Encontre seu próximo livro favorito

Torne'se membro hoje e leia gratuitamente por 30 dias.
O Dilema Do Namorado Bilionário

O Dilema Do Namorado Bilionário

Ler amostra

O Dilema Do Namorado Bilionário

avaliações:
4.5/5 (4 avaliações)
Comprimento:
220 página
4 horas
Lançado em:
Mar 1, 2020
ISBN:
9781071532423
Formato:
Livro

Descrição

A vida de Becky Denny é despreocupada e tranquila. Seu único problema é a preocupação da irmã com a família do marido. Becky sabe que o clã Kavanagh tem seus problemas, mas a única coisa que impede um feliz reencontro familiar é a ausência do irmão mais novo, Damon. Depois de sair da cadeia, ele não os procurou, e isso está colocando a família com os nervos no limite.

Então ela decide fazer algo sobre isso.

Fazia muito tempo que Becky não via Damon. Ele tinha mudado. Continuava com sua personalidade um pouco selvagem, mas agora com uma borda mais áspera e dura. Ele a desafiou de uma maneira que ela não esperava, e sua pele parecia pegar fogo com seu toque. Antes que ela percebesse, ela se apaixona pelo Kavanagh mais sombrio e misterioso.

Quando Damon "o demônio" Kavanagh sai da prisão, ele não quer nada com sua família. Até Becky Denny aparecer e fazê-lo prometer a se encontrar com seus pais novamente. Apaixonar-se perdidamente por Becky o fez reavaliar sua vida e seus valores, e lhe deu esperança.

Até que um telefonema numa manhã o deixa destruído.

 
Lançado em:
Mar 1, 2020
ISBN:
9781071532423
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a O Dilema Do Namorado Bilionário

Livros relacionados

Amostra do Livro

O Dilema Do Namorado Bilionário - Kendra Little

KENDRA

CAPÍTULO 1

Damon é um idiota, Damon é um idiota, cantava minha sobrinha de cinco anos, Amelia, enquanto penteava o cabelo de sua boneca com uma pequena escova de plástico.

Tentei reprimir minha risadinha, mas não tive muito sucesso. Saiu como um grunhido.

Minha irmã, Cleo, me deu um dos olhares de mãe que ela costumava reservar para suas duas filhas quando elas se tornavam impertinentes. Torne-se útil e devolva isso para Charlotte, Becky. Ela me entregou o cortador da massinha de modelar do brinquedo Play-Doh, lavado e seco. Sentei-me no chão com Charlotte, de três anos, e a ajudei a colocar a massinha rosa brilhante em uma superfície plana.

Onde está Dino? Amelia saiu correndo da sala de jogos para procurar seu dinossauro de pelúcia.

Por que ela está chamando seu tio de i-d-i-o-t-a? Eu perguntei uma vez que ela estava fora do alcance da minha voz. Amelia provavelmente poderia soletrar, mas Charlotte definitivamente não podia.

Ela ouviu Reece esta manhã. Cleo se juntou a nós duas no chão e abriu a tampa do tubo azul do Play-Doh. Ele estava reclamando sobre Damon não vir ao jantar de aniversário de casamento de seus pais.

Ele não vem? Pressionei o cortador em forma de coração na massa e passei a forma para Charlotte. Ela amassou em uma bola. Ele realmente não vem? Isso é... triste.

Desde que o mais jovem Kavanagh tinha saído da prisão seis meses antes, a família esperava que ele retornasse ao estilo de vida dos Kavanagh. Ele mal falou com seus irmãos e seus pais, e recusou todas as ofertas de dinheiro, de emprego e até um apartamento. Aparentemente, ele tinha se mudado para uma cabana e estava tentando montar seu próprio negócio consertando motos. Eu não o via desde que tinha sido preso por agressão há alguns anos. Nunca tínhamos sido muito chegados antes, mas éramos amigos de certa forma. Ele era o irmão Kavanagh mais próximo em idade comigo, então eu naturalmente sempre me senti atraída por ele em eventos familiares. Mas apesar dele ter sempre trilhado seu próprio caminho, ele ficou fora de controle nas semanas que antecederam sua prisão.

Muito triste, Cleo concordou com um suspiro. Reece e os outros tentaram ligar, mas ninguém consegue falar com ele. Estou preocupada que ele agora esteja perdido, Becky.

Perdido?

Para a família.

Você está desistindo dele?

Ela levantou um ombro. "O que mais pode ser feito? Reece está muito furioso com ele por fazer, nos últimos anos, a vida de seus pais um inferno. Ele não o chamou apenas de idiota. Ela olhou para Charlotte e se inclinou para mais perto de mim. Teve outra palavra antes dessa."

Bem na hora, Amelia entrou na sala de jogos com Dino em uma mão e sua boneca na outra, cantando: "Damon é um fo—"

AMELIA! O grito de Cleo parou sua filha. Seus grandes olhos azuis se encheram de lágrimas e o lábio inferior tremeu. O rosto de Cleo se suavizou. Essa não é uma palavra bonita, querida.

Mas o papai falou.

Papai foi muito malcriado por falar. Ele não deveria dizer coisas assim sobre o seu tio Damon. Sobre ninguém.

Quem é o tio Damon?

Você não se lembra dele, querida?

Amelia balançou a cabeça.

Cleo e eu suspiramos. Era definitivamente triste sua sobrinha não se lembrar dele. Cleo explicou para Amelia quem era Damon e a menina pareceu satisfeita com a resposta. Ela se sentou no chão e começou a espalhar seu jogo de chá. Eu moldei outra massinha do Play-Doh e entreguei a Charlotte para amassar.

E pensar que eu gostava dele, eu falei balançando a cabeça.

Cleo parou de amassar o Play-Doh azul e olhou para mim. O quê? Você quer dizer gostava dele, tipo amava ele?

Não! Eu ri, tomando cuidado para não rir demais, nem muito alto ou nem muito histérica. Eu não tinha certeza se tinha conseguido. Cleo era boa em ler as pessoas e saber o que elas realmente pensavam. Especialmente eu. Não assim. Eu gostava dele como amigo. Você esqueceu que costumávamos sair às vezes?

Sim, na verdade, eu me esqueci.

Compreensível. Você estava sempre agarrada ao Reece na época. Ainda está. Eu pisquei para ela.

Ela fez uma careta de volta. Eu não estava agarrada ao Reece. Seu rubor a traiu. Minha irmã era totalmente apaixonada pelo marido, e era assim que devia ser. Ele também a amava muito, cada dia mais. Os Kavanagh nunca faziam nada pela metade. Era tudo ou nada. Com Reece, era tudo. Com Damon, nada.

Estou preocupada com ele, Cleo disse calmamente.

Damon?

Reece. Ele não está aceitando muito bem a má atitude de Damon. Todos os irmãos não estão. Eu sei que Ellen pode ser rabugenta, mas ela não merece o tratamento silencioso de seu filho mais novo. Harry definitivamente não merece. Eles fariam qualquer coisa por seus filhos.

Eu odiava ver minha irmã tão triste. Ela não era assim. Ela era otimista. Ela via o lado positivo em tudo e o lado bom em todas as pessoas. Reece devia estar bem tenso com a atitude de Damon ou ela não estaria suspirando tanto. Pareceu-me que Damon precisava mudar sua atitude. Ele precisava saber o quanto suas ações magoavam a todos.

Ele precisa que alguém lhe dê uma chamada, eu disse. Tinha apenas uma pessoa em quem eu confiava para falar com ele diretamente. Uma pessoa que ele podia ouvir, e que não era um Kavanagh, mas tinha as melhores intenções.

Eu.

***

Borboletas brigavam dentro do meu estômago. Eu não esperava estar tão nervosa. Não era como se eu fosse brigar com Damon.

Minha ansiedade provavelmente tinha mais a ver com Damon ser um ex-presidiário que tinha acabado de sair da prisão. Fazia alguns anos desde a última vez que eu o tinha visto. A prisão devia tê-lo feito mudar. Inferno, ele já tinha mudado antes de ir para a cadeia. Caras legais não espancam outras pessoas sem motivo. E Damon tinha sido um cara legal. Selvagem, sim, mas não um idiota. Eu devia a minha irmã encontrar aquele cara legal novamente e trazê-lo de volta para casa.

Cleo estava sempre pronta para me ajudar. Depois que nossos pais morreram, ela praticamente me criou. Quando tive câncer, ela colocou sua vida em espera e trabalhou duro para pagar as contas médicas e me cuidar na pior parte da quimioterapia. O mínimo que eu poderia fazer por ela e Reece era tentar me acalmar e ir conversar com Damon.

Quando abri a porta de sua oficina de reparo de motos, esperava que ainda restasse um pouco daquele cara legal.

O pequeno sino acima da porta tocou. Parecia muito feminino para um lugar tão masculino. A oficina não estava escura, graças à luz do sol que atravessava as clarabóias, mas estava suja. Os chassis das motos estavam apoiados contra paredes ou em suportes como restos de carcaças de animais. Pneus pendiam de uma seção do teto, suspensos por correntes, e peças e ferramentas espalhavam-se pelas bancadas e pelo chão. Uma pequena mesa cheia de papéis e mais peças tinha sido empurrada para o canto mais escuro, como se fosse uma adição indesejável, mas necessária, aos negócios. Um laptop fechado empoleirava-se perigosamente perto da borda da mesa.

Vou estar com você em um minuto! A voz de Damon ecoou das profundezas da oficina.

Apertei os olhos, mas não consegui vê-lo. O barulho de metal vinha do fundo da loja, atrás de uma grande moto preta. Tudo o que eu pude ver foi um pé com uma bota e a parte inferior de uma perna usando um jeans manchado de óleo. Coloquei minha bolsa no ombro e verifiquei o relógio. Eu só tinha vinte minutos da minha hora de almoço para conversar com ele.

Damon, sou eu, gritei. Becky. Becky Denny, acrescentei.

O barulho parou. A bota e a perna se retraíram da minha linha de visão. Após um longo momento, ele se levantou. O rosto barbudo não era o que eu esperava.

Damon? Coloquei minha bolsa mais apertada debaixo do braço e agarrei as tiras nos meus ombros com as duas mãos. Eu contornei as motos e olhei para o cara que olhava para mim. Ou seria melhor dizer, o cara carrancudo que olhava para mim.

Quando me aproximei, pude ver o Damon de quem eu me lembrava, bem debaixo de todo aquele cabelo preto. Os penetrantes olhos azuis eram definitivamente dele. O físico alto e forte era todo dos Kavanagh, embora seus bíceps tivessem aumentado. A tatuagem no ombro direito era uma que eu reconhecia, mas a do ombro esquerdo era nova. Ele usava um macacão cinza manchado com um logotipo de uma marca esportiva na frente, que mostrava todos os seus novos músculos ao redor de suas costelas definidas com perfeição.

A visão daqueles braços e ombros poderosos fez meu pulso acelerar. Estranho. Eu o tinha visto vestido assim uma dúzia de vezes anos atrás e nunca tinha me portado como uma estudante diante de sua mais recente paixão. Devia ter algo a ver com ele ser agora um legítimo rebelde. Como a maioria das mulheres heterossexuais da América — e do mundo — eu era feminista, mas um homem alfa sexy com um passado perigoso podia fazer meu coração pular ao som de uma música heavy metal.

Oi, eu disse. Quando ele simplesmente me olhou, dei-lhe um sorriso sincero. Lembra-se de mim? A irmã de Cleo. Quando ele não respondeu, acrescentei: Sua cunhada, Cleo. Esposa de Reece.

Eu sei quem você é. Sua voz estava mais profunda do que costumava ser. Vinha das profundezas daquele grande tórax e retumbava como um trovão silencioso.

Oh. É que você está me encarando como se eu fosse uma estranha.

Você parece diferente. Seu cabelo está mais comprido e mais escuro. Seu rosto... Ele olhou para a chave na mão e a colocou na bancada ao lado dele.

Meu rosto...?

Está diferente. Tive a sensação de que não era o que ele originalmente ia dizer. O que você quer Becky?

Uau. Ele não disse prazer vê-la novamente ou como você está. Foi direto ao assunto. Eu vim para ver como você está. Faz muito tempo desde que eu te vi. Tentei parecer alegre, mas saiu forçado, falso. Quando seus olhos escureceram, eu poderia ter me chutado por não colocar mais esforço nas minhas palavras.

Os músculos de suas bochechas se contraíram. Eu estou bem, e você?

Bem. Apertei minha bolsa com mais força. Você tem uma boa oficina aqui. Muitas motos. Você está ocupado?

Sim.

É só você ou você tem funcionários?

Apenas eu.

Eu balancei a cabeça e olhei em volta da oficina, embora eu realmente não tenha notado nada. Eu estava procurando algo mais para dizer e quebrar o gelo. Infelizmente, não encontrei inspiração.

Qual deles te enviou? Ele cruzou os braços e arqueou uma sobrancelha. Reece?

Não. Ninguém me enviou. Ninguém sabe que estou aqui.

Sua sobrancelha arqueou mais alto. É mesmo? Isso foi inteligente?

Engoli em seco. Soou alto no silêncio tenso. O que você quer dizer?

Eu sou um criminoso condenado. Ele deu um passo lento adiante. Eu me mantive firme. Ele franziu a testa e deu um passo à frente novamente até que ele estava a poucos metros de mim. Eu cumpri pena por agressão. Outro passo e depois outro o fez ficar bem próximo de mim. Eu podia sentir o cheiro da graxa em suas mãos e sentir o calor do seu corpo.

O sangue bateu nas minhas veias e correu para o meu rosto. Apesar do meu rubor, eu me recusei a deixá-lo me achar uma covarde. Eu não tinha medo dele. Pelo contrário, eu tinha ido por minha própria vontade. As palavras traça e chama vieram à minha mente.

Seus lábios se torceram para o lado em um sorriso desagradável que estava quase escondido por sua barba. Talvez você devesse ter trazido um guarda-costas.

Revirei os olhos. Você não vai me machucar, Damon, então pare de agir dessa maneira assustadora.

Para minha surpresa, ele riu. E até tinha algum humor, embora fosse mais uma risada silenciosa do que uma risada adequada. Você sempre foi sincera. É por isso que eu — Ele se interrompeu com uma tosse curta e depois acenou para mim. Porque você está usando esse terninho tão careta?

Eu olhei para as minhas calças pretas, camisa branca e sapatos sensuais. É o que eu visto para trabalhar.

Artistas se vestem com terninho agora?

Eu não sou uma artista. Pintar é apenas o meu hobby. Você sabe disso.

Eu sei? Da última vez que te vi, você estava trabalhando meio expediente para Reece na empresa de construção dele e pintando o resto do tempo. Você planejava ganhar a vida com sua arte. O que aconteceu?

Eu cresci. A pintura não dá dinheiro. Preciso ganhar dinheiro para comer, sabe. Nem todos nós somos Kavanagh que têm fundos fiduciários para nos apoiar.

Era como se eu tivesse ligado um botão. Seus olhos ficaram ferozmente escuros e os músculos em seu rosto se endureceram. Eu não ficaria surpresa em ver vapor saindo de suas narinas. Alguns de nós não querem ou não usam os fundos fiduciários Kavanagh, ele rosnou.

Eu levantei uma mão, mantendo a outra mão na alça da minha bolsa em meu ombro. Desculpe-me. Eu não sabia que você se ofenderia com isso. Desde quando ele tinha evitado o dinheiro de Kavanagh?

Talvez desde que tinha sido preso. E talvez eu tivesse encontrado uma razão pela qual ele não queria mais se associar à sua família.

O que você quer Becky?

Cara, ele não ia facilitar as coisas para mim. Não sei por que pensei que eu poderia conversar com ele quando seus irmãos não conseguiram. Quero que você pegue o telefone e ligue para sua mãe. Ou para o seu pai, acrescentei. Harry era uma pessoa bem mais suave do que Ellen. O aniversário de casamento deles está chegando e vai ter um jantar para comemorar. Seria bom se todos os filhos comparecessem.

Um longo tempo passou, antes que ele dissesse: É isso?

Acho que sim.

Bom. Você já disse a que veio, agora vá embora.

Na verdade, eu não terminei.

Ele suspirou. Quando você se tornou uma chata?

Quando você se tornou um idiota?

Há alguns anos. Pergunte a qualquer um dos meus irmãos, eles dirão a você.

Não fale sobre eles como se eles te odiassem. Eles não te odeiam.

Ele bufou e desviou o olhar.

Eles não te odeiam, Damon. Eles estão preocupados com você.

Você acha isso? Ele balançou a cabeça. Sua boca se achatou em uma linha dura e intransigente. Então por que Reece me acusou de arrastar o nome Kavanagh para a lama? Por que Blake saiu correndo da sala de visitantes na última vez em que veio me ver na cadeia? Ash não parava de me dizer o quão estressado mamãe e papai estavam, e Zac casou-se com a mulher que me colocou atrás das grades. Sim, que grande família que eu tenho. Ele virou as costas para mim. Seus ombros arfavam com a sua respiração forte.

Eu pisquei, sem saber como responder ao seu discurso. Reece realmente disse isso na cara do irmão? Ele e os outros sempre pareceram tê-lo apoiado apesar de se sentirem frustrados porque Damon nunca contou a ninguém por que tinha atingido aquele cara e nunca tentou defender suas próprias ações. "Zac nos disse

Você chegou ao final desta amostra. Inscreva-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas pensam sobre O Dilema Do Namorado Bilionário

4.3
4 avaliações / 0 Análises
O que você acha?
Classificação: 0 de 5 estrelas

Avaliações de leitores