano. Vamos pôr papel de parede na cozinha. Mas tínhamos um sonho! Tenho orgulho em dizer que depois de muita labuta, a cozinha foi lindamente pintada com a guarnição contrastante nas janelas de madeira.

    Lição número três: Às vezes, a única coisa que mantém um casal unido é o sonho. As relações íntimas têm muita influência para o nosso coração. Estão cheias de esperanças, sonhos e decepções. A relação começa com a sensação de que será maravilhoso e gratificante. O sonho é interrompido pelas necessidades reais dos indivíduos envolvidos. Uma vida inteira de casamento é cheia de decepções, reveses, mal-entendidos, tempos de grande responsabilidade, decisões financeiras e muitos outros desafios. Nenhum homem jamais disse a uma mulher: Quer se casar comigo para fazermos contas e trabalharmos duro o resto da vida para pagá-las?. Mas quando somos atingidos pela realidade, o casal pode ter de suportar tempos chatos, estressantes e dolorosos por causa do sonho: Podemos redescobrir o amor repetidas vezes. O casal com esse sonho trabalhará junto para construir um lugar onde a relação funcione. O sonho os faz superar os obstáculos do inesperado.

    Depois que terminamos a reforma da cozinha, o sonho se expandiu. Conforme ficávamos acostumados com nossa nova casa, entretínhamos o pensamento tolo: Não basta. Lição número quatro: Algo no coração dos homens e das mulheres fica descontente muito depressa. Temos carros, mas não são bons o suficiente. Temos computadores, mas não são rápidos o suficiente. Temos casas, mas não são grandes o suficiente. Temos relações, mas não são boas o suficiente.

    Nós nos casamos com a pessoa de nossos sonhos, mas ficamos descontentes, porque nos esquecemos do sonho à luz da realidade. O que era bonito à noite, desvanece-se à luz do dia. Há uma piada que apresenta a situação desta forma: Você já notou que quando está apaixonado, você se afunda nos braços da amada (ou do amado), mas depois do casamento, são seus braços que se afundam na pia?. Em cada relacionamento, o sonho deve suportar as realidades da vida diária.

    O bicho do não está bom o suficiente nos mordeu, e decidimos que precisávamos fazer um banheiro exclusivo anexado ao quarto. O projeto parecia simples, quando conversávamos a respeito. Seria necessário apenas retirar e fechar a porta da frente e transformar a passagem da entrada em banheiro. O que pensávamos que levaria cerca de um mês, levou quase cinco vezes esse tempo. Gostaria de dizer que Pam ficou muito orgulhosa de mim, que disse: "Uau, querido, aprecio a sua perseverança. Mesmo que esteja levando mais tempo do que você pensou, estou espantada com a forma como está focado na tarefa. A propósito, você fica sexy com essas roupas sujas de construção!".

    Em vez disso, os comentários degradaram de Estou tão animada! para Quanto tempo você disse que levaria? Não acha que deveria contratar alguém para terminar o trabalho? Estou começando a pensar que você gosta de trabalhar em casa mais do que gosta de passar tempo comigo.

    Ainda que contratar um empreiteiro teria sido uma boa ideia, o meu ego fez expressão de desagrado. Meus pensamentos tinham sido originalmente nobres: Vou fazer isso para minha esposa querida. Mas conforme o tempo foi passando, meus pensamentos se deterioraram. Vou mostrar a ela. Não acredito que ela pensa que não consigo fazer isso! Por que ela está reclamando? Foi ideia dela! Eu tinha perdido de vista o sonho.

    Sobrevivemos uma Vez — Sobrevivamos de Novo!

    Nossa segunda casa é uma história muito diferente. Com grande expectativa e entusiasmo, nós nos mudamos para o Condado de San Diego a fim de pastorear uma igreja. Partimos do pressuposto de que poderíamos vender a casa que reformamos e comprar uma casa no sul da Califórnia. Durante os primeiros três meses que estávamos em San Diego, o valor médio de uma casa subiu 40 mil dólares e estávamos fora do mercado.

    Eu não queria construir uma casa. Eu trabalhara como desenhista arquitetônico durante anos antes de me tornar pastor. Ajudei muitas pessoas a projetar casas personalizadas para suas famílias, e enquanto observava essas famílias construir suas casas, concluí: Nunca farei isso! De alguma forma, Deus parece não ter me ouvido muito bem.

    As pessoas da igreja eram incrivelmente graciosas. Um encanador me disse:

    — Se você quer construir uma casa, então vou doar meu tempo para fazer o encanamento.

    — Obrigado pela oferta — respondi —, mas não vamos construir uma casa.

    Um eletricista me disse:

    — Se você quer construir uma casa, então vou doar meu tempo para fazer a fiação.

    Mais uma vez, eu disse:

    — Obrigado pela oferta, mas não vamos construir uma casa.

    Um instalador de sistema de calefação e ar-condicionado me disse:

    — Se você quer construir uma casa, então vou doar meu tempo para instalar o sistema de aquecimento.

    — Obrigado pela oferta, mas não vamos construir uma casa — repeti.

    Um carpinteiro me disse:

    — Se você quer construir uma casa, então vou doar meu tempo para fazer o telhado.

    Ainda assim, eu disse:

    — Obrigado pela oferta, mas não vamos construir uma casa.

    Comecei a pensar que estava havendo uma conspiração. Eu não queria construir uma casa, mas Deus estava inspirando as pessoas a ser incrivelmente generosas. A generosidade é um grande traço de caráter, mas pode ser irritante quando há um ar de desafio! Com a esperança de que Ele não cumpriria o acordo, fiz um trato com Deus. Disse-lhe: Conheço um irmão que é supervisor de construção. Ele trabalha só quatro dias por semana atualmente. Se ele vier até mim, me disser que devo construir e se oferecer para me orientar durante toda a construção, vou construir. Mas ele tem de vir até mim!

    Acho que você já sabe o que aconteceu. Esse amigo veio até mim e disse:

    — Oi, Bill, acho que você deveria construir uma casa. Atualmente, estou trabalhando apenas quatro dias por semana e estou disposto a orientar você durante toda a construção.

    Meu queixo caiu com tanta força que acho que o machuquei quando atingiu o chão. Eu queria dizer: Obrigado pela oferta, mas não vamos construir uma casa. Mas o que eu disse foi... nada. Fiquei tão estupefato que não consegui dizer nada. Por fim, disse entre os dentes:

    — Entro em contato com você mais tarde.

    Com base nessa interação, comprei um terreno, fiz as plantas para a nossa casa e adquiri uma licença. Na semana que recebi a licença, meu amigo foi homenageado com o emprego dos seus sonhos. O cargo casava bem com todos os seus talentos e o abençoou com um grande aumento salarial. O trabalho exigia um expediente de seis dias por semana e muitas horas de intensa atividade. Em vista disso, ele não podia me orientar durante a construção de nossa casa. Eu precisava de um milagre!

    Lição número cinco: Todos os grandes relacionamentos começam quando as pessoas escolhem confiar em Deus. Todos somos pessoas imperfeitas que amam outras pessoas imperfeitas em um mundo imperfeito. Portanto, todos temos casamentos perfeitamente imperfeitos. O maior momento do seu casamento é quando você percebe que não tem todas as respostas, quando em rendição precipitada você desiste e diz para Deus: Tudo bem, vamos fazer do seu jeito! Vamos.

    Foi exatamente o que aconteceu com a casa. Nunca me esquecerei da manhã de sexta-feira em que eu estava em cima da fundação recém-concretada. Os trabalhadores que fazem a estrutura de madeira da casa iam chegar no dia seguinte, e meu trabalho era deixar tudo pronto para quando chegassem. Eu nunca fizera isso antes. Eu me comprometi, porque alguém com experiência ofereceu-se para orientar-me. Agora que a pessoa não estava mais disponível, eu estava em cima do piso da fundação, pedindo a Deus sabedoria e toda ajuda que Ele pudesse me enviar.

