Aproveite milhões de e-books, audiolivros, revistas e muito mais, com uma avaliação gratuita

Apenas $11.99 por mês após o período de teste gratuito. Cancele quando quiser.

Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical
Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical
Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical
E-book1.208 páginas11 horas

Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical

Nota: 0 de 5 estrelas

()

Ler a amostra

Sobre este e-book

CAPED CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES PARA ESCOLA DOMINICAL , É um Curso de Aperfeiçoamento de Professores da Escola Dominical. objetivo preparar os Professores para atuarem no ministério de Educação nas Igrejas do nosso Ministério como Professor da Escola Dominical (de crianças, adolescentes e novos convertidos), Líder de pequenos grupos/células e outras áreas de ensino na Igreja. Percebe-se que a Educação Crista nas nossas igrejas tem sido um pouco descuidada, nossos professores da Escola Dominical tem poucos conhecimentos bíblicos e pedagógicos. Este curso visa instruir e preparar de forma mais aprofundada todos os que desejam estar envolvidos no ministério do ensino, resgatando o seu sentido primeiro: dar direção espiritual a todo crente para que ele seja capaz de resistir às diversas tentações, segundo: ser guiado pela palavra de Deus.o aluno aprenderá a administrar e supervisionar a Escola Bíblica Dominical, além de aprender as técnicas de transmitir a Palavra de Deus com eficácia, segurança e efeito. Para realização do curso utilizaremos o material didático Para isto ao longo de sua história mantém e apoia cursos de formação teológica para seus obreiros e membros. Dentro desta linha de valorização do ensino da Palavra de Deus e julgando ferramenta de excelente alcance para este fim a Escola Bíblica Dominical, METODOLOGIA DO CURSO : Curso Caped - Curso de Aperfeiçoamento de Professores para Escola Dominical de acordo com as Normas Universitárias Internacionais, mas apenas exigimos tese escrita, pesquisada, e dentro dos padrões da Metodologia Científica exaradas pela ABNT e suas congêneres internacionais.O modelo de Ensino é flexível você recebe todo o material DIGITAL , e estudara com Material de Apoio no ambiente virtual do aluno para iníciar os estudos imediatamente e ainda, são utilizadas práticas de ensino com a coerência da concessão e informação para as disciplinas, disponibilizando contato com professores graduados para o resultado teológico do aluno. Metodologia: O curso está baseado na metodologia de Ensino a Distância (EAD). As aulas serão ministradas por professores em material DIGITAL . Os alunos acompanharão a aula DENTRO DE NOSSA PLATAFORMA AVA EAD, tendo acesso ao conteúdo através de AULAS EM VIDEOS , SLIDES E MATERIAL DE APOIO, o aluno deverá acessar a central do aluno com seu login e senha, acessar o módulo em que está matriculado; ao fazer isso, aparecerá na tela um visualizador e, assim, acompanhar a aula. SISTEMA DE GESTÃO DE APRENDIZAGEM E CONTÉUDO : 1º CHAT 2º FÓRUM 3º PROVAS 4º TRABALHOS 5º LIÇÕES 6º SLIDES 7º VIDEOS O que é AVA? AVA são as iniciais de Ambiente Virtual de Aprendizagem. Por definição, um AVA é um sistema (ou software) que proporciona o desenvolvimento e distribuição de conteúdos diversos para cursos online e disciplinas semipresenciais para alunos em geral. Um AVA é de fato um ambiente virtual desenvolvido para ajudar professores e tutores no gerenciamento de conteúdos e materiais complementares para os seus alunos e na gestão completa de cursos online. Com este ambiente, é possível acompanhar todo o processo de aprendizagem por parte do aluno, além de gerar relatórios sobre performance e progresso do mesmo em determinado curso online.Com isso, é possível trabalhar de forma assertiva em cima de possíveis problemas que possam ocorrer garantindo a eficácia do processo e do ambiente virtual de aprendizagem como um todo.que o aluno será apresentado a toda a estrutura de cursos, bem como os conteúdos, aulas, módulos e avaliações.De forma resumida, é em um AVA que o aluno poderá ser impactado por conteúdos e passará por todo o processo de aprendizagem, caso esteja inserido em um curso da modalidade de ensino online.Um AVA pode ser usado também como ferramenta para EAD (educação a distância), sendo usado em alguns casos para complementar aulas presenciais com conteúdos virtuais.
IdiomaPortuguês
Data de lançamento26 de jun. de 2020
Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical
Ler a amostra

Leia mais títulos de Setead Educacional

Relacionado a Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical

Ebooks relacionados

Artigos relacionados

Avaliações de Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical

Nota: 0 de 5 estrelas
0 notas

0 avaliação0 avaliação

O que você achou?

Toque para dar uma nota

A avaliação deve ter pelo menos 10 palavras

    Pré-visualização do livro

    Caped Curso De Aperfeiçoamento Para Professores Da Escola Dominical - Setead Educacional

    OEBPS/images/image0002.jpg

    CAPED

    CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL

    A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR

    SETEAD EDUCACIONAL

    SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA KERIGMA DIDACHE

    CNPJ : 29.511.479/0001-02

    CAPED

    CURSO DE APERFEIÇOAMENTO PARA PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL

    A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR

    1º EDIÇÃO

    BRASILIA/DF

    SETEAD EDUCACIONAL

    SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA KERIGMA DIDACHE

    CNPJ : 29.511.479/0001-02

    PROF. JOSÉ MÁRCIO LACERDA

    2020

    Copyright © 2020 by  Setead Educacional

    Seminário de Educação Teológica Kerigma Didache - CNPJ : 29.511.479/0001-02

    DADOS INTERNACIONAIS DE CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO ( CIP )

    _________________________________________________________________________________

    S495cpd Setead Educacional

    Caped Curso de Aperfeiçoamento de Professores para Escola Dominical  / Prof.: José Márcio Lacerda

    1. Edição - Brasília/DF

    Copyright © 2020 by Setead Educacional

    Coordenação Geral de Estudos  e Pesquisas  da Educação

    Prof.: José Márcio Lacerda

    548  p. 210x297

    ISBN : 978-65-86804-06-5

    Bíblia – Estudo da Bíblia

    CDD – 220 – 220.7

    _________________________________________________________________________________

    Impresso pelo Clube de Autores – 2020

    Índice para Catálogo Sistemático:

    1º Bíblia 220

    2º Estudo da Bíblia 220.7

    Sites Oficiais : https://www.portal.setead.org.br/

    Sites Oficiais : https://www.polos.setead.org.br/

    NOTA : Proibida a Reprodução Total ou Parcial Desta Obra, de Qualquer Forma ou Meio Eletrônico , Mecânico , Inclusive Através de  Processos de Cópias , sem Expressa do Editor / Autor ( Lei : Nº : 5.988 DE 14/12/1973 )

    Todas as citações bíblicas foram extraídas da Bíblia Versão Almeida Corrigida e Fiel (ACF) ©2008, publicada pela Sociedade Bíblica Trinitariana e da Bíblia King James (Tradução em português do Novo Testamento)©2008, publicada pela Sociedade Ibero-americana da Bíblia

    Clube de Autores Publicações S/A

    CNPJ: 16.779.786/0001-27

    Rua Otto Boehm, 48 Sala 08, América - Joinville/SC, CEP 89201-700

    OEBPS/images/image0003.jpg

    SETEAD EDUCACIONAL

    SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA KERIGMA DIDACHE

    CNPJ : 29.511.479/0001-02

    Acesse nosso site e nossa plataforma AVA EAD

    NOSSO SITE :

    https://www.portal.setead.org.br/

    NOSSA PLATAFORMA AVA

    https://www.polos.setead.org.br/

    OBS : O ENVIO DAS Duvidas VIA EMAIL .

    secretaria@setead.org.br

    cursos@setead.org.br

    NOSSOS POLOS A DISTANCIA EAD

    https://www.polos.setead.org.br

    PROGRAMA DO CAPED CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES PARA ESCOLA DOMINICAL

    CURSO LIVRE – NÃO RECONHECIDO PELO MEC

    CURSOS DE EXTENSÕES LIVRES DE DOUTORADO DE TITULAÇÃO INSTITUCIONAL E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

    Amparados pela lei nº. 9394/96, Decreto nº. 5.154/04 e  deliberação CEE 14/97.

    Nossos cursos são cursos livres que tem o respaldo nos pareceres: 1º) 241 de 15/03/99 que trata dos Cursos Superiores de Teologia 2º) 296 de 10/08/99 que regulamenta o aproveitamento de estudos realizados em Seminários Maiores (Faculdades de Teologia) em cursos de licenciatura. O parecer do Conselho pleno de nº 97 de 06/04/99

    O MEC só autoriza cursos de graduação e pós-graduação. Já as Secretarias Estaduais de Educação autorizam cursos técnicos profissionalizantes e do ensino médio. Cursos livres não se classificam como cursos de graduação, pós-graduação ou técnico profissionalizantes. Nossos cursos são cursos livres, de atualização/qualificação:

    Os Cursos Livres, que após a Lei nº 9.394 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional passaram a integrar a Educação Profissional, como Educação Profissional de Nível Básico, caracterizam-se pela modalidade de educação não-formal de duração variável, destinada a proporcionar ao trabalhador conhecimentos que lhe permitam reprofissionalizar-se, qualificar-se e atualizar-se para o trabalho. Não há exigência de escolaridade anterior.

    CAPED CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES PARA ESCOLA DOMINICAL ,  É um Curso  de Aperfeiçoamento de Professores para Escola Dominical. objetivo preparar os Professores para atuarem no ministério de Educação nas Igrejas do nosso Ministério como Professor da Escola Dominical (de crianças, adolescentes e novos convertidos), Líder de pequenos grupos/células e outras áreas de ensino na Igreja. Percebe-se que a Educação Crista nas nossas igrejas tem sido um pouco descuidada, nossos professores da Escola Dominical tem poucos conhecimentos bíblicos e pedagógicos. Este curso visa instruir e preparar de forma mais aprofundada todos os que desejam estar envolvidos no ministério do ensino, resgatando o seu sentido primeiro: dar direção espiritual a todo crente para que ele seja capaz de resistir às diversas tentações, segundo: ser guiado pela palavra de Deus.o aluno aprenderá a administrar e supervisionar a Escola Bíblica Dominical, além de aprender as técnicas de transmitir a Palavra de Deus com eficácia, segurança e efeito. Para realização do curso utilizaremos o material didático Para isto ao longo de sua história mantém e apoia cursos de formação teológica para seus obreiros e membros. Dentro desta linha de valorização do ensino da Palavra de Deus e julgando ferramenta de excelente alcance para este fim a Escola Bíblica Dominical,  

    A Quem se Destina: 

     Líderes, Pastores, Missionários, Diáconos, Professores de Escolas Dominical, Membros de Igrejas, Estudantes e Profissionais de Psicanálise, Psicologia, Antropologia, Direito, História, Filosofia; ou seja, todos os que pretendem liderar, ministrar em convenções e conselhos de pastores, seminários teológicos, institutos teológicos, fazer missões, lecionar, escrever livros, apostilas, revistas da escola dominical, ministrar estudos bíblicos, seminários, conferências, palestras; e se habilitar no conhecimento, Teológico, Lingüístico, Filosófico, Bíblico, Ministerial e Exegético.

    Materiais do Curso: Os manuais de estudo são todos editados e produzidos pelo SETEAD EDUCACIONAL – SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA KERIGMA DIDACHE.

    Você estará apto para atuar nas seguintes áreas:

    Liderança Cristã - desenvolver atividades administrativas, docência bíblica na comunidade.

    Aconselhamento Pastoral - desenvolver atividades de aconselhamento pastoral às famílias, adolescência, etc., confortando, exortando, ensinando o conhecimento de Deus.

    Missões - implantar igrejas nas áreas urbanas e rurais, não alcançadas pelo evangelho.

    Evangelismo - levar a mensagem de esperança e salvação das escrituras ao próximo, através da prédica da palavra de Deus, e outros meios.

    Docência - exercer uma atuação educativa nos estabelecimentos de educação que necessitem de formação teológica, Igrejas, Seminários, etc. Como também atuar nas áreas de estudos e pesquisas, após o termino do curso ingressar em especializações, mestrados.

    MODALIDADE: Este é um Curso Livre em nível de graduação, ou seja, não credenciado ou reconhecido pelos órgãos governamentais competentes.

    Estudo das Matérias: As matérias são enviadas  para o aluno, que após estudar cada uma delas, deve nos fazer a solicitação da prova, instrumento pelo qual será avaliado.

    OBJETIVO:

    Constituem os objetivos específicos do curso:

    Formar pessoas com visão crítica e conscientes da fé, capacitando-as para uma ação eficaz, evangelizadora na Igreja e na sociedade.

    Fortalecer o sentido da existência sensibilizando para a dimensão da transcendência  presente na religião.

    Possibilitar a formação teórico-prática para exercer ministérios pastorais e na área da promoção humana

    Capacitar para uma interação criativa e crítica com todos os setores da igreja e da sociedade fundamentada nos ensinamentos da Teologia.

    Promover uma visão integral sobre o modo de compreender o mundo, contemplando as relações humanas sob variadas dimensões, mais especificamente, a partir da visão religiosa cristã.

    Promover uma reflexão crítica e humanizadora acerca da produção histórico-teológica, das Escrituras Sagradas e das práticas eclesiásticas contemporâneas, que proporcione o desenvolvimento como pessoa, o exercício da cidadania e a qualificação para o trabalho.

    Promover a qualificação teórica e prática de lideranças para comunidades cristãs, órgãos de promoção humana, entre outras.

    Qualificar teólogos/as para o ensino bíblico-teológico nas comunidades cristãs.

    Qualificar teólogos/as para a docência em instituições de educação básica (respeitadas as diretrizes dos sistemas educacionais).

    Difundir e democratizar o ensino, a pesquisa e a extensão do saber teológico, contribuindo com a produção científica interdisciplinar, multidisciplinar e transdisciplinar na sociedade contemporânea.

    PERFIL DO EGRESSO:

    O Egresso do Caped Curso de Aperfeiçoamento de Professores para Escola Dominical deve ser capaz de:

    Elaborar projetos de ação que conjuguem observação, pesquisa e prática, visando à promoção do ser humano.

    Produzir ou vir a incentivar a produção de recursos pedagógicos, litúrgicos e comunicacionais, tendo em vista a evangelização, ensino, divulgação das propostas fundamentais de vida e missão da igreja.

    Conjugar ao compromisso com a sociedade e com a qualidade de vida das pessoas, ação ministerial em comunidades eclesiais; 

    Dialogar com grupos religiosos de diversas origens, saber diferenciar suas estruturas doutrinárias, práticas e formas de atuação, bem como ter condições de reconhecer os traços marcantes e característicos do conjunto das Igrejas Cristãs no cenário religioso contemporâneo. 

    Exercer liderança de grupos e comunidades a partir dos princípios do respeito à diferença e da busca de soluções participativas;

    Utilizar, crítica e exegeticamente, o texto  bíblico como fonte básica de doutrina e fé, para a pregação, ensino, produção de textos, proclamação evangelizadora e diálogo ecumênico;

    Colaborar na integração, motivação e animação dos diversos carismas (como capacidades pessoais) e ministérios (como formas de atuação) nas comunidades locais, igrejas, grupos, organismos da sociedade civil, com o objetivo de fortalecer as práticas de missão.

    Exercer a pregação, a celebração de cultos e a ministração de sacramentos e demais atos litúrgicos no contexto da fé cristã.

    Exercer aconselhamentos em momento de dor e no cotidiano das comunidades.

    Colaborar na criação de comunidades eclesiais onde haja viabilidade para tal, bem como, nas já existentes, ensinar, edificar, equipar, aperfeiçoar, capacitando-as para o cumprimento da missão e o acolhimento de pessoas que, nelas, solicitem o seu ingresso;

    Desenvolver disciplina pessoal de leitura, estudo, reflexão, atualização de conhecimentos e aprendizado constante. 

    Dialogar com grupos da sociedade  civil que militem nas causas da cidadania e da promoção humana.

    Utilizar, de forma crítica, o instrumental teológico adquirido, aplicando de forma interdisciplinar o uso de dados e conceitos na construção do saber que fundamenta a práxis.

    Conduzir-se dentro dos princípios da Ética e revelar conduta condizente com  as funções que estiver a exercer, seja em instituição, na sociedade e nos relacionamentos interpessoais. 

    O profissional egresso do curso de teologia deverá conhecer e atuar criticamente na realidade social e religiosa (eclesiástica)l, a partir de sua inserção nos diferentes contextos de atuação por meio da aplicação prática dos fundamentos teológicos-metodológicos e da reflexão e ação, criando condições necessárias ao exercício humanizador das atividades desempenhadas.

    Espera-se também capacitar o egresso com uma formação integral, interdisciplinar e com condições de dialogar com a pluralidade sócio-cultural e religiosa da sociedade brasileira.

    São portanto competências a serem desenvolvidas no curso:

    Capacidade de reflexão lógica, crítica e analítica, e produção científica.

    Conhecimento dos contextos e dos conteúdos das escrituras cristãs.

    Capacidade para interpretar e expor as escrituras cristãs.

    Compreensão da história do cristianismo e do desenvolvimento do pensamento cristão.

    Capacidade para dialogar construtivamente, com outras perspectivas religiosas, filosóficas e teológicas.

    Habilidade para aplicar o conhecimento teológico, em favor do bem estar integral do ser humano.

    Qualificação para formar lideranças eclesiásticas, assessorar grupos religiosos e grupos de promoção humana.

    Capacidade para discutir políticas públicas da educação religiosa.

    Qualificação para a docência na teologia.

    Habilidade na utilização da tecnologia inerente ao estudo teológico.

    ESTRUTURA CURRICULAR:

    Seleção de Conteúdos

    Os conteúdos do curso de teologia à distância seguem as orientações e diretrizes educacionais do Ministério de Educação em sua proporcionalidade nas áreas do saber teológico, bem como, nas disciplinas auxiliares.

    A organização curricular foi constituída para atingir os objetivos do curso que visam uma qualificação geradora de competências específicas retratadas também no perfil do egresso. Para tanto, as disciplinas foram organizadas por semestres, sendo estas oferecidas, cursadas (no formato de módulos - uma a cada vez) e avaliadas no final de cada módulo.

    As disciplinas também visam promover o conhecimento e a reflexão através dos conteúdos de séculos de história e de pesquisas teológicas. As disciplinas foram selecionadas e distribuídas por áreas do conhecimento teológico, a saber: Área Bíblica, Área Histórico-teológica, Área Prática e Área Auxiliar.

    Ficam assim, orientadas o oferecimento das disciplinas:

    Metodologia:

    O curso está baseado na metodologia de Ensino a Distância (EAD). As aulas serão ministradas por professores em material DIGITAL . Os alunos acompanharão a aula DENTRO DE NOSSA PLATAFORMA AVA EAD, tendo acesso ao conteúdo através de AULAS EM VIDEOS , SLIDES E MATERIAL DE APOIO, o aluno deverá acessar a central do aluno com seu login e senha, acessar o módulo em que está matriculado; ao fazer isso, aparecerá na tela um visualizador e, assim, acompanhar a aula.

    RECONHECIMENTO / MEC - DECLARAÇÃO DO MEC - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

    Alguns esclarecimentos em relação ao MEC...O MEC - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA, não reconhece o curso de Graduação Teológica Livre", tanto presencial como à distância. Os cursos de Graduação Teológica Livre, Mestrado e Doutorado são de caráter eclesiástico, onde está inserida o SETEAD EDUCACIONAL - SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA KERIGMA DIDACHE ... ESCOLA EDUCACIONAL INTERDENOMINACIONAL TEOLÓGICA (MANTENEDORA- CETEAD-SERVIÇOS EDUCACIONAIS KERIGMA DIDACHE )Como o ensino militar, o ensino religioso foge às limitações dos sistemas vigentes (Par. 286/81). Os cursos de Teologia não precisam de autorização do MEC para funcionar. A carga horária fica a critério da mantenedora do Instituto e a grade curricular é livre para obedecer a diferentes tradições religiosas. Com a LDB 9394/96, o Conselho Federal de Educação considera os cursos de Teologia não como nível superior, mas sim como tendo o objetivo de exercer ofícios eclesiásticos. Porém, após diversas reivindicações, o MEC passou a reconhecer cursos de Bacharel em Teologia presencial como nível superior válido. Por isso, a maioria esmagadora de instituições que ministram cursos de Teologia, presencial ou à distância, não tem o reconhecimento do MEC. Dentro do Estado de São Paulo, apenas 11 instituições que ministram cursos de Teologia são devidamente reconhecidas pelo MEC, de acordo com o site www.educacaosuperior.inep.gov.br.

    SISTEMA DE GESTÃO DE APRENDIZAGEM E  CONTÉUDO :

    NOVA FORMA DE ENSINO EAD

    PLATAFORMA AVA DE ENSINO EAD

    1º CHAT

    2º FÓRUM

    3º PROVAS

    4º TRABALHOS

    5º LIÇÕES

    6º SLIDES

    7º VIDEOS

    O que é AVA?

    AVA são as iniciais de Ambiente Virtual de Aprendizagem. Por definição, um AVA é um sistema (ou software) que proporciona o desenvolvimento e distribuição de conteúdos diversos para cursos online e disciplinas semipresenciais para alunos em geral.

    Um AVA é de fato um ambiente virtual desenvolvido para ajudar professores e tutores no gerenciamento de conteúdos e materiais complementares para os seus alunos e na gestão completa de cursos online. Com este ambiente, é possível acompanhar todo o processo de aprendizagem por parte do aluno, além de gerar relatórios sobre performance e progresso do mesmo em determinado curso online.Com isso, é possível trabalhar de forma assertiva em cima de possíveis problemas que possam ocorrer garantindo a eficácia do processo e do ambiente virtual de aprendizagem como um todo.que o aluno será apresentado a toda a estrutura de cursos, bem como os conteúdos, aulas, módulos e avaliações.De forma resumida, é em um AVA que o aluno poderá ser impactado por conteúdos e passará por todo o processo de aprendizagem, caso esteja inserido em um curso da modalidade de ensino online.Um AVA pode ser usado também como ferramenta para EAD (educação a distância), sendo usado em alguns casos para complementar aulas presenciais com conteúdos virtuais.

    SUMÁRIO  :

    1º Práticas Pedagógicas do Professor da Escola Dominical............................................17

    Sou Professor da Escola Dominical por Onde eu Começo ........................................30

    Requisitos para a Pré-qualificação do Professor da Escola Dominical ......................41

    Qualidades Fundamentais para o Professor da Escola Dominical ............................44

    5º Professor e o Ensino à Luz da Palavra de Deus .........................................................57

    6º O Preparo Didático do Professor da EBD ..................................................................90

    7º O Professor e o Preparo da Lição ..............................................................................100

    8º A Formação Integral do Professor da EBD no Novo Milênio ..................................110

    9º O Papel do Professor nas Igrejas ...............................................................................119

    10º O Professor da EBD .................................................................................................129

    11º O Preparo da lição Bíblica pelo Professor da Escola Dominical .............................145

    12º O Bom Uso de Ilustrações .......................................................................................164

    13º Homilética Bíblica  ..................................................................................................188

    14º O Superintendente da Escola Dominical ................................................................197

    15º Princípios Fundamentais para um líder Mestre ......................................................214

    16º Visão dos Verdadeiros Líderes da EBD ..................................................................227

    17º Liderança Cristã .......................................................................................................235

    18º Perguntas Básicas sobre Técnicas de Oratória .......................................................257

    19º A Escola Dominical e o Crescimento da Igreja ......................................................275

    20º Como Tornar a Escola Dominical mais Atrativa ....................................................279

    21º A Escola Dominical e o Corpo Docente ..................................................................296

    22º Métodos de Administração da EBD ........................................................................309

    23º A Importância do Planejamento na Escola Dominical ...........................................335

    24º Discipulado ..............................................................................................................343

    25º Técnicas de Ensino ..................................................................................................367

    26º Estilos de Aprendizagem e Técnicas de Ensino .....................................................376

    27º Métodos de Ensino ..................................................................................................381

    28º Bases Bíblicas do Ensino .........................................................................................413

    29º Bibliologia Bíblica  ..................................................................................................425

    30º A Escola Criativa ......................................................................................................442

    31º A Escola Dominical e as Diferentes Gerações ........................................................452

    32º A Inovação na EBD .................................................................................................464

    33º O Aspecto Espiritual da Didática Cristã .................................................................468

    34º A Afetividade na Perspectiva da Aprendizagem Significativa .................................491

    35º Os Princípios Necessários para uma Boa Didática ................................................495

    36º O Que é Aprendizagem Significativa ......................................................................502

    37º A Hermenêutica Bíblica ..........................................................................................509

    38º Exegese Bíblica ........................................................................................................521

    39º Referências Bibliográficas .......................................................................................544

    PALAVRA DO REITOR

    Estamos vivendo tempos de fome espiritual, onde heresias têm procurado se instalar no seio da Igreja; Deus levantou o projeto para um grande avivamento espiritual. Não basta apenas termos talentos naturais ou compreensão das conseqüências das crises que o mundo atravessa. Precisamos,exercer influências com nosso testemunho perante os que dispomos a ensinar a Palavra de Deus. é muito importante porque nos dará ampla visão da teologia Divina, atrairá futuros líderes ao aprendizado e criará um ambiente mais espiritual na nossa Igreja (Koinonia). Aprendizados errados geram desastres e resistência à Obra de Deus. Somente o correto de forma correta leva ao sucesso, na consciência e submissão ao Espírito Santo que rege a igreja. Temos que combinar estratégias de ensino com o nosso caráter revelado em nossas vidas; devemos incentivar a confiança dos alunos na Escritura, com coerência e potencial. Temos capacidade, em Deus, de mudarmos o mundo, começando do mundo interior das consciências humanas dos alunos, que se tornarão futuros evangelizadores capacitados na Bíblia.

    Como facilitador da visão de ensino, conheça os quatro pilares da Educação:

    1) Aprender a Conhecer: -Tenha a humildade de saber que não sabes tudo; Seja competente, compreensivo, útil, atento, memorizador e informe o assunto de forma contextualizada com a realidade atual.

    2) Aprender a fazer: -Seja Preparado para ministrar as aulas, conhecendo a matéria previamente, estimulando a criatividade dos alunos, preparando-os para a tarefa determinada de Jesus de serem discípulos.

    3) Aprender a Viver juntos: -Estimule a descoberta mútua entre os alunos da Palavra de Deus, em forma de solidariedade, cooperativismo, promovendo auto-conhecimento e auto-estima entre os alunos, na solidariedade da compreensão mútua; o objetivo do curso não é apenas ter conhecimento, mas ser cristão.

    4) Aprender a Ser: -Resgate a visão holística (completa) e integral dos alunos, preparando-os para integrarem corpo, alma e espírito com sensibilidade, ética, responsabilidade social e espiritualidade, formando juízo de valores, levando-os a aprenderem a decidir por si mesmos, com a ajuda do Espírito Santo. Lembrem-se de que a primeira impressão é a que fica marcada na consciência. Temos que ser perceptivos, hábeis para lidar com as dúvidas, sem agressões, procurando soluções com base bíblicas sem fundamentalismo de usar textos sem contextos por pretextos de posicionamentos individuais. Agradecemos a Deus, aos amados Líderes e aos alunos por seu interesse.

    Deus vos abençoe.

    BONS ESTUDOS

    COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA

    1º Práticas Pedagógicas do Professor da Escola Dominical

    Práticas Pedagógicas para Professores de Escola Dominical, apresentaremos valiosas lições envolvendo as mais diferentes áreas relativas à Escola Dominical, Professores, Lições, Alunos, Classe e técnicas de ensino. Esta é uma fonte de consulta do professor que deseja exercer seu ministério do ensino com qualidade. A pedagogia é definida como a Ciência cujo objeto de análise é a educação, seus métodos e princípios; reunião das teorias sobre educação e sobre o ensino. [Por Extensão] Reunião das práticas e métodos que garantem a adequação entre o conteúdo didático e as pessoas que se utilizaram dele.

    A prática pedagógica mais comum que encontramos nas escolas é a do monólogo: o professor fala, os alunos ouvem e aprendem. Professores sabem, por isso ensinam. Estudantes não sabem, por isso aprendem. Nada mais longe da verdade e da prática de Jesus! Ensinar e aprender são atos tanto de mestres quanto de estudantes. Mestres ensinam e aprendem. Estudantes aprendem e ensinam. Isso acontece no diálogo pedagógico, na troca de saberes entre professores e alunos.

    Práticas Pedagógicas para a Escola Dominical

    Temos as aqui uma lista com melhores práticas, as quais podem serem usadas pelo professor da Escola Dominical.

    A relação entre o professor e o aluno

    Certo educador disse que a relação entre o professor e o aluno não deve basear-se  na  imposição, mas,  sim,  na cooperação e no respeito mútuo, visando ao crescimento. Significa dizer que o educando deve ser considerado um sujeito ativo na construção do aprendizado.Você, professor, como pessoa mais madura, exerce um papel fundamental nesse processo; portanto, incentive a interação e participação em classe dos seus alunos.

    Dominando o Assunto

    O maior fator de segurança para quem ensina é o domínio do assunto. O professor deve planejar com esmero cada uma de suas aulas, e esse planejamento exige sempre muita dedicação e estudo.

    Jesus retirava subsídios para Seus ensinos de duas fontes principais:

    •  Escritura — a ela o Mestre fez abundantes referências, pois conhecia profundamente o texto Sagrado do Antigo Testamento;

    •  Mundo circundante — observando o mundo natural e os fatos do cotidiano, Ele enriqueceu tremendamente o Seu ensino com lições inesquecíveis por sua pertinência. Busque incessantemente o conhecimento bíblico.  Esteja atento aos fatos cotidianos. Seja um observador da Natureza e dos acontecimentos sociais à sua volta.

    Levando o aluno a reflexão

    Dentro de uma denominação, em termos gerais, a maioria das pessoas se conduz por uma linha doutrinária parecida. Contudo, em pontos secundários sempre há variação, independente da posição oficial da Igreja.

    Ninguém pensa absolutamente igual.

    A própria Bíblia reconhece e respeita a variedade de pensamento entre os irmãos: Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo (Rm 14.5).A tarefa do professor é  levar o educando a  refletir. O educador cristão deve enxergar um teólogo em cada aluno, ou seja, alguém que reflita sobre teologia (não necessariamente alguém que venha a cursar uma faculdade de Teologia). Pense nisso!

    A Elaboração de um Planejamento

    Preparar a aula com antecedência revela o nível de dedicação e zelo de todo educador cristão. Quando o professor age desta maneira, os alunos absorvem melhor o conteúdo e, além disso, podem realizar novos exercícios, elaborar tarefas em casa, ou fazer uma redação sobre o tema apresentado. Esse conjunto de medidas melhora a organização do conteúdo e otimiza o tempo em sala de aula.Nos dias que antecedem a sua aula, é impreterível que haja planejamento; portanto, pense em qual método você utilizará na condução do processo de ensino-aprendizagem.É impossível ministrar aulas que correspondam às expectativas educacionais sem dar total atenção à fase de elaboração de um plano de trabalho didático.

    O que é um plano de aula?

    Seguem algumas definições:

    uma previsão quanto aos objetivos, conteúdo, procedimentos, recursos e avaliação a serem utilizados no contexto da aula;

    Um roteiro para  orientar o  professor no  alcance  dos objetivos educacionais;

    Uma sistematização das atividades que vão acontecer em classe, evitando, assim, a improvisação e o desperdício de tempo e de recursos.

    Seguindo as Etapas da Aula

    As principais etapas de uma aula de Escola Dominical são:

    (1) leitura de todas as lições do trimestre pelo professor;

    (2) planejamento e

    (3) desenvolvimento.

    1° LEITURA DE TODAS AS LIÇÕES

    A leitura prévia de toda a revista permite uma visão global do que será ministrado e possibilita ao professor planejar com excelência cada aula.

    2° PLANEJAMENTO

    O planejamento deve iniciar-se o quanto antes. Quanto mais tempo e mais o professor dedicar-se a esta fase, mais interessante e enriquecedora será a aula.

    Veremos aqui desde quando o professor deve começar a trabalhar na lição do domingo seguinte.

    A fim de ter um bom planejamento.

    OEBPS/images/image0004.png  Domingo: Ler – Leia a lição da semana e faça um estudo geral de todo o texto.

    OEBPS/images/image0004.png  Segunda: Sumário – Leia novamente o texto bíblico e decore o Texto Áureo e a Verdade Prática. Leia várias vezes os objetivos

    OEBPS/images/image0004.png  Terça: Histórico – Releia toda a lição e recorde o texto bíblico. Verifique o momento histórico do texto.

    OEBPS/images/image0004.png  Quarta: Pessoas – Verifique o nome de cada pessoa inserida na lição.

    OEBPS/images/image0004.png  Quinta: Geografia – Estude os lugares mencionados na                lição.   Aprenda   a   pronunciar   seus   nomes corretamente. Pesquise em mapas bíblicos.

    OEBPS/images/image0004.png  Sexta: Fatos – Veja os fatos cuidadosamente.

    OEBPS/images/image0004.png  Sábado: Aplicação – Releia suas anotações sobre a lição e elabore o método de explanação.

    OEBPS/images/image0004.png  Domingo: Leia outra vez a lição e ore a Deus pedindo uma boa aula.

    Aspectos fundamentais para se fazer uma leitura com bastante proveito:

    a) Atenção - Leitura cuidadosa e profunda buscando o entendimento, assimilação e apreensão dos conteúdos básicos do texto.

    b) Interesse - Leitura com o intuito de adquirir proveito intelectual.

    c) Reflexão - Leitura que visa aprofundar conhecimentos e assimilar as ideias do autor. Considera-se e pondera-se o que se lê, observando todos os ângulos com o intuito de adquirir o esclarecimento e o aperfeiçoamento do texto.

    d)  Visão Critica  -  Leitura  que  visa  avaliar  o  texto, julgando, comparando, aprovando, aceitando ou refutando as diferentes colocações e pontos de vista do autor.

    e) Síntese - Leitura com o propósito de resumir as ideias principais, deixando de lado tudo o que for secundário.

    3° MÉTODO EXPOSITIVO

    Utilizando o método expositivo, intercalado com perguntas, respostas e participação do aluno, uma aula pode ser desenvolvida da seguinte maneira: acomodação da classe e chamada (5 min); introdução com motivação inicial (5 min); desenvolvimento do conteúdo (35 min); exercícios de fixação, recapitulação e síntese (5 min); oração final.

    O USO DO MÉTODO EXPOSITIVO

    Um dos métodos mais utilizados em classe é o da preleção (ou exposição oral), que está centralizado na figura do professor — o que pode ser uma desvantagem —; todavia, se ele for empregado em alternância com outros, tornar-se- á mais funcional.Trabalhos em grupo e debates contribuem para uma aula mais clara e precisa, trazendo melhores resultados.

    Algumas sugestões para o uso do método expositivo:

    1) Utilize-se de ilustrações para aclarar o tema;

    2) Conheça seus ouvintes — isto favorece a adequação da linguagem para que eles sejam alcançados pelo tema;

    3) Domine o assunto que será ministrado em classe;

    4) No final da aula, apresente uma síntese das ideias centrais da lição.

    A arte de fazer perguntas

    O método interrogativo é praticado desde a mais remota antiguidade. O educador moderno não deve ver-se como alguém limitado às preleções e exposições; ao contrário, deve desenvolver a arte de fazer perguntas que provoquem a participação e, consequentemente, a aprendizagem. Mais do que um preletor, o professor é alguém que sabe fazer perguntas pertinentes; mais do que um respondedor de perguntas,  ele  é  alguém  que  aprendeu  a  arte  de provocar em seu aluno a capacidade de fazer perguntas inteligentes.Não é à toa que Jesus utilizou-se do método de perguntas, que também é chamado de método catequético. Por meio desse recurso, o professor pode avaliar o nível de interesse e o conhecimento da classe ou de um aluno em particular [...].   Com  esse  método,  o Mestre conferia   grande praticidade às Suas preleções e ensinava de modo enfático grandes verdades do Reino de Deus (CHAVES, G. Central Gospel,2012, p. 36,7).Sócrates, um dos maiores filósofos da História, não admitia ensinar fazendo preleções. Em sua opinião, o aluno deveria aprender por si mesmo, ou  seja,  tirando suas  próprias conclusões.

    Por meio de perguntas, ele despertava seus discípulos a adquirir conhecimento como fruto de sua reflexão pessoal.

    Sócrates chamou esse método de maiêutica. O sentido dessa palavra grega expressa a ideia de uma parteira que ajudava as mães no ato de dar à luz. O verbo significa, literalmente, parir. Desta forma, o grande filósofo via-se como a parteira e, tanto quanto possível, ajudava seus alunos a parir ideias que fossem pessoais, inovadoras e que apresentassem soluções para os problemas da vida (CHAVES, G. Central Gospel, 2012, p. 68).

    A Avaliação como Instrumento do Professor

    A avaliação é um instrumento de trabalho do professor. Assim como as empresas procuram fazer o controle de qualidade dos seus produtos e serviços, para que se mantenham   cientes e competitivas no mercado, o professor, por meio da avaliação, pode exercer o controle da qualidade de seu ensino. Avaliação existe para melhorar o ensino e a aprendizagem. Mesmo que você, professor, não tenha tempo para corrigir os exercícios, incentive os alunos a executá-los, pois eles servem para fixação da aprendizagem.

    A AVALIAÇÃO QUE O PROFESSOR FAZ NO FINAL DE TRIMESTRE

    Professor,  o final de um trimestre é uma ótima oportunidade para o professor avaliar o crescimento dos educandos e a prática pedagógica do próprio docente.

    Ao avaliar o aluno, o professor deve considerar:

    (1) Os estilos de aprendizagem do educando;

    (2) as múltiplas inteligências;

    (3) os vários contextos histórico-sociais em que o aluno está inserido;

    (4) e a comunicação entre professor e aluno.

    Porém, antes de efetuar a avaliação de seus alunos você deve avaliar a si mesmo, sua prática pedagógica e, principalmente, sua relação com o educando.Lembre-se, avaliar é  um ato amoroso pelo qual professor e   aluno   constroem  o conhecimento.

    O Papel do educador cristão

    Professor, grande é o seu privilégio de estar junto a uma classe ensinando a Palavra de Deus. A palavra educar é derivada do latim educare que significa conduzir para fora. Logo, podemos afirmar que o seu trabalho como professor é conduzir para fora o potencial inato do seu aluno. Esta definição de educação também revela-nos, de forma implícita, que o professor não é exatamente quem ensina o educando, mas sim, quem o orienta  em  sua aprendizagem. O trabalho do educador cristão é oferecer ao educando orientações para sua aprendizagem. Neste sentido, ele é alguém que aponta o caminho para que outros empreendam uma trajetória de conquista pessoal do conhecimento, porque ninguém pode aprender contra sua própria  vontade  ou  se  não  o  desejar.  Desse modo, podemos afirmar que o educador não é aquele que ensina, mas sim aquele que desempenha o papel de orientador da aprendizagem (CHAVES, G. Central Gospel, 2012, p. 25).

    O professor (a) chega primeiro do que os alunos

    É importante ressaltar que uma aula se dá antes, durante e depois do tempo estabelecido pela Escola Bíblica Dominical. O professor deve chegar, no mínimo, uma hora antes do encontro para preparar o layout da classe, ou seja, para fazer o devido posicionamento das cadeiras — tenha em mente que as formas de U e V permitem o livre trânsito entre os alunos. Ao orarem para finalizar a ministração da aula, pergunte quem aceita o desafio  de  aplicar  em  sua  vida  o  que aprendeu, durante a próxima semana.

    Compromissos para o Início da Aula

    Nunca inicie a aula sem especificar seus objetivos e declará-los à turma. Sem objetivos não se pode esperar resultados.

    Ao iniciar a aula, faça uma breve revisão do conteúdo da lição anterior e, na introdução desta, busque organizá-la em etapas do processo de ensino-aprendizagem:

    Logicidade, gradualidade e continuidade (Adaptado de: RODRIGUES, A. Didática Contemporânea, 2015, p. 77).

    1) Logicidade: crie uma sequência coerente, partindo dos elementos de mais fácil compreensão para os mais complexos.

    2) Gradualidade: exponha o conteúdo de forma sistemática, em etapas, mantendo a continuidade do assunto.

    3) Continuidade: facilite a apreensão do conteúdo para o aluno. Essa etapa visa a promover a maturidade e o crescimento discente e está estritamente relacionada às anteriores na transição dos saberes e ideias.

    As Fontes de Informações no Preparo do Professor

    Nos dias atuais, o educador (cristão ou secular) não deve prender-se a uma única fonte de informação. Isto não quer dizer que se deve abandonar o conteúdo da revista, preparada com grande zelo e esmero pelo comentarista; também não significa que se deve apenas ler o conteúdo da revista em classe, pois esse ato costuma ser traduzido como falta de  consideração  pelos  alunos,  que  nutrem grande expectativa pela exposição do professor.

    Eis aí a importância e necessidade de o educador preparar- se para ministrar a aula.

    O professor deve ministrar a sua aula, considerando os tópicos da revista e as ideias principais dos parágrafos de cada tópico. Contudo, não deve ficar restrito apenas a o que as revistas trazem. É preciso ter discernimento e coragem para pesquisar e ir — com responsabilidade —além do que está no material didático (Pr. Gilmar Vieira Chaves).

    O Cuidado no desenvolvimento do tema da lição

    Desenvolva o tema com bastante cuidado, amor e determinação, evitando dar oportunidade para seus alunos narrarem fatos ocorridos ou desabafarem sentimentos negativos, o que prejudicaria o desenvolvimento da aula e a desviaria dos objetivos propostos. Estes casos poderão ser tratados num atendimento extraclasse. Trabalhe cada tópico da lição conduzindo a participação dos alunos de maneira clara e objetiva, para evitar desvio do assunto.

    A Transformação do Aluno como objetivo do Professor (a)

    O professor só poderá dizer que seu aluno aprendeu a lição ministrada se houver transformação de vida, pois aprendizagem é a modificação do comportamento no seu tríplice aspecto: sentir, pensar e agir. Ao ministrar a aula, o professor precisa entender que o seu aluno carrega uma bagagem de preconceitos, valores, medos, expectações e esperanças, que poderão dificultar a aprendizagem. Por isso, ore, jejue, estude e conduza a aula procurando  dirimir  dúvidas  e  atendendo  à  classe,  na medida do possível, em suas necessidades. Lançando perguntas e ouvindo as respostas você poderá conhecê-los melhor, adequar o ensino e conduzi-los a aprendizagem. O professor deve ministrar a lição sempre buscando a Deus para que Ele  produza a  Sua  vontade na  vida  de  seus alunos. Sua Palavra é poderosa, por si só, para fazê-lo. Contudo, muitas vezes não vemos mudanças. Então, deveremos repensar o trabalho que estamos realizando, as técnicas utilizadas em nossa aula, e pedir a Deus que nos ajude a promover mudanças, continuando em oração pela classe na busca de melhores frutos.

    A Valorização do Aluno

    Procure fazer com que seus alunos se sintam valorizados, como pessoa, mostrando-lhes que são importantes para Deus. Todos têm valor inestimável. Demonstre isto promovendo a participação de todos e aproveitando, na medida do possível, a colaboração de cada um. O aluno, apesar de estar na posição de aprendiz, pode ser um grande colaborador para o seu professor e trazer enriquecimento para a aula. Cada pessoa tem a sua cosmovisão, ou seja, maneira própria de ver o mundo, que precisa ser respeitada, mesmo que seja contrária a posição do grupo.  Contudo, o aluno pode perceber na  lição aspectos diferentes dos alcançados pelo professor. Neste caso, um professor sábio aproveitará a oportunidade, trabalhando a motivação da classe, valorizando a contribuição, sem, contudo, fugir aos objetivos propostos. O professor da Escola Bíblica Dominical precisa ser sempre exemplo para seus alunos. Seja amigo, fiel, disciplinado, ordeiro, grato, etc.

    Obtendo Informações sobre o Aluno

    Quais são as necessidades dos seus alunos?

    Será que necessitam apenas ouvir a Palavra de Deus e receber edificação espiritual?

    Na verdade, não. Seus alunos têm outras necessidades e você, professor, deve buscar atendê-las, pois, também, há edificação quando se satisfaz uma necessidade material, pois demonstramos o amor de Deus em nossos corações. Se a assistência  social  assim  ocorrer, não  haverá dificuldades para aplicar valores espirituais às vidas dos seus  alunos. Você estará abrindo caminho para que recebam também os bens espirituais que deseja transmitir- lhes.

    O Professor e o Estudo das Lições

    Prepare-se convenientemente para as próximas lições! Portanto, não perca tempo, pesquise o máximo que puder. Estude com afinco todos os dias da semana.

    Observe os seguintes princípios:

    1. Preparar cada lição, estudando-a como assunto novo, mesmo que este lhe pareça conhecido.

    2. Estudar bem a lição até que o assunto se torne bem conhecido e bem claro.

    3. Estudar bem o assunto até que a lição se desenvolva em uma sequência lógica.

    4. Ao preparar a lição, procurar relacionar cada parte dela às necessidades dos alunos.

    5. Usar métodos e materiais adequados.

    6. Planejar tudo de modo que todos os alunos participem.

    7. Ter alvos específicos: sabendo o que seus alunos devem sentir, saber, e fazer como resultado do estudo desta lição.

    Compromissos Esperados do Professor

    Espera-se do professor que:

    Preveja eventuais situações problemáticas, o que lhe permite tomar decisões adequadas diante delas;

    Recorra a formas diferenciadas de ensino, criando uma atmosfera de trabalho positiva e estimulante para a classe;

    Deixe tudo muito claro para a classe, estabelecendo regras e compromissos junto com os alunos;

    Organize o espaço da sala de aula de maneira que este contribua significativamente para uma atmosfera de trabalho produtiva.

    E a melhor maneira de formar o caráter de alguém é ensinar com a própria  vida.  Portanto, professor, praticar aquilo que se ensina é requisito indispensável para aqueles que lecionam na Escola Dominical.

    Promovendo a Motivação

    De que modo você tem despertado a motivação de seus alunos para o estudo das lições? As aulas meramente expositivas costumam causar desinteresse e   apatia.   Seus   alunos   precisam   estar motivados para aprender.Aprender é adquirir novas atitudes. Tudo o que fazemos tem um objetivo ou um motivo. E o que é motivo? Motivo é tudo o que nos move para determinado fim, ou seja, é a força interior que leva o homem a agir. Motivação é a soma do motivo com o incentivo.

    E o que é incentivo?

    Incentivo é o processo externo que vai despertar o motivo do indivíduo. Incentivo é ação de fora para dentro. Motivo é reação, neste caso, de dentro para fora. O planejamento e a motivação das aulas, utilizando recursos materiais e humanos, métodos e técnicas adequados, bem como a fixação e a avaliação, tornam a aprendizagem eficaz.

    A Auto Avaliação do Professor

    PERGUNTAS PARA O PROFESSOR (A)

    Você tem observado seus alunos?

    Será que estão vivendo de conformidade com a vontade de Deus?

    Você tem percebido sinais de mudança em suas vidas como resultado do que estão aprendendo na Escola Bíblica Dominical?

    Sua classe tem crescido na graça e no conhecimento conforme nos adverte a Bíblia?

    Como sua turma tem se comportado durante as lições?

    Estão motivados?

    Interessados?

    Estão participando ativamente por meio de perguntas e colocações? Faça uma avaliação!

    O cuidado com regras gramaticais

    Professor, em sala de aula você é livre para expressar o seu pensamento de forma pessoal e bíblica. A fala é o instrumento que o prezado mestre usa para comunicar-se com os seus alunos. Porém, o discurso apresentado deve ser de acordo com as regras gramaticais. Não é apenas importante o que é dito, mas também como a verdade bíblica é ministrada.Há frases que são inteligíveis, apesar de contrariarem as normas da língua portuguesa. Outras, carentes de gramaticalidade, não fazem sentido. Portanto, um ensino cuja gramática esteja ausente ou precária é ininteligível. Ora, se em razão de o professor não se comunicar corretamente, o educando não aprende, o mestre precisa urgentemente se comunicar conforme as regras gramaticais.

    Professor Atento com os Diferentes tipos de Alunos

    Professor, cada aluno possui seu ritmo e estilo próprio de aprendizado.

    1- Alunos analíticos

    Alguns, que são mais analíticos, se comprazem na exposição minuciosa do texto bíblico ou da lição (aprendem quando observam e ouvem).

    2- Alunos dinâmicos

    Outros são mais dinâmicos, aprendem por meio de atividades que os desafiem a descobrir novos conceitos e possibilidades.

    3- Alunos interativos

    Há os interativos, isto é, os que aprendem quando são estimulados diante de uma situação concreta (gostam de interagir com o grupo).

    4- Alunos pragmáticos

    Os pragmáticos são aqueles que aprendem quando executam uma atividade relacionada a uma teoria (relacionam a teoria à prática). Por conseguinte, o professor deve ser um facilitador do aprendizado do aluno.

    A utilização dos Diferentes Tipos de Leituras

    Professor, ler não é apenas decodificar os signos de um texto, mas compreendê-lo. Assim como o eunuco, de Candace, muitos alunos leem a Bíblia, mas não a compreendem (At 8.30-32).

    Há diversas formas de leitura da Bíblia:

    1) Leitura devocional - o leitor busca o aperfeiçoamento espiritual e moral (leitor introspectivo);

    2) Leitura exegética - o leitor quer entender a estrutura, contextos e objetivos do texto (leitor analítico);

    3) Leitura didática - o leitor deseja saber as bases doutrinárias da Bíblia (leitor receptivo).

    O uso de Recursos Didáticos

    Professor, os recursos didáticos usados para enfatizar a mensagem e facilitar a  aprendizagem são estratégias usadas desde a Antiguidade. No Antigo Testamento, Deus não apenas dava a mensagem aos profetas, mas também orientava-os quanto aos métodos que seriam empregados na transmissão do ensino. Muitas vezes, o próprio Deus usava recursos didáticos para falar com os profetas  (Jr  1.11-14;  18). Em Teologia, chama-se ‘ações simbólicas’ ou ‘oráculos por ação’ os recursos e estratégias didáticas usadas pelo profeta para comunicar com ênfase a profecia bíblica (cf. Jr 13; Ez 24).

    Os dez mandamentos para o professor da Escola Dominical

    1. Gastar pelo menos meia hora por dia no preparo de sua aula;

    2.  Chegar  à  Escola  Dominical com  alguns  minutos de antecedência;

    3. Frequentar as reuniões de professores;

    4. Seguir as orientações pedagógicas da revista de cada trimestre;

    5. Não decepcionar os seus alunos com rotinas e improvisos;

    6. Estar atento aos alunos faltosos;

    7. Orar por sua classe, assim como você ora todos os dias por si;

    8. Incentivar insistentemente seus alunos a fazerem a leitura diária da lição e responder ao questionário;

    9. Fazer, no fim de cada trimestre, uma avaliação de seu trabalho tendo em mente o desejo de melhorar sempre;

    10. Entregar ao Superintendente da EBD, com no mínimo duas semanas de antecedência, a lista das revistas que você precisa para o próximo trimestre.

    Professor Dedicado ao Ensino

    Todos que foram chamados por Deus para ensinar têm o dever de dedicarem-se ao ensino. ...se é ensinar, haja dedicação ao ensino (Rm 12.7). Ensinar pode ser definido assim: é despertar a mente do aluno para captar e reter a verdade. É mais que partilhar com outros as verdades que possuímos; é motivá-los a pensar por si mesmos, de tal modo que cheguem aos fatos. O ensino vindo de um professor dedicado atrai a atenção de seu alunos.Por outro lado o ensino vindo de um professor que não se dedica ao seu ministério de ensino é enfadonho e na maioria das vezes desinteressante. A grande relevância da escola Dominical, ao nos apresentar as seguintes definições sobre este especial departamento de ensino de uma igreja. A Escola Dominical é a escola de ensino bíblico da Igreja, que evangeliza enquanto ensina, conjugando assim os dois lados da comissão de Jesus à Igreja, conforme Mateus 28.20 e Marcos 16.15. "A Escola Dominical, quando devidamente aparelhada, é de fato a agência de formação religiosa popular das igrejas evangélicas. E aí que as crianças desde a mais tenra idade, os adolescentes, e os adultos, ao receberem o ensino sadio e inspirador das Escrituras,

    São todos beneficiados:

    (1) as crianças recebem formação moral e espiritual,

    (2) os adolescentes formam sua personalidade cristã e os

    (3) adultos renovam suas forças morais e espirituais para uma vida cristã sempre frutífera e abundante".

    Que os professores e as Lideranças de Igrejas valorizem e invistam mais  na divulgação  e  na  qualificação  para  a educação cristã, através de Escola Dominical.

    Sou Professor da Escola Dominical por Onde eu Começo   

    O professor (a) da Escola Dominical deve sempre buscar maneiras de melhorar a sua aula, pensando nisso reunimos aqui alguns estudos para ajudar tanto os professores veteranos quanto os novatos, na busca pela qualidade de suas aulas.

    O mandato para o ensino cristão

    O ensino cristão remonta suas raízes aos primeiros dias do homem na Terra. Deus começou a ensinar quando colocou uma restrição no comportamento do homem no jardim do Éden. Depois da queda, a necessidade de ensino aumentou. Pais piedosos passaram de uma geração para outra cruciais informações espirituais até que Deus formalizou a responsabilidade dos pais ao ordenar-lhes que ensinassem os filhos (Dt 6). Porque a Lei funcionava dentro de uma teocracia, o treinamento espiritual dependia em grande parte da família, mas recebia reforço de todo o sistema social, econômico, político e religioso. Embora os profetas fossem ocasionalmente enviados a outras terras (Jonas), a tónica do ensino durante o Antigo Testamento permanecia nas pessoas que viviam em Israel. Jesus Cristo seria o primeiro a articular a ideia de ensinar a todos em todos os lugares.

    A Grande Comissão em Mateus 28

    A Grande Comissão em Mateus 28 é ao mesmo tempo uma das passagens mais conhecidas e menosprezadas do Novo Testamento. Na História Geral, ninguém jamais comissionou ou tentou seriamente a educação universal. Contudo, Jesus espera que Seus seguidores façam discípulos de TODAS AS NAÇÕES. Se fosse levado a sério, esta passagem deveria subjugar os professores cristãos com a falta de um currículo rigidamente definido, professores profissionalmente treinados ou extraordinários orçamentos para a educação. Suficientemente incrível, a história deste mandato determina o Cristianismo. Onde o ensino cristão viceja, a igreja prospera.

    A característica mais importante da Grande Comissão para os professores

    A característica mais importante da Grande Comissão para os professores cristãos gira em torno do aluno. A frase fazei discípulos (ARA) na verdade significa fazei ou desenvolvei aprendizes. O próprio mandato para o ensino cristão dado por Cristo envolve mais do que disseminar informações. Baseado neste texto bíblico, o professor cristão tem de desenvolver aprendizes. Os mestres cristãos lutam com sua tarefa até que seus alunos se tornem discípulos de Jesus Cristo.Quase ninguém questiona seriamente a chamada da comunidade cristã de ensinar seus constituintes. Mas ferozmente discutimos como realizar esse ensino. A habilidade do Cristianismo ter sobrevivido sob quase todo o tipo de filosofia educacional que fala mais sobre seu Deus do que seus professores. Mas a mão superintendente do Senhor não nos alivia do mandato divino. Precisamente como devemos desenvolver aprendizes?

    Devemos treiná-los em mosteiros?

    Educá-los em comunidades agrícolas?

    Instruí-los em grandes grupos ou empregar principalmente a comunicação interpessoal?

    Os professores cristãos deviam parar o suficiente para considerar o quão criativo Deus foi ao dar Sua revelação. Muitas metodologias de ensino copiam os modelos tradicionais que podem ou não refletir uma perspectiva cristã (sem mencionar criativa). Pelo fato de ser a Bíblia em grande parte um documento proposicional, alguns professores cristãos apresentam primariamente explicações preposicionais e verbais da verdade bíblica.

    Mas considere a variedade incrível de métodos e modos extremamente diversos que Deus usou para comunicar Sua Palavra.

    1. Ele falou do Céu, direta e audivelmente.

    2. Ele escreveu em tábuas de pedra.

    3. Ele se tornou carne.

    4. Ele se revelou em seres sobrenaturais.

    5. Ele deu vívidos sonhos e visões.

    6. Ele utilizou paredes de palácios.

    7. Ele fez animais falarem.

    8. Ele expressou a verdade dos profetas.

    9. Ele compôs poesia.

    10. Ele forneceu lembretes visuais das promessas.

    A lista poderia ser ampliada. É óbvio que Deus comunicou com criatividade aos recipientes originais. E os estudantes modernos deveriam receber menos?

    O diagrama simples ilustra como a verdade de Deus deve chegar aos estudantes modernos.

    4 - OBSTÁCULOS QUE IMPEDEM O PROFESSOR DE SER DISCIPLINADO.

    1: Preguiça (de ler, de ir às reuniões, de participar efetivamente nas programações do departamento).

    2: Falta de senso de responsabilidade. Isso acontece quando o diretor ou o professor não consegue perceber a importância de sua função.

    3: Ignorância (ou seria ignorância? - Não aceita correção, não precisa de seminários e nem de reuniões, não muda seus princípios).

    4: Falta de tempo. Muita gente realmente não tem muito tempo, muita gente, no entanto, usa isso como desculpa para justificar sua omissão, pois o tempo somos nós mesmos que programamos.  

    II - RELACIONAMENTO

    1 - AOS PROFESSORES.

    A - Relacionamento do professor com o seu diretor.

    Se o relacionamento do professor de uma classe dominical com o seu diretor está, de certa forma, afetado por alguma coisa, seja indiferença, desacordo ou falta de diálogo; consequentemente, todo o departamento sofre com isso. É por meio do bom relacionamento com seu diretor que o professor poderá discutir sobre a falta de material em sua classe, os problemas de má localização de sua classe, limitação didática e outras coisas mais. 

    B - Relacionamento do professor com o aluno.

    A classe de aula da EBD é formada por pessoas de vários comportamentos, como aqueles alunos com dificuldade de assimilação, ou aqueles que se acham extremamente inteligentes, ou ainda, aqueles que vão as aulas para encontrar os amigos, outros que sempre discordam de tudo, entre tantos outros comportamentos. Tudo isso mostra a responsabilidade que o professor da EBD tem e o quanto é importante que esse professor conheça a sua classe, para saber como lidar com seus alunos. Muitos professores não se importam com isso, o que realmente importa é apenas cumprir o programa. O professor que tem um bom relacionamento com a classe de aula é aquele que consegue perceber o grau de aproveitamento de suas aulas. O grande problema com alguns professores é que eles não conseguem interpretar o meio em que trabalham, em outras palavras, não sabem se a classe está satisfeita ou insatisfeita com as suas aulas, se está participando do desenvolvimento dos seus alunos ou não. O bom relacionamento de um professor com sua classe é definido quando se pode constatar que os alunos desta classe estão crescendo espiritual, moral e socialmente.  

    C - Relacionamento do professor com o seu pastor.

    O bom relacionamento do professor com seu pastor não pode ser construído sob o medo da comunicação entre ambos. O que o professor deve fazer é respeitar o seu pastor. O professor deve ser sempre sincero ao informar seu pastor sobre as ocorrências ao exercer sua função.

    2 - AOS DIRETORES.

    A - O Relacionamento do diretor com o seu pastor.

    Em muitas igrejas é comum o pastor não concordar com os métodos de trabalho do diretor e o diretor não gostar da maneira como o pastor o critica ou deixa de ajudá-lo. Esses pequenos empecilhos entre o diretor e o pastor comprometem muito o departamento, uma vez que o desacordo se reflete nas programações estabelecidas pelo diretor.

    B - Relacionamento do diretor com o responsável geral.

    O diretor só poderá executar com êxito a sua função se o seu relacionamento com o responsável geral estiver bem. O diretor não pode deixar de participar das reuniões e nem deixar de prestar relatórios da Escola Bíblica Dominical de sua congregação. Infelizmente, muitos diretores não têm um relacionamento estreito com o responsável geral, alguns, chegam até a agir com total indiferença, como se não levassem a sério o departamento e sua estrutura funcional. A solução para isto é participação em reuniões gerais ou setoriais.

    III - PREPARACÃO

    O que leva professores despreparados a estarem atuando nas classes de escolas bíblicas dominicais?

    - Será a displicência dos próprios professores, que quando assumiram a classe demonstravam capacidade e depois relaxaram não agindo mais com responsabilidade?

    - Será que certos diretores não conseguem distinguir entre um professor capacitado e outro indisciplinado?

    De qualquer forma, o que interessa saber é que um professor precisa de preparação para pode atuar na EBD. O objetivo do ensino é formar caráter, influenciar, dar instrução e se o professor não está à altura de atingir esses objetivos o resultado não é outro, senão, a insatisfação da classe e a falta de crescimento teológico e espiritual.

    O professor deve ter preparação:

    1 - PSICOLÓGICA.

    A preparação psicológica é necessária à vida do professor, porque diante das mais ousadas perguntas ou colocações ele deve manter o caráter de alguém que está apto a responder, ou pelo menos saber lidar com qualquer situação. Um professor não pode ser destemperado, e nem deixar que suas emoções extrapolem suas ações. O professor preparado psicologicamente age com moderação e segurança. 

    2 - ESPIRITUAL.

    As aulas de um professor da EBD não podem se deter apenas a questões racionais. O professor está diante de uma classe para dar crescimento espiritual aos alunos, se ele não tem essa espiritualidade como poderá repassá-la? Como poderá falar de uma coisa que não vive?

    3 - PEDAGÓGICA

    O professor além de sua espiritualidade e equilíbrio psicológico, necessita de preparo pedagógico. O método, o objetivo, a forma como passa a lição, tudo isso tem relevância quando levamos em conta a responsabilidade que este professor está subordinado: O ensino!

    O PAPEL DO PROFESSOR NAS IGREJA

    Sendo a Didática a arte e a técnica de transmitir o ensino ou os conhecimentos, o professor tem papel fundamental, no sentido de estimular, dirigir e auxiliar a aprendizagem , O Professor cristão deve ser um instrumento nas mãos do Espírito Santo, para transmitir a Palavra de Deus. Jesus disse: Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo" (Mt 19.28).Segundo GRIGGS (p. 18-20), o professor cristão deve ser amigo, procurando relacionar-se bem com os alunos; deve ser intérprete, traduzindo para os alunos aquilo que lhes é ensinado; planejador, procurando adaptar as lições, os currículos às necessidades dos alunos; aprendiz, estando disposto a colocar-se no lugar dos que querem sempre aprender mais para ensinar melhor.Além disso, o professor cristão deve ser um EXEMPLO para seus alunos. Assim falai, assim procedei... (Tg 2.12). Na escola secular, o professor pode ser um mero transmissor de conhecimentos. Na Igreja, é diferente. O professor tem que ser didático e exemplar.

    3. ATITUDES DO PROFESSOR DA EBD

    O professor, na igreja, precisa ser "...APTO PARA ENSINAR" (2 Tm 2.24), precisa ser uma pessoa DEDICADA AO ENSINO (Rm 12.7) e, como OBREIRO, precisa apresentar-se ...a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da verdade (2 Tm 2.15).

    Orientador das mentes e vidas dos alunos;

    Entusiasmado, sincero, humano e otimista;

    Atualizado, não só em termos do que ensina, mas de outras áreas;

    Não fugir do assunto da lição, contando testemunhos e estórias para passar o                 tempo;

    Enriquecer a lição com fatos novos;

    Não ler simplesmente a lição diante da classe; seguir o roteiro, comentando e dando oportunidade aos alunos para se expressarem;

    Não confiar no improviso; deve ler e PREPARAR a lição com antecedência, conferindo com a Bíblia.

    Pontual e assíduo, para não decepcionar os alunos;

    Ao final de cada aula, sempre fazer a avaliação (perguntas, testes, etc..)

    4. COMO O PROFESSOR DEVE VER O ALUNO

    Nas igrejas, é comum o ensino tradicional em que o ALUNO NÃO É O CENTRO do ensino. É por isso que muitos alunos iniciam o ano na Escola Dominical, mas, 3 meses depois, não vão mais à EBD.É importante que o professor entenda que é um instrumento de Deus a serviço da formação espiritual dos alunos. Estes devem ser o alvo do ensino, e não o professor.

    IV - O EXEMPLO DE JESUS COMO PROFESSOR

    O Mestre Divino deixou-nos os seguintes exemplos (Manual da EBD, p 165-6):

    1)  Conhecia a matéria que ensinava (Lc 24.27);

    2)  Conhecia seus alunos (Mt 13; Lc 15.8-10; Jo 21);

    3)  Reconhecia o que havia de bom em seus alunos (Jo 1.47);

    4)  Ensinava verdades bíblicas de modo simples e claro (Lc 5.17-26; Jo 14.6);

    5) Variava o método de ensino conforme a ocasião e o tipo de ouvintes,

    Como se pode ver a seguir:

    Lições práticas (Jo 4.1-42) - falou da água para atrair a mulher samaritana;

    Pontos de contato (Jo 1.35-51): o relacionamento entre André, João, Pedro, Filipe e Natanael;

    Solução de problemas (Mt 22.15-21). Pediu uma moeda e questionou os deveres para com Deus e as autoridades.

    Técnica de perguntas. Jesus fez mais de cem perguntas para levar as pessoas a entender sua mensagem.

    Parábolas. O Mestre utilizou grandemente o recurso das parábolas para evidenciar as verdades eternas.

    Oportunidades  (Mt 26.17-30; Jo 13.1-20).  Ele aproveitou a ocasião da Páscoa, e lavou os pés dos discípulos para ensinar sobre sua morte e sobre a humildade do servo.

    Trabalho em grupo (Mt 5 a 7; Jo 14 a 17). Tanto pregava a grandes grupos (as multidões) como a pequenos grupos (os discípulos); na casa de Lázaro, Marta e Maria, etc.

    Ele levava o discípulo a aprender a resolver problemas. Na multiplicação dos pães, Ele disse: Dai-lhes vós de comer... (Lc 9.13a). Ele não trabalhava só. Valorizava o GRUPO. Formou um grupo de 12 discípulos para fazer o trabalho com Ele. Incentivava os discípulos a praticar o aprendizado. Enviou 12, de dois em dois; depois, enviou 70, de dois em dois.

    V - OS OBJETIVOS DO ENSINO NA IGREJA

    De acordo com GILBERTO (P. 153-4),

    Os objetivos do ensino bíblico são:

    1) O aluno e suas relações com Deus (Is 64.8);

    2) O aluno e suas relações com o Salvador Jesus (Jo 14.6);

    3) O aluno e suas relações com o Espírito Santo (Ef 5.18);

    4) O aluno e suas relações com a Bíblia (Sl 119.105);

    5) O aluno e suas relações com a Igreja (At 2.44; Ef 4.16);

    6) O aluno e suas relações consigo mesmo (Fp 1.21; 3.13,14);

    7) O aluno e suas relações com os demais alunos e com as demais pessoas (Mc 12.31).

    VI -  A DIDÁTICA, OS MÉTODOS  E AS TÉCNICAS DE ENSINO NA IGREJA

    1. MÉTODOS DE ENSINO

    A palavra método vem do grego, méthodos, com o significado de caminho para chegar a um fim; ... processo ou técnica de ensino ; modo de proceder; maneira de agir . (Dic. Aurélio) . Na prática, os métodos envolvem as técnicas, como forma de operacionalizá-los.Nas igrejas, de modo geral, os métodos de ensino da Palavra de Deus continuam sendo os mais tradicionais, predominando do MÉTODO EXPOSITIVO. Este, com a unção de Deus, tem efeitos extraordinários no aprendizado. Contudo, outros métodos e técnicas podem ser utilizados nas igrejas, desde que haja condições para isso (pessoal qualificado, recursos materiais, espaço , etc..).

    De acordo com a Didática, podemos resumir os métodos de ensino em três tipos:

    Métodos de ensino individualizado:

    A ênfase está na necessidade de se atender às diferenças individuais, como por exemplo ritmo de trabalho, interesses, necessidades, aptidões, etc.. Predominam as atividades individuais (de estudo e pesquisa).

    Como exemplo,

    Temos as seguintes técnicas:

    Instrução programada (precisa de objetivos definidos, apresentação em pequenas etapas e em sequência lógica, participação ativa do aluno, o aluno estuda em seu próprio ritmo; bom para um curso bíblico básico.

    O estudo dirigido: leva o aluno a aprender a estudar, Ter bons hábitos de estudo, explora o pensamento reflexivo; bom método para estudo da lição da EBD, quando o professor pode trabalhar com a turma, passando exercícios para o Domingo seguinte.

    O ensino por fichas: exige muito trabalho, pois há pelo menos 5

    Está gostando da amostra?
    Página 1 de 1