SEMANA 4 No Juizado Especial Criminal, em audiência preliminar, foi celebrada transação penal com imposição de pena restritiva de direitos

. O imputado, não obstante o termo de compromisso homologado, deixou de cumprir o estabelecido na transação, o que levou o juiz a converter a restrição de direitos em pena privativa de liberdade. Isso considerado, indaga-se: Pode o juiz, em razão do descumprimento do termo homologado, declará-lo insubsistente e abrir ensejo para que o Ministério Público proponha a ação penal? JUSTIFIQUE A SUA RESPOSTA. EXERCÍCIO COMPLEMENTAR Sobre o procedimento dos Juizados Especiais Criminais, considere as seguintes assertivas: I.A transação penal poderá ser ofertada em relação aos delitos cuja pena máxima não seja superior a 2 (dois) anos, e a suspensão do processo nos delitos cuja pena mínima for igual ou inferior a 1 (um) ano. II. Segundo entendimento sumulado do Supremo Tribunal Federal, admite-se a suspensão condicional do processo por crime continuado, se a soma da pena mínima da infração mais grave com o aumento mínimo de um sexto for superior a um ano. III. Embora se aplique o procedimento previsto na Lei no 9.099/95 aos crimes previstos no Estatuto do Idoso nas hipóteses em que a pena máxima privativa de liberdade não ultrapasse a 4 (quatro) anos, a transação penal e a suspensão do processo não lhes são aplicáveis. Quais estão corretas? a) I; b) I e II; c) III; d) I e III; e) II e III

SEMANA 5 Daniele Duarte, fazendeira de vultosas posses, em virtude de uma viagem de longa data que fará para o exterior, resolve deixar, no terreno de seu vizinho Sandro Góes , sem o conhecimento deste, 2 (dois) cavalos da raça Mangalarga para que o vizinho os cuidasse. Todavia, Sandro Góes percebeu que os referidos animais acabaram danificando toda sua coleção de orquídeas raras, gerando assim evidente prejuízo econômico. Ante o exposto, Sandro comunicou o fato à autoridade policial circunscricional e uma vez lavrado o termo respectivo, foi encaminhado ao Juizado Criminal competente. Durante a primeira audiência, e presentes ambas as partes, não foi

no banco do carona. sua namorada. de forma justificada: No caso em tela. professor do curso de segurança no trânsito. chamado aos debater orais. responda. Com base nos fatos apresentados. Madalena pede insistentemente para Caio reduzir a marcha do veículo. não sendo caso de arquivamento. c) O instituto da transação penal pode ser concedido pelo juiz sem a anuência do Ministério Público. vindo a atropelar três pessoas que estavam na calçada. Realizada Audiência de Instrução e Julgamento e colhida a prova. a ser especificada na proposta SEMANA 6 (OAB) Caio. assinale a alternativa CORRETA: a) A competência do juizado será determinada pelo lugar em que se consumar a infração penal. e ouvidos Caio e Madalena. que relataram à autoridade policial o diálogo travado entre o casal. três vezes em concurso formal. o Ministério Público poderá propor a aplicação imediata de pena restritiva de direitos ou multas. o Ministério Público pugnou pela pronúncia de Caio. responda aos itens a seguir. empregando os argumentos jurídicos apropriados e a fundamentação legal pertinente ao caso: a) Qual (is) argumento (s) poderia (m) ser deduzidos em favor de seu constituinte? . d) Tratando-se de crime de ação penal pública incondicionada. qual recurso poderia ser interposto e a quem a peça de interposição deveria ser dirigida? EXERCÍCIO COMPLEMENTAR . Realizada perícia de local. o automóvel atinge um buraco e. ou por edital. sempre que possível. o que faz com que Caio empreenda altíssima velocidade ao automóvel. Todavia. acaba se desgovernando. b) A citação será pessoal e se fará no próprio juizado. que constatou o excesso de velocidade. Durante o trajeto. vitimando-as fatalmente. respondeu aos pedidos dizendo ser perito em direção e refutando qualquer possibilidade de perder o controle do carro. Caio.possível a conciliação entre as mesmas. guiava seu automóvel tendo Madalena. o casal começa a discutir asperamente. pois àquela velocidade não seria possível controlar o automóvel. c) Caso Caio fosse pronunciado. b) Qual pedido deveria ser realizado? . Caio foi denunciado pelo Ministério Público pela prática do crime de homicídio na modalidade de dolo eventual. é possível o oferecimento de transação penal ? EXERCÍCIO COMPLEMENTAR (OAB) À luz da lei que dispõe sobre os Juizados Especiais Criminais (Lei 9099/95). motorista extremamente qualificado. entretanto. Muito assustada. nos exatos termos da inicial. em razão da velocidade empreendida. Na qualidade de advogado de Caio.

acusado de ordenar. assinale a assertiva CORRETA: A) Diante das respostas aos quesitos. onde Beira-Mar tem influência. absolvição sumária e condenação. Ao proferir a sentença condenatória e fixar a pena.” Com base na matéria acima transcrita. c) O rito das ações de competência do Tribunal do Júri se desenvolve em duas fases: judicium causae e judicium accusacionis. esta medida seria cabível?. de Fernandinho Beira-Mar. os jurados condenaram o acusado por homicídio doloso qualificado. O magistrado pretende levar o júri para a capital. a morte de Michel Anderson do Nascimento. b) A natureza jurídica da pronúncia (em que o magistrado se convence da existência material do fato criminoso e de indícios suficientes de autoria) é de decisão interlocutória mista não terminativa. O judicium accusacionis se inicia com a intimação das partes para indicação das provas que pretendem produzir e tem fim com o trânsito em julgado da decisão do Tribunal do Júri. b) Em quais hipóteses. quer adiar o júri popular. de forma justificada: a) Qual a medida judicial que está sendo retratada no texto acima? . RJ. a saber: pronúncia. os jurados locais estariam inseguros. responda.(OAB) Assinale a alternativa CORRETA à luz da doutrina referente ao Tribunal do Júri. a) São princípios que informa o Tribunal do Júri: a plenitude de defesa. da prisão. d) Alcançada a etapa decisória do sumário da culpa. o magistrado não poderá reconhecer as agravantes que não foram objeto dos quesitos. a soberania dos veredictos e a competência exclusiva para julgamento dos crimes dolosos contra a vida. marcado para a sexta. Em Caxias. da 4 Vara de Duque de Caxias. em 1999. por se envolver com uma de suas namoradas. SEMANA 7 O juiz Paulo Rodolfo Tostes. o sigilo das votações. . o juiz poderá exarar quatro espécies de decisão. c) De quem seria a competência para a concessão? e d) É possível a decretação de tal medida sem prévia oitiva da defesa? EXERCÍCIO COMPLEMENTAR (Magistratura/RS/2009) Acerca de processo e julgamento dos crimes dolosos contra a vida. impronúncia.

assinale a opção INCORRETA: A) Nos crimes contra a propriedade imaterial de ação penal de iniciativa privada. E) Durante os debates. D) Quando encerradas todas as diligências pertinentes. regularmente intimado para audiência de conciliação (artigo 519 CPP). se decorrido o prazo de 15 dias. No dia 16/05/2008. Tício foi intimado em 09/05/2008 (sexta-feira). oportunidade em que manifestou o interesse de não recorrer da decisão condenatória. . os autos deverão ser conclusos ao juiz para homologação do laudo. D) Em um processo onde o réu foi pronunciado por homicídio consumado e tráfico de entorpecentes. ambos do CP). Da sentença condenatória. apreensão e perícia dos objetos que constituem o corpo de delito. após terem os jurados afastado o dolo direto e o dolo eventual. B) O exame de corpo de delito constitui verdadeira condição de procedibilidade. fundada em convicção religiosa.Poderá haver recusa ao serviço do Júri. o advogado de Tício interpôs recurso de apelação. C) Os jurados poderão perguntar diretamente ao ofendido e às testemunhas. não comparece de forma injustificada. O recurso é tempestivo ou não? Justifique a sua resposta. C) Nos crimes de ação privativa do ofendido. filosófica ou política. incisos I e II do Código Penal. fora intimado da decisão condenatória em 08/05/2008 (quinta-feira). na votação dos quesitos acerca do homicídio consumado. O ofendido / querelante. parágrafo 2. sem a intermediação do Juiz Presidente do Tribunal do Júri. aos jurados é vedado. não será admitida a queixa com fundamento em apreensão e em perícia. no plenário do Tribunal do Júri. serão questionados sobre o delito conexo de tráfico de entorpecentes. defensor devidamente constituído. B) SEMANA 8 Gisela Mocarsel está sendo processada por crime de calúnia praticado na presença de várias pessoas (artigo 138 c/c 141 III. O advogado de Tício. o exercício do direito de queixa será precedido da medida cautelar de busca. SEMANA 9 (Ministério Público – PR / 2008) Tício foi condenado à pena privativa de liberdade de 06 (seis) anos de reclusão por violação ao artigo 157. EXERCÍCIO COMPLEMENTAR Sobre os crimes contra a propriedade intelectual. mesmo por intermédio do juiz-presidente. Perguntase: a) Qual a consequência da referida ausência injustificada do querelante? B) E se a ausência fosse da querelada? FUNDAMENTE A SUA RESPOSTA. pedir ao promotor de justiça que indique a folha do processo onde se encontra o depoimento da testemunha a que está fazendo referência em seu pedido de condenação. após a homologação do laudo.

indique o recurso cabível. III. Na condição de Advogado de Pedro: I. Que absolver sumariamente o réu. Indique. que a) b) c) no caso de concurso de agentes. havia ingerido dose letal de veneno momentos antes de sofrer a agressão. despacho ou sentença: I. SEMANA 10 (OAB) Pedro. não em razão do disparo recebido. admitindo embora o recurso. salvo a hipótese de má-fé. do Código Penal. mandará processá-lo de acordo com o rito do recurso cabível. e) interposto por termo o recurso. a decisão do recurso interposto por um dos réus. hipótese em que deverá ser interposto. a argumentação visando à melhoria da situação jurídica do defendido. sob pena de suspensão por 05 a 60 dias. EXERCÍCIO COMPLEMENTAR (Magistratura PR – 2010) Caberá recurso. até o quinto dia seguinte ao último do prazo. reconhecer a impropriedade do recurso interposto pela parte. se fundado em motivo de caráter exclusivamente pessoal. da decisão. desde logo. Dadas as assertivas acima. o Ministério Público poderá desistir de recurso que haja interposto. José vem a falecer. Ainda assim. no sentido estrito. salvo a de suspeição. almejando a morte de José. Que julgar procedentes as exceções. Que pronunciar ou impronunciar o réu. Da decisão que. contra ele efetua disparo de arma de fogo. obstar à sua expedição e seguimento para o juízo ad quem. para todas as respostas. dispõe o Código de Processo Penal. com intenção suicida. escolha a alternativa CORRETA: . caput. d) a qualquer tempo. aproveitará aos outros. o prazo de interposição. pelo juiz. acertando-o na região toráxica.EXERCÍCIO COMPLEMENTAR Quantos aos recursos em geral. os respectivos dispositivos legais. o que foi comprovado durante instrução processual. o escrivão. dentre outras hipóteses. II. excetuando-se dentre outros o da sentença que denegar habeas corpus. II. mas porque. III. os recursos serão voluntários. de ofício. IV. ainda. a parte não será prejudicada pela interposição de um recurso por outro e se o juiz. entretanto. Pedro foi pronunciado nos termos do previsto no artigo 121. fará conclusos os autos ao juiz.

à pena privativa de liberdade mínima. submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri de Brasília. poderia o processual? Tribunal de Justiça declarar a nulidade do julgamento por reconhecer a existência de EXERCÍCIO COMPLEMENTAR (Magistratura DF/2007) Técio. no que concerne ao motivo fútil. vindo o Tribunal de Justiça da localidade a manter a pronúncia. vale dizer. ao argumento de que Mévio seria arruaceiro e. do Código Penal (homicídio qualificado por motivo fútil). a defesa lê para os jurados a decisão proferida pelo Tribunal de Justiça no que se refere à caracterização de Mévio como arruaceiro. foi manifestamente contrária à prova dos autos. foi condenado. ocasião em que Caio confessou a prática do crime. Respondendo aos quesitos. A posição prevalente é a de que. em razão de rivalidade futebolística. a Turma Criminal: . § 2º. de 12 (doze) anos de reclusão. Caio recorreu com o objetivo de ser impronunciado. causando-lhe o óbito. b) d) Apenas a assertiva II está correta. responda aos itens a seguir. efetivamente. do Código de Processo Penal. Sabendo-se que o Ministério Público não recorreu da sentença. No julgamento em plenário. "d". por incursão no artigo 121. III. reconhecendo que. a motivação não poderia ser considerada fútil. mas excluindo a qualificadora. limitando-se a sustentar que a decisão dos jurados. do Código de Processo Penal. “d”. Pronunciado na forma da denúncia. que não ampara o motivo fútil.a) Apenas a assertiva I está correta. a) A esposa de Mévio poderia buscar a impugnação da decisão proferida pelo Conselho de Sentença? Em caso positivo. interpôs recurso de apelação para uma das Turmas Criminais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. portanto. o Conselho de Sentença absolve Caio. c) Apenas as assertivas I e IV estão corretas. De acordo com a inicial. empregando os argumentos jurídicos apropriados e a fundamentação legal pertinente ao caso. a decisão dos jurados é manifestamente contrária à prova dos autos. III. Caio teria esfaqueado Mévio quarenta e três vezes. Com fundamento no artigo 593. de que forma e com base em que fundamento? b) fundamento nulidade Caso o Ministério Público tivesse interposto recurso de apelação com exclusivo no artigo 593. Todas as assertivas estão corretas SEMANA 11 (OAB) Caio é denunciado pelo Ministério Público pela prática do crime de homicídio qualificado por motivo fútil. II.

E desse novo julgamento. em que poderá Técio ser novamente condenado pelo Tribunal do Júri por homicídio qualificado por motivo fútil. determinando a submissão de Técio a novo julgamento pelo Tribunal do Júri. excluindo o motivo fútil. se admitirá.a) deve dar provimento ao recurso para anular o julgamento. do Código Penal. excluído o motivo fútil. c) deve dar provimento ao recurso para anular a sentença condenatória do juiz presidente do Tribunal do Júri. pelo mesmo motivo. pelo mesmo motivo. segunda apelação. homicídio. caput. desde logo condenando Técio por incursão no artigo 121. E desse novo julgamento. determinando que ele profira nova. d) deve dar provimento ao recurso. determinando a submissão de Técio a novo julgamento pelo Tribunal do Júri. fixando a pena mínima privativa de liberdade de 6 (seis) anos de reclusão. não se admitirá. em que poderá Técio ser novamente condenado pelo Tribunal do Júri por homicídio qualificado por motivo fútil. segunda apelação. . b) deve dar provimento ao recurso para anular o julgamento.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful