Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna

Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna

Ler a amostra

Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna

notas:
3/5 (2 notas)
Duração:
254 páginas
1 hora
Lançados:
15 de jan. de 2018
ISBN:
9788553400058
Formato:
Livro

Descrição

Direcionado a técnicos da reparação automotiva, este livro apresenta os procedimentos corretos estabelecidos pela engenharia automobilística para efetuar diagnósticos e reparações nos sistemas que agregam e dão suporte ao funcionamento do motor de combustão ciclo OTTO, com intuito de promover alto desempenho, economia de combustível, alta durabilidade do motor e baixo índice de emissões de poluentes.
Lançados:
15 de jan. de 2018
ISBN:
9788553400058
Formato:
Livro

Sobre o autor


Relacionado a Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna

Livros relacionados

Artigos relacionados

Categorias relacionadas

Amostra do livro

Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna - Melsi Maran

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Maran, Melsi

Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna / Melsi Maran. – São Paulo : SENAI-SP Editora, 2013.

200 p. : il. -- (Área Automotiva.)

Inclui referências

ISBN 978-85-65418-39-3

1. Diagnóstico de motor 2. Eficiência térmica 3. Motor de combustão interna 4. Regulagem de motor I. Título.

CDD 621.43

Índices para o catálogo sistemático:

1. Motor de combustão interna 621.43

2. Reparação automotiva 621.43

SENAI-SP Editora

Avenida Paulista, 1313, 4o andar, 01311 923, São Paulo – SP

F. 11 3146.7308 | editora@sesisenaisp.org.br

www.senaispeditora.com.br

Conselho editorial

Paulo Skaf (Presidente)

Walter Vicioni Gonçalves

Débora Cypriano Botelho

Ricardo Figueiredo Terra

Roberto Monteiro Spada

Neusa Mariani

Comissão editorial

Milton Gava

Osvaldo Lahoz Maia

João Ricardo Santa Rosa

Vilson Polli

Adelmo Belizário

Ophir Figueiredo Júnior

José Carlos Dalfré

Escola SENAI Conde José

Vicente de Azevedo

Fabio Rocha da Silveira (Diretor)

Editor chefe

Rodrigo de Faria e Silva

Editoras assistentes

Ana Lucia Sant' Ana dos Santos

Juliana Farias

Beatriz B. M. de Souza (Estagiária)

Editoração e produção gráfica

Paula Loreto

Camila Catto

Valquíria Palma

Maysa Paiva (Estagiária)

Comunicação editorial

Gabriella Plantulli

Divulgação e promoção

Valéria Vanessa Eduardo

Administrativo e financeiro

Raimundo Ernando de Melo Junior

Felipe Augusto Ferreira de Oliveira

Flávia Regina Souza de Oliveira

Márcio da Costa Ventura

Comercial

Vanessa Buzeli Bonomo Vicente

Raphael Caldeira

Preparação

Muiraquitã Editoração Gráfica

Revisão

Fernanda Batista

Projeto gráfico original

Estúdio Bogari

Diagramação

Lura Editorial

Imagens

Volkswagen do Brasil (gentilmente cedidas)

Acervo do autor

Matheus Lima

© SENAI-SP Editora, 2013

Prefácio

O ritmo de crescimento da frota de veículos nos últimos anos tem superado o da população em grande parte dos municípios brasileiros. Ao mesmo tempo que os veículos representam mais mobilidade e uma solução para a melhoria da qualidade de vida do cidadão, há também a preocupação com os efeitos de sua grande concentração, sobretudo nas metrópoles.

Além das questões relacionadas à segurança no trânsito, tem sido crescente a preocupação com os efeitos ambientais decorrentes do uso intenso dos veículos automotores. Nesse sentido, o Código Nacional de Trânsito, instituído pela Lei no 9.503/97, prevê a implantação de Programas de Inspeção e Manutenção de Veículos.

De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a idade média da frota nacional de veículos é de 9,4 anos. Fabricantes, sistemistas e entidades de classe do setor são unânimes sobre a importância da manutenção preventiva dos veículos como forma de garantir o bom desempenho, a segurança e o controle das emissões veiculares.

Novas tecnologias estão sendo incorporadas aos sistemas veiculares, incluindo o conjunto motopropulsor, que vem sendo aprimorado para proporcionar o melhor desempenho com o menor consumo de combustível e menor nível de emissões de poluentes. Para manter esses sistemas em plenas condições de funcionamento são requeridos profissionais cada vez mais qualificados e conscientes sobre as questões voltadas ao meio ambiente.

O SENAI de São Paulo, além da formação tradicional do mecânico automobilístico, implantou de forma inédita, em 1996, o Curso Técnico em Manutenção Automotiva, e mais recentemente, em 2012, o Curso Superior de Tecnologia em Sistemas Automotivos, com o intuito de suprir essa demanda por profissionais qualificados.

Com o objetivo de fornecer material de apoio didático às nossas escolas, bem como aos demais estudantes e profissionais que atuam no setor de manutenção automotiva, a SENAI-SP Editora incluiu em sua série Informações Tecnológicas o livro diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna, que reúne informações sobre o princípio de funcionamento do motor e seus sistemas, seu desempenho e recomendações para execução do diagnóstico de falhas.

Dessa forma, o autor espera contribuir com a comunidade de especialistas em manutenção automotiva para uma melhor compreensão do princípio de funcionamento do motor e de seus de sistemas, apresentando técnicas de diagnóstico que trazem benefícios à sociedade e ao meio ambiente.

Fabio Rocha da Silveira

Diretor da Escola SENAI Conde José Vicente de Azevedo

Sumário

Introdução

Definições de torque e potência

Eficiência térmica

Componentes de entrada e de saída de uma combustão

Eficiência térmica

Características dos gases

Formação da mistura ar/combustível

Propriedades da gasolina

Propriedades do álcool combustível

Características construtivas dos motores de combustão interna

Tempo de admissão/enchimento dos cilindros

Velocidade do pistão/enchimento do motor

Coletor de admissão com geometria variável

Diagrama de válvulas

Importância da troca da correia da distribuição

Comando variável das válvulas

Funcionamento da regulagem do avanço

Funcionamento da regulagem do retardo

Funcionamento da regulagem da intermediária

Posição de retardo (básica)

Posição de avanço

Gerenciamento do motor

Turboalimentador acionado por gás de escapamento

Turbina de Geometria Variável (TGV)

Sistema de gerenciamento do motor – princípio de funcionamento e testes

Sensores

Eletroinjetores de combustíveis

Bomba de combustível

Transformador de ignição

Corretor da rotação de marcha lenta por motor de passo

Corretor da marcha lenta por pulso de largura modulada (PWM)

Interruptor da luz de freio e interruptor do pedal de freio

Interruptor do pedal da embreagem

Tempo de pressão de compressão do motor

Teste de vazamento de cilindros

Sistema de arrefecimento do motor

Sistema de lubrificação do motor

Funções básicas do óleo do motor

Contaminação do óleo lubrificante do motor

Classificação de lubrificantes

Observações importantes do diagnóstico

Sistema de carga e partida

Combustíveis e combustão

Catalisador com aquecimento fracionado homogêneo

Anexo

Sequência recomendada para diagnósticos de falhas do motor

Referências bibliográficas

INTRODUÇÃO

O objetivo deste livro é apresentar aos técnicos de reparação automotiva os procedimentos corretos estabelecidos pela engenharia automobilística para efetuar diagnósticos e reparações nos sistemas que agregam e dão suporte ao funcionamento do motor de combustão ciclo OTTO, seguindo uma ordem lógica e prática pautada em literaturas técnicas, equipamentos e ferramentas convencionais e específicas, a fim de promover alto desempenho, economia de combustível, alta durabilidade do motor e baixo índice de emissões de poluentes. Considerando que nos grandes centros urbanos, como a cidade de São Paulo, para efetuar o licenciamento dos veículos é necessário submetê-los uma inspeção veicular – que visa reduzir a emissão de gases tóxicos –, é indispensável que todos os sistemas estejam funcionando corretamente, dentro dos parâmetros especificados pelos fabricantes.

Para um diagnóstico bem-sucedido, é necessário ter domínio de causa, ou seja, conhecer o perfeito funcionamento do sistema que se pretende diagnosticar: as características construtivas do motor, o conteúdo de sua ficha técnica, os procedimentos e valores específicos de regulagens do motor e de todos os sistemas agregados e as curvas de torque e potência. É preciso conhecer também as propriedades dos combustíveis e dos fluidos utilizados.

Os procedimentos de diagnósticos devem obedecer a seguinte ordem lógica:

•levantar informações dos problemas apresentados pelo condutor;

•constatar os problemas por meio de testes de funcionamento;

•iniciar o diagnóstico pelos sistemas que agregam o motor em ordem de prioridade:

–sistema de alimentação (carburação ou injeção eletrônica);

–sistema de ignição;

–sincronismo mecânico do motor;

–medição de pressão de compressão;

–medição de vazamento de cilindros;

–regulagens de válvulas, quando houver;

–medição de pressão de óleo do motor;

–testes no sistema de arrefecimento (estanqueidade, infrapressão e sobrepressão);

–testes no sistema de carga e partida (bateria, alternador e motor de partida);

–análise de gases emitidos pelo escapamento.

Definições de torque e potência

As curvas de torque e potência estão entre os dados mais importantes de um motor. Potência é o trabalho realizado (força multiplicada pela distância de deslocamento) dentro de um período de tempo.

potência = trabalho/tempo

Até 1985, a potência era especificada em cavalos-vapor (representada pelo símbolo cv) ou horsepower (em inglês, representada pelo símbolo HP) em função do método comparativo pelo qual se obtinha seus valores. Após esse período, a potência passou a ser especificada em quilowatt (kW).

A seguir, podemos observar que a potência desenvolvida depende da rotação do motor.

Figura 1 – Curva de potência

Figura 2 – Torque do motor

O torque corresponde à força atuando em relação a um ponto de apoio.

torque = força x distância do ponto de aplicação

Quando se altera a intensidade da força ou a dimensão da alavanca, altera-se também o resultado de torque.

Os fabricantes desenvolvem motores modernos para que tenham o mais alto torque possível, mesmo em rotações muito baixas, e que sejam capazes de manter esses valores numa ampla faixa de rotação. Isso faz que o motor tenha uma grande elasticidade, exigindo mínimas trocas de marcha, o que o torna mais econômico. A mais importante faixa de consumo específico de um motor é a de rotação, em que apresenta seu torque ideal.

A unidade de potência atual, o quilowatt, corresponde à quantidade de energia necessária para realizar o trabalho de um newton- metro em um segundo (1 kW = 1000 W). Um ser humano pode realizar por volta de 1/10 kW continuamente ou chegar a um pico, durante um curto período, cerca de vinte vezes mais alto.

1 kW = 1,36 HP

1 HP = 0,735 kW

1 kgf = 9,8 N

Figura 3 – Tempos do Motor ciclo OTTO

Figura 4 – Curva de desempenho do motor

Figura 5 – Curvas de desempenho em condução

Eficiência térmica

É a relação entre a energia térmica convertida em trabalho pelo motor dividida pela energia térmica total gerada nas câmaras de combustão. É interessante saber que apenas uma pequena parcela de

Você chegou ao final dessa amostra. Cadastre-se para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Diagnósticos e regulagens de motores de combustão interna

3.0
2 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor