Aproveite milhões de eBooks, audiolivros, revistas e muito mais

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Mensagem

Mensagem

Ler a amostra

Mensagem

notas:
4/5 (1 nota)
Duração:
113 páginas
25 minutos
Editora:
Lançados:
13 de out. de 2021
ISBN:
9786556971223
Formato:
Livro

Descrição

Escrito em 1934, este clássico da literatura portuguesa é considerado uma das grandes obras da poesia épica. Se você não cismar de sofrer com a língua que é diferente do português que a gente usa hoje em dia, vai embarcar em uma superaventura que começa pela formação de Portugal, celebrando a grandiosidade das conquistas de seus reis e navegadores na Era dos Descobrimentos, e termina na decadência do país, formando um conjunto de poemas que exploram o forte nacionalismo e o saudosismo pelos áureos tempos portugueses.

Nesta edição especial você tem o texto integral acompanhado de explicações e links bem espertos que o ajudarão a compreender melhor a trama, diferentes estilos de ilustrações e um encarte com o mapa dos personagens para você lembrar quem é quem nos poemas de Fernando Pessoa.
Editora:
Lançados:
13 de out. de 2021
ISBN:
9786556971223
Formato:
Livro

Sobre o autor

Fernando Pessoa (1888 – 1935) foi um poeta, filósofo, dramaturgo, ensaísta, tradutor, publicitário, astrólogo, inventor, empresário, correspondente comercial, crítico literário e comentarista político português. Fernando Pessoa é o mais universal poeta português.


Relacionado a Mensagem

Artigos relacionados

Categorias relacionadas

Amostra do livro

Mensagem - Fernando Pessoa

SUMÁRIO

O QUE É UM CLÁSSICO?

PRIMEIRA PARTE

BRASÃO

I. OS CAMPOS

Primeiro: O dos castelos

Segundo: O das quinas

II. OS CASTELOS

Primeiro: Ulisses

Segundo: Viriato

Terceiro: O Conde D. Henrique

Quarto: D. Tareja

Quinto: D. Afonso Henriques

Sexto: D. Dinis

Sétimo (I): D. João o Primeiro

Sétimo (II): D. Filipa de Lencastre

III. AS QUINAS

Primeira: D. Duarte, Rei de Portugal

Segunda: D. Fernando, Infante de Portugal

Terceira: D. Pedro, Regente de Portugal

Quarta: D. João, Infante de Portugal

Quinta: D. Sebastião, Rei de Portugal

IV. A COROA

Nun’Álvares Pereira

V. O TIMBRE

A cabeça do grifo: O Infante D. Henrique

Uma asa do grifo: D. João o Segundo

A outra asa do grifo: Afonso de Albuquerque

SEGUNDA PARTE

MAR PORTUGUÊS

I. O Infante

II. Horizonte

III. Padrão

IV. O mostrengo

V. Epitáfio de Bartolomeu Dias

VI. Os Colombos

VII. Ocidente

VIII. Fernão de Magalhães

IX. Ascensão de Vasco da Gama

X. Mar português

XI. A última nau

XII. Prece

TERCEIRA PARTE

O ENCOBERTO

I. OS SÍMBOLOS

Primeiro: D. Sebastião

Segundo: O Quinto Império

Terceiro: O desejado

Quarto: As ilhas afortunadas

Quinto: O encoberto

II. OS AVISOS

Primeiro: O Bandarra

Segundo: Antônio Vieira

Terceiro: (‘Screvo meu livro à beira-mágoa...)

III. OS TEMPOS

Primeiro: Noite

Segundo: Tormenta

Terceiro: Calma

Quarto: Antemanhã

Quinto: Nevoeiro

Quem é quem na obra de Fernando Pessoa

O QUE É UM CLÁSSICO?

Não sei você, mas pra mim clássico mesmo é jogo de futebol, tipo Fla X Flu, Coringão X Porco, Brasil X Argentina. Só que, na escola, os professores de português e de literatura cismavam em dizer que clássico eram os livros chatos que eles queriam porque queriam que a turma toda lesse. Ah, e não bastava empurrar pra cima da gente livro velho de fala complicada que a gente mal entendia. Além disso, eles ainda queriam que a gente fizesse exercício e prova sobre os textos. Pode haver castigo maior? E por que é assim?

Na minha aventura para tentar entender esse grande mistério da humanidade, comecei checando no dicionário o que quer dizer a palavra clássico. A definição varia de A a Z, mas lá pelas tantas diz mais ou menos assim: Obra que se mantém ao longo dos tempos, que se tornou um modelo de inspiração, que pela sua qualidade obteve consagração definitiva.

Beleza. Pra mim, saber melhor o que é considerado um clássico já ajudava a entender muita coisa, mas não mudava a minha opinião de que os clássicos eram uns chatos de galocha! E eu segui batendo nessa tecla por muito tempo, até que resolvi reler livros que eu havia empurrado com a barriga na escola pra ver se dava para acabar com essa conversa de sempre: de que os tais clássicos da literatura eram uns livros mais chatos que bêbado contando sonho. E, galera, vou admitir: quanto mais eu lia, mais eu gostava do que eu lia e mais eu me espantava com isso :)

BIOGRAFIA, PESSOAL!

O genial Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa, em meados de 1888, e morreu novo, aos 47 anos, na mesma cidade.

Você chegou ao final dessa amostra. para ler mais!
Página 1 de 1

Análises

O que as pessoas acham de Mensagem

4.0
1 notas / 0 Análises
O que você achou?
Nota: 0 de 5 estrelas

Avaliações do leitor