P. 1
Patologia Clínica - Trabalho de Patologias Ósseas

Patologia Clínica - Trabalho de Patologias Ósseas

|Views: 831|Likes:
Publicado porGivago Nodary

More info:

Published by: Givago Nodary on Sep 03, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/13/2013

pdf

text

original

PATOLOGIAS ÓSSEAS

Docente: Vinícius Rodrigues da Silva Discente: Givago Nodary da Silva Correa Curso: Biomedicina 6ª Fase

Lages, 2012

Primeira Sessão

Ossos Faciais

1- Sinusite; 2- Síndrome da ATM.

1- Sinusite;

Sinusite é a inflamação das mucosas dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/sinusite/) Sites

Causas:    infecção viral; alergia e condições climáticas aversivas; desvio do septo nasal.

2- Síndrome da ATM.

A síndrome da Articulação Têmporo-Mandibular (ATM) atualmente é dividida em 2 categorias: disfunção miofacial dolorosa (DMD), desarranjo interno e doença articular degenerativa (DAD). A DMD é considerada a causa mais comum de dor na ATM e pode ser um distúrbio psico-fisiológico envolvendo os músculos da mastigação. O desarranjo interno é definido como uma alteração da relação do disco articular e o côndilo e a eminência articular. A DAD consiste em uma degeneração das superfícies articulares da ATM. (http://boasaude.uol.com.br/realce/showdoc.cfm?libdocid=15134&ReturnCatID=20035) Sites

Causas:    aumento na tensão da musculatura facial secundário ao estresse; problemas orgânicos na ATM; micro / macro traumas no côndilo mandibular e no tecido conectivo, infecção e desalinhamento meniscal.

Segunda Sessão

Crânio e Ossos do Crânio

1- Mieloma Múltiplo; 2- Adenoma de Hipófise; 3- Mastoidite; 4- Neuroma do Acústico; 5- Colesteatoma Pólipo; 6- Otosclerose.

1- Mieloma Múltiplo;

Mieloma Múltiplo é uma doença hematológica maligna, incurável, mas tratável, com origem na medula óssea e que se caracteriza pela proliferação excessiva de plasmócitos malignos que, por sua vez, produzem níveis elevados de anticorpos, proteína M, comprometendo o normal funcionamento da medula óssea e danificando principalmente o osso e rim. (http://www.janssen-cilag.pt/disease/detail.jhtml?itemname=multiplemyeloma_about) Sites

O mieloma múltiplo é uma neoplasia plasmocitária caracterizada pelo comprometimento do esqueleto em múltiplos locais. (Robbins [et. al.], Patologia estrutural e funcional. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.) Livros

Possíveis Causas:    fatores genéticos; agentes ambientais, como substâncias tóxicas derivadas dos hidrocarbonetos; exposição a substâncias radioativas.

Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

2- Adenoma da Hipófise;

Adenomas de hipófise são tumores benignos na glândula hipófise, também chamados adenomas hipofisários, que podem provocar sintomas neurológicos e endócrinos, podendo ser funcionantes (produtores de hormônios) ou não funcionantes. (http://cefaleias.com.br/doencas-neurologicas/adenoma-de-hipofise) Sites

Possíveis Causas:   mutações transmitidas hereditariamente. mutações isoladas de células hipofisárias normais.

Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

3- Mastoidite;

A mastoidite é geralmente conseqüência de uma infecção da orelha média. Essa infecção deixa os limites da mucosa de vias aéreas e alcança o interior do processo mastóideo, podendo deteriorar sua estrutura, semelhante a um “favo de mel”. (http://www.consultormedico.com/consultar-doencas/outras/mastoidite.html) Sites

Causas:

Infecção da orelha média por:    Streptococcus peneumoniae; Haemophilus influenzae; Moraxela catarrhalis.

4- Neuroma do Acústico;

Os neurinomas do acústico são tumores benignos de crescimentos fibrosos (proliferações anômalas das “células de schwan”) que se originam do nervo da audição ou do equilíbrio que podem também ser chamados de oitavo par de nervos cranianos ou nervos vestibulococlear. (http://www.neurinoma.com.br/neurinoma.html) Sites

Causas:  proveniente de uma desordem genética chamada neurofibromatose tipo 2.

5- Colesteatoma Pólipo;

Colesteatoma é uma alteração destrutiva de uma parte da membrana mucosa da orelha média que passa a ser tecido epitelial. O Colesteatoma não é apenas pele em lugar errado, mas uma estrutura tridimensional apresentando um crescimento independente, substituindo e recobrindo o revestimento mucoso da orelha média, reabsorvendo osso e tendendo a recidivar após a sua remoção. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Colesteatoma) Sites

Causas:    invasão do epitélio escamoso da orelha média através de uma perfuração timpânica persistente; disfunção da tuba auditiva; pressão negativa persistente na orelha média, resultado da disfunção da tuba.

6- Otosclerose.

Otosclerose é uma displasia óssea da cápsula ótica e ossículos encontrada apenas nos humanos, caracterizada por reabsorção e deposição óssea anormais na cápsula labiríntica e orelha média. Patologicamente o termo mais correto seria otospongiose, já que esclerose define a fase final da moléstia. (http://www.nead.unama.br/site/bibdigital/pdf/artigos_revistas/102.pdf) Sites

Otosclerose refere-se à deposição óssea anormal na orelha média (começa com reabsorção óssea, seguida de fibrose e vascularização do local e adjacências), ao redor da borda da janela oval, no interior da qual se encaixa a placa basal do estribo. (Robbins [et. al.], Patologia estrutural e funcional. 6ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.) Livros

Possíveis Causas:    Hereditária. alterações hormonais que ocorrem durante a gravidez; distúrbio no metabolismo ósseo da cápsula ótica.

Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

Terceira Sessão

Esterno e Costelas

1- Anomalias Congênitas; 2- Pectus Carinatum; 3- Pectus Excavatum; 4- Metástase.

1- Anomalias Congênitas;

Malformações congênitas podem ser definidas como "todo defeito na constituição de algum órgão ou conjunto de órgãos que determine uma anomalia morfológica estrutural presente no nascimento devido à causa genética, ambiental ou mista". (http://pt.wikipedia.org/wiki/Malforma%C3%A7%C3%A3o_cong%C3%A9nita) Sites

Causas:    teratógenos; fatores nutricionais; fatores genéticos e cromossômicos.

2- Pectus Carinatum;

Pectus carinatum, também chamado peito de pombo, é uma deformidade do peito caracterizada por uma protusão do esterno e costelas . É o oposto do pectus excavatum. (http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://en.wikipedia.org/ wiki/Pectus_carinatum&ei=zv5tT9ylO4bKgQeO5fxq&sa=X&oi=translate&ct=result &resnum=2&sqi=2&ved=0CD8Q7gEwAQ&prev=/search%3Fq%3Dpectus%2Bcarin atum%26hl%3Dpt-BR%26biw%3D1888%26bih%3D883%26prmd%3Dimvns) Sites

Causas:    síndromes; traumas; pós-operatórios (cirurgia cardíaca ou torácica ou ortopédica).

3- Pectus Excavatum; Pectus Excavatum, conhecido entre os leigos como “peito de sapateiro”,”peito escavado”, “tórax escavado” é uma deformidade em depressão do esterno e cartilagens costais inferiores, eventualmente acompanhada de deformidade da extremidade anterior das costelas na sua articulação com as cartilagens costais. (http://www.marloscoelho.com.br/conteudo.php?acao=deformidade&area=deformidad e_pectusexcavatum&idioma=1) Sites

Causas:    síndromes; traumas; pós-operatórios (cirurgia cardíaca ou torácica ou ortopédica).

4- Metástase.

Metástase é um processo que envolve a invasão dos linfáticos, dos vasos sanguíneos e das cavidades corporais pelo tumor, seguida pelo transporte e pelo crescimento de massas de células tumorais secundárias, que não apresentam continuidade com o tumor primário. (Robbins [et. al.], Fundamentos de Robbins: patologia estrutural e funcional. 5ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996.) Livros

As metástases esqueléticas constituem a neoplasia maligna mais comum do tecido ósseo. As lesões metastáticas são observadas mais frequentemente na coluna, fêmur, na pelve, em costelas, no esterno, na parte proximal do úmero e no crânio sendo menos comuns em locais anatômicos mais distantes do tronco, onde em imagens radiológicas o osso afetado parece estar carcomido e/ou esfarela-se ao impacto. (Porth, Carol Mattson, Pathophysiology: concepts of altered health states / Carol Mattson Porth [et al.]. 8th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.) Livros

Causas:    processo inflamatório envolvendo células e mediadores químicos; compressão neural; microfraturas.

Quarta Sessão

Coluna Lombar

1- Herniação do Núcleo Pulposo.

1- Herniação do Núcleo Pulposo.

É a extrusão de massa discal que se projeta para o canal medular através de uma ruptura da parede do anel fibroso, podendo comprimir ou irritar a raiz nervosa e até mesmo lesioná-la. (http://www.herniadedisco.com.br/doencas-da-coluna/hernia-de-disco) Sites

Também denominada hérnia de disco, ocorre quando todo, ou parte do núcleo pulposo - a porção central, macia, gelatinosa do disco intervertebral - é forçada através do anel do disco (anel fibroso) enfraquecido ou lacerado. (Carrie J, Merkle, Manual de Fisiopatologia 2ªed. São Paulo: Roca, 2007.) Livros

Causas:    Traumatismo grave ou esforço; Predisposição genética; Degeneração da articulação intervertebral.

Quinta Sessão

Cintura Pélvica e Fêmur Proximal

1. Espondilite Anquilosante; 2. Displasia do Desenvolvimento do Quadril; 3. Doença de Legg – Calvé – Perthes; 4. Epifisiólise.

1. Espondilite anquilosante;

A espondilite anquilosante é um tipo de reumatismo que acomete a coluna vertebral e as articulações sacroilíacas causando uma inflamação crônica que, quando não identificada e tratada precocemente, pode levar a deformidades e seqüelas articulares crônicas, acarretando um “congelamento” da coluna vertebral, que em casos graves e avançados evolui para a fusão das vértebras, conhecido como “coluna em bambu”. (http://oreumatologista.blogspot.com.br/2010/03/o-que-e-espondilite-anquilosante.html) Sites

A espondilite anquilosante é uma doença inflamatória sistêmica crônica das articulações do esqueleto axial que se manifesta por dor e rigidez progressiva da coluna. (Porth, Carol Mattson, Pathophysiology: concepts of altered health states / Carol Mattson Porth [et al.]. 8th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.) Livros

Possíveis Causas:    Fatores hereditários relacionados ao HLA-B27; Suposição de uma causa infecciosa baseada em: Infecção por Klebsiella, Salmonella e Shiguella; Presença de sacroileíte e espondilite pós-infecções intestinais; Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

2. Displasia do Desenvolvimento do Quadril;

Displasia do quadril é um termo que denota uma anormalidade no tamanho, na morfologia, na orientação anatômica ou na organização da cabeça femoral, na cavidade acetabular ou em ambos. A displasia acetabular é caracterizada pelo acetábulo imaturo, com a cavidade rasa que pode acarretar a subluxação ou a luxação da cabeça femoral. (http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-36162010000200002&script=sci_arttext) Sites

Displasia articular em consequência de uma alteração do desenvolvimento intra-uterino do quadril. (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Causas:    fatores mecânicos (tanto pré quanto pós-natais); desenvolvimento anormal (displasia propriamente dita); excesso de mobilidade (que se manifesta ao nascer por instabilidade do quadril).

3. Doença de Legg – Calvé – Perthes;

A Doença de Legg-Calvé-Perthes é uma necrose avascular da epífise óssea da cabeça femoral, acometendo seu núcleo de ossificação. (http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/traumato/doenca_legg/doenc a_legg.htm) Sites

A doença de Legg-Calvé-Perthes é a necrose isquêmica que conduz ao eventual achatamento da cabeça do fêmur, em decorrência de interrupção vascular. (Carrie J, Merkle, Manual de Fisiopatologia 2ªed. São Paulo: Roca, 2007.) Livros

Possíveis causas:    Anormalidades de coagulação; Alteração do fluxo sangüíneo arterial (infartos ósseos múltiplos); Obstrução da drenagem venosa da epífise e colo femoral.

4. Epifisiólise.

É o escorregamento parcial da cabeça do fêmur ao nível da placa de crescimento, com a perda de sua esfericidade e o conseqüente desarranjo articular. (http://www.clinicadoquadril.com.br/doencas/epifisiolise.htm) Sites

Deslizamento entre o colo e a epífise proximal do fêmur, geralmente progressiva e ligado a uma patologia prévia da cartilagem de crescimento, ficando esta última em posição posterior e inferior. (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Possíveis causas:    Trauma; Stress; Alta ingesta de aminonitritos.

Sexta Sessão

Membros Superiores

1. Bursite; 2. Síndrome do Túnel do Carpo; 3. Derrame Articular; 4. Osteoartrite; 5. Osteomielite; 6. Osteopetrose; 7. Doença de Paget; 8. Artrite Reumatóide; 9. Polegar do Esquiador.

1. Bursite;

Bursite é a inflamação da bursa, pequena bolsa contendo líquido que envolve as articulações e funciona como amortecedor entre ossos, tendões e tecidos musculares. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/bursite/) Sites

Processo inflamatório de uma bolsa sinovial. Estas se situam entre o osso e outras estruturas móveis como músculos, pele ou tendões e têm a função de facilitar os movimentos desses elementos. (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Causas:    Traumatismos; Artrite (inflamação das articulações); Lesões por esforço;

2. Síndrome do Túnel do Carpo;

Síndrome do túnel do carpo é uma neuropatia resultante da compressão do nervo mediano no canal do carpo, estrutura anatômica que se localiza entre a mão e o antebraço. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/sindrome-do-tunel-do-carpo/) Sites

A síndrome do túnel do carpo, um tipo de lesão por estresse repetitivo, é a forma mais comum de compressão do nervo (neste caso, o nervo mediano). (Carrie J, Merkle, Manual de Fisiopatologia 2ªed. São Paulo: Roca, 2007.) Livros

Causas:    Lesão do Esforço Repetitivo; quedas e fraturas; neuropatias degenerativas hereditárias.

3. Derrame Articular;

O derrame articular revela-se como um sintoma que corresponde a um aumento da quantidade, e qualidade, do líquido que normalmente existe na articulação, seja esse liquido sangue, no caso de lesões traumáticas agudas, seja liquido sinovial, nas lesões articulares crônicas ou recidivantes. (http://pt.scribd.com/doc/57504985/Derrame-Articular-Joelho) Sites

Causas:    Trauma; Artrite; Artrose.

4. Osteoartrite;

Osteoartrite é uma doença das articulações caracterizada por degeneração das cartilagens acompanhada de alterações das estruturas ósseas vizinhas. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/osteoartrite/) Sites

A osteoartrite, também chamada de doença articular degenerativa é uma doença inflamatória, porém considerada uma doença intrínseca da cartilagem articular na qual alterações bioquímicas e metabólicas resultam em seu colapso; e se caracteriza pela erosão progressiva da cartilagem articular. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.) Livros

Causas:    disfunções hormonais; envelhecimento e efeitos mecânicos; doenças reumatológicas inflamatórias.

5. Osteomielite;

A osteomielite é uma infecção óssea caracterizada por destruição inflamatória progressiva após a formação de um novo osso. (Carrie J, Merkle, Manual de Fisiopatologia 2ªed. São Paulo: Roca, 2007.) Livros

Osteomielite denota uma inflamação do osso e da medula óssea, e o uso comum do termo virtualmente implica em uma infecção. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.) Livros

Causas:    Staphylococcus aureus; Streptococcus pyogenes; Pneumococos.

6. Osteopetrose;

Condição hereditária displásica, rara, que consiste em uma falha generalizada de esclerose condróide com reabsorção óssea primitiva. Há uma deposição desordenada do tecido ósseo neoformado, com ausência de osteoclastos. (http://wikbio.com/pt/dicion%C3%A1rio/defini%C3%A7%C3%A3o-de/osteopetrose) Sites

A osteopetrose se refere a um grupo de raras doenças genéticas caracterizadas por uma redução na reabsorção de osteoclastos, resultando em uma esclerose esquelética difusa e simética. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.) Livros

Causas:  Fatores genéticos (hereditária do tipo autossômico dominante relacionado a anidrase carbônica II);

7. Doença de Paget;

A doença de Paget (osteíte deformante) tem sido descrita como uma " demência de colágeno da matriz", e caracteriza-se por áreas focais de renovação excessiva do osso e formação desorganizada de osteóide. (Porth, Carol Mattson, Pathophysiology: concepts of altered health states / Carol Mattson Porth [et al.]. 8th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.) Livros

Esta doença exclusivamente esquelética pode ser caracterizada como uma desordem na colagem da matriz. No início, a doença de Paget é marcada por regiões de furiosa reabsorção óssea pelos osteoclastos, que é acompanhada por um período de formação óssea, e depois finalmente a atividade da célula óssea se torna acentuadamente reduzida. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.) Livros

Possíveis Causas:    Fatores ambientais; Mutações no gene SQSTM1; Infecção por vírus da família paramyxovírus.

Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

8. Artrite Reumatóide;

Artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica, autoimune, que afeta as membranas sinoviais de múltiplas articulações e órgãos internos, como pulmões, coração e rins, dos indivíduos geneticamente predispostos. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/artrite-reumatoide/) Sites

A artrite reumatóide é um distúrbio inflamatório sistêmico que pode afetar diversos tecidos e órgãos: pele, vasos sanguíneos, coração pulmões e músculos, mas ataca principalmente as articulações, produzindo uma sinovite proliferativa e inflamatória não supurativa que em geral progride para a destruição da cartilagem articular e anquilose das articulações. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

Possíveis Causas:  Acredita-se que a AR seja uma doença auto-imune desencadeada pela exposição de um hospedeiro geneticamente suscetível a um antígeno artritogênico desconhecido. Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

9. Polegar do Esquiador.

Lesão anatômica, corrigível cirurgicamente, responsável pela instabilidade crônica dos polegares de gamekeepers (caça de coelhos) e esquiadores; consiste na insuficiência, rotura ou avulsão traumática (da falange proximal) do ligamento cubital colateral da articulação metacarpofalângica do polegar. (http://fraturademao.chakalat.net/2010_06_01_archive.html) Sites

Polegar do esquiador é uma lesão do ligamento colateral medial da articulação metacarpofalângica do polegar. (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Causas:    Lesão por separação (abdução) forçada do polegar; Prática de Esqui; Quedas.

Sétima Sessão

Membros Inferiores

1. Cisto Ósseo; 2. Condromalacia da Patela; 3. Condrossarcoma; 4. Encondroma; 5. Sarcoma de Ewing; 6. Exostose; 7. Gota; 8. Mieloma Múltiplo; 9. Doença de Osgood – Schlatter; 10. Osteoartrite; 11. Osteoblastoma; 12. Sarcoma Osteogênico; 13. Osteoma Osteóide; 14. Osteomalácia; 15. Síndrome de Reiter.

1. Cisto Ósseo;

É uma lesão pseudotumoral, classificada como benigna ativa e caracterizada por uma cavidade repleta de um líquido claro ou sanguinolento, revestida por uma membrana de espessura variável, constituída por tecido conjuntivo vascular frouxo em que se podem observar células gigantes osteoclásticas disseminadas e, às vezes, restos de hemorragias recentes ou antigas ou depósitos de colesterol. (http://www.unifesp.br/dorto-

onco/livro/tumo10p1.htm) Sites

Cavidade cística com conteúdo líquido seroso ou serosanguinolento, revestido por uma membrana de tecido conjuntivo com células osteoblásticas disseminadas. (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Possíveis causas:    lesões ósseas com características neoplásicas; alteração do metabolismo de cálcio; alteração do metabolismo ósseo local.

2. Condromalacia da Patela;

A Condromalacia patelar consiste em uma patologia crônica degenerativa da cartilagem articular da superfície posterior da patela e dos côndilos femorais correspondentes, que produz desconforto e dor ao redor ou atrás da patela. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Condromal%C3%A1cia_patelar ) Sites

Causas:    anomalias biomecânicas, como a super pronação dos pés; uso inadequado de aparelhos de ginástica; traumatismo por impacto ou esforço excessivo.

3. Condrossarcoma;

Condrossarcoma é um tumor ósseo maligno, caracterizado pela formação de cartilagem pelas células neoplásicas. (Lopes de Faria, Jóse [et. al.], Patologia Especial: com aplicações clínicas 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.) Livros

Os condrossarcomas são um grupo de tumores com amplo espectro de achados clínico e patológico. Uma característica comum de todos eles é a produção de cartilagem neoplásica. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

Causas:    malignização de um encondroma; transformação do capuz cartilaginoso de um osteossarcoma; mutação genética.

4. Encondroma;

Tumor benigno de cartilagem, com aspecto basófilo, devido à matriz cartilaginosa, na qual se encontram células neoplásicas estrelares, e que cresce no interior de um osso longo, geralmente uma falange digital, expandindo-o. (http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/16742) Sites

Tumor cartilaginoso hialino benigno que se origina na cavidade medular dos ossos. Em geral são solitários, localizados na região metafisária dos ossos tubulares, e as áreas prediletas são os ossos tubulares curtos das mãos e dos pés. (Lopes de Faria, Jóse [et. al.], Patologia Especial: com aplicações clínicas 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.) Livros

Possíveis Causas:  restos de cartilagem da placa de crescimento que subsequentemente proliferam e crescem lentamente.

5. Sarcoma de Ewing;

A família dos tumores do sarcoma de Ewing compreende o sarcoma de Ewing e o tumor neuroectodérmico primitivo (PNET), que são tumores primários malignos de células redondas pequenas do osso e tecido mole. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

É o tumor maligno primário mais frequente na infância, formado por células redondas pequenas dispostas em conglomerados, e surge na cavidade medular na diáfise de ossos longos (em especial o fêmur e ossos chatos da pelve). (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Causas:   

Translocação entre os cromossomos 11 e 22, que fusionam o gene EWS localizado no cromossomo 22, com o gene FLI1, localizado no cromossomo 11; proliferação anárquica das células da medula óssea; possível exposição a elevadas doses de radiação.

6. Exostose;

Osteocondroma ou exostose é um tipo de tumor benigno e trata-se da formação anômala de osso e/ou cartilagem na superfície de um osso normal. É um crescimento em forma de cogumelo coberto por cartilagem, conectado ao osso por um talo. (http://www.childrenshospital.org/az/Site1079/mainpageS1079P0.html) Sites

O osteocondroma, também conhecido como exostose, é um tumor de cartilagem benigno que se prende ao esqueleto subjacente por um talo ósseo. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

Causas:    exposição materna ao álcool durante a gravidez; modificação na direção de crescimento da placa fisária; exposição excessiva à temperatura e água frias.

7. Gota;

Gota é uma doença caracterizada pela elevação de ácido úrico no sangue, o que leva a um depósito de cristais de monourato de sódio nas articulações. Este depósito que gera os surtos de artrite aguda secundária. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/gota/) Sites

A gota é caracterizada por ataques transitórios de artrite aguda iniciada pela cristalização de uratos dentro e sobre as articulações, levando eventualmente a uma artrite crônica gotosa e ao aparecimento de tofos. Os tofos consistem em grandes agregados de cristais de urato e reação inflamatória circundante. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

Causas:    Produção excessiva de ácido úrico pelo organismo; Ausência congênita de um mecanismo enzimático responsável pela excreção do ácido úrico pelos rins; Alguns medicamentos como diuréticos e o ácido acetilsalicílico.

8. Mieloma Múltiplo;

O mieloma múltiplo caracteriza-se pela proliferação clonal de plasmócitos que infiltram a medula óssea. Ao infiltrar a medula óssea, suprimem a produção normal dos elementos do sangue, além de liberarem substâncias que levam ao aumento da reabsorção óssea, resultando em destruição extensa do esqueleto, com lesões osteolíticas, osteoporose e fraturas. (http://www.praticahospitalar.com.br/pratica%2041/pgs/materia%2041-41.html) Sites

Tumor maligno primário mais frequente em adultos que caracteriza-se por suas implicações difusas ou múltiplas e pela presença de células redondas do tipo de células plasmáticas, mas em diferentes graus de imaturidade. (Myriam Ferron e Jordi Rancano, Grande Atlas do Corpo Humano: Anatomia, Histologia, Patologias / Vigué [editor]; Martin [assessoria científica geral]; [tradução Nader Wafae]. Barueri, SP : Manole, 2007.) Livros

Possíveis Causas:    associação com radiação ionizante; exposição a pesticidas; relação com infecções virais.

Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

9. Doença de Osgood-Schalatter;

Osgood-Schlatter constitui uma doença osteo-muscular (e extra-articular), comum em adolescentes, caracterizada por uma patologia inflamatória que ocorre na cartilagem e no osso da tíbia, devido ao esforço excessivo sobre o tendão patelar. (http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/traumato/osgood/osgood.ht m) Sites

A doença de Osgood-Schlatter consiste em microfraturas na área onde o tendão patelar se insere na tuberosidade da tíbia, que é uma extensão da epífise proximal da tíbia. (Porth, Carol Mattson, Pathophysiology: concepts of altered health states / Carol Mattson Porth [et al.]. 8th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.) Livros

Causas:    overuse do quadríceps; micro traumas na tuberosidade tibial; esforço excessivo sobre o tendão patelar através de atividades rotineiras e práticas de esporte.

10. Osteoartrite;

Osteoartrite é uma doença das articulações caracterizada por degeneração das cartilagens acompanhada de alterações das estruturas ósseas vizinhas. (http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/osteoartrite/) Sites

A osteoartrite é uma condição crônica que leva à degeneração da cartilagem articular e neoformação óssea reativa nas margens ósseas e áreas subcondrais das articulações. (Carrie J, Merkle, Manual de Fisiopatologia 2ªed. São Paulo: Roca, 2007.) Livros

Causas:    obesidade; envelhecimento e efeitos mecânicos (estresse articular repetido); fatores metabólicos e genéticos (diminuição da síntese de colágeno).

11. Osteoblastoma;

O osteoblastoma é semelhante ao osteoma osteóide, mas suas dimensões são mais significativas e apresenta um "ninho" maior, com vários centímetros de diâmetro e uma camada de osso cortical à volta menos espesso. (http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=379) Sites

O osteoblastoma é um termo usado para descrever tumor ósseo benigno que possui características histológicas idênticas ao osteoma osteóide, porém com tamanho maior, sítios de origem e sintomas diferentes. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

Possíveis Causas:    infecciosa; embriológica; ou traumática.

12. Sarcoma Osteogênico;

O osteossarcoma é definido como um tumor mesenquimal maligno no qual as células cancerosas produzem matriz óssea. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

O osteossarcoma é um tipo de neoplasia óssea maligna primária que tem uma incidência elevada nas fases da infância e adolescência nos ossos longos como, por exemplo, o fêmur que é o local mais acometido pelo surgimento desses tumores. (http://www.fisioweb.com.br/portal/artigos/categorias/41-C%C3%A2ncer/885osteossarcoma-de-femur-uma-breve-revisao-bibliografica.html) Sites

Possíveis Causas:    Mutações genéticas no gene RB; Anormalidades nos genes que regulam os ciclos celulares, como p53, CDK4, p16, INK4A, CyCLIN D1 e MDM2, também podem ser observadas; Síndrome de Li-Fraumeni, doença de Paget, retinoblastoma hereditário e osteogênese imperfeita. Obs.: etiologia mal esclarecida e baseada em estudos inconclusivos.

13. Osteoma osteóide;

O osteoma osteóide é constituído por osteoblastos, células formadoras de osso e caracteriza-se por apresentar uma zona central onde predomina a destruição do osso, denominado "ninho" e rodeado por uma camada de osso muito duro. (http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=379) Sites

Os osteomas osteóides são tumores sésseis bocelados, arredondados ou ovais, que se projetam a partir das superfícies subperiostal ou endostal do córtex. Eles são bem circunscritos e compostos por um emaranhado de trabéculas de osso trançado circundadas por osteoblastos. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 8ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.) Livros

Possíveis Causas:    infecciosa; embriológica; ou traumática.

14. Osteomalacia;

O termo raquitismo representa um distúrbio infantil no qual o crescimento ósseo desorganizado produz deformidades esqueléticas distintivas. No Adulto, o distúrbio é chamado de osteomalacia porque o osso que se forma durante o processo de remodelagem é submineralizado. (Robbins e Cotran, Patologia: Bases Patológicas das Doenças / Vinay Kumar [et al.]. 7ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.) Livros

A osteomalacia é um distúrbio ósseo generalizado caracterizado por mineralização inadequada do osso. (Porth, Carol Mattson, Pathophysiology: concepts of altered health states / Carol Mattson Porth [et al.]. 8th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.) Livros

Causas:    Deficiência ou resistência à ação da vitamina D; Absorção insuficiente de cálcio do intestino; Deficiência de fosfato causada por perdas renais aumentadas ou diminuição da absorção intestinal.

15. Síndrome de Reiter.

Síndrome de Reiter, conhecida como artrite reativa, é uma doença que afeta as articulações provocando artrite assimétrica, isto é, inflamação com aumento das articulações, principalmente nos membros inferiores (pernas). (http://espondilite.forumeiros.com/t191-sindrome-de-reiter-ou-artrite-reactiva) Sites

A Síndrome de Reiter é considerada uma manifestação clínica da artrite reativa, que pode ser acompanhada de sintomas extra-articulares, como uveíte, inflamação intestinal e cardite. (Porth, Carol Mattson, Pathophysiology: concepts of altered health states / Carol Mattson Porth [et al.]. 8th ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.) Livros

Possíveis causas:    infecção urogenital por Chlamydia sp.; infecção intestinal por Salmonella sp; infecção por Shigella flexneri, Campylobacter jejuni e Versinia enterocolítica.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->