    Aconteceu que meu novo vizinho estava de folga do trabalho naquele dia. Aconteceu que ele tinha experiência em preparar obras para uma empresa que fazia essas estruturas de madeira. Ele se ofereceu por cerca de quatro horas para me mostrar como marcar os rebites de modo que os trabalhadores ficassem ocupados. Essa foi apenas uma das muitas histórias.

    Certo dia, eu estava cavando as valetas para as calçadas do pátio dianteiro e traseiro. Quando comecei a cavar, eu disse para Deus: Bem que eu poderia usar uma pequena perfuratriz. Dentro de uma hora, um amigo encanador chegou e me disse:

    — Quando eu estava saindo esta manhã, senti o toque do Senhor dizendo que, talvez, você precisasse de uma perfuratriz, então coloquei-a na minha caminhonete. E aí, você precisa?

    Outro dia, conheci um jovem que tinha acabado de dar baixa da Marinha. Ele queria ficar em San Marcos e fazer parte de nossa igreja, porque recebera recentemente Jesus em sua vida. Tínhamos um trailer espaçoso em nossa propriedade, então lhe ofereci o trailer para morar e contratei seu trabalho em troca do aluguel. Ele não só veio a ser de grande ajuda para fazer o trabalho, mas pude ensinar-lhe os princípios do cristianismo enquanto trabalhávamos. Não tínhamos tempo para parar e estudar as lições, por isso estudávamos enquanto trabalhávamos. Algumas de minhas melhores lembranças da construção da casa incluem escrever as lições de discipulado na madeira antes de colocarmos o carpete e pintarmos. Ninguém jamais as verá, mas elas ajudaram a mudar a vida de um jovem. Quando criamos nossos filhos na mesma casa, lembrei-me de que as pessoas nunca veriam as lições escritas no coração de nossos filhos, mas os resultados durariam por toda a vida.

    Para tornar as coisas ainda mais interessantes, eu (Pam) estava grávida, e corríamos para terminar a casa antes que o bebê nascesse. O evento todo se tornou um espetáculo para a cidade, e um jornal local até escreveu sobre nós em um artigo. As pessoas estavam fazendo apostas se terminaríamos a casa antes que o bebê nascesse. Mesmo os nossos dois filhos mais velhos — Brock, de seis anos, e Zach, de quatro — faziam parte da equipe de construção. Zach era um dos melhores colegas de trabalho de Bill, e juntos colocaram as placas em metade da casa em um dia (na verdade, eles só colocaram na metade inferior para que Zach pudesse pregar as placas!)

    Passamos por um processo bastante extenuante de um ano e meio de duração desde a concepção (da casa, não do bebê!) até o dia da mudança — duas semanas depois, Caleb nasceu. O tempo de construção foi aproximadamente o mesmo que a gravidez. Durante esses nove meses, Bill pastoreava em tempo integral e construía em tempo integral, de modo que ele dormia muito pouco. Meu trabalho era percorrer a cidade, cuidar das crianças e fornecer refeições no local. Passei os fios das linhas telefônicas, amarrei os vergalhões de aço para a fundação, preguei paredes e ajudei a isolar, dei o acabamento no gesso e limpei todos os dias. Tenho uma apreciação renovada pelo que as mulheres passaram na viagem pioneira para colonizar o oeste americano!

    Nos dois dias antes de Caleb nascer, Bill ficou acordado 48 horas direto, enquanto a entrada de acesso da garagem estava sendo concretada. Pensávamos que tínhamos a chance de levar nosso filho recém-nascido para nossa nova casa, por isso Bill trabalhou com extremo afinco e sem descanso. Fui para o hospital para a cesariana marcada em 3 de agosto, às seis da manhã, e Bill, o marido maravilhoso e dedicado, ficou ao meu lado o tempo todo. No entanto, quando saí da recuperação, eu parecia melhor do que Bill!

    No primeiro dia depois da cesariana, a mamãe deve ficar imóvel na

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1