P. 1
Tigres Asiáticos

Tigres Asiáticos

|Views: 203|Likes:
Publicado porHedilton Moreira

More info:

Published by: Hedilton Moreira on Aug 23, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/19/2013

pdf

text

original

Tigres Asiáticos

Grupo: Adriano Barbosa (01) Antônio Victor (04) David Mello (07) Rodrigo França (25)

Antônio Victor

Como Surgiu Essa Associação?
• A partir da década de 1980, alguns territórios do Pacífico malaio-asiático começaram a apresentar altos índices de crescimento econômico e influência no mercado mundial, sendo por isso designados tigres asiáticos. • Os termos lembram agressividade e é exatamente essa a característica fundamental das quatro economias (Hong Kong e Taiwan não são considerados Estados Nacionais) que formam esse grupo. Eles se utilizaram de estratégias arrojadas para atrair capital estrangeiro - apoiada na mãode-obra barata e disciplinada, na isenção de impostos e nos baixos custos de instalação de empresas.

Antônio Victor

• Os Tigres asiáticos alcançaram o desenvolvimento com um modelo econômico exportador; esses territórios e nações produzem todo tipo de produto para exportá-los a países industrializados. O consumo doméstico é desestimulado por altas tarifas governamentais. • Eles encaram a educação como um meio de aumentar a produtividade . Os países melhoraram o sistema educacional em todos os níveis, assegurando que toda criança freqüente o ensino fundamental e o ensino médio. Também investiu-se na melhoria do sistema universitário. Além disso, destaca-se a prática de incentivos fiscais a multinacionais. • Como os "Tigres" eram relativamente pobres durante a década de 1960, tinham abundância de mão-deobra barata. Juntamente com a reforma educacional eles conseguiram aproveitar essa vantagem, criando uma força de trabalho de baixo custo, mas muito produtiva.

Economia

Antônio Victor

Novos Tigres Asiáticos

• Na década de 1980, com a sofisticação tecnológica dos tigres asiáticos, surgiram os chamados novos tigres asiáticos. Entre eles são reconhecidos a Tailândia, a Malásia, a Indonésia, as Filipinas e o Vietnã. Esses países passaram a fabricar e a exportar produtos, como calçados, peças de vestuário e montagem de produtos eletrônicos. Os baixos salários pagos aos trabalhadores eram o principal fator de competitividade no mercado internacional.

David Mello

Coréia do Sul
• O crescimento econômico da Coréia do Sul nos últimos 30 anos foi espetacular. O PIB per capita, que era apenas de US$ 100 em 1963, chegou a quase US$ 9.800 em 2002, 18 vezes maior que o da Coréia do Norte. A Coréia do Sul está entre as dez maiores economias do mundo. • O sucesso econômico do país se deve a um sistema de laços íntimos desenvolvidos entre o governo e a iniciativa privada, que inclui crédito facilitado, restrição a importações, subsídios a determinados setores e incentivo ao trabalho. As reformas começaram na década de 1960, onde começaram as reformas econômicas com ênfase na exportação e desenvolvimento de indústrias leves. O governo também promoveu uma reforma financeira, ajustando as instituições, e introduziu planos econômicos flexíveis.

David Mello

Malásia
• A partir da década de 1970, a Malásia transformou-se de uma fornecedora de matérias primas em uma emergente economia multi-setorial. O crescimento deveu-se sobretudo às exportações, principalmente de produtos eletrônicos. Como consequência, o país foi atingido pela recessão global de 2001 a 2002. • Ótimo nível de reservas externas, baixa inflação e uma reduzida dívida externa são as forças que tornam remota a possibilidade de uma crise como a que atingiu o país e outros vizinhos asiáticos em 1997. A economia, porém, continua dependente do crescimento econômico dos EUA, da República Popular da China e do Japão, principais mercados consumidores de produtos da Malásia e principais fontes do investimento externo no país.

David Mello

Taiwan
• A ilha de Taiwan tem uma economia capitalista dinâmica com uma orientação governamental do investimento e do comércio externo que vai decrescendo gradualmente. De acordo com esta tendência, alguns grandes bancos e indústrias públicas estão a ser privatizados. O crescimento real do PIB foi em média de cerca de 8% durante as últimas três décadas. As exportações ainda cresceram mais depressa e forneceram o principal ímpeto para a industrialização. A inflação e o desemprego são baixos, o excedente comercial é substancial e as reservas de divisas são as terceiras maiores do mundo. A agricultura é responsável por 3% do PIB, tendo descido de 35% em 1952. As indústrias tradicionais de mão-de-obra intensiva têm vindo a ser transferidas para outros países e a ser substituídas por indústrias mais dependentes do capital e da tecnologia. Taiwan tornou-se um investidor importante na China continental, na Tailândia, na Indonésia, nas Filipinas, na Malásia e no Vietnã. A contração dos mercados de emprego levou a um influxo de trabalhadores estrangeiros, tanto legais como ilegais. Devido a uma abordagem financeira conservadora e à força das suas empresas, Taiwan sofreu pouco com a crise financeira asiática de 1998-2000, em comparação com muitos dos seus vizinhos. O crescimento em 2000 deve subir um pouco relativamente a 1999, ajudado pela expansão no consumo interno, nas exportações e no investimento privado.

Adriano Barbosa

Vietnã
• A economia do Vietnã foi completamente arrasada pela guerra do Vietnã. No entanto, nos últimos vinte anos o país se recuperou e expandiu seus setores mais importantes: a agricultura , indústria e mineração. • As reformas econômicas no final dos anos 80 contribuíram muito para isso. No setor agrícola, o Vietnã tornou-se o maior exportador de arroz do mundo, com uma safra de aproximadamente 40 milhões de toneladas. Outro destaque é a produção de café, onde as 800 mil toneladas permitem ao país ser o segundo maior produtor e exportador do mundo, destacando-se também na produção de chá, banana e pescado. • Na mineração se destacam o carvão e o petróleo, produzidos em grande quantidade, que permitiram um rápido crescimento do setor industrial nos últimos anos.

Adriano Barbosa

Indonésia
• A Indonésia, uma vasta nação poliglota, tem resistido à crise financeira global de modo relativamente tranquilo devido ao motor principal de seu crescimento econômico ser o consumo interno. O crescente investimento realizado tanto por investidores locais quanto por estrangeiros, também é um dos sustentáculos do sólido crescimento. Apesar do crescimento da economia ter caído dos mais de 6% em 2007 e 2008 para os 4,5% em 2009, ele já retornou em 2010 ao patamar dos 6%. O país é um dos primeiros países exportadores de petróleo, estanho e borracha do mundo. A maior parte de sua população continua vinculada à agricultura de subsistência, à pesca e à exploração florestal.

Adriano Barbosa

Singapura
• A economia de Singapura é uma economia de mercado baseada no capitalismo financeiro e industrial. Assim como acontece com os demais tigres asiáticos, os principais produtos de exportação são máquinas e equipamentos eletrônicos de última geração. • Singapura é um país extremamente pequeno, sem recursos naturais e sem espaço para a agricultura, mas com uma economia que não para de crescer, especialmente por ser uma plataforma de exportação - modelo de desenvolvimento que colocou Singapura no patamar dos países emergentes (mas não no G-20). • Embora seja uma potência industrial e tecnológica, Singapura tem forte dependência de importação de alimentos, energia e matéria-prima, além de uma visível instabilidade econômica, uma vez que é um país extremamente dependente de capital externo.

Rodrigo França

Hong Kong
• A ex-colônia britânica de Hong Kong é um dos maiores centros financeiros do mundo.Diversos fatores contribuíram para que essa condição fosse alcançada. Entre elas: • O fato de Hong Kong ser o maior porto de entrada da China, que dele se serve para receber investimentos e mercadorias em geral. • A grande autonomia capitalista, pois tem um sistema político e uma economia capitalista diferente da China, no sentido de um país, dois sistemas.

Rodrigo França

Tailândia
• O desenvolvimento econômico da Ásia, relativamente bom, sofreu uma crise em 1997 que repercutiu por toda a região e prejudicou diversos países. Atingiu também a Tailândia que vinha tendo o maior crescimento econômico de sua história, com 8,4% ao ano entre 1990 e 1995, freando o crescimento e também desvalorizando totalmente o baht a moeda do país. • Desde então a Tailândia vem tentando se estabilizar economicamente e obteve excelentes resultados, obtendo crescimento anual notável nos anos de 1999 até 2005. Atualmente o país é um dos maiores exportadores mundiais de arroz. Outros importantes produtos cultivados são o açúcar e a tapioca.

Filipinas
• Filipinas faz parte do tratado internacional chamado APEC, um bloco econômico que tem por objetivo transformar o Pacífico numa área de livre comércio e que engloba economias asiáticas, americanas e da Oceania. • É considerada um país em desenvolvimento. Seu PIB ocupa o 25o lugar entre 178 países, quando medido pela paridade do poder de compra. Uma das principais atividades econômicas é a industrialização de alimentos. Sua produção agrícola consiste principalmente de copra, milho, cânhamo, arroz, cana-de-açúcar e tabaco. Possuía também quantidades razoáveis de minérios de cromo, cobre, ouro, ferro,chumbo, manganês e prata.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->