Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Do corpo ao pó: Crônicas da territorialidade kaiowá e guarani nas adjacências da morte

Do corpo ao pó: Crônicas da territorialidade kaiowá e guarani nas adjacências da morte

Ler a amostra

Do corpo ao pó: Crônicas da territorialidade kaiowá e guarani nas adjacências da morte

Duração:
450 páginas
6 horas
Lançados:
2 de jun. de 2020
ISBN:
9786587235080
Formato:
Livro

Descrição

Do corpo ao pó é o primeiro livro de um antropólogo e advogado cujo trabalho alia inteligência, talento e generosidade. Bruno Martins Morais está na trincheira, no pronto-socorro, como advogado atuante na defesa dos Guarani. Mas também faz mais: tenta desvendar como eles constroem sentido em uma história de extrema violência. Contra os que acham que é luxo procurar entender o mundo de quem é trucidado, Bruno mostra a importância de fazê-lo. Este é um grande e magnífico livro.
— Manuela Carneiro da Cunha

Este livro foi escrito em linguagem clara, direta e com tons poéticos, o que permitiu ao autor discorrer sobre o complexo e pesado tema da morte kaiowá e guarani de modo sensível e profundo, sem o apelo fácil à trágica situação de violência e abandono vivenciada pelas comunidades onde desenvolveu a pesquisa. O tratamento dispensado aos dados faz emergir os modos kaiowá de transformação dos sentidos da morte e do morto, a partir do acionamento de elementos de sua própria cosmologia. Tal transformação é realizada em estreito diálogo com a experiência histórica atual, na compreensão e enfrentamento de situações de vulnerabilidade e conflitos fundiários. Nesse movimento, as comunidades se empenham em assegurar direitos fundamentais cotidianamente negados, em especial o acesso à terra. Os mortos passam a ser mais um ingrediente nessa luta.
— Levi Marques Pereira
Lançados:
2 de jun. de 2020
ISBN:
9786587235080
Formato:
Livro

Sobre o autor


Amostra do livro

Do corpo ao pó - Bruno Martins Morais

morte.

1

AS ADJACÊNCIAS

DA MORTE

Sr. Arnaldo diante da sepultura do filho, no Passo Piraju

Foto: Cristiano Navarro

Southern trees bears a strange fruit

blood on the leaves,

blood ot the roots.

Strange fruit, blues cantado

por Billie Holliday

— Que o guri se jogou do ônibus, e morreu. E foi assim que ele cunhou no papel, no óbito — com essas palavras foi que o Sr. Arnaldo começou a falar da morte de seu filho, um rapaz de 16 anos que caiu ou foi atirado, não sei, de um ônibus em movimento a caminho do trabalho no corte de cana. A entrevista foi tomada em agosto de 2013 no Passo Piraju, um acampamento kaiowá próximo de Dourados. Na gravação em áudio, o diálogo segue, vez em quando interrompido pelas observações de Dona Macilene, sua

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Do corpo ao pó

0
0 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor