Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Conexão com o bebê: antes, durante e após a gestação

Conexão com o bebê: antes, durante e após a gestação

Ler a amostra

Conexão com o bebê: antes, durante e após a gestação

notas:
5/5 (1 nota)
Duração:
140 páginas
2 horas
Editora:
Lançados:
1 de out. de 2019
ISBN:
9788582457283
Formato:
Livro

Descrição

Após sucesso do Bendizer: o livro das tentantes numa visão espiritual, a autora Gabriela Lacerda traz mais ensinamentos curativos para mulheres que desejam ser mães conscientes. Segundo a autora, o bebê chega até a sua mãe antes mesmo da concepção. Em outra dimensão, ele acompanha os seus passos até que haja a conexão perfeita para uma aproximação aqui no plano físico. É sobre essa ligação tão especial e genuína, que também perpassa pela gravidez e após o parto, que ela explora neste novo livro recheado de espiritualidade e amor. Se você é tentante, gestante ou já é mamãe, prepare-se para refletir sobre a sua jornada e conhecer práticas espirituais que vão transformar a sua relação com seu filho ainda no berço da Criação, no seu ventre e em seus braços. Receba essa guiança e viva uma maternidade amorosa. O mundo agradece.
Editora:
Lançados:
1 de out. de 2019
ISBN:
9788582457283
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Conexão com o bebê

Livros relacionados

Amostra do livro

Conexão com o bebê - Gabriela Lacerda

recomendada

Apresentação

Após escrever o Bendizer: o livro das tentantes numa visão espiritual, faz-se necessário compartilhar ensinamentos ainda mais profundos para quem deseja ser mãe e acredita numa jornada espiritual, aquela que vai além do corpo físico. Portanto, se você é tentante e ainda não leu o Bendizer, sugiro que você faça isso antes de iniciar os estudos das próximas páginas e as práticas metafísicas da presente obra.

Digo isso porque tanto o arcabouço teórico quanto os exercícios do livro Bendizer funcionam como o cimento, ou seja, a nossa base de conexão com o nosso bebê antes mesmo dele chegar em nosso ventre. Afinal de contas, defendemos a ideia de que o seu filho já existe no berço da Criação – isso independe da forma como ele chegará até você (natural, reprodução assistida ou adoção).

Por ser uma criança da Nova Era, com alto poder espiritual, precisa encontrar a vibração perfeita para chegar nesta dimensão e isso significa que você deverá emitir uma frequência magnética elevada, de puro amor, para que o seu tão sonhado filho consiga se aproximar, fixar-se e se desenvolver perfeitamente em seu ventre.

Daí a necessidade de purificar o seu coração, abandonando emoções e hábitos nocivos que minam o seu campo energético, como medo, maledicência, raiva, culpa etc.

Se você já leu e fez o fichamento do Bendizer, selecionando os principais conceitos do livro, bem como realizou as 21 práticas sugeridas até incorporá-las em sua rotina, você está pronta para começar uma linda jornada de conexão com o seu bebê ainda no berço da Criação. Se você está aqui, com esse livro nas mãos, não tenha dúvidas de que foi um movimento do seu filho para ajudá-la neste tão esperado e amado encontro que ocorrerá em breve.

Apenas lhe peço que não duvide do seu poder espiritual e da sua guiança. Entregue-se e veja a linda cortina que irá se abrir, mudando a sua jornada para sempre.

Se você já está grávida, tome posse do seu momento tão sagrado. Aqui, a gestação é vista numa perspectiva completamente divina, cuja relação mãe-bebê é apenas uma só. Portanto, você será convidada a incorporar em seus dias práticas que vão estreitar ainda mais essa fusão tão singular.

Não indicamos que faça os exercícios sobre perdão, que realizaremos nesta obra para manter o seu bebê longe de qualquer excesso de carga emocional negativa. Quando iniciamos um trabalho como esse, não sabemos qual gatilho será despertado, então, peço que pule essa parte com toda consciência que lhe cabe.

Não tenho dúvidas de que esse livro facilitará a história que você e seu filho já estão construindo antes mesmo do parto. A vida intrauterina é basilar na caminhada de qualquer ser humano, por isso cuide muito bem da jornada de quem confiou em você a sua orientação por aqui.

O mesmo digo a você que já é mamãe e deseja aprender formas de se conectar com o seu filho. Fico feliz em saber que você reconhece a necessidade dessa continuação pós-vida no útero. Esse vínculo que liga a mãe e o filho deve ser cuidado para todo o sempre, por isso, não abrimos mão de compartilhar com você, mamãe, exercícios que vão aproximá-los ainda mais. Parabéns pelo seu olhar amoroso. A sociedade agradece. É um privilégio estar com vocês neste momento. Gratidão pela confiança. Somos todos um!

Com amor, gratidão e leveza,

Gabby Lacerda

Introdução

De onde vem a sua vontade de ser mãe? Você já se fez essa pergunta? Na minha história de vida, ela sempre se mostrou presente por meio das brincadeiras com bonecas e peças de teatro da escola. Sempre me imaginei adulta com filhos. Numa visão terrena, certamente posso dizer que tive influência cultural e toda a sua representação sobre família. Numa perspectiva metafísica, sei que já estava no meu programa de vida.

A minha crença espiritual traz como informação primordial a ideia de que há um plano divino que nos conduz a essa vontade de ser mãe, uma espécie de programa, que nos leva a atrair as circunstâncias necessárias para a realização da maternidade (e pode ocorrer por diversas formas, como veremos a diante). Não existe nada solto no Universo. Toda a nossa história perpassa pela consciência crística, e quando nos conectamos a ela, tudo flui.

Com a maternidade não é diferente. Podemos encontrar alguns obstáculos no caminho – doenças, parceiros/parceiras abusivos, estilo de vida nocivo etc. –, mas, quando existe o DNA materno, tudo irá cooperar para a realização desse desejo, que pode ser via natural, reprodução assistida, adoção ou o ato de cuidar de alguém sem precisar recorrer ao rótulo de mãe.

Nesse sentido, ressaltamos que o filho vem para essa dimensão atraído pela energia da mãe, o que não significa dizer que a atuação do pai não seja importante. É muito, porém a criança da Nova Era precisa sentir segurança daquela que irá recebê-lo em seu ventre ou já no lar, em casos de adoção, porque ela já não precisa e nem deseja mais viver nesta dimensão como sobrevivente. E isso acontece quando há desamor materno (violência, abusos, chantagens, vícios etc.).

Desde quando recebi o diagnóstico de infertilidade masculina, tinha a certeza de que era um chamado espiritual. Um chamado é sempre a maneira amorosa que a vida lhe convida para repensar as suas escolhas, seu propósito e sentido da vida. Algumas pessoas vão ser convocadas por meio de algum acidente grave, outras por falta de dinheiro, câncer, entre outros. Aqui em casa, esse convite veio por meio da possibilidade de não ter filhos de forma natural.

Ao abrir o espermograma de meu marido e encontrar um exame completamente alterado, fui imediatamente tomar um ar puro na empresa em que trabalhava. Olhei para o céu, meu lugar seguro, e pensei: Senhor, eu sei que há algo que preciso aprender nisso. Estou disposta a aprender. Me mostre, por favor.

Abracei a minha humildade e tomei as providências físicas – agendar um urologista e depois um especialista em reprodução humana – e metafísicas, na época, participar de um grupo de crescimento no Centro Espírita que já frequentava, me submeter a cirurgias espirituais com meu marido e reforçar o Evangelho no Lar, baseado nos ensinamentos de Allan Kardec.

A essa altura, já conversava com meu filho no mundo espiritual. Dizia a todo tempo: Filho, me mostre o que preciso fazer para lhe ter aqui comigo. Durante o Evangelho que fazia sozinha, no quarto, sempre encerrava com uma oração pedindo a Deus misericórdia e conversando diretamente com o nosso bebê.

Eu me sentia preenchida por uma presença sobrenatural e logo que me coloquei nesse movimento de busca por uma conexão interdimensional, comecei a ter rapidamente as respostas que precisava para a minha jornada.

A primeira delas veio quando meu marido, Thiago, recebeu uma mensagem psicografada do mentor da casa espírita que fazíamos o tratamento, dizendo que só a cirurgia espiritual não seria suficiente e que seria necessário buscar outros recursos. A pessoa que entregou a ele o papel com a condução espiritual logo fez a leitura: Você vai precisar adotar. É um karma, portanto, a sua paternidade virá de filhos adotivos.

A segunda veio diretamente para mim, quando a voluntária que me orientava neste mesmo centro, me disse: Há uma criança em seu campo. Você vai engravidar. Se para o meu marido a espiritualidade informou que não seria de forma natural e, para mim, aquela pessoa tão doce me dizia que havia um ser em outra dimensão me desejando como mãe, logo percebi que precisava avançar ainda mais neste movimento de autocura. A meu ver, aquelas informações precisavam se encaixar.

Meu marido logo sugeriu que fôssemos no outro centro em que ele sentia ser mais familiar. Agendamos uma consulta, cada qual com uma atendente, e após relatarmos a nossa situação recebemos a mesma resposta: Vocês precisam adotar. Quando há esse problema é porque vocês não nasceram nesta vida para ter filhos. Há muita criança no mundo precisando de uma família.

Ao ouvir aquelas palavras, meu coração contraiu. Meu marido sentiu o mesmo. Era como se aquela orientação não casasse com a nossa história, mesmo tendo consciência de que a adoção sempre foi um assunto que tratamos com muita leveza e amorosidade em nossa casa, antes mesmo do diagnóstico.

Os dias foram passando e eu continuava em busca de repostas. Lembro-me de que passei a pedir a Deus: "Me envia, Senhor, os ensinamentos de que preciso para ter meu filho aqui comigo. Confia, em mim,

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Conexão com o bebê

5.0
1 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor