Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Bíblia da Oração: Uma ferramenta fundamental para a edificação espiritual

Bíblia da Oração: Uma ferramenta fundamental para a edificação espiritual

Ler a amostra

Bíblia da Oração: Uma ferramenta fundamental para a edificação espiritual

notas:
4/5 (9 notas)
Duração:
3.755 páginas
68 horas
Lançados:
28 de jan. de 2020
ISBN:
9788576895732
Formato:
Livro

Descrição

A Bíblia da Oração é resultado de anos de estudos do Dr. Morris Cerullo sobre uma ferramenta imprescindível à comunhão com Deus: a oração. A obra, uma edição especial que contém comentários ao longo dos livros bíblicos, foi preparada para que os leitores sejam edificados espiritualmente e possam desfrutar da unção divina liberada por meio da oração.

O Dr. Morris Cerullo se preocupou em explicar os tipos e estágios de oração nos artigos introdutórios. Nessa seção, também há dicas dele sobre os obstáculos a serem superados na oração, instruções sobre como utilizar os recursos dessa Bíblia e sobre como estabelecer um programa de oração diário e eficaz.

Outros recursos disponíveis na Bíblia da Oração — como um índice no início de cada livro apresentando os tópicos abordados e as referências bíblicas — também facilitam o estudo. Durante a leitura, é possível encontrar, ainda, versículos destacados, com símbolos e legendas indicando o episódio relacionado à oração. Mais de 1.000 tópicos, 200 tabelas e diagramas com comentários estendidos sobre essas passagens, estudos sobre perfis de personagens bíblicos que foram poderosos na oração e um apêndice com um ensino suplementar são encontrados nessa obra de Morris Cerullo.
Lançados:
28 de jan. de 2020
ISBN:
9788576895732
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Bíblia da Oração

Livros relacionados

Amostra do livro

Bíblia da Oração - Dr. Morris Cerullo

Cerullo

EVANGELISMO MUNDIAL MORRIS CERULLO

DECLARAÇÃO DA MISSÃO

• Levar a mensagem salvadora e curadora de Jesus Cristo a todas as nações e ilhas da terra.

• Proclamar o evangelho de Jesus Cristo a todas as pessoas da nossa geração.

• Edificar, treinar e fortalecer os cristãos de cada nação.

• Dirigir escolas para ministros do evangelho, com o propósito de passar a unção que Deus concedeu a Morris Cerullo a outros, a fim de que eles possam alcançar sua vila, sua comunidade, sua cidade e sua nação para Cristo.

• Apresentar a todo judeu o testemunho de que Jesus é o Messias.

• Tirar o máximo proveito da tecnologia, treinar pessoas e usar os recursos que Deus forneceu para a propagação do evangelho.

• Construir para Deus, em todas as nações, um exército poderoso e ativo de cristãos treinados com o propósito de subjugar as trevas e propagar a luz do evangelho de Cristo.

• Estabelecer uma cobertura de oração sobre toda a terra com centros de oração em locais estratégicos aonde as pessoas possam ir fazer continuamente orações pelas nações.

• Fornecer Centros de Comando de Oração em casas nas quais os indivíduos e as massas aflitas do mundo saberão que somos discípulos do Senhor.

• Reconhecer e apoiar a união no Corpo de Cristo, para que o mundo saiba que somos discípulos do Senhor.

• Operar, articular e demonstrar ao mundo os cinco ministérios da Igreja (conforme definidos em Efésios 4.11) para o aperfeiçoamento dos santos, visando ao trabalho do ministério e à edificação do Corpo de Cristo.

• Trazer honra e glória a Deus em tudo o que fazemos e dizemos tanto individual como ministerialmente, como entidade corporativa.

A ORAÇÃO MUNDIAL E O CENTRO DE COMUNICAÇÃO

A Oração Mundial e o Centro de Comunicação, em San Diego, Califórnia (EUA), são dedicados a levantar uma cobertura de oração sobre todo o mundo. Intercessores treinados estão disponíveis o dia todo para orar, crendo em Deus para prover suas necessidades. Você não precisa enfrentar sozinho suas circunstâncias. A ajuda está a apenas um telefonema de distância.

Essa bela instalação tem uma adorável capela de oração, salas de aula em que os intercessores são treinados, múltiplas linhas telefônicas para receber sua chamada e uma bonita réplica do Muro das Lamentações de Israel, diante do qual os guerreiros de oração podem interceder.

Periodicamente, aulas de oração e intercessão são conduzidas lá com ensino sobre os vários tipos de oração, estratégia espiritual de guerra com oração e louvor, intercessão profética, louvor e adoração, oração de evangelismo, desenvolvimento de um ministério de oração e muito mais.

Os membros da equipe de Morris Cerullo também se reúnem semanalmente para um culto e para orar pelas necessidades dos parceiros no mundo todo que escreveram, enviaram e-mail ou telefonaram.

Se você precisa de cura, restauração em seu casamento, em suas finanças, libertação de um vício ou tem alguma necessidade espiritual, o telefone é seu ponto de contato. Ligue para 1-858-435-7546, e diga qual é seu pedido de oração. Acreditaremos com você em um milagre.

NOTA DO EDITOR

Tenho o privilégio de estar associada ao ministério de Evangelismo Mundial Morris Cerullo em várias posições há mais de 30 anos. No passado, viajei com Morris e Theresa Cerullo para vários países e testemunhei pessoalmente o tremendo impacto que o ministério deles causou na vida de milhões de pessoas pelo mundo.

As estratégias que você aprenderá na Bíblia da Oração foram testadas e comprovadas nos campos de batalha espiritual deste mundo. Elas não são apenas teorias ou boas ideias. Esta Bíblia contém ensinamentos fundamentais sobre a oração que capacitaram o Dr. Morris Cerullo a alcançar multidões com o evangelho e a treinar centenas de líderes cristãos de todo o mundo.

Além da Bíblia da Oração, encorajo-o a visitar o site www.mcwe.com ou a escrever para a sede do ministério, para pedir informação sobre como receber os dois livros clássicos sobre oração escritos por Morris Cerullo: The Last Great Anointing [A última grande unção] e Senhor, ensina-nos a orar [publicado em português pela Editora Central Gospel]. Essas revelações, combinadas com a Bíblia da Oração, irão capacitá-lo a entrar numa nova dimensão de autoridade na oração, vivência da consumação dos séculos, unção para a oração profética, aprendizado de estratégias que o capacitam a apoderar-se do impossível, conhecimento de uma fonte de poder sobrenatural e de aplicação de poderosos princípios bíblicos de intercessão.

Talvez você também queira obter The Prophecy Bible [A Bíblia de profecia], The Healing Bible [A Bíblia de cura] e a Bíblia de estudo batalha espiritual e vitória financeira — publicações anteriores lançadas pelo Evangelismo Mundial Morris Cerullo [esta última Bíblia foi publicada pela Editora Central Gospel] —, a fim de completar sua coletânea de Bíblias.

Também o encorajo a enviar seu pedido de oração para o Dr. Cerullo e sua equipe ungida de ministros de oração. Eles elevarão fielmente suas necessidades ao trono de Deus e intercederão a seu favor.

Uma das características desse ministério é que o Dr. Cerullo tem a habilidade concedida por Deus de transferir a unção que o Senhor lhe deu para os outros. Da mesma maneira que Moisés transferiu uma porção do Espírito que estava sobre ele para os anciãos [e Eliseu recebeu porção dobrada do Espírito que estava sobre Elias], essa mesma transferência ocorre quando você estuda esta Bíblia. Apenas abra seu espírito para o poder do Espírito Santo e receba-o!

Dra. Patricia Hulsey

Editora da Bíblia da Oração

SÍMBOLOS USADOS NA BÍBLIA DA ORAÇÃO

Indica oração, louvor, ação de graças ou adoração elevada a Deus.

Indica oração respondida

Chaves para oração

Obstáculos à oração

Pedido de oração

Promessas de oração: promessas pertinentes à oração

Oração proibida: nas passagens selecionadas, Deus proíbe a oração por determinados motivos

Referências para jejuar

Poderosos na oração: há comentários especiais sobre heróis bíblicos que foram poderosos na oração. Eles são mencionados em toda a Bíblia e indicados por esse símbolo.

COMO USAR A BÍBLIA DA ORAÇÃO

Oração inicial: se você é novo na prática da oração, comece com a oração inicial. Mesmo que você seja maduro na oração, certamente se beneficiará com essa revisão básica.

Temas específicos: em toda a Bíblia, use o símbolo posto na margem para estudar um tema específico. Por exemplo, talvez você queira estudar oração e oração respondida, chaves para oração, obstáculos à oração, pedido de oração, promessas de oração e circunstâncias em que a oração foi proibida. Por favor, perceba que oração é definida como comunicação com Deus por meio de intercessão, confissão, arrependimento, louvor e adoração. É uma comunicação de mão dupla entre o homem e Deus. Em muitas referências bíblicas, sobretudo nos livros dos profetas do Antigo Testamento, Deus inicia o contato com o homem e dá-lhe revelação profética e/ou instruções diretas. Uma vez que a iniciativa desse contato coube a Deus, e não ao homem, e esses contatos com frequência não incluíram uma comunicação de mão dupla, não são consideradas passagens relacionadas com a oração e não são citadas como tal na Bíblia da Oração. (Se você estiver interessado em profecia, contate o ministro e obtenha uma cópia de The Prophecy Bible [A Bíblia de profecia] do Evangelismo Mundial Morris Cerullo.)

Comentários estendidos: comentários estendidos sobre as passagens selecionadas estão localizados perto da passagem com a qual se relacionam. Esses comentários incluem percepções poderosas extraídas de ensinamentos clássicos de Morris Cerullo, como The Last Great Anointing [A última grande unção] e Senhor, ensina-nos a orar, A oração de Jabez e outros materiais relacionados à oração desenvolvidos ao longo de meio século de ministério ungido e sobrenatural.

Série Poderosos na oração: leia a Bíblia estudando os comentários especiais sobre os heróis bíblicos que foram poderosos na oração.

Assuntos específicos relacionados com a oração: na seção Apêndices, você pode estudar os seguintes assuntos relacionados com a oração:

A série Oração por inclui:

Oração por seu cônjuge

Oração por seus filhos

Oração pelos seus entes queridos não salvos

Oração por sua igreja e seu ministério

Oração por suas finanças

Oração por orientação

Oração por cura e libertação

Oração por avivamento

Oração por seu governo, sua cidade, seu estado e/ou país

Oração pelo Evangelismo Mundial Morris Cerullo

Oração pelos prisioneiros em geral e os que foram presos por causa do evangelho

Oração internacional

Oração por Israel

Oração pela Igreja perseguida

Oração pelo mundo

Oração pelas promessas

Oração em nome de Jesus

Oração para estratégias de guerra

Adoração

Jejum

Jesus, nosso Intercessor

Chaves de oração pelo poder de aliança

Oração estratégica da caminhada

Mapeamento espiritual

Centros de comando de oração

Palavras relacionadas à oração na Bíblia

Todas as orações da Bíblia

Leia toda a Bíblia: em algum momento, você deve desejar ler a Bíblia inteira, de Gênesis a Apocalipse, para que possa receber o ensinamento completo da Bíblia da Oração.

Devoções diárias: a Bíblia da Oração é um texto excelente para grupos de estudo, quer seja um pequeno grupo em casa, uma classe da escola dominical ou toda a congregação.

Escolas e faculdades de Bíblia: a Bíblia da Oração é um texto completo para ensinar oração em sala de aula. Seus alunos não só irão aprender sobre a oração, como também sobre como orar verdadeiramente e receber uma poderosa unção para a oração.

Mais formas de estudo: o Apêndice 14 contém uma forma de estudo que você pode usar em outros estudos a respeito de orações na Bíblia.

ORAÇÃO INICIAL

Muitos estágios distintos da oração serão representados pelos que usam a Bíblia da Oração. Alguns são cristãos convertidos há pouco tempo. Para eles, incluímos essa base inicial sobre oração. Uma revisão de seu conteúdo também beneficiaria os cristãos mais amadurecidos na oração.

O PRIMEIRO PASSO

Se você não é um cristão nascido de novo, o primeiro passo para aprender a orar é aceitar Jesus Cristo como seu Salvador pessoal. A Bíblia diz que todos pecaram (Rm 3.23) e que o salário do pecado é a morte (Rm 6.23). Cristo morreu por você e pagou a pena por seus pecados (Rm 5.6). Tudo que você deve fazer é orar a Deus, pedir-lhe perdão, aceitar Jesus Cristo como seu Salvador e convidá-lo a assumir o controle de sua vida (Jo 3). Se você ainda não fez isso, curve sua cabeça e faça sua primeira oração de confissão de pecado, reconhecendo sua necessidade de um Salvador e aceitando Jesus Cristo como o sacrifício por seu pecado.

D EFINIÇÃO DE ORAÇÃO

Oração é uma comunicação com Deus. Ela assume diferentes formas, mas basicamente ocorre quando o homem fala com Deus, e o Senhor fala com o homem.

A oração não envolve só falar com Deus, mas também ouvi-lo. A oração é uma comunicação, mas uma conversa unilateral não dura muito tempo. Então, quando orar, espere Deus falar com você também. Na maioria das vezes, Ele faz isso por meio de Sua Palavra escrita ou de uma voz calma e baixa, que parece falar ao seu coração. Às vezes, Ele lhe concede uma visão ou interpreta em seu espírito a oração feita em uma linguagem celestial.

Não se apresse. Apenas deposite seus pedidos aos pés de Deus para, depois, terminar sua oração. Reserve tempo para que Ele fale com você. O Senhor responderá a suas perguntas, dará orientação para o dia que você tem à frente e ajudará você a ordenar suas prioridades. Eventualmente, Ele lhe concederá uma mensagem especial de encorajamento para você compartilhar com alguém por quem esteja intercedendo.

ESTÁGIOS DA ORAÇÃO

Existem três estágios progressivos na oração: pedir, buscar e bater.

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre.

Mateus 7.7,8

Pedir é o primeiro estágio da oração. Esse estágio é simplesmente apresentar um pedido a Deus e receber uma resposta imediata. A condição para receber é pedir. Nada tendes, porque não pedis (Tg 4.2).

Buscar é o segundo estágio da oração, mais profundo que o primeiro. Esse é o estágio da oração em que a resposta a ela não é tão imediata quanto no estágio pedir. As 120 pessoas que estavam reunidas no cenáculo, onde continuavam a orar, são um exemplo de busca incessante. Aqueles homens e mulheres aguardavam o cumprimento da promessa de Jesus de enviar o Espírito Santo. Eles continuaram a buscar até que receberam a resposta (At 1—2).

Bater é o terceiro e mais profundo estágio da oração. A oração nesse estágio deve ser persistente, mesmo quando as respostas demoram muito a vir. Esse estágio é ilustrado pela parábola que Jesus contou em Lucas 11.5-10. Também é ilustrado pela persistência de Daniel, que continuou a orar [bater], a despeito de não ver resultado visível porque Satanás obstruía a resposta de Deus (Dn 10).

TIPOS DE ORAÇÃO

Os seguintes termos são todos relacionados à oração, e é essencial entendê-los enquanto você desenvolve uma vida de oração.

Adoração: quase não encontramos a palavra adoração na Bíblia, contudo o conceito é uma parte vital da oração e está presente em termos como adorar, respeito, temor ao Senhor. Adoração é a demonstração de amor, devoção a Deus e respeito por Ele. Adorar ao Senhor é reconhecer os atributos de Seu caráter, como a bondade, a misericórdia, a temperança e outros. O Livro de Salmos contém muitas declarações sobre a natureza de Deus que podem ser usadas para esse propósito. Adore a Deus ao usar as declarações dos salmistas (Davi, Asafe e outros adoradores), para enaltecer a natureza do Senhor.

Compromisso: essa é a oração em que você se compromete a entregar sua vida a Deus e submeter sua vontade à dele. Inclui orações de consagração e dedicação a Deus, à obra e aos propósitos do Senhor.

Comunicação: embora a palavra comunicação não seja usada na Bíblia [em referência à oração], oração é, na verdade, uma comunicação de mão dupla com Deus, na qual o cristão conversa com o Senhor, e Ele responde ao seu espírito, por meio da Sua Palavra ou de uma voz audível. Para um exemplo disso, leia Atos 9.10-16. O primeiro registro de comunicação de mão dupla entre o Criador e o ser humano é encontrado em Gênesis 3.8-10, quando Adão e Eva tentaram evitar estar na presença de Deus, a quem tinham desobedecido. Para se comunicar com Deus, apenas comece a falar com Ele como falaria com um amigo, e espere Ele responder ao seu espírito, por meio da Sua Palavra ou de uma voz audível.

Comunhão: a noção das pessoas manterem comunhão com Deus fica muito evidente nas Escrituras, e a primeira ocorrência é em Êxodo 25.22, passagem em que Deus diz a Moisés: E ali virei a ti e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do Testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel. O verbo falar usado nessa passagem é davat, termo hebraico comum para designar conversa. Quando duas pessoas comungam, elas se encontram e conversam. Paulo usou a palavra comunhão em 2 Coríntios 13.13 e em outras passagens. O mesmo termo grego, traduzido por comunhão, aparece em Filipenses 2.1 e em 1 João 1.3. Comunhão transmite a ideia de ultrapassar a comunicação comum para o estágio da intimidade em oração. Se você perseverar em oração, por fim, desenvolverá essa intimidade.

Confissão e arrependimento: confissão é o reconhecimento da pessoa quanto ao seu pecado ou à grandiosidade e bondade de Deus. Encontramos esses dois sentidos tanto em hebraico, como em grego e em português. No Antigo Testamento, duas palavras hebraicas são traduzidas por confissão. A primeira, todah, deriva da segunda, yadah. O contexto determina o sentido dessas duas palavras hebraicas. Os dois sentidos de confissão [confessar os pecados e confessar os atributos de Deus] são representados no Novo Testamento por uma palavra grega homóloga, cujo sentido é aquele que é reconhecido ou confessado (Rm 10.9). O outro sentido é ilustrado em 1 João 1.9 e relaciona-se com a confissão do pecado. Encontramos uma oração de confissão extraordinária no Salmo 51.

Contrição: esse termo quer dizer enlutado, bem como estar realmente arrependido dos pecados. A palavra hebraica dakka tem o sentido de esmagado, magoado, contrito. Os exemplos no Antigo Testamento desse sentimento são encontrados no Salmo 34.18 e em Isaías 57.15.

Apelo/rogo: conforme usada na ARC (Almeida Revista e Corrigida), a palavra súplica quer dizer rogar e pedir com urgência a fim de persuadir. Um exemplo é encontrado em Êxodo 8.8,9, passagem em que o faraó pede a Moisés que ore a Deus para que cesse a praga que assola o Egito. Em outras passagens, os verbos suplicar, rogar, exortar, pedir e orar são usados com o mesmo sentido (Tg 3.17).

Intercessão: no Antigo Testamento, a palavra hebraica paga é traduzida por intercessão. A forma verbal quer dizer rogar ou interceder por. Em Isaías 53.12, encontramos uma ocorrência dela no Antigo Testamento. No Novo Testamento, o termo intercessão tem origem na palavra grega entugcbano, cujo sentido é apelar para e orar. Encontramos ocorrências dessa palavra em Romanos 8.26,27 e em 1 Timóteo 2.1.

Meditação: meditar é focar os pensamentos em alguma coisa, refletir sobre algo, ponderar sobre isso. Em Salmos 1.1,2; 63.5,6 e 1 Timóteo 1.15, encontramos ocorrências dessa palavra. A meditação dever fazer parte da oração, quando a pessoa reflete em silêncio sobre Deus e Sua Palavra.

Petição: uma petição é um pedido fervoroso. No Antigo Testamento, diversas palavras hebraicas distintas são traduzidas por petição e traduzidas como pedido, súplica ou clamor por misericórdia. Exemplos de petição a Deus no Antigo Testamento são encontrados em Esdras 8.23 e 1 Samuel 1.17. No Novo Testamento, há exemplos de petição em Filipenses 4.6 (tradução da palavra grega deesis), em Atos 23.15 (rogai, tradução do vocábulo empbanizo) e em Hebreus 5.7 (súplicas, tradução do termo hikateria). Conforme revelado na Palavra de Deus escrita, as petições devem ser feitas de acordo com a vontade dele e podem estar nos estágios de pedir, buscar ou bater. A súplica é outra palavra para esse tipo de oração. O termo suplicar quer dizer implorar a Deus ou apelar firmemente a Ele em nome de um necessitado.

Orar no Espírito: a expressão orar no Espírito é encontrada principalmente em Judas 1.20 e 1 Coríntios 14.15. No primeiro caso [orando no Espírito Santo] (Jd 1.20), o Espírito Santo parece ser aquele que ora, mas no texto de Paulo [Orarei com o espírito] o sentido parece ser o de orar com seu próprio espírito. Os dois sentidos estão associados à oração que nasce da união do espírito humano com o Espírito Santo. Em alguns casos, essa oração é em outras línguas, o que capacita o Espírito Santo a interceder de acordo com a vontade de Deus, sem influência do intelecto ou dos desejos daquele que ora.

Submissão: a pessoa submissa a Deus aceita humildemente a autoridade e o senhorio dele quando ora. A Bíblia também fala da atitude de submissão em relação aos líderes que Deus pôs sobre você (Hb 13.7).

Súplica: três palavras hebraicas da raiz banan são traduzidas como suplicar, e elas incluem a ideia de intercessão, petição e pedido firme. Em algumas passagens, essas palavras são traduzidas por implorar por misericórdia ou favor. É um pedido fervoroso feito a Deus. Encontramos ocorrências delas em 1 Reis 8.33,34 e Salmo 30.8.

Ação de graças: é simplesmente expressar gratidão a Deus. O verbo hebraico yadah e o substantivo todah são associados com ação de graças no Antigo Testamento. A ação de graças honra a Deus, conforme ilustrado no Salmo 69.30. No Novo Testamento, a expressão ação de graças é a tradução dos termos gregos eulogia [falar bem], que remete principalmente a louvor, e eucbaristia, cujo sentido é gratidão. Conforme indicado em Filipenses 4.6, a ação de graças é uma parte vital da oração.

Trabalho/dores de parto: a ARC usa a palavra trabalho [ou a expressão dores de parto] para se referir a um trabalho doloroso ou árduo, quer físico, quer mental [Mq 4.10]. Esse sentido, às vezes, fica subentendido, em especial quando se refere às dores do parto [Rm 8.22; Gl 4.19; Ap 12.2]. Paulo comparou sua preocupação devotada com a riqueza espiritual dos cristãos na Galácia às dores do parto [que experimenta a mulher prestes a dar à luz um filho] (Gl 4.19).

Adoração e louvor: adoração é reverência, admiração e devoção expressas a Deus. Há diversas palavras hebraicas para adoração, a mais comum (de Sl 29.2) é chawab, cujo sentido é curvar-se profundamente em homenagem.

Você entra na presença de Deus com adoração e louvor. Entrai pelas portas dele com louvor e em seus átrios, com hinos; louvai-o e bendizei o seu nome (Sl 100.4).

Adorar é honrar e demonstrar devoção. O louvor é uma ação de graças e uma expressão de gratidão não só pelo que Deus fez, mas também por quem Ele é. Você tem de adorar a Deus em espírito e em verdade:

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

João 4.23,24

Adorar a Deus em verdade significa adorá-lo fundamentado no que é revelado na Palavra de Deus. Adorá-lo em espírito é adorá-lo com sinceridade no poder do Espírito Santo, presente no âmago de seu ser, colocando-o acima de todos os outros [seres e interesses].

Quando você adora em espírito, permite que o Espírito Santo guie sua adoração. Você não usa fórmulas nem rituais de adoração estabelecidos por homens. Você não repete cânticos nem orações enquanto sua mente está em outro lugar. Você abre o recanto mais íntimo de seu coração e de sua mente e louva e adora Deus com suas próprias palavras. Às vezes, o Espírito Santo assume completamente a adoração, e você começa a adorar em outras línguas.

Louvor e adoração podem ser expressos com:

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO

O intercessor é alguém que assume o lugar de outro e/ou defende o caso alheio. Quando ora dessa forma por outra pessoa ou pelas nações do mundo, você está intercedendo [por eles junto a Deus].

FUNDAMENTO BÍBLICO DA INTERCESSÃO

O fundamento bíblico para o ministério de intercessão dos cristãos no Novo Testamento é o nosso chamado como sacerdotes de Deus. Sua Palavra declara que somos sacerdócio santo (1 Pe 2.5), sacerdócio real (1 Pe 2.9) e reis e sacerdotes (Ap 1.6).

Encontramos o pano de fundo para entender esse chamado ao sacerdócio de intercessão no exemplo do sacerdócio levítico, no Antigo Testamento. A responsabilidade do sacerdote era permanecer diante de Deus e entre Ele e o homem. Os sacerdotes permaneciam diante de Deus para ministrar a Ele com sacrifícios e ofertas. Eles também permaneciam entre o Deus justo e o homem pecador unindo-os no lugar do sacrifício de sangue.

O texto em Hebreus 7.11-19 explica a diferença entre os ministérios do sacerdote no Antigo e no Novo Testamentos. O sacerdócio levítico, no Antigo Testamento, era passado de uma geração a outra por intermédio dos descendentes da tribo de Levi. O sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque, mencionado em Hebreus 5.10 e 6.20, é uma nova linhagem espiritual de sacerdotes da qual o Senhor Jesus é o Sumo Sacerdote. Esse sacerdócio é passado a nós mediante nosso renascimento espiritual como novas criaturas em Cristo, pelo sangue dele [derramado para o perdão dos nossos pecados e a nossa religação a Deus].

MODELO DE INTERCESSOR

A Bíblia registra que o propósito de Deus ao enviar Jesus era que Ele servisse como nosso Intercessor:

E [Deus] viu que ninguém havia e maravilhou-se de que não houvesse um intercessor; pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve.

Isaías 59.16

Jesus permanece diante do Pai, entre Ele e o homem pecador, de maneira semelhante à dos sacerdotes do Antigo Testamento, que serviam de mediadores [para representá-lo]:

Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.

1 Timóteo 2.5

Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Romanos 8.34

Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

Hebreus 7.25

Jesus une o homem pecador e o Deus justo no lugar do sacrifício de sangue pelo pecado [representado pelo propiciatório]. O sangue dos animais não é mais necessário como era no Antigo Testamento. Agora, podemos aproximar-nos de Deus com base no sangue de Jesus, que foi derramado na cruz do Calvário para a remissão dos nossos pecados. Por causa do sangue de Jesus, você pode aproximar-se com coragem de Deus, sem timidez (Hb 4.14-16).

Jesus foi Intercessor enquanto esteve aqui na terra. Ele orou por aqueles que estavam doentes ou possuídos por demônios. Orou por Seus discípulos e até mesmo por você, quando intercedeu por todos os que creriam nele no futuro (Jo 17.20).

Jesus deu continuidade ao Seu ministério de intercessão depois de Sua morte e ressurreição, quando Ele retornou ao céu. Agora, Ele serve como nosso Intercessor junto ao Pai.

Você aprenderá as estratégias de oração de Jesus na seção do Novo Testamento da Bíblia da Oração.

COMO INTERCEDER

Permanecemos como intercessores (que espiritualmente seguem a função sacerdotal veterotestamentária, mas no padrão neotestamentário de Jesus) diante de Deus e entre Ele, justo, e o homem, pecador. A fim de sermos eficazes e duradouros nessa mediação entre Deus e o homem, devemos primeiro permanecer diante de Deus, para desenvolver a intimidade necessária para cumprir esse papel.

Em Números 14, há um dos relatos mais extraordinários sobre oração de intercessão registrados na Bíblia. Moisés conseguiu ficar entre Deus e o homem pecador porque o líder israelita ficou sozinho diante do Senhor e desenvolveu intimidade com Ele. Em Números 12.8, está registrado que Deus falava com Moisés como um amigo conversa com outro, e não por meio de visões e sonhos, como fazia com outros profetas.

Como cristãos, no Novo Testamento, não sacrificamos mais animais como no tempo veterotestamentário. Permanecemos diante do Senhor para oferecer-lhe sacrifícios espirituais de louvor (Hb 13.5) e o sacrifício da nossa própria vida [consagrada a Ele] (Rm 12.1). Com base nesse relacionamento íntimo com Deus [por intermédio de Cristo] é que permanecemos entre o Senhor e os outros, servindo como advogados intercessores deles.

Pedro usou duas palavras para descrever esse sacerdócio: santo e real. A santidade é exigida para permanecermos diante do Senhor (Hb 12.14). Também só poderemos permanecer diante dele com base na justiça de Cristo, não na nossa própria justiça. Já a realeza representa a autoridade real que nos foi delegada por Jesus como membros da família real de Deus, com acesso legítimo à sala do trono.

Às vezes, esse ministério de intercessão é desempenhado com entendimento. Isso ocorre quando você intercede por outros em sua própria língua e entende o que está dizendo.

Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade.

1 Timóteo 2.1,2

Outras vezes, a intercessão é feita pelo Espírito Santo. Pode ser feita com gemidos inexprimíveis, em decorrência de um pesado fardo espiritual. Também pode ser feita em uma língua desconhecida por nós. Quando isso acontece, o Espírito Santo fala por nosso intermédio, orando diretamente a Deus e de acordo com a vontade do Senhor:

E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.

Romanos 8.26

Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios.

1 Coríntios 14.2

Você não entende esse tipo de intercessão com a mente, mas ele é o estágio mais profundo da oração de intercessão e o mais reflexivo porque é feito de acordo com a vontade de Deus. Sua mente e sua vontade não afetam a oração feita pelo Espírito Santo por nosso intermédio em uma língua desconhecida.

POR QUE A INTERCESSÃO É IMPORTANTE?

É óbvio que a intercessão é importante por causa da ênfase que Jesus deu a ela em Seu ministério na terra. A importância da intercessão também é revelada ao longo da Bíblia, que está cheia de histórias de homens e mulheres que obtiveram resultados poderosos pela intercessão eficaz. Você estudará esses indivíduos na seção Poderosos na oração desta Bíblia.

Por intermédio da intercessão eficaz, você poderá ir espiritualmente a qualquer lugar do mundo. Suas orações não estarão limitadas pela distância e poderão penetrar em nações não alcançadas pelo evangelho e atravessar barreiras geográficas, culturais e políticas. Você poderá afetar o destino de indivíduos e de nações inteiras. Na verdade, quando interceder em oração, você ajudará a salvar vidas e a alma de homens e mulheres, meninos e meninas, e a estender o evangelho e o Reino de Deus pelo mundo.

POSIÇÕES PARA ORAR

Quando você ora, não há uma postura específica aprovada para orar.

Você pode orar enquanto está:

COMO A ORAÇÃO É RESPONDIDA

A Bíblia revela que a oração é respondida:

OBSTÁCULOS À ORAÇÃO

Se você quer orar com a certeza de que sua oração será respondida, deve identificar os obstáculos à intercessão eficaz e eliminá-los de sua vida. Obstáculo é qualquer coisa que permanece em seu caminho impedindo-o de interceder com eficácia. Queremos lidar com eles antes desta primeira oração, para que você possa eliminá-los logo.

Estude as seguintes passagens bíblicas que revelam os principais impedimentos à intercessão eficaz. Cada passagem tem um código de cores nesta Bíblia da Oração e é anotada com este símbolo........

1. Pecado de qualquer tipo: Isaías 59.1,2; Salmo 66.18; Isaías 1.15; Provérbios 28.9 e João 9.31

É claramente revelado ao longo da Palavra de Deus que, em muitas circunstâncias, Deus não responde a nossas orações por causa de nossos pecados.

Deus falou com os israelitas por intermédio de Isaías:

Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.

Isaías 59.1,2

Os israelitas pecavam contumazmente contra Deus, adoravam ídolos e desobedeciam aos Seus mandamentos, e reclamavam contra o Senhor porque eles participavam dos rituais de oração, da oferta de sacrifícios e das ofertas queimadas, mas Deus não ouvia mais as orações deles. Embora o Senhor lhes tenha respondido na época de Moisés e de Elias, não lhes respondia mais.

Isaías lembrou: Não, a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem o seu ouvido, agravado, para não poder ouvir... O problema não está em Deus. Está em vocês. São as [suas] iniquidades [que] fazem divisão entre [vocês] e o [seu] Deus, e os [seus] pecados encobrem o Seu rosto de [vocês], para que [os] não ouça.

Em seus momentos a sós com Deus, dedique parte de suas orações à confissão. Humilhe-se diante do Senhor. Peça-lhe para examinar seu coração e revelar qualquer pecado oculto. Transforme a oração de Davi em sua oração:

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.

Salmo 139.23,24

Quando Deus revelar qual é o pecado, seja rápido em confessá-lo e livrar-se dele. Não permita que o inimigo consiga uma brecha para impedi-lo de receber resposta às suas orações.

2. Desobediência: 1 Pedro 3.12 e 1 Samuel 15.23

Outro importante obstáculo que nos impede de receber resposta às nossas orações é nossa desobediência (rebelião). Quando insistimos na desobediência, ela interrompe nossa comunicação com Deus. A chave para receber as respostas de Deus às nossas orações é caminhar em obediência a Ele e à Sua Palavra.

E qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que é agradável à sua vista.

1 João 3.22

Quando caminhamos em desobediência, limitamos o que Deus pode fazer por nós, mas, quando nosso coração é limpo e puro diante de Deus, sabemos que Ele nos ouve e fará o que pedimos: Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males (1 Pe 3.12).

Quando nos humilhamos diante do Senhor e arrependemo-nos da desobediência, Ele nos perdoa e ouve. O Deus com quem temos aliança promete-nos:

E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.

2 Crônicas 7.14

3. Ídolos no coração: Ezequiel 14.1-3

A idolatria não se limita ao ato de curvar-se diante de ídolos de madeira ou pedra. Idolatria é tudo que toma o lugar de Deus [em seu coração] — suas posses, seus passatempos, hábitos e até entes queridos. O Senhor quer ser o primeiro em sua vida. Se você colocou alguém ou alguma coisa à frente de Deus, de Sua Palavra, se adorou ou orou a outrem que não Ele, arrependa-se disso e peça ao Senhor para perdoá-lo.

4. Espírito de inclemência: Marcos 11.25,26 e Mateus 5.23

Uma das causas mais frequentes de a oração não ser respondida é a inclemência (Mc 11.25,26). Hoje, há muitos cristãos que não recebem resposta à sua oração porque não liberam perdão, guardam amargura e ressentimento em seu coração em relação àqueles que os feriram. Jesus disse que, se não estivermos dispostos a perdoar os outros, nosso Pai celestial não nos perdoará. O perdão é mencionado na oração modelo que Jesus deixou para Seus discípulos, quando eles foram a Ele pedir-lhe para ensiná-los a orar. Para ter poder junto a Deus por meio da oração, nosso coração deve ser terno e compassivo para com os outros. Quando somos, de alguma maneira, tratados de forma injusta ou errada, devemos guardar nosso coração contra a inclemência.

Jesus disse que, em vez de tornar-nos amargos, temos de orar por aqueles que nos usaram/trataram de forma desprezível (Mt 5.44). Paulo confirmou que precisamos perdoar como Deus nos perdoa (Cl 3.12,13). Quando caminhamos em amor e perdão em relação aos outros, recebemos perdão de nosso Pai celestial e podemos ir corajosamente diante dele com plena certeza da fé, sabendo que Ele nos dará qualquer coisa que lhe pedirmos.

5. Motivos errados: Tiago 4.2,3

Tiago nos permite perceber um importante motivo para não recebermos resposta às nossas orações. Ele disse: Nada tendes, porque não pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites (Tg 4.2,3).

A palavra mal [em pedis mal] é a tradução de um termo grego que significa algo injusto, errôneo ou inapropriado. Quando pedimos coisas que estão de acordo com a vontade de Deus, nós as recebemos, pois pedimos da forma correta. Contudo, se pedimos pelo motivo errado, para nossa própria gratificação egoísta, não as recebemos.

Nosso Pai deseja operar em nosso favor e conceder-nos coisas que precisamos e queremos, mas nossa verdadeira motivação subjacente para fazer o pedido deve ser a de que Deus seja glorificado ao responder a nossa oração. Jesus revelou claramente que o propósito dele ao responder a nossa oração é que o nome do Pai seja glorificado no Filho. Jesus declarou: E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho (Jo 14.13).

Peça a Deus para examinar seu coração e revelar qualquer motivo errôneo que você possa abrigar. Talvez, você esteja pedindo coisas que sabe que Deus quer dar-lhe, mas esteja pedindo por motivos egoístas. Arrependa-se, e peça a Deus para purificar sua motivação.

6. Tratamento errôneo para com o cônjuge: 1 Pedro 3.7

Pedro ensinou que marido e mulher devem honrar um ao outro e edificar seu relacionamento sobre o fato de que ambos são herdeiros da graça de Deus (1 Pe 3.7).

O tratamento errado de um cônjuge [para com o outro] atrapalha sua oração. O marido rabugento, duro e tirânico no trato com a esposa, ou a esposa raivosa, implicante e irracional com relação ao marido, não podem esperar que suas orações sejam respondidas. Se o marido não trata a mulher com amor e respeito; antes, é egoísta e indiferente para com ela e suas necessidades, tem suas orações bloqueadas. O mesmo é válido no trato da esposa para com seu marido. Se ela é desrespeitosa, ressentida e recusa-se a viver em submissão a ele (o cabeça de sua casa), tem suas orações bloqueadas.

7. Sentimento de superioridade moral: Lucas 18.10-14

Na parábola do fariseu e do publicano, o fariseu fez uma oração hipócrita, agradecendo a Deus por não ser como o publicano, um pecador. Este, no entanto, clamou a Deus por misericórdia e perdão.

Em Isaías 64.6, é dito que nossa justiça é como trapo da imundícia, trapos sujos. Imagine alguém aparecer diante do Rei do universo vestido em trapos imundos! É isso que você faz quando ora com espírito de superioridade moral.

8. Descrença: Tiago 1.6,7

Tiago disse que, se titubearmos e não orarmos com fé, não receberemos o que pedimos (Tg 1.6,7). Paulo afirmou: Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam (Hb 11.6).

A oração de fé não precisa ser longa. A mulher siro-fenícia, os dois cegos, o cego Bartimeu e os dez leprosos não fizeram orações longas. Em seu desespero, cada um deles simplesmente clamou: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim (Mc 10.47). As palavras que pronunciaram não foram tão importantes quanto seu clamor de fé. Quando eles clamaram a Jesus, esperavam receber sua cura. Eles tinham a fé inabalável de quem não desiste até receber o milagre de que precisa.

Abraão tinha 75 anos quando Deus prometeu abençoá-lo, multiplicar sua semente e torná-lo pai de muitas nações. Vinte e quatro anos depois da promessa, quando Abraão tinha 99 anos, o Senhor apareceu para ele e confirmou a promessa de dar a ele um filho por meio de Sara. De acordo com a ordem natural, seria absolutamente impossível para Abraão ser pai e para Sara conceber e dar à luz.

Contudo, enquanto Abraão esperou que Deus cumprisse Sua promessa, sua fé não vacilou. Ele não questionou Deus. Ao contrário, sua fé ficou mais firme (Rm 4.19-21). Enquanto vacilar ou duvidar, suas orações serão bloqueadas, e você não receberá as respostas que espera do Senhor. Você não conseguirá apoderar-se do impossível.

9. Não permanecer em Cristo e em Sua Palavra: João 15.7

Muitas pessoas mencionam só uma parte deste versículo: Pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Mas é o versículo inteiro que fornece a chave para recebermos [a resposta às nossas orações]: Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito (Jo 15.7).

9. Hipocrisia, orgulho, vãs repetições: Mateus 6.5 e Jó 35.12,13

Se quiser exemplos de como não orar, estude as orações dos líderes religiosos do tempo de Jesus. O Mestre os chamou de hipócritas e afirmou que Deus não ouve esse tipo de orações.

10. Não pedir em nome de Jesus: João 16.24

Somos ordenados a pedir algo a Deus em nome de Jesus. Essas são as orações a que Deus responde. Pedimos algo a Ele com base na autoridade de Seu Filho.

Veja a seção Apêndices, para mais ensinamentos sobre orar em nome de Jesus. Comece a usar o nome dele regularmente quando orar.

11. Obstáculos satânicos: Daniel 10.10-13 e Efésios 6.12

Leia o relato de Daniel 10.10-13. As orações de Daniel foram ouvidas desde o momento em que ele começou a falar com Deus, mas a resposta foi bloqueada pelas forças demoníacas. À medida que a unção de oração é liberada em sua vida, combaterá as forças do inimigo que o impedem de receber a resposta de Deus.

12. Não procurar primeiro o Reino: Mateus 6.33

De acordo com esse texto bíblico, só quando você busca primeiro o Reino de Deus e Sua justiça tem a garantia de receber outras coisas de que precisa. Busque primeiro Seu Reino na oração, e tudo o mais que pede ao Senhor lhe será acrescentado.

13. Não saber como orar: Romanos 8.26

Quando você não souber como orar, deixe o Espírito Santo orar por seu intermédio para que suas orações não sejam bloqueadas. Se você orar de acordo com sua própria vontade ou conforme suas próprias emoções, talvez sua oração não seja respondida. Ore em línguas; use sua língua celestial. Um dos propósitos das línguas é ajudá-lo a orar da forma apropriada.

Quando o Espírito Santo intercede, Ele ora de acordo com a vontade de Deus. A oração, então, ultrapassa seu intelecto e não é afetada por sua própria vontade e suas emoções, indo direto à sala do trono de Deus.

14. Falta de liberalidade na doação: Lucas 6.38; 2 Coríntios 9.6,7 e Provérbios 21.13

Um dos obstáculos mais negligenciados referentes à oração envolve nossa oferta a Deus. Jesus ensinou claramente que receberemos de acordo com a medida que damos.

Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo.

Lucas 6.38

Deus libera Seus dons e Suas bênçãos em nossa vida em resposta a nossas orações por intermédio da mesma porta que usamos para ofertar para Sua obra e para os necessitados. Muitos cristãos ofertam de forma tão comedida que isso mal abre a porta para Deus liberar a menor das bênçãos.

Em Filipenses 4.19, muitas pessoas reivindicam a promessa: O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus, mas elas não levam em conta o contexto e não percebem que há uma condição envolvida para se apossarem dessa promessa, que foi feita aos cristãos de Filipo que ofertaram com liberalidade ao ministério de Paulo (Fp 4.18).

Quando orar para Deus liberar Sua provisão em sua vida, a fim de satisfazer suas necessidades financeiras, certifique-se de que você oferta com liberalidade para a obra de Deus e para ajudar a satisfazer as necessidades dos outros. A Palavra do Senhor nos informa claramente que, se fecharmos nossos ouvidos ao clamor das pessoas em necessidade quando elas clamarem por ajuda, Deus não nos ouvirá. O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido (Pv 21.13).

Como eliminar esses obstáculos

Lembre-se de que só identificar os obstáculos à sua oração não é suficiente. Você também deve pedir a Deus para eliminá-los de sua vida.

Você quer realmente receber unção para a oração profética na consumação dos séculos? Então, deve permitir que Deus o perdoe e purifique-o de tudo em sua vida que é desagradável a Ele. Peça-lhe para revelar qualquer atitude errada em seu coração e as fortalezas em sua mente que precisam ser quebradas. Se você tiver ódio, inclemência ou ressentimento em relação a alguém, confesse-os e peça perdão a Deus e às pessoas envolvidas. Elimine cada impedimento e não dê oportunidade alguma para o inimigo impedir sua intercessão.

ORGANIZAÇÃO PARA ORAR

Se quiser ser um intercessor eficaz, então você deverá arrumar tempo para orar. Uma forma de fazer isso é planejar períodos regulares de oração, individualmente ou com outros. O Novo Testamento revela a seguinte estrutura para organizar forças de oração:

ORAÇÃO PESSOAL

A oração individual tem de ser feita em particular:

Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará.

Mateus 6.6

Reserve todos os dias um tempo especial para a oração, de preferência logo no início da manhã, antes de iniciar seu dia. Se você não for uma pessoa matutina, selecione outro horário que seja mais adequado. Esse é o tempo em que você desempenha seu ministério sacerdotal, permanecendo diante de Deus com louvor, adoração, petições e intercessões pelos homens. Antes de começar a interceder, separe um tempo para o arrependimento pessoal, e peça ao Senhor para limpá-lo de todos os pecados. O arrependimento é essencial para a intercessão eficaz.

ORAÇÃO A DOIS

Dois cristãos orando juntos são a menor unidade de oração como Igreja. Sua estrutura e seu poder inerente são revelados no seguinte trecho das Escrituras: Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus (Mt 18.19).

Encontre um amigo que queira ser um intercessor e comecem a orar juntos regularmente. Se você for casado, talvez queira a companhia de seu cônjuge para isso. Se tiver alguém que ore com você, essa pessoa poderá ajudar a perseverar quando se sentir desencorajado.

PEQUENOS GRUPOS

Pequenos grupos (às vezes, chamados células de oração) são formados por mais de dois indivíduos que se reúnem para interceder. Há grande poder quando duas ou três pessoas intercedem e unem-se para esse propósito. Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles (Mt 18.20).

Talvez você queira reunir-se semanalmente com um pequeno grupo de amigos, colaboradores ou parentes para orar.

ORAÇÃO CONGREGACIONAL

Toda a igreja também deve reunir-se em momentos de intercessão coletiva. Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas (At 1.14).

Em Atos 12.5, é revelado que a Igreja toda fez intercessão constante por Pedro quando este estava na prisão.

Se você for pastor ou líder da igreja, é sua responsabilidade planejar esses momentos de oração coletiva.

CRIAÇÃO DE UM MANUAL PESSOAL DE ORAÇÃO

É útil criar um manual pessoal de oração para guiar sua intercessão. Use um fichário com divisórias para as diferentes seções. Você pode incluir seções para:

Notas de estudo sobre oração: mantenha um diário pessoal do que aprende enquanto progride ao longo da Bíblia da Oração.

Sua cidade, seu estado e país: obtenha mapas de sua cidade, de seu estado e país para orar sobre eles. Obtenha listas das autoridades políticas e religiosas, e ore por elas mencionando seus nomes.

Intercessão pessoal: enumere necessidades pessoais de oração por sua família, seus amigos e outros, e interceda por eles todos os dias. Registre as orações que são respondidas, para ficar encorajado com o ministério de intercessão.

Sua igreja: obtenha um quadro da organização da sua igreja ou uma lista com os nomes dos líderes e ore por eles todos os dias. Interceda por cada membro de sua igreja mencionando o nome deles.

Seu ministério: interceda por seu ministério pessoal. Se você ensina numa classe de estudo bíblico, ore por seus alunos. Se é pastor, ore por cada pessoa da sua congregação, mencionando o nome delas. Se for missionário ou evangelista, ore para que as portas se abram para o evangelho; ore por seus convertidos, discípulos e colaboradores.

Intercessão internacional: crie uma seção em seu manual de oração para intercessão pelas nações e a expansão do Reino de Deus. Ore pelos missionários, os líderes cristãos nacionais e outros ministros.

Uma vez que o Evangelismo Mundial Morris Cerullo foca a propagação do evangelho pelas nações, fornecemos um guia detalhado para a intercessão internacional na seção Apêndices.

SUPERAÇÃO DE OBSTÁCULOS À ORAÇÃO

Qualquer pessoa que já tenha orado com eficácia primeiro enfrentou obstáculos que teve de superar. Vencer esses obstáculos faz parte da intercessão eficaz. Apresente cada problema que enfrenta a Deus, que, por meio do Espírito da oração (o Espírito Santo), ajudará você a resolver.

Eis alguns problemas comuns que você pode enfrentar.

FALTA DE TEMPO

Sempre encontramos tempo para o que realmente queremos fazer. A falta de tempo não é desculpa [para não orarmos]. Por mais ocupado que você seja, precisa interceder. Reserve um tempo para orar e não deixe que nada atrapalhe esse momento. Não baseie o período que passa em oração no que os outros dedicam a isso, porque talvez você precise de mais ou de menos tempo dependendo dos assuntos de sua oração.

A intercessão não tem de ser longa para ser eficaz. Considere a eficácia da oração do malfeitor crucificado ao lado de Jesus: Lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino (Lc 23.42). Atente para o ardente apelo do publicano: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador (Lc 18.13), em contraste à longa oração do fariseu, com sentimento de superioridade moral.

DISTRAÇÕES

Minimize as interrupções durante sua intercessão. Deixe instruções para seu cônjuge, sua secretária ou seu amigo, a fim de não ser perturbado durante esse tempo de oração. Se você tem telefone, deixe que alguém anote os recados, desligue-o ou use a secretária eletrônica. Não ore onde houver um rádio ou televisão ligada. Às vezes, músicas cristãs suaves ao fundo cobrem outros barulhos que o distraem, como o tráfego ou a conversa de outros.

CANSAÇO

Se ficar cansado ou com sono durante o tempo de oração, tente caminhar pelo ambiente ou orar em voz alta.

FALTA DE VONTADE

O desejo pelo ministério de intercessão pode ser desenvolvido sistematicamente. Começa com a disciplina da oração feita regularmente, quer você se sinta disposto, quer não. Toda a nossa experiência cristã se baseia na fé, não em sentimentos. Quando você começar a ver os resultados da intercessão na sua própria vida e na vida dos outros por quem intercede, seu tempo de oração deixará de ser algo a que se disciplinou, mera obrigação, para ser puro deleite.

LEMBRETE IMPORTANTE

Esta seção serve como uma cartilha com o básico sobre oração. Você receberá muitas estratégias e sugestões enquanto avançar em seus estudos na Bíblia da Oração, as quais enriquecerão e capacitarão sua vida de oração. Mas lembre-se de seguir sempre a liderança do Espírito Santo quando orar. Haverá momentos especiais em que Ele lançará um fardo sobre seus ombros, para que você ore por um extenso período de tempo por uma determinada necessidade. Quando isso ocorrer, separe previamente um quadro ou plano de oração que tenha, e siga a orientação do Espírito.

ANTIGO TESTAMENTO

Primeiro livro de Moisés, chamado

GÊNESIS

A oração em Gênesis

• Começa a história da oração: Gn 4.26.

• Enoque mantém comunhão com Deus: Gn 5.24.

• Abraão invoca Deus: Gn 12.7,8.

• Oração no altar: Gn 13.4.

• Abraão ora por um herdeiro: Gn 15.1-6.

• Oração de fé é imputada como justiça: Gn 15.6.

• Deus escuta os clamores dos aflitos e responde: Gn 16.11.

• Uma oração e uma aliança: Gn 17.3-22.

• Deus fala com Abraão e faz uma aliança poderosa com ele: Gn 17.7,8

• Oração de Abraão por Sodoma e Gomorra: Gn 18.17-33.

• Sodoma é destruída, mas Ló é salvo: Gn 19.27-29.

• Oração de cura: Gn 20.17.

• A oração de Abraão é respondida: Gn 21.1-3.

• Oração de obediência: Gn 22.1.

• Abraão adora a Deus: Gn 22.5.

• Abraão é recompensado por sua obediência: Gn 25.15-18.

• Quando Deus fala e obedecemos a Ele, somos abençoados: Gn 22.15-18.

• Servo de Abraão ora por orientação: Gn 24.12-14.

• Oração de Eliézer é respondida: Gn 24.15-25.

• Oração de ação de graças por oração respondida: Gn 24.26,27.

• Servo de Abraão adora a Deus: Gn 24.52.

• Oração feita por Isaque em prol de sua esposa estéril é respondida: Gn 25.21-23.

• Isaque apela para Deus: Gn 26.24,25.

• Oração em forma de voto: Gn 28.18-22.

• Léia louva ao Senhor: Gn 29.35.

• Deus responde a oração de Raquel: Gn 30.22-24.

• Jacó lembra a Deus Suas promessas e ora por libertação: Gn 32.9-12.

• A oração deve basear-se sempre nas promessas de Deus: Gn 32.9-12.

• Jacó luta em oração, e recebe resposta: Gn 32.24-32.

• Deus responde a oração de Jacó: Gn 35.9-15.

• Betel: a Casa de Deus, o lugar de oração: Gn 35.15.

Atenção: oração é uma comunicação com Deus expressa por meio da intercessão, da confissão, do arrependimento, do louvor e da adoração. É uma comunicação de mão dupla entre o homem e Deus. Em muitas passagens da Bíblia, sobretudo nos livros dos profetas, no Antigo Testamento, Deus inicia o contato com o homem, dando-lhe uma revelação profética ou uma instrução direta.

Uma vez que esses contatos são iniciados por Deus, e não pelo homem, e que, com muita frequência, não incluem a comunicação de mão dupla, não são considerados passagens relacionadas à oração e não são codificados como tal na Bíblia da Oração.

A criação do céu e da terra e de tudo o que neles se contém

1NO princípio, criou Deus os céus e a terra.

2 E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.

3 E disse Deus: Haja luz. E houve luz.

4 E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.

5 E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.

6 E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas.

7 E fez Deus a expansão e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão. E assim foi.

8 E chamou Deus à expansão Céus. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo.

9 E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca. E assim foi.

PALAVRAS HEBRAICAS BÁSICAS PARA ORAÇÃO

Veja também as palavras gregas básicas para designar oração no Novo Testamento na página 1227 .

10 E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares. E viu Deus que era bom.

11 E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E assim foi.

12 E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom.

13 E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro.

14 E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.

15 E sejam para luminares na expansão dos céus, para alumiar a terra. E assim foi.

16 E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.

17 E Deus os pôs na expansão dos céus para alumiar a terra,

18 E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que era bom.

19 E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.

20 E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus.

21 E Deus criou as grandes baleias, e todo réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies, e toda ave de asas conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom.

22 E Deus os abençoou, dizendo: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.

23 E foi a tarde e a manhã, o dia quinto.

A criação dos seres viventes

24 E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis, e bestas-feras da terra conforme a sua espécie. E assim foi.

25 E fez Deus as bestas-feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo réptil da terra conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom.

26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra.

27 E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.

28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo animal que se move sobre a terra.

29 E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda erva que dá semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda árvore, em que há fruto que dá semente, ser-vos-á para mantimento.

30 E a todo animal da terra, e a toda ave dos céus, e a todo réptil da terra, em que há alma vivente, toda erva verde será para mantimento. E assim foi.

31 E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

2ASSIM, os céus, e a terra, e todo o seu exército foram acabados.

2 E, havendo Deus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.

3 E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera.

A formação do jardim do Éden

4 Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus,

5 E toda a planta do campo que ainda não estava na terra, e toda erva

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Bíblia da Oração

4.1
9 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor