Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Eros e Psiquê - Apuleio

Eros e Psiquê - Apuleio

Ler a amostra

Eros e Psiquê - Apuleio

notas:
5/5 (1 nota)
Duração:
72 páginas
1 hora
Lançados:
16 de jan. de 2020
ISBN:
9788583864424
Formato:
Livro

Descrição

O mito de Eros e Psiquê, é uma das mais interessantes e debatidas histórias da mitologia grega. Rica em símbolos e alegorias, ela foi recontada por Lucio Apuleio em sua famosa obra: O Asno de Ouro. Os personagens são: Eros, ou Cupido, e Psichê, uma jovem tão bela que causou ciúmes à própria Deusa Vênus. Produzida por apuleio no segundo século depois de Cristo, é um dos mais antigos textos literários que chegaram até os nossos dias e ainda cativa e encanta o leitor.
Lançados:
16 de jan. de 2020
ISBN:
9788583864424
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Eros e Psiquê - Apuleio

Livros relacionados

Amostra do livro

Eros e Psiquê - Apuleio - Lucio Apuleio

cover.jpg

Lúcius Apuleius

EROS E PSIQUÊ

Data estimada de publicação:

Final do Século 2

1a edição

img1.jpg

Isbn: 9788583864424

LeBooks.com.br

A LeBooks Editora publica obras clássicas que estejam em domínio público. Não obstante, todos os esforços são feitos para creditar devidamente eventuais detentores de direitos morais sobre tais obras.  Eventuais omissões de crédito e copyright não são intencionais e serão devidamente solucionadas, bastando que seus titulares entrem em contato conosco.

Prefácio

Prezado Leitor

Eros e Psiquê é um fragmento da obra Metamorfoses, mais conhecida como O asno de Ouro, escrita no século II por Lucius Apuleio.

Apuleio inseriu no contexto de sua obra o mito de Eros e Psiquê,uma das mais interessantes e debatidas histórias da mitologia grega, muito rica em símbolos e alegorias. Os personagens que dão nome à lenda, são: Eros, ou Cupido, e Psichê, uma jovem tão bela que causou ciúmes à própria Deusa Vênus.

Uma excelente leitura.

LeBooks Editora

É impossível manter preso o amor.

Lucio Apuleio

Sumário

APRESENTAÇÃO

Sobre o autor: Lúcio Apuleio

Sobre a obra Eros e Psiquê

CAPÍTULO I

CAPÍTULO II

CAPÍTULO III

CAPÍTULO IV

CAPÍTULO V

CAPÍTULO VI

CAPÍTULO VII

CAPÍTULO VIII

CAPÍTULO IX

CAPÍTULO X

APRESENTAÇÃO

Sobre o autor: Lúcio Apuleio

img2.jpg

Data de nascimento: 125 Data de falecimento: 170

Lucius A. Apuleius ou Lúcio Apuleio foi um escritor e filósofo médio platônico romano. Apuleio nasceu em Madaura, pequena mas importante colônia romana. Sua família, proveniente da Itália, era abastada e influente: o pai fora cônsul, a mais alta magistratura municipal da Roma antiga, e deixara aos dois filhos uma consistente herança de quase dois milhões de sestércios.

Após os primeiros estudos de gramática e retórica transferiu-se para Cartago, onde aprofundou seus conhecimentos de poesia, geometria, música e sobretudo de filosofia, cujos estudos concluiu posteriormente em Atenas. Interessava-se também pelos ritos esotéricos: em Cartago, pelos mistérios de Esculápio, o correspondente romano de Asclépio, o deus grego da medicina e da cura, e, em Atenas, pelos mistérios eleusinos.

Casou-se com uma viúva rica, Emília Pudentila, e foi acusado pelos parentes de sua esposa de haver utilizado magia para obter seu amor. Defendeu-se através de uma célebre Apologia, que se conservou até os nossos dias.

Sua obra mais famosa é Metamorphoseon Libri XI , mais conhecida como O Asno de Ouro. Apuleio escreveu também: Floridas e De Deo Socratis.

Sobre a obra Eros e Psiquê

A narração do mito de Eros e Psiquê é introduzida, no livro IV da obra, O Asno de Ouro, de Apuleio{i}  pela voz de uma velha senhora, a qual consola uma moça que havia sido raptada por ladrões. Em posse desses ladrões, estava Lúcio, em corpo de asno, que também ouve o relato.

A história do mito inicia em uma dada cidade onde havia um rei e uma rainha com suas três filhas: duas delas de rara beleza mortal, e a outra, mais moça, de beleza sem igual na terra. Psiquê possuía uma beleza tão divina, que passou a ser comparada com a da deusa Vênus. Ao saber das adorações e sacrifícios que o povo devota à mortal Psiquê, Vênus sente-se afrontada e designa seu filho Eros para executar sua vingança.

Devido à sua beleza divina Psiquê, não recebia nenhum pedido para ser desposada e isso era a causa de sua grande tristeza. Suas irmãs, entretanto, já haviam se casado com reis. No desejo de acabar com a insatisfação da filha, o rei dirige-se até o templo de Apoio, temendo que sobre ela houvesse recaído alguma maldição. Para o terror do pai, o oráculo confirma seu temor dizendo que a moça deveria celebrar seu funéreo himeneu com um monstro viperino, alado e imortal, o qual causa pavor nos deuses, até mesmo em Júpiter.

Psiquê, obedecendo ao oráculo, vai até um rochedo, acompanhada por todo o povo, para encontrar o seu destino. Então...

A partir dai se desenvolve uma emocionante história que o leitor irá desvendar e saborear a partir de agora.

EROS E PSIQUÊ

CAPÍTULO I

Uma  velha mãe, comovida de piedade das lágrimas da donzela, que estava presa, contou-lhe uma fábula para ocupá-la que não chorasse.

–– Havia em uma cidade um rei e uma rainha, tinham três filhas muito formosas: das quais, duas as maiores, como eram formosas e bem dispostas, podiam ser elogiadas por louvores de homens; mas a menor, era tanta sua formosura, que não bastam palavras humanas para poder exprimir, nem suficientemente elogiar sua beleza. Muitos de outros reinos e cidades, aos quais a fama de sua formosura ajuntavam, espantados com admiração de sua tão grande formosura, onde outra donzela não podia chegar, pondo suas mãos à boca e os dedos estendidos, assim como à deusa Vênus, com suas religiosas adorações, honravam-na e adoravam-na. Já a fama corria por todas as cidades e regiões próximas; que esta era a deusa Vênus, a qual nasceu nas profundezas do mar e o rocio de suas ondas a criou. E diziam deste modo

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Eros e Psiquê - Apuleio

5.0
1 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor