Aproveite esse título agora mesmo, além de milhares de outros, com um período de teste gratuito

Gratuito por 30 dias, após esse período: $9.99 por mês. Cancele quando quiser.

O Conhecimento Da Cabala

O Conhecimento Da Cabala

Ler a amostra

O Conhecimento Da Cabala

notas:
3/5 (4 notas)
Duração:
370 páginas
2 horas
Lançados:
Sep 19, 2021
ISBN:
9788592167622
Formato:
Livro

Descrição

Existe uma sabedoria que vinha sendo mantida em segredo por grupos restritos de eruditos judeus a milhares de anos, o nome dessa sabedoria é cabala . Na nossa época moderna, graças ao empenho de eruditos não judeus, certos elementos da cabala se tornaram mais acessíveis ao grande público. Esse livro tem como objetivo apresentar aos leitores as b
Lançados:
Sep 19, 2021
ISBN:
9788592167622
Formato:
Livro


Relacionado a O Conhecimento Da Cabala

Livros relacionados

Amostra do livro

O Conhecimento Da Cabala - Ricardo Dias De Oliveira

1

RICARDO DIAS DE OLIVEIRA

O CONHECIMENTO DA CABALA

1ª Edição

Betim, MG 2018

2

3

O CONHECIMENTO DA CABALA

APRESENTAÇÃO

Muitos foram os motivos que me levaram a escrever esse livro.

Como ocultista e adepto da cabala não posso negar que senti

certo receio de tornar público certos conhecimentos. É uma

atitude natural que os ocultistas e adeptos de vários "sistemas

mágicos" façam de tudo para manterem certos conhecimentos

verdadeiramente ocultos. Entretanto, minha intenção não é

apenas apresentar aos leitores mais um sistema mágico, mas,

apresentar um sistema pelo qual eu tenho enorme admiração e

respeito e que tem entre outras virtudes a de ser o sistema que

melhor se adapta a cultura e mentalidade ocidental e que

contribui de maneira maravilhosa para aquele que deveria ser o

grande objetivo de nossa jornada nesse mundo: o

aperfeiçoamento espiritual e a auto realização.

Não me limitarei a falar aqui apenas sobre as técnicas da cabala,

mas, também apresentar aos leitores um estudo sobre a história

da cabala, seus principais livros e a vida de alguns adeptos

notáveis. Trata-se de um assunto bastante denso, e, acredito que

alguns elementos apresentados aqui poderiam ser ampliados por

outros adeptos com mais conhecimento do que eu.

MINHA HISTÓRIA COM A CABALA

Quem conhece meus outros livros já sabe de meu grande

interesse por ocultismo, é um assunto que venho estudando a

alguns anos e não importa o quanto se pesquise sempre há algo

4

novo para se aprender a respeito. Dentre os temas que eu

pesquisava estavam os sistemas mágicos. Sistema mágico é

como é chamado o conjunto das práticas de ocultismo de um

povo, portanto, existem diversos sistemas mágicos pelo mundo,

cada povo da antiguidade tinha seu sistema próprio e a cabala é o

sistema mágico dos judeus. Como os judeus sempre estiveram

presentes no Oriente Médio e partes da Europa então a cabala é

considerada um sistema mágico tipicamente ocidental.

Quando se coloca a palavra cabala no buscador da internet

aparecem muitas informações, porém, muitas vezes são

informações superficiais ou distorcidas sobre o assunto. Por isso,

embora eu tivesse um grande interesse em cabala tempos atrás,

eu fiquei muito tempo andando em círculos sem conseguir

chegar a compreender com clareza o assunto. As coisas mudaram

para mim quando adquiri o livro "O Poder de Realização da

Cabala" do autor Ian Mecler, através desse livro eu consegui me

esclarecer a respeito de vários aspectos da cabala que me

pareciam obscuros. Depois disso eu continuei a pesquisar e a ler

várias outras obras sobre cabala. Continuo pesquisando até hoje

e praticando as técnicas também.

CAPÍTULO I—ORIGEM DA CABALA

Como eu já disse anteriormente, não foi uma decisão simples

resolver escrever a respeito de um assunto que vem sendo

tratado com grande discrição através de milhares de anos por seus

adeptos. A palavra cabala que também é grafada de várias

maneiras como Kabala e kabalah significa receber pois é

uma tradição transmitida oralmente de mestre a discípulo.

Originalmente os guardiães do conhecimento da cabala eram os

rabinos, os líderes religiosos do judaísmo. E eles eram muito

criteriosos na escolha das pessoas a quem transmitir o

5

conhecimento da cabala, geralmente só aceitavam candidatos

que fossem homens, com pelo menos 40 anos de idade, casados,

de boa índole, verdadeiramente religiosos e adeptos do judaísmo.

Cabala não se trata de um assunto vulgar, e sim um assunto

tratado com muito respeito e reverência por seus adeptos, o leitor

pode realmente se considerar privilegiado por ter tido acesso a

esse livro. Esse tipo de conhecimento só costuma ser transmitido

através do processo de iniciação na qual o candidato passa por um

ritual que tem um significado realmente profundo e a partir do

momento em que se torna adepto precisa ter uma atitude austera

e absolutamente ética. Por tudo isso que eu disse, acredito que é

bastante claro para o leitor que cabala não se trata de um "passa

tempo ou uma brincadeira esotérica", infelizmente muitas

tradições ocultas veem sendo tratadas dessa maneira aqui na

nossa sociedade ocidental, um exemplo disso pode ser observado

na mídia quando se noticia que certas celebridades se tornaram

adeptas da cabala como Madonna e Ashton Kutcher. Podemos

questionar se essas celebridades realmente estão praticando a

verdadeira cabala, será que estão? Note a atitude de tais

celebridades levando uma vida cheia de gastos com coisas

superficiais e vaidade, a cabala está de acordo com isso?

Obviamente que não. O que levou essas celebridades a buscar a

cabala muito provavelmente é um censo de vazio em suas vidas

superficiais e eles acharam que a cabala poderia preencher esse

vazio. Existe um ditado que diz: "você não pode encontrar fora

algo que já não tenha dentro de si mesmo". Buscar em grupos

esotéricos e terapias alternativas algo para preencher um vazio

existencial é um erro. Apenas os adeptos que estudam com

sinceridade e se aplicam às técnicas e exercícios conseguem obter

resultados satisfatórios e o que é o principal: a auto realização

espiritual. Buscar na cabala meios para obter algum tipo de

vantagem acima do homem comum ou fazer truques de magia

é outra atitude completamente infantil. Quanto a mim mesmo,

6

não estudei com nenhum rabino, não sou judeu e nem sei falar

hebraico. Considero a minha grande referência o já citado

cabalista Ian Mecler através de seus livros e palestras que podem

ser encontradas facilmente na internet. O fato é que se propagam

muitas ideias erradas relacionadas a cabala. É importante

ressaltar que embora esse conhecimento tenha sido restrito no

passado, hoje em dia qualquer pessoa pode estudar cabala se

pesquisar e se dedicar com sinceridade. Também não é

obrigatório ser judeu ou se tornar adepto do judaísmo para

estudar cabala, inclusive grandes cabalistas do passado foram

cristãos, na Idade Média e Renascença houve na Europa uma onda

de interesse por ocultismo, e por isso muitos não-judeus

passaram a estudar cabala buscando informações com os rabinos.

Esses foram os chamados cabalistas cristãos pessoas como

Johannes Reuchlin, Jacob Boehme, Francis Bacon, Christian Knorr

Von Rosenrot, Cornelius Agrippa, Giovanni Pico della Mirandolla e

Athanasius Kircher, todos esses foram cristãos que estudaram

cabala e assimilaram muitos elementos da cabala em suas práticas

de ocultismo e graças a eles muitos conhecimentos de cabala

inclusive textos que apenas circulavam entre os adeptos judeus

tornaram-se acessíveis aos não-judeus. Outra ideia errada que é

propagada em relação a cabala é que cabala seria um tipo de

conspiração dos judeus para dominarem o mundo. Em muitos

lugares o termo cabala é usado com o mesmo significado que

conluio o que não é correto.

Uma das coisas que mais me chamaram atenção na cabala são

certos conceitos e técnicas que são idênticas a técnicas de outros

sistemas mágicos, o que prova que o verdadeiro ocultismo é

universal, embora existam variações entre os diversos sistemas

mágicos, são leis universais que dão sustentação ao ocultismo e

são essas leis que o adepto estuda para entender como funciona

e como aplicar em sua vida.

7

Tradicionalmente se diz que foi o patriarca Abraão quem

estabeleceu as bases da cabala que foram posteriormente

ampliadas por outros adeptos como Moisés, o escriba Esdras e

vários patriarcas e profetas judeus. Veremos adiante quais são os

livros considerados a base do conhecimento cabalístico, mas,

pode-se afirmar que os conhecimentos da cabala não são um

produto puramente judaico. O povo judeu é um povo muito

antigo e eles habitaram em muitos lugares do mundo convivendo

com muitos povos através da história, muitos conhecimentos

ocultos de povos estrangeiros entre os quais os judeus viveram

foram incorporados a cabala e a cabala foi enriquecida através dos

tempos, a experiência e prática desses conhecimentos pelos

adeptos convenceu-os da eficácia dessas técnicas, se não

funcionassem não teriam sido incorporadas a cabala.

Embora certos conceitos relacionados ao uso da língua hebraica

e das letras hebraicas façam parte das práticas da cabala certas

informações apresentadas por uma das mais eminentes

representantes do ocultismo madame Blavatsky afirmam que a

cabala tal qual é conhecida e praticada pelos judeus e não-judeus

hoje em dia aqui no ocidente é apenas um fragmento da

verdadeira cabala. Blavatsky afirmava que a verdadeira e

realmente poderosa cabala era do conhecimento de um grupo

esotérico do oriente e que esse grupo é de origem caldéia sendo

que a cabala dos judeus seria um extrato da cabala original dos

caldeus e esses verdadeiros conhecimentos estavam registrados

em um livro que ela chama de Livro Caldeu dos Números sendo

o livro Sefer Yetsirá um fragmento desse "Livro Caldeu dos

Números". Ela também afirmava que tanto a língua hebraica

quanto as letras hebraicas são criações posteriores, e que

originalmente os judeus falavam outra língua parecida com a

língua árabe arcaica e usavam outras letras. Isso não anula a

eficácia do uso da língua hebraica e letras hebraicas para

8

propósitos ocultistas, pois, tais técnicas são universais, mas as

afirmações de Blavatsky merecem serem analisadas pois ela foi

uma ocultista muito experiente, conheceu diversas partes do

mundo e entrou em contato com adeptos de várias escolas

esotéricas por isso eu vou abordar sobre as considerações dela a

respeito de cabala ao longo desse livro.

CAPÍTULO II—OS LIVROS BÁSICOS DA CABALA

Os livros considerados a base escrita do conhecimento

cabalístico são três: a Torá, o Zohar e o Sêfer Yetsirá.

A TORÁ

Torá é como os judeus chamam os cinco primeiros livros do

Antigo Testamento são eles: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e

Deuteronômio. Mas é adequado também considerar o Tanakh.

Tanakh é como os judeus chamam o conjunto de livros que

abarca além dos cinco primeiros livros do Antigo Testamento os

livros atribuídos aos profetas e outros escritos igualmente de

grande relevância para a tradição judaica como o livro de Salmos

e outros de narrativas como Esdras e Jó por exemplo. Todos esses

livros possuem uma importância que vai além da importância

religiosa, mas também ocultista.

Todos os ocultistas bem esclarecidos sabem que a Bíblia possui

vários códigos secretos, simbologias e conceitos que só as pessoas

mais esclarecidas conseguem compreender adequadamente. O

cabalista Arieh Kaplan (1934-1983) na introdução de sua edição

do livro Sêfer Yetsirá cita uma frase de Rabi Elazar eminente

cabalista do passado em que ele diz: "Os parágrafos da Torá não

estão em ordem. Se estivessem em ordem correta, qualquer um

que os lesse seria capaz de criar

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de O Conhecimento Da Cabala

3.0
4 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor