Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Cristão em Tempo Integral: Guia do Professor

Cristão em Tempo Integral: Guia do Professor

Ler a amostra

Cristão em Tempo Integral: Guia do Professor

Duração:
180 páginas
2 horas
Lançados:
8 de set. de 2020
ISBN:
9786587161525
Formato:
Livro

Descrição

Ao receber Cristo como nosso Senhor e Salvador, iniciamos uma nova vida. Do ponto de vista de Deus, não existe "meio cristão": ou somos totalmente de Cristo, ou simplesmente não pertencemos a Ele. Seu amor nos constrange a vivermos inteiramente para o louvor da Sua glória.
Há muito o que aprender na nossa nova vida. Aprender que tudo pertence ao Senhor e que somos Seus mordomos; que Deus nos escolheu para participarmos da expansão do Seu reino; que servir a Deus é privilégio e motivo de grande alegria; que podemos servi-Lo com nossos bens, nossos dons e talentos; que o amor é a nossa maior fonte de motivação.
Esta série de estudos guiará seus passos no aprendizado de se tornar um cristão el e verdadeiro, cem por cento consagrado ao Senhor Jesus. Que todos nós, que recebemos do Senhor a salvação eterna, vivamos inteiramente para amá-Lo, servi-Lo e adorá-Lo!
Lançados:
8 de set. de 2020
ISBN:
9786587161525
Formato:
Livro


Relacionado a Cristão em Tempo Integral

Leia mais de Editora Cristã Evangélica

Livros relacionados

Amostra do livro

Cristão em Tempo Integral - Editora Cristã Evangélica

pessoas

A DOUTRINA

DA MORDOMIA CRISTÃ

ESTUDO 1

Quantas vezes você já ouviu a palavra mordomia? Desde pequenos, ouvimos essa palavra, e ela faz parte do nosso vocabulário. Às vezes, não sabemos muito bem o que significa, mas soa familiar aos nossos ouvidos.

O objetivo deste estudo é ajudá-lo a compreender bem o significado de mordomia, mostrando a grande importância desse tema na Bíblia. Assim, você poderá avaliar-se e verificar se tem sido ou não mordomo de Deus.

1. Significado da palavra

Palavra-chave: MORDOMIA

A Bíblia nos traz pelo menos dois exemplos claros do que significa o trabalho de um mordomo.

Eliézer, servo de Abraão – Abraão disse ao mais antigo servo da sua casa, que governava tudo o que possuía...(Gn 24.2). Nesse exemplo, vemos que o mordomo era responsável por cuidar de tudo quanto seu senhor possuía. Esse cuidado era tão abrangente que Eliézer recebeu uma difícil incumbência: procurar uma esposa para Isaque. Diz a Bíblia que ele desempenhou bem essa tarefa e alegrou o coração de seu senhor (leia o capítulo 24 de Gênesis).

Que qualidades de mordomo foram demonstradas por Eliézer? 

José – E ele (Potifar) pôs José por mordomo de sua casa e lhe passou às mãos tudo o que tinha... (Gn 39.4). José foi digno de tanta confiança que seu senhor não tinha qualquer tipo de preocupação com o andamento de seus negócios. José administrava tudo e recebia de Potifar autoridade para gerir todos os seus bens.

Tanto no exemplo de Eliézer como no de José, algo é claro: o mordomo é responsável por cuidar de todas as coisas pertencentes a seu senhor, até mesmo daquelas mais íntimas e valorosas.

2. Base bíblica da mordomia cristã

Tal qual Eliézer e José, nós também somos mordomos. Nosso Senhor não é poderoso como Abraão ou rico como Potifar. Ele é incomparavelmente maior que qualquer homem, do que qualquer estadista ou governante. Nós somos mordomos de Deus. Pode ser até estranho pensar dessa maneira, mas a Bíblia traz inúmeros textos que nos ajudam a entender essa missão que nos foi confiada pelo Senhor. Vejamos os motivos pelos quais somos mordomos de Deus.

2.1 O universo onde vivemos pertence a Deus

2.2 O homem pertence a Deus

Analisando de maneira profunda nossa própria vida, percebemos que, apesar de ser dotados de grande autonomia pessoal, ainda assim não somos independentes: não nascemos por vontade própria, não decidimos o dia da nossa morte, não podemos simplesmente evitar uma doença ou tragédia em nossa vida, não podemos optar por vir ao mundo nesta ou naquela família. Enfim, algo se torna claro: não temos completa autonomia ou independência. O motivo é que pertencemos a Deus, que é nosso dono, tem domínio e autoridade sobre nós, e pode agir em nossa vida como nosso Senhor.

Por que Deus é meu dono? Há pelo menos três motivos:

a. Porque Ele me criou. (Gn 1.27; 2.7; Is 42.5; 43.1-7; Ez 18.4)

b. Porque Ele me sustenta. (At 14.15-17; 17.22-28; Cl 1.17; 1Pe 1.5)

c. Porque Ele me comprou. (Êx 19.5; 1Co 6.19-20; Tt 2.14; Ap 5.9)

Tal qual Eliézer e José cuidavam dos bens de seu senhor, mas também lhes pertenciam por direito, assim somos nós: vivemos no universo criado por Deus, mas também somos criaturas de Deus e a Ele pertencemos. Veja que tanto Eliézer como José eram servos, ou seja, foram comprados por seus senhores e lhes pertenciam por direito. Confira em Gênesis 24.2; 39.1.

Somos de Deus duas vezes. Ele nos criou e nos comprou, pagando o preço com o sangue precioso do Seu Filho. Lembrando disso, precisamos estar atentos no que diz respeito à nossa vida, que na verdade é dom de Deus para usarmos bem e com responsabilidade.

3. O que a mordomia nos ensina?

Reconhecendo que o universo e a própria vida pertencem a Deus, resta-nos agora parar para refletir: será que, antes de fazermos isso ou aquilo, temos nos lembrado de que, na verdade, estamos administrando coisas que pertencem a Deus? Será que nossos bens e nossa vida têm sido administrados com a consciência de que somos apenas mordomos, mantenedores, administradores e servos daquele que é o dono de tudo?

Refletindo nessa direção, acabamos por concluir que precisamos de três coisas:

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Cristão em Tempo Integral

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor