Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Contos lendários reunidos: O melhor de 2018 e 2019
Contos lendários reunidos: O melhor de 2018 e 2019
Contos lendários reunidos: O melhor de 2018 e 2019
E-book228 páginas3 horas

Contos lendários reunidos: O melhor de 2018 e 2019

Nota: 0 de 5 estrelas

()

Sobre este e-book

"Contos lendários reunidos: o melhor de 2018 e 2019" traz uma seleção das melhores histórias originalmente publicadas em coletâneas da Lendari. Para chegar à lista dos indicados ao Prêmio Deusa Lendari, formou-se um conselho constituído pelos organizadores e editor-chefe. Aproveite para ter em mãos os melhores trabalhos de escritores nacionais.

O Ruído nas Trevas | Alfredo Alvarenga
Morte em 140 Caracteres | André Comanche
Morta | Bruno Godoi
Mensagens ao Deus do Profundo | Igor Chacon
A parteira | Kelly Amorim
#savelorrainehellen | Raquel Pagno
O Canto do Galo Gaulês | Bruno Bianchi
1001 usos para um Desfibrilador Cefalorraquidiano | Thiago Loriggio
A penúltima morte de edgar | Caesar Charone
O Mistério entre as Árvores | Vitor Henrique
A Vida é Mais Calma no Mar | Vítor de Lerbo
Tempo Maldito | Renato Baroni
A Quadragésima Semana | Fidel C. Borges
Vila sem Rosto | Guilherme Macêdo
André, Passageiro do Assento 13H | Alan de Sá
Lúcio Chagas, Passageiro do Assento 19F | Pedro Diniz
Pedro, Passageiro do Assento 32B | Rubens Travassos
Tobias, Passageiro do Assento 28A | Bruno Haulfermet
Wilson, Passageiro do Assento 48D | Clóvis Nicacio Pereira
Segredos Bem Casados | Francine Cândido
Y2K | Raquel Pagno
Ed 1990 | Bruno Godoi
Boneca Russa | Alex Souza
O Que Você está Procurando, Hein?! | Raquel Pagno
Quando a Esmola é Demais até o Santo Desconfia | Monaliza Silva
O Estranho Caso do Vírus | Ricardo Celestino
A Anomalia Deus | Luiz Andrade
IdiomaPortuguês
EditoraLendari
Data de lançamento3 de fev. de 2020
ISBN9788569243496
Contos lendários reunidos: O melhor de 2018 e 2019
Ler a amostra

Categorias relacionadas

Avaliações de Contos lendários reunidos

Nota: 0 de 5 estrelas
0 notas

0 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

    Pré-visualização do livro

    Contos lendários reunidos - Alfredo Alvarenga

    Andrade

    O Ruído nas Trevas

    Alfredo Alvarenga

    Mesmo aqui, trancafiado nessa masmorra para loucos, em meio a esse turbilhão de vozes desesperadas em perpétuos lamentos e urros insanos, ainda posso ouvir aquela antimelodia infernal e insidiosa, aquele lamento aterrador, aquele ruído pérfido que enche o ar à minha volta e se embrenha profundamente em meu cérebro como uma lâmina, consumindo minha alma e me arrastando cada vez mais para o encontro de um mal avassalador e terrível do qual eu jamais conseguirei escapar.

    A raiz de meu tormento se encontra no final da década de noventa, em uma época distante, na qual eu era apenas um jovem tolo com um hobby antiquado. Desde muito cedo, havia manifestado um grande interesse pelo radioamadorismo, uma paixão que herdei de meu avô e seu Transglobe Philco B 470, e ao qual investia grande esforço, tempo e dedicação. Eu tinha uma predileção pelo rádio escuta DX, ou seja, usando o jargão dos entusiastas, eu era um dexista. No meio do radioamadorismo, DX é uma sigla em que D significa distância e X representa algo misterioso. Era exatamente isso que eu, como um dexista, fazia. Meu passatempo predileto era caçar sinais de ondas curtas oriundos de quilômetros de distância e tentar decifrar sua origem e mensagem. Na época em que a internet ainda engatinhava, eu já compartilhava minhas descobertas em fóruns da internet dedicados ao tema, gravava algumas transmissões que eu sintonizava e as disponibilizava.

    Foi quando descobri, graças à internet, um enigma envolvendo justamente as minhas amadas ondas curtas. Travava-se das Estações Numéricas, também conhecidas por outro nome, mais sinistro, e, por isso mesmo, sedutor: as Estações Fantasmas. Um mistério que antecede a internet e já era alvo de especulação desde meados da Guerra Fria. Basicamente, seriam estações de rádios de ondas curtas que se propagam pelo mundo e que transmitiriam uma repetição em código de números, "bips ou palavras cifradas. As mais conhecidas são: a UVB-76; a MDZhB; a KKN44; a 6955 kHz e a Estação Gong", entre outras. E não pude deixar de associar essas estações com os sons estranhos com que, por vezes, eu tropeçava durante as madrugadas em que eu caçava sinais distantes.

    Descobri que havia um grupo específico de dexistas ao redor do mundo que passava dias e noites monitorando e anotando esses sinais. Algo que beirava uma obsessão.

    Havia inúmeras teorias para essas rádios e para esses sinais. As mais plausíveis davam conta de que seriam uma engenhosa forma de comunicação entre espiões ao redor do mundo. Principalmente de espiões russos, como seria o caso específico da UVB-76. Mas claro que havia outras teorias mais mirabolantes, incluindo desde espíritos aos famigerados iluminattis. Evidentemente, passei a sintonizar em tais rádios e acompanhar seus sinais, mas não com tanto afinco como outros colegas.

    Foi quando conheci, num obscuro fórum da internet, aquela maldita rádio. Alguém comentara sobre certa frequência de ondas curtas cujo mistério parecia sobrepujar qualquer outro das análogas estações. Seria uma rádio de difícil sintonia e que, para os desatentos, soaria apenas como estática e interferência. A singular rádio recebia o nome em inglês de "The Buzzing, pois o que se ouvia não eram números ou códigos, mas sim um ruído semelhante ao zumbido de insetos, um som orgânico e aleatório. Não havia um padrão de repetição como nas demais Estações Fantasmas". Lembrei-me de já ter ouvido coisa parecida antes nas minhas primeiras noites de adolescência ao lado do velho Transglobe de meu avô. Tentei sintonizar a frequência de ondas curtas específica para ouvi-la, e tive, apesar de minha experiência, muito trabalho com isso. O sinal era fraco e o melhor horário para ouvi-la sem interferência era à noite e em locais altos. Mas, com grande paciência e curiosidade, consegui, enfim, sintonizar a rádio.

    Lembro-me que era madrugada profunda. Eu estava ao ar livre, no terraço do prédio em que morava, quando finalmente consegui escutar aquele som tão peculiar. Era como se um enxame de insetos noturnos estivesse dentro daquele aparelho. Nessa primeira noite, permaneci desperto, magnetizado por aquele chirriado enigmático. Percebia uma cadência naquele ruído, como se fosse algo dotado de vida. De forma inexplicável, sentia como se algo importante estivesse sendo comunicado, e como se eu estivesse perto de decodificar o significado daquele rumor inteligível. E, diante das primeiras luzes da aurora, o zumbido cessou, como se uma profusão de gafanhotos tivesse se dispersado.

    Logo acabei sendo acometido por uma repentina e violenta obsessão em estudar e investigar essa frequência, e passei então a acompanhar, todas as noites, o desenvolver daquele som, tentando decifrar padrões ou significados. Permanecia, por horas, solitário diante do negrume da noite, ao relento, apenas na companhia daquele zumbido infernal, alheio a tudo.

    Ávido, compartilhava em fóruns, com os poucos que pareciam conhecer esse mistério, minhas conjecturas sobre o fenômeno. Uma paixão febril tomou conta de meu ser, e nada mais parecia importar. Fui, portanto, aos poucos, negligenciando todos os outros aspectos de minha vida, ignorando meus amigos e minha juventude, deixando os estudos de lado. Apenas aquele ruído, aquele zumbido, aquele chirriado fazia sentido para mim.

    Na internet, as explicações e teorias sobre "The Buzzing" eram escassas, mas o que havia descoberto em minhas pesquisas pareciam descartar uma explicação mundana para a rádio. Ela não seria como as demais, um fruto da espionagem na Guerra Fria. O que descobri apontava para possibilidades mais surpreendentes e inquietantes. Ao que parece, os primeiros registros desses ruídos estranhos vêm de antes da Segunda Guerra Mundial, do começo da década de 1930 ou até mesmo antes, quando os primeiros e primitivos dexistas surgiram junto com a tecnologia das ondas curtas. Manter uma rádio de frequência alta demanda energia e dinheiro. Parecia um esforço muito grande para transmitir ao mundo por décadas um sinal desconexo de sentido e praticidade. Sabia que aquilo não era uma interferência, e deveria, portanto, haver um motivo maior para a existência de uma estação de rádio tão singular e cuja localização era desconhecida. Algumas triangulações de sinal apontavam para o Ponto Nemo, uma vastidão náutica no Oceano Pacífico, o ponto marítimo mais isolado do mundo, distante de qualquer terra ou contato humano. Ou seja, um local impossível para existência de uma rádio.

    Outro ponto alarmante sobre "The Buzzing" era que a maior parte dos rádio escuta DX que se debruçavam sobre ela terminavam mortos de maneiras inexplicáveis ou cometiam suicídio. Havia algo de perverso com aquele sinal, mas, apesar do risco, havia uma atração inexplicável daquele zumbido sobre os que o escutavam por um longo período. Um mesmerismo que parecia enfeitiçar os curiosos como uma mariposa diante de uma lâmpada. Senti que havia algo em mim que era diferente de meus predecessores e que eu estava destinado a ir mais além do que qualquer outro e decifrar esse inefável enigma.

    Foi quando, após meses ouvindo, gravando e anotando aqueles sons, passei a sonhar com o ruído do enxame, e a ver, além de ouvir, uma paisagem moribunda, um deserto de areias finas e acinzentadas com um céu carregado de nuvens escuras e de onde uma grande antena carcomida pelo tempo se levantava aterradoramente no horizonte.

    Em sonhos, eu sempre me aproximava mais da antena, o zumbido sempre se tornava mais pungente. Eu estava de alguma forma inexplicável me comunicando com aquela transmissão. E, mesmo acordado, passei a escutar o blasfemo chirriado. Aos poucos, ele começou a formar palavras. Primeiro, em um idioma impronunciável; em seguida, em português audível. Palavras carregadas de luxúria e malignidade, palavras que não ouso transcorrer aqui apesar das ordens que recebo para tal.

    Algo terrível se deu comigo, pois ouvir aquele zumbido pérfido por tanto tempo me aproximou de algo para além da loucura, e não apenas em sonhos; mas, também em vigília, passei a avistar estranhos seres, contornos sombrios que se esgueiravam na escuridão, formas repulsivas e grotescas as quais apenas eu conseguia ver e ouvir. Criaturas não humanas, com corpos deformados, esguias e com grandes olhos hipnóticos como de insetos. Havia em suas palavras, em seus zumbidos, no ruído transmitido pela Estação Fantasma, uma mensagem macabra. Às vezes, eram detalhes sobre rituais hediondos e monstruosos, ou cânticos pavorosos e dementes, ou mesmo detalhes exatos sobre a construção de complexos e enigmáticos mecanismos cujos objetivos eu, apesar de não conhecer, sentia que deveriam ser tão terríveis quanto a aparência dos operadores daquela rádio maldita. E, mesmo contra a minha vontade, passei a transcrever para esses fóruns escusos a tradução daquelas mensagens, textos asquerosos que ainda devem estar assombrando os recônditos mais sórdidos da deep web.

    Maldito o dia em que meu avô me apresentou o Transglobe, maldito o dia em que me tornei um dexista… Pois agora sou atormentado o tempo todo por essas vozes nefastas que sussurram aos meus ouvidos segredos hediondos sobre o universo, que me compelem a fazer atos abomináveis e a transcrever a maldade aterradora que ecoa por entre os tecidos da existência. O que sei é perigoso para mundo, e agradeço por estar trancafiado em um hospício. Mas o mal arrebatador está aí no mundo, através do ar perto de você, invisível em ondas curtas de rádio… Um ruído nas trevas.

    Morte em 140 Caracteres

    André Comanche

    @Deputado_Firmino: Meu nome é Samuel. Larguei a faculdade de TI na metade. Diplomas não provam nada a ninguém. O conhecimento real está na rua e na internet.

    @Deputado_Firmino: Sempre fui problemático. As coisas pioraram quando perdi minha mãe aos 9 anos. Criado por pai alcoólatra, me tornei um clichê ambulante.

    @Deputado_Firmino: Antissocial ao extremo, fui um péssimo aluno na escola. Desafiava meus professores. Tinha nojo dos meus colegas. Eram felizes demais.

    @Deputado_Firmino: Não falo sobre minha vida a ninguém, nunca. Mas dizem que quando a morte está próxima, o ser humano é tomado dessa vontade. E eu sou humano.

    @Deputado_Firmino: Vocês devem estar se perguntando porque eu estou usando o twitter deste deputado. Falando para 100.000 pessoas.

    @Deputado_Firmino: Bom, a história começa com uma confissão: eu ganho a vida hackeando pessoas. Pequenos golpes, extorsões, nada grande demais.

    @Deputado_Firmino: Meu esquema funciona assim: compro celulares roubados de vendedores escusos no centro da cidade. Pego um dos aparelhos e faço minha mágica.

    @Deputado_Firmino: Nada sofisticado, deep web e etc. Apenas paciência, conhecimento em computação e muito espírito de porco.

    @Deputado_Firmino: Inicio o sistema e uso alguns aplicativos de recuperação de dados. Resgato todas as fotos, vídeos, senhas, e-mails, mensagens, etc.

    @Deputado_Firmino: Monto um pequeno quebra-cabeça da vida do antigo dono. A partir daí, começo a explorar os pontos fracos.

    @Deputado_Firmino: As pessoas pensam que formatando o celular seus pecados serão apagados também. Ledo engano. Uma vez feito, para sempre feito.

    @Deputado_Firmino: Senhas de banco, nudes, vídeos caseiros de sexo, e-mails e mensagens para amantes, enfim, tudo registrado. Meu material de trabalho.

    @Deputado_Firmino: A partir daí começo a abordagem, com números anônimos, distorção de voz, e uma série de precauções que garantem meu anonimato.

    @Deputado_Firmino: Descrevo o tipo de material que tenho em mãos. Olha, lembra aquele vídeo que você gravou no banheiro da balada tal, com fulano de tal?

    @Deputado_Firmino: Ou coisas do tipo: Você deveria mesmo largar sua esposa. Seus filhos não merecem viver com alguém como você. Um traidor nojento… etc.

    @Deputado_Firmino: Depois de deixar claro o que a vítima tem a perder, dou meu preço e a forma de pagamento. Todos aceitam na hora. O motivo é simples…

    @Deputado_Firmino: Eu sempre dou um preço que eu sei que eles podem pagar. Baseado no histórico de compras, ou de extratos bancários salvos no aparelho, etc.

    @Deputado_Firmino: Todo mundo sai ganhando. Eu sumo de verdade da vida da pessoa e ela retoma sua rotina em paz.

    @Deputado_Firmino: Faço esse trabalho há uns cinco anos. Acabei gostando da coisa, da adrenalina. Uma pena que nunca mais vou sentir essa sensação de novo.

    @Deputado_Firmino: Cometi um erro bobo, mas quase impossível de prever. Ainda me restam alguns minutos de vida. Vou contar com detalhes.

    @Deputado_Firmino: Sexta-feira, oito horas da noite, centro da cidade. É a hora em que as criaturas do submundo saem das tocas. Inclusive eu.

    @Deputado_Firmino: Bêbados, drogados, prostitutas, assassinos de aluguel, etc. O circo dos renegados é montado e as traficâncias fervilham.

    @Deputado_Firmino: Procuro um dos meus fornecedores. Ele me mostra os modelos que conseguiu ganhar nessa semana.

    @Deputado_Firmino: Escolho um aparelho razoável. Barganho o valor até não poder mais. Meu fornecedor tem paciência. Sou um cliente fiel e antigo.

    @Deputado_Firmino: De posse do celular, comprava algumas cervejas e voltava para casa. E assim eram minhas noites de fim de semana: sozinho e bêbado.

    @Deputado_Firmino: Bloqueios de tela, senhas ou coisas parecidas nunca foram impedimentos. É muito simples destravar qualquer celular, mesmo sem a senha.

    @Deputado_Firmino: Não vou explicar como porque essa conta de twitter tem muitos seguidores. Seria irresponsável de minha parte. Mas é só perguntar ao Google.

    @Deputado_Firmino: O fato é que esse aparelho pertencia a uma moça bastante jovem, de uns 20 anos de idade. Acessei as informações e iniciei a abordagem.

    @Deputado_Firmino: E aí que começou o meu fim. Ela jogou comigo, fingindo que estava caindo na extorsão. A garota era boa, eu não consegui desconfiar.

    @Deputado_Firmino: O material era farto. Muitos nudes, vídeos comprometedores, diálogos sobre preços de certos serviços, etc. Garota de programa.

    @Deputado_Firmino: Pela análise que fiz das conversas dela com a mãe, percebi que a velha não sabia da profissão da filha. Pensava que a moça era vendedora.

    @Deputado_Firmino: Foi aí que depois de três dias de negociação, em que eu insistia nas ameaças de revelar tudo à mãe, que o jogo virou.

    @Deputado_Firmino: Em uma última ligação, ela me explicou que era filha do deputado Firmino de tal e que meus problemas só tinham começado.

    @Deputado_Firmino: Ela era filha bastarda. Para esconder a situação do grande eleitorado, o deputado fechou um acordo pelo seu silêncio.

    @Deputado_Firmino: Ele pagava o aluguel de um apartamento classe média e algumas contas. Ainda assim ela continuou a se prostituir. Todo mundo ama um luxo.

    @Deputado_Firmino: Antes de desligar, ela me avisou que olhasse pela janela e desse tchauzinho para os três carros pretos que cercavam a minha casa.

    @Deputado_Firmino: E aqui estou, em cativeiro desde ontem. Sem comer, fazendo necessidades em um balde e de pés acorrentados na parede.

    @Deputado_Firmino: As correntes foram instaladas recentemente, dá pra perceber. Acredito que estou em algum cômodo de uma casa grande. Talvez uma dispensa.

    @Deputado_Firmino: Vamos ao meu captor, o deputado Firmino. Ele já se apresentou. Sujeitinho simpático, me espancou até que eu desmaiasse.

    @Deputado_Firmino: Mas o que ogros como ele têm de força, têm de estupidez. O idiota se distraiu e eu afanei seu celular em dois movimentos rápidos.

    @Deputado_Firmino: Essas são as vantagens de conhecer o submundo dos grandes centros urbanos à noite. Conhecimento é poder.

    @Deputado_Firmino: O desgraçado está nesse momento lá fora, discutindo com dois capangas a desova do meu corpo em alguma área remota da cidade.

    @Deputado_Firmino: Atuei impune durante muito tempo, escapando, como um fantasma. Fui pego por um poderoso, com acesso e contatos nas polícias. Covardia.

    @Deputado_Firmino: Com a mesma facilidade que roubei o aparelho, destravei o acesso a ele. E para o azar do idiota, estou com acesso à rede wifi da casa.

    @Deputado_Firmino: É só o que eu preciso para destruir esse escroto. Vou cair, mas vou cair matando.

    @Deputado_Firmino: Acompanhando a nossa história em tempo real percebo que já alcançamos o trend topics! Um brinde à desgraça alheia!

    @Deputado_Firmino: Os próximos tweets serão especiais. Muitos só vão gostar pela diversão, mas outros poderão causar danos reais. Conto com vocês.

    @Deputado_Firmino: O nome completo do crápula é Firmino do Salvamento Silva. CPF: 7187.878.888-766

    @Deputado_Firmino: A conta bancária é a 000786778858X-887, agência 1215789-778, Caixa Econômica Federal. A senha 1234. Acreditem se quiser!

    @Deputado_Firmino: ATENÇÃO, informação de ouro: Cartão de crédito de nº 11477 77788 887845 87878, código de confirmação 4677977, data de validade 02/2022.

    @Deputado_Firmino: O CEP é o seguinte: 01255588711-121. Por favor, enviem entulho, fezes, lixo… sejam criativos, nosso amigo assassino merece.

    @Deputado_Firmino: Peguem empréstimos no nome dele,

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1