UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

DIEGO SILVA FREITAS

CURSO DE FARMÁCIA E BIOQUÍMICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Modulo III

ÁREA: Dispensação

SÃO PAULO MAIO DE 2012

2

IDENTIFICAÇÕES 1. DO ESTAGIÁRIO NOME: Diego Silva Freitas RA: 2211203879

ENDEREÇO: Rua Leon Carvalho, 275 – Jardim Maria Luiza. TELEFONE: (11) 5611-7578 E-MAIL: odiegosf@gmail.com INGRESSO NA UNIVERSIDADE: 2011 / 6º SEMESTRE: 7º TURMA: A MÓDULO: III CELULAR: (11) 8248-2192

2. DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO RAZÃO SOCIAL: Associação Educacional Nove de Julho NOME FANTASIA: Universidade Nove de Julho – UNINOVE ENDEREÇO DA SEDE: Rua Diamantina, nº 302, CEP 02117-010, Bairro Vila Maria, São Paulo – SP. CNPJ: nº 43.374.768/0001-38 3. DA INSTITUIÇÃO CEDENTE DO ESTÁGIO RAZÃO SOCIAL: Organização Social Associação Congregação de Santa Catarina/CAPS NOME FANTASIA: OS – ACSC/CAPS II Adulto Cidade Ademar ENDEREÇO: Rua Conceição da Boa Viagem, 216 – Balneário Mar Paulista. TELEFONE: (11)5612-8313 RESPONSÁVEL TÉCNICO / CRF: Márcia Maria Afonso Lima Dias / 29987 CARIMBO COM CNPJ:

3

FICHA DE AVALIAÇÃO DO RESPONSÁVEL TÉCNICO DA INSTITUIÇÃO CEDENTE DO ESTÁGIO
ALUNO: QUANTIDADE DE HORAS CUMPRIDAS: INSTITUIÇÃO CEDENTE DO ESTÁGIO: PONTOS FORTES DO ALUNO: _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ PONTOS FRACOS DO ALUNO: _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ _________________________________________________________________ Eu, _________________________________________, portador do Registro Profissional (CRF, CRBM etc) ______________, declaro que o acadêmico ___________________________________________ Instituição e está aprovado ( ) / reprovado ( ) no estágio. RA ___________________, cumpriu carga horária de ___________ horas nesta RA: MÓDULO:

___________________________________ Farmacêutico Responsável pelo estágio

4 AVALIAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO Entrega de documentos: ( ) completo ( ) incompleto ) Cumprido ( ) Bom ( ) Não Cumprido ) Muito Bom Prazo de entrega de documentos e relatórios: ( Conteúdo do Relatório: ( ) Ruim ( ) Razoável ( Avaliação final: ( ) Aprovado ( ) Reprovado ______________________________________ Assinatura e data .

...................................................5 2....................................................................... ATIVIDADES DESENVOLVIDAS .................4 Fluxo de faltas .................................. ANEXOS...............6 3.................................................................................7 3........1 2...1 Planta da Farmácia..............................................................17 5......3 Arquivo e Relatórios ............................2 Controle de validade ..........................................................4 2.....................................................................................................4 Descrição dos cargos................................. INTRODUÇÃO....15 4...............................................................3 2......................................................5 Página Índice 1.....................3 Organograma ..........................................................................13 3................................................................... ESTABELECIMENTO CEDENTE DO ESTÁGIO ............................. CONSIDERAÇÕES FINAIS ..............................6 3...........................................................................2 Fluxograma .................................18 6.........1 Controle de estoque / Calculo de Consumo Médio Mensal (CMM)......6 3.....................................................................5 2................................19 ........................................ BIBLIOGRAFIA........

aquisição. distribuição. garantia da qualidade dos produtos e serviços. dispensação. o desenvolvimento e a produção de medicamentos e insumos. na perspectiva da obtenção de resultados concretos e da melhoria da qualidade de vida da população”. tendo o medicamento como insumo essencial e visando o acesso e ao seu uso racional. bem como a sua seleção. . acompanhamento e avaliação de sua utilização. Ministério da Saúde. tanto individual como coletivo. Figura 1: Ciclo da Assistência Farmacêutica. INTRODUÇÃO A dispensação faz parte de um conjunto de ações conhecidas como Assistência Farmacêutica. Este conjunto envolve a pesquisa. Segundo a Resolução Nº 338 de 06 de Maio de 2004 do Conselho Nacional de Saúde “a Assistência Farmacêutica trata de um conjunto de ações voltadas à promoção. programação.1 1. 2001). proteção e recuperação da saúde. (Fonte: Assistência Farmacêutica: instruções técnicas para a sua organização.

2 A Comissão Assessora de Saúde Publica do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo considera a Assistência Farmacêutica como prioridade dentre as atividades da assistência a saúde no Sistema Único de Saúde (SUS) e utiliza do ciclo de assistência farmacêutica como orientação sobre o assunto. orientação ao paciente dentre outras responsabilidades deste profissional. visto que a grande maioria destes pacientes não tem acesso a outros meios de informações confiável. gerenciamento do estoque. e não é diferente quando esta se dá na rede publica de saúde. base para . Na saúde publica enfatizamos a importância do profissional farmacêutico na assistência farmacêutica no que diz respeito a atenção e orientação ao paciente. Sua importância é devido a necessidade de ter alguém com conhecimentos técnicos específicos para a supervisão da equipe. A presença do farmacêutico é de extrema importância na área da dispensação.

uma bancada para fracionamento e confecção de tiras. b) Almoxarifado: no almoxarifado temos três paletes para armazenamento de grandes volumes. sendo um para estoque e outro para dispensação. 3º e até vinte e cinco vezes é intensivo. uma bancada com balcão para dispensação. dois armários chaveados. ESTABELECIMENTO CEDENTE DO ESTÁGIO O estabelecimento cedente do estágio é uma farmácia inserida dentro de um Centro de Atenção Psicossocial Adulto (CAPSII). . temos ainda três armários abertos para material médico-hospitalar e uma mesa para o computador. a) Farmácia: na farmácia temos dois armários chaveados onde são armazenados os medicamentos de controle especial constante na Portaria 344. Os pacientes usufruem do serviço de três maneiras: 1º Aquele que vêm até três vezes por mês geralmente para consultas com psiquiatra é classificado como não-intensivo. além da dispensação. de orientação e cuidado. participando de atividades como grupos terapêuticos. um armário chaveado para guardar os medicamentos fracionados. gaveteiros onde são guardadas as prescrições e documentos. A farmácia do CAPS está alocada dentro do espaço físico do mesmo e é responsável por todo o Material Médico-Hospitalar (MMH) e a medicação existente no serviço. O espaço físico que corresponde à responsabilidade da farmácia está disposto em dois ambientes: Farmácia e Almoxarifado. atua na promoção com consultas. atividades físicas. convivência. Sendo que os dois últimos permanecem todo o dia no serviço. O setor farmacêutico. grupos de orientação e discussão de caso onde é possível decidir junto à equipe multiprofissional quais as melhores formas de dispensação e administração para cada paciente. passeios e atendimentos individuais. um para as ampolas e outro para materiais de pesquisa e escritório. um armário aberto para as demais medicações. e uma seladora. O CAPS é uma unidade de saúde que trabalha em parceria com a Atenção Básica do SUS tratando pessoas com transtornos psiquiátricos. 2º O que vêm até doze vezes é semi-intensivo.3 2.

Gaveteiros onde são guardadas as prescrições e documentos.4 2.1 Planta da Farmácia Legenda: 1 – armário chaveado para guardar os medicamentos fracionados. 2 – bancada para fracionamento e confecção de tiras 3 – seladora 4 – armários chaveados 5 – armários abertos 6 – paletes 7 – lixo 8 – bancada com balcão para dispensação 9 – mesa para o computador .

2 Fluxograma 2.3 Organograma .5 2.

Medicamentos em Geral: conferência mensal de todos os medicamentos. seguindo a padronização estabelecida: . Para esta contagem deve-se utilizar a “Planilha de Controle de Estoque – Medicamento” (Anexo II). armazenamento. . UBS e CAPS.Medicamentos Psicotrópicos: contagem diária nas unidades AMAs e semanal nas unidades de PSF. reunião de equipe. visita domiciliar. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 3. . monitoramento dos programas 3. Auxiliar de Farmácia: Dispensação.4 Descrição dos cargos Gerente: Responsável por tudo que acontece no CAPS.Material Médico Hospitalar (MMH): deve ser realizada mensalmente a conferência de alguns itens previamente estabelecido.Medicamentos do Programa Tabagismo: conferência quinzenal através da “Planilha de Contagem Quinzenal de Tabagismo” (Anexo III). Farmacêutico: Supervisão. Gerencia. lidera a equipe e é representante do estabelecimento. . grupos. O registro destas informações deverão ser feitos na “Planilha de Controle de Estoque – MMH” (Anexo II). discussão de caso.1 Controle de estoque / Calculo de Consumo Médio Mensal (CMM) A fim de garantir o controle do saldo físico dos estoques de medicamentos e materiais em relação ao saldo do GSS devem ser realizadas contagens periódicas. . O registro desta contagem deve ser feito na “Planilha de Contagem de Psicotrópicos” (Anexo I). orientação ao usuário.6 2. orientação ao usuário e participação em grupos. controle de estoque e validade. gestão de estoques.

Esta planilha contendo código do produto. o controle de estoque destes deve ser feito através de “Fichas de Prateleiras” (Anexo IV). a AST para que essa encaminhe a STS SACA.2 Controle de validade Os medicamentos e materiais utilizados para atendimento de pacientes são produtos diferenciados de suma importância para a melhoria ou manutenção da qualidade de vida da população. Pede-se que os itens sejam listados em ordem alfabética e seguindo todas as designações do GSS. pois essas listas são enviadas a pessoas diferentes dentro da STS. Elaboração da Planilha Antes do início da utilização da planilha de Controle de Validade de Insumos.7 Algumas unidades recebem materiais que são comprados pela OS ACSC. Para garantir a integridade desses insumos (medicamentos e material médico hospitalar) aos seus usuários. um levantamento de todos os insumos deve ser feito para preencher os campos: . CMM atual. e garantir um controle eficiente do estoque e conseqüentemente minimizar a perda dos mesmos. é padronizado o controle de insumos vencidos/impróprios. O material médico hospitalar e os medicamentos devem ser listados separadamente. o requerido solicitado e a justificativa para tal alteração (no caso dos medicamentos a STS-SACA não têm exigido justificativa). A preservação da sua qualidade deve ser garantida desde sua fabricação até seu uso. descrição (de acordo com GSS). Alteração de CMM Para solicitar alteração de CMM dos itens de GSS deve-se encaminhar a “Planilha de Alteração de CMM” (Anexo V). 3.

Quando existir um novo recebimento com lotes de mesma data de validade. a validade dos insumos deve ser verificada antes dos mesmos serem alocados nas prateleiras.8 1 descrição do insumo e 2 unidade de dispensação do material. os mesmos devem ser incluídos nesta planilha. Esse preenchimento deve estar na coluna referente ao mês de vencimento. ele deve ser inserido (somado) na mesma planilha. Recebimento de Insumos A cada recebimento. . Os insumos com data de validade do ano vigente devem ser registrados na planilha Controle de Validade de Insumos no campo 3. No caso de recebimento de insumos vencido-impróprio do almoxarifado central. conforme exemplo abaixo. a equipe de farmácia deve dar entrada e saída no sistema GSS e segregar o produto e informar a Assessoria técnica via email. Caso a unidade passe a utilizar novos insumos.

Aqueles que vencem no mês vigente – segregar como vencido-impróprio . de acordo a movimentação do estoque dos insumos.9 Os produtos recebidos com data de vencimento do mês vigente só poderão ser utilizados dentro das unidades até a data de vencimentos. Atualização da Planilha Periodicamente.Aqueles com data de vencimento superior – tentar a transferência para outra unidade. Eles podem ser separados a seguir: . Aqueles com data de vencimento referente ao ano seguinte devem ser inseridos na nova planilha que será elaborada e utilizada no próximo ano. a equipe de farmácia deve verificar o vencimento dos mesmos. Circular na planilha as datas de vencimento que foram segregadas/ descartadas ou transferidas. caso contrário os mesmos serão segregados. conforme modelo abaixo indicando que o insumo não se encontra disponível para uso. . separando os insumos com validade próxima e que de acordo com a movimentação do estoque não serão utilizados. No mês de outubro de cada ano. Os insumos com data de validade do mês vigente podem ser utilizados apenas dentro da unidade não podendo ser dispensados. um inventário deve ser realizado para verificar as datas de validade de todos os insumos.

Preencher o documento Manifesto de Transporte de Resíduos de Serviços de Saúde e entregar uma cópia na hora da retirada dos medicamentos vencidos/impróprios. alocados na área destinada e ser devidamente identificados com as etiquetas do Anexo VI. Manifesto de Transporte de Resíduos de Serviço de Saúde: . Os profissionais de farmácia devem entrar em contato com a empresa EcoUrbis e aguardar a retirada no prazo de 15 dias.10 Segregação de Insumos Os insumos vencidos/impróprios devem ser colocados em saco branco e/ou caixa de papelão.

Fluxos para baixa de vencido e interditados: 1° etapa: Fazer ofício para LIMPURB para inutilização de medicamentos (no caso de psicotrópicos protocolar anteriormente na COVISA) 2° etapa: Separar o(s) medicamento(s) fechados e identificados. Tav ares RF 736605 .11 Observação: a baixa deste material no GSS deve ser feita segundo fluxo estabelecido pela Supervisão Técnica de Saúde. em local separado da dispensação GSS da Unidade módulo gerencial aba estoque descarte de materiais na UBS digitar código do medicamento ou material selecionar um motivo informar quantidade informar n° ofício LIMPURB CONFIRMAR Ireny T. que prevê: baixa pela senha gerencial identificando o número de identificação do pedido de retirada para LIMPURB (numeração padronizada como sendo a seqüencial das Notificações de Transferência).

Tavares RF 736605 Transferência de insumos para outras unidades Para os medicamentos que serão colocados à disposição para outras unidades devido a perda de validade. em local separado da dispensação. legíveis. Registros Os profissionais de farmácia devem manter os registros abaixo devidamente preenchidos. .Manifesto de Transporte de Resíduos de Serviços de Saúde .Controle de Validade de Medicamentos . prontamente identificáveis e recuperáveis. GSS da Unidade módulo gerencial aba estoque descarte de materiais na UBS digitar código do medicamento ou material selecionar um motivo informar quantidade informar n° documento CONFIRMAR Ireny T.12 1° etapa: Enviar e-mail para STS informando lote e quantidade 2° etapa: Separar o(s) medicamento(s) fechados e identificados. os profissionais de farmácia e odontologia devem passar e-mail aos possíveis interessados e solicitar transporte para unidade. 3° etapa : Aguardar instrução para devolução.

.13 . .CADRI: para o descarte de alguns insumos como carvão ativado. glutaraldeído é necessário que a unidade tenha uma documentação chamada CADRI (Certificado De Aprovação E Destino De Resíduos Industriais). Arquivo de movimentação de estoque: semanalmente deve-se salvar o relatório de saída e entrada de psicotrópicos no GSS e arquivar para poder comprovar a movimentação desses itens. comprovando que tudo que foi dado baixa naquele dia foi exatamente o que saiu. . são eles: . A única unidade que possui este certificado é o CAPS e em alguns períodos do ano as UBS devem enviar estes matérias para descarte (é importante verificar a época correta antes de enviar ao CAPS). Arquivo de contagem de psicotrópicos: todos os dias deve ser feita a contagem dos medicamentos constantes na portaria 344/1998.Descarte de Medicamentos interno e devolução de pacientes: enviar lista a Ecourbis conforme modelo. ácido acético. Estas planilhas devem ser arquivadas junto com o relatório de saída por período do GSS.3 Arquivo e Relatórios Para o bom funcionamento da farmácia é necessário manter os seguintes relatórios e documentos identificados e arquivados: Relatório de abastecimento: Após o abastecimento da prefeitura deve ser elaborado. 3. Veja mais detalhes deste relatório em fluxo de faltas. ácido tricloroacético. em planilha apropriada o Relatório de Abastecimento (Anexo VII).Evidência de Transferência Alguns insumos não são descartados pela EcoUrbis e portanto seguem um fluxo diferenciado após a segregação.Descarte de Material Médico Hospitalar: retirar da embalagem e descartar em saco de lixo branco. formol. Este relatório é compartilhado por e-mail para os farmacêuticos das outras unidades e assessoria.

Planilha de Controle de Temperatura (Anexo VIII). Dessa forma garante-se uma forma de comprovação do controle de validade da unidade. do almoxarifado e da geladeira. essas deveram ser arquivadas identificadas pela data. Arquivo dos controles de temperatura e umidade: as anotações diárias da temperatura e umidade da farmácia. As notas fiscais devem ser arquivadas na unidade por dois anos. Arquivo de controle de validade: As planilhas de controle de validade dos materiais médico hospitalares e medicamentos devem ser arquivado após a conferência e retirada dos itens de acordo com o fluxo elaborado. nunca deixando a unidade sem.14 Arquivo de receitas: após a contagem diária do número de receitas internas e externas. Arquivo das requisições de transferências: todas as notas de entrada e saída de transferência (requisições de transferência) devem ser arquivadas após lançamento no sistema GSS para posterior comprovação de movimentação caso necessária. pois são documentos que ajudam a comprovar a movimentação do estoque da unidade.dia da Geração do Pedido: é importantíssimo imprimir e arquivar o relatório de saldo em estoque no dia em que o pedido de abastecimento é gerado é através deste que podemos justificar falhas no abastecimento. Arquivo das Notas Fiscais de abastecimento: Assim como os relatórios de GSS do dia da geração do pedido. Arquivo de relatório de saída por período: A cada começo de mês deve-se imprimir e arquivar o relatório GSS de saída do mês anterior. Arquivo de relatório de saldo em estoque . Este deve ficar arquivado de forma fácil e sempre que solicitado enviar cópia. devem ser arquivados todo começo de mês. bem como a Planilha de Limpeza da Geladeira (Anexo IX). essas deverão ser arquivadas de forma fácil. .

CMM. Caso não obtenha sucesso deve-se comunicar a AST de farmácia para que essa verifique com a Supervisão a possibilidade de remanejamento. A relação dos itens que a unidade não recebeu após abastecimento deve ser enviada também aos gerentes e aos farmacêuticos das outras unidades verificando a possibilidade de empréstimo. . Faltas Conforme a necessidade da unidade deve ser enviada aos demais farmacêuticos a relação de faltas mais preocupantes da unidade.4 Fluxo de faltas Planilha de Abastecimento Após o abastecimento da prefeitura deve ser elaborado. Essas planilhas devem ser elaboradas e enviadas ao farmacêutico até 2 dias úteis após o abastecimento para que esses encaminhem a Coordenação/Supervisão de Saúde para que sejam tomadas as atitudes necessárias para que a unidade não seja prejudicada pela falta de algum material. O material médico hospitalar e os medicamentos devem ser listados separadamente. todos os itens que no dia da geração do pedido apresentavam estoque inferior a 50% do CMM e não foram entregues. em planilha apropriada o Relatório de Abastecimento (Anexo X). Assim a planilha deve ser preenchida com os seguintes dados: código. Neste devem ser colocados todos os itens que deveriam ter sido entregues no abastecimento e não foram. em abas separadas da mesma planilha. verificando a possibilidade de empréstimo para que o atendimento não seja comprometido. saldo em estoque no dia da Geração do pedido e saldo atual.15 3. ou seja. descrição do material.

previamente numerada. sendo uma da unidade cedente. . O envio pode ser feito pelo malote (quando o tamanho permitir) ou por solicitação de transporte ao Facilities (responsável pelo transporte) da OS-ACSC.16 Transferências Em caso de necessidade as unidades podem solicitar empréstimos de alguns itens. em três vias. A unidade deve ter uma Planilha de Controle destas Notificações (Anexo XII). a segunda da unidade que está recebendo e a terceira do responsável pelo transporte. Em ambos os casos é necessário preencher a Notificação de Transferência (Anexo XI). Essas transferências podem ser de Material Medico Hospitalar e Medicamentos e devem ser realizadas via GSS.

mas em todos os estabelecimentos farmacêuticos do país quanto na área prática – quanto a orientação à pacientes. as legislações que rege as dispensações no SUS e a manipulação de medicamentos. onde muitas vezes este é o único acesso que o paciente terá a uma orientação sobre seu medicamento. CONSIDERAÇÕES FINAIS Consideramos muito importante este estágio para o desenvolvimento do conhecimento farmacêutico na área da dispensação.17 4. Através desta experiência foi possível conhecer a importância de uma boa dispensação na rede publica de saúde. Foi possível aprender como deve ser recebida uma receita na rede publica de saúde. Também se pode entender a complexidade de nosso sistema público de saúde e onde nós. estamos inseridos nesse gigantesco mecanismo. Este estágio contribuiu muito para o futuro profissional Farmacêutico tanto na área técnica – quanto a conhecimento de legislações que regem não só a dispensação no SUS. farmacêuticos. formas de orientação. fracionamento e a dispensação propriamente dita. .

BRASIL.sp.cff.pdf Acesso em 19/04/2012. L.gov.pdf. CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO. 2009.rdc n° 80. Atenção Farmacêutica em Distúrbios Menores.br/userfiles/file/portarias/344.htm# 25/04/2012.org.br/legis/resol/2007/rdc/67_081007rdc. Comissões Assessoras de Saúde Publica do CRF-SP. Portaria 344.gov. Resolução da diretoria colegiada . de 8 de Outubro de 2007. Normatizar a prescrição e dispensação de medicamentos no âmbito das unidades petencentes ao Sistema Único de Saúde sob gestão municipal. Assistência Farmacêutica Municipal – Diretrizes para Estruturação e Processos de Organização. 2ª Ed. São Paulo: Medfarma. Aprova o regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Acesso em http://www. BIBLIOGRAFIA BRASIL. Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para Uso Humano em farmácias. M. 2008.htm Acesso em 25/04/2012. de 11 de Maio de 2006.prefeitura. A. Disponível: http://www.br/fracionamento/rdc. São Paulo. Portaria 1535 de 27 de Setembro de 2006. MARQUES. Acesso em . Disponível: 15/04/2012.anvisa.rdc nº 67. de 12 de Maio de 1998. Disponível: http://ww2.18 5.gov. Resolução da diretoria colegiada . SÃO PAULO.anvisa. Dispoe sobre o fracionamento de medicamentos em farmacias e drogarias. Disponível: http://www.br/arquivos/secretarias/saude/legislacao/0001/Portari aSMSG_2006_01535. BRASIL.

19 6.5 g n ze a 0 m Clo a p m m n ze a 2 g Clo a p m t n ze a gs Clo rom a1 0 g rp azin 0 m Clo rom a g s rp azin t Clo rom aIn rp azin j D ze a in t ve ia p m jea l D ze a 0 m ia p m 5 g D an t h lo e ol ec oao a p rid Fe it in 1 0m no a 0 g Fe it in su .3 4 t e e ic e t s rt 4 Un ad : id e dt aa: Md a e ts e ic mno A it t a2 m mripilin 5 g B e e o 2m ip rid n g B e e oin ip rid n j Carb a p a2 0 g amze in 0 m Carb a p asu . ANEXOS Anexo I: Planilha de Contagem de Psicotrópicos Conrole d M d amno Po . n o a sp Fe it in in t ve n o a jea l Fe ob it 1 0m n arb al 0 g Fe ob it in t l n arb al jeáve Fe ob it g t s n arb al o a Flu xein 2 m o ta 0 g H e o 1m alop rid l g H e o 5m alop rid l g H e o in tá e alop rid l je v l H e ogts alop rid l oa Im ra in 2 m ip m a 5 g M rf a In t l o in jeáve N ripilin 2 m ort t a 5 g Pe iazin 4 ric a % Se ra a5 m rt lin 0 g V ro o 5 0 g alp at 0 m V ro o su alp at sp G SS Físic o De n a if re ç Ju if aiva st ic t . amze in sp Carb ao d lít on t e io Clo ip m a2 m m ra in 5 g Clo a p m .

20 Anexo II: Planilha de Controle de Estoque – Medicamento/MMH C n ên iad E to u M ic m n o fer c e s q e ed a e tos E stoquefísico D ata Me dicam nto e  ACET.MEDROXIPROGESTERONA INJETAVEL 150  MG/ML   ACET. DEXAMETASONA EM CREME   ACETATO MEDROXIPROGESTERONA CP 10 MG   ACICLOVIR CP 200 MG   ACIDO ACETILSALICILICO CP100 MG   ACIDO ACETILSALICILICO CP 500 MG   ACIDO FOLICO CP 5 MG   ACIDO VALPROICO 250 MG/5 ML  XAROPE  ACIDO VALPROICO CP 500 MG   ALBENDAZOL - CP 400 MG  ALENDRONATO DE SÓDIO CP 70 MG  ALOPURINOL CP 100 MG   AMOXICILINA CAP 500 MG   AMOXICILINA SUSPENSAO ORAL  50 MG/ML   ASSOC. VIT A E VIT D  POMADA   ATENOLOL CP 50 MG   AZITROMICINA CAP 500 MG  Alm ox. e Anexo III: Planilha de Contagem Quinzenal de Tabagismo . Farm ia ác GS S D rença ife R sp. CLORETO DE SODIO + CLORETO DE  BENZALCONIO  SOLUCAO NASAL   ASSOCIACAO DE ENANTATO DE  NORETISTERONA 50 MG/ML E VALERATO DE  ESTRADIOL 5 MG/ML EM SOLUCAO INJETAVEL   ASSOCIACAO DE LEVONORGESTREL 0.  D3) 400UI  ASSOC. HIDROCORTISONA EM CREME   ACET.03 MG EM COMPRIMIDOS  OU DRAGEAS   ASSOC.15 MG E  ETINILESTRODIOL 0. DE CARBONATO DE CÁLCIO +(VIT. SULFAMETOXAZOL 800 MG E  TRIMETOPRIMA 160 MG CP  ASS.

21 UBS JD. NITEROI MEDICAMENTOS DO PROGRAMA TABAGISMO – contagem quinzenal Mês/ano: 1° Semana Data: MATERIAL Adesivo nicotina 7mg Adesivo nicotina 14mg Adesivo nicotina 21mg Bupropiona 150mg Goma nicotina 2mg Pastilha nicotina 4mg QUANTIDADE NO GSS QUANTIDADE FÍSICA DIFERENÇA JUSTIFICATIVA Responsável: __________________ 2° Semana Data: MATERIAL Adesivo nicotina 7mg Adesivo nicotina 14mg Adesivo nicotina 21mg Bupropiona 150mg Goma nicotina 2mg Pastilha nicotina 4mg QUANTIDADE NO GSS QUANTIDADE FÍSICA DIFERENÇA JUSTIFICATIVA Responsável: __________________ Anexo IV: Ficha de Prateleira .

22 A.E Dr. MILTON ALDRED Ficha de Estoque Produto:___________________________________ Unidade:___________ Data Fornecedor/Destino Entrada Saída Saldo Anexo V: Planilha de Alteração de CMM .

Etiqueta de identificação Obrigatória .23 Alteração de Consum M o édio M ensal Unidade: dat a: CMM código de scriçã o De Pa ra Justifica tiva ve rifica çã o Anexo VI: Etiqueta de identificação vencidos.

24 VENCIDO/ IMPRÓPRIO VENCIDO/ IMPRÓPRIO VENCIDO/ IMPRÓPRIO VENCIDO/ IMPRÓPRIO Anexo VII: Relatório de Abastecimento .

25 Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde OS-Associação Congregação de Santa Catarina M e dica m e ntos Fa lta n te s n o Ab a ste cim e n to CAP S II Ad ulto Cida de Da ta d o Ab a ste cim e n to 05.01.2012 C ÓDIG O MM H CMM E S T OQU E D O E S T OQU E PE D ID O ATUAL Anexo VIII: Planilha de Controle de Temperatura .

SANTA CATARINA Registro de Controle de Temperatura/ Umidade (Unidades de medidas : T= °C/ U= %) Ideal: T = 2 a 8 ºC refrigeração até 30º C ambiente U= até 80% Unidade de Saúde : Local de medição: CAPS Nº Termohigrometro Manhã Tarde Min U% T ºC U% Horário Visto Atual T ºC U% T ºC Máx U% T ºC Min U% Horário Visto Atual T ºC U% T ºC Máx U% T ºC Máx Mês/ano: Noite Min U% Horário Visto Atual data 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 T ºC U% T ºC Anexo IX: Planilha de Limpeza da Geladeira .26 OS.

27 Associação Congregação de Santa Catarina Associação Congregação de Santa Catarina CAPS II AD Cidade Ademar CAPS II AD Cidade Ademar Controle de Limpeza de Geladeiras Descrição: Data Modelo: Próxima Limpeza Controle de Limpeza de Geladeiras Descrição: Data Modelo: Próxima Limpeza Responsável Responsável Anexo X: Relatório de Abastecimento .

01.28 Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde OS-Associação Congregação de Santa Catarina M e dica m e ntos Fa lta n te s no Ab a ste cim e n to CAP S II Adulto Cida de Da ta do Ab a ste cim e n to 05.2012 C ÓD IG O MM H CMM E S T OQU E D O E S T OQU E PE D ID O AT UAL .

Cidade Ademar Unidade de Destino: Descrição Qtidade Fornecida Data: Carimbo e assinatura do responsável Recebi o material constante nesta Nota Data: Carimbo e assinatura de recebedor .29 Anexo XI: Notificação de Transferência Requisição n.Cidade Ademar Unidade de Destino: Descrição Qtidade Fornecida Data: Carimbo e assinatura do responsável Recebi o material constante nesta Nota Data: Carimbo e assinatura de recebedor Favor devolver uma das vias assinada Requisição n PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUL NOTA DE FORNECIMENTO DE MATERIAIS Unidade Cedente: CAPS II Adulto . PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE SUL NOTA DE FORNECIMENTO DE MATERIAIS Unidade Cedente: CAPS II Adulto .

30 Anexo XII: Planilha de Controle de Notificações de Transferência R ç o de Notific ç o de T ns ela ã aã ra ferênc ia Unidade: início: jan/2012 R q. e 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 data de tino s . e 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 data de stino R q.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful