Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Thesaurus da Moeda História e Dicionário de Numismática

Thesaurus da Moeda História e Dicionário de Numismática

Ler a amostra

Thesaurus da Moeda História e Dicionário de Numismática

Duração:
349 páginas
3 horas
Lançados:
4 de jun. de 2019
ISBN:
9781393052951
Formato:
Livro

Descrição

Numismática é definida como o termo que designa o estudo e a coleta de moedas e papel moeda emitida por uma nação com o desenho oficial do país. Quando se trata apenas de papel-moeda, o termo exclusivo Notafilia é frequentemente preferido. A numismática é conhecida desde os tempos anteriores ao Império Romano, embora não possa ser conhecida com certeza quando começou como um fenômeno social e como colecionador.
A numismática como ciência começou no século XIX, uma época de modernização e apreço como tal de todas as ciências, como as entendemos hoje. Este thesaurus de moedas foi escrito pelo pesquisador e autor de livros históricos, Jorge Lucendo, no qual ele nos conta as origens e a história dessa arte ancestral que formou diretamente parte de nossas vidas e de todos os nossos ancestrais.
Este compêndio de Numismática descreve as diferentes eras da moeda, é ilustrado com imagens infinitas de moedas ou notas, tempos, processos de fabricação, história, lugares e detalhes relacionados a esta bela arte chamada Numismática. Neste trabalho é realizada uma extensa revisão bibliográfica e histórica do que é Numismática e a cunhagem de dinheiro e dinheiro, em geral, e os diferentes métodos de sua fabricação ao longo da história.

Lançados:
4 de jun. de 2019
ISBN:
9781393052951
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Thesaurus da Moeda História e Dicionário de Numismática

Livros relacionados

Artigos relacionados

Amostra do livro

Thesaurus da Moeda História e Dicionário de Numismática - Jorge Lucendo

jorgelucendo12@gmail.com

HISTÓRIA DE NUMISMÉTICA

EVOLUÇÃO DE NUMISMÉTICA

NUMISMÉTICA MODERNA

CATALOGO DE MOEDAS SEGUNDO ESTADO DE CONSERVAÇÃO

DEFEITOS DE ALGUMAS MOEDAS

CASA DA MOEDA OU CECA

ETIMOLOGIA DA CECA

HISTÓRIA DA ACUAÇÃO DE MOEDA

NOTEFILIA

TIPOS DE BILHETES BANCÁRIOS

CLASSIFICAÇÃO E CATALOGAÇÃO DOS BILHETES

CLASSES BANCÁRIAS

BILHETE ESPECIAL

MÁQUINAS E FERRAMENTAS PARA TRABALHAR A MOEDA

INSTRUMENTOS DE FABRICO DE MOEDA

INSTRUMENTOS DE PESO DE MOEDA

MATERIAIS UTILIZADOS EM NUMISMÉTICA

PEÇAS E ELEMENTOS DA MOEDA - NUMISMÁTICO

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE MOEDAS

PROCESSO DE AQUISIÇÃO EM MOEDA

FUNÇÃO DA MOEDA NO TRANSFORMAÇÃO DA HISTÓRIA

DEFINIÇÃO DO PERÍODO DE MOEDA

FUNDO DE MOEDA

APARÊNCIA DE MOEDAS - PRIMEIRAS MOINCAS DE HISTÓRIA

CARACTERÍSTICAS DAS MOEDAS

EXPANSÃO DO SISTEMA MONETÁRIO ATRAVÉS DA HISTÓRIA

PEÇAS DA MOEDA

CLASSIFICAÇÃO DAS MOEDAS

DINHEIRO

DINHEIRO ELETRÔNICO

PAPEL MOEDA

CRIPTOMONEDAS

FABRICAÇÃO DA MOEDA NA ANTIGUIDADE

CAST METAL PROCEDURE

PROCESSO UTILIZANDO AILAGAS INTERCONECTADAS EM FILIAL OU EM SÉRIE

PROCESSO DE USO DE ALOEOLS INDEPENDENTES O METAL CAST

O WORKSHOP E SEUS ELEMENTOS

ESPAÇO FÍSICO DA COINAGEM DAS MOEDAS

O ENDEREÇO ​​E OS TRABALHADORES

FERRAMENTAS E ELEMENTOS DO OFICINA

QUESTÕES TÉCNICAS DA PRODUÇÃO DE MOEDA

PROBLEMAS TÉCNICOS NA FABRICAÇÃO DA MOEDA

TAXA DE TRABALHO E VOLUME DE PRODUÇÃO

ALTERAÇÕES DA MOEDA

MOEDAS FALSAS

TERMOS NUMISMÁTICOS

HISTÓRIA DE NUMISMÁTICA

Otermo numismático deriva do numismático latino, genitivo de numisma, variante de nomisma (moeda). Numismática é a ciência que estuda moedas e elementos formalmente ou funcionalmente relacionados com eles; isto é, todos os objetos que, por sua aparência externa, se assemelham a eles, como medalhas ou tokens, bem como todos aqueles que desempenham uma função monetária nas sociedades antigas e modernas (papel-moeda, dinheiro tradicional, etc.) e aqueles relacionados à sua fabricação, controle oficial e uso (escalas, pesos e pesos livres). Numismática desempenhou um papel importante no desenvolvimento de estudos históricos, especialmente no nascimento da Arqueologia. Quando se trata apenas de papel-moeda, o termo notafilia exclusiva é geralmente preferido. A numismática é conhecida desde os tempos do Império Romano, embora não se possa saber com certeza em que momento começou como fenômeno social (colecionadores). Numismática como uma ciência começa timidamente no século dezenove, um momento de modernização e apreciação, como tal, de todas as ciências, como as entendemos hoje. Esta ciência pode dar um valioso testemunho dos intercâmbios e da economia dos povos, bem como da sua história política, geográfica, religiosa, etc. Poucos monumentos arqueológicos têm a importância daqueles que estudam a numismática, pois nelas o homem gravou suas idéias dominantes e, portanto, revela o caráter, costumes e vicissitudes históricas que esses monumentos nos deixaram. Intimamente ligado à numismática é epigrafia, paleografia, simbolismo, iconologia e história da arte, contribuindo para todas elas noções essenciais numismáticas. A análise de objetos numismáticos do ponto de vista científico, em vez de estética, pode ser vista em alguns tratados do Renascimento, e sua metodologia de pesquisa foi estabelecida já no século XVI. Atualmente, essa ciência continua sendo uma fonte magnífica para a interpretação e namoro de numerosas civilizações, culturas e períodos históricos.

EVOLUÇÃO DE NUMISMÁTICA

Aevolução da numismática poderia ser englobada em dois grandes tipos de épocas; nos tempos em que as moedas não metálicas foram usadas. Houve uma troca natural entre mercadorias e produtos cobiçados para uso e consumo. Os artesãos típicos e as pessoas marinhas também usaram, como moeda, seus produtos comuns de maior valor e, às vezes, produtos que nos parecem improváveis, como as conchas e os dentes de cetáceos, os tecidos, etc. Assim, por exemplo, os caçadores usavam as peles como uma troca e os agricultores usavam os produtos da terra. Popularmente conhecido como trocas. E nos tempos em que os metais eram usados ​​como moeda. No início, utensílios de metal e barras de ouro constituíam a moeda que substituia os produtos cambiais em transações comerciais. O peso provavelmente determinou a constituição da primeira escala completa de valores. Um passo decisivo foi a impressão ou gravura de um selo oficial que garante e certifique o peso fixo do lingote.

NUMISMÉTICA MODERNA

No sentido moderno do termo, que começa a ser usado em meados do século XX, a numismática é o estudo científico do dinheiro em todas as suas diversas formas. Embora os numismáticos sejam freqüentemente caracterizados como estudantes de moedas, a disciplina atual também inclui o estudo de outras formas modernas de dinheiro e muitos aspectos relacionados a ela, incluindo seu uso, história, geografia, arte, economia, metalurgia, processos de fabricação, etc. Entre outras formas modernas de dinheiro estudadas pelo numismático seria o cheque, o papel moeda ou bilhete, a ação e o bônus (escripofilia), o cartão de crédito e o arquivo monetário (monetiformes). Para agrupar esses elementos em uma única categoria, um termo foi adotado; a exonumia. Esta palavra é usada principalmente por colecionadores de língua inglesa. Embora em geral os estudos econômicos e históricos do uso e do desenvolvimento do dinheiro sejam separados do estudo do dinheiro físico que a numismática faz, existe, no entanto, uma relação entre ambos; As teorias do origem do dinheiro dependem da numismática, por exemplo. Nesse sentido, a numismática desempenha um papel importante, já que através das moedas (edições especiais, mudanças de material, etc.) conseguem decifrar e entender os cerco, motivos reais e imperiais, fluxos econômicos, etc.

CATALOGO DE MOEDAS SEGUNDO ESTADO DE CONSERVAÇÃO

Esta classificação está sujeita a mudanças de avaliação de acordo com as circunstâncias históricas em torno da cunhagem de moedas (e outros efeitos de função similar). Desta forma, encontramos moedas gravemente danificadas ou com defeitos de fabricação que, por serem escassos ou mesmo, graças a esses defeitos, conseguem um valor muito maior.

Testes (PRF) ou Prova. Nome do inglês dado às moedas cujos relevos foram tratados na fábrica para qualificar e polir o metal. São peças apenas para colecionadores. Somente as bordas não são tratadas, então as moedas devem ser retiradas por elas.

Flor de cunha (FDC). Estas são moedas sem prova de tratamento e destinadas apenas para coleta. Uma flor de moeda também é considerada qualquer moeda antes do século 19 que não mostra nenhum defeito.

Uncirculated (S/C). São peças que não tiveram circulação no mercado, mas foram destinadas a isso. Eles não têm defeitos.

Excelente boa conservação (EBC). Não possui imperfeições visíveis, mas contém vestígios de uma circulação breve.

Muito boa conservação (MBC). Boa conservação, mas está claramente em progresso.

Boa conservação (BC). Seu valor numismático se torna metade do MBC. A circulação e as imperfeições são evidentes.

Conservação regular (RC). Possui arranhões, dentes, relevos desgastados e outros danos dessa natureza.

Bad conservation (MC). Suas legendas e desenhos são ilegíveis ou praticamente ilegíveis. O metal não mais brilha e as imperfeições são grandes: rachaduras, dentes grandes, erosão do cume, peças quebradas ou enferrujadas, etc.

Quando uma moeda é entre duas categorias, é indicado por uma barra inclinada ou dobra, por exemplo: EBC/MBC. Símbolos + ou - são adicionados após uma categoria para indicar caracteres intermediários.

DEFEITOS DE ALGUMAS MOEDAS

Flan laminado. O papel está dividido em folhas.

Flan sem moeda. O rosto não mostra nenhuma impressão nos rostos.

Clipet. A flange mostra uma ou várias mordidas.

Duplo morrer ou duplicar o dado. O cospel tem impressão dupla em seus rostos.

Cud ou descantillado. A flange não mostra parte da impressão devido à ruptura de uma borda da matriz.

Morto quebrado. O flanco mostra parte de sua impressão faltando partes como resultado da ruptura do desenho do dado.

Worn morre. O sinal mostra fades em sua marca.

Flanco errado. A flange mostra a impressão de um dado errado.

Incisivo ou entalhado. O sinal mostra sinais da introdução de outro artigo pela ausência de impressão na parte em que foi colocada sobre o primeiro.

Moeda descentralizada. A flange tem uma impressão deslocada em relação ao seu centro.

Rodando morre. O cospel apresenta uma das suas impressões girou um certo número de graus em relação à posição que deveria ter originalmente em relação à outra.

CASA DA MOEDA OU CECA

Éo local onde a proposta legal é feita ou emitida. A primeira menta na Espanha, foi Montesclaros, localizada na província de Toledo.

ETIMOLOGIA DA CECA

Apalavra menta é uma voz árabe sikka, que significa moeda e morre. A voz árabe também faz parte da frase dar al-sikka, cujo significado é literalmente casa da moeda. Um dado é uma peça freqüentemente cilíndrica feita de metal duro com os mesmos detalhes e forma que aparecerão na moeda, mas no dado são incisos ou negativos. O dado é usado na cunhagem da moeda sendo atingido por um martelo e, por sua vez, o flanco, que é a peça de metal, geralmente cilíndrica, que tem duas faces e ambas são diferentes. Coining significa bater, cortar, imprimir por meio de um dado ou morrer, isto é, dando forma e alívio, por meio de um golpe ou pressão, ao pedaço de metal que é colocado entre o dado e o dado.

