Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Sexo louco!: Nos insetos, caracóis, aranhas e outros bichos
Sexo louco!: Nos insetos, caracóis, aranhas e outros bichos
Sexo louco!: Nos insetos, caracóis, aranhas e outros bichos
E-book141 páginas44 minutos

Sexo louco!: Nos insetos, caracóis, aranhas e outros bichos

Nota: 0 de 5 estrelas

()

Sobre este e-book

Uma maneira divertida de se falar sobre a reprodução de alguns invertebrados, pois a brincar também se aprende...
A importância dos feromonas, a corte nupcial, as estratégias de abordagem e as estranhas formas que alguns desses pequenos seres engendram para se reproduzir são abordadas nesta pequena obra profusamente ilustrada.
Recorrendo a um certo estilo antropomórfico, como se "eles" pensassem, sentissem e falassem como nós, o autor brinca com as situações — algumas bem caricatas — sem dispensar o necessário rigor didático.
Aranhas-caranguejo, caracóis, abelhas, aranhas-vespa, moscas-escorpião, louva-a-deus, moscas-assassinas, traças dos livros, ácaros, donzelinhas e percevejos de cama são os protagonistas que fazem parte desta lista de convidados.
Vamos, então, desvendar as suas pequenas intimidades...
IdiomaPortuguês
Data de lançamento1 de jun. de 2021
ISBN9786500230376
Sexo louco!: Nos insetos, caracóis, aranhas e outros bichos
Ler a amostra

Leia mais de Carlos Falcão De Matos

Relacionado a Sexo louco!

Avaliações de Sexo louco!

Nota: 0 de 5 estrelas
0 notas

0 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

    Pré-visualização do livro

    Sexo louco! - Carlos Falcão de Matos

    INTRODUÇÃO

    Uma maneira divertida de se falar sobre a reprodução de alguns invertebrados, pois a brincar também se aprende...

    A importância dos feromonas¹, a corte nupcial, as estratégias de abordagem e as estranhas formas que alguns desses pequenos seres engendram para se reproduzir, são abordadas nesta pequena obra profusamente ilustrada.

    Recorrendo a um certo estilo antropomórfico, como se eles pensassem, sentissem e falassem como nós, o autor brinca com as situações — algumas bem caricatas —, sem dispensar o necessário rigor didático do texto.

    Aranhas-caranguejo, caracóis, abelhas, aranhas-vespa, moscas-escorpião, louva-a-deus, moscas-assassinas, traças dos livros, ácaros, donzelinhas e percevejos de cama são os protagonistas que fazem parte desta lista de convidados.

    Vamos, então, desvendar as suas pequenas intimidades...

    Sobre o autor

    Carlos Falcão de Matos foi editor de livros didáticos, paradidáticos e infantis, entre outras publicações e coautor de manuais escolares de ciências naturais. Também foi autor de livros infanto-juvenis, destacando-se a agenda pedagógica A MINHA AGENDA, com desenhos de Zé Manel e parceria comercial com a RTC/RTP (Rádio Televisão Portuguesa). Essa publicação foi durante onze anos uma importante referência editorial devido ao seu sucesso junto dos jovens (e menos jovens) leitores.

    Na sua longa carreira profissional de mais de três décadas como editor, o autor fez parte de prestigiadas editoras portuguesas, como a PLÁTANO EDITORA, de que foi sócio fundador em 1972 e diretor de produção. Em 1975 foi sócio, administrador e diretor-geral da DIDÁTICA EDITORA, empresa fundada em 1944 por três sócios, entre os quais o seu avô, o insigne professor e autor didático Alves de Moura.

    Em 1979 fundou a EDITORIAL O LIVRO, uma empresa pioneira em muitos projetos didáticos inovadores e que alcançou uma invejável posição no mercado do livro escolar. Nessa época foi igualmente diretor da revista pedagógico-recreativa A TURMA X com cento e vinte mil assinantes, constituídos na sua maioria por alunos e professores das escolas do ensino médio.

    Foi igualmente sob a sua direção que nasceu a NETLIVRO, um dos primeiros sites europeus com conteúdos pedagógicos gratuitos, destinados aos alunos do ensino médio.

    A residir no Brasil desde 2005 e casado com Cleonice Matos, o autor tem-se dedicado à fotografia de Natureza e à escrita de livros sobre o meio ambiente e a vida animal. Os fenômenos paranormais e outras manifestações das esferas espirituais têm sido, também, motivo de estudo e reflexão por parte do autor e da sua esposa, sendo que ambos sempre se sentiram atraídos por um tema que tem tanto de fascinante, quanto de misterioso e transcendente.

    Já radicado em terras brasileiras, o autor foi convidado a realizar alguns trabalhos no estrangeiro, nomeadamente em Angola e Moçambique, com reportagens fotográficas de regiões do interior, do litoral e de centros urbanos, para recolha de material iconográfico e conteúdos didáticos destinados a manuais escolares adotados nesses países.

    MORRER POR AMOR?

    O TOMISÍDEO MACHO, também conhecido por aranha-caranguejo, não foi nada abençoado pela fadinha da sorte. Além de ser um minúsculo aranhiço, de tamanho insignificante face ao tamanhão da fêmea, ainda por cima corre o risco de ser cardápio dessa ingrata comilona.

    Mas a culpa é dele. Se tivesse juizinho ficava camuflado numa flor, apanhando aqui e ali uma mosquita ou passeando tranquilamente pelo jardim atrás de bichinhos. Mas esse infeliz não consegue resistir à tentação do sexo quando o instinto de reprodução — apenas interessado na preservação da espécie — vai empurrá-lo para uma morte prematura.

    É a sina de quase todos os aracnídeos machos, como os dois patetinhas (fig. 7) que andam a brincar aos namorados na teia da voraz aranha-zebra fêmea (Argiope bruennichi), que os aguarda com apetite. Depois da cópula (fig. 8), já se sabe... Nhac!

    05. argiope 7, 8.jpg

    Compreende-se, então, que o tomisídeo desta história, deteste as muito sortudas moscas-escorpião, assim como os besouros, os percevejos,

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1