O conceito de movimento humano Go Tani (1988) Movimentos estão presentes em todas as atividades humanas: no cotidiano, no trabalho, no lazer e no desporto

. Embora em Educação Física os movimentos desportivos sejam enfatizados, convém ressaltar que os mecanismos envolvidos em qualquer um destes movimentos são basicamente os mesmos. A diferença fundamental está nas informações específicas recebidas, processadas e utilizadas por estes mecanismos na organização e controle dos movimentos. Cada tarefa específica demanda o processamento de informações específicas. Neste sentido, é importante enfatizar que os conhecimentos adquiridos como resultado de pesquisa em áreas relacionadas, como Performance Humana, Engenharia Humana, Ergonomia e Psicologia Experimental, devem ser assimilados e efetivamente utilizados pela Educação Física, contribuindo para uma compreensão mais abrangente e profunda do movimento humano. O movimento tem sido definido de várias formas por diferentes autores. De acordo com Newell (1978), refere-se geralmente ao deslocamento do corpo e membros produzido como uma conseqüência do padrão espacial e temporal da contração muscular. Pelo fato de o movimento se caracterizar por um deslocamento do corpo num determinado padrão espacial e temporal, ele é um comportamento observável e mensurável. Todos os movimentos manifestam certas características espaciais e temporais observáveis, todavia é preciso considerar que o comportamento observável é resultado de um processo interno que ocorre no sistema nervoso. O movimento tem, portanto, duplo aspecto. O primeiro é que ele é um comportamento observável e o segundo é que ele é produto de todo um processo que acontece internamente ao indivíduo. Para uma melhor compreensão deste processo interno responsável pela produção do movimento, a figura 1 mostra o modelo de performance humana de Marteniuk (1975) que procura apresentar de uma forma concisa os mecanismos envolvidos na execução do movimento. Considerando o ser humano como um processador de informações, Marteniuk apresenta um modelo composto de cinco mecanismos envolvidos na execução do movimento. Estes mecanismos são interligados através do fluxo de informações, de forma que o funcionamento de um determinado mecanismo depende das informações fornecidas por aquele que o precede. Por exemplo, o mecanismo perceptivo não pode funcionar adequadamente se os órgãos dos sentidos apresentarem problemas. Os órgãos dos sentidos podem ser considerados como sendo os intermediários entre a estimulação do meio ambiente e o sistema de processamento central. Eles têm como função transformar os diferentes estímulos, em forma de energia física, em algo que possa ser transmitido através do sistema nervoso humano, ou seja, impulsos nervosos. Este mecanismo, que não é influenciado pelo processo de aprendizagem, tem também a função de codificar as informações contidas no estímulo, em forma de variações nos padrões espaço-temporais do impulso nervoso. Os impulsos nervosos são então transmitidos através de vias aferentes até o sistema nervoso central, onde são processados. Inicia-se aí o processo de percepção. O mecanismo de percepção, através dos processos de discriminação, identificação e classificação, fornece informações detalhadas sobre o meio ambiente externo e interno (próprio corpo) para serem utilizadas pelo mecanismo de decisão. São também enviadas ao sistema de memória para serem armazenadas e utilizadas na predição de situações futuras. Percepção é basicamente um processo de organização de informações e que depende de ações e experiências passadas (Welfo´d, 1968). Ela se desenvolve através do processo de aprendizagem e pode ser influenciada por fatores como atenção seletiva, capacidade sensorial de detecção, memória e processos perceptivos de alto nível, como antecipação e predição. As informações processadas pelo mecanismo perceptivo são então transmitidas ao mecanismo de decisão. É função deste último escolher o plano motor adequado, levando-se em consideração as demandas correntes do meio ambiente e os objetivos originais da performance. 0 conceito de plano motor foi derivado do conceito de plano, apresentado por Miller, Galanter e Pribram (1960), que significa o processo organizacional que controla a ordem em que uma sequencia de operações é executada. Plano motor, também denominado programa executivo (Fitts & Posner, 1967), pode ser considerado como a idéia total da habilidade (Martenik, 1976),

visto tratar-se de mudança de paradigma. 1977). Modelo de performance humana com base no processamento humano de informações (adaptado de Marteniuk. e não apenas de conceitos. comandos motores são transmitidos ao sistema muscular num padrão espaço-temporal adequado. Na realidade. estão também sujeitos à influência e controle do feedback. Neste momento.ou a compreensão da tarefa e o que ela exige (Gagné. O feedback pode ser considerado como sendo a informação recebida pelo executante sobre a execução do movimento. O mecanismo efetor é também responsável pela iniciação do movimento. Isto é feito pelo mecanismo efetor. este precisa ser detalhado com relação aos seus componentes. dos componentes do plano motor para que as demandas do meio ambiente e os objetivos sejam alcançados. a colocação. Estes conceitos surgiram justamente para enfatizar a participação de fatores cognitivos ou mentais em quase todos os movimentos. Dois processos básicos se desenvolvem no mecanismo efetor: a organização hierárquica e seqüencial (Marteniuk. numa ordem seqüencial. em relação ao comportamento humano. já que após o detalhamento do plano motor. e é utilizada para modificar o movimento quando ele não está sendo executado conforme especificado no plano motor e também para introduzir modificações no plano motor a fim de que o objetivo seja alcançado. isto não ocorreu. psico-motor e neuro-motor. Após a escolha do plano motor. . Infelizmente. a organização seqüencial. Com relação ao mecanismo de decisão. 1977. após um intervalo de tempo. Esta informação pode ser recebida durante e após o movimento. quando então acontece o movimento. principalmente através da cinestesia e da visão. exceção apenas para os movimentos reflexos ou involuntários. Convém lembrar que estes mecanismos envolvidos no movimento sofrem influências de fatores tais como o estado afetivo-emocional. como comportamento perceptivo-motor. que tem como função selecionar e integrar os comandos motores que eventualmente produzirão o movimento desejado. fadiga e outros. A organização hierárquica envolve uma ordenação das informações do geral para o específico e. 1976). é também importante considerar que um mesmo objetivo pode ser alcançado via diferentes planos motores. 1975). visto que não existe uma relação linear entre o objetivo e o movimento a ser executado para alcançá-lo (Connolly. Figura 1. 1978). sensório-motor. estes conceitos deveriam ter provocado uma verdadeira mudança de pensamento e de ação na Educação Física. Na década de 60. os músculos estão sob controle dos comandos motores e. NewelI. observou-se o surgimento de novos conceitos.

Certas disciplinas só se preocupam com o aspecto cognitivo ou intelectual. estudiosos da Educação defendem que as experiências motoras que se iniciam na infância são de fundamental importância para o desenvolvimento . social. Assim como Sclunidt (1982) enfatiza. A interação com o meio ambiente através da constante troca de matéria/ energia e informação é um aspecto fundamental para a sobrevivência e desenvolvimento de todo e qualquer sistema vivo. de grande importância biológica para o organismo. existe movimento quase perpétuo. Embora Piaget (1952) tenha reconhecido o estágio sensório-motor como um componente importante no desenvolvimento de uma criança. os movimentos desempenharam e continuam a desempenhar um papel fundamental. Por falta de uma visão sistêmica do comportamento humano. no sentido de que constituem os atos que solucionam problemas motores (Connolly. em sessões onde se busca o desenvolvimento de condição ou aptidão física. a importância da relação entre movimento e cognição não pode deixar de ser mencionada. É difícil acreditar. quem ele é. o sistema muscular ainda é demasiadamente enfatizado. depende de movimentos e da capacidade para controlar respostas motoras. É através de movimentos que o ser humano aprende sobre o meio social em que vive. com pouca atenção ao desenvolvimento global da criança. também. onde existe vida. existe movimento e onde existem crianças. Movimentos são verdadeiramente um aspecto crítico da vida. a importância do movimento no desenvolvimento global da criança não recebeu a devida atenção.Como nos movimentos executados em Educação Física o comportamento observável é evidente. São. na prática. Se a Educação Física pretende contribuir para o desenvolvimento adequado das crianças. aprende sobre si mesmo. até se chegar à complexa tecnologia e cultura modernas. O seu progresso é medido através de movimentos. a capacidade do ser humano de se mover é mais do que uma simples conveniência que lhe possibilite andar. Acresça-se ainda sua grande importância social e cultural. psicológica. Mais recentemente. Embora a Educação Física defenda a importância da integração mente-corpo. por sua vez. O mesmo pode ser dito em relação aos movimentos ginásticos estereotipados e com relação à aquisição de habilidades. Desnecessário esclarecer que esta imagem tem as suas raízes na dicotomia mente e corpo filosófica. A criança adquire suas primeiras experiências sensoriais sobre o meio ambiente através da exploração. que os processos internos responsáveis pela produção do movimento estejam sendo devidamente trabalhados em puras e simples repetições mecânicas de movimentos. A comunicação. Muitas vezes se cria urna imagem de movimento sem a participação do fator cognitivo ou mental. é preciso que ela abandone a ênfase excessiva sobre o sistema muscular. É oportuno ressaltar também que as dificuldades encontradas na integração mente-corpo não são observadas apenas na Educação Física. observam-se várias situações onde ainda predomina a preocupação com o aspecto muscular. Como Wickstrom (1977) enfatiza. Da construção de abrigos e de ferramentas por parte dos nossos ancestrais. É através deles que o ser humano age sobre o meio ambiente para alcançar objetivos desejados ou satisfazer suas necessidades. até alguns tempos atrás. As primeiras respostas de uma criança recém-nascida são motoras. outras. por exemplo. a Educação. A importância dos movimentos não se restringe ao aspecto biológico. A importância do movimento no desenvolvimento do ser humano Movimentos são de grande importância biológica. Movimento é a essência da infância. jogar e manipular objetos. está longe de conseguir esta integração nas suas orientações. a expressão da criatividade e a dos sentimentos são feitas através de movimentos. para adotar um enfoque onde todos os mecanismos envolvidos e os fatores que afetam o funcionamento destes mecanismos sejam convenientemente trabalhados e desenvolvidos. A exploração. Finalmente. desde que é através de movimentos que o ser humano interage com o meio ambiente. cultural e evolutiva. onde o conceito de habilidade é erroneamente interpretado. o que é capaz de fazer. de uma forma geral. 1977). Ela é um aspecto crítico do nosso desenvolvimento evolucionário. É por meio deles que o ser humano se relaciona com o outro. apenas com o aspecto afetivo-emocional e assim por diante.

no sentido de que o desenvolvimento da cognição possibilita uma melhor programação e controle dos movimentos. observa-se o estabelecimento de inúmeros objetivos para a Educação Física. considerando-o como um fator que contribui para uma crescente ordem no sistema e na sua interação com o meio ambiente. muitos provavelmente inatingíveis. Inter-relacionamento entre movimento e cognição . e vida é impossível sem movimento. O centro das preocupações e interesses da Educação Física está no movimento humano. desde que estes trabalhos sejam adequados. mostrado na figura 2. É preciso também que a Educação Física estude o real significado do movimento dentro do ciclo de vida do ser humano. no sentido de assumir que os objetivos propostos serão realmente alcançados. neurofisiológico e comportamental. é preciso enfatizar a necessidade de a Educação Física modificar a compreensão restrita de outrora. visto que os movimentos fornecem o principal meio pelo qual a criança explora. existe movimento. Onde existe vida. a sensação a percepção.cognitivo. É preciso investigar os princípios básicos de organização do movimento em diferentes níveis de análise. O movimento se relaciona com o desenvolvimento cognitivo no sentido de que a integração das sensações provenientes de movimentos resulta na percepção. O movimento é reconhecido como sendo o objeto de estudo e aplicação da Educação Física. a cognição o movimento. para se ter à compreensão mais adequada possível do movimento humano. é inegável a sua contribuição ao desenvolvimento global do ser humano. Neste sentido. a percepção a cognição. Figura 2. Freqüentemente. passando a analisar o significado do movimento na relação dinâmica entre o ser humano e o meio ambiente. o movimento a sensação. Seja qual for a área de atuação. onde o movimento desenvolve a sensação. Da mesma forma. desde o bioquímico. Em resumo. relaciona e controla o seu ambiente. a Educação Física trabalha com movimento e. pelo acima exposto. Acrescentando-se a estes conhecimentos os resultados de estudos em Performance Humana e Aprendizagem Motora. que destacam a participação dos aspectos cognitivos em qualquer ação motora. até o social. os movimentos são de fundamental importância para a vida do ser humano em seus diferentes aspectos. e toda a aprendizagem simbólica posterior depende da organização destas percepções em forma de estruturas cognitivas. é também inegável a sua grande responsabilidade perante a comunidade. repetindo-se assim todo um processo que evolui de uma forma contínua. estabelece-se um círculo evolutivo.