P. 1
NOB 91 – 93 – 96

NOB 91 – 93 – 96

|Views: 4.330|Likes:
Publicado porMilton Bernardes

More info:

Published by: Milton Bernardes on Aug 06, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/13/2014

pdf

text

original

NOB 91 – 93 – 96

Prof. Milton J. C. Bernardes

NOB – 91 Introdução
• Elaborada em conformidade com a lei 8080/90 • São estabelecidas nesta Norma tanto os aspectos de natureza operacional • Intrinsecamente necessários ao gerenciamento dos serviços e ações de saúde
– estabelecidos pela Constituição de 1988, – Abrangência nos três níveis de governo, como também do controle, acompanhamento e fiscalização da aplicação dos recursos.

NOB – 91 Introdução
• Visando a adoção da nova política de financiamento do SUS sendo dividida em:
– financiamento da atividade ambulatorial proporcional à população; – recursos transferidos na forma de AIHs a cada unidade executora, proporcional à população; – custeio da máquina administrativa do INAMPS/MS; – custeio de Programas Especiais em saúde

NOB - 91
• Financiamento a atividade Ambulatorial
– Quantitativo de pessoas
• Conforme estatísticas – IBGE • Valores SEMESTRAIS / ANUAIS • Índice de reajustes conforme cobertura AMBULATORIAL • TODOS os serviços serão pagos pela cobertura ambulatorial (Públicos / complementares)

NOB .91 • Financiamento a atividade Ambulatorial – A unidade de cobertura ambulatorial (UCA) será reajustada pelo INAMPS – Devendo se considerar os seguintes critérios para o reajuste • População • Capacidade Instalada • Qualidade e desempenho técnico – Após 91 será atualizado conforme as diretrizes orçamentárias e financeiras do INAMPS .

diretamente aos – Estados – Distrito Federal – Municípios – Duodécimos mensais.NOB . – Guia de Autorização do Pagamento .91 • Financiamento a atividade Ambulatorial – O INAMPS transferirá até o último dia útil de cada mês.

– Estabelecimento de requisitos básicos para transferências de recursos diretamente aos Municípios. .91 • O Sistema de Cobertura Ambulatorial será executado em 04 (quatro) etapas: – Cobertura Ambulatorial em janeiro/91 e criação dos Fundos Estaduais e Municipais de Saúde.NOB .

.91 • O Sistema de Cobertura Ambulatorial será executado em 04 (quatro) etapas: – Articulação entre Municípios através da constituição de Consórcios com o objetivo de desenvolver em conjunto as ações e os serviços de saúde que lhes correspondam.NOB . – Pagamento dos prestadores. a partir de fevereiro de 1991. diretamente pelo INAMPS • através SIA-SUS.

NOB .91 • O Sistema de Cobertura Ambulatorial – O valor do repasse será obtido pela UCA x População do Município – O total será dividido em 12 (Duodécimos) partes – Será subtraído o pagamento dos prestadores (Serviço complementar) – 10% Seria transferido para SES – O Restante seria dividido pela população .

NOB .91 • O Sistema de Cobertura Ambulatorial – Os municípios que não atendem aos critérios da Lei 8080/90 e no INAMPS/MS • Estado gerir os recursos – Se ao final tive saldo. este será alocado • Fundo de Saúde dos Estados e Municípios • Caso não tenha Fundo de Saúde os recursos passam diretamente para uma conta da SES no Banco do Brasil .

91 • São requisitos básicos para as transferências automáticas e diretas de recursos de custeio do SUS para os Municípios – Conselho Municipal de Saúde.NOB . composto por representantes: • • • • Governo Municipal Prestadores de serviços Profissionais da Saúde Usuários .

NOB .91 • São requisitos básicos para as transferências automáticas e diretas de recursos de custeio do SUS para os Municípios – Criação do Fundo Municipal de Saúde – Apresentação do Plano Municipal de Saúde • Aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde • Referendado Pela autoridade do poder executivo – Programação e orçamentação da Saúde .

NOB . Cargos e Salários • prazo de 02 (dois) anos para a sua implantação .91 • São requisitos básicos para as transferências automáticas e diretas de recursos de custeio do SUS para os Municípios – Apresentação do relatório de gestão local • Desempenho Assistencial • Desempenho Gerencial • Desempenho Financeiro – Contrapartida de no mínimo 10% – Comissão de Elaboração do Plano de Carreiras.

NOB .91 • Os municípios poderão formar consórcios administrativos intermunicipais • O município polo deve conter com uma rede de complexidade adequada para atendimento da população • O pagamento dos custeios de forma crescente levando em conta a hierarquização entre cada município .

– Entidades contratadas e conveniadas . – hospitais universitários.NOB .91 • Se firmar instrumento de acordo com o MS os recursos poderão ser repassado de fundo a fundo ao munícipio polo • O sistema de repasse para os prestadores será feito de forma descentralizada – Entidades filantrópicas.

NOB-93 .

NOB-93 • Tem o objetivo de traçar metas para a descentralização da gestão do SUS • Gerenciamento da Descentralização – Federal .Comissão Intergestores Tripartite • União (MS) • Estados (CANASS) • Municipios (CANASEMS) .

Comissão Intergestores Bipartite • Estados (SES) • Municipios (CANASEMS) • O Secretário de Saúde da Capital será membro nato .NOB-93 • Gerenciamento da Descentralização – Estadual .

NOB-93 • Gerenciamento da Descentralização – Municipal – Conselho Municipal de Saúde • • • • Governo Municipal Prestadores de serviços Profissionais da Saúde Usuários .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Incipiente • Contratação e autorização do cadastramento dos prestadores • Programa e autoriza o quantitativo de AIH e dos procedimentos ambulatoriais • Controla e avalia os procedimentos ambulatoriais e hospitalares – Público – Privado – Filantrópicos .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Incipiente • Gestão das unidades municipais • Incorpora a rede de serviços de: – – – – – – – Ações Básicas de Saúde Nutrição Educação Vigilância epidemiológica Vigilância Sanitária Vigilância Ambiental Saúde do Trabalhador .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Incipiente – Requisitos • Mostrar interesse na gestão para a CIB • Comprovar que possui o Conselho de Saúde – Ata de Reuniões • Fundo Municipal de Saúde / Conta Especial – Comprovada por extrato bancário • Dispor do médico responsável pela emissão das AIH – Não seja credenciado – Não possua vinculo com prestador conveniado ou contratado .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Incipiente – Requisitos • Dispor de condições para – Programar – Avaliar – Acompanhar Prestação de Serviços .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Incipiente – Requisitos • Manter registros e remessa mensal de – – – – Nascidos Vivos Mortalidade Doenças de Notificação Compulsória Registros de estabelecimentos e produtos .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Incipiente – Operacionalização • Assinatura pelo gestor das Fichas de Cadastros de Hospital e Fichas de Cadastro Ambulatorial • As unidades Ambulatoriais encaminhará ao gestor os BPA – Serão assinadas pelo gestor e assim respondendo pela veracidade • As unidades Hospitalares encaminhará ao gestor as AIH – Serão encaminhadas pera o MS .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Parcial • Tudo que é feito na incipiente • Oferta serviços reabilitação com autonomia • Tem maior autonomia na alocação de recursos financeiros .

NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Parcial .Requisitos • Apresentar a CIB – Plano Municipal de Saúde Atualizado – Relatório de Gestão Atualizado – Comprovar anualmente contrapartida de recursos próprios .

.NOB-93 • Condições de Gestão Municipal – Gestão Semi-plena • O município assume completa responsabilidade sobre a gestão de prestação de serviços • Exceto as unidades sob gestão estadual • Recebe mensalmente o total dos recursos financeiros para custeio correspondentes aos tetos ambulatorial e hospitalar estabelecidos.

NOB-93 • Financiamento – Ambulatorial • Operacionalização do SAI/SUS • Formulário de Autoriazação de Procecimentos Ambulatorial de alto custo – APA – Devendo ser autorizada exclusivamente pelo profissional Médico. .

NOB-93 • Financiamento – Fundo de Apoio ao Estado – FAE • Enquadrados em Gestão – Parcial – Semi-plena • Tratamento – Fora do Domicilio – Medicamentos especiais – Órteses e Próteses ambulatoriais .

NOB-93 • Financiamento – Fundo de Apoio ao Estado – FAE • Forma de Calculo – 5% da Unidade de Cobertura Ambulatorial – Multiplicado pelo numero de habitantes do estado – Dividido em 12 X (Duodécimo) .

NOB-93 • Financiamento – Fundo de Apoio ao Municipio – FAM • Enquadrados em gestão – Incipiente – Parcial – Semi – Plena • Forma de Calculo – 5% da Unidade de Calculo Ambulatorial do estado. – Multiplicado pelo numero de habitantes do município – Dividido em 12 X (Duodécimos) .

NOB-93 • Financiamento – Financiamento das Atividades Hospitalares • SIH/SUS • AIH • Teto de AIH será proporcional a população – 8% da população municipal – 2% da população Estadual » Aprovado pela CIB > 10% da população do estado .

NOB 96 .

96 • consubstanciados na VIII Conferência Nacional de Saúde (1986).1992 ("MUNICIPALIZAÇÃO É O CAMINHO") . Saúde . • Definidos na Constituição Federal (1988) e Leis 8080/90 e 8142/90. • Consolidados na IX Conf.NOB . Nac.

96 • Introdução – Promover e consolidar o pleno exercício – Caracterizar a responsabilidade sanitária de cada gestor – Reorganizar o modelo assistencial – Aumentar a participação % da transferência regular e automática (fundo a fundo) • Reduzindo o pagamento por produção .NOB .

96 • Introdução – Fortalecer a gestão do SUS. estaduais e federal. • através das Comissões Intergestores Tipartite e Bipartites. – Epaços permanentes de negociação e pactuação entre gestores . – Compartilhada entre os governos municipais.NOB .

– cadastramento e adscrição da clientela e criando o CARTÃO SUS-MUNICIPAL.96 • Introdução – Estabelecer vínculo entre o cidadão e o SUS. .NOB .

96 • Características – Estabelecer a "direção única em cada nível de governo” • Conferindo responsabilidade ao gestor – Caracterizar os Sistemas Municipais de Saúde • Principios básicos do SUS • Dando ênfase a Integralidade. descentralização e hierarquização .NOB .

NOB .96 • Características – Estabelecer a "direção única em cada nível de governo” • Conferindo responsabilidade ao gestor – Caracterizar os Sistemas Municipais de Saúde • Principios básicos do SUS • Dando ênfase a Integralidade. descentralização e hierarquização .

NOB .PPI – Os níveis estaduais e federal devem exercer o papel redistributivo. garantindo a eqüidade • Com discriminação positiva .96 • Características – O principal instrumento formalizador das relações é a Programação Pactuada e Integrada .

NOB .96 • Características – Fortalecer a função gestora das Secretarias Estaduais • definição de responsabilidades para a coordenação do SUS – Redefinir as funções do Ministério da Saúde • maior integração entre seus órgãos e instituições • descentralização das responsabilidades .

para a grande maioria dos municípios brasileiros. • Odontologia • Etc. a responsabilidade da gestão plena da atenção básica ambulatorial • médicas nas clínicas básicas.NOB .96 • Características – Transferir a curto prazo. .

direta e automática • Fundo a fundo • Com base em um valor nacional per capita para a população coberta – (R$: 1.NOB . os recursos financeiros relativos a esta responsabilidade • PAB: piso ambulatorial básico de forma regular.00 /mês) .96 • Características – Transferir aos municípios habilitados como gestores da atenção básica.

NOB .96 • Características – Reorganizar a gestão dos procedimentos de alto custo/complexidade ambulatorial • criação da APAC (Autorização de Procedimentos de Alto Custo) .

96 • Características – Incorporar as ações de Vigilância Sanitária. criando: • Piso Básico de Vigilância Sanitária • Ações de Média e Alta Complexidade em Vigilância Sanitária – Incorporar as ações de Epidemiologia e Controle de Doenças • Coordenadas pela Fundação Nacional de Saúde .NOB .

Avaliação e Auditoria • Cadastro de unidades prestadoras de serviços (UPS) .NOB .96 • Características – Promover a reorganização do modelo de atenção • Ampliação de cobertura do PSF e do PACS – Aprimorar a organização e operação dos Sistemas de Controle.

NOB .96 • Características – Aumentar a transferência regular e automática (fundo a fundo) – Federais para • Estados • Municipios .

prerrogativas e requisitos das CONDIÇÕES DE GESTÃO. criadas nesta NOB: – MUNICÍPIOS: • GESTÃO DA ATENÇÃO BÁSICA • GESTÃO PLENA DO SISTEMA MUNICIPAL – ESTADOS: • GESTÃO AVANÇADA DO SISTEMA ESTADUAL • GESTÃO PLENA DO SISTEMA ESTADUAL .96 • Características – Definir as responsabilidades.NOB .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->