Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Sociologia enem e ensino médio

Sociologia enem e ensino médio

Ler a amostra

Sociologia enem e ensino médio

notas:
4.5/5 (2 notas)
Duração:
946 páginas
9 horas
Editora:
Lançados:
27 de set. de 2017
ISBN:
9788591150717
Formato:
Livro

Descrição

Os 40 temais mais cobrados no Enem, vestibulares e concursos públicos. Leitura fácil e agradável com 560 testes gabaritados.
Os 40 temais mais cobrados no Enem, vestibulares e concursos públicos. Leitura fácil e agradável com 560 testes gabaritados.
Editora:
Lançados:
27 de set. de 2017
ISBN:
9788591150717
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Sociologia enem e ensino médio

Livros relacionados

Amostra do livro

Sociologia enem e ensino médio - Beto Mansur

Sociologia ensino médio & Enem

Campo Grande, MS

Copyright 2017 by ALBERTO JORGE SIMÕES MANSUR

E-mail: albertomansur@hotmail.com

Capa e Composição:

Heyder Bartz & Uimer Freire

Disposição dos Encontros:

Júlia Peres Mansur

Coordenação Editorial:

O Autor

Consultora Gramatical:

Franciele Falavigna

PREFÁCIO

Olá, tudo bem? Ao abrir esse livro para os seus estudos, você estará pronto para dar o primeiro de uma série de passos que te deixarão à frente da concorrência, já que essa obra é o resultado de mais de trinta anos de constantes leituras, pesquisas e trocas de ideias com o fim de servir, a quem busca conhecimentos, como um guia para ampliar os horizontes do saber.

Diante desse pensamento, podemos refletir que até o final dos anos de 1980, os estudiosos tinham como tendência, seguir a maioria das pessoas. Mas, atualmente, as ações da maioria não passam de uma mesmice e esse comportamento não vence a concorrência. Então, isso não serve para a atualidade do estudante que busca qualificação.

Hoje, na conquista de uma vaga numa Instituição de Ensino Superior ou num concurso, temos que fazer a diferença, senão não sairemos vencedores. O estudante tem que perceber, antes dos concorrentes, quais as disciplinas, matérias e conteúdos que os examinadores das provas de vestibulares, do Enem e concursos têm exigido. Frente a isso, essa obra oferece informações para a nova realidade dos estudantes.

Uma das características fundamentais dessa obra é a de apresentar, de forma bem didática, discussões sobre o agir, o sentir e o pensar como práticas sociais dos indivíduos dentro do sistema capitalista. O interessante nisso tudo é que ter o conhecimento dessas três atitudes funciona como instrumento para conhecermos a nós mesmos e também, aqueles que estão em torno do nosso convívio, seja pelo contato ou pela conexão social.

Uma segunda característica desse manual é a de oferecer subsídios para quem têm interesses em entender melhor as manifestações sociais associativas e dissociativas, e também, para aqueles que estão envolvidos na busca de ganho de cultura e ótimos resultados em provas de vestibulares e de concursos.

E, pelo interesse em disseminar as matérias de sociologia contidas nesse livro, não poupamos esforços em nos comprometermos, a fim de que não perdesse a sua essência, um trabalho que pode ser um precioso instrumento no importante campo das relações humanas. Além do mais, não podemos nos esquecer que estamos na Era do Capitalismo Intelectual e com isso, tem mais valor e moral na sociedade, aqueles que se dedicam ao estudo para se entender o que atualmente vivemos.

Alberto J. S. Mansur

Sumário

CAPA

FICHA CATALOGRÁFICA

PREFÁCIO

PRIMEIRO ENCONTRO

Sociologia - Conceito

O Surgimento da Sociologia

Testes

Gabarito

SEGUNDO ENCONTRO

Ressurgimento da Sociologia

Testes

Gabarito

TERCEIRO ENCONTRO

O Desenvolvimento do Capitalismo

Testes

Gabarito

QUARTO ENCONTRO

Comunidade e Sociedade - Conceitos

Testes

Gabarito

QUINTO ENCONTRO

Cultura e Comportamento

Testes

Gabarito

SEXTO ENCONTRO

Teorias Sociológicas - 1ª Parte

Auguste Comte (1798 – 1857) e a Filosofia nas Ciências Naturais

Testes

Gabarito

SÉTIMO ENCONTRO

Teorias Sociológicas – 2ª Parte

Émile Durkheim (1858 – 1917) e os Fatos Sociais

Testes

Gabarito

OITAVO ENCONTRO

Teorias Sociológicas – 3ª Parte

Émile Durkheim (1858 – 1917) e a Organização das Cidades

Testes

Gabarito

NONO ENCONTRO

Principais Teorias Sociológicas – 3ª Parte

Karl Marx (1818 – 1883) e as Relações Sociais

Testes

Gabarito

DÉCIMO ENCONTRO

Karl Marx – II

Testes

Gabarito

DÉCIMO PRIMEIRO ENCONTRO

Trabalho Racional

Testes

Gabarito

DÉCIMO SEGUNDO ENCONTRO

Principais Teorias Sociológicas – 4ª Parte

Max Weber (1864 – 1920) e os Atos Sociais

Testes

Gabarito

DÉCIMO TERCEIRO ENCONTRO

Instituições Sociais

Testes

Gabarito

DÉCIMO QUARTO ENCONTRO

Sociedade, Religião e Capitalismo

Testes

Gabarito

DÉCIMO QUINTO ENCONTRO

Socialização

Testes

Gabarito

DÉCIMO SEXTO ENCONTRO

Mobilização Social

Testes

Gabarito

DÉCIMO SÉTIMO ENCONTRO

Isolamento Social

Testes

Gabarito

DÉCIMO OITAVO ENCONTRO

Indústria Cultural

Testes

Gabarito

DÉCIMO NONO ENCONTRO

Consumismo

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO ENCONTRO

Geração Baby Boomers

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO PRIMEIRO ENCONTRO

Gerações X e Y

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO SEGUNDO ENCONTRO

Contracultura

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO TERCEIRO ENCONTRO

Ordem Social Capitalismo Industrial

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO QUARTO ENCONTRO

Moderno Conceito de Cidadania

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO QUINTO ENCONTRO

Identidade e Diversidade

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO SEXTO ENCONTRO

Mudança Social

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO SÉTIMO ENCONTRO

Estado, Política e Poder

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO OITAVO ENCONTRO

Cultura e Visão Etnocêntrica

Testes

Gabarito

VIGÉSIMO NONO ENCONTRO

Racismo

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO ENCONTRO

Movimentos Sociais I

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO PRIMEIRO ENCONTRO

Movimentos Sociais II

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO SEGUNDO ENCONTRO

Movimentos Sociais III

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO TERCEIRO ENCONTRO

As Minorias Sociais

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO QUARTO ENCONTRO

Violência

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO QUINTO ENCONTRO

Feminismo

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO SEXTO ENCONTRO

Ambientalismo I

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO SÉTIMO ENCONTRO

Ambientalismo II

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO OITAVO ENCONTRO

Nacionalismos

Testes

Gabarito

TRIGÉSIMO NONO ENCONTRO

Coronelismo: Inter-relações Sociais Rurais

Testes

Gabarito

QUADRAGÉSIMO ENCONTRO

Sociologia das Organizações

Testes

Gabarito

PRIMEIRO

ENCONTRO

SOCIOLOGIA - CONCEITO

O SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

TESTES

GABARITO

SOCIOLOGIA - CONCEITO

A Sociologia é o estudo das práticas sociais entre indivíduos e coletividade e, para isso, como disciplina, tem como objeto de pesquisas as situações sociais entendidas como comportamentos que fluem pela ordem social de cidades industriais como possíveis consequências das revoluções dos séculos XVIII e XIX, e são concretizadas pelos humanos que criam e expandem suas manifestações dentro das organizações sociais a que pertencem. Além do mais, é um estudo investigativo que analisa estruturas sociais as quais regulam a vida e também faz exame dos procedimentos sociais.

Em Sociologia, o comportamento é entendido como cultura, ou seja, como um conjunto de manifestações sociais individuais ou de grupos, frente às interações potencializadas pelo meio em que se está inserido. Em suma, é a junção de reações que se pode manifestar e ser observado num indivíduo, em certas circunstâncias.

A Sociologia também busca a compreensão das alterações de relacionamentos que os processos sociais promoveram nos comportamentos e na estrutura social. Por exemplo, quando partimos da informação de que pela Revolução Industrial tivemos transformações sociais na Europa, com consequências bem significativas, tais como: o aumento das cidades com o crescimento explosivo da urbanização e a consequente queda da população rural como resultado da limitação ou privatização dos pastos. Naquele contexto, muitos camponeses dirigiram-se para as cidades com a intensão de trabalharem nas novas fábricas e, assim, tornaram-se agentes dos processos sociais.

Tudo isso se tornou importante após a defesa da tese de Charles Darwin sobre a evolução dentro do mundo dos animais. Pensando bem: se a convivência entre os animais já estava sendo estudada, obviamente, a do ser humano deveria também ter o mesmo caminho.

Contudo, a Sociologia, devido a busca do entendimento da vida social humana, em grupos ou em sociedade propriamente dita. Dentro de seu método de estudo, a Sociologia alcança um largo aspecto de observação do mundo social, por acertar tanto as situações sociais individuais, quanto as globalizadas.

O SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

Para que possamos ter noção da importância desse estudo como instrumento de investigação das práticas sociais, podemos ver que, com o passar dos tempos, o indivíduo humano, pelos seus comportamentos, construiu valores éticos e morais, pensou sobre si mesmo e sobre o universo. Com isso, ganhou consciência de que, com seu caráter racional (o sentir, o pensar e o agir), poderia ter atitudes, produtos e serviços de forma ilimitada. Porém, foi apenas pelos Eventos Liberais a favor do humanismo, do antropocentrismo e do racionalismo, na Europa Ocidental, que oportunidades foram abertas para o surgimento da Sociologia como um estudo.

Assim, no século XVIII, na Inglaterra e na França, o movimento intelectual resultante da promoção do racionalismo é denominado de Iluminismo – o processo de iluminação da razão para se entender o Mundo Social. Nesse contexto, quase que de uma vez por todas, a influência da religião, da tradição e do dogma no pensamento intelectual foi radicalmente bloqueada.

Esta abrupta mudança social é revelada pela legitimação de cinco palavras: industry (que significava criatividade), democracy (que era utilizada como desprezo, como multidão), class (agora também usada com uma conotação social), art (que significava artesanato), culture (que se referia somente a fazendas).

No entanto, as precárias condições dos trabalhadores, os novos conflitos de classe e a poluição ambiental causada como consequência do urbanismo e da industrialização, levaram os estudiosos do Mundo Social ao redescobrimento das belezas e dos valores da natureza. Com isso, o Mundo Social passou a ser visto como única fonte de objetos para a investigação do comportamento social pós Revolução Industrial - a solução dos problemas causados pelas máquinas.

Agora, nessa efervescência, a produção científica poderia crescer a todo vapor, como uma maneira de pensar o Mundo Social – dessa forma, a legitimação das disciplinas de Física e, mais para frente, da Biologia, foi capaz de superar a perseguição feita pelas elites religiosas, foi estabelecido um instrumento como um caminho para a legitimação do conhecimento e, dessa forma, a ciência social passou a funcionar para classificar a vida coletiva, o que demandou a necessidade de compreensão de regras de funcionamento e suas instituições sociais construídas historicamente.

Junto com ascensão e influência do conhecimento científico, tivemos uma descarga de conceitos acerca da universalidade social. E mais ainda: muitos desses conceitos, de tendência investigativa, avaliavam a natureza dos Homens e das primeiras sociedades marcadas pela complexidade do mundo moderno. Parte desses conceitos era moralista, mas não no sentido religioso. Com eles, o tipo adequado de sociedade e de relações entre indivíduos (uns com os outros e na sociedade) foi reavaliado com base nas transformações econômicas e políticas favorecidas pela dinâmica mercantil dos séculos XVI ao XVIII e, em seguida, com o processo industrial entre os séculos XVIII e XX.

Outra influência que sustentou o surgimento da Sociologia foi a Revolução Francesa de 1789, a qual acelerou o pensamento sistemático sobre o mundo social. A violência, aplicada pelos jacobinos durante o Regime do Terror, serviu de choque para o continente europeu, quando se percebeu que poderiam derrubar o Antigo Regime. Entendeu-se também que havia possibilidade de ser reconstruída, na Europa Ocidental, uma nova estrutura.

A herança do pensamento francês Iluminista e as consequências da Revolução Francesa fizeram com que Auguste Comte, em seu Curso de Filosofia Positiva (1830-1842), viesse a propor uma disciplina dedicada ao estudo científico da sociedade. Tudo isso constitui os fatores históricos responsáveis pela formação da Sociologia como ciência da vida social, uma vez que a construção das Ciências Sociais no mundo moderno está relacionada à ideia, segundo a qual os métodos das ciências da natureza poderiam ser estendidos aos estudos das questões humanas e sociais e à sua classificação.

Portanto, o problema central para a Sociologia é o de materializar a disciplina através de investigações das consequências sociais provindas da Revolução Industrial. Assim, a Sociologia é o estudo das manifestações sociais dentro do dinâmico Mundo do Capitalismo.

TESTES

01 - A disciplina de Sociologia demanda também do entendimento das variações de comportamentos que os processos sociais promoveram nos padrões culturais e na estrutura social.

Exemplificando:

O processo de uma transformação que poderá ser aplicada ao domínio social, à industrialização ou à transformação tecnológica, para além do seu uso no campo político. Passa, portanto, a designar transformações políticas e sociais decisivas, assim como inovações cientificamente importantes.

Ao partimos da informação que pela Revolução Industrial tivemos transformações sociais na Europa, com consequências bem significativas, tais como: o aumento das cidades com o crescimento explosivo da urbanização e a consequente queda da população rural como resultado da limitação ou privatização dos pastos, ou seja, de espaços sociais rurais.

Atualmente, a Sociologia tende a admitir uma pluralidade de causas e de tipos de transformação social; esta pode, aliás, ser entendida como a adaptação a condições que estão elas próprias em transformação. Com efeito, dada a multiplicidade das transformações (políticas, militares, institucionais, econômicas, culturais, das condições de trabalho, do consumo ou ambientais), os estudos sociológicos começam a ter em linha de conta a diversidade de causas (os conflitos, as crenças, as transformações demográficas, científicas e técnicas, ou ideológicas)

Das afirmativas acima, está(ão) correta(s):

a) apenas a I.

b) apenas a II.

c) apenas a III.

d) apenas a I e a II.

e) a I, II e III.

02 - A Sociologia constitui em certa medida uma resposta intelectual às novas situações colocadas pela revolução industrial. Boa parte de seus temas de análise e de reflexão foi retirada das novas situações, como, por exemplo, a situação da classe trabalhadora, o surgimento da cidade industrial, as transformações tecnológicas, a organização do trabalho na fábrica etc.

MARTINS. O que é Sociologia. São Paulo: Brasiliense, 1992.

Considere as afirmativas a seguir:

A Sociologia surgiu com a Revolução Industrial e buscou compreender as transformações sociais provocadas pela formação da classe operária e pelo crescente processo de industrialização.

A Sociologia surge de um movimento de ruptura com os métodos utilizados pelas ciências naturais e procurou compreender as permanências dos valores feudais na sociedade contemporânea.

A Sociologia surgiu em um contexto social marcado pelo cientificismo e pela crença do poder exclusivo da razão para compreender a realidade.

Está(ão) correta(s):

a) apenas a I e a II afirmativas.

b) apenas a II e a III afirmativas

c) apenas a III.

d) apenas a I e a III.

e) a I, II e III.

03 - Considerando-se as grandes mudanças que ocorreram na história da humanidade, aquelas que aconteceram no século XVIII — e que se estenderam no século XIX — só foram superadas pelas grandes transformações do final do século XX. As mudanças provocadas pela revolução científico-tecnológica, marcaram profundamente a organização social, alterando-a por completo, criando novas formas de organização e causando modificações culturais duradouras, que perduram até os dias atuais.

DIAS, Reinaldo. Introdução à Sociologia. São Paulo: Persons Prentice Hall, 2004.

Sobre o surgimento da Sociologia e as mudanças ocorridas na modernidade, é correto afirmar:

a) A intensificação da economia agrária em larga escala nas metrópoles gerou o êxodo para o campo.

b) O aparecimento das fábricas e o seu desenvolvimento levou ao crescimento das cidades rurais.

c) O aumento do trabalho humano nas fábricas ocasionou a diminuição da divisão do trabalho.

d) A agricultura familiar desse período foi o objeto de estudo que fez surgir as ciências sociais.

e) A antiga forma de ver o mundo já não mais podia solucionar os novos problemas sociais advindo da expansão populacional das cidades industriais.

04 - O surgimento da Sociologia tem muito a ver com as consequências da revoluções organizadas pela burguesia nos séculos XVIII e XIX.

Com relação à Revolução Francesa, está(ão) correta(s):

Entre os anos de 1789/99, a França vivenciou profundas transformações sociais, econômicas e, em especial, as políticas. Os distintos que formavam a aristocracia e que se beneficiavam do Antigo Regime perderam seus privilégios e foram obrigados à conceder liberdade aos camponeses.

Ocorreu o desaparecimento das obrigações feudais que limitavam as ações econômicas e sociais da burguesia, e criou-se um mercado de dimensão nacional.

Foi um movimento ideológico que gerou mudanças sociais. Como consequências, a França deixou o modelo econômico da subsistência e seguiu para um padrão mercantil e industrial sem a intervenção do estatal.

a) simplesmente as afirmativas I e II.

b) meramente as afirmativas II e III.

c) somente as afirmativas I e III.

d) todas as afirmativas.

e) apenas a III afirmativa.

05 – Com relação à Sociologia podemos entender como sendo o estudo das inter-relações sociais – das práticas sociais entre os indivíduos dentro do sistema econômico:

a) capitalista;

b) primitivista;

c) feudalista;

d) socialista;

e) escravista.

06 – UNIOESTE - Quanto ao contexto de surgimento da Sociologia é correto afirmar que:

a) ela surge logo após o fim da 2ª Grande Guerra como empreendimento científico que buscava compreender aquele fenômeno e encontrar soluções para os resultados de tal flagelo.

b) ela é resultado dos estudos de investigadores norte-americanos empenhados em compreender os processos de industrialização e urbanização iniciado na década de 1930.

c) ela surge concomitantemente à filosofia na Antiguidade que teve como pensadores paradigmáticos Platão e Aristóteles.

d) emerge na modernidade, na virada do século XIX para o XX, buscando produzir explicações e compreender o conjunto de transformações sociais ocorridas no ocidente naquele momento.

e) é simultânea ao período da Reforma Protestante sendo fruto das reflexões de Lutero e Calvino podendo ser considerada a ciência fundada por eles para criticar o catolicismo.

07 – Para que a Sociologia ganhasse força, seria necessário compreender o comportamento dos indivíduos sociais como conseqüência da Revolução Industrial.

A Revolução Industrial provocou sérias consequências, tais como o êxodo

a) urbano e desenvolvimento das cidades.

b) rural e enfraquecimento do comércio urbano.

c) rural e o crescimento das cidades industriais.

d) urbano e enfraquecimento das cidades.

e) urbano e o retorno do comércio rural.

08 - UFU - A respeito do contexto histórico de emergência da Sociologia, marque a alternativa correta.

a) A crescente legitimidade científica do saber sociológico, produzido por autores como Auguste Comte e Émile Durkheim, deveu-se à sua forte crítica ao Iluminismo.

b) A Sociologia consolidou-se, disciplinarmente, em resposta aos novos problemas e desafios desencadeados por transformações sociais, políticas, econômicas e culturais, cujos marcos históricos principais foram a Revolução Industrial e a Revolução Francesa.

c) Um dos principais legados do Iluminismo foi a crítica severa às concepções científicas da realidade social, combinada com a reafirmação de princípios e interpretações de cunho religioso.

d) Herdeira direta das transformações sociais desencadeadas pela Revolução Industrial e pela Revolução Francesa, a Sociologia ignorou os métodos racionais de investigação em favor do conhecimento produzido pelo senso-comum.

09 – UEM - A Sociologia não se limita ao estudo das condições de existência social dos seres humanos. Todavia, essa constitui a porção mais fascinante ou importante de seu objeto e aquela que alimentou a própria preocupação de aplicar o ponto de vista científico à observação e à explicação dos fenômenos sociais. Ora, ao se falar do homem, como objeto de indagações específicas do pensamento, é impossível fixar, com exatidão, onde tais indagações se iniciam e quais são os seus limites. Pode-se, no máximo, dizer que essas indagações começam a adquirir consistência científica no mundo moderno, graças à extensão dos princípios e do método da ciência à investigação das condições de existência social dos seres humanos. Sob outros aspectos, já se disse que o homem sempre foi o principal objeto da curiosidade humana. Atrás do mito da Religião ou da Filosofia, sempre se acha um agente humano, que se preocupa, fundamental e primariamente, com questões relativas à origem, à vida e ao destino de seus semelhantes.

FERNANDES, Florestan. A herança intelectual da Sociologia. In: FORACCHI, Marialice e MARTINS, José de Souza. Sociologia e Sociedade. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1977, p.11.

Pode-se concluir do texto que a Sociologia

01) nasce e se desenvolve procurando compreender a Idade Média. Os sociólogos utilizaram os recursos explicativos gerados, sobretudo, pelas doutrinas religiosas para analisar a organização do mundo.

02) empreende uma reflexão sistemática sobre as transformações sociais em curso nas sociedades em que a ciência se tornou uma poderosa ferramenta de compreensão do mundo.

04) define, ao refletir sobre os conflitos estabelecidos nas relações entre indivíduo e sociedade, que a função dos sociólogos é encontrar soluções para esses conflitos.

08) objetiva construir formas de conhecimento científico sobre a realidade, estabelecendo teorias e metodologias que gerem compreensão dos fenômenos sociais.

16) elabora um estudo organizado do comportamento humano. Logo, podem ser objetos de estudo dessa ciência, dentre outros: as formas de exclusão social, os novos arranjos familiares, os processos de construção da cidadania e o fenômeno da violência urbana.

10 – UEM - Na verdade, a Sociologia, desde o seu início, sempre foi algo mais do que uma mera tentativa de reflexão sobre a sociedade moderna. Suas explicações sempre contiveram intenções práticas, um forte desejo de interferir no rumo desta civilização. Se o pensamento científico sempre guarda uma correspondência com a vida social, na Sociologia esta influência é particularmente marcante..

MARTINS, Carlos B. O que é Sociologia. São Paulo: Brasiliense, 1982, p.8.

Tendo como referência o texto acima e seus conhecimentos sobre o surgimento da Sociologia, assinale o que for correto.

01) A análise da sociedade moderna se deu a partir de um debate harmonioso e consensual entre diferentes pensadores.

02) A Sociologia tem uma dimensão política, e seus conceitos e suas teorias contribuem para manter ou alterar as relações de poder existentes na sociedade.

04) As duas Revoluções do século XVIII, a Industrial e a Francesa, são marcos importantes para pensar a instalação definitiva da sociedade capitalista.

08) As consequências da rápida industrialização e urbanização do capitalismo (prostituição, suicídio, alcoolismo, infanticídio, criminalidade, violência, epidemias etc.) não são objetos de reflexão sociológica.

16) As explicações sociológicas devem buscar a neutralidade científica, evitando interferir nos rumos escolhidos por determinados grupos sociais.

11 – UEL - O positivismo foi uma das grandes correntes de pensamento social, destacando-se, entre seus principais teóricos, Augusto Comte e Émile Durkheim.

Sobre a concepção de conhecimento científico, presente no positivismo do século XIX, é correto afirmar:

a) A busca de leis universais só pode ser empreendida no interior das ciências naturais, razão pela qual o conhecimento sobre o mundo dos homens não é científico.

b) Os fatos sociais fogem à possibilidade de constituírem objeto do conhecimento científico, haja vista sua incompatibilidade com os princípios gerais de objetividade do conhecimento e a neutralidade científica.

c) Apreender a sociedade como um grande organismo, a exemplo do que fazia o materialismo histórico, é rejeitado como fonte de influência e orientação para as investigações empreendidas no âmbito das ciências sociais.

d) A ciência social tem como função organizar e racionalizar a vida coletiva, o que demanda a necessidade de entender suas regras de funcionamento e suas instituições forjadas historicamente.

e) O papel do cientista social é intervir na construção do objeto, aportando à compreensão da sociedade os valores por ele assimilados durante o processo de socialização obtido no seio familiar.

12 – UFU - Entre os fatores históricos responsáveis pela formação da Sociologia como ciência da vida social, destaca-se o fator da dinâmica do próprio sistema de ciências.

A respeito desse fator, marque a alternativa INCORRETA.

a) No século XIX, o conceito de leis deterministas, característico do modelo newtoniano de ciência, tornara-se paradigma dominante no mundo do conhecimento, mas, aplicado ao conhecimento da sociedade, não se afigurava útil à defesa da ordem vigente.

b) A formação das Ciências Sociais no mundo moderno está ligada à concepção, segundo a qual, os métodos das ciências da natureza deviam e podiam ser estendidos aos estudos das questões humanas e sociais.

c) A formação das Ciências Sociais no mundo moderno está ligada à concepção, segundo a qual, os fenômenos sociais podiam ser classificados e medidos.

d) No século XIX, as ciências naturais, fundadas em um trabalho experimental e empírico, chamaram para si uma legitimidade sócio-intelectual, influenciando a distinção entre conhecimento científico da sociedade e conhecimento filosófico da sociedade.

13 – UFUB - Surgida no momento de consolidação da sociedade capitalista, a Sociologia tinha uma importante tarefa a cumprir na visão de seus fundadores, entre os quais se destaca Auguste Comte. Assinale a alternativa correta quanto a essa tarefa.

a) Desenvolver o puro espírito científico e investigativo, sem maiores preocupações de natureza prática, deixando a solução dos problemas sociais por conta dos homens de ação.

b) Incentivar o espírito crítico na sociedade e, dessa forma, colaborar para transformar radicalmente a ordem capitalista responsável pela exploração dos trabalhadores.

c) Reconhecer os problemas sociais decorrentes da Revolução Industrial, tendo em vista a necessária estabilização da ordem social burguesa.

d) Tornar realidade o chamado socialismo utópico, visto como única alternativa para a superação das lutas de classe em que a sociedade capitalista estava mergulhada.

e) Nenhuma das anteriores.

14 - UEM - A partir do momento em que as duas grandes ‘coletividades’ da tradição modernista, a sociedade e a natureza, foram diluídas, quero dizer, redistribuídas e divididas por causa das crises práticas da ecologia, a noção de reunião ou reconstituição desses coletivos – sejam eles humanos ou não humanos – tornou-se a questão política mais importante. A separação entre esses dois conjuntos era, antes também, uma questão política. A ecologia não modificou isto, ela continua definindo os campos da sociedade e da natureza, salvo pelo fato de que a isso ela adicionou a ideia que os americanos chamam de bioprocess, uma forma legítima de inventar a questão da ecologia política. De fato, o importante agora – depois de abandonar as duas coletividades a que me referi – de um lado, a natureza, de outro, a sociedade – é se interessar na questão da produção das instituições que permitem pesquisar essas associações. Essa é a grande questão da ecologia política que encontramos agora por todos os lados: o caso dos parques naturais, do aquecimento global, dos problemas das cidades. Essa é a própria visão do global.

Entrevista com Bruno Latour, Revista Cult, n.o 132.

Segundo o texto acima e a partir da adoção de pontos de vista sociológicos, é correto afirmar que

01) a ecologia política pretende abordar fenômenos a partir de perspectivas que não analisem separadamente a natureza e a sociedade.

02) a análise em separado dos fenômenos humanos e dos fenômenos da natureza, assim como a posição contrária a essa, está associada à adoção de um posicionamento político.

04) os parques naturais, o aquecimento global e os problemas das cidades devem ser analisados por uma perspectiva exclusiva: ou a social ou a natural.

08) a tradição moderna é a proposição mais correta para as práticas científicas e intelectuais e, por isso, não deve ser questionada.

16) a análise da sociedade ou da natureza são exercícios puramente racionais e nada têm a ver com questões políticas.

***

Gabarito

01 - E

02 - D

03 - E

04 - B

05 - A

06 - D

07 - C

08 - B

09 - 26 (02, 08, 16)

10 - 22 (02, 04,16)

11 - D

12 - A

13 - C

14 - 03 (01, 02)

SEGUNDO

ENCONTRO

RESSURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

TESTES

GABARITO

RESSURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

Dos anos de 1970 para cá, presenciamos o momento da História da Humanidade denominada de Globalização ou então fase capitalista do neoliberalismo.

O Neoliberalismo defende, essencialmente, o liberalismo econômico original, o fim do assistencialismo social, a desregulamentação da economia nacional, a promoção da internacionalização de mercados e que o Estado apenas pratique as funções de justiça e de segurança. Com isso, podemos compreender uma das razões dos críticos acusarem a globalização de ser responsável pela intensificação da exclusão social (com o aumento do número de carentes e de desempregados) e de provocar crises econômicas sucessivas, arruinando milhares de poupadores e de pequenos empreendimentos.

No entanto, um dos pontos marcantes da Globalização é a importância dos sistemas de comunicação que agregam indivíduos e diminuem espaços. A internet permite o acesso às informações de um país em casa no momento em que tudo acontece em tempo real. Isso ficou muito evidente quando foi divulgado o falecimento do Papa João Paulo II – em menos de 15 minutos aproximadamente 180 países tomaram consciência do ocorrido.

Contudo, não podemos confundir as ideias em discussão com a Liberalização da Economia, na qual há permissão de entrada de produtos mundiais num país os quais têm preços muito baixos, derrubam a produção e causaram o desemprego local. O que se coloca em pauta é a forma como eles são produzidos, em condições desumanas, exploração, violação de direitos sociais, ambientais e, muitas vezes com qualidade questionável, isto sob os critérios ditos estabelecidos pelas sociedades desenvolvidas. Em suma, isso é conhecido no mundo pós-industrial como empregabilidade, ou seja, tem maior oportunidade de conquistar emprego aquele indivíduo que se qualifica constantemente.

Para se ter uma ideia do que estava por vir, como consequência da Tecnologia da Informação, o canadense Herbert Marshall McLuhan (1911-1980), que se transformou em ícone pop no início da década de 60, disse: Algumas consequências serão inevitáveis com o surgimento da aldeia global, pois a comunicação escrita dará lugar a uma nova forma de tradição oral, difundida pelos meios eletrônicos de massa, como o rádio e a televisão e, até mesmo, uma rede mundial de computadores. Também antecipou o surgimento da informação como bem mais precioso, em substituição aos bens de consumo.

McLuhan é considerado como um dos primeiros comunicólogos, quando essa profissão nem havia sido inventada. Como sabemos, ele criou a expressão aldeia global. Ela aparece numa conferência de 1960 e sua vocação de profeta, mais uma vez, manifesta-se quando diz: a mídia eletrônica nos conduz à retribalização. Se não fosse sua morte em 1980, McLuhan teria adorado a ‘web’. Quando fala da retribalização por meio da mídia eletrônica, ele aponta para a espontaneidade  dos homens primitivos, de uma sociedade pré-verbal não contaminada.

Dessa forma, podemos entender que a sociedade hoje é a da informação; em rede, que se conecta e se desconecta em qualquer momento e lugar. Uma sociedade em rede ultrapassa as relações sociais e técnicas de produção, atinge a cultura e as relações de poder. Diante disso, restou ao Estado Neoliberal a preocupação com a segurança e a justiça.

CONVIVÊNCIAS SOCIAIS

A convivência pode ser entendida como um conjunto humano inter-relacionado, no qual as manifestações sociais são regulamentadas por leis supostamente pactuadas, a fim de que possam garantir a continuidade da vida e satisfação dos interesses e desejos do indivíduo.

Sem a convivência, os indivíduos não conseguiriam sobreviver, já que o ser humano, durante muito tempo, tem a natural necessidade de trocar vivências com outros indivíduos, para que com isso, venha a conquistar serviços e produtos da saúde, da alimentação, do transporte, da moradia, da energia, da educação e das indústrias.

No entanto, no Mundo Social Moderno, com a grande parcela dos indivíduos residindo nas cidades, com hábitos que tornam necessários muitos bens produzidos pela indústria, não há quem não tenha necessidade, muitas vezes por dia, de convivência com outros indivíduos.

Mas, as necessidades dos seres humanos não são apenas de ordem material, como os alimentos, vestimenta, moradia, meios de transporte e os cuidados de saúde. Elas são também de ordem espiritual e psicológica. Todo e qualquer grupo de indivíduos necessita dar e receber afeto e também buscar respeito. Além disso, o ser humano tem suas crenças, sua fé em alguma coisa, que é base de suas esperanças.

Os seres humanos não vivem juntos, não vivem em comunidade ou sociedade apenas porque escolhem esse modo de vida, mas porque a vida em sociedade é uma necessidade da natureza humana. Segundo alguns pesquisadores, esse modo de pensar, de agir e de sentir a vida é conceituado como pós-modernismo e teria origem nas teorias de Karl Marx. Essa matéria trata-se de uma situação bem discutida, uma vez que o marxismo prega o materialista-histórico - a ideia de que a relação de produção é de interesse expressamente econômico. Mais ainda: o marxismo como vertente do cientificismo, defendia que as ideias partiriam de várias visões e chegariam numa só – coisas do método dedutivo.

Assim, por exemplo, se dependesse apenas de vontade, seria possível um indivíduo muito rico isolar-se em algum lugar, onde tivesse armazenado grande quantidade de alimentos. No entanto, esse indivíduo estaria, em pouco tempo, sentindo falta de companhia, sofrendo de solidão, precisando de alguém com quem falar, trocar ideias e sentimentos, necessitado de dar e receber afeto.

O indivíduo que não tem contato ou mesmo conexão social terá muito provavelmente problemas emocionais. Assim, perderia referências sociais e culturais se continuasse só por muito tempo.

Porém, entre os séculos XVIII e XIX, foi criada a ideia de pacto ou de contratualidade social. Assim, nasceu uma forma de legitimar o novo contexto da sociedade burguesa contra a estrutura política centrada em torno do Antigo Regime – política absolutista; sociedade com imobilidade e hierarquia de status e economia intervencionista que ainda vigora em alguns países.

TESTES

01 - Após a 2ª Guerra Mundial, no Ocidente, os capitalistas defendiam o liberalismo de Adam Smith. Já os comunistas sustentavam a ideia do assistencialismo social. No interesse de agraciar capitalisas e comunistas, instalou-se num ambiente internacional, a vantagem do Estado do Bem Estar Social.

Esse modelo capitalista industrial teve seu desenvolvimento entre os anos de 1945 e 1970. Porém, o Estados não mais tinham condições econômicas e financeiras de manter esse sistema, e foi necessário uma nova doutrina, ou seja, a implantação do capitalismo neoliberal. Com isso, o Estado não mais seria assistencialista e teria apenas que administrar o sistema jurídico e o da segurança nacional.

Sobre a Crise do Estado do Bem-Estar Social, entre os anos de 1970 e 1980:

Esse modelo de Estado exigia uma grande arrecadação tributária para alcançar o fim de diminuir as desigualdades sociais e prestar assistência aos menos afortunados. Logo, a margem de lucro desses conservadores havia diminuído consideravelmente, gerando uma insatisfação crescente. O pacto não era mais necessário. O grande capital não precisava mais se esconder atrás de uma cortina de direitos sociais que servia apenas para diminuir os seus lucros.

Na década de 70, contudo, não mais havia ambiente para esse modelo de capitalismo. Os Estados não mais conseguiam financiamento para manutenção do assistencialismo social. O modelo estava em estado de esgotamento. Surgia, então, a possibilidade de uma virada. Algumas instituições financeiras pregavam o fim do assistencialismo pelos Estados, com o interesse em receber financiamentos de décadas anteriores desses Estados.

Alguns Estados buscaram resolver essa crise a partir da implantação de um novo liberalismo econômico, ou seja, no modelo capitalista neoliberal, visto como uma padrão capitalista agressivo e que gerou a necessidade de trazer à tona os estudos de sociologia para que os indivíduos pudessem entender os processos sociais dentro desse novo modelo de sistema econômico.

Das afirmativas acima, está(ão) correta(s):

a) apenas a I.

b) a I, II e III.

c) apenas a II.

d) apenas a III.

e) apenas a I e a II.

02 - UFC - A partir de 1989, a América Latina incorpora o neoliberalismo. Este modelo, contestado por diferentes grupos e movimentos sociais, caracterizou-se, neste continente, por

a) atenuar as diferenças sociais e a dependência em relação ao capital internacional, ofertando o pleno emprego.

b) estimular o desenvolvimento do campo social e político e implementar uma sociedade mais justa e igualitária.

c) diminuir o poder da iniciativa privada transnacional, mediante a intervenção do Estado a favor da burguesia nacional.

d) ter uma base econômica formada por empresas públicas que regularam a oferta e a demanda, assim como o mercado de trabalho.

e) instaurar um conjunto de ideias políticas e econômicas capitalistas que defendeu a diminuição da ingerência do Estado na economia.

03 - O conjunto de ideias conhecidas como Neoliberais foi idealizado pelo professor Friedman (1912 – 2006), quando por seus estudos , na Universidade de Chicago, apresentou algumas defesas a favor do funcionamento do capitalismo.

São consideradas ideias neoliberais:

não-intervenção do Estado na economia e a livre atuação das instituições financeiras;

o abandono do Estado Assistencialista e a privatização dos serviços públicos básicos;

a desregulamentação da economia nacional e a promoção da internacionalização de mercados.

Está (ao) correta (s) a(s) afirmativa(s):

a) I e II

b) II e III

c) I e III

d) todas

e) nenhuma

04 - UEL - [...] O capitalismo contemporâneo é mundial e integrado porque potencialmente colonizou o conjunto do planeta, porque atualmente vive em simbiose com países que historicamente pareciam ter escapado dele (países do ex-bloco soviético e China) e porque tende a fazer com que nenhuma atividade humana, nenhum setor de produção fique fora de seu controle. [...] O capitalismo mundial integrado não respeita mais os modos de vida tradicional do que os modos de organização social dos conjuntos nacionais que parecem estar mais bem estabelecidos. [...].

GUATTARI, Felix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 211.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre a globalização e seus efeitos, é correto afirmar:

a) A economia do mundo globalizado privilegia relações de mercado vinculadas à dinâmica da acumulação flexível do capital.

b) O conhecimento científico reafirma cotidianamente a sua autonomia e independência em relação aos efeitos da globalização.

c) A globalização manteve a tradicional divisão social do trabalho capitalista fundada à época da revolução industrial na Inglaterra.

d) A lógica do mercado globalizado fortalece as organizações representativas dos trabalhadores, que resistem com sucesso à desestruturação do mundo do trabalho.

e) Os sistemas produtivos dos países emergentes protegem-se dos dissabores do mercado, estabelecendo cotas para os seus produtos exportáveis.

05 - Neste início do século XXI, vivemos um momento da História Social denominada de Globalização. A expressão globalização tem sido utilizada mais recentemente num sentido marcadamente sociológico, no qual assistimos no mundo inteiro, a um processo de inter-relação social sob a égide econômica do neoliberalismo.

Pelos seus conhecimentos em Sociologia, sobre a globalização, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

01) o termo ‘globalização’ pode ser entendido como um termo pejorativo da Doutrina Neoliberalista.

02) pela ‘globalização’ podemos encontrar o predomínio do interesse financeiro acima dos interesses coletivos.

04) através da ‘globalização’ ocorre o incentivo para que aconteça a privatização das empresas estatais.

08) uma das características mais marcante da ‘globalização’ é o incentivo para que se perpetue o Estado do Bem-Estar Social.

16) pela ‘globalização’, os Estados estão perdendo o poder de controlar a administração particular. Isto está evidente na Questão da Fome Mundial, na qual não há mecanismo para que os particulares em seus negócios venham, a pedido do Estado, diminuir seus ganhos em favor dos menos favorecidos socialmente.

06 - Com o evidente objetivo de eliminar do Estado a prática assistencialista, consequência do Keynesianismo, por Milton Friedman, foi idealizada a doutrina Neoliberalista. Esse novo conjunto de ideias para o funcionamento do capitalismo foi implantado primeiramente no Chile, em 1973. Logo em seguida, em 1979, no Reino Unido, no governo da primeira-ministra Margareth Thatcher e, nos Estados Unidos, na gestão do presidente Ronald Reagan. Depois, preconizada por instituições econômicas internacionais, como o Banco Mundial e o FMI, foi adotado em vários países do mundo.

Pelos seus conhecimentos em Sociologia, sobre o desenvolvimento do Capitalismo, assinale a(s) alternativa(s) correta(s):

A doutrina econômica que combate o keynesianismo, defende que o Estado deve intervir na área de:

01) saúde.

02) alimentação.

04) educação.

08) justiça.

16) segurança.

07 - Ícone popular da década de 1960 e considerado como Profeta do Mundo da Comunicação, disse: Algumas conseqüências serão inevitáveis com o surgimento da aldeia global, onde a comunicação escrita dará lugar a uma nova forma de tradição oral, difundida pelos meios eletrônicos de massa, como o rádio e a televisão e, até mesmo, uma rede mundial de computadores. Também antecipou o surgimento da informação como bem mais precioso, em substituição aos bens de consumo.

a) John Fitzgerald Kennedy

b) Herbert Marshall McLuhan

c) Elvis Aaron Presley

d) Bob Dylan

e) Marilyn Monroe.

08 – UEL - Com o desenvolvimento da Globalização das Economias, novos atores sociais entraram em cena, configurando-se uma forma diferenciada de internacionalismo que busca construir alternativas às decisões de instituições multilaterais como a Organização Mundial do Comércio, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial. São exemplos destas iniciativas os movimentos alter-mundialistas.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa que contempla o caráter desses novos movimentos sociais.

a) são movimentos sem ideologia própria os quais reconhecem que a proximidade com as ideias socialistas e anarquistas é nefasta ao processo de mobilização de massa.

b) a base originária dos movimentos alter-mundialistas é formada por países do ex-bloco soviético, daí os esforços em definir o marxismo-leninismo com seu referencial básico.

c) São movimentos que adotam a estratégia de tecer uma rede mundial abrangente e capaz de ganhar espaços de influência ante a opinião pública, utilizando a internet como recursos de destaque para a mobilização.

d) A força desses movimentos repousa na presença de centros organizadores de luta com estrutura hierarquizada cujas diretrizes são dadas pelos partidos políticos.

e) A pressão destes movimentos sobre o capital financeiro e empresas multinacionais tem entravado o desenvolvimento do capitalismo, contribuindo, assim para suas crises periódicas.

09 - UEL - Leia o texto a seguir:

Tenho 32 anos e, como a maioria das pessoas da minha geração, já fui demitido – mais de uma vez. Você fica mal e se sente impotente. Nossos pais entravam em uma empresa e saíam de lá aposentados, mas agora isso é passado. O mercado está em movimento o tempo todo e precisamos nos preparar para enfrentar essas mudanças. Quem está preparado não fica sem emprego. Por isso corro atrás.

Depoimento de André Luiz Fernandes. Demita o patrão. Super Interessante. SP: Abril, 14 ago. 2009, ed. 268, p. 17.

Com base no texto e nos conhecimentos atuais sobre o mundo do trabalho, é correto afirmar:

a) O fenômeno assinalado e presente com maior intensidade no Capitalismo a partir dos anos 1990, é definido conceitualmente como empregabilidade, isto é, tem maior oportunidade de conseguir emprego quem se qualifica permanentemente.

b) O traço distintivo entre o capitalismo do início do século XX e o do começo do século XXI é que o primeiro era estático, daí garantir estabilidade no emprego até o final do ciclo de vida do trabalhador.

c) O desenvolvimento recente do capitalismo garante trabalho aos que estudam, o que se reflete, hoje, nas baixas taxas de desemprego a níveis mundiais e o sucesso das políticas de pleno emprego.

d) As diferentes fases do capitalismo reforçaram a falta de conexão entre formação, qualificação e possibilidade de inserção no mercado de trabalho.

e) Foi de modo semelhante que as diversas gerações dos anos de 1950 e 1990 inseriram-se no mercado de trabalho, garantindo planejamento estável em termos de empregabilidade ao longo do tempo de vida produtiva.

10 - A Pós-Modernidade é a condição social, cultural e estética que predomina no capitalismo contemporâneo após a queda do Muro de Berlim e a consequente crise das ideologias que dominaram o século XX. Atualmente, o termo é usado no cotidiano e talvez, poucos saibam da importância de Karl Marx no tratamento do conceito.

Com base na informação acima e nos conhecimentos sobre a pós-modernidade e seus efeitos, é correto afirmar:

a ideologia, numa visão sociológica, pode ser entendida como um sistema de ideias que congregam uma doutrina social ou política aceita por um agrupamento de humanos.

no Mundo Social Moderno há interessante parcela de indivíduos urbanos. Disso, as situações sociais são consideradas subjetivas, uma vez que não podemos ter certeza do modo de pensar, de sentir e de agir dos indivíduos em si.

sociologicamente, as necessidades dos humanos são apenas de ordem material. Com isso, eles têm dependência de vestimentas, de alimentos, de moradia e de meios de transporte. Em resumo, os humanos pelo ponto de vista da Sociologia, não possuem dependência de ordem espiritual e psicológica.

Está (ão) correta (s):

a) todas as afirmativas.

b) I e II afirmativas.

c) II e III afirmativas.

d) I e III afirmativas.

e) nenhuma das afirmativas.

11 - Na transição do século XIX para o XX, as discussões diante da teoria e da prática científica pelo observador nos conjuntos de procedimentos do conhecimento ou então que, vinculado com isso, ganharam por fundamento uma denominação base construtivista. Tais discussões estão ligadas à crítica de concepções realistas, antropológicas em direção da busca da verdade e do saber. Assim, essa discussão tem potencialidades filosóficas e descrições sociológicas.

Sobre a investigação científica como método sociológico, é correto afirmar:

o melhor modo para compreender o comportamento humano é observá-lo e se possível interrogá-la. Como consequência dessa necessidade foi a criação da Sociologia.

pela apreciação da experiência e pelo poder da razão como fonte do conhecimento, a investigação sociológica do comportamento humano dentro do sistema capitalista se tornava cada vez mais urgente. Com isso consolidou-se o método investigativo para os estudos sociológicos.

com o crescimento e a influência do conhecimento científico, após as Revoluções Burguesas do século XVIII, ganhamos uma série de conceitos sobre a universalidade social. No entanto, muitos desses conceitos, de tendência investigativa, aprovaram a natureza dos indivíduos e também das primeiras sociedades caracterizadas pela complexidade do mundo moderno.

Está (ão) correta (s):

a) I e II afirmativas.

b) todas as afirmativas.

c) II e III afirmativas.

d) I e III afirmativas.

e) nenhuma das afirmativas.

12 - Entre os séculos XVII e XVIII, na Europa Ocidental, foi desenvolvido o pensamento da Contratualidade Social ou do Pacto Social. Dessa forma, brotou uma maneira de legitimar o contexto exigido pela sociedade burguesa que reagia contra a estrutura do Antigo Regime.

Assinalar abaixo a alternativa que contenha os elementos que caracterizam a estrutura do Antigo Regime.

a) Política absolutista; sociedade com imobilidade e hierarquia de status e economia intervencionista;

b) Política absolutista; sociedade com mobilidade social e economia não-intervencionista;

c) Política absolutista; sociedade com imobilidade e hierarquia de status e economia não-intervencionista que, ainda, vigora em alguns países;

d) Política representativa; sociedade com mobilidade e hierarquia de status e economia não-intervencionista, considerados bases do capitalismo industrial;

e) Política representativa; sociedade com imobilidade e hierarquia de status e economia intervencionista.

13 - UEM - Sobre os fatores relacionados ao surgimento da Sociologia, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) A Revolução Científica, iniciada no século XVI, ao propor a substituição da razão teológica pelo conhecimento derivado de evidências empiricamente observáveis, contribuiu para que a organização social deixasse de ser entendida como um dado natural ou desígnio divino e passasse a ser objeto de questionamentos.

02) A Sociologia surge no contexto das Revoluções Democráticas do século XVIII como um instrumento de recomposição da ordem monárquica abalada pela crítica à legitimidade teológica das lideranças políticas.

04) A Revolução Industrial acarretou uma série de problemas sociais, sendo a maioria decorrente da significativa concentração da população nas cidades ao redor das nascentes indústrias. A necessidade de compreensão dessa nova experiência urbana impulsionou decisivamente o surgimento da Sociologia.

08) A Reforma Protestante, com a crítica ao dogma católico e a defesa da razão técnica, favoreceu a proposição de uma ciência objetiva da sociedade.

16) As Revoluções Democráticas do século XVIII, ao questionarem as monarquias baseadas em princípios teocráticos, atribuíram aos homens a tarefa de construir sua própria ordem social, segundo seus desejos e necessidades. Com isso, favoreceram o surgimento de uma ciência da sociedade que teria a função de apontar caminhos para a resolução dos problemas sociais.

14 - UEM - Desde a implementação da Lei Federal n.º 11.684, de 2008, a disciplina de Sociologia voltou a compor os currículos do ensino médio no Brasil, levando um novo conjunto de conteúdos e de discussões às salas de aula.

Sobre os estudos acerca do ensino de Sociologia, assinale o que for correto.

01) Após um longo período ausente das grades curriculares da educação básica, o retorno do ensino de Sociologia representou uma conquista política de grupos e de movimentos sociais interessados na transformação da educação básica.

02) Alguns dos principais objetivos do ensino de Sociologia dizem respeito às práticas do estranhamento e da desnaturalização das relações sociais, culturais e políticas que constituem as sociedades modernas.

04) Uma das características atuais do ensino de Sociologia é a moralização da sociedade por meio da transmissão de valores e de ideologias que contribuam para o fortalecimento de um tipo de solidariedade cívica e cristã.

08) O retorno da disciplina de Sociologia ao ensino médio produziu um amplo mercado de trabalho para a atuação de profissionais formados nos cursos de Ciências Sociais que se dedicam ao ensino escolar.

16) Os atuais livros didáticos de Sociologia distribuídos pelo Estado na rede pública de ensino do país representam uma forma contemporânea de seleção, de sistematização e de veiculação de conteúdos acadêmicos das Ciências Sociais.

***

Gabarito

01 - B

02 - E

03 - D

04 – A

05 – 23 (01, 02, 04, 16)

06 – 24 (08, 16)

07 – B

08 – C

09 – A

10 – B

11 – B

12 – A

13 – 21 (01, 04, 16)

14 - 27

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Sociologia enem e ensino médio

4.5
2 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor