Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Código Oculto: Política criminal, processo de racialização e obstáculos à cidadania da população negra no brasil
Código Oculto: Política criminal, processo de racialização e obstáculos à cidadania da população negra no brasil
Código Oculto: Política criminal, processo de racialização e obstáculos à cidadania da população negra no brasil
E-book197 páginas2 horas

Código Oculto: Política criminal, processo de racialização e obstáculos à cidadania da população negra no brasil

Nota: 0 de 5 estrelas

()

Sobre este e-book

A EDITORA CONTRACORRENTE tem a honra de publicar o livro CÓDIGO OCULTO: POLÍTICA CRIMINAL, PROCESSO DE RACIALIZAÇÃO E OBSTÁCULOS À CIDADANIA DA POPULAÇÃO NEGRA NO BRASIL, da advogada Tamires Gomes Sampaio. A autora propõe uma reflexão acurada sobre os impactos do sistema de justiça na vida do povo negro brasileiro. Nas palavras do Prof. Silvio Almeida, "há, portanto, um ´sistema´ que se organiza de modo ´oculto´ para informar e normatizar a ação dos sujeitos que compõem o sistema de justiça. E esse sistema é o racismo, conclusão a que chega Tamires Gomes Sampaio ao olhar o entrelaçamento das raízes do racismo brasileiro e do sistema de justiça criminal". A autora faz uma leitura do processo histórico de formação do racismo estrutural, colocando-se como parte de uma tradição de mulheres negras que vêm tecendo as mais interessantes e agudas reflexões sobre racismo e o sistema de justiça. Portanto, uma obra essencial à incessante luta contra o racismo.
IdiomaPortuguês
Data de lançamento12 de ago. de 2020
ISBN9786599161278
Código Oculto: Política criminal, processo de racialização e obstáculos à cidadania da população negra no brasil
Ler a amostra

Relacionado a Código Oculto

Livros relacionados

Artigos relacionados

Avaliações de Código Oculto

Nota: 0 de 5 estrelas
0 notas

0 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

    Pré-visualização do livro

    Código Oculto - Tamires Gomes Sampaio

    2014.

    CAPÍTULO I

    ESCRAVIDÃO E RACISMO ESTRUTURAL

    A sociedade brasileira se estruturou a partir do sistema escravocrata, marcado pelo genocídio indígena e pela exploração dos povos africanos e afro-brasileiros, sequestrados e mercantilizados por meio do tráfico negreiro. Com o início no século XVI, estima-se que cerca de 10,7 milhões de africanos foram levados pelo mercado de escravos e, destes, cerca de 4.8 milhões vieram para o Brasil, ou seja, por volta de 48% do número total de africanos escravizados.¹⁵

    O tráfico negreiro, como pontua Luiz Felipe de Alencastro,¹⁶ em estudo que trata da formação do Brasil no Atlântico Sul e considera a relação entre a escravidão colonial e moderna, iniciou-se a partir da necessidade de Portugal de captar pedras preciosas para a manutenção do sistema mercantil com as Índias e os povos do Oriente.

    O translado dos africanos para o Brasil pelo Atlântico era realizado nos porões dos navios negreiros, onde os negros ficavam empilhados de forma insalubre e desumana. Como consequência, muitos deles não chegavam com vida em solo brasileiro em decorrência de doenças e tinham seus corpos atirados ao mar. Schwarcz e Starling¹⁷ discorrem sobre a precariedade dos navios:

    Procurava-se, de todo modo, otimizar os custos, colocando o maior número de pessoas no navio, o que com frequência correspondia a uma queda no abastecimento de víveres. Nesses casos os escravos, que normalmente comiam uma vez por dia, chegavam a passar a travessia inteira à base de azeite e milho cozido, e bebendo pouquíssima água potável, segundo atestam documentos. Entre cativos, mal alimentados desde o aprisionamento no interior e expostos a uma dieta pobre em vitamina C, grassava o escorbuto, a ponto de no século XVIII essa doença começar a ser chamada de mal de Luanda

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1