Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz
Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz
Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz
E-book236 páginas2 horas

Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz

Nota: 0 de 5 estrelas

()

Sobre este e-book

Nosso Lar (psicografia de Chico Xavier, ditado pelo Espírito André Luiz – 1943) é a 1ª de 13 obras que compõem a coleção “A Vida no Mundo Espiritual”, nesta coletânea repleta de informações que casam perfeitamente com a obra de Allan Kardec (e a amplifica), encontramos uma série de 13 obras, em que o autor espiritual André Luiz narra suas experiências e as dos que o cercam nos lugares do “mundo espiritual” por onde percorre. A obra Nosso Lar é o início de uma trajetória de aprendizado para ele e para os que o estudam. Neste primeiro livro da série André narra a sua “descoberta” de um mundo ignorado por ele quando estava encarnado como médico. Surpreendido, se vê no lodaçal de uma zona purgatorial do Umbral, algumas dificuldades pelas quais passou e seu resgate para uma cidade espiritual, uma colônia chamada Nosso Lar . O autor nos revela um mundo dinâmico, pleno de vida e organização com disciplina, ordem e governo de Espíritos Superiores. “Nosso Lar” não é o Céu final, o “Paraiso” bíblico, mas é uma organização social erguida em uma dimensão dos planos espirituais adjacentes à crosta terrestre para ambientação e preparo; é uma estação de aprendizado e trabalho; uma zona de trânsito. A obra nos abre os olhos para algumas das realidades a que nos aguardam após a morte física. Então, o leitor vai localizar em negrito o texto do livro Nosso Lar e logo a seguir, sem negrito, os comentários que se compõe de reflexões sobre os temas, assuntos, ponderações ou discussões dispostas no livro. A ideia de compartilhá-lo em forma de livro se dá pela vontade de que outras pessoas se debrucem sobre o material e possam também refletir sobre os diversos assuntos que são explicitados por André Luiz diante de sua chegada ao plano espiritual. Não há intenção alguma de que nessas letras haja palavra final sobre qualquer entendimento das ideias, argumentos ou expedientes usados pelo espírito-autor. Cada um que possa chegar às suas próprias conclusões. Fundamental é permanecer estudando, aproveitando o ensejo de ter chegado ao Plano Físico um conjunto tão maravilhoso de obras sobre o Mundo Maior. Desejo boa sorte, boa leitura e bom estudo.
IdiomaPortuguês
Data de lançamento26 de jun. de 2015
Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz
Ler a amostra

Leia mais de John Land Carth

Relacionado a Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz

Livros relacionados

Artigos relacionados

Categorias relacionadas

Avaliações de Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz

Nota: 0 de 5 estrelas
0 notas

0 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

    Pré-visualização do livro

    Estudando A Obra Nosso Lar De André Luiz - John Land Carth

    JOHN LAND CARTH

    Estudando a obra Nosso Lar

    de André Luiz

    Da obra de Chico Xavier

    Aos que servem.

    2022

    ©John Land Carth,2022

    Todos os Direitos Autorais protegido pela Lei Federal Brasileira lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.

    título: Nosso Lar, estudando a obra de André Luiz: da Obra de Chico Xavier

    1.Espiritismo 2. Espiritualismo. 3. Religião.

    Editora: Cigana Publicações

    1ª Edição Independente do Autor – 2022

    Publicado e impresso no Brasil

    ISBN nº 978-65-996959-3-3

    ÍNDICE

    Apresentação

    A obra de André Luiz: Nosso Lar

    Nós viajantes espirituais do universo

    Sobre este estudo

    Estudo do capítulo 1 - Nas Zonas Inferiores

    Estudo do capítulo 2-Clarêncio

    Estudo do capítulo 3 - A Oração Coletiva

    Estudo do capítulo 4 - O Médico Espiritual

    Estudo do capítulo 5 - Recebendo Assistência

    Estudo do capítulo 6 - Precioso Aviso

    Estudo do capítulo 7-Explicações de Lísias

    Estudo do capítulo 8 - Organização de Serviços

    Estudo do capítulo 9 - Problema de Alimentação

    Estudo do capítulo 10 - No Bosque das Águas

    Estudo do capítulo 11 - Notícias do Plano

    Estudo do capítulo 12 - O Umbral

    Estudo do capítulo 13 - No Gabinete do Ministro

    Estudo do capítulo 14 - Elucidações de Clarêncio

    Estudo do capítulo 15 - A Visita Materna

    Estudo do capítulo 16 - Confidências

    Estudo do capítulo 17 - Em Casa de Lísias

    Estudo do capítulo 18-Amor, Alimento das Almas

    Estudo do capítulo 19 - A Jovem Desencarnada

    Estudo do capítulo 20 - Noções de Lar

    Estudo do capítulo 21 - Continuando a palestra

    Estudo do capítulo 22 - O Bônus-Hora

    Estudo do capítulo 23 - Saber Ouvir

    Estudo do capítulo 24 - O Impressionante Apelo

    Estudo do capítulo 25 - Generoso Alvitre

    Estudo do capítulo 26 - Novas Perspectivas

    Estudo do capítulo 27 - O Trabalho, Enfim

    Estudo do capítulo 28 - Em Serviço

    Estudo do capítulo 29 - A Visão de Francisco

    Estudo do capítulo 30-Herança e Eutanásia

    Estudo do capítulo 31 - Vampiro

    Estudo do capítulo 32 - Notícias de Veneranda

    Estudo do capítulo 33 - Curiosas Observações

    Estudo do capítulo 34 - Os Recém-Chegados do Umbral

    Estudo do capítulo 35 - Encontro Singular

    Estudo do capítulo 36 - O Sonho

    Estudo do capítulo 37 - A Preleção da Ministra

    Estudo do capítulo 38 - O Caso Tobias

    Estudo do capítulo 39 - Ouvindo a Senhora Laura

    Estudo do capítulo 40 - Quem Semeia Colherá

    Estudo do capítulo 41 - Convocados à Luta

    Estudo do capítulo 42 -A Palavra do Governador

    Estudo do capítulo 43 - Em Conversação

    Estudo do capítulo 44 -As Trevas

    Estudo do capítulo 45 - No Campo da Música

    Estudo do capítulo 46 - Sacrifício de Mulher

    Estudo do capítulo 47 - A Volta de Laura

    Estudo do capítulo 48 - Culto Familiar

    Estudo do capítulo 49 - Regressando à Casa

    Estudo do capítulo 50 - Cidadão de Nosso Lar

    Apresentação

    A obra de André Luiz: Nosso Lar

    Nosso Lar (psicografia de Chico Xavier, ditado pelo Espírito André Luiz – 1943) é a 1ª de 13 obras que compõem a coleção A Vida no Mundo Espiritual, nesta coletânea repleta de informações que casam perfeitamente com a obra de Allan Kardec (e a amplifica), encontramos uma série de 13 obras, em que o autor espiritual André Luiz narra suas experiências e as dos que o cercam nos lugares do mundo espiritual por onde percorre. A obra Nosso Lar é o início de uma trajetória de aprendizado para ele e para os que o estudam.

    Neste primeiro livro da série André narra a sua descoberta de um mundo ignorado por ele quando estava encarnado como médico. Surpreendido, se vê no lodaçal de uma zona purgatorial do Umbral, algumas dificuldades pelas quais passou e seu resgate para uma cidade espiritual, uma colônia chamada Nosso Lar.

    O autor nos revela um mundo dinâmico, pleno de vida e organização com disciplina, ordem e governo de Espíritos Superiores.

    Nosso Lar não é o Céu final, o Paraiso bíblico, mas é uma organização social erguida em uma dimensão dos planos espirituais adjacentes à crosta terrestre para ambientação e preparo; é uma estação de aprendizado e trabalho; uma zona de trânsito.

    A obra nos abre os olhos para algumas das realidades a que nos aguardam após a morte física.

    Nós viajantes espirituais do universo

    Vivemos já há tanto tempo neste planeta e não temos ainda a certeza de como ele funciona. Nossos passos até aqui foi uma sucessão de aprendizados sobre culturas, costumes, aprimorando o suficiente para sobreviver dentro desta ou daquela encarnação. Partilhando com outros tantos um pouco de nós e sofrendo os reveses de nossas escolhas segundo o discernimento a que chegamos. De resto, pouco sabemos.

    O mundo gira, sol e lua se alternam milênios sem conta sendo nossa baliza os sentimentos de afeição e antipatias por isso, por aquilo. Seres diversos nos tiveram por filhos, outros tantos conhecemos por rebentos... Amores, amigos, desafetos...

    E as vidas nunca cessaram, foram se amontoando, juntando pedra e lama na jornada de dor e aprendizado, impossível para nós medir o quanto conquistamos, o quanto ainda falta.

    Nesses caminhos sempre tortos, obscuros vamos tateando, uma cegueira quase absoluta nos domina já que são tão poucas as certezas...

    Não podemos exigir, nem saber...

    É tão fácil errar que seria desumano não haver perdão.

    Sempre, sempre o julgamento de nossos atos é mais visualizado e diuturnamente lembrado por mestres, algozes ou vítimas...

    E assim seguimos. Apenas a esperança de não sei o que, não sei onde servem de lanternas na escuridão de nossas andanças...

    Até onde? Sabe-o Deus.

    No caminho. Placas simbólicas, textos mais ou menos herméticos se insinuam no jogo da vida... E somos nada além de humanos que sobrevivem, sofrendo e chorando com os pés machucados de tanto tentar andar na direção que nos deram a seguir.

    Quem não gostaria de acertar? Quem não persegue a felicidade? Quem não cultiva a ilusão de que ela está logo ali, depois da próxima curva?

    Todos, reis ou escravos, ricos e pobres, santos ou homicidas, todos infalivelmente buscam o descanso de sair da caminhada obrigatória no breu das reencarnações. O fardo é exaustivo e parece nunca findar... E Deus, o Grande Deus o sabe... Ele de sua distância tão próxima assiste nossos passos.

    Dia após dia, milênio após milênio...

    Havemos de aprender a nos perdoar e perdoar os outros já que todos nós somos cegos tateando uma felicidade em algum lugar desconhecido e imenso...

    Quem, que sábio dentre nós sabe onde vai parar? Se vai parar, quando vai?

    Resta-nos andar, andar, seguir as placas mais uma vez...

    Se ao menos conseguirmos andar sem nos condenar o tempo todo, sem condenarmos o mundo, talvez apenas talvez esse andar seja menos desgastante.

    Emmanuel fez revisão de todas as obras com Chico. Como um Editor no mundo espiritual escolheu os espíritos colaboradores e ele mesmo foi autor de importantes volumes. Já no prefácio Emmanuel induz que é perda de tempo especular sobre a real identidade de André Luiz. Afinal vale mais o aprendizado. Sim, André como muitos de nós sai do corpo sem qualquer noção de vida fora da matéria. A razão de Emmanuel ter escolhido André foi seu interesse, aplicação e surpresa com a vida pós-morte.

    Reações bem próximas da maioria das pessoas comuns de bom caráter, mas sem se preparar para a morte. Devemos sempre atentar para literaturas espiritas ou filmes espiritas que omitem ou não se reportam ao Cristo.

    O bem é bom sempre e nos ampara para além ainda que sem consciência. Mas o mal também nos segue. Emmanuel recomenda: "guarda a experiência dele (André Luiz) no livro da alma".

    Sobre este estudo

    Este livro parte de um estudo realizado em grupo virtual idealizado por Klênia Nunes, jovem espírita da cidade de Pirapora, Minas Gerais, por meio de aplicativo de rede social, ela propôs ESDE. Os poucos integrantes deste grupo iam lendo capítulo a capítulo do livro Nosso Lar de Chico Xavier, transmitido pelo espírito de André Luiz. Assim, este trabalho apresenta os estudos dos capítulos do livro mediante meus comentários ao tempo do estudo.

    Fizemos o estudo das três primeiras obras da coleção: Nosso Lar de 1943; Os Mensageiros de 1944 e Missionários da Luz (psicografia de Chico Xavier) – 1945, depois o grupo se dissolveu, continuando eu com a minha auto proposição de estudo das obras.

    A ideia de compartilhá-lo em forma de livro se dá pela vontade de que outras pessoas se debrucem sobre o material e possam também refletir sobre os diversos assuntos que são explicitados por André Luiz diante de sua chegada ao plano espiritual.

    Não há intenção alguma de que nessas letras haja palavra final sobre qualquer entendimento das ideias, argumentos ou expedientes usados pelo espírito-autor. Cada um que possa chegar às suas próprias conclusões. Fundamental é permanecer estudando, aproveitando o ensejo de ter chegado ao Plano Físico um conjunto tão maravilhoso de obras sobre o Mundo Maior.

    Aliás, busquemos compreender e seguir os conselhos de Emmanuel no Prefácio da obra e poderemos realmente chegar às conclusões que o grau de evolução de nosso espírito já alcançam:

    André Luiz vem contar a você, leitor amigo, que a maior surpresa da morte carnal é a de nos colocar face a face com a própria consciência, onde edificamos o céu, estacionamos no purgatório ou nos precipitamos no abismo infernal; vem lembrar que a Terra é oficina sagrada e que ninguém a menosprezará, sem conhecer o preço do terrível engano a que submeteu o próprio coração. Guarde a experiência dele no livro d'alma. Ela diz bem alto que não basta à criatura apegar-se à existência humana, mas precisa saber aproveitá-la dignamente; que os passos do cristão, em qualquer escola religiosa, devem dirigir-se verdadeiramente ao Cristo, e que, em nosso campo doutrinário, precisamos, em verdade, do Espiritismo e do Espiritualismo, mas, muito mais, de Espiritualidade (Francisco Cândido Xavier - Nosso Lar - pelo Espírito André Luiz, pag. 7)

    Desejo boa sorte, boa leitura e bom estudo.

    John Land Carth

    Estudo do capítulo 1

    Nas Zonas Inferiores

    É magnífica a abertura do livro Nosso Lar, tanto pelo autor espiritual André Luiz quanto por Emmanuel.

    Quantas encarnações? Quantos corpos animados para aprender a viver, amar e perdoar? Conhecer a si mesmo. Sem influências externas. Todos somos universos únicos. Séculos após séculos colhendo conhecimento. A pergunta mais importante: Quantas mortes necessitamos ainda? O que mais vamos aprender com André Luís é como a consciência nos cobra tudo. Atos, palavras, sentimentos... ser cristão espírita é se matricular no aprendizado silencioso da resignação e do amor.

    André inicia contando para nós sua passagem triste pelo Umbral após abandonar os despojos carnais em triste episódio de sua última encarnação. Dá-nos um panorama de suas sensações psicológicas, do ambiente e suas reflexões.

    Eu guardava a impressão de haver perdido a ideia de tempo. A noção de espaço esvaíra-se-me de há muito. Estava convicto de não mais pertencer ao número dos encarnados no mundo e, no entanto, meus pulmões respiravam a longos haustos. (Cap.1 pag. 10)

    Perder a ideia de tempo é algo recorrente nos espíritos que temos tratado. Mesmo os que permanecem assediando encarnados. Temos visto que com o passar do tempo, eles vão perdendo-se da logica temporal da Terra e a visão que temos não é a mesma para eles.

    Vai se adensando presos nos quadros tristes dos desencarnes e questões mal resolvidas.

    A diferença entre evolução e conhecimento é a prática...

    Somente podemos medir o quanto evoluímos quando passamos pela situação de conflito e agimos diferente do que agiríamos no passado. Muitas vezes é o apego que nos afasta da confiança em Deus.

    Sentia-me, na verdade, amargurado duende nas grades escuras do horror. Cabelos eriçados, coração aos saltos, medo terrível senhoreando-me, muita vez gritei como louco, implorei piedade e clamei contra o doloroso desânimo que me subjugava o espírito; mas, quando o silêncio implacável não me absorvia a voz estentórica, lamentos mais comovedores que os meus respondiam-me aos clamores. Outras vezes gargalhadas sinistras rasgavam a quietude ambiente. Algum companheiro desconhecido estaria, a meu ver, prisioneiro da loucura. Formas diabólicas, rostos alvares, expressões animalescas surgiam, de quando em quando, agravando-me o assombro. A paisagem, quando não totalmente escura, parecia banhada de luz alvacenta, como que amortalhada em neblina espessa, que os raios de Sol aquecessem de muito longe. (Idem)

    Fugir, comer lodo odorento, deparar com monstros terríveis. Ter dor que não termina, feridas que não se curam... Anos, décadas. Refletindo nesta passagem, fica mais compreensivo o entendimento dos termos encontrados no Evangelho, onde fala sobre o lugar de pranto e ranger de dentes e às trevas exteriores, ou seja, lamentos e sofrimentos na escuridão do Umbral:

    Mateus 8:12 - Entretanto, os herdeiros do Reino serão lançados para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes".

    Mateus 25:30 - Quanto ao servo inútil, lançai-o para fora, às trevas. Ali haverá muito pranto e ranger de dentes’. O juízo final

    Lucas 13:28 - Ali haverá grande lamento e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaque e Jacó, bem como todos os profetas no Reino de Deus, mas vós, porém, absolutamente excluídos.

    Mateus 22 : 12-13 - E indagou-lhe: ‘Amigo, como adentraste este recinto sem as suas vestes próprias para as bodas?’ Mas o homem não teve resposta. Então, ordenou o rei aos seus servos: ‘Amarrai-lhe os pés e as mãos e lançai-o para fora, às trevas; ali haverá grande lamento e ranger de dentes’.

    Não é somente o estudo, mas a vivência, o sentir das coisas espirituais me parece mais benéfico do que o simples conhecer. Constantemente nos deparamos com pessoas que se dizem religiosas, cristãs se deixando estacionar nas querelas da dúvida, perdendo tempo com documentários que propagandeiam que Jesus não existiu, que Deus é uma ficção e que a fé é uma alucinação. A ideia do materialismo científico e filosófico joga a alma longe das ideias espiritualistas e proclamam uma vida unicamente física e terrena, logo, não se preparar para morrer (desencarnar), é um dos mais graves vacilos dos céticos.

    Dentro do universo espírita também há aqueles que preferem a filosofia ao trabalho; preferem ficar investigando teorias de um e de outro mais do que se preocuparem com o desenvolvimento de suas habilidades (inclusive mediúnicas) em favor do próximo.

    No capítulo vemos a frase: "Os princípios puramente filosóficos, políticos e científicos, figuravam-se-me agora extremamente secundários para a vida humana." Fica clara a decepção de André com aquilo que mais deu atenção quando encarnado. Não deve nos interessar as querelas farisaicas que apontam o Mestre como um ser repleto de vícios humanos, esses nós sabemos quais as intenções. Interessa saber o quanto já temos nos transformado em busca da mensagem de paz, amor, tolerância e humildade do Caminheiro da Vida Eterna.

    Comumente vemos em nós

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1