Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Sala de Aula Invertida: Desafios Para o Ensino Superior

Sala de Aula Invertida: Desafios Para o Ensino Superior

Ler a amostra

Sala de Aula Invertida: Desafios Para o Ensino Superior

notas:
4/5 (1 nota)
Duração:
173 páginas
1 hora
Lançados:
17 de set. de 2020
ISBN:
9788547334734
Formato:
Livro

Descrição

Neste livro você terá acesso ao desdobramento de uma pesquisa que buscou compreender os dilemas e desafios da sala de aula invertida quando aplicada no ensino superior. Na investigação surgem características como a falta de tempo dos estudantes para realizar as atividades em função da sua relação com o trabalho, as resistências com a nova postura do professor em sala de aula, além da identificação da necessidade de formação continuada dos professores.
Lançados:
17 de set. de 2020
ISBN:
9788547334734
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Sala de Aula Invertida

Livros relacionados

Amostra do livro

Sala de Aula Invertida - Eniel Espírito Santo

COMITÊ CIENTÍFICO DA COLEÇÃO EDUCAÇÃO, TECNOLOGIAS E TRANSDISCIPLINARIDADE

Dedico este trabalho ao meu companheiro, Elias, pelo apoio incondicional em todos os momentos, nas ausências em função das viagens para estudos, e principalmente nos de insegurança, os que são comuns em caminhadas como esta. Sem você esta conquista não faria sentido.

Aos meus pais, José Carlos (in memoriam) e Elizabeta, que me conduziram no caminho dos estudos, sempre mostrando a importância de estudar para chegar aonde se deseja.

Jonas dos Santos Colvara

AGRADECIMENTOS

Ao Prof. Dr. Eniel, agradeço pela oportunidade de realizar este trabalho ao seu lado, dividindo seu conhecimento e contribuindo sempre de forma muito respeitosa para meu crescimento, pela paciência comigo nos momentos de ansiedade e por sempre considerar meu ponto de vista na construção deste trabalho.

À minha família, em especial aos meus irmãos, Bruna e Jader e aos sobrinhos, Vitória, Murilo, Julia e Davi, pelo estímulo e compreensão nos momentos em que precisei me fazer ausente.

Aos amigos Rudson, Robson, Régis, Bruno, pela compreensão quando não pude lhes fazer companhia em alguns momentos, pois precisava de tempo para me dedicar a esta pesquisa.

Aos meus companheiros de mestrado, Sandra, Juliane e Iésu, com vocês ao meu lado esta caminhada ficou muito mais agradável.

À Poliana, por todo auxílio na aplicação da pesquisa de campo.

À faculdade pesquisada, representada por sua diretora, pelo apoio e confiança em executar tal pesquisa em sua instituição.

Jonas dos Santos Colvara

Educar é estar mais atento às possibilidades do que aos limites

José Manuel Moran

PREFÁCIO

Em primeiro lugar, quero agradecer aos autores deste livro o convite para prefaciar esta obra, resultado de um trabalho desenvolvido recentemente em contexto académico, e em segundo, queria destacar o valioso contributo e o novo olhar que esta obra representa para o pensamento na educação superior, o qual se fundamenta na atividade de pesquisa realizada a partir da abordagem do conceito de sala de aula invertida.

Ao longo dos capítulos que integram esta publicação, é desenvolvida, a partir da revisão das concepções educacionais de John Dewey, de Chris Alves, de José Armando Valente de José Moran, entre outros, uma proposta metodológica, sustentada na valorização das tecnologias digitais para a criação e inovação nas redes coletivas de aprendizagem e conhecimento.

Num tempo de profundas transformações, de um mundo estruturado de uma forma complexa na qual coabitam o analógico e o digital, o real e o virtual, o humano e a máquina, o off-line e o on-line, do reconhecimento de que vivemos numa nova ordem social, cultural, económica, política e até ética e da vertiginosa evolução das tecnologias, deparamo-nos com a necessidade de redefinir o lugar da pedagogia no ensino superior.

Conscientes dessa realidade e da necessidade de mudança, na generalidade, as instituições de ensino superior têm procurado adaptar-se a esse desafio. No entanto, grande parte do debate surge a partir de visões tradicionais da educação que encaram as tecnologias e o digital como essencialmente instrumental. Mais do que a utilização das tecnologias apenas pela sua utilização, a discussão tem de se centrar cada vez mais no seu impacto pedagógico e no que se depreende como bom ensino e como fatores de promoção da qualidade na aprendizagem.

A utilização da tecnologia com intenções educativas necessita de uma sustentação pedagógica ao nível das estruturas, dos intervenientes e das estratégias de ensino e de aprendizagem, porque mais importante que centrar a discussão no tipo de tecnologia a utilizar é identificar que propósito pedagógico se pretende atingir.

Existe, portanto, cada vez mais a necessidade de focar a discussão na pedagogia, nas pedagogias emergentes, em modelos e metodologias inovadoras, tal como é feito ao longo desta obra.

Assim, se nesse contexto aceitarmos que as tecnologias são ferramentas inovadoras para a criação de ecossistemas digitais de aprendizagem dinâmicos, e que metodologias como a sala de aula invertida configuram novos ambientes educativos, então é crucial reconhecer a necessidade de o processo ser sustentado por modelos que permitam produzir os resultados que esperamos alcançar! Modelos que poderão conjugar momentos presenciais com momentos on-line, síncronos e assíncronos, enquadrando-se essa estratégia de sala de aula invertida, ou "flipped classroom", numa abordagem claramente disruptiva.

Na sala de aula invertida os estudantes podem estudar os conceitos teóricos tendo acesso à informação acerca de um tema numa plataforma digital (por meio de vídeos, podcasts, textos, pesquisas etc.), realizam exercícios e aplicações práticas na sala de aula e consolidam e expandem os conhecimentos num momento posterior, não presencial. Essa é, assim, uma estratégia que pode permitir aos estudantes apreender mais profundamente os conceitos; permite-lhes ser mais ativos na aprendizagem, mudando o seu papel na aprendizagem, passando de recetor passivo para ativo construtor do conhecimento; amplia as oportunidades de interação entre pares, entre estes e o professor, desse modo os estudantes recebem mais feedback. Considerando, pois, essas possibilidades, por que é que nos deparamos com tantas resistências a esse modelo? É a essa e outras questões que este trabalho, de uma forma bem fundamentada, procura dar respostas.

E em face aos resultados da pesquisa e cujos dados são agora apresentados, podemos afirmar, ainda que de uma forma não generalizável, que estamos perante uma abordagem inovadora e problematizadora para uma mudança intencional das concepções de educação no desenho metodológico de novos ambientes de aprendizagem.

É nesse contexto de mudança, de transformação, de abertura a novas perspetivas e cenários de aprendizagem que devemos promover o desenvolvimento de comunidades de prática, construídas não apenas em territórios físicos, mas também em contextos de convivência digital e híbridos.

A presente obra constitui, pois, um novo enquadramento para a reflexão e a prática sobre a mudança nas concepções teóricas e práticas da pedagogia no ensino superior e uma visão disruptiva para a Educação na sociedade digital.

Prof. José António Moreira

Departamento de Educação e Ensino a Distância,

Universidade Aberta, Portugal

Sumário

1

INTRODUÇÃO

2

MARCO TEÓRICO E CONCEITUAL

ANTECEDENTES

MARCO TEÓRICO

Construtivismo 

Sociointeracionismo

Teoria do Desenvolvimento Proximal

Scaffolding

Escola nova

Teoria da aprendizagem significativa

Andragogia – O aprender do adulto

MARCO CONCEITUAL

Metodologias ativas

Metodologia da problematização 

Hibridismo

Método Peer Instruction

Sala de aula invertida

CONSIDERAÇÕES PARCIAIS

3

METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO

A INSTITUIÇÃO PESQUISADA

DEFINIÇÃO DA AMOSTRA

INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS

Revisão bibliográfica 

Questionário

Grupo focal

Descrição do grupo focal

Entrevistas com docentes

TÉCNICAS PARA A ANÁLISE DOS DADOS

Processamento das categorias de análises

Triangulação dos dados

Considerações éticas da pesquisa

4

ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS

QUESTIONÁRIO APLICADO AOS ESTUDANTES

ENTREVISTA COM OS DOCENTES

GRUPO FOCAL

TRIANGULAÇÃO DOS DADOS

SUGESTÕES DE MELHORIAS

5

CONSIDERAÇÕES FINAIS

PROBLEMÁTICA DA PESQUISA

OBJETIVOS

PERGUNTAS NORTEADORAS DA PESQUISA

RECOMENDAÇÕES

REFERÊNCIAS

1

INTRODUÇÃO

As pessoas vivem cercadas por um mundo plural, dinâmico e em constante mudança. Com a

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Sala de Aula Invertida

4.0
1 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor