Curta este título agora mesmo, além de milhões de outros, com um período de avaliação gratuita

Grátis por 30 dias, depois $9.99/mês. Cancele quando quiser.

Até Nós

Até Nós

Ler amostra

Até Nós

Comprimento:
118 páginas
1 hora
Editora:
Lançado em:
Jul 15, 2020
ISBN:
9781071555675
Formato:
Livro

Descrição

Stone

Ela é jovem.
Ela é linda.
Ela é irresistível.
E ela é virgem.
Eu não deveria fazer isso.
Especialmente com a menina do meu Vice-Presidente.
Mas, quando ela se oferece a mim, como posso dizer não?


Madison

Eu estou apaixonada por ele.
Ele não sabe, mas em breve saberá.
Eu esperei anos por este momento.
E finalmente chegou.
"Stone Cold" Hart é o presidente do Clube de Motoqueiros do meu pai.
Ele não mostra emoção.
Não devia.
Mas quando ele está comigo, ele é tão diferente.
Amoroso.
Sedutor.
Intoxicante.
Fomos feitos um para o outro.
Mas isso não significa que ficarmos juntos será fácil.
A minha família não nos aprova.
Vou contra todos que amo por ele e duvido que sairemos ilesos.
Encontrar a nossa eternidade pode significar apenas nos quebrar, antes mesmo de termos começado.

Até Nós é o prequel da tão esperada série The Black Harts MC da Amanda Kaitlyn; um romance com um final feliz e um macho alfa que derrete calcinhas.
Se você não gosta de ficar nas nuvens com o amor, esta pode não ser para você.

Editora:
Lançado em:
Jul 15, 2020
ISBN:
9781071555675
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Até Nós

Livros relacionados

Categorias relacionadas

Amostra do Livro

Até Nós - Amanda Kaitlyn

Nota da autora

Até Nós é o prequel da série The Black Harts MC e acontece vinte e cinco anos antes do primeiro livro da série, The Broken In Us.

Cada romance desta série pode ser lido como independente e pode conter conteúdo adulto, como situações violentas e questões sexualmente sugestivas.

É recomendado para leitores com idade acima dos 18 anos.

Capítulo Um

Stone

Porra, mais rápido, docinho. Foda-me muito bem.

Eu gemi quando o pequeno pedaço doce no meu colo apertou sua boceta em volta do meu pau e meu maldito controle quebrou. Gemi meu clímax no banheiro onde ela me encontrou e minha coluna se contraiu quando a forte tensão diminuiu enquanto meu pau esvaziava na caixa quente ao redor.

Merda, garota. Isso foi quente. Saia de cima de mim. Eu tenho que me arrumar.

Sim. Você adivinhou. Eu não estava disposto a professar algum tipo de amor eterno por essa garota.

Isso me faz um idiota, um imbecil? Provavelmente. Mas, no entanto, ela sabia no que estava se metendo quando decidiu passar pelos meus guardas de segurança e deslizar sua buceta pelo meu pau duro e furioso.

Mas baby...

Minha cabeça estalou em direção a ela tão rápido que fiquei surpreso que não quebrou. Fixando meu olhar no dela, tive certeza de que ela visse a fúria no meu rosto antes de falar, minha voz uma oitava abaixo do normal, apenas para que ela entendesse minha essência.

Não. Me. Chame. Assim. Eu não sou seu baby. Ou seu otário e eu com certeza não sou seu namorado. Não sou isso com uma mulher há muito tempo, querida. É melhor você se lembrar disso antes de abrir novamente essa sua boca grande. Entendeu?

Desculpe, Stone.

Claro. Saia de cima de mim. Eu tenho que estar nas covas dentro de uma hora.

A garota saiu do meu colo, nem mesmo tendo tempo suficiente para pegar sua calcinha arruinada do chão antes de sair da sala e bater a porta atrás dela. Sorri com o pensamento de que devo ter assustado ela.

Fiz muito isso.

Ser o presidente do clube de motoqueiros mais letal no sul de Dallas exigia isso. Os The Black Hearts possuíam nossa pequena cidade de Haven, Texas, e protegiam suas ruas. Nós não éramos bons homens; isso era certo. Não éramos pessoas que respeitavam a lei e eu duvidava que algum de nós fosse.

Mas fizemos o que era melhor para esta cidade, mesmo que seus moradores não soubessem.

Eles me chamam de Cold Stone por um motivo.

Eu não era de falar.

Eu não era um prazer.

Eu era uma pedra

Imóvel.

Insensível.

Impenetrável.

Não demonstro emoção, porque fui criado dessa maneira.

Não veio de muito, mas uma coisa sempre ficou comigo, desde muito jovem.

Não deixe que eles te vejam.

Foi a única lição que meu pai já me deu.

Ele acreditava que mostrar emoção era uma fraqueza, então eu nunca demonstrei.

Mantive o meu coração negro e estéril e nunca deixei que ninguém o visse.

Todo o sangue drenou do meu rosto quando eu percebi em minha mente cheia de luxúria, eu tinha esquecido uma coisa.

Eu estava no banho.

Eu não tinha nem um pedaço de roupa.

Porra!

Meus olhos desceram para os meus pés, mãos frenéticas me apoiando nas paredes de azulejos do chuveiro enquanto olhava para o que já foi minha perna direita. A olho nu, você não saberia que algo estava errado. A garota, cujo nome eu não tinha a menor ideia, não poderia saber que algo estava acontecendo. Se ela tivesse, ela teria dito alguma coisa. E agora, toda a minha equipe saberia o verdadeiro motivo de eu nunca usar shorts nos meses de verão. Por que eu me recusei a me despir, mesmo parcialmente na frente de qualquer um deles. Por que eu estava solteiro há dez anos, quando voltei da minha última missão no Afeganistão, onde uma bomba explodiu na minha frente, fazendo com que eu perdesse a metade inferior da minha perna e, eventualmente, a totalidade quando os médicos foram forçados a amputá-la. Em seu lugar, havia uma prótese de aparência realista que, com o tempo, eu aprendi a andar sem muita dificuldade. No começo, eu atribuí a dor ao acidente.

A única alma que sabia o que realmente havia acontecido era meu braço direito, meu vice-presidente, meu melhor amigo, Axel. Ele esteve ao meu lado durante tudo e nunca disse a uma alma minha verdade mais oculta.

Bati minha cabeça contra a porta do chuveiro, deixando escapar um suspiro aliviado.

Graças a Deus, meu segredo ainda estava seguro.

***

Onde ele está?

Axel olhou do outro lado do espaço escuro da cova, o nível mais baixo da casa e para os muitos que enfeitavam suas paredes: o inferno na Terra. Era onde as pessoas vinham para morrer, vinham para apodrecer, vinham para confessar seus piores pecados. Hoje, era apenas outro homem, outro corpo, outra marca.

Normalmente, eu deixava meus homens lidar com isso. Axel ou um dos membros mais velhos do clube. Eles operavam de uma maneira antiga, torturando suas vítimas até serem forçados a contar seus segredos mais profundos, as confissões deles explodiam apenas alguns segundos antes da última fatia de uma lâmina ou o cano de uma arma acabar com eles para sempre. Hoje, no entanto. Hoje é diferente. Hoje é pessoal para mim e foda-se se eu não fosse lidar eu mesmo.

Havia algo que me levou a ser o homem fodido, de coração preto e indiferente que eu era hoje, um evento que fortaleceu minha alma e endureceu minhas emoções. Esse evento aconteceu em uma noite fria de outono, quando eu era apenas uma estúpida criança.

Na noite em que minha irmã Melanie foi morta.

Foi um motorista bêbado, disseram eles.

Foi um acidente sem sentido, disseram eles.

Você sabe o que eu disse?

Eles vão pagar por isso.

E mesmo como um adolescente magricela com poucos dólares no bolso, eu quis dizer cada palavra.

Hoje tenho a oportunidade de me vingar por ela.

Nunca mais a ouviria rir ou ver seu lindo sorriso.

Mas eu poderia permitir que ela descansasse em paz, de uma vez por todas.

E caramba, se o pagamento não ia ser bom.

Terceirasala ao fundo do corredor, cara. Você está pronto para isso?

Eu endurei meu olhar, não querendo deixá-lo ver nem um pouco o quanto eu realmente me importava com essa merda, porque isso era muito. Eu apenas acenei com a cabeça, bati uma mão áspera sobre seu ombro enquanto eu passava e respirei fundo antes que eu enfrentasse a porta metálica.

Ninguém ouviria seus gritos ou seu pedido de misericórdia.

Não, só eu teria esse privilégio.

E eu abri a porta.

Capítulo Dois

Stone

Por favor, deixe-me ir. Eu juro que não vou falar...

Seus pedidos de misericórdia há muito se tornaram um incômodo para mim.

Minha lâmina cortou uma linha longa e fina do peito até a caixa torácica, as costelas espancadas e provavelmente quebradas, fazendo com que o covarde gemesse de dor.

Diga-me o que eu quero saber e talvez eu deixe.

Era mentira.

Não importa o que ele me dissesse, eu mataria o filho da puta.

Eu posso lidar com uma tonelada de merda, mas mexer

Você chegou ao final desta amostra. Inscreva-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas pensam sobre Até Nós

0
0 avaliações / 0 Análises
O que você acha?
Classificação: 0 de 5 estrelas

Avaliações de leitores