P. 1
Dificuldades de Aprendizagem Na Leitura

Dificuldades de Aprendizagem Na Leitura

|Views: 295|Likes:
Publicado porMarcio Mendes

More info:

Published by: Marcio Mendes on Sep 20, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/04/2015

pdf

text

original

Maria de Nazaré Daniel Melo Meriam de Jesus Ferreira Dias

Dificuldades de Aprendizagem na Leitura e na Escrita dos Alunos nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental

UNAMA BELÉM-PARÁ 2002

Maria de Nazaré Daniel Melo Meriam de Jesus Ferreira Dias

Dificuldades de Aprendizagem na Leitura e na Escrita dos Alunos nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental

UNAMA BELÉM-PARÁ 2002

Maria de Nazaré Daniel Melo Meriam de Jesus Ferreira Dias

Dificuldades de Aprendizagem na Leitura e na Escrita dos Alunos nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental

Trabalho de Conclusão de curso apresentado ao curso de Pedagogia do centro de Ciências Humanas e Educação da UNAMA, como requisito para obtenção do grau de Pegagogia, orientado pela professora Drª Cely Nunes.

UNAMA BELÉM-PARÁ 2002

“Ler não é caminhar e nem voar sobre as palavras. Ler é reescrever o que estamos lendo, é perceber a conexão entre o texto e o contexto contexto” (Paulo Freire) e como vincula com o meu

Ler é reescrever o que estamos lendo. é perceber a conexão entre o texto e o contexto contexto” (Paulo Freire) e como vincula com o meu .“Ler não é caminhar e nem voar sobre as palavras.

Maria de Nazaré Daniel Melo contribuíram irmãos (Carlos Isaque. Ás minhas filhas: Alessandra e Aline as bênçãos que Deus me deu. e aos meus Marta). Aos demais familiares. João Evangelista. em particular a minha orientadora . Ao meu querido esposo Portal. sua presença constante em me viver. a minha irmã Marta. pela força.AGRADECIMENTOS Agradeço em primeiro lugar á Deus. a vocês amores de minha vida. coragem e determinação. Aos meus queridos pais: Carmélio e Rosa. pelo dom da vida que ele me deu. E finalmente meus agradecimentos são também a todos que diretamente neste ou meu indiretamente Cely Nunes. caminhar. por ter-me feito à mulher que hoje sou. Josué. Salomão. compreensão e carinho que me fizeram crescer e acreditar cada vez mais nos meus ideais. Nazareno. pela compreensão dos momentos ausentes e que as privei de minha companhia. razão da minha luta. pois sei que a minha vitória foi ele quem deu. O meu carinhoso abraço a todos que acreditaram em mim. pelos momentos difíceis.

minha cunhada Lúcia meu irmão todos incentivaram me meu potencial. Aos meus genros Ielde. Rebeca . minha mesmo sogra distante Raimunda. em decorrência de minha ausência. Danielle. Aos Jonas meus e familiares. Valeu companheiro. Henrique que me apoiaram e compreende-me durante o árduo período desta trajetória e acreditaram em minha capacidade estimulam a continuar desta jornada.Primeiramente a Deus inicio de tudo pela existência força e determinação Aos inesquecíveis pais: Maximiano “in memória” e Ma Madalena pelas horas de oração a Deus em meu favor. Josué. Meriam de Jesus . você são a razão de minha força e coragem nesta caminhar. Kézia. que. Aos meus queridos filhos: Geiza. Isaac e noras Warlyce e Adriana e netos Samuel. você me ajudou a concretizar este sonho. Dayton e Gizenda pelo apoio e paciência que demonstraram. Ao meu amado esposo Olímpio Dias pelos momentos em que superou o cansaço e diblou seu tempo para me acompanhar nesta caminhada. A Maria minha secretária particular que pacientemente me espera todas as noites. Daniel.

SUMÁRIO I-Introdução 1.1-A Prática Pedagógica --------------------------------------------------------------------------15 2.1-A importância de pais leitores ----------------------------------------------------------------25 3.2-Alternativa Metodológica para o processo de ensino ----------------------------------19 Capitulo III-----------------------------------------------------------------------------------------------23 A importância da contribuição da escola e da família no processo da leitura e da escrita. e alternativas de ensino---------------------------15 2.2-A importância da leitura e escrita ------------------------------------------------------------27 Referencia Bibliográfica -----------------------------------------------------------------------------31 Anexos --------------------------------------------------------------------------------------------------32 .2Tema em estudo -------------------------------------------------------------------------------1 Metodologia -------------------------------------------------------------------------------------3 Capitulo I--------------------------------------------------------------------------------------------------8 Concepção da leitura e da escrita e as dificuldades de aprendizagem–-----------------8 Capitulo II -----------------------------------------------------------------------------------------------15 Um olhar sobre a prática pedagógica.11.----------------------------------------------------------------------------------------------------23 3.

O estudo se pautou na abordagem qualitativa na realização das atividades. Durante a pesquisa constatamos que as principais dificuldades que os alunos apresentam para ler e escrever. recursos inadequados. não só para a nossa prática pedagógica. contribuindo assim.Resumo A pesquisa apresenta uma análise das dificuldades de aprendizagem na Leitura e Escrita dos alunos em séries iniciais do ensino fundamental. mas também para vocês leitores em virtude de algumas dúvidas a respeito desse conhecimento. através da observação e entrevista com professores e alunos da Escola Municipal República de Portugal. porém enfatizamos os mais importantes como: falta de acompanhamento individual tanto da família como da escola. bem como a responsabilidade da família em manter as crianças na escola. que nos proporcionou compreender o processo de aprendizagem da leitura e escrita. Deste modo estamos estimuladas a avançar nossos estudos. .Sendo assim. são decorrentes de vários fatores. falta de paciência dos professores. consideramos que o presente estudo trouxe-nos resposta satisfatória para nossos questionamentos a respeito das dificuldades enfrentadas pelos alunos no processo da leitura e escrita.

tais dificuldades são presenciadas pelos educadores. encontra-se elementos preponderantes que se associam ao fato do indivíduo desenvolver uma leitura que transcende os livros. . Certamente. Contudo. documentos ou registros e se insere no contexto vivido. o que evidencia uma certa deficiência no desenvolvimento da leitura como prática escolar.1 INTRODUÇÃO 1. da mesma faixa etária seja qual for o determinante desse atraso . posto que a leitura se encarrega de amadurecer o intelecto. Apud Coll et (1995 p. pelo fato da leitura assumir um certo destaque no processo de aprendizagem. Portanto. Para Martin & marches.O TEMA EM ESTUDO A leitura se constitui como um dos avanços à busca do conhecimento sistemático é aprofundado. a partir do momento em que identifica-se bloqueios referentes a leitura.1 . É bem verdade as dificuldades apresentadas pela aprendizagem ganham uma outra conotação. não se dá conta. Abrangem qualquer dificuldade observável pelo aluno para acompanhar o ritmo de aprendizagem de seus colegas. os distúrbios de aprendizagem . o que causa preocupações. o que se configura através de etapas. objetivando inserir o aluno no contexto educacional. a população assim definida é de uma grande heterogeneidade. o que exige uma orientação e apoio. encontra-se algumas dificuldades nesse contexto. O aluno muitas vezes. Ao se fazer uma retrospectiva da história. não sendo simples encontrar critério que a delimite maior precisão. É através desta que o aluno desperta para interpretação dos fatos e ainda sente-se estimulado para desenvolver a aprendizagem.24 ). tem –se que em virtude de não se desenvolver o hábito da leitura. utilizando a aprendizagem em todas as suas dimensões.

Neste contexto. o que dificulta seu acesso á leitura e suas manifestações. compreendendo a necessidade de se desenvolver a leitura como uma das etapas do processo educativo enfatizando-se os aspectos principais norteadores da pesquisa voltada ao enfrentamento dessa problemática e seu redimensionamento. o que numa linguagem atual se reporta às técnicas de redação. a criança absorve o que lhe é preocupante.. Estas desordens são intrínsecas ao sujeito. ditado. Entende-se que cada aluno apresenta sua dificuldade. reconhecendo que na fase inicial. considerando que a cada momento. principalmente quando se refere à leitura e . como interpretação de textos. se difunde em outras.. desatualizados e apresentam muitas vezes uma linguagem complexa. na audição. O dia a dia apresentado pelos alunos que ingressam nas séries iniciais.cópia e etc. na fala.. Essa dificuldade embora comuns. expressar suas emoções. o educador encontra-se diante de alguns obstáculos. mostra-se suas interpretações. da capacidade do aluno desenvolver a prática da leitura e escrita um dos pontos preponderantes ao caminho da aprendizagem. podendo ocorrer apenas por um período na vida. alguns tem bloqueios para escrever. a fim de criar mecanismo para seu enfrentamento. raciocínio ou habilidades matemáticas. posto que são cansativo. o professor precisa estar atento a essas dificuldades. até porque o aluno encontra-se inserido no contexto que exige uma interpretação sistemática advinda do hábito de ler e escrever. presumidamente. devido a uma disfunção do sistema nervoso central. leitura. Nesse contexto. Reconhecendo a importância de se discutir acerca das dificuldades de aprendizagem referentes a leitura e a escrita objetiva-se através deste. que fogem um pouco da capacidade do aluno. no contexto pedagógico. Por se apresentar como uma barreira no processo. falar etc.2 A criança com dificuldade de aprendizagem é aquela que apresenta bloqueios na aquisição do conhecimento. apresentar alguns direcionamentos significativos voltados ao estímulo. a leitura se difunde através de textos.

Referenciar a pesquisa como alvo de discussão e debate . podendo gerar conflito ou dificuldades. 1-2 Metodologia . 3 Com base nessas situações problema.a fim de criar alternativas para o enfrentamento da problemática apresentada. nos perguntamos: • • Quais os principais aspectos que interferem no processo de aprendizagem da leitura e na escrita nos alunos nas séries iniciais do ensino fundamental? Quais as dificuldades vivenciadas pelos alunos no processo de aprendizagem da leitura e escrita? • Que alternativas metodológicas fundamental? podem ser indicadas para o enfrentamento das dificuldades de aprendizagem na leitura e escrita nas séries iniciais do ensino Neste sentido elegemos os seguintes objetivos: Geral: Analisar as dificuldades de aprendizagem na leitura e escrita dos alunos nas séries iniciais do ensino fundamental. Apontar alternativas metodológicas para o enfrentamento das dificuldades da leitura e escrita dos alunos nas séries iniciais do ensino fundamental. se contemporizam com outros. Específicos: Detectar os principais aspectos que interferem no processo de aprendizagem na leitura dos alunos que estão nas séries iniciais da ensino fundamental. Discutir as dificuldades vivenciadas pelos alunos no processo de aprendizagem na leitura e escrita.repassado e incorpora valores que no decorrer da vida escolar.

. p. via de regra através do trabalho intensivo de campo. Na medida que o observador acompanha no local as experiências dos alunos. A observação . Isto.. que foram 04 professores e 04 alunos da séries iniciais do ensino fundamental. recorrer a conhecimentos e experiências pessoais como auxiliar no processo de compreensão e interpretação do que está estudando. No que diz respeito aos instrumentos utilizamos a observação e a entrevista. o estudo se desenvolveu a partir de técnica de observação participante.11 ). o significado que eles atribuem à realidade que os envolve e às suas ações.4 O presente trabalho desenvolveu-se por meio da pesquisa qualitativa. considerando que esta abordagem proporciona resultados significativos na área educacional. Quanto as entrevistas foram gravadas e registradas. os depoimentos dos sujeitos da pesquisa. O campo onde foi desenvolvida o estudo é uma escola Municipal. pode tentar compreender a sua visão de mundo. Assim. Bem como. O estudo objetiva analisar as dificuldades de aprendizagem na leitura e escrita dos alunos nas séries iniciais do ensino fundamental.)A pesquisa qualitativa supõe o contato do pesquisador com o ambiente e a situação que está sendo investigada. Coletamos informações sobre o assunto. localizada no Bairro da Marambaia na periferia. LUDKE & ANDRÉ (1986. no sentido de oportunizar ao pesquisador uma visão mais ampla no cotidiano escolar. além de produzir conhecimentos e contribuir para a transformação da realidade estudada. porque a experiência direta com aquilo que se quer observar é sem dúvida o melhor termômetro de verificação de um determinado assunto. permitindo descobrir através do contato direto do observador com o objeto estudado. suas particularidades pois o confronto da realidade é possível compreender o quadro. vez que esta ocupa um lugar privilegiado na pesquisa educacional. postulam. A pesquisa qualitativa tem o ambiente natural como sua fonte direta de dados e o pesquisador como seu principal instrumento (. No primeiro momento. ou seja.

participanteémuitoútilparasedescobriraspectosnovosdeumproblema. alunos e outros. 5 Segundo LUDKE & ANDRÉ ( 1986. quando através desta obtivemos respostas para nossas dúvidas e . é particularmente útil que ele oriente a sua observação em torno de alguns aspectos. A entrevista gravada tem a vantagem de registrar todas as expressões orais imediatamente. porque ela essencialmente lida com pessoas. o observador inicia a coleta de dados buscando sempre manter uma perspectiva de totalidade. p. possibilidades de efetivação do conhecimento esperado pelo pesquisador. No segundo momento utilizamos a entrevista. Assim as vantagens que a pesquisa qualitativa oferece no âmbito da educação permite conhecer a realidade numa dimensão que o fator humano se apresenta na escola. Para isso.30). sem se desviar demasiado de seus focos de interesse. de modo que ele nem termine com um amontoado de informações irrelevantes nem deixe de obter certos dados que vão possibilitar uma análise mais completa do problema. Com esses propósitos em mente. Na entrevista. A entrevista semi-estruturada é mais livre e mais flexível. Tendo como objetivo obter informações que possam ser utilizados exclusivamente para os fins da pesquisa. É um instrumento convenientemente utilizado para se obter informações de professores. que por sua vez derivam de um quadro teórico geral. p. 37 ). Segundo LUDKE & ANDRE ( 1996. e nesse olhar é importante desenvolver as considerações que se apresentam na vida do sujeito. já que esta é favorável a construção de conhecimentos na pesquisa educacional. deixando o entrevistador livre para prestar atenção ao entrevistador. despontando assim. traçado pelo pesquisador. a relação que se cria é de interação. A coleta de dados foi significativa para o desenvolvimento deste trabalho. Os focos de observação nas abordagens qualitativa de pesquisa são determinada basicamente pelos propósitos específicos do estudo.

sem dúvida foi um movimento de maior resistência do povo paraense.auditório.quadra de esporte. funcionando nos quatros turnos. e que a grande maioria de alunos são crianças favorecida A escola encontra-se construída numa área arborizada. bem conservada. índios. sendo que os turnos da manhã e intermediário atendem a educação infantil e o ensino fundamental e a tarde só o ensino fundamental. 01. 01. e outros. Foi escolhida mediante a sua localização estar próxima a nossa residência.depósitos.sala da direção.auxiliares de secretaria. Os três primeiro turnos. e que futuramente.área de lazer. servirão como base para estudos futuro e conseqüentemente aprimoramento de nossa prática como educadores. 01. 01. pertencentes a classe menos 6 . que não foram citados as quantidades. pertence a rede Municipal de Ensino. Na área administrativa é composta de:01. Ainda conta com 01.sala de laboratório. pequenos proprietários de terra e outros que alimentavam o sonho de liberdade e cidadania contra o desrespeito que imperava em nosso estado pelo imperalismo europeu .copa para lanche dos alunos. A escola cabana recebeu este nome em homenagem ao movimento Cabano que. 01.questionamentos acerca das dificuldades de aprendizagem da leitura e da escrita nos alunos em fase iniciais. 01.O corpo docente: 64 professores. já o corpo técnico conta com: 03. é trabalhado a organização da Escola Cabana em ciclos de formação de alunos. foram as maiores virtudes para a explosão da exclusão social que reinava no século XIX. 02. local de nossa pesquisa.sala de informática. 01. 03.sala de professores. 03. 14 banheiros. murada. 01diretor. Nesta escola estão matriculados 1.620 alunos. merendeiras. O movimento agregou diferentes segmentos da sociedade paraense: os negros.sala de técnica.bibliotecária. 01-sala de leitura.01.supervisores educacionais. As injustiças sociais.secretaria. como porteiros.agente administrativo. 01. contendo: 15 salas de aula.vice-diretor. 01. salas iluminadas e ventiladas. 01.orientadores educacionais.sala para trabalhos burocráticos da escola. 6 7 A escola. e a noite a educação para jovens e adultos. 01.

Através da pesquisa qualitativa obtivemos informações acerca do tema do nosso Trabalho de Conclusão de Curso. socializadora e facilitadora da construção de sua auto – estima e identidade cultural. Mediante isto organizamos o nosso estudo em capítulos que são. que vem romper com lógica fragmentada do processo escolar e flexibilizar os tempos de aprender – ensinar – desenvolver. Para efeito das respostas vamos denominar os professores de P e os alunos de A. I – Concepção de Leitura e escrita e Dificuldades de aprendizagem II – Um Olhar sobre a Prática Pedagógica e alternativa metodologia de ensino. possibilitando ao professor 7 uma formação global humanizadora. considerando – se em sua estratégia para garantir a educação escolar como direito de todos.Como já citamos esta escola organiza a educação em ciclos de formação de alunos. Dificuldades da Aprendizagem de Leitura e da escrita dos alunos nas séries iniciais do Ensino Fundamental. III – Contribuição da Escola e da Família no Processo de ensino e aprendizagem .

Esse processo se desenvolve a partir da construção intelectual. diz que a leitura e a escrita é entendimento que o ser humano tem a respeito da vida para tirar suas conclusões. e a professora P 4. A professora P 2. A professora 1 relata que a leitura e a escrita são processos que a criança passa em contato com diversos tipos de texto. P4 A leitura e escrita são as primeiras significações que a criança necessita para conhecer e dar significado a coisas e objetos. fala da leitura e a escrita como as primeiras significações que a criança necessita para conhecer e dar .ou seja. Esse processo se desenvolve a partir da dimensão intelectual. Ao observamos as falas dos professores.com o que pode ou não ser lido P2 Entendimento que o ser humano tem a respeito da vida.a criança vai construindo a sua representação de acordo com suas hipóteses.uma leitura do mundo para tirar suas conclusões P3 É o processo que a criança desenvolve desde os primeiros contatos com livros.em contato co diversos tipos de textos. revistas jornais e prossegue até ter o domínio da leitura e da escrita. analisamos a concepção que cada um tem a respeito da leitura e escrita.8 Capitulo I CONCEPÇÃO DE LEITURA E ESCRITA.Pois através da leitura e da escrita ela se insere no mundo em que vive passando a conhecê-lo melhor. E DIFICULDADE DA APRENDIZAGEM Baseado nas respostas dos professores e alunos faremos uma análise com as informações obtidas com o intuito de darmos consistência ao nosso trabalho P1 A leitura e a escrita é um processo que o sujeito começa a desenvolver desde criança. e vai construindo suas hipóteses com o que pode ou não ser lido.

isso. A leitura do mundo precede a leitura da palavra.Porque hoje em dia quem não sabe ler e escrever está ferrado. durante seu processo de construção de conhecimento A1 Aprender mais.9 significado as coisa e objetos.para poder ficar por dentro de tudo o que esta ao nosso redor. de ampliação das condições de convívio social e de interação . De fato. pois é através da leitura e da escrita que ela vai se inserir no mundo para conhecê – lo melhor .que para nós que somos pequenos. até a fase adulta. A linguagem oral e escrita revela-se imprescindível ao processo de comunicação. daí que a posterior leitura desta não possa prescindir da continuidade da leitura daquele. na compreensão do ato de ler o mundo particular que move a criança. a leitura do mundo.é preciso saber ler e escrever.conhecer coisas novas. A compreensão do texto a ser alcançado por sua leitura crítica implica percepção das relações entre o texto e o contexto. Concordamos com as definições dada pelo professores entrevistados .Segundo FREIRE ( l989 ). onde lê é uma gratificação.para saber o que está escrito nos livros.não tem nada para ele vai ser um Zé ninguém A2 . em que há um verdadeiro aperfeiçoamento técnico. a primeira leitura que a criança aprende a fazer é a das relações familiares. Linguagem e realidade se prendem dinamicamente. Freire também destaca a importância da primeira experiência existencial. a promessa e a ameaça. de aquisição de conhecimento e de enriquecimento cultural. do pequeno mundo. A leitura é atribuído um valor positivo absoluto. ainda não conhecemos para. Uma forma de lazer e de prazer. Trata-se de uma questão que deve ser especialmente trabalhada na fase infantil. Entendemos que a aprendizagem da leitura e escrita se inicia desde o nascimento com a imitação de sons articulados. como detentora de benefício óbvios e indiscutíveis ao indivíduo e à sociedade.

vou lendo tudo o que eu vejo.não tem nada para ele vai ser um Zé ninguém A3 É saber o que existe na minha cabeça. o aluno que não souber ler e escrever terá muitas dificuldades.para poder ficar por dentro de tudo o que esta ao nosso redor. Observamos que os alunos entrevistados possuem uma visão coerente sobre o que é e escrever. O aluno P 3 diz que ler e escrever é estar preparado para seguir os estudos.vou sabendo o que está escrito.isso.Porque hoje em dia quem não sabe ler e escrever está ferrado. ainda não conhecemos 10 para.conhecer coisas novas.e também eu vou escrevendo tudo o que eu leio.nos livros nas revistas. perceber que cada símbolo gráfico tem um correspondente sonoro .Aprender mais. observamos que o aluno A1. andar de um lugar para o outro. mas vejamos o que MORAIS ( 1995.é preciso saber ler e escrever. entrevistados. A4 Para mim ler e escrever é conhecer as palavras. escrever é entender o que está dentro da sua cabeça.que para nós que somos pequenos. fala sobre a leitura e a escrita. No inicio do processo a criança tem que diferenciar visualmente cada letra impressa e . O aluno A 2 comenta que.os ônibus nas ruas da cidade. palavras e o relacionamento deste símbolos com os sons que ela representam .onde eu vou passando.respondeu que ler e escreve é conhecer coisas novas. que envolve a discriminação .para saber o que está escrito nos livros. é saber o que estar a sua volta no seu cotidiano. Este processo inicial da leitura . passará muita vergonha. O aluno P 4 responde que ler e escrever é conhecer primeiro letras para depois formar palavras. é ficar por dentro de tudo que esta ao seu redor. Fala da importância deste ato de ler e escrever para não ser um “ Zé ninguém “. não saberá ler as placas dos ônibus e ficará mais difícil a vida.nas placas que encontro nas ruas. A leitura envolve primeiramente a identificação dos símbolos impressos letras .A gente primeiro conhece as letras e depois junta elas nas palavras Ao analisarmos o quadro de respostas dos alunos. p. não poderá locomover-se na cidade.20 ).

(1995. mas a minha professora sempre me pegava para ler. para que este adquira conhecimentos posteriores mais significativos. e eu ficava gaguejando até ela mandar eu parar e me mandava sentar. Cócco e Hailer (1996. pode-se afimar que. na escrita a relação estabelecida é entre SOM – SIGNIFICADO PALAVRA IMPRESA (que é o que se escreve ) afirma MORAIS.visual dos símbolos impressos e a associação entre PALAVRA IMPRESA E SOM . p. e passei por muita vergonha quando a professora mandava eu ler. sempre eu dava uma desculpa para não ler. torna-se um usuário da leitura e da escrita . Dificuldade de aprendizagem da leitura e da escrita Quando indagamos a respeito das dificuldades encontradas na leitura e na escrita os alunos responderam da seguinte maneira: Eu já tive muitas dificuldades na leitura mais do que na escrita. é chamado 11 de codificação e é essencial . Sabia que todos os meus colegas iam rir de mim. Segundo alguns estudiosos a aquisição da escrita e leitura é algo mais complexo do que um simples processo mecânico de memorização e treino. mas não sabia ler o que estava escrito. É na Sabemos que a leitura e a escrita é de fundamental importância para o aluno e a partir desse processo que esses alunos poderão criar seu próprio e ter noção do mundo que vive.p. este ato é o inverso leitura . podendo contribuir durante o seu conhecimento crescimento para mudança significativa.7) . Cabe à escola propiciar um ambiente alfabetizador que favorece esse processo. alfabetização que a criança adquire a base para aprender a ler e escrever . Se a leitura se estabelece uma relação entre PALAVRA IMPRESA – SOM -SIGNIFICADO.21 ) Verificando este quadro com as resposta dos alunos entendemos que a aprendizagem da leitura e da escrita é de grande importância para a vida do aluno. elucidam que : Aprender a ler e escrever é apropriar-se do código lingüístico . pois eu sabia escrever tudo. para que a criança aprenda a ler No que se refere à escrita . (A1) .

A escolaridade elementar. e também nas palavras grandes. para que se atinja o restante desempenho escolar.) . eu aprendi a ler e escrever na minha casa com os meus pais. Eu não aprendi a ler e escrever na escola. me explicava o que não sabia. Quando comecei a estudar minha mãe pegava o trabalho que levava da escola e fazia tudo de novo. como os gracejos contribuem para a ausência da liberdade de expressão. pois acho que a minha professora do CB1 deveria ter visto essa falha antes de ter terminado o ciclo. (MORAES. Entende-se que numa fase inicial as competências da leitura e escrita são os conteúdos básicos da aprendizagem. Isso nunca vou esquecer. assim fui aprendendo. Antonio M. Elas soam difíceis para eu ler. (A3) Observa-se nas palavras dos alunos que o ambiente produzido na sala de aula.12 Tenho muita dificuldade na leitura. fui para outra cidade . também as vezes esqueço as sílabas quando estou lendo. a crítica recebida dos colegas e outras maneiras de manifestação existentes. (A2) Agora já não tenho tanta dificuldade. Segundo o Nacional Joint Committee of Leaming Disabilities. amplia o bloqueio do aluno em relação a aquisição da leitura e escrita. mas no início já tive. pois eu passei de ciclo sem saber ler. pois o medo de errar. em diversos momentos. porque não sabia ler o que escrevia. a leitura e a escrita constituem aprendizagem de base e funcionam como uma mola propulsora para todas as aprendizagens escolares e elevar a auto-estima do aluno. eu vou lendo muito devagar. A minha maior dificuldade está na troca de letras. numa fase posterior constituem o suporte e técnicas a dominar. o professor ao assumir a autoridade em sala de aula de maneira negativa. Em muitos casos. revela-se inibidor da aprendizagem. Passei um ano na primeira série porque não sabia ler. P. As competências da leitura e escrita são consideradas como objetos fundamentais de qualquer sistema educativo. mas a minha mãe e meu pai me ajudaram bastante. fui rebaixado para a primeira série.

e da dislexia.é claro que essas crianças que convivem com esses pais vão desenvolver a leitura com clareza . Já que os professores são importante neste processo. vem suscitando desde há muito tempo o interesse de psicólogos. com respostas lentas e vacilantes e com comprometimento do texto lido. em geral. Nesse caso é relevante a escola promover um ambiente que favoreça a construção da leitura e escrita numa perspectiva favorável a respeito das diferenças de aprendizado que a criança apresenta e o professor é peça fundamental nesse processo. em particular. Esses transtornos tem sido chamado de dislexia.A leitura oral é marcada por omissões. escolarizadas sem qualquer perturbação sensorial e psíquica já existente. Pensa-se que o ambiente em que se processa a construção da leitura e escrita deve favorecer a criança a expressar seu pensar de acordo com o entendimento que ela tem das informações que lhe são apresentadas. professores e outros profissionais interessados na investigação dos fatores implicados no sucesso e/ou insucesso educativo. A perturbação na leitura interfere.bem como os outros.As vezes desenvolvo duas metodologias para atender a todos.pais que gostam de ler. 13 Pode-se definir dislexia como sendo uma dificuldade duradoura da aprendizagem da leitura e aquisição do seu mecanismos em crianças inteligentes. vejamos agora o que eles fazem quando percebem em sua turma alunos com dificuldades na leitura e na escrita P1Procuro realizar atividades que trabalhe tanto com os que já sabem ler e escrever.mesmo sabendo que é mais trabalhoso.tem hábitos de leitura.Pesquiso essa questão e trabalho na sala de aula.pois a nossa vida é um contexto.e a escrita com mais facilidade. 1999) As dificuldades de leitura e escrita. P2 Há diferença entre alunos que vivem no meio de leitores.o conhecimento é .pois na turma há 29 alunos. e por que estão na escola.Buscando sempre a contextualização. significativamente no rendimento escolar.os alunos precisam saber o que é ler e o que é escrever. distorções e substituições de palavras. (FONSECA.

visando a superação do problema. tanto os que já sabem ler. . como os que ainda não.faço um trabalho paralelo com os professores das salas de ambiente. diz que faz um trabalho paralelo com os professores das salas de ambiente. ás vezes procuro conhecer os pais para saber se podem auxiliar. dos alunos para saber se existe um ambiente foi saber que existe uma certa preocupação dos professores em pesquisar a família aprendizagem. Enquanto o P4. e com o PPA. Ao analisarmos as respostas observamos que o P 1. utiliza duas metodologias para atender. Já o P 3. Enquanto o P 2 faz uma sondagem para saber os que vivem no meio de pais leitores.então essa dupla ação é tomada.contextualizado. pois quando ele é alfabetizador.Até os alunos com dificuldades na leitura e na escrita superem tais dificuldades. com a finalidade de vencer as dificuldades dos alunos. Isto fica claro no depoimento do P 2 e P 4. 14 A atenção individualizada é necessária. É relevante considerar o ambiente que a criança vive. para depois sim fazer o seu trabalho. visando Mas o que chamou-nos a atenção favorável para o processo de a superação dos problemas de leitura e de escrita.aí sim eu começo a fazer o trabalho que já citei.Procuro fazer um trabalho de conquista para que tenham confiança em mim. melhores oportunidades se expressam para o êxito escolar do aluno. visto que o ambiente familiar contribui significativamente para o desenvolvimento da leitura e escrita. Nesse caso considera-se como fator articulador na aquisição do processo de alfabetização o domínio e o desenvolvimento de escrita. para desenvolver um trabalho de dupla ação. P3 Como já comentei. ressaltando em melhoria qualitativa no processo de aprendizagem da criança. trabalha procurando conhecer a família com os alunos dando uma atenção individual.

participando de um processo histórico em movimento. num constante processo de discussão e reflexão crítica. o dinamismo e a força do mundo. dos grupos humanos. a pesquisa. favoreça e estimule a presença... Seu conteúdo correto é motivar o processo emancipatório com base em saber PEDAGÓGICO E ALTERNATIVAS . a discussão. a existência. o debate e o enfrentamento de tudo que se constitui o ser. 2.15 CAPITULO II UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA METODOLOGICAS PARA O ENSINO. da sociedade humana. Mas para isso é preciso que o professor esteja consciente que: . mas entender a sala de aula como espaço que permita. A teoria está em consonância com o cotidiano. do homem. torna-se plena de significados. ensinar já não significa transferir pacotes sucateados. A aprendizagem. O compromisso do professor comprometido com a desmistificação das relações sociais torna-se premente a partir do momento em que o professor deve não só ter clareza teórica.1. as evoluções.A PRÁTICA PEDAGÓGICA A prática pedagógica centra-se em um caráter contextualizador e histórico. existindo numa realidade localizada geográfica e temporalmente. nesta ótica. nem mesmo significa meramente repassar o saber.

( Demo. criativo. 1993 p.) . O professor ainda está arraigado ao modelo de sua formação e poucos percebem problemasquesurgemnasaladeaulaenaescola. Trata-se. como: desinteresse da família. (. ( 1999.. controlar a competência de quem aprende.crítico. é preciso ser levado em conta para que seja feito alguma coisa para entender tais dificuldades. Não interessa o discípulo mas o novo mestre. 23 ). que divide papéis pela forma do autoritarismo. atualizado. 16 Segundo Queluz. condições econômica precária e procura-se atribuir a responsabilidade a causas externas. não é assim que o trabalho do professor se dá na escola. estruturas. que muitos dos .. p. de capacitação em serviço. há necessidade de construção de uma nova competência pedagógica. p. competente. repetência.. A realidade das escolas. mas sobretudo confronto dialético.. Todas as dificuldades que se apresenta no trabalho docente com os alunos.26 ). Entre o professor e o aluno não se estabelece apenas hierarquização verticalizada. Funções ou ambientes físico ( embora tudo isso possa estar relacionado a essas mudanças ) e levado a efeito através de seu aperfeiçoamento continuo. 153 ). É preciso trabalhar com o professor. entendendo-se por : Todas as atividades nas quais os profissionais se envolvam quando estão em serviço e que são estruturados para contribuir para a melhoria do seu desempenho.. Este alimenta-se da realidade histórica formada por entidades concretas que se relacionam de modo autônomo.estãoemfunçãoda própria ação docente diante do conhecimento. Nas palavras de Pereira ( 1992. de aperfeiçoamento de recursos humanos. Isto é alcançado através de mudanças nas pessoas e não em regras. mostra o contrário. como sujeitos sociais plenos. não de cercear. mas de abri-lhe a chance na dimensão maior possível. É uma atividade que possui objetivos definidos e está comprometida com mudanças em indivíduos ou sistemas organizacionais. temer. Esses condicionamentos são influentes. educação em serviço.

a partir do diálogo com a atividade na construção. operativo. p. p. equilíbrio. crítica. tanto a teoria quanto a prática têm papel assegurado nesse processo. conviver com as mudanças nos contextos educacional e social. e criativa. 28. desequilíbrio na construção do novo. 29 ). incerteza. buscar-se escapar da dicotomia apenas funcional. porque as teorias são como mapas que ajuda a viajar em busca da realidade sem a qual não se faz sem história. evitando a simples justaposição ou associação que encaminharia para uma atividade 17 serviçoexigeadefiniçãodoprofessorea respectiva competênciadeleexigida. no movimento dialético ação-relexão-ação. o confronto entre pontos de vista diferenciados e a partir daí uma nova competência. é necessário que haja uma trabalho coletivo que propicie. 28 ). Para isso é preciso considerar que o planejamento de programas de formação em entre teoria e prática. De acordo com QUELUZ. ( 1999.da abordagens de currículo mais moderno dos conhecimentos exigidos atualmente e interesses de profissionais envolvidos É importante a participação direta dos profissionais na elaboração reelaboração do saber e do acelerado desenvolvimento tecnológico por que passa a sociedade.Nessa visão é possível entendermos que uma nova competência pedagógica se origina na própria prática. indo além das atividades . certeza. Entendemos que esse profissional reflexivo em sua prática pedagógica deve ser sensível a apreensão de possibilidades alternativas: deve ter consciência de que é passível de erros. A melhor maneira de construir a competência pedagógica é possuir a instrumentação para viver. esteja sempre se questionando sobre o seu saber. reconstrução do conhecimento. no debruçar-se sobre ela. ( 1999. Na verdade busca-se a construção de uma prática pedagógica que seja reflexiva. Para QUELUZ. Para que o educador esteja atento para segurança. insegurança. o seu fazer e o seu saber fazer em sala de aula. tanto profissional quanto da escola.

o professor reflexivo tem de ponderar sobre os resultados inesperados de sua ação. vejamos o que os educadores entrevistados responderam a pergunta: Como é desenvolvida a sua prática pedagógica para alcançar os objetivos educacionais? P1. 9 ). É a busca constante de dados da realidade em que o professor esta inserido. para eles superarem tais dificuldades.imediatistas tendo em mente o tipo de homem que se quer formar. para. Além do mais. tendo em vista os fins educativos estabelecidos coletivamente no projeto político pedagógico da escola.mas fazendo um trabalho paralelo com os alunos que tem dificuldades na leitura e na escrita. ( Ribas et al.isto é.Procuro estabelecer minha prática sempre buscando alcançar os objetivos da escola. realmente. Compreendemos que é esse o profissional que. 4995. dada a complexidade da prática pedagógica. mas se está satisfeito com os resultados alcançados. mas também na prática. os dados da prática. para. pela açãoreflexão. respeitando os alunos. os dados da prática. não gosto de encher o quadro de conteúdo. não só perguntar-se se os objetivos propostos foram atingidos.é a busca constante de dados da realidade em que o professor está inserido. isto é. P2. sem perder os vínculos com a realidade social global. pela ação-reflexão-ação. eu dou o básico o necessário. não só no discurso ou na teoria. do saber da experiência. bem como os outros colegas de trabalho. compreendê-la e modificá-la. não pensando só no conteúdo. 1 18 A prática pedagógica reflexiva no âmbito escolar. os imprevistos estão sempre mesclando os resultados previstos. tendo em vista os fins educacionais estabelecidos coletivamente no projeto político pedagógico da escola. Ao considerar os resultados do seu trabalho. p. compreendê-la e modificá-la. do saber da experiênciasem perder os vínculos com a realidade social global.Faço atividades diversificada não deixando o aluno só lá atrás. efetivará uma prática pedagógica reflexiva no âmbito escolar. para a ação. Diante desta análise. uma vez que. .

Quando os alunos conseguem acompanhar o conteúdo de ensino. Entendemos que a prática pedagógica hoje tem de ser mais do que a transmissão de conteúdos sistematizados do saber.A prática pedagógica é desenvolvida de acordo com a situação que a turma manifesta. Ao analisarmos as respostas dos professores. programado para a escola e que supostamente deveria ser transmitido pelo professor de maneira tal que o aluno dominasse. O que percebemos nesses relatos é a preocupação com aquilo que se poderia chamar de redimensionamento do conhecimento. A prática pedagógica reflexiva o professor deve refletir sobre o seu próprio trabalho e as condições sociais em que o seu exercício profissional está situado.P3. sempre com o cuidado em alcançar os objetos educacionais. p 2 e p 4. O mencionado projeto implícito. Com certeza deve incluir a aquisição de hábitos e habilidades e a formação de uma atitude correta frente ao .buscando alcançar os objetivos propostos pela escola.Procuro desenvolver a prática sempre com o objetivo de superar as dificuldades dos alunos . pelo menos daquele conhecimento definido. P4. uma prática voltada para os alunos com dificuldades na aprendizagem. deve ser o guia as ações dos profissionais da educação. p 1. verificamos a preocupação dos educadores em desenvolver uma prática docente buscando alcançar os objetivos proposto no projeto pedagógico. 19 Podemos observar que existe boa vontade dos professores em desenvolver sua prática a fim de atender às necessidades dos alunos. ela é desenvolvida de acordo com o planejamento pedagógico da escola. Esse projeto histórico construído cotidiano traduz-se para o professor num projeto pedagógico. ao contrario são feitas adaptação. Verificamos também no depoimento do p 2. presente em sua consciência.

Mais televisão e uma antena parabólica que funcionasse.poisemalguns momentos ele não sabe o que fazer. (A2) Deve-se estabelecer um programa que venha melhoraraqualidadedoprofessor. mais computadores. para a gente conhecer melhor nossa cidade e depois a gente. mais televisores e principalmente televisão. pois a que temos aqui na escola nunca funciona. pois os que tem são muito pouco não dá nem para a metade da turma. passeios pela cidade.2 Alternativa metodológica para o processo da leitura e da escrita Os alunos ao serem indagados como a escola poderia trabalhar para melhorar o aprendizado da leitura e escrita. Observa-se a falta de recursos como 20 mais maquinas para tirar xerox de nossos trabalhos. escrevia tudo o que tinha visto nos passeios. (A1) Os professores deveriam ter mais atenção com os alunos que não sabem ler e escrever. Também é necessário mais recurso. quando se sta trabalhando no computador e começa a descobrir alguma coisa. o nosso tempo já acabou. é fundamental que o educador enfrente o desafio de compreender os tempos novos para abarcar os anseios das novas gerações auscultar os rumos do futuro. o aluno deverá ser capaz de contexto de vida.próprio conhecimento. expressa-se da seguinte maneira: É necessário que sejam disponibilizados maiores recursos materiais que favorecem a reprodução de materiais disponibilizando nossa leitura e escrita. vez que. Também mais computadores. amplia-lo e de reconstruí-lo. (A3) . quando necessário. 2. mais livros para trabalharmos. além de aplicá-lo em situações própria do seu Portanto. e aí é só na semana que vem. como livros revistas e outros materiais que facilitam o trabalho da escola. livros diferen tes e que esses livros não fossem de difícil leitura e compreensão. mais computadores. e com mais espaço para a gente escrever neles.

em outros casos. mas a professora às vezes não deixa. A desvalorização do mundo infantil é caracterizada no momento que a professora inibe a manifestação da brincadeira. é possível desenvolver oportunidades de acesso à leitura em melhores condições dos alunos. do jogo. O trabalho conjunto entre a administração e o quadro técnico pode ser favorável à melhoria da qualidade do ensino metodológica apresentada. o quadro apresentado na escola. P3 . (A4) Entende-se que os recursos para o ensino da leitura e escrita e as metodologias de ensino devam ser objetos de amplas reflexões nas escolas. voltados ao aprendizado do aluno. na perspectiva P1 Livros. conforme o nível da turma.vídeo. em diversos momentos. Assim. Quando os professores desenvolvem pesquisas no sentido de conhecer em melhores proporções as alternativas que favoreçam o aprendizado infantil. correr com os meus colegas. vejamos a metodologia usada pelos professores entrevistado. mas o que eu gosto mesmo é de brincar aqui na escola. Em muitas situações os materiais estão disponíveis mas o professor não sabe como usá-los. isso é com a professora. revistas. pois cada texto trabalha vários assuntos.televisão. no sentido de possibilitar a elaboração de um processo educativo favorável a aquisição da leitura e escrita em níveis qualitativos.computador. Antes de analisarmos o quadro. é marcado pela repressão e inibição do processo educativo voltado a emancipação dos sujeitos por isso é necessário se estabelecer na escola condições que facilitem o trabalho pedagógico 21 através de recursos favoráveis a melhoria do ensino. merecendo de manutenção. estão danificados.jogos.Eu não sei. a interdisciplinaridade. P2 Trabalho com textos. da interação da criança com outras e nesse caso impede-se o desenvolvimento do dialogo entre as crianças.

constatamos que. quem ensina. o resultado não é automático. o modelo e o processo metodológico garantem permanentemente a consecução dos objetivos explicito. como uma proposta pedagógica capaz de desenvolver processos educativos de análises. conforme o nível da turma. Sendo assim. necessita de alguns procedimentos ou. esperado no processo educativo. ditado específico e também é feito um trabalho de 45 min. P4 Posso dizer que uso o método tradicional. trabalho primeiro as famílias das letras. justamente para esses alunos com dificuldades na leitura e na escrita e também outras dificuldades. isto.Até mesmo porque outros métodos são difíceis de serem aplicados aqui na escola Verificamos neste quadro que as P1. numa função educativa desenhada nessa metodologia. Entendemos que o aprender fazendo supõe experimentar vivencialmentesituações deaprendizagem nasquaisos objetivos sejam suficientemente operacionais para que sejam traduzidos em atividades e acontecimentos que mediante procedimentos e técnicas adequadas. utiliza a cartilha. tanto a P 1 como a P2 e P 3 utilizam os princípios da teoria construtivista com seus alunos. quem aprende. utilizando. depende do método. Pesamos que os recursos utilizados pelos professores precisam ser objeto de grande reflexão para que haja um avanço na aprendizagem na leitura e escrita. ou mais nas aulas de ambiente que: sala de leitura. sala de recurso. A partir da análise deste quadro. Essa transformação da realidade. Para pensar essas questão se faz necessário refletir que a realidade não se transforma unicamente porque os conteúdos de um programa assim pretendem e 22 dispõem. revistas televisão. em função dos que se organizam. que necessariamente participa quem dirige. o caminho a seguir nos leva a um método de “aprender fazendo”. enquanto a P 3 além de usar esses instrumentos utiliza também as salas ambientais para atender as dificuldades apresentada no processo de leitura e de escrita. Enquanto a P 4 utiliza o método tradicional.Uso diversos tipos de jogos. acreditamos que baseado numa metodologia ativa. desencadeiam um processo de ser avaliado experimental e cientificamente. . livros. P 2 trabalham de forma diversificada no processo de aquisição da leitura e escrita. obstáculos e conjunturas que exijam transformações e respostas criativas. Portanto. e ainda é feito o PPA (Programa pedagógico de apoio). Uma metodologia que apresente tarefas. Porém a P 4 trabalha com as famílias. depois vou ampliando conforme eles vão se desenvolvendo.

demonstrando que é em seu interior. que sofrem modificações no âmbito escola e posteriormente se tornam instrumentos de interação e mudança social. . REGO (1994) confirma essa inter-relação de saberes ao afirmar que: Ao interagir com esses conhecimentos. o saber sistematizado. o ser humano se transforma: aprende a ler e escrever.23 CAPITULO III A CONTRIBUIÇÃO DA ESCOLA E DA FAMÍLIA NO PROCESSO DO APRENDIZADO DA LEITURA E ESCRITA Vygotsky evidencia essa função da escola para o desenvolvimento do individuo através do ensino aprendizagem. bem elaborado o saber socialmente “aceitável”. que serão substanciados os saberes cotidianos em saberes científicos. sendo que aqueles correspondem aos saberes construídos no âmbito extra-escolar e estes referem-se aos saberes construídos no interior das escolas.

(A4) Percebe-se nas falas das crianças que apesar da escola representar um aspecto importante no seu aprendizado. (A2) Ajuda a conhecer as letras do alfabeto. construir significados a partir das informações descontextualizadas. tem muitas coisas que a gente não consegue aprender na escola. lidar com conceitos hierarquicamente relacionados são atividades extremamente importantes e complexas. mas pouco se não tiver alguém que lhe ajude em casa vai ser difícil. Agora já conheço muitas palavras. modifica sua relação cognitiva com o mundo (. de inserção e atuação em seu meio. na medida em que a criança expande seus conhecimentos. (A1) responderam da 24 Sim. mas também a ser bom cidadão.. os nomes dos animais. que possibilitam novas formas de pensamento. e ter boas maneiras e ser educado e preparado para a vida lá fora que é muito difícil para todo mundo.. principalmente para aqueles que não sabem ler e escrever. pois a sala de aula tem muitos alunos e não dá para a professora atender a todos. ampliar seus conhecimentos.obter o domínio de formas complexas de cálculos.) (p. porque quando cheguei aqui não sabia muita coisa. tudo o que a gente quer saber para passar de ano. mas nem tudo. Isso quer dizer que as atividades desenvolvidas e os conceitos aprendidos na escola (que Vygotsky chama de cientifico) introduzem novos modos de operação intelectual: abstrações e generalizações mais amplas acerca da realidade (que por sua vez transformam os modos de utilização da linguagem). na maioria dos casos ela não é .o conseqüência. se não tiver uma mãe legal que lhe ajude em casa aí fica difícil. 104) As crianças ao serem indagadas a respeito do papel que a escola representa no processo de desenvolvimento da leitura e escrita seguinte maneira: A escola muito tem me ajudado. sempre fica alguém prejudicado. não só ler e escrever. (A3) Eu acho que sim. ajuda.

a criança constrói seus conhecimentos numa relação dialética com o mundo em que vive. 25 educadores ao refletir sobre o papel da escola no processo de aquisição da leitura e da escrita apontam para a necessidade de elevar a qualidade dos recursos humanos para atender os alunos. Enfim. Porém os alunos ressaltam o quanto a presença do adulto. Diante desses aspectos revelados. Segundo MARTINS (2000) a escola ao possibilitar o aprendizado da leitura e da escrita auxilia o homem a integrar-se na vida social. do outro. Assim o papel que a escola representa na vida da criança é importante no sentido de oportunizar o acesso ao conhecimento em bases sistematizadas. diante da sociedade. . os pais. capaz de elevar o nível de apreensão da leitura e escrita. No pensamento expresso por NUNES (1992) é na escola que se revelam em muitos casos problemas relacionados aos distúrbios da leitura e da escrita e quando diagnosticado a tempo é possível ser corrigido. de modo que alguns. eles revelam que a escola apresenta limites que não consegue atender na localidade o processo educativo humano.o único local em que ela aprende. Entende-se que a escola através do acompanhamento sistemático do aprendizado dos alunos é possível desenvolver um trabalho qualitativo. a escola assume papel destacado no processo educativo através da elaboração do conhecimento sistematizado que favorece o desenvolvimento do aluno. seja ele o professor. visto que em nossa sociedade letrada é observado o valor dado a aquisição da leitura e escrita de modo que o contexto escolar é o espaço favorável a apreensão do conhecimento. é relevante na apreensão do conhecimento. ou outros adultos que convivem com os alunos. mas é uma somatóriade atividades que a criança vivência permitindo apropriar-se do conhecimento. de modo que a sua função na sociedade capitalista é instrumentalizar o homem para seu papel social. É a partir do domínio da leitura e escrita que o homem constrói a sua sobrevivência. Assim. é necessário a escola proporcionar condições a criança se apropriar da leitura e escrita em dimensões favoráveis ao seu aprendizado qualitativo. Portanto. Nessa perspectiva REGO (1998) aponta que o desenvolvimento do aprendizado do aluno incide na participação do adulto. Assim não é apenas a escola que contribui nesse aprendizado.

Nas palavras de Benzer & Luckmann (1973. Ela voltou a estudar e só vive com livros na mão lendo e também escrevendo. revistas. é aquela entre a socialização primária e socialização secundária. já a minha mãe gosta de ler livros. e em virtude da qual torna-se membro da sociedade. sem falar que não tem paciência para ensinar. mas não tem muito tempo para me ajudar nas lições de casa. pois ela estuda. A socialização secundária é qualquer processo subseqüente que induz um individuo já socializado em novos setores do mundo objetivo de sua sociedade”. “a socialização primaria é a primeira socialização que o individuo apresenta na infância. e tem muitas palavras difícil que ela não sabe. O mundo interiorizado na socialização primária torna-se muito mais firmemente entrincheirado na consciência do que os membros interiorizados nas sociedades secundárias Benzer & Luckmann (1973. p. 3. as crianças responderam da seguinte forma: Meu pai gosta de ler revistas. (A2) Na minha casa ninguém gosta de ler.1. visando o desenvolvimento do homem na sociedade que vive. 180) 26 Ao serem indagados a respeito da presença do hábito da leitura em domicilio. (A1) Só a minha mãe. a minha mãe acha difícil ler. p. 175).pois o momento que se revela como fator importante o domínio dessas dimensões na vida humana é possível a escola cumprir seu papel em elevadas proporções. pois as letras são muito pequenas. (A3) .A importância de pais leitores A participação dos pais junto aos filhos é a primeira associação possível entre o mundo da família e o da escola para que a criança inicie sua escolarização.

27 Entende-se que os processos de aquisição de leitura e escrita em diversos casos não são exclusividade da deficiência apresentada pela escola. especialmente na formação de atitudes e hábitos. destaca-se a interação criança-adulto. juntamente com a participação da família. torna-se necessário estudos e análises sobre a aquisição de leitura e escrita pela escola dos fatores que impedem o desenvolvimento da criança neste processo construtivo da leitura e escrita. o ambiente sócio-familiar de acordo com o pensamento expresso por BOURDIE (1999) impede que o capital cultural seja favorável a ascensão das crianças das classes menos favorecidas a terem êxito na escola. pois a leitura e escrita são apropriadas pelos alunos também no convívio com outras pessoas. Na perspectiva apresentada por Vigotsky a respeito da influência sócio-cultural. o que certamente poderá mudar a realidade de suas vidas. estabelecendo propostas pedagógicas favoráveis a elevação do nível qualitativo de aprendizagem da criança. e nesse leque de interações a leitura e escrita pode ser incentivada nas relações familiares. os níveis de aprendizado da família em alguns momentos impedem-nas de progredir na leitura e escrita. O ambiente familiar representa um papel importante no desenvolvimento do ser humano. no processo de desenvolvimento humano. Portanto. onde se revela a valorização da leitura e essa competência na criança pode ser aprendida no ambiente familiar quando os pais são bons leitores.Observa-se que o contexto familiar dos alunos pertencentes às classes menos favorecidas. Visto que vivemos numa sociedade letrada. Segundo RÊGO (1998) a imitação desempenha aspecto relevante na formação da personalidade da criança e o contato com o adulto possibilita o aprendizado em dimensões significativas. Expressar níveis de domínio de leitura e escrita podem ser favoráveis para o desenvolvimento da criança. . Nesse caso. no sentido de possibilitar avanços do aprendizado contextualizado à realidade vivenciada. pois o ambiente familiar expresso por muitas crianças não oferece condições de elevar seu aprendizado.

Se eu não me interesso por ler e escrever vou puxar carroça. apenas o ensino do código da língua escrita para aquisição das habilidades de ler e escrever. tenho que aprender a ler porque a professora na escola e a minha mãe brigam comigo. pois só lendo e escrevendo podemos descobrir as coisas que não conhecemos. (A1) Claro que pe importante porque quem não sabe ler e escrever não poderá ter bons empregos. Não se cogita a qualidade nem a profundidade da leitura muito menos o papel do futuro cidadão atuando positivamente na sociedade.2-A importância da leitura e escrita A leitura é condição para a plena participação no mundo da cultura escrita: através dela podemos entrelaçar significados. (MAROTE. p. Quando indagamos qual a importância da leitura e escrita. podemos atribuir sentidos. nos distanciar dos fatos e com uma postura crítica questionar a realidade. e tenho vontade. porém no sentido restrito. alguém que sabe ler e escrever vai poder ser alguém na vida. lendo e escrevendo. um carregador. isso foca bem mais fácil para a minha vida. ou um ajudante de pedreiro. não correndo o risco de perder a cidadania da comunidade letrada. das revistas. entrar em outros mundos. (A4) . nós vamos conhecer as histórias dos livros. Ler e escrever. vai ser mais fácil 28 vencer e ser um bom trabalhador e cumpridor de seus deveres. ou seja. eu escrevo e leio tudo o que vejo. (A2) É muito importante para meus estudos. 1996.3. (A3) Eu não sei. será um sujeito pião. as crianças expressaram o seguinte depoimento: A leitura e a escrita são importantes. 49).

Nesse contexto revela-se que a valorização do saber se efetiva no momento que é possível ascender socialmente. De acordo com o pensamento expresso por FREIRE (2001). Também a aquisição da leitura e escrita é vista como possibilidades de mudanças da realidade social que as crianças vivenciam. a importância da aquisição da leitura e escrita desponta como meio articulador às classes menos favorecidas de romperem com as restrições que lhes são impostas. e assim a importância da leitura e escrita se destaca como importante fator a ser considerado no desenvolvimento humano. Entende-se que a leitura e a escrita são indispensáveis ao processo do desenvolvimento humano. Nesse caso o aprendizado é visto como o meio de superação das dificuldades que os segmentos menos favorecidos se encontram na sociedade desigual. a leitura do mundo e a leitura da palavra está dominantemente juntos.. ler o tempo. ler o espaço. sua aprendizagem. especialmente no momento que o conhecimento se . a leitura é importante no sentido de oferecer ao homem a compreensão do mundo e através dessa relação é possível a descoberta da realidade sobre a vida. (p. e assim possibilitam idealizar transformações em suas vidas. No momento que o homem aprende as coisas que se expressam em seu mundo. Observa-se que na infância que a leitura expressa um mundo particular da criança e ela dá significadas as coisas que lhe cercam.Percebe-se nas falas das crianças a busca de compreensão do mundo através da apropriação da leitura e escrita.. oferecendo a oportunidade de transformar suas relações. De acordo com MARTINS (1999) o ato de ler é usualmente relacionado com a escrita e nesse respeito é possível de se efetivar diversas formas de leitura. Então. tais como ter o olhar de alguém. 28) 29 Entende-se que a leitura e a escrita oferecem meios necessários ao homem se comunicar e compreender o mundo. revela-se no seu processo de alfabetização uma tarefa criadora e nessa perspectiva revela-se: A leitura do mundo precede sempre a leitura da palavra. tornando-se importante fator de mudança social. e então o conceito de leitura está geralmente restrito a decifração da escrita. O mundo da leitura e da escrita se dá a partir de palavras e temas significativos.

nesse caso na escola as variedades devem ser incentivadas. A experiência obtida com o trabalho foi relevante em todos os aspectos educacionais. Enfim. e essa reflexão pode ser benéfica no sentido de elevar o nível sócio-cultural dos sujeitos na sociedade. o aluno. 30 CONSIDERAÇÕES FINAIS Consideramos que a pesquisa realizada na Escola Municipal. Também é expresso no mundo contemporâneo a leitura e escrita serem revelados de forma diversificadas. . de acordo com a realidade que vivencia. Os conhecimentos adquiridos serviram-nos como suporte para a prática pedagógica. a escola deve priorizar no contexto de sua atuação o aprendizado da leitura e escrita.expressa como fator fundamental para mudanças na vida social. trouxenos resultados significativos acerca das dificuldades encontradas pelos alunos no processo da leitura e da escrita.

tenham clareza teórica e estimule a presença. recebendo estímulo para depois chegar a escrita convencional.Dados Gerais: . que esse profissional seja reflexivo em sua prática pedagógica. a pesquisa. pois os dados servirão de apoio para efetivação do nosso projeto de pesquisa. deve ser sensível a apreensão de possibilidades alternativas. indo além das atividades imediatistas. Compreendemos que o processo de leitura e escrita inicia muito antes da criança entrar em contato com o mundo adulto. o debate e enfrentamento de tudo que se constrói o ser. Grata Maria de Nazaré Daniel Melo Meriam de Jesus 1. de forma sincera. Alem do mais. a discussão. 32 Anexo 1 Questionário Para Professores Caro professor ( a ) Solicito a sua colaboração no sentido de responder s questões abaixo. deve ter consciência que é passível de erros. esteja sempre se questionando no seu fazer em sala de aula. tendo em mente o tipo de homem que quer formar.No entanto acreditamos que para acontecer o avanço na prática da leitura e da escrita é preciso que os professores sejam comprometidos com a desmistificação das relações sociais.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 33 d) Quais os recursos que você utiliza para trabalhar com essa criança? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ e) Você faz um trabalho individualizado ou coletivo já que essa criança tem dificuldade na leitura? .Idade ______ Quantos anos atua como professor (a)? _______ Qual sua formação?___________ 2.Questões Específicas a) Como você exerce sua práxis. quando descobre em sua turma uma criança com dificuldade a leitura. a fim de alcançar os objetivos educacionais da escola? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ b)Que metodologia você utiliza para garantir às crianças seu aprendizado? clareza e segurança no ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ c) O que você faz.

______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ f) Quais as dificuldade vivenciadas pelas crianças no processo referente a leitura ? de aprendizagem ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ 34 Anexo 2 QUESTIONÁRIOS DESTINADOS AOS ALUNOS 1) Para você o que é ler e escrever? Comente. .

___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ 2) Você tem dificuldades na leitura e na escrita? Porque? ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ 3) A leitura e a escrita são importantes para você?Porque? ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ 4) Como você acha que a escola deveria trabalhar para melhorar o trabalho da leitura e da escrita? ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ 5)Você acha que a escola esta lhe ajudando no desenvolvimento da sua leitura e da escrita? ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ 6)Quem tem hábito de ler em sua casa? ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ ______________________________________________________________________ .

31 .

ed. Rj:Vozes.São Paulo: Ática. QUELUZ. Emília.REFÊNCIAIS BIBLIOGRÁFICAS FERREIRO.Dificuldade na Aprendizagens . Teoria e pratica. 1990 LUDKE. GADOTTI. 1996. Cortez Editora _________Dificuldade na aprendizagem da leitura. Maria Fernandes e HAILER. Marcos Antônio. São Paulo: Pioneira. São Paulo : Editora Vozes. Pandiá.São Paulo: FTD.Uma só Escola para todos. São Paulo: Edicon. Terezinha [ ex al ] . 1991.Porto Alegre :Artes Médicas. 1999.Pesquisa em Educação: Abordagens educativas:São Paulo: Epu. Rj: Renovada. São Paulo: 1997. Porto Alegre: Artes médicas.Com todas as letras 9 . Ana G. . 1987 _________ Psicogênese da língua Escrita.2° edição. PANDU.Dicionário da língua Portuguesa.Como Incentivar o Hábito de leitura. 1972. Menge e André. 4 ed.Uma Abordagem Psicopedagógica.ed . MORAIS Antonio Manuel Paplona. 1991 NUNES. Richardo.caminho do escolar: Petrópolis. CÓCCO. Teresa Cristina . 1981. São Paulo : Cortez :1992 _________Os Processos de leitura e Escrita. REGO. 7.1986. A pré-escola centrada na criança.Didática da Alfabetização. Marli. Moacir.Uma Perspectiva Histórica. Cultural da Educação . 10° ed. . 1996. Bamberger.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->