HISTÓRIA DA ACUAÇÃO DE MOEDA

Ofabrico de moeda , desde o início de sua aparência como meio de pagamento, foi um processo artesanal, nos meios apropriados em cada momento e local. Com os gregos e os romanos evoluíram de alguma forma, mas até o século XVI, a chamada cunhagem veio sem fazer mudanças mais notáveis ​​do que as de tempos anteriores. A cunhagem de moedas durante toda a Idade Média era uma faculdade especial do monarca atuante. A Casa Real tinha sua própria hortelã, que consistia em pequenas oficinas de ferreiros e gravadores, oficinas itinerantes, que viajavam com a corte. Nesse sentido, os muçulmanos da Península Ibérica estavam mais avançados do que os reinos hispânicos em matéria de sistema monetário e de hortelã, portanto, esses monarcas aprenderam com eles e sabiam como se lutar por uma questão tão importante. O monarca espanhol Alfonso VI de León (1043-1109) deu o primeiro passo na modernização do processo de cunhagem, já que ele foi o primeiro a mendigar sua própria moeda e criar duas casas de mina estáveis ​​nas cidades espanholas de Toledo e León. As moedas que vieram desses estabelecimentos foram chamadas de moeda regis ou denario regis e foram feitas com uma liga de prata e cobre, chamada velo, que é uma palavra francesa que significa bilhões, lingote. Ao longo dos anos, a prata foi substituída por aço ou latão. Naqueles dias, as hortelãs eram poucas e, embora estáveis, ainda pareciam mais uma pequena oficina de artesanato do que uma importante fábrica de produção de dinheiro. Até em 1553, um engenheiro alemão chamado Brücher projetou duas máquinas que vieram revolucionar o processo de cunhagem. Um deles era o chamado Laminador, uma máquina movida por um moinho que obteve folhas de metal de espessura constante quando passou o lingote repetidamente entre dois cilindros ou rolos de metal duro. O outro foi a prensa de direção que obteve a força necessária para a impressão graças à inércia de um grande volante. Essas máquinas, de dimensões consideráveis, tiveram que ser instaladas em locais maiores em tamanho para as oficinas tradicionais. A partir dessas invenções, as melhorias no processo começaram a acontecer. Em 1830, o engenheiro suíço Jean Pierre Droz (1746-1823) inventou o sistema de ferrule dividido, que possibilitou a moeda dos dois lados da moeda de uma só vez e também a borda ou a borda da moeda. A acuidade da música era de grande importância. As moedas antigas tinham o carimbo nos dois lados, com as quais o rei garantia o peso do metal da moeda, mas havia bordas mais ou menos grandes e irregulares. Uma maneira de roubar era cortar moedas, de modo que com vários cortes você tinha metal para fazer outro.

NOTEFILIA

Éa parte da Numismática dedicada ao estudo, pesquisa, coleta e divulgação de contas, selos e papel-moeda em geral. Ele vem da nota latina (bilhete) e do filos grego (amigo, amador).

TIPOS DE BILHETES BANCÁRIOS

BANCO DE BANCO CONFIRMADO . Este é o nome da nota de banco cujo valor foi confirmado por uma entidade de direito público.

CERTIFICADO DE MUDANÇA DE MOEDA. Nota de banco conversível em moedas.

CERTIFICADO PROVISÓRIO DE MOEDA DIVIONAL. Quando há escassez de moeda fracionada, outras entidades além do Banco Central ou Nacional podem emitir notas bancárias para resolver esse problema. Em geral, essas entidades geralmente são ministérios de finanças ou câmaras de comércio.

BÔNUS E VOUCHERS. Pagaram o portador. Sua coleta diminuiu nos últimos anos.

CLASSIFICAÇÃO E CATALOGAÇÃO DOS BILHETES

Os ingressos geralmente são classificados em uma escala descritiva de graus. Esta qualificação varia um pouco a nível internacional, e com o passar do tempo, mais notas foram adicionadas. Os diplomas especificados pela International Paper Currency Society são os seguintes:

Uncirculated (UNC) - Refere-se a uma nota de banco brilhante e sem danos manipuladores, como vincos ou rugas, ou cortes, corantes ou cantos arredondados.

Quase sem circulação (AU) - É uma nota bancária que permanece brilhante, mas tem um leve dano de manejo, ou seja, um ligeiro ressalto central (não uma dobra, que é uma quebra nas fibras do papel), sem cantos arredondados.

Extremamente fino (XF ou EF) - Uma nota de banco com uma dobra ou até três dobras de luz. Papel brilhante e atraente, desgaste muito leve nos cantos permitidos.

Muito fino (VF) - Ainda atraente, mas possível suaves sujeira ou manchas, pode ter várias dobras horizontais e/ou verticais. O papel ainda é relativamente fresco. Sem lágrimas, mas um leve desgaste nas bordas e cantos é permitido. É claro que um projeto de lei que foi lavado com água e tratado com produtos químicos pode estar aparentemente no estado Au ou Unc, mas é realmente um Vf.

Fine (F) - O papel é agora um pouco mais suave, desgaste considerável devido às dobras do seu uso em circulação. Lágrimas menores levam em consideração, que não se estende ao projeto. Claro, mas não uma aparência brilhante. Furos descontínuos, mas não buracos devido à dobramento.

