Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

O Padre e o Acólito

O Padre e o Acólito

Ler a amostra

O Padre e o Acólito

notas:
4.5/5 (2 notas)
Duração:
65 páginas
49 minutos
Editora:
Lançados:
16 de dez. de 2019
ISBN:
9789898575975
Formato:
Livro

Descrição

"O Padre e o Acólito" é um pequeno conto, publicado anonimamente sob o pseudónimo de “X”, em dezembro de 1894, na revista uraniana "The Chameleon". O engajado editor da revista (hoje diríamos “ativista”) era um estudante de Oxford, chamado John Francis Bloxham. Bloxham conseguiu obter para a sua publicação as contribuições de, entre outros, o já então famoso Oscar Wilde e também de lorde Alfred Douglas. Wilde, conhecedor dos intuitos da nova revista, que se propunha divulgar uma causa que também lhe era cara, não quis deixar de participar, e enviou ao editor um pequeno conjunto de aforismos denominado "Frases e Filosofias para os Jovens". Também determinado na defesa do amor uraniano, Alfred Douglas, “Bosie”, o eterno amado e amante de Wilde, contribuíu com dois poemas inéditos, "In Praise of Shame" e "Two Loves". O poema "Two Loves" termina com o que é, provavelmente, o verso mais citado de toda a poesia de carácter homossexual: “Eu sou o Amor que não ousa dizer o seu nome”.

Nesta edição, a primeira edição em português de "O Padre e o Acólito", complementamos o conto de Bloxham com as contribuições de Oscar Wilde e de Alfred Douglas para o "The Chameleon", para que o leitor possa compreender melhor o espírito de uma época que viu despertar, pela primeira vez, uma identidade que começava a “ousar dizer o seu nome”, uma identidade que seria, pouco depois, emblematicamente esmagada num julgamento que teria repercussão mundial e que acabaria na condenação e na aniquilação da carreira daquele que foi o maior dramaturgo do seu tempo, Oscar Wilde.

Editora:
Lançados:
16 de dez. de 2019
ISBN:
9789898575975
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a O Padre e o Acólito

Livros relacionados

Categorias relacionadas

Amostra do livro

O Padre e o Acólito - John Francis Bloxham

O Padre e o Acólito

John Francis Bloxham

Primeira edição em português,

revista e anotada,

acompanhada de:

Frases e Filosofias para os Jovens

Oscar Wilde

e de:

Dois Poemas

Alfred Douglas

INDEX ebooks

2019

Ficha técnica

Título: O Padre e o Acólito

Autor: John Francis Bloxham

Primeira edição em português, revista e anotada, acompanhada de: Frases e Filosofias para os Jovens, de Oscar Wilde, e de: Dois Poemas, de Alfred Douglas.

Capa: pormenor da fotografia da estátua do Musée d'Orsay, Paris, Tarcisius, martyr chrétien (1868), de Alexandre Falguière. Fotografia de Rama, licenciada ao abrigo da licença Creative Commons Attribution-Share Alike 2.0 France. Fonte: Wikimedia Commons.

Revisão: João Máximo, Luís Chainho e Patrícia Relvas

Data de publicação: 16 de dezembro de 2019

Edição 1.00 de 16 de dezembro de 2019

Copyright © João Máximo e Luís Chainho, 2019

Todos os direitos reservados.

Esta publicação não poderá ser reproduzida nem transmitida, parcial ou totalmente, de nenhuma forma e por nenhuns meios, eletrónicos ou mecânicos, incluindo fotocópia, digitalização, gravação ou qualquer outro suporte de informação ou sistema de reprodução, sem o consentimento escrito prévio dos editores, exceto no caso de citações breves para inclusão em artigos críticos ou estudos.

INDEX ebooks

www.indexebooks.com

indexebooks.com@gmail.com

www.facebook.com/indexebooks

Lisboa, Portugal

ISBN: 978-989-8575-97-5 (ebook)

ISBN: 978-1671839595 (papel)

Introdução

O Padre e o Acólito é um pequeno conto, publicado anonimamente sob o pseudónimo de X, em dezembro de 1894, na revista uraniana¹ The Chameleon: a Bazaar of Dangerous and Smiling Chances (O Camaleão: um Bazar de Possibilidades Sorridentes e Perigosas). O engajado editor da revista (hoje diríamos ativista) era um estudante de Oxford, chamado John Francis Bloxham. Bloxham conseguiu obter para a sua publicação as contribuições de, entre outros, o já então famoso Oscar Wilde e também de lorde Alfred Douglas. Wilde, conhecedor dos intuitos da nova revista, que se propunha divulgar uma causa que também lhe era cara, não quis deixar de participar, e enviou ao editor um pequeno conjunto de aforismos denominado Frases e Filosofias para os Jovens. Também determinado na defesa do amor uraniano, Alfred Douglas, Bosie, o eterno amado e amante de Wilde, contribuíu com dois poemas inéditos, In Praise of Shame e Two Loves. O poema Two Loves termina com o que é, provavelmente, o verso mais citado de toda a poesia de carácter homossexual: I am the Love that dare not speak its name (Eu sou o Amor que não ousa dizer o seu nome).

O enredo de O Padre e o Acólito tem por cenário uma pequena comunidade rural inglesa. Um padre, homem feito e recém-chegado à aldeia, não consegue resistir aos encantos do seu jovem e belo acólito, pelo qual se apaixona. O romance entre o sacerdote e o seu ajudante é breve, mas intenso, e acaba por ser desmascarado pelo reitor da paróquia, com consequências trágicas para os dois apaixonados.

A publicação, em 1894, de um texto sobre uma relação de amor abertamente homossexual, mesmo que feita sob pseudónimo, foi uma atitude de enorme coragem, numa época e num país em que a sodomia era classificada como um crime abominável, o pior dos crimes, segundo alguns,² punível com prisão perpétua. A decisão do autor, de colocar os seus personagens num contexto religioso, associando o amor carnal ao divino, terá sido uma verdadeita provocação, tal como sublinha Neil McKenna:

O Padre e o Acólito era uma história melancólica mas explícita. Não havia

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de O Padre e o Acólito

4.5
2 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor