P. 1
Desobstrução de Vias Aereas

Desobstrução de Vias Aereas

|Views: 18|Likes:
Publicado porPaulo Henrique

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Paulo Henrique on Sep 29, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/24/2013

pdf

text

original

Desobstrução das Vias Aéreas

Edson R. Muniz

Como ocorre uma obstrução de Vias Aéreas?
De várias maneiras desde uma rolha de secreção em um paciente intubado até um chiclete na boca de uma criança. A pergunta muitas vezes é o que se fazer em um situação destas? Gritar! Chamar São Braz! Dar tapas nas costas da vítima ou simplesmente rezar!

Sinais e Sintomas de Dificuldade Respiratória.
    

Agitação, Tosse fraca, Dificuldade para falar, Bater a mão no peito, Colocar as mãos no pescoço em forma de gravata (sinal universal de engasgamento) , Cianose labial.

Situações em que se pode ocorrer?
   

 

Churrascos, Festas, Brincadeiras de crianças, Pacientes com doenças instaladas na região cervical, Recém nascidos, Traumas de trânsito, Vítimas alcoolisadas.

Vítima consciente.
Tosse forte e efetiva (não interfira),  Nunca abandonar a vítima,  Tosse fraca ou ineficaz ou sinal de engasgamento realizar manobra de Heimlich. Atenção: Agir de acordo com a idade, quando Rns e crianças.

Inconscientes
tentar estabelecer contato com a vítima,  estabilizar via aérea,  realizar buscativa na boca,  ver, ouvir e sentir,  duas ventilações de resgate se não obtiver sucesso iniciar manobras,  compressões torácicas 5 (heimlich), Atenção: caso obtenha sucesso colocar a vítima em posição de conforto.

Afogamento
Edson R. Muniz

Definição:
-Sufocação após imersão em meio líquido. -Causas comuns de morte acidental em crianças de até 5 anos e adultos jovens de 15 a 29 anos. -Algumas vítimas não podem apresentar aspiração pulmonar devido ao laringoespasmo, mas em 85% dos casos são com aspiração e tem um pior prognóstico.

  

Fatores que predipõe o afogamento:

   

Não conhecer as técnicas de natação, 47% estão realacionadas com o uso de alcool, Problemas clínicos: IAM, EPILEPSIA, ARRITMIAS, Trauma cervical, Uso de drogas, Hipotermias, Ataques de animais aquáticos, Sindrome descompressiva.

Sequencia do Afogamento


Periodo de pânico e agitação, Apnéia voluntária, Deglutição de água por mecanismo de reflexo, Com o surgimento da hipoxemia severa ocorre e retenção de CO2, ocorre respirações involuntárias e aspiração de água, A passagem de água pela laringe causa

laringoespasmo, que serve como mecanismo de defesa para evitar a aspiração de mais água, Posteriormente o laringoespasmo relaxa devido a perda de consciência e ocorre a aspiração de mais líquidos, Óbito por hipóxia.

Classificação do Afogamento.

Grau I: Vítima lúcida, hemodinâmicamente estável,ausculta pulmonar sem alterações, não ocorre hipoxemia. Mortalidade 0. Grau II: Vítima sonolenta ou agitada, hemodinâmicamente estável, ausculta pulmonar discreta estertoração em bases. Hipoxemia e acidose metabólica discretas. Mortalidade baixa.

Grau III: Vítima com alterações de consciência (agitação ao coma superficial), arritmias e ausculta de edema agudo de pulmão. Hipoxemia grave e divide-se em 2 sub-grupos de acordo com a hemodinâmica: Grau III A : não ocorre hipotensão ou inconsciência. Mortalidade 5%. Grau III B : ocorre hipotensão ou inconsciência. Mortalidade 70% (4). Grau III C – A: Aterações do Grau II associadas à respiração agônica ou apnéia. Mortalidade 90% (5).

Grau III C – B: PCR mortalidade em 95% (6). Acima de1h de imersão não inicie RCP.

Tratamento

  

Vítima trazida a superficie e removido da água, Observar cuidados com coluna cervical, PCR retirada rápida e iníciar manobras, Abrir VA e iníciar suporte ventilatório, mesmo que não tenha sido retirado da água, se trauma de coluna flutuar a vítima sobre uma prancha longa, Se respirando e pulso procure sinais de hemorragias.

 

Administrar O2 em altas concentrações com auxílio de mascáras com reservatório, Não tentar drenar fluídos dos pulmões ou estômago, pois a manobra de Heimlich aumenta a chance de aspiração, Na ausência de pulso carotídeo iníciar RCP, A baixa temperatura protege o indivíduo da morte cerebral, por este motivo iníciar a RCP,

Se estiver inconsciênte considere com trauma de coluna,

Se estiver inconsciênte considere com trauma de coluna,

Aquecer a vítima e transporte para o hospital. Atenção para o risco de aspiração. Manter O2 durante o transporte.

Prognóstico
   

Depende da hipóxia, Presença ou não de aspiração de líquidos, Idade da vítima, Histórico médico (cardiaco, doenças pulmonares), Temperatura da água ( baixa temperatura melhor prognóstico).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->