Muito bom (VG) - Muito desgaste. O papel é suave. As lágrimas podem se estender ao projeto. Pontos possíveis A descoloração é possível. Furo no centro causado por dobramento admissível. A nota ainda parece apresentável.

Bom (G) - Muito desgaste, como VG, mas também o mais. Graffiti no bilhete. Pequenos pedaços do bilhete podem estar faltando

Faded (FA) - Partes maiores do bilhete rasgadas/desaparecidas, em comparação com G. Menos da nota intacta.

Pobre (P) - Danos graves devido ao desgaste, manchas, peças em falta, graffiti e/ou furos. Eles podem ser colados com fita adesiva, peças em falta. A pior condição possível. Além dessas notas, é comum indicar um grau no meio, como AU-UNC, que é uma nota que cai entre UA e UNC (por exemplo, uma nota com uma contagem de dobras visível).

Alguns fornecedores e leiloadores aumentam ainda mais o grau UNC, em três graus.

Gem fora da circulação ou Crisp Gem Uncirculated - Um bilhete perfeito, não apenas em sua condição original, mas com grandes margens igualmente equilibradas, de cores excepcionais. Então, por exemplo, um ingresso não é tão originalmente impresso, mas também foi impresso bem, em primeiro lugar.

Escolha sem circular/Escolha sem circular Crisp - Apenas menos do que perfeito, pequeno, foxing pontos fracos de contagem, ou uma pequena margem fora do centro

Crisp out of circulation/Uncirculated - Ainda não dobrado ou enrugado, mas sofrendo de qualquer: descoloração leve, amarela, foxing, longe do centro, ¿dobra as bordas do canto apenas na área em branco (não o desenho)?.

A maioria dos colecionadores sempre preferirá um bilhete fora de circulação. Um ingresso em boas condições de acesso UNC geralmente vale até dez vezes mais nessa condição em comparação com apenas VG (muito bom). Um bilhete UNC pode valer três vezes mais do que um FV. Os ingressos raramente estão em condições de circulação, pelo que seu preço geralmente é muito alto. A diferença entre Gem e fora da circulação fora da circulação também pode ser substancial. Como resultado, os compradores estão em risco de inflação de ratings, em que um distribuidor não percebe uma dobra em uma nota UA e passando como UNC, sem dúvida, se sentirá justificado ao cobrar um preço mais elevado. As notas do banco abaixo da FV geralmente são consideradas indesejáveis ​​em uma coleção e geralmente são compradas em uma melhor qualidade de exemplos que não estão disponíveis, devido à sua escassez ou, simplesmente, além do orçamento do coletor.

CLASSES BANCÁRIAS

Bilhete de teste. Eles são um design de um novo ingresso, normalmente não possui um número de série.

Bilhete de teste. Essas contas são impressas para verificar se o projeto é adequado para a circulação, ou para testar as diferentes etapas do processo de impressão. Estes bilhetes de teste podem ter imprimido apenas a frente ou a parte de trás, ou apenas partes do conjunto, como o retrato. O teste de cor de um ticket é tipicamente impresso em uma variedade de cores diferentes como parte do processo de teste.

Bilhete de prática. Essas notas são geralmente semelhantes em tamanho, forma e cor para as notas circulantes e são usadas para treinamento de caixas de banco e pessoal de troca de moeda. Geralmente, são oficiosas e grossamente impressas, mas de tempos em tempos são emitidas pelos bancos centrais quando um novo papel-moeda é introduzido (como, por exemplo, quando os euros substituem a moeda nacional em muitos países europeus) ou quando foi introduzido um novo sistema (por exemplo, quando na Austrália e Nova Zelândia foi introduzida a moeda decimal, substituindo a libra e os centavos).

Bilhetes educacionais. A maioria desses bilhetes são emitidos por algumas escolas comerciais, especificamente para capacitar os estudantes a serem funcionários ou caixas.

Bilhetes do jogo. Eles são muito parecidos com as notas reais ou são completamente fictícios, e muitas vezes são usados ​​por crianças para jogar, ou como promoções ou publicidade, muitas vezes impressas de um lado.

Ingressos do inferno. Também chamado de Notas de Inferno, esses ingressos podem ser fictícios ou apreendidos em contas reais. Diferentes comunidades asiáticas usam-nas para serem queimadas ou lançadas ao vento para honrar os antepassados.

Réplica de ingressos são cópias. Estes bilhetes são muitas

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Thesaurus da Moeda História e Dicionário de Numismática

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor