Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Despertando o Sentimento de Pertença nas Crianças em Relação à Água

Despertando o Sentimento de Pertença nas Crianças em Relação à Água

Ler a amostra

Despertando o Sentimento de Pertença nas Crianças em Relação à Água

Duração:
162 páginas
1 hora
Lançados:
23 de set. de 2019
ISBN:
9788547326678
Formato:
Livro

Descrição

O livro Despertando o sentimento de pertença nas crianças em relação à água lança um novo olhar sobre como abordar essa temática tanto no espaço escolar como fora dela. "Acreditamos que frente ao problema de escassez e uso desse recurso, um dos caminhos é trabalhar com crianças pequenas, despertando sentimentos em prol do meio ambiente, pois esses atores configuram-se como agentes transformadores de si e do meio que as cercam, estando sempre dispostas a conhecer, explorar e vivenciar novas experiências. Nesse sentido, acreditamos que a educação como elemento formador fundamental do ser humano é uma via de contribuição para a preservação e conservação da água e deve ser trabalhada sistematicamente em todos os níveis de ensino". Por seu conteúdo marcante e por sua abordagem inovadora, a leitura deste livro torna-se uma excelente fonte de erudição e discernimento para os professores que trabalham com as crianças nas salas de referência e a todos que se interessam pela preservação e conservação do elemento água.
Lançados:
23 de set. de 2019
ISBN:
9788547326678
Formato:
Livro


Relacionado a Despertando o Sentimento de Pertença nas Crianças em Relação à Água

Livros relacionados

Amostra do livro

Despertando o Sentimento de Pertença nas Crianças em Relação à Água - Priscila Eduarda Dessimoni Morhy

COMITÊ CIENTÍFICO DA COLEÇÃO EDUCAÇÃO, TECNOLOGIAS E TRANSDISCIPLINARIDADE

AGRADECIMENTOS

A Deus, em primeiro lugar, por nos conceder força e discernimento e permitir que este livro fosse concluído de maneira tranquila e serena.

A nossa família, em especial à Maria Eunice, uma mulher admirável, Cláudia Saleme, Rodrigo, Maria Cláudia, Matteo, Miriam, Gabriel, Danny e Nirvana, que nos deram força para poder finalizar esta pesquisa. Também são lembrados Marcellie e Carlo, Katia e Victor, por toda sua contribuição e compreensão.

Aos professores do Programa de Pós-Graduação do Mestrado Acadêmico Educação em Ciências na Amazônia, que desafiam os estudantes à busca de novos conhecimentos; em especial aos professores Dr.ª Josefina Diosdada Barrera Kalhil, Dr. Cirlande Cabral da Silva e Dr.ª Maria do Socorro Rodrigues Ibañez, por contribuírem com seus conhecimentos no processo da pesquisa.

Aos queridos amigos do Grupo de Estudo e Pesquisa Educação em Ciências em Espaços não Formais (GEPECENF) ‒ Raimundo Nonato Brilhante de Alencar, Leila Teixeira Gonzaga, Maria das Graças Alves Cascais, Ana Paula Melo Fonseca, Gelcimara de Lima Nobre, Lindalva Sâmella Jacauna de Oliveira, Renata Gomes da Cunha, Lívia Amanda Andrade de Aguiar e Sabrina Menezes de Oliveira nossa gratidão.

Ao quadro discente, docente e pessoal administrativo do CEMEI Professora Maria de Fátima Marques Campos, que abraçaram a pesquisa; desde a gestora até as responsáveis pela limpeza, todos carinhosos e amáveis durante as atividades realizadas.

Aos colegas mestres, em especial a Silva Alves de Souza, Adana Teixeira Gonzaga, Alexandra Andrade, Felipe Negrão, Geysykaryni Pinheiro, Elder Tânio, Virgílio e Eduarda, pelo apoio e por nossas discussões científicas e momentos de descontração.

Aos amigos secretários do mestrado, Robson e Brenda, que sempre ajudaram no que diz respeito à documentação e sobre orientações de procedimentos internos da instituição.

Aos diretivos da Secretaria Municipal de Educação, Parque Municipal do Mindu e Previdenciário Clube, por disponibilizarem os espaços educativos para a pesquisa.

À FAPEAM, pela concessão da bolsa de estudos a Priscila Morhy.

Priscila Eduarda Dessimoni Morhy e Augusto Fachín Terán

Este livro é dedicado ao grande médico, Dr. Bernardino Dessimoni Pinto Netto (in memoriam), por ensinar que todos nós nascemos com a missão

de contribuir com a felicidade do próximo, e por todos os ensinamentos

de âmbito pessoal e espiritual oferecidos.

PREFÁCIO

A presente obra, Despertando o sentimento de pertença nas crianças em relação à água, tem como foco a Ciência, consolidada por anos a fio pelo Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação em Ciências em Espaços não Formais da Universidade do Estado do Amazonas. O atraente trabalho nos mostra a importância dos espaços educativos não formais como prolongamento do ensino em sala de aula, tendo como eixo a educação ambiental na tenra infância. A imersão, exploração e descoberta do mundo natural despertam nas crianças a paixão e o encantamento essenciais ao cuidado com o ambiente.

Por que as crianças? Elas têm dentro de si a curiosidade, ponto-chave para a aprendizagem. O sentimento nato de admiração pelo mundo natural, a partir de experiências singelas vividas no cotidiano, dotam-nas de pertencimento genuíno à Terra. Segundo Herman, Passineau, Schimpf, Treuer (1992, p. 31)

Explorar a Natureza como uma criança, está intimamente ligado a tornar-se receptivo a tudo que existe a sua volta. É aprender a usar seus olhos, ouvidos, nariz e ponta dos dedos, para abrir os enferrujados canais das impressões sensoriais.

Por que a água como tema gerador da pesquisa? A água, elemento essencial à vida e parte da paisagem amazônica com toda sua preciosa riqueza e abundância, torna-se o elo entre ensino e aprendizagem em momento tão crucial da trajetória de todos nós, indivíduos, sociedade e natureza, diante da crise que vê a água apenas do ponto de vista utilitário e receptáculo de tudo aquilo que rejeitamos.

O presente livro vem na vanguarda do protagonismo que reconhece a água como bem público e como direito universal: a Organização das Nações Unidas promulgou a Década Internacional para a Ação, Água para a Vida, entre 2005 e 2015. O Brasil, por sua vez, sediou no hemisfério sul, em 2018, dois fóruns emblemáticos: o Fórum Mundial da Água e o Fórum Mundial Alternativo da Água. Em consonância com esses acontecimentos, o livro de Priscila Dessimoni Morhy e Augusto Fachín Terán amplia com profunda sensibilidade o olhar sobre a água, valorizando as dimensões simbólica, ética, ecológica e cultural.

A obra ganha significado singular por conter práticas pedagógicas inspiradoras, destinadas aos educadores que almejam transpor as fronteiras do espaço limitado da sala de aula para os amplos laboratórios a céu aberto, presentes em diferentes espaços não formais, adaptáveis à miríade de ecossistemas existentes nos diversos biomas brasileiros. Recomendo a leitura a todos aqueles que depositam fortes esperanças na educação e nas crianças. Afinal, o futuro pertence a elas!

Maria do Socorro Rodrigues Ibañez

Professora titular do Departamento de Ecologia da Universidade de Brasília

LISTA DE SIGLAS

Sumário

INTRODUÇÃO

1

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

1.1 Ressignificando o olhar sobre os recursos hídricos: a água como elemento vital

1.2 A crise hídrica: relação homem e água

1.3 Descobrindo a história social do ser criança

1.3.1 Mergulhando na educação infantil e meio ambiente

1.4 O aflorar de sentimentos nas crianças pequenas

1.5 O ensino de ciências e sua inserção na educação infantil

1.6 Tecendo o conceito de pertencimento ao meio ambiente

1.7 A sequência didática e seu uso na educação infantil

1.8 Desenvolvendo indicadores como subsídio para interpretar sinais de pertencimento

1.9 Navegando nos espaços educativos de ensino

2

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS 

2.1 Tipo de abordagem

2.2 Instrumentos e técnicas da pesquisa

2.3 Sujeitos da pesquisa

2.4 Locais de estudo

2.4.1 CMEI Professora Maria de Fátima Marques Campos

2.4.2 Previdenciário Clube do Amazonas

2.4.3 Parque Municipal do Mindu

2.5 Instrumento de coleta e análise de dados

2.5.1 Sistematizando Indicadores de Pertença

2.6 Aspectos éticos

3

RESULTADOS E DISCUSSÃO

3.1 O trabalho das professoras na sala de referência

3.1.1 Metodologias utilizadas na sala de referência

3.1.2 Práticas pedagógicas voltadas para o

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Despertando o Sentimento de Pertença nas Crianças em Relação à Água

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor