P. 1
Oscilações e Ondas Mecânicas

Oscilações e Ondas Mecânicas

|Views: 32|Likes:
Publicado porJúnior Medeiros

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Júnior Medeiros on Sep 03, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/03/2012

pdf

text

original

Sections

FII – QA

MRCP DF – UM
Oscilações e
Ondas Mecânicas
FII – QA
MRCP DF – UM
Sempre que um sistema sofre uma
perturbação da sua posição de equilíbrio
estável, ocorre um movimento de
oscilação.
Movimento Oscilatório
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmônico Simples
Quando um movimento se repete em
intervalos de tempo regulares é chamado
Movimento Harmônico Simples (MHS)
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmónico Simples

Um caso particular de MHS
Onde ω corresponde à frequência angular,
( ) ( ) φ ω + · t x t x
m
cos
T
f
π
π ω
2
2 · ·
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmónico Simples

Velocidade de uma partícula a oscilar será dada por:
( )
( )
( ) φ ω ω + − · · t x
dt
t dx
t v
m
sin
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmônico Simples

A sua aceleração será dada por:
( )
( )
( ) φ ω ω + − · · · t x
dt
x d
dt
t dv
t a
m
cos
2
2
2
( ) ( ) t x t a
2
ω − ·
Sempre que a aceleração de um objeto é
proporcional ao seu deslocamento e é oposta à
sua direção, o objeto move-se com um MHS
FII – QA
MRCP DF – UM
( ) ( ) φ ω ω + − · t x t a
m
cos
2
( ) ( ) φ ω ω + − · t x t v
m
sin
( ) ( ) φ ω + · t x t x
m
cos
Movimento Harmônico Simples
FII – QA
MRCP DF – UM
Exemplo: A função
dá-nos o MHS de uma partícula. Determine
para t = 2.0 s:
1. o deslocamento;
2. a velocidade;
3. a aceleração;
4. a fase;
5. a frequência;
6. e o período.
( ) ( ) 3 3 cos 0 . 6 π π + · t t x
FII – QA
MRCP DF – UM

Movimento de um corpo preso a uma
mola
Movimento Harmônico Simples
e
F F
 
·

kx ma − ·
kx
dt
x d
m − ·
2
2
2
2
2
· + x
m
k
dt
x d
2
ω
FII – QA
MRCP DF – UM
0
0
2
2
· + x
m
k
dt
x d
Movimento Harmônico Simples

Se a oscilação fosse na vertical
g e
F F F

 
+ ·

mg kx ma + − ·
mg kx
dt
x d
m + − ·
2
2
g x
m
k
dt
x d
· +
2
2
FII – QA
MRCP DF – UM
Dependência de ω:

com a massa - depende

com a amplitude – não depende
Movimento Harmônico Simples
FII – QA
MRCP DF – UM
Energia

Energia cinética

Energia Potencial

Energia Mecânica
Movimento Harmônico Simples
( ) ( )
2
2
1
2
2
1
sin φ ω ω + − · · t A m mv E
C
( ) φ ω + · t kA E
C
2 2
2
1
sin
( ) ( )
2
2
1
2
2
1
cos φ ω + · · t A k kx E
P
( ) φ ω + · t kA E
P
2 2
2
1
cos
2
2
1
kA E E E
P C M
· + ·
FII – QA
MRCP DF – UM
FII – QA
MRCP DF – UM
FII – QA
MRCP DF – UM

Sobreposição de MHS

Mesma direção e período
Movimento Harmónico Simples
( )
1 1
cos φ ω + · t a s ( )
2 2
cos φ ω + · t b s
( )
0
cos φ ω + · t R s
( )
¹
¹
¹
¹
¹
¹
¹
'
¹
+

,
_

¸
¸
∆ +

·
∆ + + ·
1 0
2 2
cos
sin
arctan
cos 2
φ
φ
φ
φ
φ
b a
b
ab b a R
Interf. Construtiva
Interf. Parc. Destrutiva
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmônico Simples

Sobreposição de MHS

Mesma direção e período diferente –
movimento resultante não é MHS
a) T
1
/T
2
= p/q (p,q, inteiros, primos) - o período do movimento
resultante é o m.m.c. (mínimo múltiplo comum) dos períodos
componentes.
b) T
1
/T
2
= p/q (p é múltiplo inteiro de q) - o período do movimento
resultante é igual ao maior dos períodos componentes.
c) T
1
/T
2
= p/q (p próximo de q) - batimento - o período de batimento
associado ao movimento resultante é T
b
= (T
1
x T
2
)/|T
1
- T
2
|; a
frequência de batimento é f
b
= |f
2
- f
1
|, o período do movimento
resultante é o m.m.c. dos períodos componentes.
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmônico Simples

Sobreposição de MHS
– Direções perpendiculares (ortogonais) e
mesmo período
a
1
) Δφ = 0 rad - a = b –
a ≠ b –
a
2
) Δφ = π/2 rad - a = b –
a ≠ b –
a
3
) Δφ = π rad - a = b –
a ≠ b –
a
4
) Δφ = 3 π/2 rad - a = b –
a ≠ b –
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmónico Simples

Sobreposição de MHS
– Direcções perpendiculares
(ortogonais) e períodos diferentes
se os períodos componentes são
comensuráveis, o movimento resultante é
periódico e seu período é o m.m.c. dos
períodos componentes. As trajetórias são
figuras particulares e denominam-se
figuras de Lissajous.
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmónico Simples

Osciladores ligados
k
1
k
a
k
2
m
1
m
2
x
1
x
2
-k
1
x
1
k
a
(x
2
-x
1
)
-k
a
(x
2
-x
1
)
-k
2
x
2
( )
1 2 1 1
2
1
2
1
x x k x k
dt
x d
m
a
− + − · ( )
1 2 2 2
2
2
2
2
x x k x k
dt
x d
m
a
− − − ·
2
1
1
1
1
2
1
2
x
m
k
x
m
k k
dt
x d
a a
·
+
+
1
2
2
2
2
2
2
2
x
m
k
x
m
k k
dt
x d
a a
·
+
+
2 1
2
1
2
x
m
k
x
m
k k
dt
x d
a a
·
+
+
1 2
2
2
2
x
m
k
x
m
k k
dt
x d
a a
·
+
+
k k k m m m · · · ·
2 1 2 1
e se
FII – QA
MRCP DF – UM
( ) φ ω + · t A x cos
1
Movimento Harmônico Simples

Osciladores ligados
m
k
· ω
Modos normais de oscilação
( ) φ ω + · t A x cos
2
em fase:
k
1
k
a
k
2
m
1
m
2
x
1
x
2
FII – QA
MRCP DF – UM
em oposição de fase:
( ) φ ω + · t A x cos
1
( ) φ ω + − · t A x cos
2
Movimento Harmônico Simples

Osciladores ligados
Modos normais de oscilação
x
1
x
2
( )
m
k k
a
+
· ω
k
1
k
a
k
2
m
1
m
2
x
1
x
2
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Harmónico Simples

Osciladores ligados – exemplos
moleculares
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Oscilatório Amortecido
suporte rígido
const. mola, k
massa, m
disco
amortecimento, λ
v kx ma F λ − − · ·

0
2
2
· + + x
m
k
dt
dx
m dt
x d λ
( ) ( ) φ ω
γ
+

·

t e x t x
t
m
cos
2
2
4m m
k λ
ω − ·

m 2
λ
γ ·
FII – QA
MRCP DF – UM
t
m
F
x
m
k
dt
dx
m dt
x d
f
ω
λ
cos
0
2
2
· + +
Movimento Oscilatório Forçado
suporte rígido
const. mola, k
massa, m
disco
amortecimento, λ
t F kx
dt
dx
dt
x d
m
f
ω λ cos
0
2
2
· + +
t
m
F
x
dt
dx
dt
x d
f
ω ω γ cos 2
0
2
0
2
2
· + +
( ) α ω − ·
f
A x cos
( )
2 2
2
2
0
2
0
4
f f
m F
A
ω γ ω ω + −
·
f
f
γω
ω ω
α
2
tan
2
0
2

·
FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Oscilatório Forçado
( ) α ω − ·
f
A x cos ( )
2 2
2
2
0
2
0
4
f f
m F
A
ω γ ω ω + −
·
f
f
γω
ω ω
α
2
tan
2
0
2

·
quando
0
ω ω ·
f

máximo
A
RESSONÂNCIA ⇐
FII – QA
MRCP DF – UM

Num MHS
Movimento Não Harmônico
( )
2
0
2
1
x x k E
P
− ·
( ) F x x k dx dE
P
− · − ·
0
k dx E d
P
·
2
2
( )
m
dx E d
m
k
P
2 2
· · ω
FII – QA
MRCP DF – UM

Para um mov. não harmónico
Movimento Não Harmónico
( ) ( ) ( ) ( ) ...
6
1
2
1
3
0
2
0 0
+ −

+ − + · x x k x x k x E x E
P P
Teorema de Taylor
( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ...
6
1
2
1
3
0
0
3
3
2
0
0
2
2
0
0
0
+ −

,
_

¸
¸
+ −

,
_

¸
¸
+ −

,
_

¸
¸
+ · x x
dx
f d
x x
dx
f d
x x
dx
df
x f x f
( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ...
6
1
2
1
3
0
0
3
3
2
0
0
2
2
0
0
0
+ −

,
_

¸
¸
+ −

,
_

¸
¸
+ −

,
_

¸
¸
+ · x x
dx
E d
x x
dx
E d
x x
dx
dE
x E x E
P P P
P P
0
k k

FII – QA
MRCP DF – UM
Movimento Não Harmónico

Para um mov. não harmónico
Potencial de Lennard-Jones
1
1
]
1

¸

,
_

¸
¸

,
_

¸
¸
− ·
12
0
6
0
0 ,
2
r
r
r
r
E E
P P
22
2r
2
2r
V
2
r
2
r
FII – QA
MRCP DF – UM

Movimento nunca se repete a si mesmo
movimento caótico ≠ movimento
desordenado
Movimento caótico pode apresentar uma
estrutura bem definida e caracteriza-se
por ser extremamente sensível às suas
condições iniciais
Oscilações Caóticas
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 3
Um bloco cuja massa, m, é 650 g é preso a uma mola cuja constante
elástica, k, é 65 N/m. O bloco é puxado uma distância x =11 cm da sua
posição de equilíbrio x =0, numa superfície horizontal sem atrito, e
libertado em repouso (para t =0).
1. Qual é a frequência angular e o período do movimento?
2. Indique qual é a amplitude e a fase inicial e escreva a equação do
movimento.
3. Qual é a velocidade máxima do oscilador? Nessa situação qual é
a sua energia potencial?
4. Considere que o amortecimento provocado pelo ar era igual a
(em que v representa a velocidade do bloco). Escreva a
equação do movimento resultante.
v 22 . 2 −
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 3
Um bloco cuja massa, m, é 650 g é preso a uma mola cuja constante
elástica, k, é 65 N/m. O bloco é puxado uma distância x =11 cm da sua
posição de equilíbrio x =0, numa superfície horizontal sem atrito, e
libertado em repouso (para t =0).
1. Qual é a frequência angular e o período do movimento?
2 -
rad.s 2 . 22
222 . 2
22
· · ·
m
k
ω
s 22 . 2
2 . 22
 . 2 2 2
·
×
· ·
ω
π
T
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 3
Um bloco cuja massa, m, é 650 g é preso a uma mola cuja constante
elástica, k, é 65 N/m. O bloco é puxado uma distância x =11 cm da sua
posição de equilíbrio x =0, numa superfície horizontal sem atrito, e
libertado em repouso (para t =0).
2. Indique qual é a amplitude e a fase inicial e escreva a equação do
movimento.
m 22 . 2 · ⇔
m
x
p c m
E E E + ·
2 2 2
2
2
2
2
2
2
mv kx kx
m
+ · ⇔
Para t =0 – x =0.11 m; v =0
( )
2
2
22 . 2
2
2
2
2
k kx
m
·
( ) ( ) φ cos 22 . 2 22 . 2 2 · · x
( ) ( ) t t x 2 . 22 cos 22 . 2 ·
2 · ⇒ φ
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 3
Um bloco cuja massa, m, é 650 g é preso a uma mola cuja constante
elástica, k, é 65 N/m. O bloco é puxado uma distância x =11 cm da sua
posição de equilíbrio x =0, numa superfície horizontal sem atrito, e
libertado em repouso (para t =0).
3. Qual é a velocidade máxima do oscilador? Nessa situação qual é a
sua energia potencial?
2 2
2
2
2
2
m m
mv kx ·
2 -
ms 2 . 2 · · · ω
m m m
x
m
k
x v
Esta ocorre para x =0 m e aí
J 2
2
2
2
· · kx E
P
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 3
Um bloco cuja massa, m, é 650 g é preso a uma mola cuja constante
elástica, k, é 65 N/m. O bloco é puxado uma distância x =11 cm da sua
posição de equilíbrio x =0, numa superfície horizontal sem atrito, e
libertado em repouso (para t =0).
4. Considere que o amortecimento provocado pelo ar era igual a
(em que v representa a velocidade do bloco). Escreva a
equação do movimento resultante.
v kx ma λ − − ·
2 222 2
2
2
· + + x
dt
dx
dt
x d
v 22 . 2 −
-2
s 2 . 2 2 2 · ⇒ · γ γ
( ) ( ) φ ω
γ
+

·

t e x t x
t
m
cos
( ) ( ) t e t x
t
2 . 2 cos 22 . 2
2 . 2 −
·
2 -
2
2
rad.s 22 . 2
2
· − ·

m m
k λ
ω
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas
As perturbações num sistema em equilíbrio
As perturbações num sistema em equilíbrio
que provocam um movimento oscilatório
que provocam um movimento oscilatório
podem propagar-se no espaço à sua volta
podem propagar-se no espaço à sua volta
sendo percebidas noutros pontos do espaço
sendo percebidas noutros pontos do espaço
movimentos ondulatórios ondas progressivas
FII – QA
MRCP DF – UM

Ondas Mecânicas – precisam de um meio físico para se
propagarem e obedecem às Leis de Newton (ondas
sonoras, da água, sísmicas)

Ondas Electromagnéticas – não precisam de meio físico
para se propagarem viajando no vácuo todas à mesma
velocidade c ≈ 3x10
8
ms
-1
(radiação electromagnética, eg
luz)

Ondas de Matéria – ondas associadas a partículas
fundamentais, como os electrões e protões
Tipos de ondas
FII – QA
MRCP DF – UM
Tipos de propagação de ondas

Onda Transversal

Onda Longitudinal

Ondas Mistas
FII – QA
MRCP DF – UM
onda para t = Δt
onda para t = 0
Descrição do movimento ondulatório
( ) x f y ·
v
( ) ( ) vt x f x f y − ·

·
vt x x − ·

velocidade de propagação
ou velocidade de fase
( ) ( ) vt x k y t x y
m
− · sin ,
2
2
2 2
2
2
t
y
v x
y


·


função de onda
FII – QA
MRCP DF – UM
( ) ( ) vt x k y t x y
m
− · sin ,
( ) ( ) t kx y t x y
m
ω − · sin ,
Descrição do movimento ondulatório
λ
π 2
· k
número de onda
kv
v
T
· · ·
λ
π π
ω
2 2
onda para t = Δt
onda para t = 0
λ
k
f
T
v
ω
λ
λ
· · ·
FII – QA
MRCP DF – UM

Velocidade de propagação

Para uma corda

Para o som
Descrição do movimento ondulatório
µ
T
F
v ·
μ – densidade linear da corda
M
RT B
v
γ
ρ
· ·
γ – constante dependente do
tipo de gás (diatom. – 1.4)
M – massa molar do gás
(M(ar) = 29x10
-3
kg/mol)
k
f
T
v
ω
λ
λ
· · ·
FII – QA
MRCP DF – UM

Velocidade de propagação

Para uma corda
µ
T
F
v ·
μ – densidade linear da corda
( ) ( )
R
l
F F F F
T T T

· ≈ · θ θ 2 sin 2
l m ∆ · ∆ µ
R
v
a
2
·
( )
R
v
l
R
l
F
T
2
∆ ·

µ
T
F

T
F

Descrição do movimento ondulatório
FII – QA
MRCP DF – UM
O que se propaga?

Estado de movimento
No movimento ondulatório propaga-se ou
No movimento ondulatório propaga-se ou
transmite-se energia e momento
transmite-se energia e momento
FII – QA
MRCP DF – UM
( ) [ ]
médio m onda
médio
C
t kx y v
dt
dE
ω ω µ − ·

,
_

¸
¸
2 2 2
cos
2
1
( ) ( )
2
cos
2
1
t kx y dx dE
m C
ω ω µ − − ·
( ) t kx y
dt
dx
dt
dE
m
C
ω ω µ − · ⇔
2 2 2
cos
2
1
Energia de uma onda

A energia cinética de cada elemento
2
.
2
1
v dm dE
C
·
( ) t kx y
dt
y
v
m
ω ω − − ·

· cos
dx dm µ ·
2 2
4
1
m onda
médio
C
y v
dt
dE
ω µ ·

,
_

¸
¸

médio
C
médio
P
dt
dE
dt
dE

,
_

¸
¸
·

,
_

¸
¸
como
2 2
2
1
m onda médio
y v P ω µ ·
FII – QA
MRCP DF – UM

Para duas ondas com a mesma amplitude
e a mesma frequência angular
Sobreposição de ondas
( ) ( ) t kx y t x y
m
ω − · sin ,
1
( ) ( ) φ ω + − · t kx y t x y
m
sin ,
2
( )

,
_

¸
¸
+ −
1
]
1

¸

·

φ ω φ
2
1
sin
2
1
cos 2 , t kx y t x y
m
amplitude
termo oscilante
( ) ( ) β α β α β α − + · +
2
1
cos
2
1
sin 2 sin sin
FII – QA
MRCP DF – UM
Sobreposição de ondas
Sobreposição de ondas
-25
-20
-15
-10
-5
0
5
10
15
20
25
0 100 200 300 400 500 600
x (m)
y

(
m
)
o1
o2
o3
soma
A sobreposição de ondas resulta numa onda que corresponde à A sobreposição de ondas resulta numa onda que corresponde à
soma algébrica das ondas sobrepostas soma algébrica das ondas sobrepostas
A sobreposição de ondas não afecta de nenhum modo a A sobreposição de ondas não afecta de nenhum modo a
progressão de cada uma progressão de cada uma
FII – QA
MRCP DF – UM
FII – QA
MRCP DF – UM
Análise de movimentos periódicos

Análise de Fourier
Qualquer movimento periódico pode ser
Qualquer movimento periódico pode ser
considerado como a sobreposição de
considerado como a sobreposição de
movimentos harmónicos simples
movimentos harmónicos simples
Teorema de Fourier – uma função periódica
Teorema de Fourier – uma função periódica
f(t)
f(t)
de
de
período
período
T=2
T=2
π
π
/
/
ω
ω
pode ser expressa como uma
pode ser expressa como uma
sobreposição de termos harmónicos simples
sobreposição de termos harmónicos simples
( ) ... cos ... 2 cos cos
2 1 0
+ + + + + · t n a t a t a a t f
n
ω ω ω
... sin ... 2 sin sin
2 1
+ + + + + t n b t b t b
n
ω ω ω
FII – QA
MRCP DF – UM
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Estacionárias
Se duas ondas com a mesma amplitude e
Se duas ondas com a mesma amplitude e
comprimento de onda, se deslocarem em sentidos
comprimento de onda, se deslocarem em sentidos
opostos ao longo da mesma direcção, a sua
opostos ao longo da mesma direcção, a sua
interferência produzirá um onda estacionária
interferência produzirá um onda estacionária
nodo
antinodo
FII – QA
MRCP DF – UM
nodo
antinodo
( ) [ ] t kx y t x y
m
ω cos sin 2 , ·

( ) ( ) t kx y t x y
m
ω − · sin ,
1
( ) ( ) t kx y t x y
m
ω + · sin ,
2
amplitude na posição x
termo oscilante
2
λ
Ondas Estacionárias
FII – QA
MRCP DF – UM

Reflecção de uma onda numa corda nas
suas fronteiras
Ondas Estacionárias
FII – QA
MRCP DF – UM

Numa corda presa por ambas as extremidades para certas
frequências (de ressonância) formam-se ondas estacionárias. A
cada uma corresponde um modo de vibração com os nodos
situados nas extremidades.
– Modo fundamental ou primeiro harmónico

Segundo harmónico
– Terceiro harmónico
Ondas Estacionárias
L
v
f
L
n
2
2
2
2
2
2 2
· → · → · λ
L
v
f
L
n
2
2
2
2
2
2 2
· → · → · λ
L
v
f
L
n
2
2
2
2
2
2 2
· → · → · λ
FII – QA
MRCP DF – UM

Numa corda presa por ambas as extremidades para certas
frequências (de ressonância) formam-se ondas estacionárias. A
cada uma corresponde um modo de vibração com os nodos
situados nas extremidades.
– Genericamente um harmónico de ordem n ocorre para:
Ondas Estacionárias
n
L
n
2
· λ
1
2
nf
L
v
n f
n
· ·
com n = 1, 2, 3, …
FII – QA
MRCP DF – UM

Numa corda presa por uma das extremidades também se
formam ondas estacionárias para certas frequências. A cada
uma corresponde um modo de vibração com os nodos situados
na extremidade presa e o antinodo na extremidade livre.
– Modo fundamental ou primeiro harmónico

Terceiro harmónico
– Quinto harmónico
Ondas Estacionárias
L
v
f
L
n
4
1
1
4
1
1 1
· → · → · λ
L
v
f
L
n
4
3
3
4
3
3 3
· → · → · λ
L
v
f
L
n
4
5
5
4
5
5 5
· → · → · λ
λ
2
2
· L
λ
2
2
· L
λ
2
2
· L
FII – QA
MRCP DF – UM

Numa corda presa por uma das extremidades também se
formam ondas estacionárias para certas frequências. A cada
uma corresponde um modo de vibração com os nodos situados
na extremidade presa e o antinodo na extremidade livre.
– Genericamente um harmónico de ordem n ocorre para:
Ondas Estacionárias
n
L
n
4
· λ
1
4
nf
L
v
n f
n
· ·
com n = 1, 3, 5, …
FII – QA
MRCP DF – UM
elemento do fluido
pulso

Velocidade de propagação
Descrição do movimento ondulatório
M
RT B
v
γ
ρ
· ·

Para o som
t v x ∆ · ∆
( ) pA A p p pA ma F ∆ − · ∆ + − · ·
x A V m ∆ · ∆ · ∆ ρ ρ
( ) ⇔ ∆ − ·


∆ pA
t
v
t Av ρ
t
v
a


·
v v
p
v


− ·
2
ρ
v
v
t Av
t v A
V
V ∆
·

∆ ∆
·

B
V V
p
v ·


− ·
2
ρ
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras

Equação do movimento ondulatório das ondas
sonoras
( ) ( ) t kx s t x s
m
ω − · cos ,
( ) ( ) t kx p t x p
m
ω − ∆ · ∆ sin ,
( )
m m
s v p ρω · ∆
compress
ão
expans
ão
elemento de fluido
a oscilar
posição
de
equilíbri
o
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras

Interferência

Construtiva

Destrutiva
λ π
φ
1 2
2
L L −
·
λ
π φ
L ∆
· ⇒ 2
... , 2 , 1 , 0 ·

λ
L
... , 5 . 2 , 5 . 1 , 5 . 0 ·

λ
L
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras

Interferência

Batimentos
Tempo
( ) t s t s
m 1 1
cosω · ( ) t s t s
m 2 2
cosω ·
( ) [ ] t t s t s
m
ω ω cos cos 2

·
( )
2 1
2
1
ω ω ω − ·
′ ( )
2 1
2
1
ω ω ω + ·
2 1
f f f
bat
− ·
FII – QA
MRCP DF – UM

Duas fontes de ondas dizem-se coerentes se a
diferença de fase entre as duas se mantém
constante

Caso contrário designam-se por incorentes
Fontes coerentes
FII – QA
MRCP DF – UM

Ondas sonoras estacionárias (ressonância)

Tubo aberto dos dois lados
• Tubo aberto num dos lados
Ondas Sonoras
1
2
nf
L
v
n f
n
· · com n = 1, 2, 3, …
1
4
nf
L
v
n f
n
· · com n = 1, 3, 5, …
FII – QA
MRCP DF – UM
velocidade do som onda sonora
percurso
curvo
Ondas Sonoras
onda incidente onda reflectida
solo
reflexão

Reflexão

Refracção
FII – QA
MRCP DF – UM

Imóveis
Ondas Sonoras
λ
t v
n

·

Num intervalo Δt
f
v
t
t v
f · ·


·


λ
λ
Não há efeito Doppler

Efeito Doppler
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras
( )
λ
t v v
n
D
∆ +
·

( )
λ
λ
D D
v v
t
t v v
f
+
·

∆ +
·


Temos efeito Doppler
Num intervalo Δt
( )
v
v v
f f
D
+
·


Efeito Doppler

Detector em movimento
FII – QA
MRCP DF – UM

Fonte em movimento
Ondas Sonoras
T v vT
F
− ·

λ
T v vT
v v
f
F

·

·


λ
Temos efeito Doppler
Num intervalo de tempo T
F
v v
v
f f

·


Efeito Doppler
F
v

FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras

Efeito Doppler
F
D
v v
v v
f f
t
t
·

Regra: quando o movimento do detector e da fonte são de aproximação o
sinal nas suas velocidades deve resultar num aumento da frequência.
Caso se afastem, o sinal das suas velocidades deverá dar uma
diminuição da frequência
FII – QA
MRCP DF – UM
s s
v
v
t v
vt
· · θ sin
Ondas Sonoras

Ondas de choque
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras

Intensidade e nível sonoro

Intensidade

Variação com a distância
2 2
2
2
m
s v I ω ρ · ⇒
2
2r
P
I
F
π
·
A
P
I ·
2 2
2
2
m onda médio
y v P ω µ ·
frentes de onda
raio
FII – QA
MRCP DF – UM
Ondas Sonoras

Intensidade e nível sonoro

A escala de Decibéis
( )
0
log 10
I
I
dB · β
FII – QA
MRCP DF – UM
Fonte I/Io dB Descrição
Respiração normal 10
0
0 Limite de audição
Biblioteca 10
3
30 Muito silencioso
Conversação normal 10
5
50 Calmo
Camião pesado 10
9
90 Exposição prolongada provoca
danos no ouvido
Concerto rock (a 2 m) 10
12
120 Limite de dor
Jacto na descolagem 10
15
150
Motor de foguetão 10
18
180
Ondas Sonoras
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 4
Uma onda que se desloca ao longo de uma corda é descrita pela
equação:
em que todos os valores se encontram em unidades SI.
1. Qual é a amplitude, comprimento de onda, o período e velocidade
de propagação desta onda?
2. Qual será a força de tensão aplicada na corda se esta tiver uma
massa de 0.500 kg e um comprimento de 0.5 m?
3. Determine a frequência do terceiro harmónico desta onda
considerando que ambas as extremidades estão fixas.
4. Se a deslocação do ar (ρ= 1.21 kg/m
3
) provocada pela corda
fosse igual à amplitude da oscilação da corda na ressonância,
qual seria a amplitude da variação da pressão da onda sonora
produzida? (v
s
= 340 ms
-1
)
( ) ( ) t x t x y 1 . 7 1 . 72 sin 00327 . 0 , − ·
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 4
Uma onda que se desloca ao longo de uma corda é descrita pela
equação:
em que todos os valores se encontram em unidades SI.
1. Qual é a amplitude, comprimento de onda, o período e velocidade
de propagação desta onda?
( ) ( ) t x t x y 1 . 7 1 . 72 sin 00327 . 0 , − ·
( ) ( ) m 00327 . 0 , 1 1 . 7 1 . 72 sin · · ⇒ · −
máx
y t x y t x
( ) ( ) φ ω + − · t kx y t x y
máx
sin ,
m 0871 0
2
1 . 72 .
k
k · · ⇒ ·
π
λ
s 885 . 0
2
1 . 7 · · ⇒ ·
ω
π
ω T
1 -
ms 0985 0.
k T
v · · ·
ω λ
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 4
Uma onda que se desloca ao longo de uma corda é descrita pela
equação:
em que todos os valores se encontram em unidades SI.
( ) ( ) t x t x y 1 . 7 1 . 72 sin 00327 . 0 , − ·
-1
ms 0985 0. v ·
2 2
v
L
m
v F
F
v
T
T
· · ⇒ · µ
µ
N 0097 0 0985 . 0
5 . 0
500 . 0
2
. F
T
· ·
2. Qual será a força de tensão aplicada na corda se esta tiver uma
massa de 0.500 kg e um comprimento de 0.5 m?
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 4
Uma onda que se desloca ao longo de uma corda é descrita pela
equação:
em que todos os valores se encontram em unidades SI.
3. Determine a frequência do terceiro harmónico desta onda
considerando que ambas as extremidades estão fixas.
( ) ( ) t x t x y 1 . 7 1 . 72 sin 00327 . 0 , − ·
L
v
f
L
n
2
3
3
2
3
3 3
· → · → · λ
Hz 296 . 0
5 . 0 2
0985 . 0
3
3
·
×
× · f
FII – QA
MRCP DF – UM
Mini-Teste 4
Uma onda que se desloca ao longo de uma corda é descrita pela
equação:
em que todos os valores se encontram em unidades SI.
( ) ( ) t x t x y 1 . 7 1 . 72 sin 00327 . 0 , − ·
4. Se a deslocação do ar (ρ= 1.21 kg/m
3
) provocada pela corda
fosse igual à amplitude da oscilação da corda na ressonância,
qual seria a amplitude da variação da pressão da onda sonora
produzida? (v
s
= 340 ms
-1
)
( )
m m
s v p ρω · ∆
( ) Pa 6 . 5 2 00327 . 0 3 . 0 2 21 . 1 340 · × × × × × × · ∆ π
m
p
FII – QA
MRCP DF – UM
FIM

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->