Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores
Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores
Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores
E-book181 páginas1 hora

Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores

Nota: 5 de 5 estrelas

5/5

()

Sobre este e-book

"Neste livro, único no mercado, o professor Fábio Mendes conduz o jovem estudante ao mundo da ciência, percorrendo os pontos-chave da iniciação científica. De fácil leitura e contando com propostas de atividades para serem trabalhadas em sala de aula, o livro possui o objetivo de auxiliar os professores e alunos em relação ao que é comum a todos os trabalhos científicos. Assim, orientadores podem deter-se no tema escolhido; os orientandos, na pesquisa e redação do trabalho. Quem sai fortalecido com o uso dessa ferramenta acessível é, finalmente, a instituição de ensino."
CONFAP (Conselho Nacional de Fundações de Amparo à Pesquisa)

"O prof. Fábio dialoga com o leitor imaginando um aluno que se desafia a iniciar um projeto de pesquisa sem poder fugir da clássica pergunta dirigida a si, aos colegas e ao professor: 'Por onde começo?'. Este livro oferece orientações práticas, a partir do ponto de vista de um educador vinculado ao cotidiano escolar e, certamente, funcionará como um fiel companheiro de alunos e professores dispostos a ingressar no mundo da Ciência pela via da realiza- ção de projetos de pesquisa a partir da Educação Básica."
Mônica Estrázulas (Doutora em Psicologia do Desenvolvimento; atua em projetos de iniciação científica desde 1996)
IdiomaPortuguês
Data de lançamento2 de abr. de 2019
ISBN9788565717052
Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores
Ler a amostra

Leia mais de Fábio Ribeiro Mendes

Relacionado a Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores

Livros relacionados

Artigos relacionados

Avaliações de Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores

Nota: 5 de 5 estrelas
5/5

2 avaliações0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

    Pré-visualização do livro

    Iniciação Científica para Jovens Pesquisadores - Fábio Ribeiro Mendes

    obra!

    1. O que é um trabalho científico?

    O primeiro passo para elaborar um trabalho científico é entender suas principais características e em que aspectos ele se diferencia de outras produções intelectuais. É preciso ter em mente o que o torna científico. Esse é o primeiro tema aqui abordado.

    Inicialmente, pergunta-se: o que é Ciência e o que é opinião? A diferença entre esses dois termos servirá de chave-mestra para as questões que surgirão ao longo da pesquisa e da elaboração do trabalho. Em seguida, aborda-se, em linhas gerais, o formato característico de um trabalho científico, por que ele é necessário, as fontes de pesquisa e sua relação com a opinião daquele que as utilizam. Assim, chega-se a uma ideia precisa, ainda que preliminar, sobre o objetivo que se tem ao elaborar um trabalho científico.

    a) Ciência e opinião

    Um texto que trata da produção de um trabalho científico precisa começar pela diferença entre Ciência e opinião.

    Apenas para ilustrar, citam-se dois ditados sobre o termo opinião: cada um tem uma opinião; se opinião fosse boa, não se dava, mas se vendia. O primeiro deles aponta para uma característica da opinião: ela varia de pessoa para pessoa. Uma pessoa tem uma opinião sobre um assunto, outra diverge da primeira e há aquela que não concorda com nenhuma das duas anteriores; não há nada de errado nisso. O segundo ditado sobre a opinião, considera que, pelo fato de cada indivíduo ter a sua opinião, ela não teria muito valor.

    De fato, se o indivíduo é livre para externar suas opiniões, sem compromisso com nada, porque deveria dar ouvidos a determinada pessoa e não a outra? De que modo pode-se dizer que alguém está certo e outro está errado? Se o conhecimento humano fosse inteiramente constituído de opiniões sobre o que é o mundo, o correto, o belo, a discussão sobre o que é o conhecimento não teria valor algum. Todos teriam as suas opiniões e não existiria um conhecimento legítimo, ou um conhecimento com maior grau de legitimidade.

    Depois de abordar a opinião, coloca-se em pauta à Ciência. Seria correto pensar que a verdade científica é uma questão de opinião e que varia de pessoa para pessoa? É possível afirmar que a lei da gravidade existe para alguns e para outros não? Ou que a existência do genoma é uma questão de ponto de vista? Obviamente, não. Geralmente, aceita-se o conhecimento produzido pela Ciência, até que apareça uma prova em contrário. A Ciência produz um tipo de conhecimento mais sólido do que a opinião. Esse conhecimento adquire solidez por ser justificado por experimentos, demonstrações e fatos incontestáveis. Platão dizia que Ciência era opinião verdadeira e justificada, ou seja, que um conhecimento, para ser legítimo e valer para todos, deveria corresponder ao mundo e ser reconhecido como tal.

    Ao se delimitar a diferença entre opinião e Ciência, surgem as características básicas dessas duas formas de conhecimento: a opinião varia de pessoa para pessoa, a ciência não; a opinião se conforma a quem a profere, a ciência se conforma ao que existe no mundo; a opinião não precisa ser justificada, o que não ocorre com a ciência.

    Pode-se buscar novamente auxílio em Platão para se entender essa diferença. Platão defendia a existência de uma realidade inalterada e eterna. Para ele, o mundo existia de uma maneira fixa. Contudo, esse mesmo mundo fixo possui reflexos, imagens ou cópias, como se a partir de um modelo se produzissem diferentes retratos de diversos ângulos⁴. Conhecer como o mundo é, sua natureza fixa, seria uma tarefa da Ciência; conhecer os reflexos dessa natureza fixa seria algo semelhante à formulação de uma

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1