P. 1
Classificação das Rochas

Classificação das Rochas

4.17

|Views: 34.194|Likes:
Publicado porLourenço_2
Aspectos teoricos e classificação dos doferentes tipos de rochas
Aspectos teoricos e classificação dos doferentes tipos de rochas

More info:

Published by: Lourenço_2 on Jan 17, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/20/2013

pdf

text

original

Classificação das Rochas Objectivo semelhante ao de qualquer sistematização do conhecimento: - Compreender a diversidade das rochas e as suas afinidades; - Compreender

e distinguir a sua génese, e assim conhecer e interpretar os fenómenos naturais que regem o nosso planeta.

Consideram-se 3 grupos fundamentais: Rochas Ígneas, Rochas Sedimentares, Rochas Metamórficas,

ROCHAS ÍGNEAS
A ordem de cristalização dos silicatos no interior de um magma é conhecida por: SÉRIES DE BOWEN
~ 1 500º C

OLIVINA

PLAGIOCLASE Ca (Anortite)

PIROXENA temperaturas de fusão

ANFÍBOLA

BIOTITE

PLAGIOCLASE Na (Albite)

MOSCOVITE

ORTOSE
~ 500º C

QUARTZO

Este mecanismo de cristalização sequencial consoante o ponto de fusão dos minerais, permite a formação de vários tipos de rochas ígneas a partir do mesmo magma inicial...

>

CRISTALIZAÇÃO FRACCIONADA

Gabro Plag Ca

Diorito

Sienito

Granito

Ol

Px

Anf

Bi

Plag Na

Mosc

Or

Qz

Critérios de Classificação das Rochas Ígneas: Composição mineralógica Textura

Minerais escuros, ricos em Fe e Mg, D > Qzo Minerais claros, D ~ Qzo

Minerais Máficos Minerais Félsicos

Minerais essenciais: caracterizam uma família de rochas. Min. essenciais do Granito Minerais acessórios principais: Qzo Feldspato K

caracterizam diferentes tipos de rocha. Granito biotítico Granito de duas micas

Minerais acessórios menores: Minerais acidentais:

quase nunca interferem na classificação.

ocorrem ocasionalmente.

Quanto à sílica: Rochas sobresaturadas Rochas saturadas Rochas subsaturadas presença de quartzo visível sem quartzo visivel (mas com silicatos) presença de minerais deficitários em sílica, (e.g. feldspatóides, olivinas).
Feldspatóides: tectossilicatos semelhantes aos feldspatos, mas deficitários em sílica. Ortose KAlSi3O8 Brilho gorduroso, cinzento rosado dureza 5,5 - 6

Nefelina (Na, K) AlSiO4

Quanto à cor; Rochas leucocratas cor clara, dominam os min. félsicos (0% 15% de min. máficos) Rochas mesocratas cor média, composição mineralógica intermédia (15% 40% de min. máficos) Rochas melanocratas cor escura, dominam os min. máficos (> 40%).

TEXTURA Diz respeito às dimensões, à forma e ao arranjo dos minerais que constituem as rochas. Textura das Rochas Ígneas: Fanerítica Grãos minerais bem visíveis; distinguem-se uns dos outros macroscopicamente; textura característica das r. plutónicas (grosseira, média, fina). Afanítica Grãos minerais não visíveis a olho nú; textura característica das r. vulcânicas. Vítrea Não há minerais, o material é constituido por uma pasta amorfa,

relativamente homogénea (obsidianas).

(outros tipos de texturas de rochas ígneas)

Pegmatítica

Minerais muito desenvolvidos (decimétricos) e frequentemente com grande perfeição morfológica.

Porfírica

Grandes cristais - fenocristais - dispersos no interior de uma matriz afanítica (r. vulcânicas; inversamente também temos textura afírica i.e. completamente afanítica).

Vesicular

r. vulcânicas com cavidades ~ esféricas; material denso basalto vesicular félsico - pomito (pedra pomes) material leve máfico - escória vulcânica.

Piroclástica

agregado de material vulcânico resultante de deposição sub-aérea; Tufo vulcânico Cinzas e poeiras vulcânicas (φ < 2 mm); Brecha vulcânica Fragmentos de r. vulcânica (φ > 2 mm), aglutinados por tufo vulcânico.

ROCHAS SEDIMENTARES Formadas à superfície da Terra, resultantes dos processos exógenos Representam ~ 5% do volume da crosta terrestre (continental e oceânica) Cobrem ~ 75% da superfície da crosta terrestre Formam depósitos estratificados (i.e. apresentam-se quase sempre em camadas sobrepostas)

As Rochas Sedimentares representam um conjunto de rochas muito diversificado a sua génese depende de muitos factores.

Podemos considerar 3 grupos fundamentais: Rochas sedimentares detríticas Rochas sedimentares de precipitação química Rochas sedimentares biogénicas

Rochas Detríticas Rochas constituídas por > 50% de materiais herdados fragmentos de minerais fragmentos de rochas fósseis (ou fragmentos) fragmento CLASTO

As rochas sedimentares detríticas são constituídas por Mineraloclastos Litoclastos Bioclastos Após a deposição de um sedimento (não consolidado, muito poroso), ocorre a circulação de água rica em compostos que precipitam nos interstícios do sedimento e que vão agregar, cimentar os clastos.

ROCHA SEDIMENTAR CONSOLIDADA CLASTOS (componente detrítica) CIMENTO (componente cristalina)

Classificação das Rochas Sedimentares Detríticas Consolidadas dimensão dos clastos forma DIMENSÃO CLASTOS FORMA rolados φ> 2 mm - balastros angulosos 0,063 mm < φ <2 mm - areias 0,004 mm < φ <0,063 mm - siltes φ < 0,004 mm - argilas Argilitos Brecha Arenito Siltito Argilito ROCHA Conglomerado

argilas > 75%, i.e. pode conter até 25% de elementos grosseiros.

Arenitos

areias > 50% Grauvaques: silte + argila > 15%, litoclastos abundantes, côr cinzenta. Arcoses: feldspatos > 25 % Quartzitos: arenitos quártzicos de cimento silicioso.

CALIBRAGEM dos elementos detríticos
rocha bem calibrada: diâmetro dos clastos pouco variável; rocha mal calibrada: diâmetro dos clastos variável; heterométrico.

Rochas de Precipitação Química constituídas por > 50% de materiais neoformados Rochas sedimentares formadas por precipitação química directa de compostos saturados numa solução aquosa (mar ou lagos). Compostos mais comuns em soluções saturadas, na natureza: Evaporíticos (sais/halogenetos) Siliciosos (SiO2) Carbonatados (CaCO3) Rochas Evaporíticas / evaporitos formam-se principalmente em

climas áridos (E>P) devido à evaporação da água em lagunas confinadas ou em lagos. São rochas constituídas essencialmente por salgema (halite - NaCl), silvite (KCl) e gesso (CaSO4 . 2H2O). Rochas Siliciosas / chertes constituídas por sílica de

neoformação microcristalina, fibroradiada (calcedónia), criptocristalina ou amorfa (opala). Consoante as contaminações que precipitam com a sílica, consideramos vários tipos de chertes... argilas e carbonatos óxidos de ferro material carbonoso Silex Jaspe Lidito

Rochas Carbonatadas / Calcários

formam-se em ambientes

áridos continentais ou em ambientes marinhos tropicais, a partir da precipitação de CaCO3. Em termos macroscópicos podem definir-se os seguintes tipos... calcário maciço amostra de mão. Calcário oolítico constituído por partículas esféricas, compacto, microcristalino ou resultante da

acumulação de micro-organismos carbonatados, não visíveis em

φ <2mm, semelhantes a ovas de peixe. Resultam da precipitação de camadas concêntricas de CaCO3 em torno de um núcleo. Formam-se em ambientes de elevada energia hidrodinâmica, sujeitos a correntes de vai-vem, como a zona intertidal. Calcário pisolítico constituído por partículas arredondadas

(podem não ser esféricas e podem não ter núcleo), φ >2 mm, semelhantes a ervilhas. Formam-se no mesmo tipo de ambiente dos calcários oolíticos. Calcário cristalino (travertinos). Dolomitos calcários em que ocorreu a substituição tardia da (Ca,Mg) (CO3)2]. correspondem aos calcários com uma

textura cristalina uniforme, como as estalagtites e as estalagmites

calcite por dolomite [CaCO3 Margas

rocha carbonatada com 35% a 65% de argila. Quando a

percentagem de argila é menor, entre 5% e 35%, considera-se um calcário margoso.

bioedificadas resultam da actividade directa dos seres vivos Rochas Biogénicas bioacumuladas resultam da acumulação, sem transporte significativo, de esqueletos, conchas, etc.

Siliciosas

bioacumuladas
Diatomito: acumulação de frústulas de diatomáceas Radiolarito: acumulação de conchas de radiolários Espongolito: acumulação de espículas de espongiários

bioacumuladas
Calcários conquíferos, Lumachelas Carbonatadas

bioedificadas
Calcários recifais Bancos de ostras Bancos de rudistas (etc.)

ROCHAS METAMÓRFICAS Rochas formadas a partir da transformação, no estado sólido, de rochas pré-existentes (ígneas, sedimentares, metamórficas), quando sujeitas a novas condições de Pressão e Temperatura, durante um certo período de Tempo, que conduzem à

Cristalização de novos minerais (neoformados)

Aquisição de texturas particulares

Sem alteração significativa da composição global da Rocha

A identificação e a classificação das rochas metamórficas baseiam-se em critérios texturais e mineralógicos.

Rochas Metamórficas

FOLIADAS

Não FOLIADAS

Textura Xistosa

Textura Gneissica

Textura Granular

Rochas Xistosas Apresentam uma foliação fina. Em geral as folhas apresentam uma composição mineralógica semelhante.

Xisto argiloso (folhelho, shale): resulta da evolução de um argilito por compacção, o que dá origem a xistosidade grosseira (lâminas espessas). Xisto (slate): rocha francamente xistosa, com fissilidade planar nítida; grãos invisíveis a olho nú (quartzo, argilas e micas); variedade negra ardósia.

Xisto luzente (filito, phyllite): grão fino, constituído essencialmente por argilas e micas, que conferem um brilho acetinado aos planos de xistosidade. Micaxisto (schist): constituído por quartzo e micas, em bandas, onde as micas são particularmente visíveis; grão médio a grosseiro.

A evolução de uma rocha xistosa, desde o xisto (e.g. ardósia) ao micaxisto, traduz-se pela recristalização e crescimento dos minerais.

Xisto mosqueado: apresenta alguns minerais desenvolvidos e destacados (estaurolite, silimanite); significam que o xisto sofreu um aquecimento importante.

Rochas Gneissicas / GNEISS Apresentam um bandado grosseiro (sem laminação) em que alternam bandas de côr clara e escura, com composições mineralógicas diferentes.

Rochas Granulares Metaquartzitos: constituídos quase exclusivamente por quartzo (por vezes têm alguma mica); resulta da recristalização de um arenito quártzico de cimento silicioso. Mármores: constituídos essencialmente por calcite ou dolomite (recristalizadas). Corneanas: rochas de granularidade muito fina, com fractura conchoidal (as corneanas pelíticas são escuras e distinguem-se do basalto por este tipo de fractura).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->