Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Dominando o Crédito: O Guia Definitivo para Você Reparar seu Crédito

Dominando o Crédito: O Guia Definitivo para Você Reparar seu Crédito

Ler a amostra

Dominando o Crédito: O Guia Definitivo para Você Reparar seu Crédito

Duração:
105 páginas
2 horas
Lançados:
3 de jun. de 2020
ISBN:
9781071544662
Formato:
Livro

Descrição

A sociedade depende fortemente de crédito para a maioria das decisões financeiras. Hoje, um bom crédito não é importante apenas para obter um empréstimo ou cartão de crédito. Muitas empresas precisam verificar seu crédito antes de decidir se estenderão ou não seus produtos e serviços a você. Os credores hipotecários precisam ter certeza de que você pagará sua hipoteca com responsabilidade antes que eles possam financiar você. Sem um bom crédito, o credor hipotecário conclui que conceder um empréstimo é arriscado para eles. Se eles ainda aprovarem, independentemente do seu crédito insuficiente, cobrarão uma taxa de juros muito alta. O crédito incorreto fará com que você pague um valor mais alto ou pior, a aplicação será recusada. Só porque você não está interessado em comprar uma casa no momento não significa que seu crédito não importa. Os proprietários, na maioria dos casos, consultam seu crédito antes de alugar uma casa ou apartamento. Seu contrato de arrendamento é considerado um empréstimo. Você precisa de um empréstimo para comprar um carro, a menos que tenha o valor total em mãos. Sua pontuação de crédito afeta o valor do empréstimo e a taxa de juros e se você receberá ou não o empréstimo em primeiro lugar. Com crédito excelente, você se qualificará para um montante mais alto de empréstimo e a taxa de juros será menor. Uma pontuação de crédito ruim se traduz em opções limitadas. Poucos credores estarão prontos para financiar você e os poucos que desejarem poderão cobrar uma taxa de juros muito alta.

Lançados:
3 de jun. de 2020
ISBN:
9781071544662
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Dominando o Crédito

Livros relacionados

Artigos relacionados

Amostra do livro

Dominando o Crédito - Adidas Wilson

Aviso Legal

––––––––

O autor fez todos os esforços para garantir que a precisão das informações contidas neste livro estivesse correta no momento da publicação. O autor não assume e, por este meio, se exime de qualquer responsabilidade por qualquer perda, dano ou interrupção causada por erros ou omissões, sejam esses erros ou omissões resultantes de acidente, negligência ou qualquer outra causa.

Sumário

Prefácio

Introdução

Cap. 1 – Relatórios de Crédito

Cap. 2 – Como Construir Crédito

Cap. 3 – Detalhes Importantes

Cap. 4 – Pontuação de Crédito FICO

Cap. 5 – O Que é uma Boa Pontuação de Crédito?

Cap. 6 – Como Aumentar sua Pontuação de Crédito?

Cap. 7 – Equifax, TransUnion e Experian

Cap. 8 – Relatório de Crédito ao Consumidor

Cap. 9 – Relatório ou Pontuação de Crédito Gratuita

Cap. 10 – Como os Cartões de Crédito Afetam sua Pontuação de Crédito?

Cap. 11 – Erros a Evitar ao Contestar Erros no Relatório de Crédito

Cap. 12 – Como Remover uma Cobrança Indevida

Cap. 13 – Como Remover Pagamentos em Atraso

Cap. 14 – Como Remover Cobranças

Cap. 15 – Como Remover a Execução de uma Hipoteca do seu Relatório de Crédito

Cap. 16 – Como Remover uma Falência

Cap. 17 – Como Remover uma Reintegração de Posse do seu Relatório de Crédito

Cap. 18 – Como Remover um Julgamento

Cap. 19 – Como Remover uma Execução Fiscal do seu Relatório de Crédito

Cap. 20 – Como Remover Consultas de Crédito do seu Relatório de Crédito

Cap. 21 – Exemplo de Carta de Contestação de Crédito

Cap. 22 – Carta de Cessação e Desistência de Cobradores de Dívidas

Cap. 23 – Exemplo de Carta de Validação da Dívida

Cap. 24 – Como Lidar com Agências de Cobranças de Dívidas

Cap. 25 – ChexSystems

Cap. 26 – Como Solicitar Validação de Dívidas de Coletores de Dívidas

Cap. 27 – Prazo de Prescrição na Cobrança de Dívidas

Cap. 28 – Lei Relativa às Práticas de Cobrança da Dívida Justa

Cap. 29 – Usuário Autorizado

Cap. 30 – Cartão de Crédito de Carona

Cap. 31 – Antes e Depois da Falência

Conclusão

Prefácio

Muitas pessoas consideram que o crédito é uma invenção moderna, provavelmente com algumas centenas de anos. Obviamente, várias formas de crédito evoluíram e novas foram inventadas recentemente por causa da tecnologia. Fora isso, o crédito já existe muito antes da forma oficial de dinheiro ter sido inventada. É seguro dizer que o crédito começou com o surgimento da civilização. As pessoas sempre pedem emprestado uma da outra, seja dinheiro ou uma xícara de açúcar. Ao contrário da crença popular, a prostituição não é a profissão mais antiga, o trabalho do agiota é. Com o surgimento da civilização, ficou claro que um sistema legal era necessário. Algumas das primeiras leis registradas eram sobre crédito e juros. O rei da primeira dinastia da Babilônia, Hammurabi, foi o autor da primeira lei formal em 1800 a.C. que continha leis de regulamentação de juros. Incluía a taxa de juros máxima que um agiota poderia cobrar. A taxa de juros máxima para empréstimos de grãos era de 33 1/3% ao ano. A taxa máxima para empréstimos de prata era de 20%, embora em alguns casos subisse até 25%. As taxas de juros de 20 a 25% na Babilônia podem parecer absurdamente altas, mas eram tão altas quanto na Índia. De acordo com as Leis de Manu na Índia, as taxas foram fixadas em 24%. Na Babilônia, as leis de Hammurabi informavam que todo empréstimo precisava ter um funcionário público como testemunha e estar em um contrato por escrito. Um agiota arriscou sofrer graves consequências ao cobrar altas taxas de juros - a dívida foi cancelada. Na época, a garantia estava na forma de terra ou qualquer outro bem. Foi permitido ao devedor comprometer seus escravos, filhos ou até sua esposa. Se as coisas piorassem, alguns devedores se comprometiam. Você poderia, no entanto, não escravizar um devedor por mais de três ano - a lei o proibia. Existem registros de nações que tomam empréstimos de outras nações também. Ao contrário de outro equívoco, o sistema bancário moderno não começou após a reforma. Os agiotas podem não ter aceitado os depósitos na maioria das ocasiões, mas os registros mostram que haviam dois estabelecimentos bancários na Babilônia muito semelhantes aos bancos modernos. Eles aceitaram depósitos, que ganharam juros e ofereceram empréstimos. Uma tendência consistente de crédito e juros ao longo da história é que uma economia mais forte se traduz em uma menor taxa de juros. Isso, por sua vez, leva a altos níveis de confiança e a uma moeda mais forte. Nações com baixa confiança são marcadas com taxas de juros acima das taxas mundiais. Isso é evidente em nações em desenvolvimento e foi o mesmo nas nações antigas. A Idade do Bronze (2400-1200 a.C.) foi caracterizada por uma economia vibrante no Mar Egeu. Os registros de crédito e juros desse período são vagos. Suspeita-se que o valor padrão tenha sido gado. O ouro era o meio de troca. Esse período foi seguido por eventos que levaram à Idade das Trevas. Enquanto o mundo se recuperava dos tempos sombrios, a civilização começou a florescer novamente. O dinheiro foi cunhado pela primeira vez durante esse período pelos lídios, que é (a Turquia moderna). Isso ajudou a facilitar o comércio internacional. Em 594 a.C., Atenas enfrentou uma grave crise de crédito e teve que fazer uma grande reforma nas leis de crédito prescritas pelas Leis de Solon. As dívidas foram canceladas e a escravidão proibida após essas reformas. Quando o Império Romano ganhou poder, estabeleceu novas leis de regulamentação de crédito, com a taxa máxima sendo fixada em 8 1/3% ao ano. As taxas caíram para apenas 4%. Quando Roma caiu, os empréstimos começaram a ser vistos como maus (o Pecado da Usura).

Introdução

Frank McNamara fundou o Diners Club em 1950. Ele não tinha nada além de grandes sonhos para o estabelecimento e cartões de crédito. Ele previu que algum dia, os restaurantes honrariam o cartão em Nova York. A previsão dele foi precisa. O

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Dominando o Crédito

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor