Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Chamados para estar com Ele
Chamados para estar com Ele
Chamados para estar com Ele
E-book157 páginas2 horas

Chamados para estar com Ele

Nota: 5 de 5 estrelas

5/5

()

Ler a amostra

Sobre este e-book

"Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da vossa confissão". HEBREUS 3:1

A nossa vocação é celestial. Fomos chamados para uma única coisa: viver o céu na Terra. Por esse motivo, Deus colocou Seu Reino dentro de nós, para vivermos o Reino na Terra.

Chamados para estar com Ele tem um profundo e simples objetivo, tal qual o tem o próprio Evangelho: impelir você a estar com Ele, nosso Tudo, nosso Princípio e Fim, nossa Razão, o Combustível e o Objetivo final de vida, nossa Origem e nosso Destino.
IdiomaPortuguês
Data de lançamento13 de abr. de 2020
ISBN9788582457016
Chamados para estar com Ele
Ler a amostra

Leia mais títulos de Luiz Hermínio

Relacionado a Chamados para estar com Ele

Ebooks relacionados

Avaliações de Chamados para estar com Ele

Nota: 5 de 5 estrelas
5/5

4 avaliações0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

A avaliação deve ter pelo menos 10 palavras

    Pré-visualização do livro

    Chamados para estar com Ele - Luiz Hermínio

    HERMÍNIO

    "A palavra do Senhor, que veio a Jeremias, dizendo:

    Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.

    E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas,

    Como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.

    Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

    Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel"

    JEREMIAS 18:1-6

    Deus tem uma obra e a tarefa é bem específica. Não existe um plano B determinado por Ele a nosso respeito, somente um plano A. E nós, como Igreja, como a expressão de Cristo na Terra, precisamos claramente entender qual é a obra de Deus. Sem entendimento, não haverá cooperação e, sem cooperação, os planos d’Ele a nosso respeito não se cumprirão.

    No primeiro livro desta série, A responsabilidade do homem para o avivamento, meu claro encargo foi despertar a Igreja para o fato de que a responsabilidade para estabelecer o avivamento não está em Deus, mas sim na resposta que Ele espera de Sua Noiva. Avivamento não é o que você recebe, mas a resposta que você dá para o que recebe. Sendo assim, é possível que toda uma geração possua o potencial e a promessa de estabelecer um avivamento, mas morra sem vê-lo acontecer. Quem tem promessa pode envelhecer e, ainda assim, não a ver se cumprir. Há uma responsabilidade da nossa parte para que aquilo que já foi determinado no céu seja estabelecido na Terra, afinal.

    No segundo livro, Visão Celestial, meu desejo foi mostrar pela Palavra que nossa visão precisa estar completamente alinhada à visão de Deus para que Ele cumpra Seus propósitos em nossas vidas e estabeleça o avivamento. Somente a correta visão nos conduzirá ao correto destino. Quando somos despertados, enxergamos o caminho. Ao abrir nossos olhos espirituais, vemos a correta porta diante de nós, mas é preciso mais uma coisa: PERMANECER no caminho, até que venha o avivamento, até que todo o plano A de Deus se estabeleça.

    O primeiro livro foi um despertar, o segundo indica a porta, mas este terceiro objetiva auxiliá-lo a manter o caminho sem se desviar. É muito importante que a Igreja desperte, que entenda o que precisa fazer, compreendendo em espírito e verdade COMO FAZER, como se manter firme na visão celestial, sem atalhos, sem contornos, sem deslizes.

    Por que muitos homens de Deus, claramente movidos pelo Espírito d’Ele, começam tão bem, estabelecendo por um tempo o Seu governo nesta Terra, por meio de feitos maravilhosos, mas não terminam bem seus chamados? Por que a Igreja do Brasil parece ter experimentado tantos moveres, tanto crescimento em número de evangélicos, mas nossa nação ainda se mostra debaixo de tantas obras das trevas? Corrupção, injustiça, prostituição, miséria, enfermidades e pestes, violência… estas são obras do diabo. Apesar do crescimento da Igreja em número, não vemos o resultado do governo de Deus nas cidades. Por quê? Porque temos templos cheios de pessoas vazias! Porque houve um claro desvio no meio do caminho. Precisamos voltar ao plano A. E vamos voltar!

    Nós necessitamos entender como Deus trabalha, porque nenhuma visão que Ele dá possui defeito. Toda visão que Deus dá é perfeita, porém, nós nos perdemos na aplicação, nos perdemos quando distorcemos a visão, e quando a manipulamos. O problema é que nós queremos pegar as coisas que Deus nos dá e queremos conduzi-las do nosso jeito. Quando Ele fez o Tabernáculo, deu para Moisés o perfeito desenho e orientou:

    "Os quais servem de exemplo e sombra das coisas celestiais, como Moisés divinamente foi avisado, estando já para acabar o tabernáculo; porque foi dito: Olha, faze tudo conforme o modelo que no monte se te mostrou."

    HEBREUS 8:5

    Deus sempre estabelece modelos divinos para o homem. Sempre que seus projetos eram minuciosamente desenvolvidos conforme as medidas exatas, sua presença invadia o lugar e o propósito eterno se cumpria na história.

    Retomando a citação que inicia este capítulo, Jeremias precisava entender o que Deus estava fazendo. A obra de Deus são as pessoas. Deus estava na roda fazendo a Sua obra. A obra de Deus somos nós. Ele ainda não terminou Seus planos com você! O nosso desvio está em sairmos de sobre as rodas. Fomos chamados para permanecermos em Suas mãos. Não podemos sair desse lugar, temos de permanecer n’Ele, porque essa é a Sua obra. A partir do momento em que nos retiramos das mãos do Oleiro, não cooperamos mais com a obra d’Ele e já estaremos metidos a fazer nossa própria obra. Ele tem um desenho perfeito, um plano original.

    "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;

    E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade".

    EFÉSIOS 1:4-5

    Antes mesmo da fundação do mundo, fomos planejados e escolhidos por Deus para, em primeiro lugar, sermos santos e irrepreensíveis diante d’Ele em amor. Essa é a obra: o Oleiro quebrando o vaso sobre as rodas e fazendo de novo, até que seja dia perfeito.

    E subiu ao monte, e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele.

    MARCOS 3:13

    Jesus subiu ao monte e chamou quem Ele quis. Judas foi chamado também. Ele sobe ao monte e chama quem quer para estar com Ele. Ele não mandou ninguém abrir igreja, Ele não mandou ninguém gravar CD, Ele não mandou ninguém escrever livro. Ele nos chamou para estarmos com Ele. Tudo isso que fazemos deve ser fruto de, antes, termos estado com Ele, caso contrário, não temos fruto, só produto.

    "Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus"

    ATOS 4:13

    Esta passagem revela que os apóstolos pregavam com tanta veemência, com tanto poder, que reconheceram que aqueles dois pescadores ignorantes só podiam ter estado com Jesus. Deus não chamou você para pregar ou expulsar demônios sem primeiro estar com Ele. Depois de estar com Ele, todos verão que o fruto da sua vida só pode ser o fruto de alguém que anda com Jesus e, então, o testemunho ficará claro.

    Existe uma grande diferença entre unção e fé. Estar com Jesus nos dará unção, mas o fundamento da obra de Deus não é esse. A obra d’Ele é o desenvolvimento da nossa fé e o aperfeiçoamento do nosso caráter à imagem de Jesus. Uma coisa é a unção que Ele dá, outra é a obra feita dentro de nós. Muitos querem estar com Ele pela unção, mas não se permitem ficar nas mãos do Oleiro. Muitos também confundem unção com caráter. A unção é aquilo que o Espírito nos concede, mas o caráter de Jesus é aquilo que Cristo obtém de nós. A unção é uma habilidade sobrenatural que vem sobre você para o serviço. É a capacitação de Deus para o trabalho que Ele tem para você.

    O espírito do Senhor Deus está sobre mim; porque o Senhor me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos

    ISAÍAS 61:1

    Ele nos ungiu para trabalhar, pregar, expulsar demônios, consolar…

    A fé, por sua vez, a fé bíblica e verdadeira, a que a Bíblia ensina, não é simplesmente para conquistar coisas, mas sim para entender o seguinte: Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti (Isaías 43:2)

    A obra de Deus não serve para nos dar poder, mas para construir Cristo em nós. Seu único plano sempre foi ter uma família de muitos filhos iguais a Jesus. Não há outro caminho, não existe outra prioridade na agenda de Deus. A pessoa de Jesus formada em nós é o centro, é o mais importante, sem isso não existe obra e não existe a vontade de Deus. Uma pessoa que tem a unção e não tem caráter logo vai escandalizar o testemunho de Jesus e não terá sua fé aperfeiçoada. Uma pessoa forjada, porém, cheia de Cristo, tem testemunho, tem fruto, tem unção, tem poder, enfim, tem tudo!

    Desça à casa do Oleiro para ver como Ele faz Sua Obra. (Jeremias18:1-6). Quando Deus chama Jeremias, Ele não está preocupado em colocá-lo para trabalhar, Ele o chama para assistir. Ele diz: Jeremias, vem aqui ver como Eu faço a Minha obra, é assim que Eu trabalho, Eu quero dar o melhor de Mim, mas quebra, porque quando alguém quebra na minha mão, Eu faço de novo e, se quebrar, Eu faço de novo e, se quebrar, Eu faço de novo… e vou fazer quantas vezes precisar, desde que não saia das minhas mãos.

    A sequência correta do que devemos buscar, portanto, é: fé, unção e glória. A fé não vem por coisa ungida, a fé vem pelo ouvir, e o ouvir da Palavra de Deus. E quando sou aperfeiçoado na fé, Deus me dá habilidades e unção. Eu tenho unção para trabalhar porque Deus percebeu que tenho fé! Eu estou ouvindo o que Ele quer, não estou ouvindo meu coração, não estou ouvindo a mente de ninguém, nem sonhos individualistas, eu estou ouvindo Deus! Esse é o processo correto. Não devemos buscar a unção como um fim em si, só porque precisamos trabalhar para Deus. A unção que frutifica e permanece é um subproduto daquilo que Ele faz com quem se deixa permanecer em Suas mãos.

    Fé, unção e glória. A glória é manifesta quando, como Corpo de Cristo, bem alinhados e engajados, compreendendo a obra de Deus e nossa cooperação, somos capazes de estabelecer o governo de d’Ele nas cidades. A glória é quando Josué entende seu chamado de descer à peleja, quando Moisés entende seu trabalho de subir e quando Ur e Arão entendem seu trabalho de sustentar. Dessa coesão de intercessão, adoração e serviço, poderemos todos juntos conquistar a Terra. Uma coisa eu creio: a glória é ainda muito melhor que a unção. A glória é o processo do governo do Espírito Santo.

    Ele nos chamou para estarmos com Ele, não para trabalharmos para Ele. Não ponha a mão no arado se você não tem convicção de estar com Ele. Fique na vocação que foi chamado a estar. A palavra vocação vem do latim vocare = chamar. Quando Paulo diz: Cada um fique na vocação em que foi chamado (1 Coríntios 7:20), ele está admoestando-nos a fazer o que Deus nos chamou a fazer! Fique na chamada de Deus. Só mude se a nuvem mexer. Se ela não mexer, não mude.

    Nossa vocação e nosso chamado é estar com Ele, antes de tudo. Cuidado. Não construa para competir, não faça porque acha que tem de fazer, porque você saiu de alguma denominação e agora quer dar provas de que também sabe fazer. Não, você não vive de resultados. Quando

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1