P. 1
Aula Aprendizado Baseado em Problemas (PBL)

Aula Aprendizado Baseado em Problemas (PBL)

|Views: 429|Likes:
Aula Introdutória para o Seminário Integrador
Aula Introdutória para o Seminário Integrador

More info:

Published by: Francismar Prestes Leal on Sep 03, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/03/2014

pdf

text

original

Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP

)
Dr Francismar Prestes Leal Hematologista CRM/PR 18829 Uningá

© L. A. Burden 2005

ABP: Resumo Histórico
• A metodologia ABP surgiu entre o final da década de 60 e início da década de 70 nas Faculdades de Medicina:

Universidade de McMaster,
no Canadá;

Universidade de Maastricht,
na Holanda

© L. A. Burden 2005

ABP: Resumo Histórico
• A partir da década de 80, o cenário mudou e a educação deixou de ter como referência um mero diploma, para se tornar contínua, com o indivíduo como o principal responsável pela sua formação

• Freire (1999) afirmava que “ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção”
© L. A. Burden 2005

ABP: Resumo Histórico
• A sua propagação por outras Faculdades de Medicina foi lenta no início, mas depois se propagou de forma exponencial • O sucesso do método propagou-se então a outras áreas do saber: – Arquitetura, Engenharia, Direito, Negócios etc.
© L. A. Burden 2005

Definição
• A formação tradicional do conhecimento baseiase na orientação cognitiva de um estudante passivo por um professor ativo • Neste modelo, não há incentivo ou espaço para desenvolver o auto-aprendizado

© L. A. Burden 2005

Definição
• A limitação desta proposta fez a comunidade científica buscar processos de ensino /aprendizagem alternativos, para formar: profissionais com visão holística, integrando a ciência com a prática, através do aprendizado ativo e baseado em competências

© L. A. Burden 2005

Definição
• Desta forma, o antigo modelo professorestudante rompeu-se, abrindo espaço para inovações variadas • Dentre elas, a Aprendizagem Baseada em Problemas (Problem Based Learning/ PBL) foi bem aceita no meio acadêmico e na atualidade é reconhecida como o que há de mais moderno no ensino superior
© L. A. Burden 2005

Definição
• A ABP é uma estratégia pedagógica centrada no aluno, que procura que este aprenda por si próprio: – Os docentes expõem um caso para estudo – Os estudantes, estabelecidos em grupos de trabalho, identificam o problema, investigam, debatem, interpretam e produzem possíveis justificativas e soluções ou recomendações
© L. A. Burden 2005

Definição
• A ABP tem como base "os princípios da escola ativa, do método científico, de um ensino integrador dos conteúdos, dos ciclos de estudo e das diferentes áreas envolvidas, em que os alunos aprendem a aprender e se preparam para resolver problemas relativos à sua futura profissão"

© L. A. Burden 2005

Definição
• Tal como o método de Harvard, o método ABP é um método ativo, de construção da aprendizagem, baseado no estudo de casos/problemas • Os alunos são confrontados com problemas contextualizados e pouco estruturados, para os quais se empenham em achar soluções

© L. A. Burden 2005

Definição
• Sendo um método que ocorre em grupos, a ABP permite desenvolver o pensamento crítico dos alunos e construir, em conjunto, soluções mais criativas e novos caminhos já que surgem do trabalho conjunto, mais rico

• O problema é o ponto principal no processo de ABP: serve de estímulo para a aprendizagem

© L. A. Burden 2005

Definição
• É importante que o contexto seja real de modo que o aluno se sinta envolvido e que a colocação das questões seja orientada pelo professor • É necessário que o aluno tenha acesso a fontes de informação, embora estas possam não lhe ser previamente fornecidas, fomentando a pesquisa
© L. A. Burden 2005

Definição
• A partir daí, cabe ao aluno estruturar a sua própria aprendizagem, partilhando ideias e informações em um pequeno grupo, sendo o trabalho de grupo essencial para o processo • No fim, deve haver uma discussão/reflexão das conclusões da investigação, culminando em uma apresentação oral e/ou por escrito

© L. A. Burden 2005

Princípios do ABP
• A participação ativa na aprendizagem é mais produtiva do que a transferência passiva de informações do professor ao estudante • A discussão de um problema/caso em pequenos grupos promove a conexão de ideias e favorece a cooperação em lugar de competição entre os estudantes

© L. A. Burden 2005

Princípios do ABP
• A ABP enfatiza a aprendizagem ativa centrada no estudante, na qual os estudantes são desafiados a problematizar, pesquisar, refletir, dar significado e entender as ciências básicas, uma vez que desenvolvem abordagens para a solução de problemas em um contexto relevante à futura carreira profissional

© L. A. Burden 2005

Princípios do ABP
• A ABP é um poderoso incentivo para a motivação intrínseca do aluno para aprender • A integração de disciplinas também permite uma ênfase em outros aspectos importantes na preparação do aluno, tais como a comunicação, o trabalho em equipe, atitudes, valores e ética profissional

© L. A. Burden 2005

Princípios do ABP
• Os estudantes podem desempenhar um papel importante na transição de um currículo "tradicional" para ABP, seja de forma: – Negativa, expressando o receio de uma educação inferior ou – Positiva, optando por uma abordagem mais autodirigida da aprendizagem

© L. A. Burden 2005

Metodologia
• O desenvolvimento do método apresenta-se dividido em 3 etapas, divididas em passos: 1. Formulação do problema: – Definir o foco e os espaços do problema – Formular perguntas específicas – Reconhecer assuntos em potencial – Levantar conexões
© L. A. Burden 2005

Metodologia
2. Resolução do problema: – Obter referências e fontes adicionais – Encontrar informações para preencher as lacunas identificadas no problema – Uma segunda lista pode ser desenvolvida tendo: "o que necessitamos saber?" – Projetar e conduzir investigações

© L. A. Burden 2005

Metodologia
2. Resolução do problema: – “O que devemos fazer?“: o aluno formaliza iniciativas a serem desenvolvidas e formula e testa hipóteses e soluções possíveis – As questões apresentadas servirão de guia para a pesquisa (textos; internet; entrevistas com experts etc.)

© L. A. Burden 2005

Metodologia
2. Resolução do problema: – Uso das informações para formar um novo ponto de vista, justificável e testável – Etapa mais longa do processo, dependendo dos objetivos fixados, podendo terminar com a validação das conclusões e do método

© L. A. Burden 2005

Metodologia
3. Discussão do problema: – Fase essencial para completar a pesquisa – Conclusões: sujeitas a críticas e debate – É um processo importante para criação e aceitação de conhecimento novo – É necessário sintetizar análises e relatórios científicos de modo a persuadir os demais

© L. A. Burden 2005

Metodologia
3. Discussão do problema: – As conclusões e recomendações devem ser apresentadas oralmente e por escrito de uma forma clara, objetiva e estruturada, sem incluir documentos e estudos de suporte (primeiro momento)

© L. A. Burden 2005

Metodologia
– A apresentação deve ter a seguinte forma: • Conclusões obtidas: Mostrar em que resultaram as pesquisas efetuadas • Resolução final: Apresentar a resolução definitiva, concreta e concisa do problema • Medidas aconselhadas: Aconselhar medidas a adotar, explicadas e analisadas

© L. A. Burden 2005

Metodologia
3. Discussão do problema: – Conduzir debates de pontos de vista ou resultados opostos: discussão do caso – Pode exigir a necessidade de novos materiais que ajudem ao esclarecimento de dúvidas – A realização dos debates pode ser levada a cabo de várias formas, desde que eficientes

© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• Incontestável, em ABP, é que o problema vem primeiro sem leituras prévias, aulas expositivas, ou pesquisa, servindo como um incentivo para a necessidade de saber • Tipicamente, cinco a oito estudantes trabalham de forma cooperativa em um grupo, junto com um ou mais professores facilitadores (tutores)
© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• Os estudantes exploram o que já sabem e o que necessitam aprender de forma a progredir no entendimento do problema • Essenciais ao processo são: a discussão ativa, a análise dos problemas, das hipóteses, dos mecanismos e dos tópicos de aprendizagem

© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• Os problemas ou casos não podem ser resolvidos facilmente somente com as informações iniciais apresentadas • O tutor facilita a aprendizagem sem contribuir diretamente para a solução dos problemas

© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• O tutor ouve e usa as perguntas para explorar e estimular o pensamento dos estudantes • O tutor ajuda o grupo a ampliar o raciocínio e o conhecimento, melhorar a comunicação, adotar comportamentos e atitudes profissionais, bem como a desenvolver habilidades de autoavaliação e de avaliação dos seus pares

© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• Um problema exige 2 ou 3 sessões de tutoria, dependendo do tempo disponível • A rapidez do processo de investigação é ditada pela extensão e complexidade dos problemas

• Uma parte chave do processo é o estudo autodirigido que ocorre entre as sessões

© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• As informações do caso são divulgadas sucessivamente (em lugar de todas de uma só vez): – oportunidade de reavaliar e/ou propor novas hipóteses à luz das novas informações – chance de explorar os conhecimentos relativos aos mecanismos que auxiliam a interpretar o problema
© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• A cada etapa, os estudantes são assistidos pelo tutor e por eles mesmos para chegar ao limite do conhecimento - curiosidade é transformada em exploração e esta em investigação - o motivo central da ABP • As informações adquiridas são aplicadas ao problema, as hipóteses são reavaliadas ou modificadas, e os mecanismos associados são analisados e sintetizados
© L. A. Burden 2005

Funcionamento do ABP (na Prática)
• Depois de um período de estudo independente, os estudantes retornam ao caso, que continua a se desdobrar • Características do aluno que deseja estudar pelo método ABP: – Independência, determinação, senso de responsabilidade, capacidade de comunicação e de organização
© L. A. Burden 2005

Papel do aluno no método ABP
• Participar ativamente no debate • Justificar conhecimentos com referências

• Compartilhar materiais de aprendizagem
• Selecionar os materiais mais importantes para um estudo posterior

• Contribuir para o bom desempenho do grupo
• Construir um esquema sobre suas conclusões e as questões fundamentais abordadas
© L. A. Burden 2005

Sequência do Método de ABP (Resumo)
1. Apresentar o problema 2. Analisar o problema com o conhecimento existente e criar hipóteses de trabalho 3. Definir áreas que precisam mais estudo 4. Dividir tarefas por pequenos grupos para que a pesquisa de informação seja maior 5. Discutir em grupo os resultados 6. Se necessário, reiniciar os ciclos 3 a 5
© L. A. Burden 2005

ABP: Exemplo de Aplicação
1. Formação de grupos (multidisciplinares) 2. Agregação de um tutor a cada grupo

3. Escolha dos assuntos alvo de intervenção
4. Início da intervenção 5. Formulação do Problema/Relatório A1 6. Resolução do Problema/Relatório R2 7. Implementação de Soluções/Relatório Final
© L. A. Burden 2005

Avaliação e resultados do ABP
• Há evidência de que a capacidade de relembrar a longo prazo é melhor nos alunos que passam por currículos de ABP • O tempo de escolarização (conforme taxa de evasão; progresso irregular) para os estudantes de ABP é maior ou igual ao de estudantes em um currículo tradicional

© L. A. Burden 2005

Avaliação e resultados do ABP
• Estudantes provenientes da ABP parecem ter habilidades superiores e melhor desempenho no ambiente que se encontra inserido, quando comparados aos estudantes dos programas tradicionais

• Estudantes da ABP podem apresentar pontuações mais altas nos testes de atitudes, de habilidades e de conhecimento geral e humanístico
© L. A. Burden 2005

Avaliação e resultados do ABP
• Os estudantes que utilizam a ABP estudam para entender e encontrar significado no que estão estudando, enquanto que os estudantes em currículos mais tradicionais estudam mais em um processo de repetição e memorização

© L. A. Burden 2005

Avaliação e resultados do ABP
• Estudantes de ABP usam mais a biblioteca e uma variedade maior de recursos de aprendizagem (de forma autodirigida e não como tarefa definida pelos professores) • Também estão mais satisfeitos, menos estressados e tem atitude mais positiva em relação à aprendizagem quando comparados aos estudantes “tradicionais”
© L. A. Burden 2005

Avaliação e resultados do ABP
• São também inclinados a descreverem seus primeiros anos na escola médica como desafiadores, envolventes e difíceis • Os estudantes dos programas tradicionais descrevem suas experiências como sendo irrelevantes, passivas e maçantes

© L. A. Burden 2005

Vantagens fundamentais da ABP (Resumo)
• Motiva os alunos na aprendizagem • Possibilita o estudo de matérias relevantes

• Permite pensamento crítico e criativo
• Possibilita a participação e decisão dos alunos sobre o processo de aprendizagem

• Permite o estudo de situações reais úteis para o futuro profissional dos alunos
• Cria capacidade de análise, decisão, delegação e trabalho em grupo
© L. A. Burden 2005

Papel do Tutor nas Metodologias Ativas
... o acompanhamento da interferência do tutor deve ser cuidadoso, evitando que o mesmo ultrapasse a condição de moderador do grupo... ... Cabe a ressalva que os próprios alunos, se não estiverem engajados neste processo de ensino-aprendizagem, estimulam esta condição do tutor.
REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA 33 (2 Supl. 2): 2009, p. 6.
© L. A. Burden 2005

Leituras Recomendadas
• Peixoto JP, Teixeira M, Coelho D, Moreira D, Mota PS. Estudos de Caso: O Método ABP. Caso Home Concept, Edição Casos do IESF, Espaço Atlântico, 2006 • Rodrigues MLV, Figueiredo JFC. Aprendizado centrado em problemas. Medicina, RP/SP, 1996;29:396-402 • Berbel NN. “Problematization” and Problem-Based Learning: different words or different ways? Interface Comunicação, Saúde, Educação, v.2, n.2, 1998 • The PBL learning process - www.pbli.org

© L. A. Burden 2005

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->