Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Guia de elaboração de projetos audiovisuais: Leis de Incentivo e Fundos de Financiamento

Guia de elaboração de projetos audiovisuais: Leis de Incentivo e Fundos de Financiamento

Ler a amostra

Guia de elaboração de projetos audiovisuais: Leis de Incentivo e Fundos de Financiamento

notas:
1/5 (1 nota)
Duração:
436 páginas
3 horas
Lançados:
16 de mai. de 2019
ISBN:
9788582178485
Formato:
Livro

Descrição

O momento do audiovisual no Brasil é de grandes oportunidades. O desenvolvimento de políticas em favor do cinema e da produção independente de televisão nos últimos 12 anos criou um ambiente positivo, onde vemos a emergência de polos de produção em todo o Brasil. Este GUIA DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS – LEIS DE INCENTIVO E FUNDOS DE FINANCIAMENTO, que o leitor tem mãos, é uma caixa de ferramentas muito útil para um empreendedor audiovisual que deseja antenar-se com esse novo momento. Ser produtor audiovisual hoje implica em navegar bem nesse novo ambiente legal, regulatório e econômico. E compreender o peso das políticas públicas criadas pelo Ministério da Cultura/ANCINE, RioFilme e, mais recentemente, Spcine, nesta última década.
Lançados:
16 de mai. de 2019
ISBN:
9788582178485
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Guia de elaboração de projetos audiovisuais

Livros relacionados

Amostra do livro

Guia de elaboração de projetos audiovisuais - Guilherme Fiuza Zenha

1. ELEMENTOS CRIATIVOS

Para desenvolver um projeto audiovisual é necessário criar uma série de ELEMENTOS CRIATIVOS que, juntos, possibilitem a compreensão total do que será a obra audiovisual pretendida e de como ela será realizada.

Cada tipo de projeto audiovisual – seja ele um filme ou uma série – demanda elementos criativos diferentes. São textos que falam sobre a história, o enredo, os personagens, a abordagem, a curva dramática, a estética etc.

Cada edital e/ou fonte de financiamento demanda elementos criativos diferentes e tem expectativas distintas em relação ao conteúdo de cada texto. Por isso pode ser necessário construir versões diferentes de um mesmo elemento criativo para um mesmo projeto.

As informações sobre um projeto são complementares, e algumas, às vezes, aparecem em Elementos criativos diferentes. Observe cada edital e verifique se todas as demandas estão contempladas no seu texto.

A partir de um levantamento amplo de editais lançados nos últimos anos, no Brasil, detalhamos a seguir quais são e o que devem conter os elementos criativos de um projeto. Alguns elementos são comuns a qualquer obra audiovisual, seja ela um filme de curta, média ou longa-metragem, ou ainda, uma série. Outros elementos são específicos para projetos do tipo ficção, animação, documentário ou formato.

1.1. ELEMENTOS COMUNS

Alguns ELEMENTOS CRIATIVOS são comuns a quase todos os tipos de obras audiovisuais. Contudo, ao elaborar esses textos, tenha atenção às especificidades citadas a seguir para projetos de ficção, animação, documentário ou formato.

1.1.1. OBJETIVO

A construção do OBJETIVO do projeto facilita a elaboração de vários outros elementos criativos, tais como Público Alvo, Resumo do Projeto, Apresentação e Justificativa.

Informe de maneira clara e sucinta de que se trata o projeto: título, tipo (ficção, documentário, animação, formato etc.), formato (curta, média ou longa-metragem, série etc.), número de episódios (caso seja uma série), duração prevista (minutagem total do filme ou dos episódios), público alvo e janela principal de exibição (sala de cinema, TV Paga, TV Aberta, VOD, internet etc.).

Diga o que pretende realizar com o projeto: metas e resultados que espera atingir em termos de público. Também é importante esclarecer a compatibilidade entre os objetivos e as estratégias de realização, além dos custos necessários para sua realização.

Deixe claro ainda como o objetivo do projeto se ajusta às exigências estabelecidas no regulamento da área pretendida do edital no qual o projeto será inscrito. Muitas vezes, os fundos, patrocinadores e leis de incentivo (federais, estaduais e municipais) têm mais de uma área de atuação e patrocínio, tais como Audiovisual, Teatro, Patrimônio, Música etc.

Exemplo:

O objetivo deste projeto é a produção de um filme de longa-metragem de ficção, intitulado O MENINO NO ESPELHO, baseado na obra homônima de Fernando Sabino, com duração prevista de 80 minutos, com um custo de produção estimado em R$ 4 milhões, finalizado em 35mm, com foco no público infanto-juvenil.

A janela prioritária de exibição do filme é o circuito de salas de cinema, com expectativa de 1 milhão de espectadores. As janelas secundárias pretendidas são festivais de cinema, Home Video (DVD e/ou Blu Ray), VOD (Video On Demand), TV Fechada e TV Aberta, nos mercados brasileiro e internacional.

Projeto: O MENINO NO ESPELHO

1.1.2. PÚBLICO ALVO

A descrição do PÚBLICO ALVO é um texto que explica quem vai se interessar pelo projeto e querer ver a obra quando ela estiver disponível para o público. Os elementos principais que descrevem o público alvo são: gênero (feminino e/ou masculino), classe socioeconômica (A, B, C e/ou D) e faixa etária dos possíveis espectadores da obra. A faixa etária pode ser definida de forma mais abrangente, dizendo que a obra é direcionada ao público infantil, infanto-juvenil, jovem, adulto e/ou terceira idade. Ou pode ser definida de maneira mais detalhada dizendo, por exemplo, que o público alvo são pessoas entre 18 e 40 anos de idade.

Para definir essas questões é necessário pesquisar o Público Alvo pretendido, entender como ele se comporta e do que ele gosta. No caso de uma produção para o público infantil, é importante ter a colaboração de um consultor especializado, ou de um pedagogo, que ajude a entender quais são os interesses específicos de cada faixa-etária e a adequação do conteúdo àquele público.

A partir da definição do Público Alvo é possível estabelecer os editais nos quais o projeto terá melhor aceitação, o perfil de possíveis patrocinadores e os veículos onde ele pode vir a ser exibido.

Exemplo:

O MENINO NO ESPELHO pretende ter classificação livre, podendo ser considerado um filme para toda a família. Dentro do público infanto-juvenil, temos como principal target crianças de 7 a 11 anos. Quanto à classe socioeconômica, o filme é destinado às classes A, B e C. A partir do momento em que o filme transitar em outras mídias, como a TV aberta, ampliaremos esse perfil, pois o projeto possui poder de comunicação com todas as classes socioeconômicas.

Projeto: O MENINO NO ESPELHO

1.1.3. LOGLINE

A LOGLINE é a frase que representa a obra audiovisual. É um texto de poucas palavras, que funciona como cartão de visitas do projeto. Ela apresenta o esqueleto principal da história em um resumo do seu potencial dramático e é de fácil e rápida compreensão. A logline deve ser instigante e conter uma boa dose de sedução para quem ela será apresentada.

Em alguns editais a logline é chamada também de Storyline.

Exemplo:

O modo de vida do interior do Brasil no século XIX, reconstituído a partir da análise da caderneta de encomendas do Tropeiro João da Cruz.

Projeto: TROPEIROS

Produtora: Fazenda Filmes

Autor: Aluísio Salles Jr.

1.1.4. RESUMO DO PROJETO

O RESUMO DO PROJETO é um texto curto com cerca de cinco linhas. Ele deve conter título da obra, tipo (ficção, animação, documentário ou formato), formato (curta, média ou longa-metragem, série etc.), número de episódios (caso seja uma série), duração prevista (minutagem total do filme ou dos episódios), janela principal de exibição e versão sintética da sinopse.

Em alguns editais o resumo do projeto também pode ser chamado de Resumo Publicável, pois é o texto que será utilizado como peça de identificação e/ou divulgação do projeto quando contemplado.

Exemplo:

O projeto aqui apresentado prevê a produção de um longa-metragem de ficção, voltado para público infanto-juvenil, intitulado O MENINO NO ESPELHO, baseado na obra homônima de Fernando Sabino, com duração aproximada de 80 minutos, tendo como janela prioritária o circuito de salas de cinema. O filme narra a incrível história de um garoto que vê sua imagem refletida no espelho tornar-se real.

Projeto: O MENINO NO ESPELHO

1.1.5. APRESENTAÇÃO

É por meio da APRESENTAÇÃO que a Comissão de Seleção e/ou o patrocinador podem entender – de forma rápida e direta – a proposta integral do projeto. Seja claro e objetivo, incluindo apenas as informações essenciais ao entendimento do projeto.

Faça uma síntese com título da obra, tipo (ficção, animação, documentário ou formato), formato (curta, média ou longa-metragem, série etc.), número de episódios (caso seja uma série), duração prevista (minutagem total do filme ou dos episódios), público alvo e janela principal de exibição. Descreva de modo sucinto o histórico (origem do projeto e premiações já obtidas) e o objetivo. Acrescente tema, motivação (o que levou ao desenvolvimento do projeto), premissa (o assunto abordado na obra, com o impulso dramático que move a história) e relevância.

Se for um projeto que prevê produtos, atividades, formatos em múltiplas plataformas ou desdobramentos da obra principal em outras janelas de exibição, é necessário apresentar o conceito unificador deles.

No caso de projetos de ficção, a apresentação também deve conter gênero dramático (drama, comédia, suspense etc.), tom (drama, comédia, suspense etc.), resumo do enredo com conflito central e previsão de desfecho.

Para projetos de animação, acrescente a descrição do universo e suas leis, relação entre personagens, estilo visual e técnica a ser utilizada.

No caso de projetos de documentário, a apresentação deve conter a descrição do objeto principal a ser abordado pela obra, a abordagem geral do tema e o estilo documental.

É fundamental destacar os resultados concretos a serem obtidos com a execução da obra. Isso ajuda a situar a Comissão de Seleção ou o patrocinador quanto às dimensões e ao potencial do projeto, bem como suas principais qualidades e diferenciais competitivos, em termos de impacto cultural, atração de público e resultado comercial.

Concentre-se em descrever o conteúdo específico do projeto, evitando dissertar sobre as referências visuais, teóricas e conceituais que lhe dão suporte. A não ser que o edital peça especificamente que essas informações sejam incluídas na apresentação do projeto.

Em alguns editais a apresentação também pode ser chamada de Descrição do Projeto, Conceito Geral da Obra ou Proposta de Obra Cinematográfica.

Exemplo:

O MENINO NO ESPELHO é um projeto de longa-metragem de ficção, com duração prevista de 80 minutos, um custo de produção estimado em R$ 4 milhões, finalizado em 35mm, que tem como janela prioritária de exibição o circuito de salas de cinema.

O filme é um drama, com tom de comédia, voltado para o público infanto-juvenil, que conta a incrível história de um garoto que vê a sua imagem refletida no espelho ganhar vida. Fernando ganha um clone chamado Odnanref, seu nome ao contrário, que passa a fazer todas as tarefas chatas em seu lugar, como enfrentar o valentão da escola ou ficar de castigo trancado dentro de casa.

Essa é a trama central do longa-metragem O MENINO NO ESPELHO, que tem como premissa básica que é preciso não deixar nunca de ser criança! Com uma história de muita aventura, humor e emoção, o filme trata de valores universais como a infância, a amizade e a descoberta do amor.

No desfecho da trama, Fernando tem a primeira desilusão amorosa. É o começo do fim do menino e marca o início do processo de amadurecimento. É o menino que se torna homem.

O roteiro é adaptado da obra homônima de Fernando Sabino, um dos mais reconhecidos autores brasileiros. Com mais de 70 edições publicadas, este livro é adotado até hoje em inúmeras escolas pelo Brasil, habitando o imaginário de várias gerações como forte referência dos tempos de infância.

O roteiro do filme conecta-se com o público de forma emocionante e contundente. A motivação desta adaptação não é a reprodução de uma obra literária, mas a transposição de um estado de espírito sempre presente no menino Fernando. Em um tempo que vivemos com tanta tecnologia e tão pouca imaginação, O MENINO NO ESPELHO nos apresenta um mundo de fantasia a ser explorado. Sentimentos e sensações tão humanos, tão simples e absolutamente indispensáveis.

Dirigido por Guilherme Fiuza Zenha e com produção da Camisa Listrada, o projeto do filme foi selecionado para importantes encontros de coprodução e laboratórios de roteiro no Brasil e no Exterior, como o Mannheim-Meetings (Alemanha), Produire au Sud (França) e Laboratório Sesc de Roteiros Infanto-juvenis. Além disso, recebeu o apoio do Programa Ibermedia na categoria desenvolvimento, venceu o Pitching no Cine-Ceará em 2009, o que resultou em um apoio de mídia para o seu lançamento, e o Pitching da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis em 2010, o que levou o projeto a ser apresentado no BUFF Film Festival na Suécia em 2011.

Nosso projeto, quando finalizado, terá apelo para distribuição nacional e internacional, pois o filme possui a infância como tema central, tendo como alvo o público infanto-juvenil, grande consumidor de cinema em todo mundo. Pouco abordado no Brasil, sendo a exceção as produções blockbusters norte-americanas, esse público foi atingido apenas por algumas iniciativas isoladas como por exemplo as séries TAINÁ, MENINO MALUQUINHO e o recente O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS.

Projeto: O MENINO NO ESPELHO

1.1.6. JUSTIFICATIVA

A JUSTIFICATIVA é um texto de defesa do projeto, citando sua relevância e características únicas, que venham a ressaltar sua qualidade e a importância de sua produção.

Elabore a justificativa tendo como objetivo responder as seguintes questões:

• Qual foi sua motivação para propor o projeto?

• Que circunstâncias favorecem sua execução?

• Como o projeto atende aos critérios de seleção e qualificação pedidos pelo edital?

• Qual o diferencial do projeto? Ex: ineditismo, pioneirismo, resgate histórico etc.

• Porque ele deve ser realizado?

Lembre-se de que os temas propostos pelo seu projeto nem sempre são de conhecimento dos membros das Comissões de Seleção. Por mais qualificados que sejam, nem sempre eles estão contextualizados com o caráter regional, temático e/ou o ineditismo da proposta. Portanto, escreva a justificativa pensando que seu leitor não tem nenhum tipo de informação sobre o tema ou personagem abordado pelo projeto.

Exemplo:

Esse texto veio enriquecer a literatura brasileira com um novo personagem. Tom Sawyer, Mogli, Alice, Gulliver, Pinocchio e o Pequeno Príncipe ganharam um companheiro entre nós: o menino Fernando.

Essa citação, retirada da orelha do livro O Menino no Espelho, representa bem o alcance desse fascinante personagem inspirado nas memórias pessoais da infância do escritor mineiro Fernando Sabino. Com 50 livros escritos, como também contos e ensaios, Sabino era um autor com profunda sensibilidade para observar a alma humana e soube como poucos transpor o mundo mágico da infância para a literatura.

O escritor deixou uma marcante e significativa obra, onde destacamos o romance Encontro Marcado, que o projetou nacional e internacionalmente, e O Grande Mentecapto e O Homem Nu, que tornaram-se filmes de sucesso no Brasil. Assim como outros livros do autor, O Menino no Espelho é um sucesso editorial que, acreditamos, se repetirá nas telas de cinema.

A adaptação desse livro para o cinema mostra-se como uma grande oportunidade para levarmos um texto de rara beleza e fantasia para o grande público. Temos hoje dentro do mercado audiovisual uma carência de filmes brasileiros voltados para o público infanto-juvenil. E a relevância da realização do longa-metragem O MENINO NO ESPELHO se dá pelo fato dele possuir qualidades para ocupar parte dessa lacuna.

Estamos certos de que temos no Brasil excelente matéria prima para realizarmos um cinema inventivo e atrativo para esse público. Ao produzirmos esse filme temos também como objetivo a valorização da nossa cultura, promovendo o cinema como uma das alavancas para despertar nas crianças e jovens o encantamento pela leitura.

Quando finalizado, o longa-metragem O MENINO NO ESPELHO terá apelo para distribuição nacional e internacional, pois o filme possui a infância como tema central, tendo como alvo o público infanto-juvenil, grande consumidor de cinema em todo mundo. Pouco abordado no Brasil, sendo a exceção as produções blockbusters norte-americanas, esse público foi atingido apenas por algumas iniciativas isoladas como por exemplo as séries TAINÁ, MENINO MALUQUINHO e o recente O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS.

Projeto: O MENINO NO ESPELHO

1.1.7. SINOPSE

A SINOPSE de um projeto audiovisual é uma descrição abreviada, uma apresentação concisa da estrutura narrativa essencial da história (incluindo o conflito, se houver) e dos personagens principais, quando for o caso.

Uma boa sinopse deve prender a atenção do leitor, fazer com que ele deseje saber mais, despertar a curiosidade de ler o argumento e o roteiro. Lembre-se de que os membros da Comissão de Seleção têm uma vastidão de projetos para avaliar em curto prazo. Logo, temos que despertar interesse rapidamente.

A sinopse tem uma estrutura claramente organizada, de construção lógica e cronológica. É um resumo do Argumento. O propósito principal dessa simplificação é deixar claro os principais pontos da obra, que usualmente são extensos. Portanto, o leitor pode, através da sinopse, adquirir a essência da história em menos tempo de leitura.

Para projetos de documentário, a sinopse deve conter uma descrição breve do objeto a ser abordado (personagens reais, material de arquivo, manifestações da natureza etc.) e a estratégia de abordagem.

No caso de Reality Show, a sinopse deve apresentar as dinâmicas pré-determinadas de interação entre os personagens reais participantes.

Para programa de variedades ancorado por apresentador, a sinopse deve conter a estrutura essencial do programa com indicação do perfil do apresentador e das situações, dinâmicas, quadros e/ou entrevistas.

O ideal é desenvolver três versões da sinopse: uma breve (cerca de 1.000 caracteres), uma curta (1 página, cerca de 2.500 caracteres) e uma longa (3 páginas, cerca de 7.500 caracteres). Normalmente os editais pedem um desses formatos. Para a contagem, sempre considere caracteres com espaços.

1.1.8. ARGUMENTO

A construção da ideia de uma obra audiovisual acontece a partir da elaboração do Argumento. Ele é peça fundamental de um projeto, um objeto de sedução das Comissões de Seleção, logo o Argumento deve ser arrebatador. A partir dele elabora-se o roteiro.

O ARGUMENTO é um texto corrido que se assemelha a um conto literário. Normalmente não tem diálogos nem divisão de sequências, mas, por exemplo, se os diálogos forem importantes para esclarecer os traços típicos do gênero da obra, podem ser incluídos.

Para projetos de ficção ou animação, o argumento deve conter o desenvolvimento dramatúrgico, um resumo da trama da obra audiovisual, localizando-a no tempo e no espaço, abordando o tom e a relação entre os personagens. Se for pertinente, destaque os grandes blocos narrativos da história, o jogo de pontos de vista, eventuais intervenções não-dramáticas e a relação ou a importância dessas intervenções com a trama.

No caso de projetos de documentário, o argumento deve apresentar a visão sobre o tema, localizando-o no tempo e no espaço. Deve, ainda, relacionar o objeto principal a ser abordado, a estratégia de abordagem e a sugestão de estrutura.

Para um Reality Show, o argumento deve conter a descrição dos arranjos originais de criação técnica, artística e econômica necessários à realização da obra audiovisual.

No caso de um programa de variedades ancorado por apresentador, o argumento descreve a dinâmica de atuação do apresentador, além das situações, dinâmicas de funcionamento, quadros e/ou as entrevistas que constituem o programa.

Os editais de Desenvolvimento de Projeto (que financiam a escrita do roteiro, bem como despesas inerentes a essa fase, tais como, pesquisa histórica ou de personagens, equipe técnica, consultores, compra de direitos autorais, criação das peças de venda, pesquisa de opinião etc.) costumam solicitar argumentos mais extensos. Já os editais que financiam a produção das obras normalmente solicitam argumentos mais curtos.

O tamanho do argumento pode variar de um mínimo de 3 a um máximo de 20 páginas, ou um mínimo de 14.000 a um máximo de 28.000 caracteres. Diante dessas variações, o ideal é elaborar um argumento completo, com 20 páginas. A partir desse texto, faça outras três versões: com 13, 6 e 3 páginas.

1.1.9. CONCEPÇÃO DE LINGUAGEM AUDIOVISUAL

A CONCEPÇÃO DE LINGUAGEM AUDIOVISUAL é um texto totalmente voltado para a parte criativa da obra. Ele deve conter a visão do criador sobre o projeto – incluindo sua motivação para realizá-lo –, a abordagem a ser adotada, a linguagem audiovisual pretendida e a descrição dos aspectos estéticos relevantes à narrativa.

Dependendo da obra e do que é pedido especificamente por cada edital, esse texto pode conter o detalhamento das experimentações, inovações ou pesquisa de linguagem e estética; uma defesa da relevância artística da obra, aspectos técnicos, equipamentos e/ou materiais relevantes à linguagem; como o criador vê os personagens, a fotografia, os cenários e/ou locações, a direção de arte, os efeitos especiais e a trilha sonora; o ritmo e o estilo de montagem; quais serão a técnica e o estilo da animação; e a capacidade da obra de dialogar com um público alvo.

Ao desenvolver a concepção de linguagem audiovisual o criador deve ser autêntico, sem muitas citações. Fale objetivamente da obra que pretende realizar. Referências teóricas, estéticas, visuais, sonoras e de linguagem só devem ser incluídas quando solicitadas, pois elas podem ser vistas como pernósticas ou prepotentes. Além disso, existe sempre a possibilidade de um membro da Comissão de Seleção ou patrocinador não ser entusiasta da sua referência preferida, o que pode vir a prejudicar a avaliação do seu projeto.

Em alguns editais a Concepção de Linguagem Audiovisual também pode ser chamada de Proposta Estética e de Linguagem, Notas do Diretor ou Tratamento de Direção.

Exemplo:

O MENINO NO ESPELHO é a adaptação para o cinema da obra homônima de um dos mais reconhecidos e lidos autores brasileiros. Com dezenas de livros publicados, o mineiro Fernando Sabino (1923-2004) escreveu crônicas – é considerado um mestre do gênero –, contos e romances.

Marcada por um profundo e emocionante lirismo, a história do livro O Menino no Espelho baseia-se na infância do autor. Com uma profunda sensibilidade para observar a alma humana, de uma forma absolutamente visual, Fernando Sabino soube como poucos transpor para a literatura o mundo mágico da infância. O roteiro do longa-metragem preserva a pureza e o espírito do menino Fernando e também conecta-se com o público de forma emocionante e contundente.

O MENINO NO ESPELHO é um longa-metragem de drama, com tom de comédia, que nos apresenta o mundo de lirismo e fantasia da infância em contraponto a um tempo que vivemos com tanta tecnologia e tão pouca imaginação. De forma lúdica, o filme, assim como o livro, trata do reencontro do Homem Fernando com o Menino Fernando. Simbolicamente é Fernando adulto que vai encontrar em sua imagem no espelho, a criança ainda que há dentro dele. E, paralelamente, o menino Fernando se

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Guia de elaboração de projetos audiovisuais

1.0
1 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor