Você está na página 1de 2

Ao amorosa e o binmio: poder e violncia

Todo ato que conduz ao bem uma ao amorosa, j que o amor sempre est coberto de respeito e fidelidade. Na antiga Grcia, os filsofos, principalmente Plato, atribuam ao amor, que alguns interpretam como sendo a justia, outros ao sumo bem, e outros como sendo o amor, tudo o que belo, bom e justo, a maior das virtudes. No medievo, ou melhor, na idade medieval, o amor estava ligado aos maiores dos sentimentos, tanto assim, que o evangelista Paulo, em suas escrituras bblicas, afirma que o amor fogo que arde sem doer. Na idade moderna, o amor passa a ser visto de forma racional, em que o ser amado tem que comprovar que ama com aes, de forma clara e distinta, o racionalismo, ou atravs de experincias com os sentidos, empirismo. Contemporaneamente, o homem tem pregado o amor como uma forma de poder, onde o outro, digo, o semelhante, deve ficar sempre a merc dos interesses e vontade do que diz amar ou que quer ser amado. Desta forma, o homem tem o ser amado como coisa, objeto de uso ou de propriedade, em que s ele que diz como e quando e como quer usar o ser amado. Nasce, assim, uma forma de poder arbitrria, em que a vontade de um dirige a do outro, independente do que ser que se diz amar corresponder ou no ao ser dito amado. Este falso amor surgido da violncia ser nada mais ou nada menos que um amor doentio, j que no se ama e nem se amado atravs de coero. Para amar, o homem precisa ser livre, este poder de liberdade no amor natural e est intrnseco no homem, nasce com ele, sendo esta liberdade a maior forma de amar, pois, s quem age livremente quem pode dizer que amou, uma vez que no sofre nenhum tipo de presso ou coero.

Pensando teologicamente como os cristos, podemos dizer que deve o homem amar setenta vezes sete vezes, por ser este o maior dos sentimentos divinamente humanos e humanamente divinos. Diante do exposto, independente do tempo e do espao, vimos que o amor predomina e sempre predominar sobre o poder, e que o amor rompe fronteiras e est no homem, queira ele ou no, s bastando ele descobrir este poder transformador de mudar as pessoas e o mundo, que o poder de amar. Assim, ame sempre.