P. 1
anapolis

anapolis

|Views: 415|Likes:
Publicado porJade Magalhães

More info:

Published by: Jade Magalhães on Oct 09, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/10/2015

pdf

text

original

AMADOR DE ARIMATHÉA (Dô

)

ANÁPOLIS
SUAS RUAS– SEUS VULTOS

NOSSA HISTÓRIA
1830 --------2007

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

AMADOR DE ARIMATHÉA (Dô) nasceu em Anápolis, Goiás, em 25 de janeiro de 1935, filho de José Ferreira da Silva e de Amélia Pereira Dutra. Escritor de acentuada tendência regionalista que, no entanto, universaliza sua escrita quando provocado, como no presente trabalho. É de sua autoria, entre outros: “A Quem Interessar Possa...”, Causos do Meu Goyaz; Rio dos Meus Amores; Vingança Consentida, A Pequena Grande Loja, sendo sua mais recente obra esta: ANÁPOLIS – Suas - Ruas - Seus Vultos-Nossa História. Após os estudos primários em sua terra natal, deslocou-se para outros centros, onde concluiu o Curso Superior de Educação Física, na ESEFEX - Escola de Educação Física do Exército, no Rio de Janeiro. Em 1953, com 18 anos de idade, incorporou-se ao Exército Brasileiro. Em 1957, foi transferido para Brasília, passando a servir na 6ª Companhia de Guarda Pessoal do Presidente Juscelino Kubitscheck. Em 1961, com 25 anos, foi transferido para o Rio de Janeiro, apresentando-se como voluntário para compor o BATALHÃO SUEZ, tropa que se incorporaria ao Contingente da ONU (Organização das Nações Unidas). ‘“UNITED NATIONS EMERGENCE FORCE.” Durante dois anos lutou no conflito armado entre árabes e israelenses, no Oriente Médio. De volta ao Brasil, formou-se em Direito pelo Universidade-CEUB de Brasília-DF, tornando-se advogado. Casou-se com Theresinha Jayme de Arimathéa, sendo seus filhos: Leonardo, Denise e Eduardo Jayme de Arimathéa, todos nascidos em nossa cidade. Em 1966, com 30 anos de idade, foi iniciado na Loja Maçônica Lealdade e Justiça II, de Anápolis. Com o passar do tempo, com outros irmãos fundou a Loja Maçônica Fênix de Brasília nº. 1959, em Brasília, no Distrito Federal, onde reside. Membro da Academia Maçônica de Letras do Distrito Federal, foi membro do Conselho Federal da Ordem Maçônica, bem como é Deputado Federal junto à Soberana Assembléia Federal Legislativa Maçônica do Brasil. Dezenas de condecorações, entre as quais, Benemérito da Ordem (25 anos), Grande Benemérito (30 anos), Estrela de Distinção Maçônica (35 anos), Grande Cruz da Perfeição Maçônica (40 anos), e Grande Comendador da Ordem de Dom Pedro I, a maior comenda do Grande Oriente do Brasil, é membro do Capítulo do Santo Real Arco de Jerusalém da Maçonaria de Brasília, Membro da Ordem dos Cavaleiros Templários de Malta e da Ordem Unidas Religiosas, Militares e Maçônicas do Templo de São João de Jerusalém, Palestina, Rhodes e Malta e Províncias Ultramarinas da Inglaterra, diploma 2

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

de Maçom Pioneiro de Brasília, Diploma de Cavaleiro da Ordem do Mérito Maçônico de Brasília, Medalha de Pioneiro de Brasília, pelo Clube dos Pioneiros-DF. Dezenas de outras honrarias maçônicas e seculares, dentre outras, Diploma e Medalha UNEF-United Nations Emergence Force, por serviços relevantes prestados à pátria e à humanidade, no Oriente Médio, conforme Decreto 43.800, de 23.05.1958, assinado por Juscelino Kubitscheck, e detentor do “Prêmio Nobel da Paz” de 1988 (parcial). É relembrado no livro “Meio Século Formando Gerações” (1997), de Olimpio ‘ Ferreira Sobrinho. Sua importância como escritor está no verbete do Dicionário Bibliográfico Regional do Brasil, de Mário Ribeiro Martins.

Mozart Soares Filho Médico

3

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

A N ÁP O L I S SUAS RUAS- SEUS VULTOS NOSSA HISTÓRIA

AMADOR DE ARIMATHÉA
4

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

Copyright 2007, Amador de Arimathéa Título original: “ANÁPOLIS-Suas Ruas-Seus Vultos-Nossa História” Capa: do autor Revisão: Professora. Helena Melazzo Digitação técnica: Ten. Geraldo Batista de Camargos Edição: Gráfica e Editora Papillon Ltda – Goiânia-Goiás. Primeira edição: 2.000 exemplares Brasil – Catalogação na fonte ---------------------------------Arimathéa, Amador – 2007 Outros títulos: - A Quem Interessar Possa...

- Rio dos Meus Amores... - Causos do Meu Goyaz - Vingança Consentida! - A Pequena Grande Loja
---------------------------------------------------------------Todos os direitos reservados: Amador de Arimathéa (Dô) SQS 305-Bloco “G”- Ap. 602 – Brasília-DF – CEP 70.325.070 Telefone:061.3242.7245 - e-mail: arimathea1@uol.com.br
Permitida a citação e o uso do histórico aqui contido, desde que citada por inteiro a fonte pesquisada.

5

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) AMADOR DE ARIMATHÉA ANÁ POLIS SUAS RUAS--SEUS VULTOS NOSSA HISTÓRIA 1830 2007 6 .SUAS RUAS .SEUS VULTOS .ANÁPOLIS .

ANÁPOLIS . Diretora Administrativa e Myriam Marques. que ao ler a obra em seu original.. a quem:. concorreram para aprovação desta obra como sendo de utilidade e importante na formação histórica dos nossos jovens. vislumbrou de pronto a fidelidade do retrato da nossa história. Pedro Sahium. Obrigado ao professor Tiziano Mamede Chiarotti.SEUS VULTOS . Então. o autor estende seus agradecimentos a toda Comissão Técnica da Secretaria de Educação. Assessora Técnica. suprindo.(Dô) AGRADECIMENTOS ESPECIAIS À Prefeitura Municipal de Anápolis. professora Maria Stela Rosa. Carla Cordeiro da Silva Barbaresco. assim. solicitou da equipe técnica da sua Secretaria um laudo avaliativo da obra no seu aproveitamento na rede escolar.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Diretora de Cultua e.. Cultura. uma lacuna até então existente. finalmente. Beatriz Policena. que não só aprovou o nosso trabalho. Sueni C. Reconhecemos também a participação decisiva da Secretária de Educação. Cultura Ciência e Tecnologia. Ciência e Tecnologia da Secretaria de Educação do nosso Município. professoras Maria Geli Sanches. bem como fonte fidedigna de informações nas bibliotecas de Anápolis.. Professora Marisa Espíndola. Moreira Youssei. A carrocinha da história diz: a todos a nossa gratidão! 7 . quanto à verdadeira história de Anápolis. coordenadora de projeto de lançamento e expansão do livro. e mais. que ciente da forma pedagógica e didática empregada na elaboração do livro. como sendo de grande importância didática. com o laudo técnico reconhecendo o trabalho. contada na forma didática de ensino na nossa rede escolar. o que na verdade era o sonho do autor. Gerente de Ensino e a entusiasmada Gerente de Projetos. na pessoa do nosso Prefeito. principalmente. Coordenadora do Departamento de Projetos. Aparecida Lino Reis. com os seus altos conhecimentos. Coordenador do Núcleo de Pesquisa Científica.SUAS RUAS . Dr. Da mesma forma e com a gratidão de colega. as “madrinhas” Salma. o seu alto teor didático. cujo texto veio preencher uma laguna até então existente nas escolas do Município. é com alegria que cito os nomes dos professores e professoras que. mas. Assessora Pedagógica de Políticas Públicas.

ao longo dos nossos anos. ativa. não é de se estranhar que. Lembra ele. fez da sua vida o exemplo da mulher anapolina. tempo este que não foi capaz de consumir a afeição da família Pina: Aquiles.(Dô) IN MEMORIAM Dona AMÉLIA PEREIRA DUTRA Filha de Joaquim Pereira Dutra e de Ana da Silva Batista e neta de um dos pioneiros da nossa cidade. Tonico e Carlos de Pina. Helena Melazzo. muitos outros que. era tropeiro e homem de certas posses. como o outro irmão. ao longo de sua vida. Augusto Pinto.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . e em segundas núpcias a menina Cleusa Porto Farinha. que aqui chegou nas primeiras décadas do Século IXX.reunia-se toda a juventude de Anápolis daquele tempo. o que lhe dava condições de promover festas e mais festas. segundo seu depoimento vivo. já que seu pai de criação – Francisco Pereira Dutra . Arinesto Pinto de Oliveira. dona Amélia tenha sido essa figura alegre e cativante. fazendo sempre da sua casa o quartel de todos os amigos. alegre. tio de dona Amélia. 8 . afável e agregadora. Fanstone.SEUS VULTOS . fazendeiro do município. Waldemar Borges de Almeida. Portanto. que dona Amélia era uma mulher envolvente. quanto à preservação de suas amizades ao longo do tempo. Nena Fausta. José Fernandes Valente. relata que viveu a infância e a juventude ao lado dessa família. Jair Ferreira. À essa mulher o nosso respeito e admiração. acima de tudo.era irmão de Joaquim Pereira Dutra e. com bastante clareza. Mãe Mélia. seu filho. lúcido e de memória invejável. de cuja união teve seis filhos: Maria Fausta de Barros. participativa e. Em sua casa – religiosamente . portanto. ouvimos loas a essa mulher que fez da sua vida um hino de louvor à fé no seu poderoso Deus. uma mulher cristã e de sábios conselhos. Dr. senhor Manuel Pereira Dutra – 1819 – 1877. como era chamada. O autor. É de se notar a saga dessa mulher. Dona Dayse.SUAS RUAS . Professor Brasil. Narceu de Almeida e outros. Seu Joaquim Dutra. E aqui convidamos o senhor Moacir Romeu Costa (97 anos) para um passeio na carroça da história e. característica principal de sua personalidade. (1835). Dona Amélia casou-se aos 14 anos com José Ferreira da Silva.ANÁPOLIS . Amador de Arimathéa (Dô). Olímpio Ferreira Sobrinho.

filho de família centenária.SEUS VULTOS . escritor. anapolino.ANÁPOLIS . contista e o maior e o mais abalizado narrador da história de Anápolis.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SUAS RUAS . a nossa história estaria incompleta e hoje não teríamos do que tanto nos orgulhar – ANÁPOLIS! 9 .(Dô) Ao admirado do autor: Humberto Crispim Borges. vulto de destaque da cidade. certamente. memorialista. seu faro de perdigueiro e muito trabalho de pesquisa. Sem a sua dedicação.

museus. dos mais variados estilos e gêneros literários. seus feitos e suas histórias. como cartórios. APRESENTAÇÃO Disse o poeta Castro Alves: “.SUAS RUAS .. informa e educa. É de admirar e aplaudir a aptidão e a inteligência de quem escreve um livro. é chuva que faz o mar”. especialmente porque neste livro pode-se ler sobre parte significativa da vida de meu tio Jibran El Haje. o livro caindo n’alma é germe que faz a palma. Ser convidado para fazer a apresentação desta obra foi uma surpresa agradável e muito honrosa para mim.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Com certeza o livro é uma das coisas mais úteis e marcantes de nossas vidas: distrai. livros de outros 10 . mas não é e por isso aplaudimos o autor desse importante trabalho. mas no caso desta obra. pelo cidadão respeitável e grande amigo que sempre foi no tempo em que caminhamos juntos. Amador de Arimathéa. enriquece nosso vocabulário. Aparentemente é fácil escrever uma história. trazendo à vida pessoas importantes.. com toda a sua autoridade de filho de uma das mais antigas famílias de Anápolis. Nesta obra. Tantas informações registradas com riquezas de detalhes somente foram possíveis graças ao excelente trabalho do autor da obra. a responsabilidade do autor aumenta em razão do fato de ser ele o único responsável pela descrição dos feitos de tantas personalidades aqui historiadas. a quem presto homenagens em nome de minha família.ANÁPOLIS . Passamos por cada página deste livro como se caminhássemos pelas ruas de Anápolis em épocas e circunstâncias passadas.SEUS VULTOS . ilustra. reúne lembranças e uma cuidadosa pesquisa sobre a história da nossa cidade.(Dô) . que se aprofundou na busca de documentos existentes em diversas fontes. Pode parecer simples.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) escritores. cujo compromisso é o de manter bem alto o seu nome e passá-la.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . Este título “Anápolis–Suas Ruas-Seus Vultos-Nossa História” traz ao nosso pensamento as maiores lembranças históricas do nosso passado centenário. íntegra e forte.ANÁPOLIS . Parabéns. construíram e consolidaram a Manchester Goiana. tudo para transformar este relato de resgate histórico num verdadeiro ato de admiração e respeito àqueles que fundaram. da ordem e da prosperidade em todo o Centro Oeste brasileiro. e a entregaram a nós. Nele. a esperança e a fé do anapolino são as palavras mágicas que nos conduzirão à realização do tão sonhado desejo de transformar a Cidade de Ana no paraíso do trabalho. Anápolis Centenária! Mounir Naoum Empresário 11 . àqueles que virão depois de nós.

além de enriquecer sobremaneira a parca bibliografia histórica de Anápolis. nas lides maçônicas. principalmente. perpassando o que poderíamos denominar centro histórico. mas traz à nossa memória ilustres figuras que ali moraram.SUAS RUAS . através da publicação de outras obras de sua lavra.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . O mais notável da trajetória da carrocinha é que o autor não se limita a fornecer uma biografia do homenageado em determinado logradouro. o Dô. daquela cidade tranqüila e gostosa. revelando os principais dados levantados nas suas buscas ou arrancadas da memória. direta e sem floreios. no Exército.fazendo brotar na alma de quem lê uma saudade imensa daquela gente. acentuando ainda mais o seu já acendrado amor ao torrão natal. enquadrou o passeio de sua imaginária e interessante carrocinha em quatro pontos geográficos. tornando a leitura extremamente agradável – um deleite! 12 . para aqueles que melhor desejam saber e conhecer as razões que levaram anapolinos de antanho a nomear ruas e praças de nossa cidade. imprescindível. no bom relacionamento com os amigos.ANÁPOLIS . daquele tempo. bairros e vilas adjacentes. de tempos a esta parte.(Dô) PREFÁCIO Esta é uma obra necessária. ao brindar o Centenário de Anápolis com este extenuante trabalho de pesquisa. sempre foi: nos esportes. nos leva junto ruas afora. no trato das coisas do dia-a-dia.SEUS VULTOS . na sua profissão e. ora mais adiante. com forte temática regionalista e. O autor. Deparando-se com cerca de 350 bairros e em torno de cinco mil ruas e praças – algumas com nomes idênticos – o amigo Dô. Amador de Arimathéa. A pena do autor é leve: numa linguagem simples. na literatura. é um craque. ora aqui.

o autor promove um sobrevôo pelas diversas administrações anapolinas. Graciano Antônio da Silva e Dona Senhora. sogro. pais. bisavô. É de arrepiar! Parabéns. às nossas coisas e fatos – daí a necessidade permanente de por em ação suas palavras e suas lembranças. Haroldo Duarte 13 . fora datas relevantes da nossa existência. com presença constante na cidade. ou de grandes vultos que ajudaram a construir o Estado de Goiás e outros. e Jonas Duarte e Dona Zita. um ponto ganho definitivo nos registros da nossa história. no ano do Centenário. numa parada na Rua dos Prefeitos. oferecendo-nos um raro e prestimoso presente a servir de reflexão e de estudo para os anapolinos de hoje em relação aos nossos ilustres antepassados. a Nação. sempre ligado ao pessoal daqui. Dô. avós. reservando ainda um bom espaço para grandes figuras de nossa história – uma obra de fôlego que certamente será lida com prazer. Por fim. Sócrates Diniz. como aconteceu conosco frente a grandes reputações e homens e mulheres de nosso sangue e nossa vida: Antônio Crispim.SUAS RUAS . Anápolis.ANÁPOLIS .(Dô) O Dô acertou em cheio ao escolher os caminhos desta obra. o autor amigo jamais se desvinculou de sua terra. pessoas que deambularam pelas mesmas ruas que nós. Residindo em Brasília. bem como o faz nesta obra.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . por força de exercício profissional.

é constituída por centenas de bairros e mais de quatro mil e novecentos ruas.o atual momento em que os escribas mais apressados. É absurdo e inconcebível – criminoso até .SEUS VULTOS . Infelizmente.(Dô) INTRODUÇÃO Vulto é todo aquele que mesmo na presença do nada faz notar a sua figura! a Manchester Goiana. o desenvolvimento e o perene progresso da cidade dos nossos amores. com ações honradas e pensamento desenvolvimentista. mas indicativas de pessoas marcantes que elas querem sempre lembrar. cheias de altruísmo. esta vibrante cidade que não dorme. esquecem do espírito vocacional e outra coisa não fazem que compilar fatos e feitos que desaparecem sem deixar marcas de suas personalidades na narrativa da história. Perambular pelas ruas da cidade é dar de encontro com tantos homens e mulheres que dignificaram o nosso crescimento.SUAS RUAS . sendo estes os quadrantes geográficos da nossa referência. do DAIA à Reboleira. 14 ANÁPOLIS. praças. do “Anápolis City” à Vila Fabril. a geração atual atravessa uma época desfavorável e hostil aos fatos históricos por que passam os homens e a nossa cidade em pleno despontar do seu primeiro centenário. Caminhar pelas ruas. num gesto de verdadeira preguiça mental e no uso sistemático da internete. quase todas planas. Por isso mesmo. que balisaram o nascimento. hoje são lembradas na perpetuidade de seus nomes estampados de forma elevada em placas singelas. ruas e travessas são as nossas artérias canalizadoras. Suas avenidas. cidadania e patriotismo.ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . . é respirar nossa história a cada passo dado.

SEUS VULTOS . de onde eram. que é a magnífica cidade de Anápolis. Quem foram essas pessoas. Claro que hoje estamos vivendo momentos de integral globalização. altaneira e que não deixa abater o seu espírito provinciano. como se 15 . É preciso preocuparmo-nos com a memória dos feitos do passado. junto dos jovens de hoje e de amanhã. do que fizemos. de onde viemos. a capital econômica do Estado de Goiás” (Humberto Crispim). mas não podemos conhecer o mundo se não conhecemos a nossa própria história. Por isso. não só praticamente desconhecida da sociedade em geral. é. Ainda é de se perguntar: porque essa imensa fonte de cultura que são as ruas.SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Portanto. O nosso imaginário permite-nos buscar na memória aquelas figuras que nos antecederam: são as ilustres personagens que percorreram e ainda percorrem a nossa história. “Veneremos. nesse veículo de tração que viaja pela história da nossa cidade. por meio dos nomes dados às ruas. a fim de nos legar – cem anos depois – esta cidade imponente. quanto o é também pelos estudantes. porque deles é que saem os caminhos condutores. que fizeram. é que esta obra tem por objetivo mostrar.e essa que vem surgindo . pelos arranha-céus da metrópole.é que ofereço um bilhete de passagem na carroça da história para revisitar essas ruas do berço da nossa infância e da lembrança de muitos forasteiros que aqui aportaram há tanto tempo. Preocupado com essa geração de hoje .ANÁPOLIS . a memória augusta daqueles que construíram os alicerces deste grande marco da civilização. portanto. não devemos nos esquecer do nosso passado.(Dô) Neste passeio a bordo da carroça da história estamos respirando a nossa verdadeira identidade e tropeçando nos feitos heróicos desses vultos que emprestam seus nomes para indicar o verdadeiro caminho percorrido por eles na busca do conhecimento e do progresso. praças e nossas avenidas o que esses vultos significaram na constituição da sociedade anapolina. do caminho que percorremos.

Comercial e 1º de Maio”. do Largo da Boa Vista e das ruas Tenente-Coronel José Batista.que oficializava o número exato de ruas existentes e as nominavam. 10 de Março. Entremos na carroça. sentido Leste Oeste. pois vamos descer – inicialmente . 34.SEUS VULTOS . certamente. 1º .(Dô) notabilizaram? – Que fatos realmente realizaram para que seus nomes encabecem e justifiquem as pequenas tabuletas das ruas que intitulam? – Que ideais os motivaram e os uniram? Por tudo que encerram esses nomes e seus significados na história da cidade.a Avenida Goiás. avenidas e fazem parte importante da nossa história. Vice-Intendente Municipal de Sant´ana das Antas. Assim é que. algo desvalorizada. já tão esquecida e.ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SUAS RUAS . em exercício e na forma da Lei”: “Faço saber que o Conselho Municipal decretou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. em alguns casos. rumo à Vila Fabril em busca dos nomes dos vultos e fatos que denominam nossas ruas. CAPÍTULO I Fatos relevantes – Começo da história Fato altamente relevante para todo historiador que queira dissecar os meandros das ruas de Anápolis. 16 . é a obrigação de passar pelo primeiro ato governamental do Intendente da época – Miguel Pereira Dutra . ela determina: “Organiza o quadro das denominações das ruas e praças desta Vila”: “Miguel Pereira Dutra. é que nos esforçamos para que este trabalho possa cobrir a lacuna ora existente: a de refrescar e reativar a memória anapolina.São mantidas as denominações da Praça Sant´ana. pela Lei Municipal de nº. de 20 de Março de 1903.

mas também para grande parte do Norte do País. já fervilhavam centenas de carroças tracionadas por animais. as ruas 15 de Dezembro e Nova. a que se refere à lei supra transcrita. 4º . 2º . a Eugênio Jardim e a 7 de Setembro. c) – Rua 5 de Agosto – a atual rua Intendente Abadia. 3º . são. praças e avenidas da nossa cidade. Art.Revogam-se as disposições em contrário. Xavier de Almeida à Rua 15 de Dezembro. b) – A Avenida Dr. o respeitável senhor Querubino Pires da Silva.a atual Avenida Padre Cunha.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . comecemos a dar asas ao nosso imaginário. Esclarecido este fato importante.Passam-se a denominar-se: a) Rua Desembargador Jayme a atual Rua Doutor Jaime. Xavier de Almeida . respectivamente.SEUS VULTOS . Para isso.SUAS RUAS . em Anápolis. b) – Rua Nova – a que vai da Avenida Dr. não havia construções. Antes.Ficam denominadas: a) Rua 15 de Dezembro – compreendida entre a rua Tenente-Coronel Batista e a Cruz do Roque. 17 . hoje. provavelmente.ANÁPOLIS . a economia. temos que dar notícia de que este extraordinário feito da chegada da Maria Fumaça a Anápolis. Mas. nessa viagem que faremos através de ruas. será preciso que voltemos algumas dezenas de anos atrás. Segundo o historiador pesquisado. mais precisamente no fim da década de trinta do século passado. Art. a importância desse meio de transporte daquela época para o escoamento e distribuição dos produtos industrializados trazidos de São Paulo e Minas Gerais e que abasteceriam toda a região. morador à Rua 1º de Maio e o responsável pela fabricação da primeira carroça equipada por rodas de pneus.(Dô) “Art. enquanto que a Rua 5 de Agosto é. quando. ainda. não só do Centro Oeste. a Rua Dr. nelas. fez surgir na cidade o seu primeiro ferreiro profissional e o comunista mais convicto daquela época. à época. atualmente. como resultado do extraordinário feito da chegada dos trilhos da estrada de ferro que viriam transformar. Daí. Genserico. substancialmente.

cuja serventia já foi declinada em notas acima. a mais extensa e importante artéria central da cidade. resolvemos tomar emprestado este veículo.SEUS VULTOS . Senador da República no período de 1947 a 1951 e Deputado Federal de 1959 a 1963. Santana-Lei Municipal nº.SUAS RUAS . deputado estadual por dois mandatos. e com grandes e relevantes serviços prestados. que ficava na esquina da Avenida Goiás.(Dô) artesanato este feito por encomenda do senhor Konrad. hoje “Diário da Manhã”. sem dúvida. nomeado pelo Interventor Pedro Ludovico. até ao primeiro cruzamento que é com a RUA SENADOR ALFREDO NASSER: V. concluiu a 18 . orador emérito e tido. político de grande liderança. só nos resta atrelar os muares Pretete e Morena. não só a Goiás. Ministro da Justiça. jornalista e professor. um dos mais combativos jornalistas de Goiás. fundador do então estridente jornal “Cinco de Março”. 322 de 1962 ALFREDO NASSER. Agora. a fim de não tropeçarmos nos pontos históricos do trajeto da história a ser percorrido.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . foi prefeito de Anápolis. com a Rua 15 de Dezembro. no dia 30/04/1905. o alemãoaustríaco dono da sortida “Padaria 51”. político goiano. PRAÇA MANOEL DEMÓSTENES (Vila Santana) MANOEL DEMÓSTENES BARBO DE SIQUEIRA. nascido em Caiapônia. em 1940. Como este passeio terá que ser feito com muito vagar e paciência. mas tanto quanto ao Brasil. Muito dinâmico. pôr em seus lombos a arreata e colocá-los entre os varais e no balancim e começar a deslizar pela Avenida Goiás. como o maior tribuno do nosso Estado.ANÁPOLIS .

O engenheiro Demóstenes também inovou com a transferência do campo de futebol do Bairro Jundiaí para o centro da cidade. viramos à direita e entramos na: RUA CAPITÃO SILVÉRIO: . no começo do bairro São Jorge. Seu nome tem origem na figura do Doutor Roberto Mange. Tomando sempre como eixo a Avenida Goiás. O engenheiro Manuel Demóstenes governou o Município durante os anos de 1940/1943. primeiro Diretor Nacional da Escola SENAI. cujo próprio municipal levou o seu nome: “Estádio Manoel Demóstenes”.SEUS VULTOS . Foi o criador da 1ª “Feira Livre de Anápolis”. 112/1952 19 . Seu trabalho de expansão no ensino profissional trouxe para Anápolis.(Dô) construção do edifício da Prefeitura e do Fórum. Lembrança bem marcante da memória desse vulto. mesmo na contramão.Vila Santana Lei Municipal nº. o SENAI. do nosso lado esquerdo. começamos a percorrer a: RUA ROBERTO MANGE – Vila Santana Lei Municipal nº. em Campinas-SP. 315/1957 Mais conhecida como Rua do Senai. como se continuação fosse. colocando naquele logradouro essa denominação. no início da década de 1950. que ficava localizado acima da “Induspina” e atrás da “Pina & Irmãos”. obra iniciada pelo então Prefeito José Fernandes Valente.ANÁPOLIS . a que deu o nome da hoje Avenida Pedro Ludovico. a qual funcionava na Praça Santana. a efetivação em nossa cidade do mais importante estabelecimento de ensino profissional do País.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . E como gratidão do nosso povo tomou-se-lhe o nome emprestado. durante muitos anos. De volta ao eixo da Goiás.SUAS RUAS . Foi o responsável pela abertura de uma grande avenida que dava saída para Goiânia.

dos quais o senhor Odorico da Silva Leão. portanto. revogada as disposições em contrário”. .ANÁPOLIS .(Dô) SILVÉRIO PEDRO DA SILVA. Mando. tendo sido o primeiro Juiz de Paz da localidade. Miguel Rocha Lima. deixando viúva e seis filhos. transcrevemos abaixo o seu inteiro teor: “Lei 320 – de 31 de Julho de 1907”. mas o escriba prefere ficar com a informação do cartório de Itaberaí . 525/1975 Data muito importante essa que denomina a praça junto à Câmara Municipal. que vimos nascer a nossa maioridade municipal.de onde era natural. que exerceu diversos cargos no município. assinada pelo Presidente do Estado. Figura notável esse cidadão! PRAÇA 31 DE JULHO – Vila Santana Lei Municipal nº.SUAS RUAS . De tão importante que é esta Lei para o nosso Município. a todas as autoridades a que o 20 . estabelecida pela Lei Estadual nº. De Curralinho. O CAPITÃO SILVÉRIO Pedro da Silva foi comerciante e fazendeiro abastado no município. Faleceu a três de dezembro de 1887. – A Vila de Santana de Antas fica elevada à categoria de cidade com a denominação de Anápolis.tem um autor pesquisado que afirma ter nascido o Capitão em Bonfim. pois ela representa o dia de maior glória política da nossa cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Inspetor de Quarteirão. mudando-se para a freguesia de Santana das Antas em sua fase inicial. 31 DE JULHO DE 1907.SEUS VULTOS . inclusive o de Intendente. Único. 320. Foi nesse dia. é necessário um comentário maior. desta data. político atuante e aqui desenvolveu operosa atividade em benefício da coletividade anapolina. Presidente do Estado de Goiás: Faço saber que o Congresso decretou e eu sanciono a seguinte lei: Art. de tão desconhecido. senhor Miguel Rocha Lima.

o cognominaram de “O Consolidador”. que. tais como. próprio da nossa municipalidade. Palácio da Presidência do Estado de Goiás.ANÁPOLIS . grande marco da educação do nosso município. Descendo um pouco mais. donde se originam as leis que estabelecem as normas de conduta dos munícipes. no trevo de Corumbá. a imponente sede do Legislativo Municipal. na saída para Goiânia e se entende por toda a extensão da cidade no sentido Sul/Norte. esta avenida hospeda importantes marcos da cidade. à nossa esquerda impõe-se o Ginásio “Carlos de Pina”. 31 de Julho de 1907 – 19º da República. com muita justiça. Ao longo do seu trajeto. AVENIDA BRASIL NORTE/SUL (Centro) Esta é a avenida mais extensa de Anápolis. razão pela qual. logo no início. encontramos a bela sede da nossa Comarca. para quem não sabe. até se encontrar novamente com a Rodovia 153. já às margens do córrego das Antas. que a cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nela contém”.SEUS VULTOS . esta raia é uma das três maiores e melhores pistas dessa competição em todo o País. À direita. 21 .SUAS RUAS . Descendo mais. o Cartódromo Internacional de Anápolis.(Dô) conhecimento e a execução desta lei pertencer. Mais à direita. a estação rodoviária e bem lá em cima o grande complexo educacional da Associação Educativa EvangélicaUNIEVANGÉLICA. Mais uma vez é nosso dever salientar a efetiva participação do Coronel José da Silva Batista como o grande responsável pela nossa emancipação política. onde se abriga o nosso Judiciário. e ao seu lado as instalações da Prefeitura Municipal e a Praça do Ancião. Começa no trevo do DAIA. Logo mais à frente e à direita. o Estádio “Jonas Duarte”.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

José Lourenço Dias pelo Senado não marcou a sua participação em nenhuma proposição de lei e nenhum pronunciamento da tribuna do Senado. A praça é hoje denominada Praça Deputado Abílio Wolney. fez brilhante carreira em nosso meio jurídico e político. fruto da vitalização de um terreno baldio e inteiramente recuperado pelo prefeito da época. Aqui cabe uma divagação: esta praça foi construída especificamente para abrigar os nossos anciãos nas manhãs ensolaradas e tardes românticas. José Lourenço Dias. SEN.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . No entanto. pois como rábula provisionado pelo Tribunal de Justiça de Goiás. chegando ao Senado Federal.ANÁPOLIS . nada mais ele precisaria fazer do que nos legar como herança a sua prole. EPA! Exclamamos surpresos. hoje é denominada de Avenida Sen.Centro Seguindo em frente começamos a subir a Goiás. inaugurada exatamente no “Dia Internacional do Ancião”. Apenas como curiosidade: a passagem do Dr. AV. com a mais poética e aconchegante praça de Anápolis. à nossa esquerda. Figura ímpar. Estou a falar da “Praça do Ancião”. Dr. onde 22 . novamente! Mudaram o nome da Avenida Contorno. segundo informa a Secretaria daquela Câmara Alta. Sem mais por que. Olímpio Ferreira Sobrinho.SEUS VULTOS . esperemos o semáforo abrir para atravessarmos a Avenida Brasil e depararmos logo. que se comemora em setembro.(Dô) PRAÇA DO ANCIÃO – Centro Lei Municipal nº De volta ao eixo da Avenida Goiás. 141 de 1959) . durante o mandato de um ano (1950). depois de tantos anos.SUAS RUAS . JOSÉ LOURENÇO DIAS (Lei Municipal nº.

dia infausto e lutuoso para Anápolis. Zeca Batista tanto fez que no dia 10 de Março do ano seguinte foi instalada oficialmente a Vila de Antas. senhor Miguel Pereira Dutra e Antônio Leite de Morais. isso ocorrido em 15 de Dezembro de 1887. tendo como Presidente do Conselho Antônio Crispim de Souza. 7 de janeiro de 1910.SEUS VULTOS . que não aceitavam a condição de Vila de Antas. foi notável a sua participação na emancipação do Município. sendo filho do coronel Theodoro da Silva Baptista e de dona Eufigênia de Siqueira Baptista . no começo da década de 1950. Em luta contra as autoridades pirenopolinas.Que bom é relembrar a toda a hora a figura ímpar da nossa história.SUAS RUAS . sendo eleito pelo povo anapolino. bem como foi decisiva a sua atuação na elevação da Freguesia de Antas à categoria de Vila de Antas. Aos cinqüenta e quatro anos de idade faleceu nesta cidade o seu “Consolidador”. Político dos mais importantes do Estado. sendo testemunhas declaratórias desse infausto acontecimento o seu filho Segismundo Baptista. RUA CORONEL BATISTA . 34 de 20/03/1903 JOSÉ DA SILVA BAPTISTA nasceu em Pirenópolis no dia 1º de setembro de 1856. essa do Coronel Zeca Batista. Presidente da Junta Administrativa da Vila.(Dô) se destacou o grande escritor-jurídico Dr. Aqui também a história registra que essa avenida. através das eleições de 1892. e seus grandes amigos. 23 . vulto proeminente e de grande destaque no meio político e cultural da nossa cidade. Adahil Lourenço Dias.ANÁPOLIS . o senhor Coronel José da Silva Baptista. foi aberta pela atuação marcante do doutor Olímpio Sobrinho.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .Centro Lei Municipal nº. sendo este responsável pela primeira casa construída naquele logradouro.

o fundador da cidade. 34 de 20/03/1903 Continuando a subir a Goiás. damos de cara com essa rua. seria dado a essa via pública o nome de “Rua 1º de Maio”.Centro Lei Municipal nº. para dar acesso aos materiais de construção da capela de Santa Ana. que fabricou a nossa carroça. RUA 1º DE MAIO: .(Dô) Aqui cabe um esclarecimento que é válido para todos os casos de morte ocorridas em Anápolis. aquela do ferreiro Querubino Pires da Silva. e começamos a percorrer a primeira rua aberta no nosso município de antanho.ANÁPOLIS . no período compreendido entre 1870. Dr. sendo Intendente Municipal o senhor Antônio Pereira Dutra. – Segundo pesquisa feita em documentos da época.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . padroeira da nossa cidade. que assumiu daquela época em diante a responsabilidade da assinatura dos atestados de óbitos ocorridos na cidade. foi sancionada a primeira Lei Orgânica do Município. até 1922. Mais tarde. por uma questão lógica. da qual ela era muito devota. que havia sido promulgada a 10 de março do mesmo ano. no dia 1º de maio de 1896. Genserico Gonzaga Jayme. Durante todo esse tempo as mortes ocorridas eram registradas pelo cartorário mediante um “termo declaratório” que era assinado por três pessoas idôneas da cidade – de preferência pessoas muito ligadas ao falecido – que além dos dados do morto atestavam o motivo da morte do finado.SUAS RUAS . época da criação da Vila de Antas. No caso do Coronel Zeca Batista informaram os declarantes que a causa da morte do grande vulto anapolino tinha sido arteriosclerose. por escolha de sua esposa. quando chegou à cidade seu primeiro médico residente. sendo o que consta da certidão fornecida pelo cartório onde pesquisamos este fato histórico. se 24 .SEUS VULTOS . Reforça essa afirmativa o fato da nossa história registrar como primeiro comerciante de Anápolis o senhor Francisco da Luz Bastos que. construída pelo senhor Gomes de Souza Ramos.

Outro vulto importante dessa rua foi o Dr. RUA ALUIZIO CRISPIM . que consagrava a criação da Lei Orgânica do Município.Centro ALUÍZIO CRISPIM. por um Congresso Socialista realizado em Paris. aqui se faz necessária uma explicação sobre a verdadeira data internacional do DIA DO TRABALHO. Esta data foi em homenagem à greve geral que aconteceu em 1º de maio de 1886. ali onde é hoje o começo da Rua Aluízio Crispim. sendo durante décadas e décadas seguidas administrado por esse admirável cidadão. Nesta rua também morava um dos maiores fazendeiros da região. essa rua só teve sua denominação confirmada como homenagem a promulgação da Lei nº. ainda em vigor. outorgada pela Intendência Municipal em 1º de maio daquele ano. o primogênito do juiz de paz e fiscal de quarteirão. quando era vigário da cidade e inaugurado no ano de 1933. 34. principal centro industrial dos Estados Unidos daquela época. Apesar de muito antiga.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . de 10 de março de 1903. Prova de que o que é de raça caça. Benedito de Barros Abreu. no ano de 1900 e falecido aqui mesmo em 1952. grande filantropo. Por tudo o que significou aquele dia na luta dos trabalhadores pelos seus direitos. por força de Lei. o senhor Odorico da Silva Leão. nascido na Vila de Antas. Capitão Silvério. estão aí os seus descendentes a dirigir com denodo e abnegação este asilo. em Chicago. fundado por Dom Abel. 25 .SUAS RUAS . até nos dias de hoje.ANÁPOLIS . Tão importante foi esse dia para a nossa história que ele é considerado feriado municipal até hoje.SEUS VULTOS . que resultou numa tragédia em que muitos operários foram presos e alguns perderam suas vidas. Agora. foi o mais destacado aprovisionador do “Asilo São Vicente de Paula”. que foi criada em 1889.(Dô) estabeleceu bem próximo da construção da Igreja Santana. o Congresso acima referido instituiu o dia 1º de Maio como o “Dia Mundial do Trabalho”.

surge uma praça de destino histórico. RUA DESEMBARGADOR JAYME: . também. Sua Excia. que na ocasião foi saudado em orações vibrantes pronunciadas pelo Dr. Filho do coronel João Gonzaga Jayme de Sá e de Maria Tomázia Batista e 26 . Brasil Caiado”.SEUS VULTOS . foi representado pelo Juiz de Direito da Comarca. em tempos idos era chamada de “Moisés Santana”.ANÁPOLIS . Dr. Esta praça.(Dô) Era fazendeiro e dono da primeira cerâmica da cidade. de Maio. Coronel Graciano Antônio da Silva. destacando no seu conjunto uma bela estátua em homenagem às “Mães” anapolinas.Centro Lei Municipal nº. PRAÇA DAS MÃES . 34 de 20/3/1903 SENADOR LUIZ GONZAGA JAYME nasceu em Pirenópolis. o homenageado. foi reconstruída na gestão do Prefeito Jonas Duarte. que ficava na atual rua que leva seu nome. Carlos Alberto de Freitas e. o Presidente do Estado de Goiás. deixando aos seus pósteros um legado de grande tradição familiar. tendo como seu Diretor o cidadão Alarico Torres Verano. Na festividade de inauguração. Goiás. 584/1976 No começo das ruas Desembargador Jayme e 1º.Centro Lei Municipal nº. Descendente de tradicional família pirenopolina. hoje. e nesse dia foi inaugurado em Anápolis o primeiro Grupo Escolar “Dr. Jovelino de Campos. razão do seu nome. tendo o seu feito maior acontecido no dia 18 de março de 1926.SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . pelo deputado Arlindo Costa. quando a Intendência Municipal era exercida pelo senhor. no dia 8 de maio de 1855. e foi também delegado de polícia do nosso município. o senhor Aluízio Crispim se fez respeitável cidadão.

Juiz de Direito de Coxim. todas as adjetivações que ficam perpetuadas. Dr. principalmente. Esta rua responde por um bom pedaço da nossa história. que continua com a: 27 . Alarico Gonzaga Jayme e Dr. O mais importante nome no conjunto da história do Estado de Goiás.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Chefe de Polícia do Estado de Goiás. Quando da sua aposentadoria. durante quase 50 anos. jornalista e político influente no Estado. Ministro do Superior Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. Juiz Municipal de Santa Luzia (Luziânia). encontramos com mais uma das reservas morais de Anápolis. A história considera o desembargador Jayme como o mais ilustrado cidadão de Goiás e. tendo sido eleito senador por dois mandatos. Estendo. honesto e caprichoso. pela paixão pela literatura e pelas artes. senhor Joaquim da Costa Ferreira.ANÁPOLIS . membro do Tribunal de Relação. no Rio de Janeiro. Juiz Municipal de Pirenópolis. que também tem rua na cidade com o seu nome. sua família é a maior do Estado.SUAS RUAS . não só de membros.(Dô) falecido em 29 de janeiro de 1921. 1909 a 1912 e de 1912 a 1921. Desembargador. o político mais importante de Goiás. por merecidas. um funcionário justo. todos do mesmo quilate.Goiás Velho.SEUS VULTOS . professor. O Desembargador Jayme foi Promotor Público da Comarca da Capital . – Nessa rua a carroça da história deu uma parada: logo no começo. Pedro Ludovico. foram serventuários da Justiça por mais de 40 anos. assim disse o influente advogado Brasil Xavier Nunes: “Joaquim da Costa Ferreira foi. que juntamente com os senhores Nicolau Silva e Almiro de Amorim. Genserico Gonzaga Jayme. sem nenhuma falta ao longo desse tempo e com relevantíssimos serviços prestados à Justiça. depois do Dr. juntamente com o homenageado. Pai de dois ilustres vultos anapolinos. mas. aos senhores Nicolau Silva e Almiro de Amorim que. souberam honrar e dignificar a justiça”.

SEUS VULTOS . Basileu Pires Leal. tendo este obelisco a característica de ser o maior monumento metálico da cidade..G. Outra lembrança é dedicada ao senhor Antônio Luiz de Pina.Pinto. abriga em seu interior duas estátuas confeccionadas em bronze que reverenciam a Padroeira da cidade.SUAS RUAS .Um instante. “Goiás” com “Arinesto Pinto”. onde deixou uma prole atuante e altamente relevante para a nossa sociedade. . e mais os senhores Querubino Pires da Silva. Seu proprietário.. Nossa Senhora Santana.(Dô) TRAVESSA SOUZA (Centro) Esta travessa faz homenagem ao senhor José de Souza. Era ali a sede do jornal “A Luta”. o “Zeca de Souza”.ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .Centro (Lei Municipal nº 244 de 1975) Nesta esquina. Um busto de bronze num pedestal representa essa homenagem. Zeca de Souza foi uma das reservas morais da fé protestante da nossa cidade. passase importante fato da nossa história. à espera de o sinal abrir e entramos na: RUA ARINESTO PINTO . Jerônimo Soares Barbosa. senhor A. que em tempos idos tinha naquela esquina uma das pensões mais antigas da cidade: “Pensão Souza”. benfeitor da paróquia que recebeu doações e muito trabalho na construção do templo dedicado à nossa Padroeira. 34 de 20/03/1903 A segunda mais importante praça de Anápolis. Dagoberto Batista e outros fizeram dessa esquina o 28 . PRAÇA SANTANA – Centro Lei Municipal nº.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . admirado e muito respeitado cidadão. Dedicado e constante funcionário Municipal. sempre atento às causas dos menos favorecidos. Maçom dos mais atuantes foi um dos fundadores do Abrigo dos Velhos “Prof. Destacou-se nos estudos práticos de contabilidade e despontou. nasceu em Uberlândia-MG.. secção de Anápolis. Anápolis tem sido parca de reconhecimento aos seus extraordinários feitos e a história tem lhe negado o pedestal a que sua memória tem direito. dia em que foi efetiva e festivamente instalada a Vila de Santana de Antas. José da Silva Batista (Zeca Batista) que foi nomeado Presidente da nova Junta Administrativa da recém criada Vila e o maior responsável pela emancipação política de Anápolis.. acontecida em 31 de Julho de 1907. 811. datada do ano 1887.(Dô) berço do Partido Comunista. homem justo e perfeito.ANÁPOLIS . Já o Venerável Mestre da Maçonaria de Anápolis. chegando à Vila de Antas três anos após. A este tão honrado. Deram trabalho. Nunca é tarde para esse reparo. dentre tantos vultos anapolinos. Nicephoro Pereira da Silva”.Centro Lei Municipal de 20/03/1903 Esta rua tomou a atual denominação como lembrança do dia 10 de março de 1892.SEUS VULTOS . Faleceu nesta cidade em 1964. Coronel José da Silva Batista.. Registre-se aqui o nome de importante vulto da nossa história. obedecendo à Lei Estadual de nº..SUAS RUAS . 29 . como o mais fiel e correto coletor de impostos do município. no ano de 1887. o senhor Arinesto de Oliveira Pinto. RUA 10 DE MARÇO: . cercado do mais alto respeito pelo povo de Anápolis. e o jornal tornou-se o órgão oficioso do PC em Goiás.

SUAS RUAS . pois já na década de 20 possuía maquinário próprio para beneficiamento de café para exportação e.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . PRAÇA DO EXPEDICIONÁRIO .ANÁPOLIS . o primeiro cinema da cidade. de posição política definida mais à esquerda.(Dô) RUA/PRAÇA MIGUEL JOÃO . oriundo do Oriente Médio. lá pelo começo do século XX. foi ele. tornando-se conhecido à época pelas suas benemerências e ajuda aos mais necessitados. de onde tirava suas conclusões da situação do Brasil e do mundo. o senhor Amazilio ficou conhecido pela sistemática audição diária das apresentações do famoso “Repórter Esso”. deixando uma numerosa prole para a edificação da sua memória.Centro (Lei Municipal nº 314 de 1953) 30 . dedicou a sua vida ao plantio de legumes e verduras das mais verdes lembranças da nossa infância.Centro Este logradouro relembra a memória de um dos mais antigos patrícios que aqui aportaram. os responsáveis pela construção do Cine Goianás. morador da cidade desde o começo do século passado. juntamente com o senhor Maximiano da Cunha. segundo dados colhidos pelo escriba. Faleceu nesta cidade. Boa lembrança essa do senhor Miguel João. Homem atual. o primeiro árabe a abrasileirar o seu nome. RUA AMAZILIO LINO DE SOUZA . Miguel João foi um empresário empreendedor. à sua época. O senhor Miguel João Alves.SEUS VULTOS . da Rádio Nacional e leitor assíduo dos jornais diários de São Paulo e Rio de Janeiro. chefe de um numeroso clã.Centro (Lei Municipal nº 179 de 1970) Chacareiro da baixada do córrrego das Antas.

nos diversos segmentos da sociedade.SUAS RUAS . se dispõe como um bravo infante às causas desenvolvimentistas da nossa cidade – Aqui cabe um comentário sobre este cidadão anapolino: há muito tempo chegou a esta cidade e se integrou de tal maneira aos nossos modos que hoje. Esta homenagem do povo anapolino pode parecer pouca.Centro (Lei Municipal nº 225 de 1950) Aqui se tropeça facilmente no passado. passou a denominar-se “Praça do Expedicionário”. esse Capitão Waldyr. durante mais de 10 meses em que o Brasil participou da Segunda Guerra Mundial. como o é. na provecta idade de 90 anos. Grande personagem. se confunde com os nossos costumes de uma província séria e de um tradicionalismo arraigado. achou para perpetuar a lembrança dos heróis anapolinos que lutaram na Itália. quando.SEUS VULTOS . Durante a Revolução dos anos 30 passou a chamar-se Praça da Bandeira e assim foi até 1953. no combate nessa guerra sangrenta levada a cabo contra os nazistas alemães e os fascistas italianos. basta entrar na Manuel D`Abadia. por força de Lei Municipal. RUA MANUEL D`ABADIA . Que o diga o nosso herói de guerra Capitão Waldyr O´Dwyer. Aqui vale lembrar que o nosso país foi a única nação sul americana a fornecer tropa treinada para se juntar aos outros países aliados na Europa.ANÁPOLIS . mas foi a maneira pela qual a nossa sociedade. a sua presença. que hoje.(Dô) Primeiramente denominada de Praça Capitão Silvério Pedro da Silva e depois Mário Caiado. Muitos feitos para poucas lembranças. não muito afeta a reconhecer os méritos dos seus filhos. que muitos vultos importantes estão à espera da passagem da carroça da história para juntarem-se a nós no levantamento dos feitos de muitos grandes homens que por essa rua deixaram marcas indeléveis de suas personalidades 31 .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

SEUS VULTOS . advogado. exerceu outros importantes cargos no Município de Anápolis. A história fala do Dr. Ooié! Parem um pouco. Manuel Francisco D`Abadia. foi Presidente da Junta Governativa da Vila de Antas e Presidente do Estado de Goiás. Manuel Pereira Dedé. Pretete e Morena. Alceu Galvão Velasco. Logo nos primeiros passos paramos à esquerda para dar um bom dia ao Senador José Lourenço Dias e a todos os seus filhos. Atacado pela febre acabou por dar com os costados em Anápolis. Deixara São Paulo no início dos anos trinta em demanda às terras do Araguaia. Uma perseguição 32 . homem conhecido como um dos maiores humanistas da cidade. delegado de polícia. Adahyl Lourenço. numa conversa amistosa. Mais na frente. Vice. promotor e Intendente por duas legislaturas. dono da maior alfaiataria que teve Anápolis. como 3º.ANÁPOLIS . proprietária do tradicional hotel do mesmo nome.SUAS RUAS . nascido em Paracatu-MG. tendo como vizinho o senhor Arinesto Pinto de Oliveira. professor. Carlos Pereira Magalhães. além de grande cafeicultor foi juiz distrital e municipal. três grandes beneméritos da nossa sociedade: Professor Antônio de Oliveira Brasil. três grandes figuras da Maçonaria anapolina. A começar pelo homenageado. Valendo também lembrar aqui uma figura de suma importância para a educação no nosso Município. Do lado direito. cuja família honra as tradições da história do nosso Estado. Diretor do Colégio “Couto Magalhães” – quantos serviços prestados -. conversando com o ilustre e respeitado Juiz de Direito Dr. É nessa esquina que morou o “Consolidador do Município” que. aonde veio a exercer o cargo de Promotor de Justiça. Dr.(Dô) ímpares. (1861 – 1945). Aqui descemos da carroça para homenageá-lo. escritor e figura marcante da sociedade anapolina e que também tem rua com o seu nome na cidade. encontramos Dona Tuna.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . cuja vida já foi cantada nessas notas. com destaque especial para o Dr. advogado e missionário por vocação. além de professor.

ANÁPOLIS . quanta dedicação familiar. e Dr. ainda hoje vivo. Que grande visão desses grandes homens. bancário. o empresário. em homenagem ao grande vulto nascido em Diamantina-MG e projetado na história goiana e brasileira. Amparado e incentivados pelo grande vulto da nossa história. Genserico surge um belo logradouro: PRAÇA JAMES FANSTONE .Goiasbanc -era o ano de 1943.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . mas na esquina da “Barão” a parada será obrigatória. senhor José Honorato. Lá estavam: Sócrates Mardocheu Diniz.. grande comerciante. divisamos um grupo de bravos empreendedores. Carlos e sua esposa. o “Evangelizador” Jarbas Jayme. na bifurcação das ruas Aquiles de Pina e Dr. Claro que estamos a ver daqui a matriarca do clã dos Puglise. Antônio Luiz de Pina. pois daqui já avistamos uma dama de preto que nos espera como uma fruta na mão. Aquiles de Pina. o General José Vieira Couto de Magalhães. Dr. É. No final dessa rua.Centro 33 . S/A. Olha ali em frente o senhor Francisco Dollis. senhor Albérico Borges de Carvalho.(Dô) religiosa impedia que os filhos de protestantes se matriculassem nas escolas públicas. reunidos numa assembléia a fim de fundar o Banco Comercial do Estado de Goiás. o Dr. Elizeu Jorge de Campos e Benedito Batista de Abreu. resolveram fundar uma escolinha primária para atender as poucas famílias que tinham decidido pela fé protestante. insatisfeitos com a situação. mas bem em frente. Quanto exemplo. Cel. juntamente com os seus vizinhos. o humanista anônimo que.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . olhando com atenção. quanta saudade! – É. Christalino Bernardino Costa. Genserico Jayme. James Fanstone são membros efetivos da galeria das maiores reservas da moral anapolina. Visionários como eram denominaram a Escolinha de “Colégio Couto Magalhães”. . Ufa! – foi duro deixar estes vultos para trás. dona Gertrudes.. dona Vó Caetana. Graciano Antônio da Silva.

SUAS RUAS . Pedro Dias Campos.Passará a ser denominada PRAÇA JOÃO PESSOA a praça que até então se denominava Senador Ramos Caiado. os grandes vultos. Art. Art.ANÁPOLIS . que hoje empresta o seu nome para denominar a Travessa que liga a Praça James Fanstone à Rua 7 de Setembro.Fica sendo denominada de Praça Mário Caiado a denominada até então Cel.Passará a ser denominada de Rua Getúlio Vargas. Assume a Intendência Municipal o respeitável senhor João Luiz de Oliveira. 2º .Revogam-se as disposições em contrário João Luiz de Oliveira Intendente Municipal Toda essa mudança aconteceu sob os olhares atônitos dos moradores dessa praça.(Dô) (Lei Municipal nº 048 de 1959) Aqui a história se aprofunda. desde há muito radicado em Antas. em 11 de novembro do corrente. 4º . onde se casou com Dona Senhora. Graciano Antônio da Silva (Sanito). Silvério Pedro da Silva.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . triunfante em 24 de outubro findo. 34 . Art. 1º . exarado pelo Chefe do Governo Provisório. de 24 de novembro daquele mesmo ano.Passará a ser denominada Rua Antônio Carlos. 5º . que dizia: “usando das atribuições que lhe são conferidas pelo Instituto Constitucional do País. Art. a rua então denominada de Comercial ou 15 de Novembro. Surgem os primeiros atos da presença da Revolução vitoriosa de 24 de outubro de 1930. 3º .SEUS VULTOS . resolve o intendente municipal”: Art. a rua que até então se denominava Cel. 4. natural de Piracanjuba. e em obediência à Resolução nº.

alcançando a equiparação Federal em 1947.SUAS RUAS . Homem empreendedor e de espírito filantrópico. no Royal Army Medical Corps. tendo se transferido para Anápolis em 1911. Do alto do mais elevado edifício da Praça. colocando o seu nome na praça que ainda hoje abriga a mais linda história da medicina anapolina: A Praça “JAMES FANSTONE”. cercado do carinho e do respeito de toda a população. conselheiro. Nascido no Recife. no 35 . presidente do Conselho Distrital.(Dô) Este senhor. além de fazendeiro e comerciante. com distinção em Patologia e Clínica Médica. onde fundou uma grande casa comercial. a 8 de agosto de 1890. intendente e Prefeito de Anápolis. classificando-se em segundo lugar. em Medicina e Cirurgia. Grande figura o senhor Sanito.ANÁPOLIS . serviu no Exército Britânico. onde iniciou a construção do maior hospital do Estado de Goiás e nele mantém até hoje a Escola de Enfermagem “Florence Nigthingale”. chamada de “A Rainha da Barateza”. em dias mais recentes. Do outro lado da praça. também era testemunha o senhor Antônio Luís de Pina. colou grau na Universidade de Londres. Em 1915. Filho de missionários.SEUS VULTOS . sendo o segundo médico residente da cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . foi juiz distrital. Pernambuco. Durante a Primeira Guerra Mundial. logo se dirigiu para a Inglaterra. Nada mais justo que a Câmara Municipal. tendo falecido nesta cidade no ano de 1966. ocupou importantes cargos – delegado literário e subdelegado de Traíras. que veio para Anápolis no começo da década de 20 (1925) do século passado. Claro que a história está a falar do mais ilustre médico goiano. nascido em Pirenópolis. tenha tido a lembrança de reverenciar a memória deste tão ilustre cidadão. James Fanstone. a tudo assistia a figura ímpar da história de Anápolis nos seus últimos 80 anos. fundada em 1933 e reconhecida pelo Estado em 1937. onde foi educado. Dr. em 1889.

recebeu de Sua Majestade o Rei Jorge VI. da Inglaterra. do Colégio Couto Magalhães. recebendo também o diploma de Medicina de Higiene Tropical. Já no Brasil. Casou-se com Ethel Marguerite Peattdield (Dona Dayse Fanstone). Sociedade Real de Medicina e Higiene Tropicais e do Colégio Real de Cirurgiões. onde dois anos depois. como Capitão-Médico.(Dô) Regimento Northampton. ocupando a Cadeira 17. É membro fundador do Rotary Club de Anápolis.ANÁPOLIS . Foi fundador. “Missionary Adventure in Brazil” e “Três Teses”. em 1922. Alguns anos mais tarde. cujo Patrono é Jovelino de Campos. a partir de 1934. Vinculado às várias entidades culturais e de classe. tornando-se Diretor do mesmo. também. entre as quais. tornou-se Livre Docente da Cadeira de Medicina Tropical. Em 1951. fundou a Escola de Enfermagem “Florence Nightingale”. em 1915. na Universidade de Londres. fundou o Hospital Evangélico Goiano. do qual foi Presidente em várias oportunidades. Entre suas obras. Em 1921. o título de Oficial da Divisão Civil da Mais Excelente Ordem do Império Britânico. terminou por fixar residência em Anápolis. “Discussões sobre Quinino”.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . revalidou o seu diploma. em 1932. de 1915 a 1919. em 1925. conquistou o título de Doutor em Medicina. destacam-se. Foi assistente. Após conhecer várias partes do Brasil e também de Goiás. 36 . em 1937. A partir de 1921. da Inglaterra. com quem teve dois filhos: o médico Henrique Maurício Fanstone e o advogado William Baird Fanstone. defendendo Tese na Universidade de Minas Gerais. personagens marcantes na nossa história. em 1923. junto com Carlos Pereira Magalhães.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . pertence também à Academia Anapolina de Letras e Artes. Cidadão Anapolino. da Clínica Médica de Lord Dawson.

SUAS RUAS . nutria tamanha admiração pelo seu colega. GENSERICO – Centro DR. aonde fez seus estudos básicos. Fanstone. Genserico homenageia outro grande vulto ímpar da nossa história. RUA DR. foi constituída em Anápolis a “Fundação James Fanstone”. inspetor de higiene e deputado estadual constituinte.SEUS VULTOS . para homenagear o Dr. que em uma única oportunidade na vida quebrou a aversão que nutria de ir ao cemitério. a figura do Dr.. Câmara Filho. como também participou intensamente da dor coletiva da população anapolina. seu pai. Segundo nos relata o admirado senhor Bill Fanstone. Nascido em Vila Boa (Goiás Velho). Dr. Médico humanista foi professor do Instituto de Ciências e Letras e da Escola Normal. sendo o mais votado naquela eleição. a Rua Dr. Genserico e dar 37 . Genserico até hoje é reverenciada pelas famílias mais antigas da cidade. em 28 de janeiro de 1898. na continuação da Praça James Fanstone. Desempenhou os cargos de conselheiro do município. GENSERICO GONZAGA JAYME. sendo o primeiro médico residente da cidade. Genserico. transferiu-se para o Rio de Janeiro onde se diplomou em medicina no ano de 1922. quando não só compareceu. O impacto pelo falecimento desse extraordinário vulto anapolino. Filho do Desembargador Jayme. decretou feriado municipal naquela segunda feira.ANÁPOLIS . Genserico em dezembro de 1943 e sua lembrança é viva até hoje. comoveu tanto a população que o prefeito da época. aonde chegou ao fim desse mesmo ano.(Dô) Com sua morte e em sua homenagem.. Faleceu o Dr.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Dr. E por estar falando em médico. por que não lembrar. Presidente do Conselho. E isso aconteceu justamente na morte de seu grande amigo. Dr. Está inserido na galeria dos homens mais honrados e respeitados do nosso Estado. 27 de dezembro de 1943. médico. preferindo fixar-se em Anápolis.

ANÁPOLIS . mas sinceras. nada mais se pode esperar deste veterano da imprensa sertaneja. impiedoso e irremediável. ocasionada pelo desaparecimento do grande brasileiro Genserico Gonzaga Jayme. morais e materiais que me têm acometido. senador federal e de dona Maria Augusta Sócrates Jayme. como onda de dor pela minha alma e pela alma do povo goiano. ocorrido em Anápolis. a imensa dor que ainda o confrange.. Renunciante forçado pela fatalidade da inteligência fraquejante às atrações da estese literária. desfiguradamente embora. desfolhando. o que o Estado de Goiás. sem ser arvorado de suspeito. Aqui. grande jurista. o filho do desembargador Luiz Gonzaga Jayme. por suas correntes responsáveis de opinião.(Dô) oportunidade de toda a cidade dar adeus ao seu grande benfeitor. Não me anima o propósito de tecer o necrológio de Gens tanto mais que não faria que repetir. que me prendiam ao ilustre finado. para registro maior da história.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Comovido da grande comoção que se espraiou. à memória do saudoso amigo. não me impedem que. pedimos licença especial ao seu grande amigo. a 26 de dezembro último. ambos de tradicionais famílias goianas. com absoluta fidelidade. venho render. com a morte 38 . os feitos e a benemerência desse homem notável.SUAS RUAS . o seu grito de dor pela perda de tão ilustre cidadão que com a sua vida enriqueceu a história da nossa cidade. fibra por fibra. nestas linhas apagadas. as homenagens de minha imorredoura gratidão.SEUS VULTOS . que a morte aniquilou com golpe rude e traiçoeiro. por seu escol pensante. fale sobre a vida. Abaixo. mas animadas de lealdade e dedicação à memória do inesquecível morto. o inteiro teor da sua mensagem: “Não posso calar a voz do meu coração e. por seu povo bom e laborioso já tem dito. por seus elementos representativos. senão frases descoloridas. para transcrever. em virtude de perpassar dos anos e dos sofrimentos. escritor Jarbas Jayme. Os laços de parentesco espiritual e consangüíneo.

em companhia de seus dignos pais e irmãos.SEUS VULTOS . do Comendador José Gonzaga Sócrates de Sá e de D. quer na política local e estadual. ali. sua tenda de trabalho e. recebeu o diploma de médico. 39 . e D. Maria Tomázia Batista e pelo lado materno. Estados Unidos. diretor de higiene do estado e deputado à Assembléia Estadual. procurarei sintetizar. Em 1912.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . e parte de humanidade no Liceu de Goiás. quer no vasto campo da medicina.SUAS RUAS .ANÁPOLIS . no desempenho de cujas funções revelou inteligência. coube-lhe a defesa da tese “Tétano Cefálico de Origem Ocular”. de sua terra natal. Foram seus pais o senador Luiz Gonzaga Jayme. Foi conselheiro municipal e inspetor de higiene da nossa cidade. concluídos os preparatórios. relevantes serviços prestou aos goianos. de saudosa memória. independência e integridade moral. honestidade. Ana Basília Batista. Para a realização desse desejo. Maria Augusta Sócrates.(Dô) de Genserico Jayme. tanto quanto possível. Após um curso dos mais brilhantes. seu espírito ainda aspirava a posição mais elevada: o grau de doutor em medicina. fixando. a 28 de janeiro de 1998. O nome do ilustre coestaduano foi aclamado pelas revistas médicas da grande nação amiga. havendo-se especializado em oftalmologia. pelo lado paterno. Vencido esse estágio de sua carreira científica. sem se haver transviado para a sordidez das paixões mesquinhas e vingativas. o que me determina a consciência e dever de gratidão. realizado em Cleveland. em outubro de 1940. No tradicional Colégio Sant`Ana. Em 1922 assentou residência em Anápolis. matriculou-se na Faculdade de Medicina da grande metrópole nacional. trabalho esse que causou admiração nos cientistas nacionais. transferiu-se para o Rio de janeiro e ali. que lhe teceram os mais honrosos elogios. do coronel João Gonzaga Jayme de Sá e D. durante 21 anos de benéfica atividade naquela terra dadivosa. Nasceu Genserico Gonzaga Jayme na vetusta e lendária cidade de Goiás. fez os estudos primários. e aos que tomaram parte no Primeiro Congresso Pan-Americano. Era neto.

pois era profundamente modesto. em vários representantes da elevada categoria a que ele se filiou. de maneira assombrosa. Clínico notável e oftalmologista de renome. para o Estado de Goiás. tudo desbota e tudo faz esquecer. é bem difícil a um indivíduo atravessar incólume. sem fazer alarde do seu valor científico. Genserico exerceu. por vocação e amor à ciência médica. de acordo com as possibilidades do cliente. Teve sempre.SEUS VULTOS . além da satisfação que lhe empolgava a alma. do que no mero exercício de uma função lucrativa. a imagem do bem público. Quando Genserico assumia a responsabilidade de um caso clínico ou oftalmológico. via-se que ele se esmerava. jamais se revelando ganancioso.(Dô) que rebaixam a dignidade humana. logo apostalado. A morte desse grande brasileiro constitui. O tempo. Os beneméritos não podem ser compreendidos nem apreciados por seus coevos: somente a posteridade pode fazer justiça e pagar o tributo devido aos grandes homens. diante dos olhos. como cientista. como soube faze-lo Genserico Jayme. para quem a carreira que abraçara era verdadeiro sacerdócio. quando aqueles louros se consolidavam com a alegria daqueles a quem o doente interessava. que a tudo destrói. Mais se comprazia em satisfação íntima de diminuir as dores humanas. Nestes dias de apatia. de indecisões. soube cumprir a sua nobre e humanitária finalidade. desdobrava-se em energia e cuidados.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . e esses. no sentido de cercear a enfermidade e colher os louros decorrentes da vitória científica. no Município de Anápolis e circunvizinhos. para a infelicidade nossa. Dr. Em fim. sobretudo de versatilidade de caráter.ANÁPOLIS . porque negá-lo. de incoerência e. jamais se deixou contaminar desse espírito mercantil e comercial que.SUAS RUAS . para a sociedade anapolina e. não conseguirá apagar o ambiente de angústia que 40 . Em plano inferior colocava os proventos a que havia feito jus. as tempestades da vida e conservar seu patrimônio moral. a perda de preciosa relíquia que abre impreenchível sulco em nosso meio. predomina. especialmente na dignificadora e nobre classe a que ele pertencia.

a mão generosa a espalhar benefícios. a não ser o que vai nestas linhas desativadas. ao notável estadista mineiro Anápolis nada deve. Essa unanimidade de sentimentos evidencia a medida do valor e dos méritos do ilustre e saudoso desaparecido. tomado o nome do grande vulto anapolino Dr. E para continuar com essa estirpe de homens. recorda-se que seu pleito foi atendido parcialmente. Genserico Jayme. especialmente a dos humildes. como subsídio para a galeria dos varões ilustres do nosso Estado.SEUS VULTOS . Dessa grande dor que me punge a alma participaram todas as classes da sociedade anapolina. E como notícia da época. de vez que.ANÁPOLIS . Genserico Jayme. naquele médico filantrópico e no simples cidadão. daquela florescente cidade. se. Nenhum favor faria Anápolis à memória do ilustre médico e amigo dedicado e franco. por intermédio de seu digno prefeito. co-fundador do 41 . no calendário do estado de Goiás. o nome da Rua Antônio Carlos. em sua edição de 30 de janeiro de 1944. nada como recordar aqui ângulos da vida de um dos mais ilustres moradores que morou naquela rua. senhor Augusto Pinto Pereira. Esta grande página literária – um verdadeiro réquiem de autoria do grande escritor Jarbas Jayme foi publicada no jornal “O Anápolis”. substituísse. tendo a Rua 6 de Agosto. Nada mais poderei aduzir. Seria um penhor de gratidão ao pranteado morto e à sua gloriosa memória. que continuará a viver no culto e na admiração e a receber as homenagens de profunda saudade do povo goiano. (Palmeiras – Goiás)”. que sempre encontrou.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . pelo de Rua Dr. cuja perda todos lamentamos. que ficará como o dia do pranto e da saudade.(Dô) envolveu o dia 26 de dezembro de 1943. respeitável maçom e grande benemérito do Sanatório Espírita de Anápolis.SUAS RUAS . Trata-se de uma figura das mais proeminentes da filantropia e da caridade desta cidade. Esta rua começa na Praça James Fanstone e se estende até à Praça Oeste.

e seu principal representante político. por que não lembrar.ANÁPOLIS . 42 .. Genserico. morador da Rua Dr. porque vamos entrar na antiga Rua Getúlio Vargas. senhor Carlos de Pina.Centro (Lei Municipal nº. conselheiro municipal. Nicephoro Pereira da Silva” e outros segmentos de assistência social. dona Ernestina Elisa das Dores. Filho do não menos ilustre jornalista e poeta. Aqui a carroça da história dá uma marcha-à-ré. juiz municipal e deputado estadual. Mas quem será este tão admirado homem.e sua admirável esposa. Fixou-se ainda jovem em Antas. Publicou em 1907 seu livro de poesias: Lírios do Vale. Genserico? – A resposta é imediata: Moacir Romeu Costa. na suplência do Dr. Honrada figura essa do seu Augusto Pinto. desse. Falando em benemerência. Arlindo Costa foi chefe político. O que é de raça. além de Antônio Luiz de Pina. sem sombra de dúvida. elegendo-se. Agostinho de Pina. nascido em Pouso Alto e criado em Antas. Arlindo Costa (1881-1928).SEUS VULTOS .. presidente do Conselho. Político de grande prestígio em todo o Estado foi conselheiro do município e juiz municipal. eleito prefeito de Anápolis por dois mandatos. Moacir Costa foi criado e educado pelo senhor Francisco Pereira Dutra – tio avô do autor . 143 de 1968) AQUILES DE PINA nascido em Pirenópolis – 1894 – 1968. desenvolvendo atividades comerciais em grande escala. hoje. Esta rua foi o berço do reduto da família Pina.(Dô) Abrigo dos Velhos “Prof. deputado estadual no ano de 1934.SUAS RUAS . hoje: RUA AQUILES DE PINA: . pontificando. o maior filantropo vivo da nossa cidade! – Com certeza a história não se fará ausente no registro da passagem desse ilustre senhor na vida dos mais necessitados da nossa cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . caça.

registra a história que no ano de 1835 chegou a este lugar uma família de lavradores vinda das bandas de Meia Ponte (Pirenópolis).SUAS RUAS . Neste local nasceu seu primeiro filho. Que bom é poder registrar isso. como juiz distrital. E o seu sucedâneo foi seu irmão Miguel Pereira Dutra. que desempenhou diversas funções públicas. delegado de polícia e procurador-fiscal da intendência e da prefeitura. senhor José Fernandes Valente. negociante e homem público e segundo intendente eleito da Vila .SEUS VULTOS . filha do senhor Joaquim Pereira Dutra e mãe do autor dessa obra. para resgatar. É justa a posição de destaque do senhor Valente na galeria dos mais honrados homens desta cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Dona Amélia nasceu na esquina desta rua com a Rua Pina Júnior. tendo oportunidade de dirigir o município por dois anos como titular. Dessa forma e por uma questão de justiça. e ficamos sabendo sobre esses vultos invulgares. Aqui também é necessário um registro especial: foi nessa rua que alguns vultos anapolinos de destaque nasceram. notórios. A história registra aqui a presença do insigne e honrado homem. antense. que desempenhou os cargos de conselheiro municipal e suplente de intendente. Antônio Pereira Dutra – 1845-1908 – lavrador. durante mais de cinqüenta anos. – 1897-1974 – Nascido em Descalvado-SP. 43 . veio cedo para Antas exercer sua profissão de farmacêutico. chefiada pelo senhor Manuel Pereira Dutra de Sousa. Foi o político que mais tempo exerceu o cargo de Intendente e Prefeito de Anápolis. Assim. antense como ele. a carroça da história. Na data de 1879.(Dô) É dessa rua também a lembrança da figura veneranda de um dos mais ilustres e acatados cidadãos da Anápolis antiga. Ocupou também a função de conselheiro do município. deu uma parada na porta da casa da dona Amélia Pereira Dutra. Morreu no ano de 1932 em São Paulo.1895/1897 – e o primeiro anapolino a exercer este cargo. onde foi perguntada. nasceu o seu filho Francisco Pereira Dutra.ANÁPOLIS .

até aos nossos dias. onde se impunha pela precisão e sensatez com que externava a sua opinião sobre os assuntos médicos. sempre preferindo a modéstia 44 . com a característica de excessiva modéstia. Mais tarde foi conhecida como “Beco do Zé Elias”.Centro JOAQUIM PROPÍCIO DE PINA JÚNIOR. mas até admitir. Clínico dos mais ilustres.ANÁPOLIS . jamais se vangloriou de seus feitos. pois na esquina existia um pé de abacate excessivamente alto.SEUS VULTOS . Não via diferença no tratamento entre ricos e pobres. entre a Praça James Fanstone e a Rua Aquiles de Pina existe uma pequena rua. RUA PINA JÚNIOR . de tão grandes eram uma ameaça aos transeuntes que pela calçada passavam. É uma rua pequena que não retrata a importância do homenageado. que a todo tempo era exaltado pelo êxito de seus diagnósticos. cujos galhos pendentes. Dr. sem visar recompensa pecuniária. De sentimentos puros.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Pereira Dutra. Joaquim Propício de Pina Júnior.SUAS RUAS . desde 1830. Pina Júnior foi um médico de sensibilidade rara. indo servir como médico na Marinha Brasileira.(Dô) não só as suas memórias. Muito embora tenha atendido a centenas e centenas de doentes de suas dores. ser esta família. uma das mais antigas encontradas aqui pelos nossos historiadores. que nasceu em Pirenópolis – 1897-1943 fez seu curso preparatório em Vila Boa e Uberaba. o Dr. cheios de frutos. o seu nome sempre foi lembrado com respeito e admiração entre os seus pares e amigos. Mudou-se para Anápolis onde foi inspetor e médico dedicado à pobreza. fazendo da sua profissão tão somente um apostolado. Formou em medicina em 1926. atendia a todos com uma dedicação ímpar e muita boa vontade. segundo registra a nossa história. antigamente identificada por “viela do abacateiro”.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . esse dia é duplamente importante para Anápolis. pois é nesse dia que comemoramos o aniversário da nossa Independência do jugo português. Érides Guimarães. para muitos que não sabem o significado desta palavra. no ano de 1935 que. pois foi numa manhã desse dia. Foi no dia 7 de setembro de 1922. Foi graças a ampla visão de Anapolino de Faria.SEUS VULTOS . Inteligência. entrou na cidade o primeiro comboio 45 . Anápolis. como o admirado cidadão anapolino Mounir Naoun. triunfalmente. clube de serviço muito importante no mundo inteiro. Excessivamente carinhoso para com a família e amigos. ainda hoje. Voltando à Praça LIONS. LIONS. em São Paulo. é membro ativo daquele Clube. Lógico que essa data é uma das mais importantes que se celebra no Brasil. mais uma vez. Amadeu Cunha. que Dom Pedro I deu o grito da nossa emancipação de Portugal. “Independência ou Morte”! Coincidência ou não. foi pioneira no Centro Oeste brasileiro ao fundar o primeiro clube dessa organização em nossa cidade.ANÁPOLIS . Nacionalidade e Serviços. às margens do riacho Ipiranga. Boulanger Brossi e tantos outros que. Seu retrato está revelado em outro quadro deste livro. que passados cinqüenta anos. RUA 7 DE SETEMBRO – Centro (antiga Rua Nova-Lei nº 34 de 20/3/1903) Independência! Independência! Independência! Não poderia ser diferente. Anápolis. José Abdala. percorria diariamente as casas de todos os seus parentes e amigos mais íntimos. quer dizer: Liberdade. apenas como curiosidade. Ordem. como a maioria das grandes cidades do País.(Dô) como sua marca maior e sua virtude excepcional. tem uma rua com essa denominação. o “Anápolis Centro”. Por esta rua chega-se à Praça do “Lions”.SUAS RUAS .

que nasceu Manuel Ferraz de Campos Sales. em Campinas-SP. Com a proclamação da República. do Governo Provisório. no dia 13 de fevereiro de 1841.SUAS RUAS .ANÁPOLIS . que havia 46 .SEUS VULTOS . onde fez seu curso científico. a chamada Travessa Campos Sales. assume a Pasta da Justiça do Governo Provisório.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . o maior ecologista do nosso meio e a figura marcante do professor e grande empresário José Abdala. ambos já falecidos. que viria a ser dissolvida em 1888. Com a Proclamação da República. Esta rua começa á 7 de Setembro e termina na Rua 10 de Março. trazendo para nossa sociedade os seus filhos. transferindo-se para São Paulo aonde se formou em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco. juntamente com Prudente de Morais é eleito á Câmara Geral de Deputados. assume a titularidade da Pasta da Justiça. chefiado pelo Engº Wenefredo Bacelar Portela.(Dô) da Estrada de Ferro Goyaz. Em 1881 é eleito Deputado nas eleições à Assembléia Provincial e. depois de exercer diversos cargos. três anos depois. que mais tarde daria seu nome a uma das nossas ruas. onde se casou e constituiu família. Em 1868 é eleito deputado pelo Partido Liberal. Como a maioria dos patrícios. o eterno vereador Amador Abdala. entre os quais. Antes do fim dessa rua temos duas vielas: RUA CALIXTO ABDALA .Centro Lei Municipal 287/1971 Senhor Calixto. TRAVESSA CAMPOS SALLES – Centro Um pouco mais à frente encontramos mais uma viela. o senhor Calixto foi negociante e se estabeleceu definitivamente na cidade. realizando o seu grande sonho. morador muito antigo da cidade e de origem árabe. Um ano depois é proclamada a República.

SUAS RUAS .(Dô) sido exercido interinamente por Rui Barbosa. e seis anos após.Centro Ao percorrer esta importante artéria central. Hoje é dia de festa. Rogério “Fogueteiro”. RUA ENGENHEIRO PORTELA . João Asmar. Jorge Pedreiro que. no mês de dezembro de 1887 que. através da Lei 811. 10 horas da manhã de 7 de Setembro de 1935. Em 1890 é eleito senador por São Paulo. A banda de música executa estridentes dobrados no maior estilo de júbilo pela ocasião.SEUS VULTOS . certamente.ANÁPOLIS . encontramos dois moradores. porém. até galgar à presidência do país em 1898. um dos fundadores do mais antigo jornal e de maior tempo de circulação do Estado. O foguetório é intenso e o artista responsável por tão feérico 47 . Faleceu em São Paulo a 28/01/1914. “O Annápolis” e o senhor Edwirges Soares que nos afirmaram que esta rua tem o seu nome diretamente ligado a uma data muito importante para a história da cidade. Jonas Duarte. RUA 15 DE DEZEMBRO: .Centro WENEFREDO BACELAR PORTELA. deixando a condição de freguesia de Santana de Antas e criada a Vila de Santana.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Disseram mais que outras informações poderiam ser tomadas com seus ilustres vizinhos de rua: senhores Jaci Borges. confirmariam os dados aqui contidos. Dia glorioso esse da criação da Vila. Foi justamente nesse dia. Anápolis e todos os arraiais vizinhos se aglomeram na grande Praça da Estação. era declarada a emancipação territorial da região de Pirenópolis. João Luiz de Oliveira. presidente do Estado de São Paulo. duas reservas morais do nosso passado recente. senhores Luiz Caiado de Godoy. só efetivamente instalada no dia 10 de março do ano de 1892. Barbahan Helou.

Anápolis. com o fito de fundar um novo banco em nossa cidade. S/A. por decisão do então Prefeito João Luiz de Oliveira. O ranger dos freios se ouve ao longe e logo começa o processo de frenagem da máquina até a gare. logo no início desse passeio. pois agora. respeitável e uma das maiores reservas morais da nossa cidade. tomou o atual logradouro o nome de Rua Engº Portela. na esquina da Praça Bom Jesus. Anos depois. O primeiro que encontramos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .Oestebanc que muito mais tarde seria encampado pelo Banco do Estado de Goiás.ANÁPOLIS . Tão pujante era a nossa cidade que mais parecia terra 48 . Do interior do vagão principal desce um jovem engenheiro que foi o responsável pela construção da parte final do trecho: Leopoldo de Bulhões . se ufana pelo entusiasmo da grande população que aprecia aquele belo espetáculo. paramos a Carroça. Nicanor Faria Silva e Alfeu Medeiros. Cresce a expectativa. titular do Cartório do 2º Ofício de Notas. fato este ocorrido no ano de 1937.SEUS VULTOS . com o título de cidadão anapolino e. os empresários responsáveis pela criação do Banco Imobiliário e Mercantil do Oeste Brasileiro.SUAS RUAS . Foi agraciado pela Câmara Municipal. Seu nome? – Engº Wenefredo Bacelar Portela. pois queríamos apresentar-lhe dois vultos residentes naquela rua. já no ano de 1945. e em segundo ato pelo insigne e respeitado Intendente José Fernandes Valente. Eram os empresários Jonas Ferreira Alves Duarte.(Dô) acontecimento. convidamos o valente engenheiro a que ocupasse um banco da carroça da história. . cidadão da mais alta honorabilidade. Plácido de Campos. dentre outros. foi o senhor Almiro de Amorim. Bem mais em cima. Lá vem o trem! Gritava o líder político. senhor Rogério Fogueteiro. encontramos um grupo de empreendedores reunidos em Assembléia. à nossa direita. E o barulho das rodas nos trilhos já se ouvia. S/A.

(Dô) de mineiros: uma população de pouco mais de cinqüenta mil habitantes e já possuía dois bancos locais. aqui chegou em 1927. local e interurbano de Anápolis. praça essa que serviria de cartão postal da cidade para os viajantes que aqui aportavam pela estrada de Ferro. advogado e político goiano Antônio Americano do Brasil. Do quadrilátero formado pelo começo das ruas 15 de Dezembro. Aqui também se desfaz o desconhecimento popular de que este logradouro teria seu nome ligado ao grande poeta. que foi assassinado em Luziânia e. encontramos o senhor Washington Carvalho. escritor. PRAÇA AMERICANO DO BRASIL – Centro GALENO AMERICANO DO BRASIL. filho de Antônio Eusébio de Abreu Júnior que. 49 . mas este nunca teve nenhuma ligação de realce com a nossa história. toda ajardinada e com coreto. lá foi enterrado.SEUS VULTOS . 7 de Setembro. no Rio de Janeiro – Galeno Americano do Brasil – nascido na Vila Santana de Antas no dia 11 de junho de 1894. jornalista. Tão importante logradouro público não poderia tomar outra denominação do que o nome do primeiro filho de Anápolis a se formar em medicina. constituídos inteiramente por capital anapolino. o introdutor do serviço telefônico. Antônio Americano era irmão do nosso médico. em 1917. grandes empreendedores! Do lado de cima da Praça Bom Jesus. Grande figura que deixou marcas na cidade pelo seu pioneirismo. Grandes. foi construída uma bela praça.ANÁPOLIS . no local onde foi o antigo cemitério da cidade.SUAS RUAS . prestando relevantes serviços ao seu povo. pelo que consta. isso lá pelos idos do fim da década de trinta. depois de clinicar em São Paulo por dez anos. iniciando uma carreira brilhante. toda a extensão da frente da Estação Ferroviária e mais a frente do antigo Hotel Faria.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

gente pobre e humilde como Teresona.Centro 50 . Devota do Senhor Bom Jesus da Lapa. encanta a nossa população e também o nome da praça.SUAS RUAS . no Centenário das Antas. um dos primeiros padres daquela paróquia e o que mais tempo exerceu o sacerdócio em Anápolis. Rua General Joaquim Inácio. nesta praça. Conta-se que daí surgiu a tão conhecida Festa do Senhor Bom Jesus que.ANÁPOLIS . uma festa em homenagem ao santo. Isso atraiu a atenção do vigário de Santana. Maria Teresa de Jesus. Dentro dessa urna estão recordações e lembranças dos anapolinos daquela época. Era empregada de muitos anos do senhor Américo Borges de Carvalho.(Dô) PRAÇA BOM JESUS – Centro Segundo consta dos livros de histórias de Anápolis. e um busto erguido à memória do monsenhor João Olímpio Pitaluga. RUA GENERAL JOAQUIM INÁCIO . A princípio participavam dela apenas os vizinhos. é a maior praça e a que tem a estátua em bronze do fundador da cidade. Esta Praça também foi hospedeira do prédio da Prefeitura Municipal e do Fórum por várias décadas. e a festinha foi crescendo até transformar-se em romaria. Ainda.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . sendo hoje suas instalações usadas para abrigar diversas secretarias da administração municipal. ou melhor. lacrada por ocasião do Cinqüentenário da Cidade. Formada pela Avenida Goiás. Rua Barão do Rio Branco e Engº Portela. morava aqui uma baiana chamada de Teresona. fazia todos os anos. senhor Gomes de Souza Ramos. urna essa que deverá ser aberta no ano 2007. está localizada uma urna. no dia 6 de agosto.SEUS VULTOS . desde 1913. padre Henrique Isquerdo de Oliver que resolveu assumir oficialmente a devoção ao Bom Jesus.

senhor Narceu de Almeida. Alarico Gonzaga Jayme. que foi casado com dona Emerenciana Azevedo do Espírito Santo Cardoso. a bordo do “Scout Ceará”. morou durante muitos anos uma figura ímpar da nossa sociedade.SUAS RUAS . mais abaixo o Clube Recreativo Anapolino. as duas vertentes no Exército Nacional dos Cardoso. General de Brigada da Ativa.SEUS VULTOS . senhor 51 . encontramos um ilustre personagem da cidade. ou sejam. de cujo consórcio nasceram em Goiás Velho-Go.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .. na Baía de Guanabara. Nascido em Anápolis no ano de 1894. Antes da Guerra do Paraguai ingressou no Exército como voluntário. faleceu no Rio de Janeiro em junho de 1924. Depois de uma das mais gloriosas carreiras militares. Na esquina dessa rua com a Praça Bom Jesus. inclusive na propaganda da República. Joaquim Ignácio Baptista Cardoso. em 15 de julho de 1875. no 20º BC de Goiás e cadete de 2ª classe em 13 dias após. os irmãos Joaquim Ignácio e Augusto Ignácio Cardoso que atingiram o generalato no Exército. tendo como um dos fundadores o Dr. Descendo mais esta rua. ainda na Praça. enquanto conspirava pela República. Capitão Felicíssimo do Espírito Santo Cardoso. com a provecta idade de cem anos.(Dô) JOAQUIM IGNACIO BAPTISTA CARDOSO. aos quinze anos. avô paterno do Presidente Fernando Henrique Cardoso. notabilizou-se como grande musicista e esportista.ANÁPOLIS . Foi por mais de vinte anos titular do Cartório do 4º Ofício de Anápolis. Abalado moralmente – acredita-se – pela ingratidão e desconsideração por seus relevantes serviços. em 5 de maio de 1922. encerrou suas atividades no Exército como Marechal da Reserva. vindo a falecer em Nerópolis no ano de 1952. nasceu em 24 de junho de 1860 em Vila Boa. Como General comandou a Região de Pernambuco e criou a “Liga Pernambucana Contra o Analfabetismo”. senhor Francisco Campos do Amaral. A mais profunda raiz da família Cardoso no Exército é a do seu pai.

às margens do Córrego das Antas. Sério problema social que levou anos para ser resolvido geograficamente.Centro Esta rua conviveu durante muitos anos com dois fatos antagônicos. de onde vinham desaguar os novos ricos da epopéia que viveu aquele tempo. senhor Manuel Pereira Dedé. O outro fato é que durante muitos anos . em Domingos Xavier Nunes e no prédio da Cadeia Pública. já estávamos chegando à divisa.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SUAS RUAS . principalmente com o advento da construção de Brasília.SEUS VULTOS .. 52 . pois a solução encontrada foi transferir aquele antro de prostituição para além da Avenida Pedro Ludovico. marca o início do processo revolucionário que libertou o povo francês do jugo da tirania. Mas a rua tem a sua história na família Stekelberg. no Mercado Municipal. Em razão da grande concentração de riqueza na nossa florescente cidade. Primeiro foi a celebração da vitória da Revolução Francesa – 14 de Julho de 1789 – onde a situação social naquele país era tão grave e o nível de insatisfação popular tão grande que o povo foi às ruas com o objetivo de tomar o poder e arrancar do governo a monarquia comandada pelo Rei Luis XVI. Daí pra frente. RUA 14 DE JULHO . Igualdade e Fraternidade”. pois ele representava o início do estado liberal. no complexo industrial de “Pina & Irmãos”. em 14 de Julho de 1789. uma das maiores zonas de prostituição do Brasil Central. homenageado com rua em seu nome em outro bairro.(Dô) Jandir Batista. na Loja Maçônica “Lealdade e Justiça II”.ANÁPOLIS . O lema dos revolucionários franceses era: “Liberdade. no Colégio Auxilium.de 1940 a 1960 – Anápolis conviveu com o cancro social de hospedar no trecho compreendido entre a Rua Conde Afonso Celso até a Avenida Getulino Artiaga. A “Queda da Bastilha”.. ela se tornou o centro da boêmia de toda a região.

Sua atuação como político teve destaque desde o começo do governo do Marechal Deodoro da Fonseca. ocupou a presidência do Partido Republicano Conservador do caudilho gaúcho José Gomes Pinheiro Machado.visando solucionar a Questão de Palmas. tendo falecido nesse mesmo Estado no ano de 1912.ANÁPOLIS . foi cognominado.24 de Fevereiro de 1891-. ocupou o Grão-Mestrado do Grande Oriente do Brasil. sendo subseqüentemente escolhido para o governo do Estado do Rio de Janeiro (1900-1903).25 de janeiro de 1890 . o Congresso Nacional do Brasil rejeitou os termos do Tratado (1891) e Bocaiúva deixou a pasta para continuar como Senador pelo Estado do Rio de Janeiro na Assembléia Nacional Constituinte. Nessa função. quando participou do Governo Provisório. 53 . tendo exercido o cargo de vice-presidente de 1909 a 1912. nesse mesmo ano. por seus contemporâneos como "o Príncipe dos Jornalistas Brasileiros" Em 1899 foi reeleito Senador. Nessa qualidade. assumindo a pasta das Relações Exteriores. entre o Brasil e a Argentina.SUAS RUAS . no ano de 1836. De 1901 a 1904. Considerando que o diplomata extrapolou quanto à concessão territorial para a conclusão das negociações. este era o nome completo do ilustre político Quintino Bocayuva. na Maçonaria. Por sua atuação na imprensa.SEUS VULTOS . Em 1909 retornou ao Senado. à frente de O Paiz. apoiou a candidatura do Marechal Hermes da Fonseca à presidência da República (1910) e. no Estado do Rio de Janeiro. Permaneceu no cargo até à votação da Constituição . renunciando ao mandato para retornar ao jornalismo.(Dô) RUA QUINTINO BOCAYUVA – Centro QUINTINO ANTÔNIO FERREIRA DE SOUSA. que nasceu cidade de Itaguaí. negociou e assinou o Tratado de Montevidéu .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . posto mais elevado na hierarquia da Ordem.

o conflito aconteceu entre republicanos de orientação positivistas e liberais. especialmente. em 1894. O bairro do Rio de Janeiro.ANÁPOLIS . entre eles a Revolta da Armada. o coronel José Vieira de Araújo Peixoto. mas com uma grande carga de nobreza. Alagoas. onde morava. segundo posto abaixo do ministro do Exército. no Rio de Janeiro. o visconde de Ouro Preto. Floriano Peixoto nasceu no dia 30 de abril de 1839 em Maceió. para onde foi mandado aos 16 anos. liderados por Silveira Martins. Neste movimento. Como lembrança. em Cerro Corá.SEUS VULTOS .(Dô) Quintino Bocaiuva faleceu em um ambiente de pobreza. porque nunca se locupletou de seus cargos. e a Revolução Federalista. Filho de lavradores pobres foi criado pelo tio e padrinho. Presidente do Brasil no período de 30 de abril de 1893 a 23 de novembro de 1894. assumiu a presidência e governou no regime que ficou conhecido como "mão de ferro" até o final do mandato. quando teve início o movimento republicano em 1889. Com a proclamação da República. na Guerra do Paraguai. em 1890. e foi eleito vice-presidente de Deodoro da Fonseca no ano seguinte.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . ocupou o Ministério da Guerra. Cursou o primário em Maceió e a Escola Militar no Rio de Janeiro. Exercia o papel de ajudante general-de-campo. 54 . mas também não se dispôs a combater as tropas republicanas rebeladas. que começou no Rio Grande do Sul e tinha como objetivo destituir Peixoto do poder. da qual participou até o desfecho. guardou a manta do cavalo de Solano Lopes. Revelou distinção e bravura no Exército. Com a renúncia de Fonseca. hoje leva seu nome.SUAS RUAS . Recusou-se a fazer parte da conspiração. RUA FLORIANO PEIXOTO – Centro FLORIANO VIEIRA PEIXOTO. Venceu um período conturbado por movimentos rebeldes. político de destaque durante o Império.

SUAS RUAS . hoje distrito de Floriano. Participou da Guerra do Paraguai (18651870) como engenheiro civil e militar. Benjamin Constant é tido pela história como um dos homens mais honestos e corretos deste País e portador de uma dignidade sem par.(Dô) Em sua homenagem o governador catarinense Hercílio Luz decretou a mudança de nome da capital. Floriano abandonou a carreira política assim que deixou o cargo de presidente. o apelido de “marechal de ferro” era devido à sua atuação enérgica e ditatorial. pois agiu com determinação ao debelar as sucessivas rebeliões que marcaram os primeiros anos da república do Brasil. RUA BENJAMIN CONSTANT – Centro BENJAMIN CONSTANT BOTELHO MAGALHÃES. no ano de 1833.SEUS VULTOS . continuando a exercer suas funções de professor no Rio de Janeiro e também em Niterói. apenas para que terminasse seus estudos grátis. no município de Barra Mansa. e como não possuía posses para estudar resolveu ingressar na Escola Militar. O Marechal Floriano Peixoto foi militar e político. entre outras. de Desterro para Florianópolis. em 26 de junho de 1895. Era filho de um militar reformado. Que saudade. Grande figura da história do Brasil. em 10 de outubro de 1894. Politécnica.ANÁPOLIS . No governo provisório foi Ministro da Guerra e Ministro da Instrução Pública. nasceu na Província do Rio de Janeiro. Morreu em Divisa. localizado no Município do Rio de Janeiro. 55 . Destacou-se como professor na Escola Politécnica e no Imperial Instituto dos Meninos Cegos. Rio de Janeiro...NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Foi o autor da divisa “Ordem e Progresso” na nossa Bandeira e considerado pela Constituição de 1891 como o “Fundador da República”. hoje “Instituto Benjamin Constant” em sua homenagem. Foi professor nas escolas Militar. Nacional e Superior de Guerra.

esquina com a Avenida Goiás. foi guarda-livros. ainda. ali a Carroça da História fez uma parada. local onde residiu. sendo ao mesmo tempo conselheiro. o emérito professor Joaquim Firmo de Velasco – 1872-1947 – filho de uma das mais tradicionais famílias goianas. propensão que lhe era influente desde os seus tempos de rapaz. com êxito e méritos salientes desempenhou as funções de professor do Instituto de Ciências e Letras e da Escola Normal. transferindo-se para Anápolis na década de 20. delegado de polícia. promotor público e juiz distrital.(Dô) RUA FIRMO DE VELASCO . até quando lhe faltava um ano para o término do seu diaconato. ínterim em que se casou. sempre exercendo o magistério por onde passou. nasceu em Vila Boa-Go. para que os muares Pretete e Morena pudessem fazer-se 56 . conselheiro municipal. quando foi co-fundador da Escola Normal. Frustrado seu intento.SUAS RUAS . Em 1915 transferiuse para Anápolis. notadamente aqui. quando ele deixou aquele educandário e rumou para o Rio de Janeiro. a que se dedicou à mocidade estudiosa como professor e amigo.SEUS VULTOS . veio estudar em Uberaba.. Na Rua Benjamin Constant. onde. como outros tantos vultos da nossa história.Centro (Lei Municipal nº 059 de 1948) JOAQUIM FIRMO DE VELASCO. matriculou-se no “Seminário Santa Cruz”. De um périplo pelas cidades de Morrinhos e Itumbiara. onde despertoulhe o interesse pelo espiritismo. na cidade onde nasceu. onde pretendia matricular-se na Escola Militar. juiz municipal.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . O professor Firmo de Velasco foi um dos maiores intelectuais da história de Anápolis. Muito cedo. Dá até alegria ao historiador relembrar os méritos de tão insigne figura. negociante e fazendeiro. onde foi tesoureiro da Prefeitura.ANÁPOLIS .

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . refazendo as forças para a labuta do dia seguinte.Firmo de Velasco – será sempre lembrado com honras pelo povo anapolino como um grande vulto da nossa história. este professor .SEUS VULTOS .SUAS RUAS . 57 . Era ali que os carroceiros da cidade deixavam seus animais pastando durante a noite.(Dô) refestelar dos pastos verdejantes que formavam o seu grande quintal.ANÁPOLIS . Com certeza.

SUAS RUAS .ANÁPOLIS .(Dô) Forte representação heráldica de Anápolis A bandeira do Município 58 .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS .

(Dô) C A P Í T U L O II E a carroça continua o seu caminho.SEUS VULTOS . em 21/07/1926.ANÁPOLIS . Do mesmo modo que fizemos no capítulo anterior.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Foi casado com a então deputada estadual Berenice Artiaga. Faleceu Vila Boa. Delegado de Polícia em Formosa e Buriti Alegre. partindo da Vila Góis. Ao término do seu mandato como Governador. cruza a: RUA EUGÊNIO JARDIM: . vamos dirigir a nossa carroça da história através da Rua Engº Portela.. pulemos o Córrego das Antas e subamos a ladeira até a Avenida Senador José Lourenço Dias.SUAS RUAS . rumo à Praça Americano do Brasil.Centro (Lei Municipal nº 007 de 1951) GETULINO ARTIAGA. Daí. no dia 18 de junho de 1857. 59 . nasceu no dia 19 de julho de 1913 em Inhumas-GO. AVENIDA GETULINO ARTIAGA .Centro EUGÊNIO RODRIGUES JARDIM nasceu em Goiás Velho-Goiás. Estudou nos colégios da cidade. militar e político. com mandato até 1924. Político influente conseguiu ser eleito ao cargo de governador pelo período de 1921/1923. sempre na direção do Sul para o Norte.. foi eleito para o cargo de senador da República por Goiás. Então. onde depois de formado chegou a patente de major. mas se firmou mesmo na carreira. onde assumiu o Comando do Corpo de Bombeiros. a poucas centenas de metros. transferindo-se para a Escola Militar. Voltou a Goiás.

onde deixou sua marca de atuação. por sérias divergências políticas. firmeza e obstinação. quando foi nomeado Interventor Federal pelo período de 1935 a 1937.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . quando no ano seguinte foi eleito senador da República. Foi assassinado em 1950. Aqui deparamos com a figura mais destacada da política de Goiás.SUAS RUAS . Pedro Ludovico Teixeira. volta a Goiás e disputa mais uma vez a eleição para governador do Estado. onde se formou em medicina. contra tudo e contra todos.Centro (Lei Municipal nº. sendo eleito com expressiva 60 . AVENIDA PEDRO LUDOVICO . sendo reconduzido a este cargo por um período maior que durou de 1937 a 1945. com mandato até 1951. Claro que estamos reportando sobre o cognominado “JK Goiano”. construiu a nossa Capital. transferindo-se para o Rio de Janeiro. no ano de 1947. O homem que.ANÁPOLIS . no dia 16 de agosto de 1979. Coronel da Polícia Militar de Goiás e político de influência ligado ao Governador da época.SEUS VULTOS . foi o mais destacado líder do nosso Estado.(Dô) com brilhante passagem pela nossa cidade. por força de sua tenacidade. na cidade de Nova Aurora-GO. Iniciou os seus estudos no Lyceu de Goiás. nascido em Goiás Velho no dia 23 de outubro de 1891. No campo político. Pedro Ludovico. onde chefiou a Delegacia de Polícia e se expandiu no meio político e social de Anápolis. Nomeado Governador pelo Governo Provisório da Revolução de 1930 até 1933. Foi jornalista e proprietário rural. trazendo de Goiás Velho todo o acervo administrativo do governo do Estado para a planície do rio Meia Ponte. Findo este mandato parlamentar. Dr. falecendo em Goiânia. 006 de 1951) PEDRO LUDOVICO TEIXEIRA. à época. deixando entre nós a marca da sua personalidade marcante e envolvente. Dr. se fez Deputado Constituinte.

foi eleito quatro vezes deputado – 1881/1889 – e tinha dois estandartes na vida: A abolição dos escravos e a proclamação da República. cujo mandato durou até 1954. RUA SÓCRATES DINIZ . 61 . entre praças.. escritor e historiador. se lança mais uma vez ao cargo de senador. dezenove citações com o seu nome. Tão importante o nome desse estadista goiano que só em nossa cidade existem. chamado de “Chefe venerável do nacionalismo brasileiro”.Centro (Lei Municipal nº 220 de 1961) SÓCRATES MARDOCHEU DINIZ nascido no ano de 1914 e falecido no Rio de Janeiro em 1960 na explosão aérea de um avião Convair.(Dô) votação. lamentavelmente.SEUS VULTOS . dedicando-se nos últimos dez anos de sua vida a observar o desenvolvimento natural de Estado. Aos setenta e oito anos resolve abandonar a carreira política. ruas e avenidas.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . Faleceu no Rio de Janeiro no ano de 1938.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Cofundador da ABL-Academia Brasileira de Letras. Grande figura e desconhecida. Findo este governo. sobre a Baia da Guanabara. defendeu os interesses de Goiás na divisa com Mato Grosso em seu livro “Questões de Limites”. assistindo o crescimento de novos valores da nossa política que viriam sucedê-lo no caminho progressista para o qual ele havia traçado e a que Goiás estava predestinado. no Rio de Janeiro. RUA CONDE AFONSO CELSO – Centro AFONSO CELSO DE ASSIS FIGUEIREDO JÚNIOR. em 31 de março de 1860. sendo o autor da obra mais importante: “Porque ufano do meu País”.nasceu em Ouro Preto-MG. Grande político. sendo eleito por mais duas vezes: de 1955/1963 e 1963/1969.. – Conde Afonso Celso . da companhia Real Aerovias.

membro do Conselho Imperial. os lindos jardins da Praça Bom Jesus e foi fundador do Cine Santana e dirigiu com denodo o Aprendizado Agrícola de Anápolis. construiu a sede própria do Aéro Clube de Anápolis. Como senador foi grande batalhador pela implantação no Brasil do instituto do voto direto. Já em meados de 1946. Sócrates Diniz foi também prefeito eleito de Anápolis e suplente de senador por Goiás. Ministro Plenipotenciário do Império. Gran Cruz de Isabel. o mais antigo estabelecimento bancário de Goiás que. à Rua Manuel D´Abadia. o Banco Comercial do Estado de Goiás -“Goiasbanc”.Centro JOÃO MAURÍCIO WANDERLEY. mais trabalhara. Concluiu o Mercado Municipal. Em 9 de janeiro de 1872. Sócrates Diniz: se mais vida tivera.. a Diretoria do novel estabelecimento bancário inicia construção da sua sede própria. a Católica de Espanha e de Leopoldo da Bélgica.ANÁPOLIS . funcionou em prédio de propriedade do Dr. 62 . Foi Regente em nome do Imperador Dom Pedro II. Durante os 25 meses em que foi prefeito. parque este que leva seu nome. abriu mão de seus vencimentos em favor da Santa Casa de Misericórdia.. ainda. próximo ao Hospital Evangélico. inicialmente. assinou em nome da Corte Real o Tratado de Divisas do Brasil com o Paraguai.SUAS RUAS .(Dô) Sócrates Diniz chegou a Anápolis como funcionário do Banco Comércio e Indústria de Minas Gerais e no ano de 1943 foi um dos fundadores do primeiro banco de Anápolis. como presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Anápolis. Grande figura esse nosso Barão.SEUS VULTOS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . onde hoje funciona o Itamaraty Hotel. RUA BARÃO DE COTEGIPE . E. James Fanstone. construiu o “Parque Agropecuário”. Barão de Cotegipe – 1815/1889 – Político de alto conceito na Corte do Império. Comendador da Ordem Imperial da Rosa.

SUAS RUAS . A partir de 1860. Desde então. tendo encontrado as primeiras jazidas no princípio do século XVII. a construção da nova capital. chamando-o de Anhangüera. o primeiro vilarejo da região denominado de Arraial da Barra. Com esse nome Bartolomeu Bueno da Silva e seu filho passaram à história. Os colonizadores portugueses chegaram pela primeira vez na região. A navegação a vapor e a abertura de estradas. no fim do século XIX. caso não lhe fosse mostrado as minas. hoje conhecida como o Estado de Goiás.(Dô) AVENIDA GOIÁS . antes pertencente ao Estado de São Paulo. que seguia em busca de ouro. dizendo aos indígenas que o mesmo faria com as águas dos rios e nascentes da região. deu grande 63 . pelo próprio Bartolomeu Bueno. Conta a lenda que diante da negativa dos índios de informar-lhe sobre o lugar de onde retiravam as peças de ouro com que se adornavam. a região que hoje se encontra o Estado de Goiás.ANÁPOLIS . Em 1726. Goiânia. possibilitaram o escoamento dos produtos cultivados no Estado.Centro Que prazer abordar a história do nosso Goiás. os povoados passaram a se multiplicar e a exploração do ouro atingiu seu auge na metade do século XVIII. permitindo o desenvolvimento da região.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . foi fundado. após quase um século do descobrimento do Brasil. o Anhangüera. que significa feiticeiro no idioma nativo.SEUS VULTOS . Já em 1744. Bartolomeu Bueno despejou aguardente num prato e a queimou. a lavoura e a pecuária tornaram-se as atividades principais da região. devido ao esgotamento das jazidas. As primeiras ocupações deveram-se às expedições de aventureiros bandeirantes provenientes de São Paulo. foi separada e elevada à categoria de Província de Goyaz. ao mesmo tempo em que a atividade de mineração do ouro entrou em decadência. No século XX. entre os quais se destacava Bartolomeu Bueno da Silva.

professor. que por corruptela se tornou Goiás. o Norte de Goiás foi desmembrado dando origem ao Estado de Tocantins. da mesma raça. e foi com que diminuiu velhas disputas do Brasil com quase todos os países da América do Sul. nasceu no Rio de Janeiro-RJ. RUA BARÃO DO RIO BRANCO – Centro JOSÉ MARIA DA SILVA PARANHOS JÚNIOR.ANÁPOLIS . semelhante. encetou negociações com outros países limítrofes cujas fronteiras com o Brasil suscitavam questões litigiosas. A seguir. na qual permaneceu até a sua morte. em 20 de abril de 1845 e faleceu nesta mesma cidade em 10 de fevereiro de 1912. Logo no início de sua gestão.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que sentiu sinais de novo surto de desenvolvimento com a criação de Brasília. defrontou-se com a questão do Acre.SUAS RUAS . com a questão do Amapá. Em 1988. em 1897. É com justa razão que quase todas as maiores cidades do País homenageiam esse ilustre patrício denominando ruas e avenidas com o seu nome: Barão do Rio Branco. solucionando-a com o Tratado de Petrópolis. Com firmeza e decisões sábias de inteligência. 64 . O grande político foi o responsável direto pela consolidação das nossas fronteiras com Argentina. chamada de “guaiás”. historiador. território fronteiriço que a Bolívia pretendia ocupar. isso em 1960. Vem do termo do tupi gwa ya que quer dizer: indivíduo igual. Em 1902 foi convidado pelo Presidente Rodrigues Alves a assumir a pasta das Relações Exteriores.SEUS VULTOS . jornalista. biógrafo. e com a Guiana Inglesa. sem mistura e o mais forte.(Dô) impulso à economia do Estado. exigiu como bandeira das reinvidicações o princípio do uti possedetis solis. membro da ABL. Em 31 de dezembro de 1900 foi nomeado ministro plenipotenciário em Berlim. ORIGEM: O nome do Estado origina-se da denominação da tribo indígena dominante dessa região. diplomata. a nova Capital do Brasil.

Em 1895 assumiu sua cadeira no Senado Federal. em São Paulo. Arnaud. nasceu em Salvador-BA. destacou-se pela elaboração da reforma da Legislação Eleitoral e na reforma do ensino. Considerado como uma das maiores reservas morais do nosso País. passo decisivo para a ruptura entre Brasil e Alemanha. recitava Camões e Padre Vieira. cidade também onde foi iniciado Maçom na Loja América. responsável direta pela criação de uma prole deveras importante para o contexto histórico de Anápolis. se já não bastasse ter sido a fiel companheira do pioneiro Francisco Silvério de Faria. no Império. João.ANÁPOLIS . nasceu em Antas. No governo Republicano Provisório. criou a Imprensa Oficial. Anapolino – ex-prefeito – 65 . senhora admirável dos primórdios da história da nossa cidade. em 25 de dezembro de 1883.Centro (Lei Municipal nº 003 de 1953) DONA BENEDITA FONTES FARIA. Durante a 1ª Guerra. onde defendeu a tese de igualdade entre as nações. RUA DONA SANDITA .SEUS VULTOS .SUAS RUAS . mais conhecida na cidade como Dona Sandita. Armante. com quem foi casada. na elaboração da Constituição de 1891. Alcançou fama mundial quando representou o Brasil na Conferência de Haya. o gênio Rui Barbosa. definindo o conceito jurídico de neutralidade. com dez anos de idade. destacou-se como Ministro da Fazenda. Em 1898. São seus filhos: Alaor. no ano de 1849. Dona Sandita. Como político. Formou-se em direito na Faculdade do Largo de São Francisco.(Dô) RUA RUI BARBOSA – Centro RUI BARBOSA DE OLIVEIRA.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . ainda nos legou figuras proeminentes da nossa sociedade. Aos cinco anos já sabia conjugar verbos e lia clássicos portugueses. representou o Brasil na Argentina.

Grande figura. que julgava inconstitucional a Lei nº. cuja prole.Fica revogada a Lei 155. de 15 de dezembro de 1887”. reduto de um cidadão afro-descendente da alma mais pura. de 20 de março de 1903 que o atuante senhor Miguel Pereira Dutra. chamado de Chico Cambraia.(Dô) Adalia e Adélia Faria. se alastrou em Goiás. a carroça da história teve dificuldade em atravessar o pontilhão da Estrada de Ferro Goiás. mineiro de Lavras. 2º .ViceIntendente Municipal em exercício. Dona Sandita. que alterou os limites de Santana de Antas.SUAS RUAS . firmados em 18 de junho de 1879. perto do curral da fazenda de um dos maiores homens empreendedores da nossa cidade: Francisco Silvério Faria (1879-1952).ANÁPOLIS . Ao entrarmos nessa rua. 155.SEUS VULTOS . que alterava os limites do nosso Município com Pirenópolis. 66 . até debaixo de umas mangueiras. na qual veio a falecer no dia 5 de julho de 1952. mudou o nome dessa rua de Avenida Padre Cunha para Avenida Xavier de Almeida. cujo teor transcrevemos: “Art. 267.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . E foi pela Lei Municipal de nº. Esta Lei proclamou a inconstitucionalidade da lei em que Pirenópolis subtraía de Santana de Antas parte do seu território que era caracterizado pela região do córrego Padre Sousa. 1º .Centro JOSÉ XAVIER DE ALMEIDA é uma das ruas de pista dupla no centro da cidade e leva este nome em homenagem ao Presidente do Estado de Goiás. que ouvindo o veredito do Superior Tribunal de Justiça. de 17 de junho de 1898. 34. Com certo esforço. de 17 de junho de 1898. 811. assinou a Lei Estadual nº. RUA XAVIER DE ALMEIDA . José Xavier de Almeida. criada sob a égide e os costumes da grande moral. presidido pelo então Desembargador Jayme. ao longo de sua vida nunca mudou dessa rua. e confirmados os limites em Lei nº. de 12 de julho de 1905. o Pretete e a Morena arrastaram o veículo ladeira acima. ouvido o Congresso.

Chico Silivério foi delegado de polícia. de onde se desponta. não há como esquecer o elétrico. bem à nossa esquerda. nascido em Vila Boa – 1874-1960 – vindo residir em Anápolis. onde se casou. isso em 1924. juntamente com o senhor Ralff Coleman. que nada consta da nossa pesquisa. Mais em cima. Dr.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . Brasil Xavier Nunes. delegado de polícia e coletor federal. No fundo da redação. na esquina onde é hoje o Banco Real. Antes de chegarmos à Praça Americano do Brasil. juiz distrital e vice-intendente. tais como Dr.Rivadávia Xavier Nunes. Aí encontramos o senhor Antônio Xavier Nunes. juiz de direito.SUAS RUAS . lá estavam os vibrantes jornalistas Carmo Bernardes e Jarbas de Oliveira. paramos novamente para cumprimentarmos o jornalista Eurípedes Gomes de Melo. o Dr. coletor. paramos a carroça para tomarmos um cafezinho com a família Xavier Nunes. grande causídico e deputado estadual e seu irmão mais novo. Lincoln Xavier Nunes. Foi comerciante. como esta família se relaciona por vias de parentesco com o homenageado Xavier de Almeida. o senhor Godofredo Xavier Nunes (1883-1952) – natural da cidade de Goiás. Seus sucessores foram e ainda são personagens de destaque na nossa sociedade. a primeira usina hidrelétrica de Anápolis. Ao seu lado. onde constituiu família. De grande visão empresarial fundou. conselheiro.(Dô) veio para cidade de Anápolis. serelepe e contagiante senhor Érides Guimarães. entre outros. sendo ele o chefe do clã dos Faria. notável figura da nossa sociedade. o consagrado médico e político Anapolino Faria. presidente do Conselho Municipal e juiz. E como estamos a falar de história de jornais. um pouco mais novo. fixando-se mais tarde em Anápolis. advogado e ex-Secretário de Segurança Pública de Goiás. que mais tarde consagrar-se-iam como grandes escritores do nosso Estado. Era comerciante e fazendeiro e desempenhou no município os cargos de delegado literário.ANÁPOLIS . que extrapola a 67 . responsável pelo combativo e vibrante jornal “A Imprensa”.

onde retratava o cotidiano da cidade.que faleceu no cargo . RUA NILO PEÇANHA . cuja direção foi entregue ao Coronel Cândido Mariano da Silva Rondon.Centro NILO PEÇANHA foi Vice-Presidente de Afonso Pena .ANÁPOLIS .Centro Esta praça.vindo Nilo Peçanha exercer a presidência de 1909/1910. ponto de chegada e partida de gente de negócio vinda do Norte e do Nordeste do Estado. PRAÇA OESTE . Hoje essa rua tem o nome de Antônio Xavier Nunes. Érides Guimarães mantinha uma crônica diária no jornal “O Anápolis”. Após a morte do Presidente Afonso Pena.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . curiosamente. firmando-se como um cidadão altamente relevante para a nossa sociedade. Ela nos remonta à lembrança de um dos melhores hotéis da cidade daquela época.(Dô) cidadania anapolina para ser anapolitano. Dessa praça trifurca o caminho que dá acesso a três grandes ruas e 68 . fica na saída Norte da cidade e este nome nos leva a crer que seja em lembrança da “Marcha para o Oeste”. se projetou no meio político-empresarial anapolino. Os silvícolas haviam sido esquecidos pelo governo desde a invasão portuguesa na América. Nilo Peçanha assumiu a presidência e durante o seu governo foi criado o Serviço Nacional de Proteção ao Índio. a quem tanto deve o país na obra da integração do selvagem brasileiro à civilização.SUAS RUAS . fincando raízes em nossa cidade. Em 1967 o Serviço foi mudado de nome para FUNAI. intitulada de “Coisas e Loisas”. personagem que Anápolis acolheu e que. movimento de integração nacional encetado pelo Presidente Vargas na década de 1950.SEUS VULTOS . o “Hotel Oeste”.

Entretanto. que eram chefiados pelo bandeirante Manuel de Borba Gato. à direita: a Universitária. Esta praça em 1960. os forasteiros pensavam e agiam diferentemente. Sendo que iam além. RUA DOS EMBOABAS – Vila Góis Já no final do século XVII.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . C A P Í T U L O III Pretete e Morena nem se cansam. pois que. por força da Lei Municipal nº. dentro da região que já era dominada e habitada pelos paulistas. 203 passou a denominar-se Antônio Xavier Nunes. 69 . conta-se que os paulistas que moravam na Capitania de São Vicente-SP.(Dô) avenidas. os outros queriam ter direitos iguais sobre o metal precioso que haviam encontrado. Como os primeiros a descobrirem o ouro foram os paulistas..ANÁPOLIS .. no meio a Avenida Kennedy e à esquerda a Tiradentes. encontraram grande quantidade de ouro. em pleno período colonial. uma vez que este ouro estava nas terras em que viviam. Os emboabas limitaram os paulistas na região do Rio das Mortes e o seu líder foi proclamado “governador”. nas suas incursões pelo sertão. e por isso. Os emboabas formaram suas próprias comunidades. enquanto os emboabas eram liderados pelo português Manuel Nunes Vieira. Este acontecimento fez com que muitos garimpeiros e portugueses fossem para aquela região. A situação dos paulistas piorou ainda mais quando estes foram atacados em Sabará.SUAS RUAS . chamados de emboabas. Dentro desta rivalidade ocorreram muitas situações que abalaram as relações entre os dois grupos. constantemente. personagem já retratada em outras páginas deste compêndio.SEUS VULTOS . estavam vigiando os paulistas.

(Dô) Após seu sucesso no ataque contra os paulistas. É a fé ultrapassando obstáculos! 70 . Dr. por isso mesmo.SEUS VULTOS . pensando alto. Wesley Archibald. do saber e o seu grande objetivo é formar espíritos adaptáveis e preparados para cada ocasião. Contudo. É na universidade de pensamentos que os cascalhos brutos da ignorância são polidos e transformados em pedras preciosas. AVENIDA UNIVERSITÁRIA – B. este. Olímpio Ferreira Sobrinho e tantos outros. teve que se retirar para o rio São Francisco. Rev. bem no alto para a ignorância não subir. os paulistas. construída no planalto. é que pessoas como James Fanstone. Maracanã Lei Municipal nº. formaram um exército que tinha como objetivo vingar o massacre de Capão da Traição. 127/1968 Como o próprio nome já diz.. mas nada tão íngreme que a nossa carroça da história não pudesse alcançar e estar presente para registrar com ufanismo como o povo de Anápolis saúda o nome desta Avenida Universitária. com essa criação. até ver este grande sonho se transformar numa das maiores universidades do Estado de Goiás: a UNIEVANGÉLICA. subiram a ladeira da “Charqueada” para crescer juntos com o “Colégio Couto Magalhães”..SUAS RUAS . Dr. Completamente inconformados com o tratamento que haviam recebido do grupo liderado por Nunes Vieira. Antônio de Oliveira Brasil. desta vez sob o comando de Amador Bueno da Veiga. a universidade é o local da universalização do ensino. Prof.. Após este confronto. lá no alto. a paz finalmente prevaleceu entre paulistas e emboabas. Nunes Vieira foi tido como o “supremo ditador das Minas Gerais”. Esta nova batalha durou por uma semana. foi criada a nova capitania de São Paulo e. por ordem do Governador do Rio de Janeiro. Talvez. Carlos Pereira Magalhães.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .ANÁPOLIS .

1426/1986) Quando passeávamos com a carroça da história por esta praça.tem tudo a ver com a nossa cidade. profundo conhecedor dos mistérios Ordem Maçônica que respondeu à pergunta. autor do projeto. não só por ela representar uma justa homenagem ao maior complexo educacional de Goiás.ANÁPOLIS . ao querer perpetuar o nome dessa grande entidade educativa. a “UNIEVANGÉLICA”. afirmando ser a Maçonaria uma instituição essencialmente filosófica. porque nesse passeio estava conosco o sapiente senhor Waldemar Borges de Almeida. logo fomos cercados por curiosos que nos perguntavam: O que é a Maçonaria? Demos sorte. possivelmente. que passaria a ser chamada de “Avenida da Evangélica”. o escriba se submete a uma melhor definição. 71 . Por certo que o vereador. filantrópica. AVENIDA EVANGÉLICA – Cidade Universitária A denominação desta via pública – Avenida Evangélica . que honra sobremaneira a educação em nossa cidade. e segue para Corumbá. progressista e que procura conseguir a felicidade dos homens por meio da elevação espiritual e pela tranqüilidade da consciência. educativa.SEUS VULTOS . denominando esta tão importante via pública. mas também por Anápolis ser considerada uma das mais evangelizadas cidades do Brasil. claro que se estaria referindo à Universidade. Contudo.(Dô) Esta avenida termina na BR-153.SUAS RUAS . tenha se esquecido da colocação da contração da preposição d + a. PRAÇA DO MAÇOM – Cidade Universitária (Lei Municipal nº.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . com o nome de Evangélica. obra fantástica da Associação Educativa Evangélica de Anápolis.

Deodoro da Fonseca. Manuel Pereira Dedé. Regressando à sua província. Tiradentes. na Capital da província de Goiás. Lembrança merecida o nome dessa praça.SEUS VULTOS . Rodrigues Alves.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . goiano. Washington Luiz. Jaci Borges. Getulino Artiaga.ANÁPOLIS . nascido em 25 de dezembro de 1860. como Arinesto Pinto. Narceu de Almeida. Prudente de Morais. José Fernandes Valente. Onofre Quinan. sendo nomeado 1º Vice-Governador do 72 . Francisco Dolis. foi Promotor Público e Curador de Órfãos da Comarca e também nomeado em 1885 Juiz Substituto da Capital. Gonçalves Ledo. Luiz Caiado de Godoy. transferindo-se mais tarde para a capital Paulista.(Dô) Satisfazendo a curiosidade. Juscelino Kubitschek. o senhor “Nenê Borges”. Estes vultos e outros tantos.SUAS RUAS . Hermes da Fonseca. Henrique Fanstone. Floriano Peixoto. Moacir Romeu Costa. Eurípedes Junqueira e muitos outros que contribuíram decisivamente para a formação da nossa história. Dr. onde iniciou seus estudos no Liceu Goiano de Letras. Rui Barbosa. Senador José Lourenço Dias. Com a Proclamação da República. Antônio de Oliveira Brasil. Nilo Peçanha. José Bonifácio.Centro JOAQUIM XAVIER GUIMARÃES NATAL. Zaqueu Crispim. onde concluiu o curso de direito na Faculdade do Largo de São Francisco. perguntaram: cite alguns brasileiros famosos que foram maçons! De pronto. respondeu: Dom Pedro I. todos aqui citados são vultos que emprestaram seus nomes para melhor serem identificadas as praças. Adalberto Pereira. Campos Salles. fez parte da Junta Governativa até 1890. Wenceslau Braz. em 1883. Augusto Pinto Pereira. RUA GUIMARÃES NATAL . Luís Alves de Lima e Silva (Duque de Caxias). avenidas e ruas da nossa cidade. Syrio Quinan. Olímpio Barbosa de Melo.

ele entrou para a Marinha. 464/1964 JOHN FITZGERALD KENNEDY. Como presidente. na cidade do Rio de Janeiro. o jovem senador conquistou a indicação democrata para a presidência da república. em 13 de abril de 1927. onde serviu na Guerra até 1943. por ocasião do centenário de seu nascimento.(Dô) Estado. Foi aposentado por relevantes serviços prestados à Pátria. em 29 de maio de 1917 e faleceu em Dallas.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . no Texas. Em seguida foi Juiz de Direito da Comarca de Rio das Pedras. em sessão de 4 de janeiro de 1961. seus programas econômicos lançaram o país no maior crescimento sustentado desde a Segunda Guerra Mundial. Exerceu o cargo de Procurador Geral da República até 1910. vencendo o favoritismo do republicano Richard Nixon. Faleceu em 22 de junho de 1933. em 22/11/1963. ele tornou-se um congressista democrata. tornando-se o primeiro Presidente dos Estados Unidos não protestante.SUAS RUAS . Seu discurso de posse apresentava o preceito memorável: ”não pergunte o que o seu país pode fazer por você – pergunte o que você pode fazer por seu país”. Após a sua formatura em Harvard em 1940. até a chegada do Governador Provisório. época em que muito colaborou na organização política do Estado. sendo homenageado pelo Supremo Tribunal Federal. sendo eleito senador em 1953. surpreendendo o meio político norte-americano. Vice-Governador.SEUS VULTOS . Em 1960.ANÁPOLIS . 73 . nasceu no Estado de Massachusetts. AVENIDA PRESIDENTE KENNEDY (Centro) Lei Municipal nº. foi nomeado Ministro do Supremo Tribunal Federal. Em 3 de junho de 1890. Após o término desse conflito mundial. filho da família Norte Americana mais atuante e influente na política dos Estados Unidos. Em setembro de 1905. foi nomeado 1º.

jamais seria alcançado. banindo a guerra e a coerção”. De acordo com a historiografia oficial. Texas.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . começamos um exercício de imaginação de como era grande e sagrado o ideal desse homem que foi o Mártir da Inconfidência Mineira. representado por Kennedy. há historiadores que sustentam a tese de conspiração: Kennedy teria contrariado profundamente os interesses de indústrias bélicas e de militares ao lutar pelo fim da corrida armamentista. ele empregou o idealismo americano na ajuda aos países em desenvolvimento. enquanto desfilava em carro aberto por Dallas.(Dô) Kennedy agiu vigorosamente na causa da igualdade de direitos.SEUS VULTOS . tanto de direitos iguais entre os americanos. quanto de paz mundial. Seu governo foi um lema só: “um mundo de livre escolha. Kennedy era praticamente um ídolo mundial quando foi brutalmente assassinado. Kennedy foi morto pelas balas de um assassino. Entretanto. prosperidade e igualdade. A morte do Presidente Kennedy provocou comoção dentro e fora dos EUA. De volta à Praça Oeste.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . mesmo enfrentando a dura realidade da guerra fria. De tão amplo. indústrias e militares poderosos teriam tramado a morte do presidente. Na administração Kennedy o mundo viu assim o início de uma esperança. ficou a impressão de que o futuro de paz. em 22 de novembro de 1963. Com o programa “Aliança para o Progresso” e as “Peace Corps”. E não foi! AVENIDA TIRADENTES (Centro) JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER. Para os americanos. a carroça da história toma o dorso dessa avenida e se direciona ao Morro da Capuava de onde se alcança o maior horizonte da nossa cidade. Como resposta. pedindo por uma nova legislação de direitos civis. 74 .

No dia seguinte. ainda no Brasil Colônia. na então capitania das Minas Gerais. em Minas Gerais. arrasaram a casa que morava e declararam infames seus descendentes. Tornou-se também conhecido. afinal. com a abolição imediata da escravatura. sua cabeça foi erguida em um poste em Vila Rica. Ficou órfão aos onze anos. foi mascate. poetas famosos. procurou esconder-se numa casa da Rua dos Latoeiros. prendendo ladrões e assassinos. Ficou no posto de alferes. Militares. sendo ali preso. além de outras reformas. feitos por ele mesmo. Os conspiradores pretendiam proclamar a república. sendo. Sobre sua vida militar. nessa ocasião. O Mártir foi enforcado a 21 de abril de 1792. uma conspiração com o fim de libertar o Brasil do jugo português e proclamar a república. houve. pesquisou mineral. Seu corpo foi esquartejado. quando comandou uma patrulha de ronda no mato. Tiradentes achava-se. em Vila Rica. então.ANÁPOLIS . Há. principalmente os jovens. no Rio de Janeiro. melhoria na educação para o povo. na Fazenda Pombal. que nasceu Joaquim José da Silva Xavier – 1746 – 1792. foi médico prático. sabe-se que pertenceu ao Regimento de Dragões de Minas Gerais. nova sentença modificava a anterior. Percebendo que estava sendo vigiado. Em 1789. no Largo da Lampadosa. por sua habilidade com que arrancava e colocava novos dentes.SUAS RUAS . O processo durou três anos. magistrados e sacerdotes tomavam partido nos planos da rebelião. que fica entre as cidades de Tiradentes e São João Del Rey. com grande arte. escritores de renome. lida a sentença dos prisioneiros conjurados.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . em Minas Gerais.(Dô) TIRADENTES. no Rio de Janeiro. muitos valores que devemos lutar por eles. A conjuração começou a ser preparada. na sua época. atualmente Rua Gonçalves Dias. hoje Ouro Preto. hoje em dia. mantendo a pena de morte somente para Tiradentes. posto que seja deles a 75 .SEUS VULTOS .

até se encontrar com estrada Belém-Brasília. reassumiu as suas funções na Fundação Getúlio Vargas. Quanto a Leopoldo de Bulhões.SUAS RUAS .. quando os militares tomaram o poder em 1964. 60. que as “Antas serão a Ribeirão Preto de Goiás em breves dias. não sem antes vaticinar.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .Primeira República. Foi diretor do Banco do Brasil e o mais importante: nomeado o primeiro Ministro da Fazenda – duas vezes 1904 e 1910 – no Governo de Nilo Peçanha . no Rio de Janeiro. Esta avenida se prolonga até se encontrar com a sede do SESI.ANÁPOLIS . por força do Decreto Lei Estadual nº. que foi Ministro da Fazenda. Outro membro do clã dos Bulhões que se destacou no cenário político-econômico do Brasil foi seu sobrinho Otávio Gouvêa de Bulhões.(Dô) responsabilidade de mantermos vivos os ideais desse grande mártir da nossa Independência. Gouvêa de Bulhões faleceu em 13 de outubro de 1990. foi desmembrado da cidade 76 .. este veio a falecer no dia 25 de dezembro de 1928. Ao deixar o governo em 1967. no dia 28 de setembro de 1857. político eleito durante 5 mandatos. sendo dois de deputado federal e três de senador da 1ª República. ainda em 1893. pedindo a extinção do “monstro” que criou a correção monetária que. RUA LEOPOLDO DE BULHÕES (Centro) JOSÉ LEOPOLDO DE BULHÕES JARDIM nasceu em Goiás Velho.SEUS VULTOS . sendo daí para frente denominada de Fernando Costa.” E como fato histórico devemos salientar que. segundo ele foi o maior responsável pela inflação daquele período. advogado. Nesse período promoveu grandes reformas no Ministério e aprovou o primeiro regulamento dos concursos públicos para ingresso no serviço fazendário.

O bairrismo dos habitantes mais conservadores da cidade de Goiás o fez mudar de idéia e renunciar ao cargo. Em 1866. indo para Minas Gerais onde foi nomeado governador. assumiu o governo de Goiás com duas idéias fixas: a navegação do rio Araguaia e a construção de uma outra cidade para capital do Estado. em 1860. ambos em Minas Gerais. em 1857.SUAS RUAS . em 1864. Em 1865. Voltou a Goiás para ser eleito deputado geral em 1866. Couto Magalhães concluiu o curso elementar no Seminário de Mariana e depois no Seminário Caraça. Cursou a Faculdade de Direito de São Paulo.(Dô) de Silvânia o atual município que leva seu nome: Leopoldo de Bulhões.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Filho de Antonio Carlos de Magalhães e de Tereza Antonia do Prado Vieira Couto. Minas Gerais. foi transferido para Belém. bacharelando-se em Ciências Jurídicas e Sociais.SEUS VULTOS .ANÁPOLIS . isso acontecido em 18 de dezembro de 1931. Quando Governador da Província de Goiás fundou o Colégio Santa Isabel. a 01 de novembro de 1837. Sem aceitar a indicação. No Mosteiro de São Bento. organizou três corpos de voluntários para lutar na guerra contra o Paraguai.em 1868. RUA COUTO DE MAGALHÃES – (Centro) JOSÉ VIEIRA COUTO DE MAGALHÃES nasceu em Diamantina. Era Deputado Geral por Goiás quando tentou mais uma vez em Leopoldina – hoje Aruanã . foi Professor de Filosofia. e morreu no Rio de Janeiro a 14/9/1898. conforme acima descrito. do futuro Presidente da República. Em 1862. onde estudavam índios xavantes. caiapós. carajás. no ano de 1848. deixou o governo paraense a fim de ser governador de Mato Grosso. a navegação comercial pelo Rio Araguaia. já que a antiga Vila Boa era decadente e sem condições. gorotirés. onde se fez governador do Pará. tapirapés e guajajaras. Prudente de Morais. Sofrendo de 77 .

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . entre eles. ao Sul. local de trabalho do nosso operoso alcaide Dr. assumiu a Presidência da Província de São Paulo. o Centro Cívico Municipal. começa no trevo do DAIA. encontramos o maior complexo de ensino do nosso Estado: a Universidade Evangélica de Anápolis – UNIEVANGÉLICA . no Rio de Janeiro. Deixou inúmeros escritos. Logo depois encontramos a “Praça 31 de Julho”. comemorativa do dia da nossa emancipação política e que abriga a bela sede da Câmara Municipal e logo adiante a nossa Estação Rodoviária. quando o império de Dom Pedro estava caindo. AVENIDA BRASIL SUL/NORTE (Centro) A mais extensa via pública de Anápolis. em 1871. “O Selvagem”(1876) “Anchieta e as Línguas Indígenas”(1877). a Província de São Paulo. no dia 14 de setembro de 1898. RUA ERMETTI SIMONETTI (Centro) (Lei Municipal nº. às margens da Rodovia para Goiânia. o Estádio “Jonas Duarte”.ANÁPOLIS . quando prefeito. ficando no cargo até o dia da proclamação da República. Ao longo da sua extensão encontramos o Ginásio “Carlos de Pina”. Devidamente curado. partiu para o Rio de Janeiro. “Memórias sobre Colônias Militares” (1875). e atravessa toda a cidade. Era militar honorífico do Exército Brasileiro. obra da administração Olímpio Sobrinho. “Um Episódio da História Pátria” (1862).(Dô) impaludismo e debilitado. 075/1967) 78 . “Ensaios de Antropologia” (1874). assumiu alguns anos depois. Pedro Sahium. Faleceu.SUAS RUAS . Bem mais em cima.SEUS VULTOS . Em 1889. quase no seu final.e em seguida a BR-153. “Dezoito Mil Milhas do Brasil” (1872). a majestosa sede do Poder Judiciário. por este construído. “Gramática da Língua Tupi”.

a Voz do Coração do Brasil. onde teve a oportunidade de exercer cargos relevantes. Em todos esses méritos. Era filho de João Simonetti que o orientou nos seus primeiros passos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Ermetti colocou no ar o mais potente prefixo de emissora de toda a região: o famoso ZYJ-3. a “Voz do Coração do Brasil” completa sessenta nos de relevantes serviços prestados à cidade e ao Estado de Goiás. delegado literário. Por este feito é considerado o primeiro comerciante a se estabelecer na cidade. Rádio Karajá de Anápolis. tais como: Juiz de paz. em plena juventude mudou para a Capela de Antas em 1871. Superados todos os percalços de uma trabalhosa missão. com o firme propósito de instalar em nossa cidade a primeira estação radiofônica. ainda. O senhor Francisco da Luz Bastos foi um cidadão devotado ao município. por ocasião do centenário de Anápolis. Agora.que com ele dividiu os seus grandes momentos de glória na nossa cidade. A atuação dessa famosa emissora está estreitamente ligada à vida cultural. sendo pioneiro no ramo. regressando em seguida à sua cidade natal.SUAS RUAS . O passado brilhante desse cidadão nos remete à sua contribuição notável no aprimoramento das artes em nossa cidade e com ele teve início um novo ciclo de generosidade e assistência aos pobres e menos favorecidos pela sorte. estabelecendo-se com uma casa comercial na futura rua 1º de Maio.(Dô) ERMETTI SIMONETTI. 79 . Ermetti sempre teve à sua sombra essa fantástica mulher – dona Elídia Simonetti . nos dias de hoje. chegou a Anápolis no ano de 1946.ANÁPOLIS . política e social da nossa cidade e. TRAVESSA FRANCISCO DA LUZ BASTOS (Centro) FRANCISCO DA LUZ BASTOS nascido em Meia Ponte no ano de 1850. oriundo de Bauru-SP.SEUS VULTOS . a Rádio Karajá tem grande influência na formação da opinião pública anapolina. em dezembro daquele mesmo ano.

De pronto nos respondeu que ela chamava-se Matildes Crispim Silva. quando foi encaminhado para a Escola de Grumetes. logo após. que tinha o Almirante Barroso como 80 . cujos feitos já foram cantados em outro capítulo.SEUS VULTOS . e que. refletirá um vulto de mulher tão grande como a sua própria história. aqui em Anápolis (Antas). que nascera em 14 de dezembro de 1890.ANÁPOLIS . iniciou sua carreira como aprendiz-marinheiro aos 12 anos aproximadamente. O senhor Francisco da Luz faleceu em Anápolis aos 75 anos de idade. bastando lembrar dona Zita Duarte. concluiu seus estudos nessa escola. TRAVESSA MARCÍLIO DIAS (Centro) MARCÍLIO DIAS . Em 1856. delegado de polícia e juiz municipal.(Dô) agente do correio. Dona Senhora. embarcando na Corveta "Constituição" e. fatalmente. TRAVESSA DONA SENHORA (Centro) Dita a norma geral que não se deve falar num grande homem sem lhe citar a sua sombra que. demos uma parada na casa de dona Tereza Silva. fora mulher de um grande benemérito da cidade. sendo também destaque na Junta Administrativa em 1892. e perguntamos a ela sobre sua sogra.SUAS RUAS . Dona Senhora. senhor Graciano Antônio Silva – Seu Sanito . além de bisneta do grande vulto goiano Manuel Crispim de Sousa. ao passarmos com a carroça da história pela Praça James Fanstone. no navio "Tocantins". carinhosamente lembrado seu nome com essa rua. Assim. foi mãe de outras grandes personagens de Anápolis.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . esposa do senhor Jonas Duarte.sendo justo que lembrássemos dessa figura marcante que foi Dona Matildes. mulher do saudoso Walter Crispim Silva.Nascido na cidade do Rio Grande em fins de 1843 ou início de 1844 (a data exata é desconhecida).

Senhor Tonico de Pina.(Dô) comandante. um foi afundado. enquanto Marcílio Dias agonizava no convés sem dar um único gemido. Marcílio Dias é o primeiro na avançada. com uma magnífica escultura em bronze. em 1889. e a grande participação na fundação do Banco Comercial de Goiás.SUAS RUAS . RUA TONICO DE PINA – (Centro) ANTÔNIO LUÍS DE PINA nasceu na cidade de Pirenópolis-Goiás. enfrenta o segundo. Hoje. transferindo-se para Anápolis no ano de 1911. com aproximadamente 21 anos. O bravo marinheiro avança. Grande filantropo. Em 11 de junho de 1865.ANÁPOLIS . Barroso. quando recebe dois violentos golpes na cabeça e cai. S/A. O gigante em fúria abre caminho entre os paraguaios golpeando-os de morte. Marcílio Dias. abre os braços para estabelecer o equilíbrio. durante a Batalha do Riachuelo. até ser cercado por quatro soldados inimigos. juntamente com outros empresários. dedicada à nossa padroeira. foi grande comerciante e homem empreendedor. inaugurada em 19 de novembro de 1940. Ele avança mais.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . como era habitualmente chamado. o povo riograndino homenageia seu grande herói na Praça Marinha do Brasil). do qual foi um dos maiores acionistas.SEUS VULTOS . escorrega. a chamada e famosa “Casa da Barateza”. luta bravamente na Corveta Parnaíba contra três navios paraguaios. 81 . tendo como realce a participação efetiva na construção da primeira usina hidrelétrica de Anápolis. época em que fundou na cidade a maior loja comercial daquele tempo. sendo um dos maiores responsáveis pela construção da bela Igreja. afunda um navio paraguaio e o outro trata de escapar. O Brasil estava vitorioso. usando de inteligente estratégia. os outros dois continuaram atacando o Parnaíba. o senhor Tonico de Pina participava de todos os movimentos relacionados com a benemerência da Igreja Santana. golpeia o primeiro.

um avião sobrevoava o campo santo. quando a população tomou conhecimento da queda de seu avião Pireneus que lhe tirou a vida.SEUS VULTOS . enquanto o Cônego Trindade discursava. Concorreu à presidência do Brasil em 1955 e 1960. Segundo a escritora Haydée Jayme.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . influente político brasileiro no contexto regional de São Paulo. interventor federal e duas vezes governador do Estado. entre as décadas de 1930 e 1960. em 22 de abril de 1901 e faleceu em Paris no dia 12 de março de 1969. prefeito da cidade de São Paulo. Nesse dia a notícia de sua morte teve grande repercussão por toda a cidade. RUA ALARICO VERANO – Jardim Alexandrina 82 .(Dô) C A P Í T U L O IV A carroça da história.ANÁPOLIS . deixando cair flores naquele local. Francisco Valloz foi fundador do Aéro Clube de Anápolis e o primeiro instrutor de pilotagem da Escola de Aviação Civil de Anápolis. Foi médico. através dos bairros RUA FRANCISCO VALOZ (SetorAeroporto) (Lei Municipal nº 677 de 1978) FRANCISCO VALOZ nasceu em 1904 e faleceu em 31 de março de 1944.SUAS RUAS . Foi deputado estadual. RUA ADHEMAR DE BARROS (Jardim América) ADHEMAR PEREIRA DE BARROS nasceu em Piracicaba-SP. durante o enterro de Chico Valloz. ficando em terceiro e quarto lugar. respectivamente.

RUA CASTRO ALVES – Jardim Alexandrina ANTÔNIO DE CASTRO ALVES nasceu a 14 de março de 1847 na Comarca de Cachoeira. Brasil Caiado”. Foi o 13º Presidente do Brasil. distinguindo-se no serviço social e profissional pelas suas qualidades de homem sensato. RUA ARTHUR BERNARDES–Jardim Alexandrina ARTHUR BERNARDES nasceu em Viçosa. chamada de Grupo Escolar “Dr. onde é hoje o prédio de um sindicato de classe. onde nasceu no ano de 1871. falecendo em 23 de março de 1955. Minas Gerais. Exerceu o magistério em sua terra durante 20 anos. entregando-se a ele com uma dedicação sem par. Durante 20 anos o Professor Alarico Verano atuou em nossa cidade. Bahia. transferindo em seguida sua residência para Luziânia-GO.(Dô) PROFESSOR ALARICO TORRES VERANO. Este grupo se localiza à Praça das Mães. aonde veio dirigir a primeira unidade escolar da cidade. Em 1926 mudou-se para Anápolis. honesto e trabalhador. sendo o ensino a sua única preocupação. O professor Alarico deixou grandes herdeiros que ainda hoje honram e enobrecem o seu nome. em 8 de agosto de 1875. Participou da Revolução de 1930 e da Revolução Constitucional de 1932.SEUS VULTOS . O professor Alarico exerceu o magistério durante duas décadas nesta cidade. Arthur Bernardes foi obrigado a retirar-se para o exílio em Portugal. Em 1862 ingressou na 83 . vereador em sua cidade e deputado federal por dois mandatos e presidente de Minas Gerais de 1918 a 1922. onde fundou o “Ateneu Goiano”.ANÁPOLIS . no mesmo Estado brasileiro.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . durante o período de 15/11/1922 a 15/11/1926. e faleceu em Salvador. Era advogado.SUAS RUAS . Fracassado esse último movimento. mineiro de Paracatu-MG.

em caçada nos arredores de São Paulo.SEUS VULTOS . Machado de Assis e outros imortais. sendo obrigado a voltar à Bahia. Cachoeira de Paulo Afonso. onde viveu seus dias de maior glória. Em 1922 conhece e torna-se amigo dos irmãos Tapajós. RUA VINICIUS DE MORAES (AlphaVille) VINICIUS DE MORAES: CRONOLOGIA: . seus primeiros sucessos. Segue depois para o Rio de Janeiro. Em 1938 ganha bolsa de estudos do Conselho Britânico. declamando-os em comícios cívicos.SUAS RUAS . Sobreveio. aonde faleceu. cuja cerimônia o marcou pela sua vida afora. todas contidas no livro Espumas Flutuantes. Navio Negreiro. Em 1927 bacharela-se em letras e em 1933 forma-se em Direito na Faculdade de Direito da Rua do Catete. onde faz representar seu drama: ”Gonzaga”. indo para a Bahia. Transfere no ano seguinte sua residência para São Paulo. mudando-se para Londres.Vinicius de Moraes nasce no dia 19 de outubro de 1913. Em 11 de novembro de 1868. com quem começa a compor “Loura ou Morena” e “Canção da Noite”. a tuberculose. Em 1867 deixa Recife. Em 1946 parte para Los Angeles como Cônsul do Brasil. onde recebe incentivos promissores de José de Alencar. Em 1920 é batizado na Maçonaria (Louwton) por disposição de seu avô materno. feriu o calcanhar esquerdo com um tiro de espingarda. no Bairro da Gávea.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) Faculdade de Direito e é desse tempo os seus amores com a atriz portuguesa Eugênia de Câmara e a composição dos primeiros poemas abolicionistas: Os Escravos. Em 1955 compõe em Paris uma série de canções. Francisco Otaviano. Seus versos foram os maiores gritos em prol do fim da escravidão e pela causa dos republicanos. Em 1943 ingressa na carreira diplomática por concurso. Em 1957 é transferido para Delegação do Brasil 84 . o que lhe valeu a amputação do pé. no Rio de Janeiro e é admitido no “Centro Acadêmico de Estudos Jurídicos”. em seguida. no Rio de Janeiro.ANÁPOLIS .

filho dileto de Anápolis. Ary Barroso e Edu Lobo. sendo também vereador. cargo que exerceu até 1934. Em 1967 é exonerado do Itamaraty.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Nessa rua a carroça da história fez uma parada para reverenciar este grande vulto anapolino. onde nasceu em 1904 e faleceu em 1969. Bem mais tarde voltou ao cargo de alcaide de Anápolis. Morre na manhã de 9 de julho de edema pulmonar. Perde o Brasil o seu “Poetinha”. 85 .SUAS RUAS .(Dô) junto a Unesco. sendo nomeado prefeito de Anápolis depois da Revolução dos anos 30. Baden Powel. Antônio Carlos Jobim. Foi chefe aliancista do município. Entre 1961/63 compõe com Carlos Lira. AVENIDA JUSCELINO KUBITSCHECK Bairro Alto da Boa Vista JUSCELINO KUBITSCHEK DE OLIVEIRA – Presidente do Brasil no período de 31/1/1956 a 31/1/1961 nasceu em Diamantina-MG. no dia 22 de agosto de 1902 e faleceu em Resende-RJ. João Gilberto. Em 1980 é operado a 17 de abril. Pixinguinha. Em 1964 regressa a Paris e compõe com Francis Hime. historiador e jornalista. Sua história completa-se em outro capítulo do livro. João Luiz trabalhou grande parte da sua mocidade no campo cuidando de lavoura. De 1970 a 1979 compõe com Toquinho e passa a excursionar pelo Brasil e Europa.ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . para instalação de um dreno cerebral. RUA JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA (Alto Bela Vista) JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA. cercado da admiração do povo anapolino. no dia 20 de agosto de 1976. Em 1960 retorna à Secretaria do Estado das Relações Exteriores.

ingressa. Durante sua fase universitária foi radiotelegrafista. Espírito irrequieto e sonhador.ANÁPOLIS . Filho de um caixeiro-viajante e de uma professora. Nomeado interventor federal em Minas. JK. promoveu a industrialização e a modernização da economia. Um de seus principais feitos foi a construção da cidade de Brasília e instituição do Distrito Federal. Numa era pós-Vargas. Juscelino emprega-se como telegrafista em Belo Horizonte e inicia seus estudos na Faculdade de Medicina de Minas Gerais. alcançando o posto de Capitão-médico. seu governo foi marcado por mudanças sociais e culturais como os festivais de música e a moda da bossa-nova. A seguir. Diplomado. Valadares colocou o amigo como seu chefe de gabinete. Venceu a eleição para Presidente da República com 36% dos votos. na Polícia Militar de Minas Gerais.SUAS RUAS . Quando terminou o mandato.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Fez curso e estágio complementares em Paris e Berlim em 1930 e casou-se com dona Sara Lemos em 1931. quando fez amizade com o político e futuro governador Benedito Valadares. em 1933. numa coligação PSD-PTB. foi eleito governador em Minas Gerais (1950 a 1954). Já nessa época se despontava como líder político e homem de grande visão no campo administrativo. construiu hidrelétricas. em 21 de abril de 1960.(Dô) JK passou a sua infância e adolescência em Diamantina. nomeado prefeito de Belo Horizonte (1940-1945) e realizou obras de remodelação da capital. com o slogan "Cinqüenta Anos em Cinco". Na presidência. em 1927. como era conhecido. Minas Gerais. Kubitschek foi eleito deputado federal (1934-1937). em 1946. em 1931. foi eleito senador por Goiás em 1962. que marcou a transferência da Capital Federal (até então no Rio de Janeiro). mas teve seu 86 .SEUS VULTOS . pelo PSD (Partido Social Democrático). Após uma gestão como deputado constituinte. estradas. formou-se como médico na cidade de Belo Horizonte.

Emival Ramos Caiado nasceu em 4 de maio de 1918. onde permaneceu até 1945. na altura da cidade fluminense de Resende.SEUS VULTOS . Com a queda do Estado Novo (1937/1945). souberam fazer uma história digna e merecedora da nossa admiração.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . quando em luta aguerrida saíram vitoriosos da batalha travada no “Monte Castelo”. Em 1966 tentou organizar uma frente pela redemocratização do país. na cidade de Goiás. EMIVAL RAMOS CAIADO –Bairro Alvorada EMIVAL RAMOS CAIADO. RUA MONTE CASTELO Anápolis forma com toda a sua população para homenagear os nossos expedicionários da Segunda Guerra Mundial. Morreu em um desastre automobilístico na Via Dutra. onde foi Oficial de Gabinete do Secretário de Educação do Estado. pelo regime militar.(Dô) mandato cassado e os direitos políticos suspensos em 1964. na Itália. a família Caiado ficou sem qualquer representante nos quadros 87 . em 20 de agosto de 1976. Esses heróis. Advogado em 1942 pela Faculdade de Direito do Estado do Rio de Janeiro. concentrando-se na assistência aos trabalhadores. a quem chamamos simplesmente de “nossos pracinhas”. transferiu-se para São Paulo. Com a perda do poder em 1930.ANÁPOLIS . Afastou-se da política e dedicou-se ao trabalho como empresário. Em 1947 mudouse para Anápolis. descendente de tradicional família goiana. onde passou a advogar. mas não voltou mais ao poder. junto com Carlos Lacerda e João Goulart. Bem lembrada essa homenagem: RUA MONTE CASTELO! AV.SUAS RUAS .

foi eleito o Deputado Federal mais votado de todo o Estado de Goiás. – Republicano e nacionalista. Foi eleito por mais três mandatos de deputado federal. nasceu no Rio de Janeiro em 1865.. no Rio. tem merecido pouca atenção da crítica e do ensino no Brasil. em São Paulo. até o ano de 1950. e Direito. 88 . mas não chegou a concluir nenhuma faculdade. composição essa elaborada com o pensamento voltado para os jovens: “recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil..SEUS VULTOS . Em 1954. É de sua autoria a “Lei Emival Caiado”.ANÁPOLIS . Em 1887 iniciou sua carreira de jornalista literário e em 1888 teve publicado o seu primeiro livro: “Poesias”.SUAS RUAS .(Dô) políticos de Goiás. autor de alguns dos mais populares poemas brasileiros. de agosto de 1958. Sua obra. escreveu o nosso Hino à Bandeira Nacional. sendo também eleito senador da República. que fixou a data de 21 de abril de 1960 para a transferência da Capital da República para Brasília. A imagem que dela se cristalizou oscila entre o perfil acadêmico de um príncipe dos poetas à estética parnasiana e a aura do poeta popular cantada nos bares e declamada nas festas. embora conhecidíssima.”. é considerado o mais importante dos nossos poetas parnasianos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Em 1897 foi o primeiro a ser eleito pela Revista “FON FON” o “príncipe dos poetas” – De 1915/1917 fez campanha cívica nacional pelo serviço militar obrigatório e pela instrução primária Olavo Bilac. RUA OLAVO BILAC – Bairro Alvorada OLAVO BRÁS MARTINS DOS GUIMARÃES BILAC. quando Emival Caiado elegeu-se deputado estadual. pelo partido da UDN. Começou os cursos de medicina. com o percentual de votos jamais atingido até os dias de hoje.

movimento getulista para ocupação efetiva da Região Centro Oeste. AVENIDA BERNARDO SAYÃO. Ernesto Silva e Íris Meinberg. participou da fundação da Academia Brasileira de Letras. ao contrário do que muita gente pensa que ele é goiano. 1939 . 1956 – Foi nomeado como um dos diretores da Novacap. demonstrando seu interesse pela região central do país. que seria o marco inicial da “Marcha para o Oeste”.SUAS RUAS .SEUS VULTOS . com votação superior ao próprio governador eleito. Olavo Bilac morreu em 28 de dezembro de 1918. CRONOLOGIA: 1923 – Formou-se pela Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária de Belo Horizonte. 1941 – O Presidente Getúlio Vargas escolheu Bernardo Sayão para dirigir a implantação da Colônia Agrícola de Ceres (GO).Bairro Alvorada BERNARDO SAYÃO ARAÚJO CARVALHO.(Dô) Bilac foi um dos mais notáveis poetas brasileiros. no Rio de Janeiro. 89 . 1944 – Sayão concluiu a estrada de 142 km que liga hoje a cidade de Ceres à Anápolis. cujo patrono é o poeta Gonçalves Dias.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . em 18 de junho de 1901. prosador exímio e orador primoroso. aceitando este desafio pessoalmente. em que ocupou a cadeira de nº. Governou Goiás interinamente por três meses.Visitou o Estado de Goiás pela primeira vez. não é certo. juntamente com Israel Pinheiro.ANÁPOLIS . 1958 – Sayão foi encarregado por Juscelino Kubitscheck de construir a estrada Transbrasiliana (BelémBrasília). Sayão nasceu no bairro da Tijuca. 15. 1954 – Bernardo é eleito Vice-Governador de Goiás.

. bem como outras dezenas e dezenas de avenidas e ruas por este Brasil afora. é levado ao suicídio a 24 de agosto de 1954.. na abertura da estrada.. apesar de todos os seus possíveis defeitos. voltou à presidência em 31 de janeiro de 1951. como Carlos Lacerda e Adhemar de Barros.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . através do voto popular. no dia 19 de abril de 1883. 90 . No que o autor concorda. Em 1954. Por isso. hoje Campo da Esperança.ANÁPOLIS . o homenageiam. ocorre um terrível acidente: uma árvore derrubada. Com uma bala no peito ele atrasa o golpe militar em 10 anos e “sai da vida para entrar na história”. em novembro de 1937. Ironicamente. Getúlio Vargas é considerado o “melhor Presidente que o Brasil já teve em toda a sua História”. Bernardo Sayão acabou sendo o pioneiro do Cemitério de Brasília. AVENIDA PRESIDENTE VARGAS–B. a estrada Belém-Brasília recebeu o nome de “Rodovia Bernardo Sayão”. nascido em São Borja-RS. cai sobre a barraca onde Sayão se encontrava e é gravemente ferido. com aliados no Brasil.SEUS VULTOS . Presidente eleito pela Constituinte em 17 de fevereiro de 1934. como nós anapolinos. até a implantação da ditadura do Estado Novo. foi chefe do governo provisório depois da Revolução de 1930. Foi deposto em 29 de outubro de 1945. Em sua homenagem. Ele morreu no mesmo dia. Todos os outros governos – exceção a JK – em maior ou menor grau colocaram a economia brasileira a serviço de interesses estrangeiros. Alvorada GETÚLIO DORNELES VARGAS. Esta tese é contestada por muitos que opinam ser Juscelino Kubitschek de Oliveira o maior estadista desse país. dentro do helicóptero que o levava em busca de socorro médico.SUAS RUAS . Orgulhosamente..(Dô) 1959 – Em 15 de janeiro desse ano. pressionado por interesses econômicos estrangeiros.

0nde conheceu dois cadetes da Escola Militar. Getúlio Dornelles Vargas é considerado o “Pai dos Pobres”.SEUS VULTOS . 1909 – Eleito deputado estadual. 1928 – Eleito Governador do Estado do Rio Grande do Sul.. 1930 – Vitoriosa a Revolução de 1930. reeleito até 1913 e depois até 1921.SUAS RUAS . 1943 – Edita a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) que garantia a estabilidade do emprego depois de dez anos de serviço. 1900–Matriculou-se na Escola Preparatória de Tática de Rio Pardo-RS. 1927 – Deputado Federal e Ministro da Fazenda – Governo Wenceslau Luiz.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . criação da Previdência Social. 1907 – Advogado e promotor público em Porto Alegre-RS. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. descanso semanal.. regulamentação do trabalho de menores. Lutei contra a 91 . Góis Monteiro e Eurico Dutra. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e o meu sangue será o preço do seu resgate. a 3 de novembro assume a Junta como Chefe do Governo Provisório.ANÁPOLIS . Mas esse povo de quem fui escravo não será mais escravo de ninguém. Trecho da “Carta Testamento de Getúlio Vargas” “E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória.(Dô) CRONOLOGIA: 1898–Formou-se soldado na Guarnição de São Borja-RS. a jornada de 8 horas de trabalho. 1904 – Matriculou-se na Faculdade de Direito de Porto Alegre-RS. adeptos como ele dos ideais de Júlio de Castilho. positivista e fundador do Partido Republicano. a carteira profissional.

(Dô) espoliação do Brasil. pelo Congresso 92 . Deodoro da Fonseca proclamou a República Brasileira no dia 15 de novembro de 1889 e assumiu a chefia do governo provisório.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . (Rio de Janeiro. A primeira constituição republicana estabelecia que as eleições no Brasil fossem diretas e que o presidente e seu vice seriam eleitos pelo voto popular. determinava também que. 24/08/1954-Getúlio Vargas) RUA MARECHAL DEODORO – Jardim América MARECHAL DEODORO DA FONSECA. no dia 5 de agosto de 1827 e estudou em escola militar desde os 16 anos. Presidente do Brasil no período compreendido entre 15/11/1889 a 25/02/1891. a calúnia não abateram meu ânimo. Com o título de marechal. Lutei contra a espoliação do povo. quando exerceu o cargo de presidente (equivalente ao atual de governador) da província do Rio Grande do Sul. aos 21 anos. isto é. como a brigada expedicionária ao rio da Prata. o primeiro presidente e o primeiro vice seriam eleitos indiretamente. no Estado do mesmo nome.SUAS RUAS . O ódio. as infâmias. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História”. Assumiu a presidência do Clube Militar de 1887 a 1889 e chefiou o setor antiescravista do Exército. em caráter excepcional.SEUS VULTOS . Em 1848.ANÁPOLIS . Nada receio. Marechal Deodoro nasceu na cidade de Alagoas. integrou as tropas que se dirigiram a Pernambuco para combater a Revolução Praieira e participou ativamente de outros conflitos durante o Império. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Entretanto. Ingressou oficialmente na política em 1885. Tenho lutado de peito aberto. o cerco a Montevidéu e da Guerra do Paraguai.

que também fazia oposição a Deodoro. Renuncia em 23 de novembro de 1892. juntamente com as forças legalistas que levaram à renúncia de Deodoro da Fonseca em 23 de novembro de 1891. Logo em seguida coloca-se à frente do movimento militar que derruba a monarquia e proclama a República. a tentativa de centralização do poder e às resistências encontradas no meio militar conduziram o país a uma crise política. em 15 de novembro de 1889. que teve seu ápice na dissolução do Congresso Nacional. A política econômica. que tinha como ministro da Fazenda Rui Barbosa. Foi o que aconteceu. O governo do Marechal Deodoro deveria terminar em 1894. Como resultado. assume a liderança da facção do Exército favorável à abolição da escravatura.ANÁPOLIS . no Rio de Janeiro. Em1886. mas enfrenta a resistência do Exército. Floriano Peixoto. No dia seguinte à promulgação da Constituição. articulando um golpe de estado. Ao mesmo tempo crescia no meio militar a influência de Floriano Peixoto. mas o período registrou sérios problemas políticos e econômicos. político vinculado à ordem monárquica. Sua eleição como o primeiro presidente do Brasil é garantida pela pressão dos militares sobre o Congresso. em 25 de fevereiro de 1891. foi marcada pelo "encilhamento". chefiado pelo Vice-Presidente Marechal Floriano Peixoto. A formação de um novo ministério liderado pelo barão de Lucena.SEUS VULTOS . Deodoro tenta vencer a oposição.SUAS RUAS . o Congresso elegeu de forma indireta os marechais Deodoro da Fonseca para presidente e Floriano Peixoto para vice-presidente.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que se caracterizou pelo incentivo à emissão de moeda por alguns bancos e pela criação de sociedades anônimas. Assume o seu lugar o Marechal de Ferro. houve forte especulação financeira e falência de bancos e empresas. RUA VITAL BRASIL – Jardim América 93 .(Dô) Nacional.

começou a dedicar-se ao estudo do veneno desses animais e das intoxicações provocadas em outros seres. nasceu em 28 de abril de 1864. o tétano. em Niterói-RJ.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Impressionado com o elevado número de pessoas que morriam depois de serem picadas por cobra. Formado médico clinicou em várias cidades de São Paulo. Um ano mais tarde Vital Brasil conseguiu imunizar animais com veneno de cascavel.ANÁPOLIS . Grande benfeitor esse Doutor Vital.(Dô) VITAL BRASIL. obtendo os primeiros soros específicos no combate aos seus venenos. a varíola. em 1901. Vital Brasil foi o fundador do Instituto de Higiene. Realizou o grande trabalho dos soros antipestoso e ainda um extenso programa no Instituto que passou a fornecer vacinas contra a febre tifo. Com a criação do Instituto Butantã. é que reafirmo a atitude dos nossos vereadores que em boa hora lembraram a necessidade que tem a nossa história de não esquecer os seus 94 . em Campanha-MG e faleceu no dia 5 de maio de 1950. e na condição de anapolino. contra tuberculose. RUA SINHOZINHO CANTOR – Jardim América Só sente prazer quem com ele conviveu. Soroterapia e Veterinário do Rio de Janeiro. jararaca. Adolfo Lutz. a vacina BCG. Médico formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1891 e é conhecido internacionalmente por seus estudos pioneiros sobre veneno de cobra. dirigido pelo famoso Dr. médico e cientista brasileiro. urutu.SEUS VULTOS . E por ter vivido intensamente a companhia dessa figura ímpar que foi o Cantor Sinhozinho. a disenteria bacilar. Em 1897 foi nomeado ajudante do Instituto Bacteriológico do Estado. Vital assumiu a direção dos trabalhos de instalação do laboratório.SUAS RUAS . as penicilinas e soros contra animais peçonhentos. combatendo epidemias.

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

vultos, mesmo que esses tenham vindo de outras plagas, mas aqui se inteirassem dos nossos costumes e passassem a viver harmoniosamente com o nosso provincianismo sadio. Sinhozinho era um gênio da música e da poesia. Cantor inspirado, fazia chorar de encantamento as noites anapolinas. Com seu conjunto musical que trazia sempre o Nane Costa, o Sampaio, o Américo Caetano e, em tempos ainda melhores o Nico, o Joaquim e o Zé Rebeca faziam as mais belas serenatas e os forrós mais animados da cidade. Sinhozinho é autor de “Uma Canção por Pirenópolis” e “Exaltação à Anápolis”. RUA CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE– B. Antônio Fernandes-Lei Municipal 1546/1988 CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE nasceu em Itabira do Mato Dentro-MG, em 31 de outubro de 1902. Filho de uma família de fazendeiros estudou na cidade de Belo Horizonte, transferindo-se depois para um Colégio de Jesuítas de Nova Friburgo-RJ, de onde foi expulso por “insubordinação mental”. De volta a Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do jornal “Estado de Minas”, que já aglutinava os adeptos locais ao incipiente movimento modernista mineiro. Ante a insistência familiar para que obtivesse um diploma, formou-se em farmácia pela Faculdade de Ouro Preto, em 1925. Ingressou em seguida no serviço público e em 1934 transfere-se para o Rio de Janeiro, onde foi chefe de gabinete do Ministro da Educação Gustavo Capanema. Depois passou a trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e se aposentou em 1962. Líder do movimento modernista no Brasil, o poeta teve traduzidas suas obras para o espanhol, inglês, italiano, alemão, sueco, tcheco e outras línguas. Drummond foi admirado
95

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

e cantado por muitos vultos da nossa cultura e por muitas décadas o poeta mais influente na literatura brasileira. Alvo de admiração irrestrita, tanto pela sua obra quanto pelo seu compromisso como escritor renovador e poeta moderno, Carlos Drummond de Andrade morreu no Rio de Janeiro no dia 17 de agosto de 1987, poucos dias após a morte de sua filha cronista Maria Julieta Drummond de Andrade. (Resíduo) (...) Pois de tudo fica um pouco. Fica um pouco de teu queixo no queixo de tua filha. do teu áspero silêncio um pouco ficou, um pouco nos muros zangados, nas folhas, mudas, que sobem. Ficou um pouco de tudo no pires de porcelana dragão partido, flor branca, ficou um pouco de ruga na vossa testa, retrato. (...) E de tudo fica um pouco, Oh abre os vidros de loção e abafa o insuportável mau cheiro da memória. (Drummond de Andrade) RUA WASHINGTON CARVALHO (Centro) (Lei Municipal nº 404 de 1958) WASHINGTON DE CARVALHO foi o pioneiro da telefonia no Estado de Goiás. Em 1937 transfere-se com a
96

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

família da cidade de Prata-MG para Anápolis. Naquela época não havia esse serviço de comunicação no Centro Oeste, sendo Anápolis escolhida para ser o pólo de irradiação desse melhoramento público tão importante por oferecer as melhores oportunidades de negócios. Nesse mesmo ano firma contrato de exploração desse serviço com a Prefeitura Municipal e no ano seguinte traz de Minas Gerais os filhos Wolnei, Walter, Waldir, Wanderick e Wilsonina Carvalho, instalando sua residência à Rua Engº Portela, 577, Centro. Em um dos cômodos da casa foi instalada a “Central Telefônica”, equipada com uma mesa “Ericsson Magneto”, com capacidade para 100 assinantes. Assim, estava inaugurada a primeira empresa telefônica de Goiás e do Centro Oeste. Inicialmente foram instalados 50 telefones e com o decorrer do tempo chegou-se a 100 o número de aparelhos instalados na cidade e fazendas da região, cuja distância da sede não ultrapassasse a duas léguas do centro de operação. Como o centro telefônico funcionava na residência do senhor Washington, havia uma campainha que soava toda vez que era solicitada uma chamada de emergência, fora do horário de funcionamento. A numeração dos telefones era de 01 a 100. Como não existia lista telefônica, o assinante ligava para o “Centro” e solicitava à telefonista (senhorita Wilsonina), com quem desejava se comunicar e, então, era feita a ligação. Os filhos do senhor Washington eram os responsáveis pelo serviço de manutenção, venda de aparelhos e recebimento das tarifas, enquanto isso a senhorita Wilsonina de Carvalho tornava-se a 1ª telefonista do Estado de Goiás. RUA DAYSE FANSTONE ( C. Universitária) Raras são as figuras de uma sociedade que se projetam à sombra da humildade, fazendo desse seu proceder uma marca registrada. Se um nome marcante da sociedade
97

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

anapolina tivesse de ser pronunciado de público para homenagear a mulher anapolina, talvez ninguém tivesse dúvida que este nome seria o de Ethel Marguerite Peattfeld, ou melhor, DAYSE FANSTONE! Cidadã virtuosa e amiga de sua cidade limitou-se em vida, a praticar a virtude e a servir tão somente. Dona Dayse procurou e empregou sempre todos os recursos que tinha ao seu alcance para fazer o bem e generalizar o amor que sempre teve pela nossa cidade. Desde o ano de 1925, quando aqui chegou, juntamente com seu marido, o inesquecível e grande benfeitor de Anápolis, Dr. James Fanstone, que Dona Dayse Fanstone vestiu e manto da humildade e se dispôs a servir Anápolis. Deixa-nos como legado positivo os seus filhos Dr. Henrique Fanstone e Bill Fanstone, figuras de destaque no nosso meio social. Morreu em Santos-SP, onde foi enterrada no Cemitério dos Ingleses, naquela cidade. RUA ARY BARROSO – (Cidade Universitária) ARY BARROSO, compositor-ícone da era do rádio e maior nome do samba-exaltação, Ary Barroso nasceu em Ubá (MG), ficou órfão aos 7 anos e foi criado pelas tias-avós, que queriam fazê-lo pianista de concerto ou padre. Aos 18 anos foi para o Rio de Janeiro estudar Direito. Levou nove anos para se formar e nunca exerceu a profissão. No Rio foi obrigado a tocar piano em cinemas e cabarés para se sustentar, e passou a se interessar pelo teatro musical, então em ascensão. Iniciou a sua carreira radiofônica em 1933, na Rádio Philips, e comandou programas de sucesso no rádio e mais tarde na TV, como Calouros em Desfile e Encontro com Ary. Ainda na década
98

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

de 30 iniciou a carreira como locutor esportivo, profissão que nunca mais foi a mesma depois de Ary Barroso. Ele conferiu um tom emocional à transmissão e não disfarçava a torcida por seu time, o Flamengo. Conhecido por ser durão e intransigente com quem revelasse gosto ou opinião musical diferente da sua, seus programas de calouros revelaram nomes que fariam história na música brasileira, como Dolores Duran, Elza Soares ou Elizeth Cardoso. Era temido pelos calouros tanto no rádio quanto na TV, e exigia que só se cantassem músicas nacionais. Composto em 1939, o samba-exaltação "Aquarela do Brasil" ganha um prêmio e passa a figurar como hino nacional alternativo brasileiro. "Aquarela" já foi gravada centenas de vezes em todo o mundo, sendo a primeira uma das mais célebres gravações, com arranjo de Radamés Gnattali, voz de Francisco Alves e percussão comandada por Luciano Perrone. A música ficou tão caracterizada que em inglês seu título é "Brazil". Ary foi eleito vereador pela UDN em 1946 e uma das suas maiores lutas foi pelos direitos autorais. Entre seus grandes sucessos estão "Na Batucada da Vida", "Camisa Amarela", "Morena Boca de Ouro" e "Na Baixa do Sapateiro". Em 1995 a editora Lumiar publicou o songbook Ary Barroso acompanhado de três CDs, em que suas músicas são executadas por mais de 50 artistas.

99

Apóstolo da educação nacional combateu.SEUS VULTOS . Era sugerida. a 1º de maio de 1865. Era filho de Francisco de Oliveira Couto e de Maria Rosa do Espírito Santo. no ano de 1898. Ainda. o mais conceituado clínico do Rio de Janeiro. Membro da Academia Brasileira de Letras. a seguir. eleito em 9 de dezembro de 1916. o professor Bruno Lobo. Miguel Couto. Freqüentou o Colégio Briggs ingressando.ANÁPOLIS . sendo considerado um dos mais notáveis clínicos de sua época. da qual se tornaria lente. Na cadeira de Clínica Médica substituíra Francisco de Castro. na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. proferira uma conferência na Associação sobre educação.SUAS RUAS . em oposição ao pensamento do seu colega de Medicina. antes da Revolução de outubro de 1930. a imigração japonesa. também. a 6 de junho de 1934.(Dô) Ary Barroso faleceu no Rio de Janeiro em 19/02/1964 RUA MIGUEL COUTO – Cidade Universitária Miguel Couto nasceu na cidade do Rio de Janeiro. notável expressão da cultura médica no início do século passado.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que considerava poder vir a constituir sério perigo para o Brasil. por concurso. 100 . foi empossado em 2 de junho de 1919. Faleceu no Rio de Janeiro. O professor Miguel Couto era poliglota e profundo conhecedor da língua portuguesa. largamente distribuído em todas as escolas normais e institutos profissionais da então Capital Federal. Participou de vários congressos de Medicina nos quais se destacou pela sua competência profissional.

(Dô) nesse documento. um decreto do Chefe do Governo Provisório da República criava "uma Secretaria de Estado. Eleito deputado federal.) REV.SUAS RUAS . A 14 de novembro de 1930. Praticamente. visto ter nascido no dia 18 de agosto de 1906. 101 . ARTHUR WESLEY ARCHIBALD comemorou no ano passado o seu centenário de nascimento. a criação do Ministério da Educação. reproduziu o que já pregara Miguel Couto cinco anos antes: "Na hierarquia dos problemas nacionais.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . USA e falecido em Goiânia no dia 30 de abril de 1986. com a denominação de Ministério da Educação e Saúde Pública. New Hampshire. O famoso "Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova". Presidiu Miguel Couto a Academia Nacional de Medicina durante 21 anos consecutivos. ARTHUR WESLEY ARCHIBALDI – (Cid. AV. lançado em 1932. nenhum sobreleva em importância e gravidade o da educação". o apelo de Miguel Couto na Associação Brasileira de Educação começara a dar os seus frutos. com dois departamentos: “o do ensino e o da higiene". sem aumento de despesa". continuou o eminente clínico a defender suas idéias sobre educação e problemas da imigração japonesa. Univ. na cidade de Keene.

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

Em 1922, após terminar o segundo grau no colégio Quincy, em Massachusetts, o Rev. Archibald trabalhou por um ano em uma fábrica de gelatina, em Boston. Pela sua eficiência no trabalho, a administração da empresa ofereceu-lhe a gerência geral, convidando-o a permanecer no emprego por tempo indeterminado. Archibald agradeceu, alegando que estava voltando aos estudos para se preparar para o seu trabalho futuro como missionário do evangelho no Brasil. No final do ano de 1929, desembarca em território brasileiro o Rev. Arthur Wesley Archibald, acompanhado de sua esposa Mildred Anna Archibald, que se achava grávida da primeira filha que viria nascer em janeiro do ano seguinte e que tomaria o nome de Carolina. Mandado ao Brasil pela “Ohio Conference dos Estados Unidos”, com o intuito de não mais voltar à sua pátria, pois a sua determinação era de nunca desistir dos seus objetivos. Deixando as brumas da Capital paulista, chega à nossa cidade no ano de 1937, procurando de imediato o Dr. James Fanstone, no Hospital Evangélico Goiano, onde o médico e missionário o recebeu com inusitada alegria, hospedando-o em uma de suas casas. Sem perder tempo, o novo missionário colocou mãos às obras e já no ano seguinte funda o Instituo Bíblico Goiano, fincado na fé e na certeza de que Deus haveria de prover os recursos e todos os meios necessários para a manutenção de tão ousado empreendimento. Desde que chegou à Anápolis, o Rev. Archibald passou a colaborar de forma efetiva com o “Colégio Couto de Magalhães” e, juntamente com o seu fundador, Dr. Carlos Pereira de Magalhães, Dr. James Fanstone e o professor Antônio de Oliveira Brasil, instalaram em 1939 o Curso Ginasial que formou a sua primeira turma em 1944. O resultado da dedicação desses extraordinários vultos é que surgiram as células “Escola de Enfermagem Florence Nightingale”, o “Instituto Bíblico Goiano”, o famoso “Colégio Couto de Magalhães” e mais a FADA – Faculdade de
102

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

Direito de Anápolis, que teve como baluarte e um dos fundadores e seu diretor nos dez anos seguintes, o Dr. Olímpio Ferreira Sobrinho, resultando desse trabalho a criação da Associação Educativa Evangélica, mantenedora desse extraordinário estabelecimento de ensino que é a Universidade Evangélica de Anápolis. Segundo seu biógrafo, Dr. Olímpio Sobrinho, invocando os seus quase cinqüenta anos de ligação direta com a Associação Evangélica de Anápolis, por pequenês de alguns beneficiados por este grande mestre, “CEM ANOS SE FORAM PELO VENTO...” não foi publicado. “Em 15 de agosto de 1906 nascia o Rev. Arthur Wesley Archibald”. Deus o trouxe ao mundo com um plano já traçado. Haverá de crescer e preparar-se para embrenhar-se no sertão de uma terra estranha para levar ao povo dali a mensagem salvadora do Evangelho. Cumpriu com extrema felicidade os planos de Deus e fincou marcas nas terras que lhe foram indicadas pelo Deus Altíssimo. Levou a mensagem, ergueu escolas, criou uma casa de profetas e sua obra irá pelos séculos à dentro, para jamais se apagar das almas que conduziu a Cristo. Nas “almas sim, mesmo sentindo que muitos beneficiários de sua obra já apagaram a lembrança do seu insigne benfeitor...”

RUA ASSIS CHATEAUBRIAND (C.Universitária) ASSIS CHATEAUBRIAND BANDEIRA DE MELO nasceu na cidade de Umbuzeiro, Estado da Paraíba, no dia 4 de outubro de 1892 e faleceu em São Paulo em 4 de abril de 1968. De menino gago, tímido e analfabeto que brincava livre pela caatinga do sertão paraibano, Assis Chateaubriand tornou-se o magnata das comunicações e o homem mais poderoso do Brasil entre o final dos anos de 1930 e começo dos anos de 1960. Seu
103

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

império jornalístico chegou a contar com mais de cem jornais, emissoras de rádio, estações de televisão, revistas e agência telegráfica: os Diários e Emissoras Associados. Um exímio empreendedor, além de ter sido acusado de charlatanismo e ladroagem, Chateaubriand foi também responsável pela criação, junto com Pietro Maria Bardi, do Museu de Arte de São Paulo (Masp), inaugurado em 1947, cuja sede definitiva foi concebida arquitetonicamente por Lina Bo Bardi. Chateaubriand enriqueceu o acervo do museu comprando quadros em leilões, coleções particulares e galerias com dinheiro da elite paulista. Estudante da Faculdade de Direito do Recife, dedicou-se ao jornalismo desde cedo, escrevendo no Jornal Pequeno. Aos 20 anos, já ocupava o cargo de redator-chefe do Diário de Pernambuco. Formado, mudou-se para o Rio de Janeiro, em 1917, onde exerceu a advocacia e passou a colaborar no Correio da Manhã. Abandonando o cargo de redator-chefe do Jornal do Brasil, em 1920, partiu como correspondente do La Nación, de Buenos Aires, para a Europa. Começou seu reinado no mundo jornalístico com a compra, em 1924, de O Jornal, denominado "órgão líder dos Diários Associados". Em seguida, sempre arranjando dinheiro emprestado de banqueiros, ricos fazendeiros de café e industriais, fundou a revista O Cruzeiro (1927), que teve a maior tiragem da América Latina, e comprou O Estado de Minas (1929). Em 1950, inaugurou a primeira emissora de televisão do país, a Tupi. Eleito senador pela Paraíba, em 1951, e pelo Maranhão, em 1955, durante o governo de Juscelino Kubitschek, foi nomeado embaixador do Brasil na Inglaterra. Em Londres, permaneceu de 1958 a 1960, época que fundou o jornal Correio Braziliense, editado em Brasília desde sua inauguração. RUA CÉSAR LATES – (Cidade Universitária)

104

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

CESARE MANSUETO GIULIO LATTES nasceu em Curitiba, a 11 de julho de 1924, fez seu estudo primário na Escola Americana de Curitiba, entre 1929 e 1933, e secundário no Instituo Médio Dante Alighieri, em São Paulo. Em 1938 ingressou no Departamento de Física da Faculdade de Filosofia e Letras da USP, terminando o curso em 1943, onde recebeu por aplicação o título de Honoris Causa daquela Universidade, no ano de 1948. Professor Titular aposentado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas e da Universidade Estadual de Campinas-SP. Sua carreira científica teve início em meados dos anos 40, no então Departamento de Física da Faculdade onde se formou, quando publicou o trabalho científico sobre a abundância de núcleos no universo. Desde então teve o seu nome ligado a resultados científicos da maior repercussão e a iniciativas das mais fecundas para o progresso da ciência no Brasil e na América do Sul. Dentre outros feitos, em 1949, criou o Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, instituto que polarizou e agasalhou iniciativas como a formação do Instituto de Matemática Pura Aplicada, a da Escola Latino-Americana de Física, o Centro Latino-Americano de Física, enquanto se destacava pela atividade de pesquisas em nível internacional na formação do pessoal que constitui hoje parcela ponderável da liderança científica atuante na física brasileira. Figura ímpar, César Lattes foi membro da Academia Brasileira de Ciências, da União Internacional de Física Pura e Aplicada, do Conselho Latino-Americano de Raios Cósmicos, da Sociedade Brasileira, Americana, Alemã, Italiana e Japonesa de Física, entre outras associações tem recebido prêmios, medalhas e comendas, e no Brasil recebeu o Prêmio Einstein de 1950, o prêmio Fonseca Costa, do CNPq, em 1958, a Medalha Santos Dumont, em 1989 e muitos outros. Orgulha-se, particularmente, da iniciativa de dezenas de municípios brasileiros que lhe deram
105

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

o nome a escolas municipais, bibliotecas, praças e ruas, como a cidade de Anápolis. RUA Dr. ADALBERTO P. DA SILVA B.Pedro II (Lei Municipal nº 112 de 1952) ADALBERTO PEREIRA DA SILVA, nascido na cidade de Goiás, em 1889 e falecido nesta cidade no ano de 1951. Bacharelou-se em direito, sendo em seguida nomeado escrivão de órfãos e juiz da cidade de Pilar. Em Anápolis, além do magistério e da advocacia, foi intendente municipal, quando lançou o primeiro jornal da cidade “O Correio de Anápolis”, em 1929. Grande incentivador das artes, Dr. Adalberto foi o criador do primeiro teatro da cidade. Segundo outros historiadores o Dr. Adalberto era um homem de posses e ao morrer deixou uma boa fortuna, que sua viúva, dona Olívia Ribeiro Silva, que jamais tivera filhos, adotou e criou diversos filhos de outrens, fez a doação de todos os seus bens aos filhos, criando, ao mesmo tempo, uma maternidade, com a única finalidade de dar assistência médica necessária às mães pobres. Essa casa hospitalar recebeu o nome de “Dr. Adalberto” em sua homenagem. Grande vulto de Anápolis. RUA WALDEMAR BORGES DE ALMEIDA (Bairro Filostro Machado) WALDEMAR BORGES DE ALMEIDA, o admirável e acatado cidadão, carinhosamente chamado de “Nenê Borges”, filho de tradicional e honrada família da antiga Antas, juntamente com os seus pais e irmãos tomaram parte decisiva no progresso da nossa cidade, sob todos os ângulos. Seu Nenê Borges exerceu durante longos anos a titularidade do Cartório dos Feitos da Fazenda Pública de Anápolis, no qual foi substituído por um dos seus filhos. É pai do saudoso Dr. Ayr
106

Nicephoro P. próximos da Estação Júlio de Castilho.SUAS RUAS . Membro da alta Direção da Maçonaria em Goiás. A empresa Anderson Clayton se expandiu tanto por aqui que foi obrigada a construir galpões de depósito. que foi Juiz de Direito em Anápolis. esta rua tem seu nome ligado a uma grande companhia cafeeira de capital estrangeiro. chama-nos a atenção sua atuação na Maçonaria de Anápolis. E. Foi um dos fundadores da Loja Maçônica “Lealdade e Justiça II” de Anápolis. como Hugo Borghi e Jeremias Lunardelli. de Cafelândia – Goianésia . Seu Nenê foi diversas vezes Venerável Mestre da sua Loja Maçônica.e outros grandes beneficiadores de café que exportavam para São Paulo o produto acabado. uma filial. co-fundador do “Lar das Crianças São Francisco de Assis” e um dos fundadores da “Casa dos Hansenianos”. Silva”.SEUS VULTOS . e que para Anápolis deslocou. com sua sede no Estado de São Paulo. ANDERSON CLAYTON . conhecida no Brasil como: Anderson Clayton & Cia Ltda. foi uma das maiores reservas morais do nosso Município. pois por aqui se concentrava um grande entreposto. co-fundador e aprovisionador do Abrigo dos Velhos de Anápolis “Prof. do Grande Oriente do Brasil. nosso contemporâneo.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . com certeza. de Goiás e do Brasil.(Vila Formosa) Tal qual a Rua Panair do Brasil. membro dos altos Corpos do Supremo Conselho do Rito Escocês e Aceito e componente do mui ilustre Conselho Federal da Ordem. no Bairro Jundiaí. no começo da década de 1950. Ativo e partícipe de todos os movimentos sociais da nossa cidade. Dos feitos mais marcantes da vida do seu Nenê. depois Desembargador de Justiça em Goiás. AV. como a Cia Goiana de Armazéns Gerais e Pina & Irmão que armazenavam toda a produção dos cafeicultores da região.(Dô) Borges. o senhor Waldemar Borges de Almeida. E como era um 107 .ANÁPOLIS .

chegando a reger a ópera A Noite do Castelo. nasceu em Cantagalo. Alcançou fama com a célebre ópera O Guarani. Paulo”. RUA CARLOS GOMES – Jardim Goiano ANTÔNIO CARLOS GOMES– 11/7/1836 nasceu em Campinas-SP. onde cursou o Conservatório Musical daquela cidade. sua arma aos pés do Ministro da Guerra Tomás Coelho. no dia 20 de janeiro de 1866. no Rio de Janeiro. bradou as seguintes palavras: Senhores! É odioso que se pretenda obrigar uma mocidade republicana e livre a prestar reverência a um lacaio da monarquia!. escritor e ensaísta brasileiro. como a peça Fosca (1873) – que alguns críticos consideram a sua obra prima. saiu do Exército. Maria Tudor (1878). por força do costume a população daquela região convive até hoje com a Avenida Anderson Clayton. em 1892. 108 .SEUS VULTOS . durante a revista às tropas.(Dô) ponto de referência. Diplomou-se maestro em Milão (Itália). Na ocasião. Euclides foi submetido ao Conselho de Disciplina e. O Escravo (1889) e o poema sinfônico Colombo. Salvador Rosa (1874).ANÁPOLIS . Freqüentou conceituados colégios fluminenses e quando precisou prosseguir nos seus estudos ingressou na Escola Politécnica e depois na Escola Militar da Praia Vermelha. RUA EUCLIDES DA CUNHA (Jardim Goiano) EUCLIDES RODRIGUES DA CUNHA. professor da Escola Militar. em 1888.SUAS RUAS . Contagiado pelo ardor republicano dos cadetes e de Benjamin Constant. atirou. transferindo-se na juventude para o Rio de Janeiro. engenheiro. Euclides da Cunha. Escreveu e fez representar outras notáveis peças musicais.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Participou ativamente da propaganda republicana no jornal “O Estado de S.

SEUS VULTOS . orador.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . filiando-se ao Partido Conservador. Retornando ao Rio. Era filho do padre. RUA JOSÉ DE ALENCAR – Jardim Goiano JOSÉ DE ALENCAR. onde permanece até 1850. depois senador. Na sua volta. com as promoções devidas. José de Alencar foi membro da Academia Brasileira de Letras e patrono da Cadeira nº.SUAS RUAS . no nordeste da Bahia. no Rio de Janeiro. de 109 . visando estabilidade. foi reintegrado ao Exército. (1909) e as obras póstumas de “Canudos: Diário de uma Expedição” (1909).(Dô) Proclamada a República. e Alencar vai estudar em São Paulo. nasceu em Mecejana. CE. Foi membro da Academia Brasileira de Letras. em 1897. no Rio de Janeiro. Esta obra trata da campanha de Canudos em 1897. Sua família transferiu a sua residência para o Rio de Janeiro. romancista e teatrólogo. além de Os Sertões (1902). Entre suas obras. 23. em 1º de maio de 1829 e faleceu no Rio de Janeiro em 12 de dezembro de 1877. Quando surgiu a insurreição de Canudos. político. No dia 15 de agosto de 1909. por escolha de Machado de Assis. amante de sua esposa. “A Imagem da História”. advogado. Em 1904 Euclides foi nomeado chefe da Comissão Mista de demarcação das fronteiras do Brasil com o Peru. passa a advogar e dá início à sua careira política. José Martiniano de Alencar. sua obra prima. pelo qual foi eleito deputado federal por várias vezes pelo Estado do Ceará.ANÁPOLIS . destacam-se “Os Contrastes e Confrontos”. “Peru versus Bolívia” (1907). foi lecionar na cadeira de Lógica do Colégio Pedro II. jornalista. Euclides andou escrevendo artigos importantes que lhe valeram subsídios para elaborar os Sertões: campanha de Canudos (1902). Euclides da Cunha foi morto por Dilermando de Assis. impossível à época na carreira de engenheiro.

mas também pelas facilidades da tarefa de racionalização da literatura no Brasil e da consolidação do romance brasileiro. na Lapa. históricos. de tuberculose. estudos políticos e filológicos.(Dô) 1868 a 1870. Não conseguiu realizar a ambição de ser senador. fundado para atender as crianças 110 . Ubirajara (1874).ANÁPOLIS . com o que ganhamos nós. As Minas de Prata (1865). foi ministro da Justiça. O Gaúcho (1870). AVENIDA CARMEN MIRANDA – J. obras teatrais. Encarnação (1873). Seus pais mudaram-se para o Rio de Janeiro. O Guarani 1857). Diva (1864). Em 1857. Desgostoso com a política. Com sete anos de idade Carmen foi matriculada no colégio Santa Teresa. revelou-se um escritor maduro com a publicação de “O Guarani”. Sonhos d´ouro (1872). regionais. aos 48 anos de idade.SUAS RUAS . no dia 9 de fevereiro de 1909.. ciência e consciência técnica. Portugal.. passou a dedicar-se exclusivamente à literatura. (Algumas obras de José de Alencar: Cinco minutos (1857). não só pela seriedade. Em 1856. publicou o seu primeiro romance conhecido: “Cinco Minutos”. José de Alencar faleceu no Rio de Janeiro. mais conhecida como Carmen Miranda nasceu em Marco de Canaveses. O Tronco do Ipê (1871) e o Sertanejo (1875).SEUS VULTOS . ensaios e polêmicas literárias. por isso é chamado “o patriarca da literatura brasileira”. Iracema (1865). onde nasceram seus outros cinco irmãos. A Vizinha. Sua obra é da mais alta significação nas letras brasileiras. Daí para frente escreveu romances indianistas. (1860). Senhora (1875). A Pata da Gazela (1870). que lhe granjeou grande popularidade. Guanabara MARIA DO CARMO MIRANDA DA CUNHA. urbanos. crônicas. poesias. Guerra dos Mascates (1873).NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .. romances-poemas de natureza lendária. Lucíola (1862).. do qual foi o verdadeiro criador.

passou a trabalhar por conta própria e o negócio chegou a ser tão lucrativo que seu irmão Mário largou o emprego para se dedicar à entrega dos chapéus que Carmen fazia. onde se consagrou como um fenômeno de comunicação artística. foi apresentada ao diretor da gravadora RCA Victor. RUA MONTEIRO LOBATO – Jardim Alexandrina 111 . Ele queria ouvir a sua voz em disco.SUAS RUAS . Em 1928.(Dô) pobres das redondezas. Carmen. O famoso compositor e médico Joubert de Carvalho escutou em disco Carmen cantar a música Triste Jandaia. onde aprendeu a modelar chapéus. Anos depois Carmen foi trabalhar numa loja de moda. além de participar como figurante em algumas filmagens. onde ela iniciou a sua carreira gravando as músicas Burucuntum e Jandaia. que almoçava na pensão dirigida pela sua irmã Maria Emília Miranda. ponto de encontro de músicos e compositores. sendo apelidada de “A Pequena notável”. recorde absoluto de vendas para a época. Ele compôs a música Taí e a marcha rancho Pra você gostar de mim. época que ela gravou a sua primeira música – o samba Não vá simbora. Carmen apareceu por lá naquela hora. Josué trabalhava na Rádio Sociedade Professor Roquete Pinto e levou Carmen para atuar na emissora. A música foi um sucesso e o disco vendeu 35 mil cópias no ano do lançamento. Em pouco tempo. apresentou Carmen a Josué de Barros.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . Coincidentemente. Em 1926. Anos depois Carmen transferiu-se para os Estados Unidos. o deputado baiano Aníbal Duarte. Carmen já pensava em fazer cinema e se apresentava em festas em casas de família. com 17 anos. Joubert revelou que queria escrever algo especial para ela. na Rua do Ouvidor. Feitas as apresentações. então.ANÁPOLIS . e insistiu que alguém o apresentasse à cantora. La Femme Chic. enquanto passava pela rua Gonçalves Dias (Rio de Janeiro).

SEUS VULTOS . com ele inicia-se o movimento editorial no Brasil. deixando os filhos: Jeca Tatu. um dos chefes do Partido Conservador de Goiás. Filho de fazendeiro. a primeira editora brasileira. RUA SENADOR CANEDO (Jardim dos Ipês) ANTÔNIO DA SILVA CANEDO. Pedrinho. Apesar de cético em tudo. com essas obras Lobato marca a sua vigorosa entrada no mundo literário brasileiro.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . representando o Partido Conservador do Império-PCI. “Cidades Mortas” e a “Negrinha”. Tia Nastácia. acreditou na indústria brasileira do livro. Lobato publicou nos anos seguintes seus primeiros livros “Urupês”. ele foi inventor e o maior escritor da literatura infanto-juvenil brasileiro.ANÁPOLIS . fundando em 1918 a “Monteiro Lobato & Cia”. boneca Emília. um dos personagens mais interessantes da história recente desse país. nasceu em 1882 na cidade de Taubaté-SP. Dona Benta. nasceu na Fazenda João de Deus. abolicionista. È um dos mais importantes escritores da literatura infanto-juvenil da América Latina e do mundo. em Goiás e faleceu na cidade do Rio de Janeiro.SUAS RUAS . Segundo ele mesmo afirmou: “talento não pede passagem. impõe-se ao mundo”. entre outros tantos que habitam as obras deste que foi conhecido como o “Furacão da Botocúndia”. no dia 5 de agosto de 1895. Saci. O Senador Canedo pertenceu ao Centro Republicano. – Antes de Lobato todos os livros a eram editados em Portugal.(Dô) JOSÉ BENTO MONTEIRO LOBATO. Monteiro Lobato morreu vítima de um derrame no dia 4 de julho de 1948. Cuca. membro da Comissão de Marinha de 112 . Grande comerciante da região foi deputado estadual e Senador da República no período de 1890 a 1895. Lobato produziu durante toda a sua carreira literária 26 títulos destinados ao público infantil. Visconde de Sabugosa.

1 da nossa cidade.SUAS RUAS . que nasceu na cidade de Assis. com as honras militares. Aos vinte anos alistou-se no exército de Gualtieri de Brienne que combatia pelo papa. aceitou representar o Estado de Goiás no Congresso Nacional.ANÁPOLIS . em 1186. o grande responsável pela vinda dos frades franciscanos para Anápolis.SEUS VULTOS . Suas revelações não parariam por aí. que em boa hora decidiu homenageá-lo com o seu nome na principal praça do Bairro Jundiaí. AVENIDA SÃO FRANCISCO – B. desenvolvimento urbano este de iniciativa dos senhores Plácido Campos e Jonas Duarte. Sonhou. àquela época. Dom Emanuel era a mais importante autoridade religiosa da região. Este bairro é constituído pelo loteamento nº.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Jundiaí Lei Municipal nº. mas a tentativa foi em vão. Francisco tirou todos os proveitos de sua condição social vivendo entre os amigos boêmios. Tentou. como o pai.hoje Silvânia -. Constituinte de 1891. Em Assis. na Itália. Era capixaba. Filho de um rico comerciante de tecidos. mas em Spoleto teve um sonho revelador: Foi convidado a trabalhar para "o Patrão e não para o servo". então. PRAÇA DOM EMANUEL O eminente e ilustre cidadão Dom Emanuel foi arcebispo de Bonfim . como o grande vulto Jonas Duarte. seguir a carreira de comerciante. federalista.(Dô) Guerra. 272/1971 No dia 4 de outubro celebramos São Francisco de Assis. o santo dedicou113 . Proclamada a República foi incluído na lista de senadores federais à Constituinte.

Um fato interessante entre os pregadores itinerantes foi que poucos. localizada na capela de Porciúncula de Santa Maria dos Anjos. a Ordem das Damas Pobres ou Clarissas. ouviu a imagem de Cristo lhe dizer: "Francisco. Em 1212. por toda Itália.SUAS RUAS . A sede da Ordem. dentre eles. Já em 1217. levando Cristo ao povo com simplicidade e humildade. "unindose à Irmã Pobreza". foi aberto outro convento em Bolonha. o número de membros era tão grande que foi necessária a criação de províncias que se encaminharam por toda a Itália e para fora dela. São Francisco fundou com sua fiel amiga Santa Clara.(Dô) se ao serviço de doentes e pobres. estava superlotada de candidatos ao sacerdócio. foi tomado no sentido literal e o santo vendeu as mercadorias da loja do pai para restaurar a igrejinha. São Francisco de Assis. São Francisco deu início à sua vida religiosa. E. o pai de São Francisco. indignado com o ocorrido. deserdou-o. 114 .SEUS VULTOS .ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . o movimento franciscano começou a se desenvolver como uma ordem religiosa. Um dia do outono de 1205. enquanto rezava na igrejinha de São Damião. nunca foi sacerdote. O trabalho foi tão bem realizado que. Para suprir a necessidade do espaço. O chamado. como já havia ocorrido anteriormente. próxima a Assis. restaura minha casa decadente". chegando inclusive à Inglaterra. por exemplo. Como resultado. os irmãos chamavam o povo à fé e à penitência. A Ordem dos Frades Menores teve início com a autorização do papa Inocêncio III e Francisco e mais onze companheiros tornaram-se pregadores itinerantes. Com a renúncia definitiva aos bens materiais paternos. tomaram as ordens sacras. ainda pouco claro para São Francisco.

São Francisco de Assis foi chamado ao Reino dos Céus.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . filho de Meia Ponte. o mais notável e ilustre goiano.(Dô) Sua devoção a Deus não se resumiria em sacrifícios. dois anos após o fenômeno. considerado um poeta e amante da natureza. como comandante das tropas na Corte. Participou ativamente na Independência do Brasil. em 1224. PRAÇA GENERAL CURADO – Bairro Jundiaí GENERAL JOAQUIM XAVIER CURADO. .ANÁPOLIS . batalhas essas ocorridas entre 1810 e 1820. Entre os diversos cargos que exerceu está o de Governador de Santa Catarina. ao tempo do Rei Dom João VI. Rio de Janeiro. apareceram-lhe no corpo as cinco chagas de Cristo.Pirenópolis . Autor do Cântico do Irmão Sol. o General Curado.SUAS RUAS . 115 . falecido no Rio de Janeiro em 15 de setembro de 1830. Em 1939. no fenômeno denominado "estigmatização”. proclamando-o padroeiro da Itália. filho de tenente José Gomes Curado e de Maria Cerqueira de Assunção. Enquanto pregava no Monte Alverne. São Francisco foi canonizado dois anos após sua morte. como marechal de campo. mas também em dores e chagas. Os estigmas não só lhe apareceram no corpo. o mais ilustre e o mais premiado militar brasileiro da corte de Dom João VI. como foram sua grande fonte de fraqueza física e.SEUS VULTOS . Comendador e Conde de São João de Duas Barras. Cobriu-se de glórias nas campanhas cisplatinas. o papa Pio XII tributou um reconhecimento oficial ao "mais italiano dos santos e mais santo dos italianos". nos Apeninos.onde nasceu em 2 de dezembro de 1743.

receberia ordens para também regressar a Lisboa.ANÁPOLIS . quando recebeu o apelo da comissão de deputados liderada por José Clemente Pereira para continuar aqui. inclusive índios. D. Pedro I respondeu. importante e nunca contestado pelos responsáveis diretos pela história do Exército Brasileiro. que desafiou Portugal e. deixando em seu lugar. RUA FRANCISCO DA LUZ BASTOS – Bairro Jundiaí 116 . a lealdade e a determinação do seu general Joaquim Xavier Curado. como reafirmam retalhos da história recolhidos pelo autor. se as tropas portuguesas controlavam o País inteiro.SUAS RUAS . ingleses e holandeses invasores. – Fato histórico. estou pronto: diga ao povo que eu fico”. depois. Sensibilizado e aclamado por seus amigos e patriotas. Nascia ali. seu filho D.SEUS VULTOS . INICIATIVA: . pela primeira vez e de fato. Pedro I. mas eram organizadas e comandadas por portugueses. reunindo outros militares. que. organizou contingentes para garantir o cumprimento das decisões do futuro imperador. desobedecendo a Corte. começando a fugir do seu controle? A solução veio imediatamente com a coragem. o Exército Nacional brasileiro. quando a França de Napoleão Bonaparte perdeu a guerra para a Inglaterra. Aquelas tropas tinham brasileiros. segundo se aprende na escola: “Se é para o bem de todos e a felicidade geral da nação. quando foram expulsos de nossas costas franceses. aliado dos ingleses. atestam que.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . No Dia do Fico. como príncipe regente da colônia.Mas.(Dô) Criador de fato do Exército Brasileiro. ficar como. que fugira dos franceses para o Brasil em 1808. que não existia nas batalhas do passado. Dom João VI. ele recusou-se a atender a determinação. pôde retornar à Europa.

sendo considerado o primeiro comerciante da cidade. Dona Haydée Jayme – até por força de uma grande tradição cultural de sua família – aprimorou ao longo dos anos o seu dom literário.ANÁPOLIS . agente do correio. 319/2004 HAYDÉE JAYME FERREIRA nasceu em Anápolis-Goiás. escrevendo contos. Ao citar este nome. onde remonta com precisão e grande esforço o passado da nossa cidade. afirmou que muitos sabem fazer a história. O senhor Odir foi um dos fundadores da Associação Atlética Anapolina. quando. desde os seus primórdios. é forçoso concordar com outro grande anapolino. personagem de grandes lembranças da nossa sociedade. poesias e a sua maior obra que é o livro “Anápolis . filha do grande evangelizador. titular do Cartório de Família.(Jundiaí) Lei Municipal nº.SEUS VULTOS . Goiás. nascido em Pirenópolis (Meia Ponte) no ano de 1850. PRAÇA HAYDÉE JAYME . historiador e genealogista goiano Jarbas Jayme e de Maria Dinah Crispim Jayme. onde se estabeleceu com uma casa comercial. Seu Povo”.Sua Vida. Haydée Jayme iniciou seus estudos no Colégio Auxilium de Anápolis e concluiu o curso normal no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . na data de 29 de junho de 1926. Casouse em 1947. transferindo sua residência para a então Capela de Antas em 1871.(Dô) FRANCISCO DA LUZ BASTOS. delegado literário. 117 . Dr. na cidade de Silvânia. ambas as famílias de muita tradição em nossa cidade. delegado de polícia e juiz municipal. tirando dúvidas e esclarecendo particularidades da história social de Anápolis. Faleceu nesta cidade no ano de 1925. ao referirse à Dona Haydée. com o senhor Odir da Costa Ferreira. Exerceu ainda no município os cargos de juiz de paz. Adahyl Lourenço Dias.SUAS RUAS . Órfãos e Sucessões de Anápolis.

em seus últimos 160 km. em Belém-PA. até a sua foz. correndo quase que paralelamente ao Tocantins e nele desemboca. aves típicas dos mares. tem um desnível de somente 11 metros. pois. Os 450 km compreendidos pelo Alto Araguaia apresentam um desnível de 570 metros. além de tomar um cafezinho. sofre uma tremenda injustiça geográfica. O rio Tocantins é que entra tributando no seu leito. seu leito definido da nascente à sua foz. pois a sua bacia é própria. Maranhão e Pará. ficamos sabendo.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . grande pescador araguaiano. é navegável da sua foz à nascente. ali na 1º de Maio. O baixo Araguaia. na baía já referida. após percorrer cerca de 2. e suas águas banham os Estados de Goiás.. 118 .. momento em que rouba-lhe o nome e prossegue com suas águas barrentas até alcançar o mar. o único que tem gaivotas. Como o principal dono da bacia do rio Tocantins. 360/1973 – (Jundiaí) A referência dessa rua é toda voltada para o rio Araguaia que nasce na serra do Caiapó. Mato Grosso.ANÁPOLIS . Esta é a razão da parada que deu a carroça da história na casa da Dona Haydée. o Araguaia jamais poderia ser considerado afluente de nenhum outro rio.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . através do senhor Odir. Tocantins.(Dô) mas só os grandes é que sabem escrevê-la. oportunidade em que. os detalhes que caracterizam a rua seguinte: RUA ARAGUAIA Lei Municipal nº. como já foi dito.115 km na cota de 840m. O Médio Araguaia sofre desnível de 185m em seus 1505 km de extensão. Este rio – Araguaia – é o rio mais piscoso do mundo. na divisa de Goiás com Mato Grosso. correndo em leito feito por ele e recebendo importantes tributários. o Rio dos Meus Amores. suas praias são as mais brancas e extensas em termos fluviais. em relação ao nível do mar. numa altitude aproximada de 850m. e ele deságua diretamente na Baia de Guajará-Mirim.

Foi Presidente da Junta Administrativa da Vila e eleito como o primeiro Intendente Municipal. RUA DONA TEREZONA – Bairro Jundiaí MARIA TEREZA DE JESUS. segundo revela sua história era uma baiana afro-descendente que vivia num rancho à Rua Nova. à sua direita.ANÁPOLIS . Câmara Filho.(Dô) É tão importante este rio Araguaia que suas águas. sendo um dos vultos mais destacados da criação da nossa cidade. ainda jovem veio com a família de Jaraguá para o vilarejo de Antas. RUA LOPO DE SOUSA RAMOS – Bairro Jundiaí LOPO DE SOUZA RAMOS. onde exerceu o cargo de Escrivão do Registro Civil. eleição ocorrida em 24 de abril de 1893. Lopo de Sousa Ramos faleceu nesta cidade no dia 1º de outubro de 1943. sendo hasteada a Bandeira Nacional à porta do edifício da Prefeitura. a Rua 1º de Maio. Mais tarde foi transferido para o Distrito de Traíras – Souzânia -. sendo o braço menor. a Ilha do Bananal. que é o acidente geográfico mais importante da sua história.SEUS VULTOS . decretou luto oficial no município. além de serem navegáveis da nascente à sua foz.000 km2.SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . formam a maior ilha fluvial do mundo. Está situada. quando aqui se tornou tropeiro e comerciante. bem no centro da cidade. chamado de rio Javaés. aproximadamente entre os km 760 e 1156 e compreendida entre os dois braços do Araguaia. assumindo a Intendência Municipal o 2º Vice-Intendente Miguel Pereira Dutra que assinou a Lei que dava nome à primeira rua de Anápolis. tendo sido lavadeira de 119 . possuindo uma área de cerca de 20. Na data de seu passamento o Prefeito nomeado.

leilões.SEUS VULTOS . Mais tarde a festa foi se avolumando. fazia todos os anos. o Padre Luiz Gonzaga de Camargo Fleury. da Bahia. foi pároco de Meia Ponte.ANÁPOLIS . a devoção ao Bom Jesus. gente pobre e humilde como Dona Terezona. tradição que chega até aos nossos dias. uma grande estampa do Senhor Bom Jesus. A festa cresceu tanto que chamou a atenção do Vigário da Igreja Santana. um amigo trouxelhe. Faleceu a 29 de dezembro de 1846. nascido em Meia Ponte no dia 13-11-1831 e falecido lá mesmo no ano de 1908. da qual foi presidente. em Pirenópolis. segundo nos informa o historiador Jarbas Jayme em seu livro “Esboço Histórico de Pirenópolis”. atesta que é dele o tronco da família Jayme. festança na qual participavam apenas os vizinhos. os festeiros cada vez mais em número maior. AVENIDA VISCONDE DE TAUNAY 120 . ao tempo da Regência Feijó. – Por encomenda sua. o que deu motivo para o crescimento acelerado dessa festa tradicional. primeiro jornal a ser editado em Goiás. acrescida com bebidas. Exerceu diversos cargos eletivos e teve marcante influência política na então província de Goiás. Dado importante pesquisado sobre essa notável figura. no dia 6 de agosto. donativos. João Gonzaga Jayme de Sá. oficialmente. iniciado com seu filho Cel. nascido a 21 de junho de 1793. uma festinha em homenagem ao santo. Como boa baiana devota do Senhor Bom Jesus da Lapa. redator da “Matutina Meiapontense”. etc. que resolveu assumir.(Dô) roupas e trabalhado durante muitos anos em casa do senhor Américo Borges de Carvalho. RUA PADRE LUIZ GONZAGA – Bairro Jundiaí PADRE LUIZ GONZAGA DE CAMARGO FLEURY. guloseimas.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . chegando em pouco tempo se transformar em romaria.SUAS RUAS .

em 1865. criada em 1935. nomeado o primeiro vigário da paróquia do Bom Jesus. tendo prestado relevantes serviços à nossa comunidade. Criado em ambiente culto. impregnado de arte e literatura. romancista e memorialista. com outros oficiais. desenvolveu bem cedo a paixão literária e o gosto pela música e o desenho. professor. que o elegeu para a Câmara dos Deputados em 1872.SUAS RUAS . Taunay foi promovido a capitão. No ano seguinte ingressou no curso de Ciências Físicas e Matemáticas da Escola Militar. engenheiro militar. historiador. RUA PADRE PITALUGA – Bairro Jundiaí PADRE OLÍMPIO PITALUGA. RJ. no início da Guerra do Paraguai. Veio para Anápolis no ano de 32. Estudou humanidade no Colégio Pedro II.SEUS VULTOS . Por indicação de Barão do Rio Branco. sociólogo. Alferes-aluno em 1862 e segundo-tenente de artilharia em 1864. político influente pelo Estado de Goiás. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .ANÁPOLIS .(Dô) VISCONDE DE TAUNAY (Alfred d´Escragnolle Taunay). onde se bacharelou em letras em 1858. mandato que foi renovado em 1875. e terminou o curso de Engenharia. 13. Foi também presidente da província de Santa Catarina. responsável pela criação da Cadeira nº. onde se ordenou padre em 1927. 121 . Trouxe da campanha profunda experiência do país e inspiração para a maior parte dos seus escritos. Terminada a guerra. candidatouse a deputado geral pelo Estado de Goiás. recebendo a mobilização. nasceu em Vila Boa. passando a ser professor da Escola Militar. em 22 de fevereiro de 1843 e faleceu também no Rio de Janeiro em 25 de janeiro de 1899. O padre Pitaluga destacou-se no setor educacional e social. nasceu no Rio de Janeiro. Publicou por essa época seus principais sucessos com o pseudônimo de Sílvio Duarte.

senhor Jonas Duarte. nada tem a ver com a denominação dessa avenida com os nossos vizinhos. O senhor Odorico da Silva Leão nasceu aqui. Faleceu nesta cidade em 1954. AVENIDA MATO GROSSO – Bairro Jundiaí Para os menos históricos é fácil associar este nome como uma homenagem ao progressista Estado pantaneiro. Registre-se aqui mais um arrojado empreendimento do destemido e admirável vulto do progresso de Anápolis. Em todos os arquivos pesquisados que relatam os primórdios da nossa cidade.(Dô) RUA ODORICO DA SILVA LEÃO-Bairro Jundiaí (Lei Municipal nº. principalmente. no ano de 1883. Basta que citemos aqui um trecho da narrativa do Professor Joaquim Ferreira dos Santos. na Vila de Santana de Antas. são notórios os relatos sobre a riqueza arbórea do bairro Jundiaí.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que representa o maior desenvolvimento urbano já registrado na cidade.SEUS VULTOS . afirmou: “que a região de Anápolis. RUA CORONEL SANITO (Vila Jaiara) 122 . No entanto. aos 71 anos de idade. estende-se por uma grande parte de feracíssima mata.SUAS RUAS . tendo a oportunidade de acompanhar bem de perto o desenvolvimento da nossa cidade Ocupou cargos de destaque. Mato Grosso. 983 de 1982) ODORICO DA SILVA LEÃO. que também tem rua com o seu nome nesta cidade e um dos fundadores de Anápolis. quando. a margem direita do rio Antas. filho do Capitão Silvério. denominada de Mato Grosso”. como juiz municipal.ANÁPOLIS . conselheiro e Intendente do Município durante os anos de 1918 a 1922. já em 1910.

Foi uma criança dócil. Filho do estancieiro Francisco de Assis Brasil.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Em 1877. sadia de corpo e alma. com o compromisso de pregar e propagar o sistema republicano de governo e de apressar a mudança de regime político do país. de quem herdou extensas propriedades no interior gaúcho. hoje Piracanjuba. conselheiro. Neste livro já estão presentes os princípios básicos de seu pensamento. o conhecido Cel. "Chispas". Rio Grande do Sul. Sua obra é 123 . Em 1876 matriculou-se na Faculdade de Direito de São Paulo. ocupando no município importantes cargos: delegado literário e subdelegado do distrito de Traíras. de onde se transferiu para as Antas e constituindo aqui a sua família. Município de São Gabriel. Assis Brasil publicou seu primeiro livro.onde faz uma defesa ardorosa da Revolução Farroupilha de 1835. não é outro senão o admirável cidadão Graciano Antônio da Silva. Da escola primária de sua região.SEUS VULTOS . Presidente do Conselho. Grande fazendeiro e comerciante. RUA ASSIS BRASIL – Bairro JOAQUIM FRANCISCO DE ASSIS BRASIL nasceu em 29 de julho de 1857 na estância de São Gonçalo. nascido no ano de 1881. passando a integrar o grupo de estudantes riograndenses que ali se formara. sendo ainda juiz distrital. na cidade de mesmo nome. Seguiram-se outros trabalhos inspirados no puro ideal de suas convicções. transferiu-se para o Colégio São Gabriel. A seguir publica " História da república Riograndense” . Faleceu em 1964. mostrando interesse por tudo o que o cercava e amando a natureza. com versos da adolescência que reunia poemas revolucionários e anticlericais.SUAS RUAS . natural de Pouso Alto. Fundaram o Clube 20 de Setembro. intendente e prefeito de Anápolis. Sanito.(Dô) GRACIANO ANTÔNIO DA SILVA.ANÁPOLIS .

a Província. c) Presidir. recusou o convite por motivo de divergência de ideais. Júlio de Castilho. Em 1889.SUAS RUAS . Foi eleito Deputado Provincial (hoje seria estadual) em dois biênios: 1884/86 e 1886/88. percorreu a cavalo durante meses.(Dô) vasta. da qual Assis Brasil fez parte. Em 1882 formou-se em Direito e voltou para o Rio Grande do Sul. 124 . Promulgada a Constituição. com uma plêiade de talentosos rapazes que marcaram época na Academia de São Paulo. com a maior imparcialidade. abandonado o poder. A defesa ardorosa do sistema presidencial de governo e da representação proporcional são a marca principal de seu pensamento. renunciou ao seu mandato. Foi constituída uma Junta Governativa.ANÁPOLIS . Convidado pelo Marechal DEODORO DA FONSECA para fazer parte do primeiro Ministério Constitucional. assumiu o Governo do Estado. segundo manifesto que publicou: a) Fazer a Sociedade recuperar o sossego perdido. a situação no Rio Grande do Sul tornara-se anormal. tendo o Presidente do Estado. fundava o "Clube Republicano Acadêmico” e o jornal “Evolução”. pregando a liberdade e a República com que tanto sonhava. proclamada a República. Como único membro presente da Junta. a eleição que se deveria realizar.SEUS VULTOS . tendo como objetivos. Destacam-se nela tanto trabalhos de propaganda.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Destacado pelos correligionários. como obras de profunda relevância do ponto de vista da teoria política. Em 1879. Em conseqüência do golpe de estado de Deodoro. b) Combater a ditadura. foi eleito deputado à Assembléia Nacional Constituinte para o biênio 1890/91.

que se opunha ao candidato oficial e prometera aceitar o voto secreto. por não haver o 125 . do qual Assis Brasil fez parte como Ministro da Agricultura. O mais completo êxito veio coroar seu gesto de patriota. Em 1928 fundou o Partido Libertador.(Dô) Os rio-grandenses uniram-se para defender a causa comum. Em 1906.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . prestou relevantes serviços à Pátria por ocasião de acontecimentos desenrolados de 1880 a 1894. renunciou ao poder. Atingidos seus objetivos. Assis Brasil aconselha o Partido Libertador a cerrar fileiras em torno da Pessoa de Getúlio Vargas.SUAS RUAS . assinado em Petrópolis o tratado que terminou com o litígio de fronteiras no Estado do Acre. Em 1905 Rio Branco removeu-o para a Argentina.SEUS VULTOS . Washington Luiz é deposto e Getúlio Vargas assume o poder supremo como Chefe do Governo Provisório. Em 1930. acéfala desde o movimento revolucionário argentino de 1930. Em 1934 foi mandado em missão especial a Buenos Aires para ocupar a Embaixada do Brasil. Nomeado Ministro Plenipotenciário do Brasil na Argentina. Transferido nesse ano para a China. Em 1929. Em 1903 o Presidente Rodrigues Alves o chamou para trabalhar ao lado do Barão de Branco na questão de limites com a Bolívia. não chegou a assumir o posto.ANÁPOLIS . pretendendo o Presidente Washington Luiz impor à Nação uma candidatura impopular. porque o Presidente Prudente de Morais lhe deu a incumbência de reatar as estremecidas relações com Portugal. então o Presidente do Estado. onde se tornava necessária a presença de uma personalidade de prestígio para desfazer intrigas surgidas contra o nosso Ministro das Relações Exteriores. voltou para Washington.

Foi um cientista francês. A ele deve-se a técnica conhecida como pasteurização. começou a assistir às aulas do grande químico francês Jean Baptiste Dumas. em 1843. realizando na vida o que afirmou em um dos seus mais brilhantes manifestos: A VIDA DOS BONS E JUSTOS É FEITA MAIS DE RENÚNCIAS DO QUE DE CONQUISTAS.(Dô) Presidente Washington Luiz reconhecido o governo do General URIBURÚ. RUA PASTEUR (Bairro da Lapa) LOUIS PASTEUR .. fechou para sempre os olhos. Em agosto de 1938 adoeceu em conseqüência de uma gripe. Na noite de 24 de dezembro. Este cientista passou a sua vida investigando a teoria das enfermidades infecciosas. Com 26 anos de idade foi-lhe concedida a medalha “Legion D´honner Francesa” e em 1854 foi nomeado decano da Faculdade de Ciências da Universidade de Lille. quando começou a se interessar pela química. Após concluir seus estudos na Escola Normal Superior. França.nasceu na cidade de Dole. com a consciência tranqüila de haver cumprido o seu dever e trabalhado pela glória da pátria. O seu coração.SUAS RUAS . de 80 anos. 126 . França. no seu castelo de Pedras Altas. não resistiu. em nove de setembro de 1895. Pasteur é o grande responsável pela descoberta da técnica de pasteurização dos alimentos.ANÁPOLIS . em 27 de dezembro de 1822 e faleceu em Villeneuve Vê L`Etang.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . cujas descobertas tiveram enorme importância na história da química e da medicina. Exerceu o cargo de professor de química em Estrasburgo e Paris.

O tão falado bairro de São Paulo é formado por um grande conglomerado de 80 vilas. inaugurados.ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . a nossa carroça. respectivamente. Claro está que o bairro do Ipiranga não poderia ser diferente dos outros e. com acesso restrito aos principais bens de consumo e serviços públicos – ou seja . lembrando a todos que nele foi declarada a nossa emancipação política. RUA IPIRANGA (Bairro de Lourdes) Dentre os principais fatos históricos ocorridos no bairro Ipiranga-SP. Esse é um fato histórico que a carroça da história insiste para que todos saibam e dele se vangloriem. assim. durante esse passeio por Anápolis inteira tem verificado que o problema tão grave da habitação tem se diluído em nossa cidade.os excluídos.Fundou em 1888 o “Instituto Pasteur”. 127 .(Dô) segundo a qual todas elas têm a sua causa num micróbio com capacidade de propagar-se entre as pessoas. sobressai-se a Proclamação da Independência do Brasil. Eles têm suas histórias iniciadas praticamente nos primeiros anos que sucederam ao fato histórico nesse bairro tradicional da cidade de São Paulo. em especial a anti-rábica. É nesse bairro que ficam o museu e o monumento do “Ipiranga”. Louis Pasteur passou a investigar os micróbios agentes patogênicos. um dos mais famosos centros de pesquisas da atualidade. Deve-se buscar o micróbio responsável por cada enfermidade e determinar um modo de combatê-lo. . Isto em São Paulo. pois. Essas vilas e bairros abrigam a população mais carente. ao lado desses conjuntos estão vilas.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . pequenos bairros e favelas oriundas de loteamentos irregulares. às margens do ribeirão Ipiranga. terminando por descobrir vacinas.SUAS RUAS . por Dom Pedro I. mais uma vez. a ponto de não encontrarmos nessas andanças nenhum foco maior dessa doença social. em 1895 e 1922.

Faleceu no Rio de Janeiro em 25/08/1872 RUA CONSTRUTOR PUGLISE . Ordem Ernestina da Casa Ducal da Saxônia e Ordem Austríaca da Coroa de Ferro. Dignitário da Ordem de Rosa. chegando a lecionar como titular da cadeira de cirurgias gerais. Comendador da Ordem de Cristo.(Dô) A palavra ipiranga quer dizer em linguagem tupiguarani “água vermelha” ou “água barrenta”.SEUS VULTOS . especializando-se em cirurgia geral.SUAS RUAS . sendo Ministro da Agricultura.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Senador de 1857/1862 e Presidente da Província de 1868/1869. Maracanã) O nome desta rua está estreitamente ligado às atividades profissionais que consagraram a família Puglise em 128 . Grã-Cruz da Ordem de Cristo.ANÁPOLIS . Deputado Federal de 1853/1856. afirmando eles que o nome dessa rua do bairro de Lourdes se presta a uma homenagem ao Ipiranga Atlético Clube. e faleceu naquela cidade em 25 de agosto de 1872. Visconde de Itaúna foi agraciado como Oficial maior da Casa Imperial. Maracanã CÂNDIDO BORGES MONTEIRO nasceu na cidade do Rio de janeiro em 12 de outubro de 1812. Nos anos seguintes dedicou-se à vida pública. associação sócio-esportiva de grande tradição da nossa cidade e que foi fundado no dia 15 de novembro de 1952 por abnegados desportistas de Anápolis. RUA VISCONDE DE ITAÚNA – B. Além de médico e professor foi vereador em 1848/1851. Comércio e Obras do XXV Gabinete do Império. Concluiu o seu curso de médico na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro no ano de 1836.(B. Aqui também se registra um fato: nas pesquisas feitas pelo autor deparou ele com alguns conterrâneos mais bairristas.

da Abadia AUGUSTO PINTO PEREIRA.ANÁPOLIS . 129 . Seu Augusto Pinto. beneficiando e exportando cereais para São Paulo.SEUS VULTOS . Grande lembrança dos munícipes em boa hora perpetuarem o nome dessa respeitável família. ainda. mineiro de Araguari. Zeca. que essa família é a grande responsável pelo crescimento do nosso futebol. então dirigentes do nosso futebol. a Vó Caetana. Rio de Janeiro e outros Estados. à compra e venda de cereais em alta escala. Foram exponenciais desse esporte em Goiás os craques Vicente. Zeca e Júlio Puglise fizeram-se grandes profissionais construtores na nossa cidade. não sem antes dar uma parada de um ano na cidade de Silvânia. Família oriunda de Ribeirão Preto.SUAS RUAS .(Dô) nossa cidade. tendo como chefe do clã o senhor Caetano Puglise. craques de seleção goiana de futebol e responsáveis diretos pela fundação da Associação Atlética Anapolina (AAA). quando ali.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . ainda muito jovem. RUA AUGUSTO PINTO PEREIRA Vila N. deixando ao longo de tantos anos suas marcas de edificações perenes e sólidas em Anápolis. Homem de forte formação espírita. ocorrida em 16 de agosto de 1940. este construiu a praça central e a reforma total do famoso Colégio Anchieta. nasceu em 28 de agosto do ano 1916. desde que aqui chegou trazida pelas mãos dos conhecidos anapolinos Zecreca e o antigo contabilista Gisberto Ferraresi. mais tarde. transferindo-se com toda a sua família para Anápolis. aqui chegando lá pelos idos de 1933. Durante vários anos foi empresário do ramo de transporte de passageiros intermunicipal.S. contratada pelo então Prefeito Dr. Alarico Gonzaga Jayme. É de se ressaltar. Com a morte do Capo Caetano. Seus filhos Vicente. ficou a família Puglise à sombra de uma grande mulher. dedicando-se. Júlio e Laudo Puglise.

RUA PRINCESA ISABEL (V. Isabel Cristina Leopoldina de Bragança. em uma das maiores manchas do país . Naquele domingo. que a Assembléia Geral decretou e ela sancionou a lei seguinte: Artigo 1º . Tido e havido como o “pai dos pobres”.ANÁPOLIS .Revogam-se as disposições em contrário". Maçom dedicado exerceu por mais de 50 anos suas atividades maçônicas e suas benemerências. mesmo enfrentando muitas resistências dos fazendeiros e da elite em geral. Foi cofundador do Abrigo dos Velhos “Prof. colocou um ponto final. a princesa Isabel assinou a Lei 3. declarando extinta a escravidão no Brasil. "A Princesa Imperial Regente. seu Augusto Pinto jamais deixou de participar ativamente em todos os movimentos beneficentes de Anápolis. a princesa Isabel. Nicephoro Pereira”. É testemunha o povo de Anápolis do quanto foi útil a vida desse honrado cidadão para com as causas nobres da nossa cidade. no dia 13 de maio de 1888. Regente do Império nasceu no Rio de Janeiro em 29 de julho de 1846 e faleceu em Paris no dia 14 de novembro de 1921.É declarada extinta desde a data desta Lei a escravidão no Brasil. fundador e o grande responsável pelo Sanatório Espírita de Anápolis. Alexandrina) ISABEL CRISTINA LEOPOLDINA DE BRAGANÇA (Princesa Isabel). Uma das mulheres mais citadas na história do Brasil.a escravidão. N. um dos fundadores do “Lar das Crianças São Francisco de Assis”. mais conhecida como "Lei Áurea".NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . dizia o texto que libertou milhões de 130 .353. Faleceu em Anápolis aos 74 anos.SUAS RUAS .(Dô) Tal qual o seu fraterno Nenê Borges. faz saber a todos os súditos do Império. o Imperador Dom Pedro II.SEUS VULTOS . em nome de sua majestade. o senhor Augusto foi um dos maiores filantropos da nossa cidade. Artigo 2º . cercado de todo o respeito do povo anapolino.

Em 1864. No dia 29 de julho de 1860. regente do Império. 131 . Antes da Lei Áurea. princesa Isabel pressionou o ministério. A Lei do Ventre Livre foi assinada na época em que Dom Pedro II fez uma viagem à Europa. a princesa Isabel sancionou as leis do primeiro recenseamento do Império. ao completar 14 anos.SUAS RUAS . deixando claro que esperava da Câmara Federal a aprovação da lei. Em 28 de setembro de 1871.(Dô) escravos. naturalização de estrangeiros e relações comerciais com países vizinhos. O reconhecimento oficial como sucessora aconteceu no dia 10 de agosto de 1850. Em outras duas oportunidades a princesa também assumiu as mesmas funções. o conde D'Eu. que por três séculos serviu de mão-de-obra para o crescimento do país. deixando. Disposta a acabar com a escravidão no Brasil. Em abril de 1888. princesa Isabel foi. tornou-se herdeira do trono e sucessora do seu pai quando tinha apenas 11 meses. Segunda filha de Dom Pedro II e da Imperatriz Maria Cristina.a lei estabelecia que todos os filhos de escravos estavam livres. aconteceu. A pressão exercida pela princesa deu resultado e o Gabinete foi dissolvido e seus integrantes foram substituídos por pessoas que defendiam o fim da escravatura. o príncipe Dom Afonso. Com a morte de seu irmão mais velho. que era contrário à abolição. ela entregou 103 cartas de alforria para alguns escravos.ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . pela primeira vez. o primeiro passo efetivo para o fim da escravidão no Brasil . casou-se com o francês Luís Gastão de Orleans. por três vezes. ela também sancionou a Lei do Ventre Livre. princesa Isabel prestou juramento comprometendo-se a manter no Brasil a religião católica e ser obediente às leis e ao Imperador. o que. de fato. a Princesa Isabel como regente do Império. um mês antes da assinatura da Lei Áurea.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

Com dificuldade de moradia. Por certo nasceu ali a sua extraordinária vocação abolicionista. em 8 de outubro de 1854. a situação dos escravos e assistir a castigos que lhes eram infligidos.SUAS RUAS . orador e romancista. Tinha 14 anos quando.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . em 1889. Para que Patrocínio pudesse aceitar sem constrangimento a hospedagem que lhe era oferecida. Com a proclamação da República. juntamente com os de seu marido. nasceu em Campos . RUA JOSÉ DO PATROCÍNIO (Jardim Palmas) JOSÉ CARLOS DO PATROCÍNIO.precisava do auxílio de uma cadeira de rodas . Os seus restos mortais foram transferidos para o Rio de Janeiro.fato raro para a época .(Dô) Somente depois de 11 anos de casamento .RJ. em 30 de janeiro de 1905. encontrou amparo na casa de um colega chamado de João Rodrigues Pacheco Vilanova. o pai do 132 . onde morreu no dia 14 de novembro de 1921. a família real embarcou para o exílio na Europa. Ingressou na Faculdade de Medicina. poeta. jornalista.é que princesa Isabel teve o seu primeiro filho. concluindo o curso em 1874. desde criança. filhos e netos. vieram mais dois: Luiz Maria Felipe e Antônio Gusmão Francisco. 21. Ao lado de amigos. foi para o Rio de Janeiro. e com grande dificuldade para se locomover . Compareceu às sessões preparatórias da instalação da Academia Brasileira de Letras e ocupou a Cadeira nº.Princesa Isabel viveu os seus últimos dias em Paris. em 1953. vigário da paróquia e orador sacro de grande fama na capela imperial. e faleceu no Rio de Janeiro-RJ. Depois. que tem como patrono Joaquim Serra. Pedro de Alcântara. onde pôde observar. José do Patrocínio era filho natural do padre João Carlos Monteiro.SEUS VULTOS . tendo recebido apenas a educação primária. Passou a infância na fazenda paterna da Lagoa de Cima. como aluno de Farmácia.ANÁPOLIS .

Dois anos depois. visitou Campos. em 13 de maio de 1888. ele tornou-se o novo proprietário do periódico. onde foi saudado como triunfador. com o sonho de voar. e ali foi cercado de todas as homenagens. onde tem a seu cargo “Semana Parlamentar”. lecionaria aos seus filhos. que havia morrido. Pardal Mallet e outros. Patrocínio não teve parte na República e. comprado com a ajuda do sogro. Preocupava-se com a aviação. o advento da Abolição. assinado também por André Rebouças e Aristides Lobo. Em 1887 passou a dirigir o jornal Cidade do Rio. Teodoro Sampaio. Em 1885. passou também a freqüentar o “Clube Republicano” que funcionava na residência. levado por Paula Ney. Patrocínio começou a tomar parte nos trabalhos da Associação. Na verdade. Em torno dele formou-se um grande coro de jornalistas e de oradores. todos maçons membros da Associação Central Emancipadora. Patrocínio aceitou a proposta e.ANÁPOLIS . se opôs abertamente a Floriano Peixoto. Nos anos subseqüentes sua participação política foi pouca. Já a esse tempo Patrocínio iniciara a carreira de jornalista e sua estrela começava a aparecer.SEUS VULTOS . passou para o jornal Gazeta da Tarde. foi ao Ceará. e ele foi obrigado a refugiar-se para evitar agressões. Em 93 foi suspensa a publicação da revista “Cidade do Rio”. que havia fundado. Lopes Trovão. desde então. Numa homenagem a 133 . do qual faziam parte Quintino Bocaiúva. pelo qual tanto lutara. Patrocínio estava na Gazeta de Notícias. Dois anos depois. Paula Nei. entre os quais Ferreira de Meneses. Em 1882.(Dô) seu colega – Capitão Sena – propôs-lhe que como pagamento. Foi de sua tribuna da Cidade do Rio que ele saudou. o Ceará fez a emancipação completa dos escravos. sendo desterrado para o Cucuí. Nessa época fundou a Confederação Abolicionista e lhe redigiu o manifesto. Joaquim Nabuco. Em 1881. substituindo Ferreira de Meneses. Lopes Trovão. Em 1890. Por sua vez.SUAS RUAS . em 1891. Mandou construir o balão “Santa Cruz”. Em 1879 iniciou ali a campanha pela Abolição.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Ubaldino do Amaral.

aquele que é considerado por seus biógrafos o maior de todos os jornalistas da Abolição. no dia 5 de fevereiro de 1895. e com Rubens Antunes Maciel. OSWALDO ARANHA (Bairro Paraíso) OSWALDO EUCLIDES DE SOUSA ARANHA.(Dô) Santos Dumont. sendo nomeado Secretário do Interior e 134 . em novembro de 1927. Oswaldo teve participação ativa na Revolução de 1924. aos 51 anos de idade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . de onde saiu prestigiado e politicamente fortalecido pela eleição de Vargas. que o alçaria à política. aproximou-se de colegas que na política gaúcha se alinhavam à oposição.SUAS RUAS . já na Revolução de 1930. Faleceu pouco depois. Oswaldo Aranha fez amizade com Virgílio de Melo Franco. AV. Após concluir o curso secundário. formado em 1907. especialmente contra o presidente da república. nasceu em Alegrete-RS. já lhe fazia consultas sobre todos os assuntos jurídicos. para a presidência do Rio Grande do Sul. revolucionário de 1924 e mais tarde líder comunista. prática essa que se tornaria comum ao logo dos dias. embora seu pai fosse um republicano. ele estava saudando o inventor. de Maria de Sousa Aranha. que o apresentaria a Luis Carlos Prestes. quando então. Em 1917 instalou sua banca de advogado em Uruguaiana. Manteve intensa atividade política contra o governo federal. Entre 1917 e 1923. Mais tarde fez-se amigo de Flores da Cunha. quando foi acometido de uma hemoptise em meio ao discurso. segundo entre os 11 filhos. obteve grande êxito profissional.ANÁPOLIS . Marechal Hermes da Fonseca. que viria exercer o governo do Rio Grande do Sul. pelo lado materno.SEUS VULTOS . realizada no Teatro Lírico. baronesa de Campinas. descendia diretamente. seu colega Getúlio Vargas. Freqüentou a Faculdade de Direito. cujo marido foi um dos responsáveis pelo início do plantio de café na província de São Paulo.

quando implantou o “Esquema Aranha” destinado a evitar o aumento da dívida externa.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . seguindo para Ponta Grossa (PR). Foi ainda um dos articuladores da Revolução de 1930.(Dô) Justiça do Estado. tanto pelo Distrito Federal quanto pelo Rio Grande do Sul.ANÁPOLIS . retornando ao seu estado à advocacia. Depois do suicídio de Vargas. OSVALDO CRUZ – Bairro Paraíso 135 . Em seguida foi embaixador em Washington entre 1933 e 1937. Aranha foi nomeado chefe da delegação brasileira na XII Assembléia Geral das Nações Unidas. onde criou o “Plano Essencialmente Antiinflacionário”. precisamente às 17h 30min. Em 1953. em 27 de janeiro de 1959. quando teve participação destacada na Organização das Nações Unidas para a criação do Estado de Israel. Após a Revolução de 30. Em 1958 seu nome foi cogitado para concorrer ao senado. onde estabeleceria seu quartel-general e assumiria o comando revolucionário em marcha para a Capital da República. do dia 3 de outubro. voltou ao Ministério da Fazenda. AV.SEUS VULTOS . já sob o governo Kubitschek. Oswaldo tornou-se Ministro da Justiça do Governo Provisório e da Fazenda em 1931. em agosto de 1954. afastou-se da vida pública. que começou em Porto Alegre. a convite de Vargas. o que possibilitou a redução da dívida. Em 11 de outubro de 1930. e Ministro das Relações Exteriores até 1947. Dois anos mais tarde concorreria à vice-presidência da República na chapa encabeçada pelo general Henrique Dufles Teixeira Lott. Em 1957. chefiando junto a Flores da Cunha o ataque aos quartéis dos comandos do Exército e da Região.SUAS RUAS . Getúlio Vargas passou o poder do estado para Oswaldo Aranha. o que não ocorreu devido ao seu falecimento.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SUAS RUAS . Essas brigadas percorriam as casas e ruas. que ampliou suas atividades. No ano seguinte foi nomeado Diretor-Geral de Saúde Pública e utilizou o Instituto como base de suas campanhas de saneamento. Para fabricar o soro antipestoso. que reunia os grandes nomes da ciência da época e onde foi especializar-se em bacteriologia. Em 1902. foi criado a 25 de maio de 1900. filho do médico Bento Gonçalves Cruz. São Luis do Piratinga até 1877. A maior parte dos médicos e a população acreditavam que a doença era transmitida pelo contato com as roupas. o Instituo Soroterápico Federal. eliminando 136 .SEUS VULTOS .(Dô) OSWALDO GONÇALVES CRUZ. e criou a polícia sanitária e as brigadas matamosquitos. Em 1892. Assim. Em pouco tempo conseguiu debelar a peste bubônica através do extermínio dos ratos. Oswaldo Cruz encontrou o porto de Santos assolado por violenta epidemia de peste bubônica e logo engajou no combate à doença. suspendeu as desinfecções. o sangue e outras secreções de doentes. formou-se Doutor em Medicina com a tese “A Veiculação pelas águas”. nasceu em 1872 e viveu na sua cidade natal. Cruz assumiu a direção do novo Instituto. dedicando-se também à pesquisa básica e aplicada e a formação de recursos humanos. na direção técnica o bacteriologista Oswaldo Cruz. cujas pulgas transmitiam a doença. Ao regressar da Europa. Aos 15 anos. ingressou na Faculdade de Medicina e antes de concluir o curso já publicara dois artigos sobre microbiologia na revista Brasil Médico. o suor. método tradicional. Oswaldo Cruz. quando seu pai transferiu-se para o Rio de Janeiro. Osvaldo Cruz embarcou em 1896 para o Instituto Pasteur em Paris. instalado na antiga Fazenda Manguinhos. O combate à febre amarela apresentou vários problemas. era adepto da teoria de que o transmissor da doença era o mosquito. porém. Na direção geral o Barão de Pedro Affonso.ANÁPOLIS .

pelo qual foi eleito vereador em São João Del Rei.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Oswaldo Cruz deixou a Diretoria Geral do Instituto que agora já tinha o seu nome. sofrendo de crises de insuficiência renal. 032/1985 TANCREDO DE ALMEIDA NEVES. Com o recrudescimento dos surtos de varíola.(Dô) os focos de insetos e evitando as águas estagnadas.ANÁPOLIS . 137 . e no dia 14. Em 1913. aos 44 anos. O Congresso protestou e foi organizada uma Liga contra a Vacinação Obrigatória. o sanitarista tentou promover a vacinação em massa da população. em 4 de março de 1910. foi eleito para Academia Brasileira de Letras e em 1915. Tancredo Neves nasceu em São João Del Rei. Contudo.SUAS RUAS . abandonou a direção do “Instituto Oswaldo Cruz” e mudou-se para Petrópolis. Em 1909. BRASIL Lei Municipal nº. O Governo derrotou a rebelião. cujo projeto político englobava um plano de urbanização que não viu implementado. Cruz recebeu a medalha de ouro n XIV Congresso Internacional de Higiene e Demografia em Berlim. Nesse ano. Advogado ingressou na política pelo PP (Partido Progressista). a Escola Militar da Praia Vermelha se levantou. por motivos de saúde. No dia 13 de novembro estourou a rebelião popular. suspendeu a Obrigatoriedade da vacina. Os jornais lançaram sistemática campanha contra a medida. RUA TANCREDO NEVES – AV. eleito Presidente do Brasil.SEUS VULTOS . morreu antes de tomar posse na Presidência. Minas Gerais. Em 1904. a oposição a Oswaldo Cruz atingiu o seu ápice. Sua atuação provocou violenta reação popular. Ainda foi eleito prefeito da cidade. pois faleceu em fevereiro de 1917. no período de 1935/37. ele acabou vencendo a batalha: em 1907 a febre amarela estava erradicada no Rio de Janeiro. onde se desenvolviam as larvas de mosquitos.

De 1958 a 1960. numa ação popular que mobilizou os jovens e pregava as eleições diretas para presidente. que instituía as eleições diretas para presidente da República em 1984. a partir do AI-2 (Ato Institucional 2). ingressou no PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) e foi eleito governador de Minas Gerais (1983-1984). No ano seguinte. Neste período político. Foi nomeado primeiro-ministro com a instauração do regime parlamentarista. foi eleito novamente deputado federal. assumiu a Secretaria de Finanças do Estado de Minas Gerais (1958-1960). Era um dos líderes do MDB (Movimento Democrático Brasileiro). voltou a ser eleito deputado federal.SEUS VULTOS . Porém. Em 1954. cargo que ocupou por um ano.ANÁPOLIS . Tancredo foi senador pelo MDB em 1978 e fundou o PP (Partido Popular). No ano seguinte.(Dô) Já pelo PSD (Partido Social Democrático). que decretou a extinção de todos os partidos políticos até então existentes e instituiu o bipartidarismo. logo após a renúncia do presidente Jânio Quadros. partido pelo qual continuou exercendo o mandato até 1982.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Passou a atuar no ministério a partir de 25 de junho de 1953. partido criado em 27 de outubro de 1965. com a derrota da Emenda Dante de Oliveira. Após a volta do pluripartidarismo. 138 . Ocupou o cargo de 1961 e 1962. Foi diretor do Banco de Crédito Real de Minas Gerais (1955) e da Carteira de Redescontos do Banco do Brasil (1956-1958). Foi reeleito deputado federal seguida vezes ao longo dos anos de 1963/1979. exercendo os cargos de ministro da Justiça e Negócios Interiores até o suicídio do presidente Getúlio Vargas. houve grande agitação política em prol do movimento “Diretas Já”. Tancredo foi o nome escolhido para representar uma coligação de partidos de oposição reunidos na Aliança Democrática. elegeuse deputado estadual (1947-1950) e deputado federal (19511953).SUAS RUAS .

foi eleito presidente pelo Colégio Eleitoral. ingressou na política como suplente do deputado federal pela UDN (União Democrática Nacional). Em 1979. em 15 de janeiro de 1985. defendia entre outras bandeiras. Com a instituição do bipartidarismo. RUA JOSÉ SARNEY (Lei Municipal nº. Deixou o partido em 1984. Morreu no dia 21 de abril de 1985. Adotou o nome de Sarney em homenagem ao pai. como um dos líderes do grupo progressista da UDN. representando o partido da oposição e derrotando Paulo Maluf. o político foi internado em estado grave no hospital e o vicepresidente José Sarney assumiu o cargo.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . após o fim do bipartidarismo. 139 . Maranhão. 1474/1987) JOSÉ RIBAMAR FERREIRA DE ARAÚJO COSTA. Sarney de Araújo Costa. Em 1964. de direita. participou da fundação do PDS (Partido Democrático Social).(Dô) Com o senador José Sarney como vice. Na véspera de tomar a posse. Foi eleito por dois mandatos como deputado federal (1958-1965) e. Formado em direito em 1954. em 1965. tornando-se um dos principais representantes políticos do regime militar eclodido em 1964. fez oposição ao golpe militar que depôs o presidente João Goulart.SUAS RUAS . nasceu na cidade de Pinheiro. Governou o Maranhão (1966-1971) e cumpriu dois mandatos como senador (1971-1985).SEUS VULTOS . a reforma agrária no início dos anos 60. por ser contrário à escolha de Paulo Maluf para disputar a eleição indireta à presidência da República. em 14 de março de 1985.ANÁPOLIS . aderiu ao partido governista Arena (Aliança Renovadora Nacional). presidente do Brasil de 15/03/1985 a 15/03/1990. em 24 de abril de 1930. em São Paulo.

PB. em referência à nova moeda implantada. Munir Calixto PAULO NUNES BATISTA. Promulgada em 5 de outubro de 1988.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . uma nova estratégia econômica.86%. no dia 2 de agosto de 1924. Olímpio Ferreira Sobrinho. Que bom que o tempo passou. estabeleceu eleições diretas em dois turnos para presidente. O Plano Cruzado implantado pelo Ministro da Fazenda Dílson Funaro. o novo ministro da economia. o "gatilho" salarial a cada vez que a inflação ultrapassasse 20% e o incentivo à produção em detrimento da especulação financeira. governador e prefeito. foi anunciado pelo governo. foi estabelecido um plano de ampla reforma monetária. o abono de 8% para todos os trabalhadores. O período de governo foi marcado por medidas econômicas de combate à inflação e pelo estabelecimento de uma nova Constituição. segundo a biografia narrada pelo Dr. A taxa anual de inflação havia fechado em 1. nascido em João Pessoa .ANÁPOLIS . considerada a mais democrática da história brasileira. pela Frente Liberal. a Carta. com aquele jeito de ser do retirante que 140 . RUA PAULO NUNES BATISTA –V. O plano fracassou. Paulo Nunes Batista é nordestino de cepa maior.SUAS RUAS . Em 1989. em 1º de março de 1986. Em virtude do falecimento de Tancredo. previa o congelamento de preços e salários. implantou um novo plano econômico de estabilização que também não deu certo. Luís Carlos Bresser. mas também não trouxe o resultado esperado..SEUS VULTOS . que ficou conhecido como Plano Cruzado. Período imemoriável para os brasileiros! Em janeiro de 1988.764.. Quanto às medidas econômicas. assumiu a presidência no dia 15 de abril de 1985. denominada como “Plano Verão”.(Dô) Ingressou no PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) e foi indicado como vice-presidente na chapa de Tancredo Neves.

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

nunca se abate. Estudou o curso básico na Capital do seu estado e o secundário no Rio de Janeiro. Traz consigo a veia poética que Deus lhe deu e outra coisa não sabe ser se não o que realmente é: um poeta, amante das artes e das letras. Aqui chegou há longo tempo, onde se misturou logo com os que lhe eram iguais. Iguais na vida boêmia, no amor à poesia, às serenatas e as tertúlias literárias. Mas, igual a ele, ninguém mais conseguiu ser por essas bandas, pois num repente é capaz de emocionar a todos com os seus versos que jorram aos borbotões cheios de graça. Seu forte sempre foi a poesia de cordel, por isso é apreciado e famoso em todo o Brasil. Em 1973 reiniciou os seus estudos, concluindo-os na Faculdade de Direito de Anápolis, bacharelando-se em 1977, com brilhantismo ímpar. Grande Figura... AV. JOSÉ FELICIANO – (B. Calixtópolis) SENADOR JOSÉ FELICIANO FERREIRA nasceu no dia 15 de dezembro de 1916, na cidade de Jataí, Estado de Goiás, filho de David Ferreira e Risoleta de Carvalho Ferreira. José Feliciano concluiu o primário e o curso básico no Ginásio Diocesano de Uberaba-MG e diplomou-se em ciências sociais na Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro. Antes de ser eleito governador do Estado de Goiás, Feliciano foi Secretário de Educação e Cultura de Estado, Presidente do Banco do Estado de Goiás, S/A, advogado e proprietário de terras rurais. Foi vereador em Goiânia no período de 1945 a 1950, Deputado estadual de 1951 a 1955, governador no período entre 1959/1961 e por dois mandatos foi senador, durante os anos de 1961 a 1971. RUA DONA ZITA DUARTE (V. Munir Calixto)
141

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

DONA ZITA DUARTE, filha do Cel. Sanito, chefe do clã dos Graciano, nasceu em Anápolis, onde concluiu os seus estudos. Mulher de personalidade marcante, desde cedo se mostrou uma grande partícipe das causas sociais da nossa cidade. Casou-se com o destacável empresário e ex-prefeito, senhor Jonas Duarte, tendo quatro filhos, dentre os quais o ex-deputado federal Dr. Haroldo Duarte, figura de alto relevo da nossa sociedade. Dona Zita, antes, durante e depois de seu marido à frente da Prefeitura Municipal de Anápolis, foi uma mulher atuante e atenta aos problemas sociais da população menos favorecida, comparecendo sempre com a sua dedicação na solução dos problemas das diversas sociedades beneficentes de Anápolis. Outro destaque para Dona Zita foi o seu exemplo de mulher cristã, legado que fez do seu trabalho uma marca de sua dedicação às causas da igreja. Bem merecida essa homenagem. RUA MAJOR MAURO – Bairro São Carlos
SENADOR MAURO BORGES TEIXEIRA nascido em

15 de fevereiro de 1920, na cidade de Rio Verde-Goiás, filho do maior político goiano, Senador Pedro LudovicoTeixeira e de dona Gercina Borges Teixeira. Concluiu o curso primário em Uberaba-MG e o secundário no Liceu de Goiás, seguindo depois para o Rio de Janeiro, onde se matriculou na Escola Militar de Realengo e, posteriormente, cursou a Escola de Comando e Estado Maior, chegando anos depois a patente de Major, ocasião que desistiu da carreira militar e se transferiu para o seu estado, onde assumiu a Direção Geral da Estrada de Ferro Goiás. Seguindo a tradição política da família, foi eleito deputado federal no período de 1958/1960, quando se candidatou e foi eleito Governador de Goiás, durante o tempo de 1961/1964, quando explodiu o Movimento Militar de 1964, ocasiou que se
142

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

projetou nacionalmente, pois Goiás foi o único Estado que ofereceu resistência aos militares, tendo por isso sido o único a sofrer uma intervenção federal. Deposto Mauro Borges, reinou em seu lugar uma intervenção federal, durante longos dez anos. Mauro Borges voltou à política no ano de 1983, sendo eleito senador por Goiás, durante o tempo de 1983 a 1991, época que escreveu “O Golpe em Goiás”, (História de Uma Grande Traição), “A Conquista do Cerrado: Uma Proposição para Duplicar a produção de grãos e “Pelo Brasil e Pelo Povo”. O Governador Mauro Borges foi agraciado com a “Grande Condecoração da Iugoslávia, concedida pelo Marechal Tito, quando da sua visita ao Brasil, Medalha da Ordem do Mérito de Brasília, no grau de Grã-Cruz, Medalha da Ordem do Mérito das Forças Armadas e títulos de cidadão do Estado do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. RUA ISRAEL PINHEIRO – Bairro São Carlos ISRAEL PINHEIRO nascido em Minas Gerais, em 4 de janeiro de 1896. Com 12 anos de idade perde o pai, João Pinheiro, então Governador de Minas Gerais. A família enfrenta dificuldades financeiras e Israel vai estudar no Colégio Interno de Nova Friburgo, RJ. De volta a Minas, Israel vai para Ouro Preto estudar engenharia na Escola de Minas e Metalurgia. Suas altas notas lhe permitem ganhar prêmio de dois anos de estudos na Europa. Volta ao Brasil e trabalha na Cia de Cerâmica João Pinheiro, fundada por seu pai. Em 1923, concorre a uma vaga na Câmara Municipal de Caeté pelo Partido Republicano Mineiro. A vitória inicia sua carreira política. Em 1933 é nomeado por Benedito Valadares – então interventor federal em Minas Gerais – Secretário de Agricultura, Viação e Obras Públicas. Em 1934 fica à frente da nova super secretaria da Agricultura, Indústria,
143

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

Comércio e Trabalho. Como Secretário, Israel costumava-se encontrar com Juscelino Kubitschek, então deputado estadual de Minas Gerais, que lhe solicitava a liberação de verbas para a região que representava, especialmente, Diamantina. Em 1942 é nomeado presidente da recém criada Companhia Vale do Rio Doce, cargo que exerceu até 1946, quando saiu para disputar uma vaga na Câmara Federal. Foi deputado federal por três mandatos consecutivos, tendo apresentado em 1950 uma emenda que determinava a localização do Novo Distrito Federal e tendo, depois da rejeição da emenda, continuado a defender a idéia da mudança da capital para Goiás. Em 1956, já na terceira legislatura, como deputado federal, Israel é convidado pelo Presidente Juscelino para assumir a presidência da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil – NOVACAP. Ele renuncia ao mandato e segue JK rumo a Brasília. Após a inauguração da cidade que ele construiu, é nomeado por Juscelino como o primeiro prefeito da nova Capital, cargo que assumiu em 07/05/1960. Em 1965 foi eleito Governador de Minas Gerais, mesmo cargo que já havia sido ocupado por seu pai, tomando posse em 31 de janeiro de 1966. Israel Pinheiro faleceu em 1973, aos 77 anos. Adendo importante: Em 1962, enquanto sobrevoava Brasília, Juscelino disse: “Meus Deus, sem o Israel jamais eu teria conseguido construir Brasília”. RUA BARÃO DE CAYRU – Bairro São Carlos JOSÉ DA SILVA LISBOA, feito Visconde de Cairu, nasceu em Salvador-BA, no dia 16 de julho de 1756 e faleceu no Rio de Janeiro em 20 de agosto de 1835. Foi jurista, publicista e político brasileiro, ativo na época da Independência do Brasil.
144

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

Barão de Cayru fez seus estudos preparatórios na Bahia aos oito anos, estudando filosofia, música e piano. Concluiu-os em Lisboa, pois como o governo português não permitia universidades na colônia, todos os alunos que se destacavam eram obrigados a se formar em Portugal, na Universidade de Coimbra. Seguiu os cursos jurídicos e filosóficos desde 1774, formando-se em 1778. Depois de lecionar na Universidade de Portugal, voltou à Bahia, onde foi nomeado deputado e Secretário da Mesa da Inspeção da Bahia. Sua influência começou a crescer no meio político, chegando a apresentar a D. João, Príncipe Regente, as vantagens da abertura dos portos às nações amigas de Portugal. Dessa sua atitude resultou a “Carta Règia” de 24 de maio de 1808, que oficializava o ato. Lutou bravamente pela Independência do Brasil e, depois que ela foi proclamada, continuou exercendo cargos elevados, recebendo diversas distinções honoríficas. Em 1825 foi agraciado pelo Imperador D. Pedro I com o título de barão e depois em 1826 de visconde de Cairu, sendo ainda escolhido senador do Império. Com a inovação da Academia Brasileira de Letras em criar os sócios Correspondentes, mais adiante foram sugeridos que se fizesse também o Patronato de suas 20 cadeiras, cabendo a última delas ao Visconde de Cairu, seu Patrono. RUA JÂNIO QUADROS – Bairro São Carlos JÂNIO DA SILVA QUADROS foi Presidente do Brasil durante o curto período de 31/1/1961 a 25/8/1961, nasceu em Campo Grande-MS, em 25 de janeiro de 1917 e faleceu na cidade de São Paulo em 16 de fevereiro de 1992. Jânio Quadros estudou em Curitiba e em São Paulo, para onde se mudou na década de 30. Formou-se em Direito em 1939, trabalhou como advogado na capital paulista antes de entrar para a vida pública. Foi eleito vereador em 1947, deputado
145

Eleito para Presidente do Brasil com 48% dos votos.. – Orador carismático. a não ser que foi educado na Corte de Dom João II. S. fez sucesso entre os eleitores com sua pregação sobre a moralidade administrativa. no ano de 1500. nas campanhas eleitorais aparecia comendo sanduíches em botequins. Portugal. Morreu em 16 de fevereiro de 1992. Renunciou sete meses depois. Seu breve governo foi ambíguo. 146 .(Dô) estadual em 1950.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . conquistou grande popularidade ao usar uma vassoura como símbolo da limpeza que prometia fazer nos órgãos públicos. Em 1964. Manuel o nomeou capitão-mor da armada que faria a primeira expedição à Índia após o retorno de Vasco da Gama. Carlos PEDRO ÁLVARES CABRAL. Em sua primeira disputa pela prefeitura.. Jânio teve seus direitos políticos cassados pelo Regime Militar. alegando sofrer pressão de “forças estranhas”. em São Paulo – Capital.ANÁPOLIS . Nasceu no castelo Belmonte. prefeito de São Paulo em 1953 e governador em 1954. caracterizado por uma política interna conservadora de combate à inflação e por ações externas progressistas de aproximação com países de regime socialista e de defesa aberta de Cuba em seu confronto com os Estados Unidos. Classificado pelos estudiosos como populista. quando foi eleito prefeito de São Paulo. Jânio retornou à vida pública no fim da década de 70.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . RUA PEDRO ÁLVARES CABRAL-B. Em 1982. D. Já em 1499. no ano de 1467 e pouco se sabe da sua vida até o final do século. perdeu a disputa pelo governo paulista. resultado que superou o recorde eleitoral da época. mas conseguiu a sua última vitória política em 1985. tomando posse em janeiro de 1961. nesta rua a carroça da história encontrou o navegador português que descobriu o Brasil.

SUAS RUAS . Como a maioria dos grandes corredores automobilísticos. Ayrton viveu suas primeiras experiências no kart. – Em seguida. Dias depois um dos navios retornou a Lisboa com as notícias da descoberta. em homenagem ao grande desportista. Muito cedo.Capital.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .500. No dia seguinte houve o contato inicial com os indígenas. Pedro Álvares Cabral faleceu em data não precisa. Foi senhor de Belmonte e alcaidemor de Azurara. Casou-se em 1. Em 22 de abril. em São Paulo . desentendeu-se com o monarca e recusou a missão. em Porto Seguro. AYRTON SENNA -Parque S.SEUS VULTOS . presumindo-se a data entre os anos de 1520/26. Nasceu Ayrton Senna da Silva.200 homens. a maior frota até então organizada em Portugal. Ayrton Senna da Silva. gênio do automobilismo mundial. fundeou seus navios na baia de Cabrália. Em 1518. foi dedicado a nomenclatura com o seu nome a avenida que fica paralela ao córrego das Antas. após 43 dias de viagem e tendo se afastado da costa africana.(Dô) Com treze navios e cerca de 1. no dia 21 de março de 1960. e seguindo o exemplo de outros grandes vultos do nosso automobilismo. Cabral retornou com sua frota à Lisboa no ano de 1501. Convidado para comandar nova expedição ao Oriente. sobrinha de Afonso de Albuquerque. Senna transferiu-se para a 147 . Jerônimo AYRTON SENNA DA SILVA. o nosso herói se destacou nas demais categorias desse esporte. Cabral partiu de Lisboa em 9 de março de 1. a esquadra avistou o monte Pascoal no litoral da Bahia. era Cavaleiro do Conselho Real.ANÁPOLIS . na baixada da Vila Góis. AV. deixando descendência.503 com dona Isabel de Castro. onde também se consagrou como meninoprodígio. com a missão de fundar uma feitoria na Índia.

ao lado do General Mathias de Albuquerque. comandou um pequeno exército para. ocasião em que defendia a equipe da Williams. recebendo o nome de Antônio. Em 1630. RUA FELIPE CAMARÃO (Vila São João) ANTÔNIO FELIPE CAMARÃO. combater os invasores. sertão de Pernambuco. mantendo o nome indígena de Camarão. Exerceu um papel importante nas vitórias luso-brasileiras contra os holandeses e. participou da batalhas Monte dos Guararapes e. foi batizado em 1612. Sabia ler e escrever. nasceu por volta de 1600.SEUS VULTOS .(Dô) Europa no ano de 1984. Nessa equipe Ayrton Senna permaneceu durante os anos de 1988 a 1993. Catequizado pelos missionários jesuítas. Senna também destacou-se como um grande piloto durante os anos de 85 a 87. na Itália. período em que se consagrou campeão do mundo nos anos de 1990 e 1991. nesse mesmo ano. em Ímola. Ayrton faleceu em conseqüência de um acidente fatal ocorrido no dia 1º de maio de 1994. ao qual adicionou o de Felipe (em homenagem ao rei de Espanha e Portugal). por ocasião da Invasão Holandesa. sendo o seu tricampeonato conquistado no ano de 1994. a patente de capitão-mor dos índios da costa brasileira e o título honorífico de dom.SUAS RUAS . inclusive em latim e um pouco na língua holandesa. quando se firmou definitivamente nessa categoria defendendo a Lótus. índio. acometido por 148 . Em abril de 1648.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . na qual estreou na Fórmula UM. na Taba dos Potiguares. em 1633. recebeu da Coroa de Portugal 40 mil réis de soldo. sendo sua primeira equipe a Toleman.ANÁPOLIS . recebendo o nome de Poty que significa camarão. Mas foi mesmo na equipe da McLaren que Ayrton se consagrou como o maior e mais técnico piloto de todos os tempos da Fórmula UM. quatro meses depois.

em 1570. Defendeu a liberdade dos índios. filho de Baltasar de Nóbrega. RUA MAUÁ – Vila São João 149 . favoreceu os aldeamentos. onde obteve o grau de bacharel. Entrou na Companhia de Jesus. onde exerceu o cargo de reitor. Faleceu o Padre Manoel de Nóbrega no Rio de Janeiro. em 1544. RUA PADRE MANOEL DE NÓBREGA – Vila São João PADRE MANOEL DE NÓBREGA. no Diálogo sobre a Conversão do Gentio. atualmente um bairro no Recife. chefiou o primeiro grupo de inacianos (discípulos do Frei Inácio de Loyola. Pernambuco. no dia em que completava 53 anos de idade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Ajudou a expulsar os estrangeiros da baia de Guanabara.SEUS VULTOS . aonde chegou em 1549.ANÁPOLIS . através das escolas de ler e escrever e fundou .pessoalmente. O seu pensamento encontra-se expresso nas Cartas.origem da futura cidade . fundador da “Companhia de Jesus”) destinados ao Brasil. morreu no Arraial da Várzea.SUAS RUAS . integrando a armada de Tomé de Sousa. já sacerdote.(Dô) uma febre. e de São Paulo . em estreita colaboração com o governador. em 1541. tendo efetuado missões pastorais na Beira e no Minho.e do Rio de Janeiro. cultivou a música como auxiliar da evangelização. estudou no Porto (Portugal) e freqüentou como bolseiro régio as faculdades de Cânones de Salamanca e Coimbra. promoveu o ensino primário. os colégios de Salvador. sobretudo. contribuindo para o robustecimento do poder central e para a unificação política do território. A pedido de Dom João III. nos Apontamentos e.

em um ano. em Niterói. da ferrovia dom Pedro II (atual Central do Brasil) e da “São Paulo Railway” (hoje Santos-Jundiaí). já tinha a maior indústria do país. A viagem que fez à Inglaterra em busca de recursos (1840) convenceu-o de que o Brasil deveria caminhar para a industrialização. banqueiro.Notável empresário. organizou as companhias de navegação a vapor no Rio Grande do Sul e no Amazonas (1852). um símbolo dos capitalistas empreendedores brasileiros do século XIX. este lhe ensinou inglês. industrial. dividiu-se entre as atividades de industrial e banqueiro.(Dô) IRINEU EVANGELISTA DE SOUZA . Em sociedade com capitalistas ingleses e cafeicultores paulistas. RJ.SUAS RUAS . realizou o assentamento do cabo submarino (1874) e muitas outras iniciativas. A partir de então. Rosas e López. Iniciou a 150 . fundou a indústria naval brasileira (1846).SEUS VULTOS . Aos 23 anos tornou-se gerente e logo depois sócio da firma. empregando mais de mil operários e produzindo navios. político e diplomata brasileiro nascido em Arroio Grande. Passando a trabalhar na firma importadora de Ricardo Carruthers (1830). Da Ponta da Areia saíram os navios e canhões para as lutas contra Oribe. aos 11 anos. armas e tubos para encanamentos de água. prensas. e. município de Jaguarão. inaugurou o trecho inicial da União e Indústria. engenhos de açúcar. participou da construção da “Recife and São Francisco Railway Company”. Iniciando sozinho à frente do ousado empreendimento de construir os estaleiros da Companhia Ponta da Areia. capitão da marinha mercante e. Foi pioneiro no campo dos serviços públicos: fundou uma companhia de gás para a iluminação pública do Rio de Janeiro (1851). implantou a primeira estrada de ferro.ANÁPOLIS . entre Petrópolis e Juiz de Fora (1854). em companhia de um tio.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . primeira rodovia pavimentada do país. RS. da Raiz da Serra à cidade de Petrópolis RJ (1854). RJ. guindastes. Órfão de pai viajou para o Rio de Janeiro. caldeiras para máquinas a vapor. empregouse como balconista de uma loja de tecidos. contabilidade e a arte de comerciar.

ameaçado desde a crise bancária (1864). MacGregor & Cia. com filiais em várias capitais brasileiras e em Londres. assentou praça no Corpo de Imperiais Marinheiros em 5 de agosto de 1855. com cabelos castanhos e olhos pretos. Suas fábricas passaram a ser alvo de sabotagens criminosas e seus negócios foram abalados pela legislação que sobretaxava as importações.SEUS VULTOS .ANÁPOLIS . Nova Iorque. aos 17 anos de idade. RUA MARCÍLIO DIAS . em 1838. nasceu na cidade de Rio Grande. assim. Filho de Manuel Fagundes Dias e Palcena Dias. tornou-se persona non grata no Império. embarcou na corveta Constituição e logo após no navio Tocantins que tinha o Almirante Barroso. Ingressou na Marinha do Brasil como grumete em 6 de julho de 1855. como seu comandante. encerrando com nobreza. o Imperial Marinheiro. abolicionista e contrário à Guerra do Paraguai. Com a falência do Banco Mauá (1875) o visconde viu-se obrigado a vender a maioria de suas empresas a capitalistas estrangeiros. embora sem patrimônio.Vila São João MARCÍLIO DIAS. a Biografia desse grande empreendedor. Buenos Aires e Montevidéu. era pardo escuro.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Doente. Ao longo da vida recebeu os títulos de barão e visconde de Mauá. quando o governo imperial decidiu intervir nas questões do Prata (1850) e. forneceu os recursos financeiros necessários à defesa de Montevidéu. o visconde fundou o Banco Mauá. só descansou depois de pagar todas as dívidas. 151 .SUAS RUAS . mas renunciou ao mandato (1873) para cuidar de seus negócios. No final da década de 1850. Liberal. Foi deputado pelo Rio Grande do Sul em diversas legislaturas. ligando o Brasil à Europa. Em 1856. minado pelo diabetes.(Dô) construção do canal do mangue no Rio de Janeiro e foi o responsável pela instalação dos primeiros cabos telegráficos submarinos.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) Em 15 de maio de 1861. em expedição ao Rio Prata. sendo sepultado com as honras do cerimonial marítimo nas próprias águas do Rio Paraná. Foi promovido para marinheiro de 2a classe em 11 de maio de 1862. em janeiro de 1863 e prestou exame em 10 de dezembro do mesmo ano. terminando em 2 de janeiro de 1865. quando subiu na torre da Igreja Matriz de Paissandu. Em 1864 embarca na corveta Parnaíba. em 31 de dezembro de 1864. já na Escola de Artilharia. Marcílio Dias foi um dos mais bravos combatentes. recebe a classificação de "Praça Distinta". De volta é promovido a "Marinheiro de 1ª classe". abatendo dois deles. armado de sabre. 152 . que durou 52 horas. em 12 de junho de 1865. em 11 de junho de 1865. em que foi aprovado. Quando a corveta 'Parnaíba'. classe em 20 de julho de 1864. Foi promovido a marinheiro de 1a. travou uma luta corpo a corpo contra quatro inimigos. classe. Marcílio Dias faleceu no dia seguinte. Em 1863.ANÁPOLIS . sendo finalmente ferido de morte. Marcílio Dias tem seu batismo de fogo. Matriculou-se na Escola Prática de Artilharia. num confronto com o exército do ditador uruguaio Aguirre. onde era chefe do rodízio raiado de ré. indispensáveis ao serviço de bordo. e ficou famoso seu grito de “VITÓRIA!!!”. Destacando-se no assalto à praça “Forte de Paissandu”. passando a usar o distintivo de marinheiro-artilheiro. Embarcou na corveta Imperial como marinheiro a fim de se habilitar na manipulação de artefatos bélicos. acenando para seus campanheiros com a bandeira brasileira Sagrou-se herói na Batalha Naval do Riachuelo. recebeu sua primeira promoção: marinheiro de 3a. Em 6 de dezembro de 1864. no início da Guerra do Paraguai. em 13 de junho de 1865. foi abordada por três navios paraguaios.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . quando o Almirante Tamandaré inicia o cerco e ataque a Paissandu durante a Campanha Oriental (1864-1865). uma batalha intensa.

O governo brasileiro viu-se forçado. comandada por Francisco Manuel Barroso da Silva. então. iniciado em 1865. Na época não tínhamos um contingente militar suficiente para combater os quase 80 mil soldados paraguaios. Outra coluna. haviam atravessado o rio Uruguai e ocupado sucessivamente. RUA VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA (Vila São João) Um fato relevante e muito histórico que teve participação importante da Divisão Militar da Guarda Real de Polícia da Corte foi o conflito. até então triunfante. travou-se no rio Paraná a batalha do Riachuelo. aniquilou a paraguaia. Quase ao mesmo tempo. em 17 de agosto. que. as povoações de São Borja. de junho a agosto. em 1 de agosto de 1865. Desse momento até a derrota final. pretendia chegar ao Uruguai. O Brasil formou com Uruguai e a Argentina a chamada Tríplice Aliança. Os paraguaios. a criar os chamados 153 . A vitória do Riachuelo teve notável influência nos rumos da guerra: impediu a invasão da província argentina de Entre Rios e cortou a marcha.(Dô) Cerca de dois meses depois de sua morte. o Paraguai teve de recorrer à guerra defensiva. em que a esquadra brasileira. RUA RIACHUELO – Vila São João BATALHA DO RIACHUELO. sob o comando do tenente-coronel Antonio de la Cruz Estigarribia. em 11 de junho de 1865. contra o Paraguai. foi detida por Flores da Cunha. batizando-o de 'Marcílio Dias'.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . sob as ordens do major Pedro Duarte. Itaqui e Uruguaiana. comandada por Pedro Inacio Meza. de López.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . na batalha de Jataí. as tropas imperiais repeliam o Exército paraguaio que invadira o Rio Grande do Sul.ANÁPOLIS . futuro barão do Amazonas. o Quartel General da Marinha incorporou à Força Naval um navio à vapor comprado da Inglaterra para servir para o transporte de tropas. em homenagem ao seu heroísmo na Batalha de Riachuelo.

Lomas Valentinas e Avaí. restando uma população de menos de 200 mil pessoas. o maior desastre de toda a campanha aliada.000 paraguaios) e 3. Na batalha de Tuiutí. Na campanha das cordilheiras morreram 5. das quais apenas cerca de 15. em 24 de maio de 1865. levou dois anos para percorrer 2. DA SILVA (Bairro S. Estabelecimento. cerca de 2/3 tinham menos de 10 anos de idade. partiram 510 oficiais e praças do Quartel dos Barbonos da Corte. sem sucesso.000 homens. embora variem muito as estimativas. o genro de Pedro II.000 era do sexo masculino e. foi ainda atacado por uma epidemia de cólera. A participação deste grupo foi vitoriosa em todas as batalhas das quais tomou parte: Tuiutí.ANÁPOLIS . atual denominação do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças da corporação.112 quilômetros. Só em 1868 os paraguaios começam a ceder. era de 31. Em conjunto. No final.000 homens. Morreram cerca de 600 mil.000 dos aliados. Em setembro do mesmo ano.SEUS VULTOS . após Laguna. local onde hoje está o situado Quartel General da Polícia Militar.000 brasileiros. 1/3 do contingente se perdeu devido a febres e fome.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) "Corpos de Voluntários da Pátria". após cair Curupaity e Humaitá. com cerca de 3. o que é muito se nos lembrarmos que o exército reorganizado pelo conde d' Eu. RUA BARTOLOMEU B. destes.000 aliados contra 23.SUAS RUAS . Sucubi. A este grupo foi dado o nome de 31º Corpo de Voluntários da Pátria.000 paraguaios (morreram cerca de 6.000 homens de López: as baixas foram de 12. Esteiro Belaco. também se registram tragédias: a Coluna dos Voluntários da Pátria que partiu do Rio de Janeiro em abril de 1865. Do lado dos aliados. quando perderam as esperanças de tomar a capital em curto prazo: morreram apenas 100 paraguaios contra 9. Em 10 de julho. eram 35.000 soldados paraguaios. No trajeto. Jorge) 154 . pode-se dizer que o Paraguai tinha no início da Guerra quase 800 mil habitantes. Mitre tentou tomar de assalto a fortaleza de Curupaity.

resistência às suas idéias.ANÁPOLIS . Morre pobre na Vila de Goiás.(Dô) BARTOLOMEU BUENO DA SILVA. durante três anos explorou os sertões de Goiás. já como capitão das minas. Nascido o filho. Lúcio Costa foi um pioneiro na moderna arquitetura brasileira. acompanha o pai em uma expedição no território goiano. Autor do Plano Piloto de Brasília.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . no Rio de Janeiro.SEUS VULTOS . Encontra ouro no rio Vermelho e volta à região em 1726. com o mesmo nome. nascido em Toulouse. já aos doze anos. o pai. adotando as teorias de Bauhaus e Corbousier. indo mais tarde para São José do Pará e Pitangui. – Bairro São José LÚCIO COSTA. França em 27 de fevereiro de 1902 e falecido no Rio de Janeiro em 13 de junho de 1998. Herda do pai o nome e o apelido de Anhangüera. Perde o poder à medida que a administração colonial se organiza na região. È nomeado fiscal do distrito. Minas Gerais. Sete anos mais tarde foi convidado para dirigir a escola. Ganha sesmarias do rei português dom João V. RUA LÚCIO COSTA – ARQ. Em 1936. bandeirante paulista – 1672 – 1740. filho de pais brasileiros. em 1924. onde reformulou o ensino de Arquitetura. atraído pela descoberta de ouro na região. graduou-se em arquitetura na Escola Nacional de Belas-Artes. uma das maiores realizações urbanísticas do século passado. na França. porém. teria ateado fogo em certa quantidade de álcool. afirmando que seria capaz de fazer o mesmo com nos rios. arquiteto e urbanista brasileiro. Natural de Toulouse. Segundo alguns historiadores. mas a Guerra dos Emboabas obriga-o a retornar à Parnaíba. Bartolomeu Bueno da Silva. Em 1722 parte de São Paulo em mais uma expedição e. Encontrando. liderou a 155 . mais tarde Lúcio Costa demitiu-se. bem como o direito de cobrar passagem que levam às minas de Goiás.SUAS RUAS . Na ocasião fixa-se em Sabará.

D. Lúcio venceu o concurso público dedicado à construção da nova capital brasileira: Brasília. Situada no Planalto Central do país. após a Revolução do Porto. Educado por religiosos.SUAS RUAS . como a equitação.SEUS VULTOS . e da rainha Carlota Joaquina de Bourbon. que na época governava Portugal. Três anos mais tarde o Presidente Juscelino Kubitscheck inaugurou a nova capital do Brasil em abril de 1960. Lúcio Costa. realizou o plano de urbanização da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá e alargamento da Praia de Copacabana. a partir do traço inicial de Lê Corbousier.ANÁPOLIS . São José) DOM PEDRO I. Dentre tanto outros trabalhos. fez mudanças no trânsito do Rio de Janeiro. no Rio de Janeiro. quando teve que vir juntamente com a família real para o Brasil por ocasião da invasão dos franceses a Portugal. em 12 de outubro de 1798 e faleceu em 24 de setembro de 1834. em 1957. Brasil e Algarves. que viria a se tornar num marco histórico na arquitetura brasileira. sendo o compositor do Hino da Independência do Brasil. esse nosso contemporâneo! RUA DOM PEDRO I (B. como urbanista. IMPERADOR DO BRASIL nasceu em Lisboa. gostava de praticar esportes. Dom Pedro foi nomeado Príncipe Regente do Brasil em 22 de abril de 1821.em1807. Gênio. criaram o Ministério da Educação. Pouco tempo 156 . hoje Palácio da Cultura. com o título de Dom Pedro IV. Pedro I foi o primeiro imperador do país e 27° rei de Portugal. e tinha especial prazer pela música. Dentre outros importantes projetos que venceu no exterior. João VI.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Principal responsável pela Independência do Brasil. Com o retorno de seu pai para assumir o trono de Portugal.(Dô) equipe de jovens arquitetos. Filho do então monarca D. Dom Pedro viveu em Portugal até os nove anos. a cidade assumiu a forma de um avião. entre eles Oscar Niemeyer. que.

"Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação. Assim que recebeu a mensagem. Pedro resolveu permanecer no Brasil. contrariando a Constituição que aprovara. Pedro IV. Pedro I casou-se. em 29 de abril de 1826. João a rei de Portugal.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . É da sua autoria o Hino da Independência. enviou uma carta com uma série de retaliações caso este fato se consumasse. foi para Lisboa assumir o trono de seu pai. Pedro 1º. tornando-se D. D. abdicou do trono de Portugal em favor de sua filha. diga ao povo que fico". e dissolveu a Assembléia Constituinte. em 7 de setembro de 1822.(Dô) depois. D. disse o então príncipe. A decisão enfureceu a corte portuguesa que. Apesar de possuir idéias liberais. proferiu o famoso grito de "Independência ou Morte!". pouco tempo depois. durante uma viagem entre Santos e a capital paulista. ocorrido no dia 9 de janeiro de 1822. criando o famoso "Dia do Fico". Quando retornou ao Rio de Janeiro foi consagrado Imperador e Defensor Perpétuo do Brasil. rompendo definitivamente as relações do Brasil com Portugal. Dom Pedro I.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . com a ascensão de D. arquiduquesa da Áustria. às margens do Riacho do Ipiranga. Maria da Glória. a corte portuguesa despachou um decreto ordenando que ele retornasse para a sua terra natal. A nova Constituição foi elaborada em 1824 por um Conselho de Estado indicado pelo novo imperador. José Bonifácio de Andrade e Silva. Como não podia acumular as duas coroas. João VI. ao perceber que já começava no Brasil uma insatisfação contra o regime colonial. o XXVII rei de Portugal. em 1818. seus primeiros atos como imperador foram contraditórios: demitiu um dos maiores articuladores da proclamação da independência. com Maria Leopoldina Josefa Carolina de Habsburgo. Dois anos depois de tornar-se herdeiro da Coroa. Após a abdicação do trono e a morte de D. e escolheu a Infanta Isabel Maria para 157 .ANÁPOLIS . proclamando a Independência Política do Brasil. O pedido provocou uma enorme comoção nacional e D.

os constantes atritos com as forças políticas do Brasil fizeram com que o Imperador abdicasse do trono em 7 de abril de 1831 em nome do filho. Casou-se novamente três anos depois com Amélia Augusta Eugênia Napoleão de Leuchtemberg. Isabel Maria de Alcântara Brasileira. com Domitila de Castro Canto e Melo. De seu primeiro casamento nasceram Maria da Glória. em São Paulo. Paula. que morreu com nove meses e Maria Isabel II de Alcântara Brasileira.(Dô) regente do cargo.SEUS VULTOS . Somente em 1972. Francisca e Pedro de Alcântara.SUAS RUAS . seu corpo foi enterrado apenas com as honras de um general. com 36 anos. nasceram cinco filhos: um menino natimorto. coroada como Maria II. Com a reconquista do trono e a decretação da maioridade de sua filha. Além disso. 158 .ANÁPOLIS . Pedro de Alcântara Brasileiro. Pedro I contraiu uma tuberculose e morreu no palácio de Queluz. O nome completo do Imperador era Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon. que se tornou Dom Pedro II. Maria Isabel de Alcântara Brasileira. Januária. D. A sua popularidade entre os brasileiros começou a cair quando D. Apesar de comandar duas nações. no pavilhão de São Vicente de Fora. onde lutou para restituir sua filha ao trono.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Do segundo casamento teve a princesa Maria Amélia. João Carlos. os seus restos mortais foram transladados para o Monumento do Ipiranga. durante as comemorações dos 150 anos da Independência do Brasil. O primeiro Imperador do Brasil teve vários filhos. Pedro I demonstrou indecisão entre escolher o Brasil e Portugal para governar. que havia sido tomado pelo irmão Miguel. Já do seu relacionamento extraconjugal. Miguel. Pedro de Alcântara. a quem ele deu o título de Marquesa de Santos. Dom Pedro I retornou para Portugal. morto antes de completar um ano. Após a renúncia.

Pedro I e D. Dom Pedro I é considerado o Bolívar dos brasileiros e é o “Condestável” dos portugueses. Maria Leopoldina. Miguel e João Carlos. tão popular no começo – em que aderiu à Nação adotiva – e tão hostilizado no fim. Morreu D. guiou-se pela sabedoria de José Bonifácio Andrade e Silva.(Dô) Dom PEDRO I. as suas qualidades sobrepujaram os seus defeitos. no punho triunfante a Suprema Lei. no Rio de Janeiro. 159 . no dia 2 de dezembro de 1825 e faleceu em Paris. Por mais que o discutissem após a sua morte. Com a morte de seus irmãos mais velhos. sendo o sétimo filho e terceiro varão do casal de imperadores D. proclamado Dom Pedro I Imperador. São José DOM PEDRO II.SEUS VULTOS . Sem a monarquia de 1822.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . fundador do Império. Não importam os erros políticos que acabaram encurtando o seu governo. IMPERADOR DO BRASIL O segundo Imperador do Brasil nasceu no Palácio da Quinta da Boa Vista. num desafio à posteridade. a ponte da concórdia. E continua lembrado e o reverenciamos em todos os 7 de Setembro como se vivo fosse. que iluminou a jornada do seu Império.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . quase adolescente (nasceu em 1798) e ainda moço (faleceu aos 36 anos) aquém e além-mar. Sobre os desconcertos e os infortúnios. retalhou o País em estados soberanos. quando parecia ter renegado a democracia que anunciara. em dezembro de 1891. traçando entre o fim da monarquia e os novos tempos. herdou o direito ao trono do Brasil. Pedro I há mais de um século e meio. irradiando a majestade do patrono da nossa Independência! RUA DOM PEDRO II – B. em vez de abrir outros abismos da divisão e da guerra. Foi formidavelmente providencial. agiganta-se o gênio de condutor de massas. que faleceu quando o príncipe tinha apenas um ano. fulgor de estrela cívica.

chegou a se incorporar ao Exército nacional. em Minas Gerais e São Paulo.ANÁPOLIS . Entre 1864 e 1870. Enquanto o Brasil era governado por uma regência. mas somente dois sobreviveram: as princesas Isabel e Leopoldina. no dia 30 de maio. pintura e equitação. literatura. foram construídas as primeiras linhas telegráficas e a primeira estrada de ferro do país. casou-se com a princesa napolitana Teresa Cristina Maria de Bourbon. Neste primeiro período. em 18 de julho de 1841. teve quatro filhos. entre seus primeiros atos de governo. música. Durante o seu governo. Após nove anos de conflitos políticos internos no Brasil. D. Dom Pedro II foi declarado maior de idade pela Assembléia Legislativa. Pedro 2° iniciou os seus estudos com a sua camareira. decretou a anistia geral e restabeleceu o conselho de Estado. Com diversos mestres do seu tempo. dança. Manuel Inácio de Andrade Souto Maior. quando o país esteve envolvido na guerra contra o Paraguai. durante o período do cerco da cidade de Uruguaiana.SUAS RUAS . sendo sagrado e coroado um ano depois. Assumindo o poder. tentou buscar a pacificação do país. 160 . em 7 de abril de 1831. a condessa de Belmonte. e foi até o local do conflito. Com ela. atendendo a pressões do Partido Liberal.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . Mariana Carlota Magalhães Coutinho. em Pernambuco. ficou sob a tutela de José Bonifácio de Andrade e Silva e depois do marquês de Itanhaém. na Capela Imperial do Rio de Janeiro. ciências naturais. A imigração estrangeira e a instrução pública também receberam incentivos do Imperador. aprendeu outros idiomas. D.(Dô) Após a abdicação do trono e a partida de D. Pedro II ascendeu ao poder com apenas 6 anos. Dois anos após. Pedro I para Portugal. contornando diversas revoltas como a dos Liberais (1842). que por diversas vezes foi nomeado árbitro em litígios internacionais. numa viagem que durou seis meses. Até assumir de fato o poder. D. geografia. a Guerra dos Farrapos (1845) e a Insurreição Praieira (1848).

Nestas visitas sempre buscava trazer inovações tecnológicas para o país. Com a decretação de que teria que sair do país em 24 horas pelo governo provisório. viveu em Cannes. ocorreram o fim do tráfico negreiro. no dia 161 . como Louis Pasteur e Arthur de Gobineau. a libertação dos escravos sexagenários e a Lei Áurea. Em 1870.SEUS VULTOS . numa tentativa frustrada de sufocar o movimento. sancionada pela princesa Isabel. Alemanha e Itália. a Grécia.(Dô) Em seu Império. morre de pneumonia em um luxuoso hotel em Paris. para onde foi ao sair de Petrópolis. Com a proclamação da República. a implantação do sistema de esgotamento das duas principais cidades da época. onde a imperatriz morreu no dia 28 de dezembro. as divergências políticas acirraram-se e o surgimento do Partido Republicano neste ano deu início à decadência política do Império. em 15 de Novembro de 1889. como a câmera fotográfica.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que ocupava a Regência. fez a sua última viagem ao exterior como imperador. Versailles e Paris. Em 1887. Durante o seu reinado. sempre incentivando intelectuais e escritores. o Egito e a Palestina. excursionou pelo Brasil e visitou diversos lugares do mundo. Na Europa. a Lei do Ventre Livre (28 de setembro de 1871). ficou prisioneiro no paço da Cidade. Em Milão. São Paulo e Rio de Janeiro (1850). Interessado pelas letras e pelas artes. Aos 66 anos. chegou a ficar por um período internado devido a uma pleurisia. a Rússia. apesar dos problemas de saúde. onde participa de palestras. em 13 de maio de 1888. com o final da Guerra do Paraguai. chegando em Lisboa e depois indo em direção ao Porto. como a América do Norte.ANÁPOLIS . trocou correspondências com vários cientistas europeus da época. onde visitou a França. além do fim da escravidão. conferências e espetáculos de arte.SUAS RUAS . onde os registros de suas viagens se tornaram preciosidades históricas. Dom Pedro II deixou o Brasil e foi para Portugal com a família dois dias depois.

ou mesmo um projeto político específico. os restos mortais do imperador vieram para o Brasil. O nome completo de Dom Pedro II era Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Miguel Gabriel Rafael Gonzaga. encontrava-se desorganizada em virtude da política trabalhista de Vargas.SUAS RUAS . envolvendo “Constitucionalistas” e “ditatoriais” como se houvessem apenas duas situações possíveis naquele momento da história. integrantes de uma camada média que repudiava a política ditatorial adotada. que havia eliminado os setores mais organizados do movimento. onde foi colocado no convento de São Vicente de Fora. Seu corpo foi transladado para Lisboa. e que ainda hoje é motivo de comemoração e de debates por parte da sociedade paulista.(Dô) 5 de dezembro de 1891. A classe operária. para ela a luta seria contra a ditadura e a favor de uma Constituição. não refletia a situação política ideológica do país. os imigrantes italianos e suas tendências anarquistas e cooptava uma parte dessa classe com sua legislação inicial. formada principalmente por estudantes e profissionais liberais. onde se encontra sepultado. Em geral a Revolução de 32 é apresentada de forma maniqueísta. onde foram depositados na catedral do Rio de Janeiro e depois foram transferidos para a catedral de Petrópolis.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . essa camada não possuía organização política própria.SEUS VULTOS . No entanto. ainda pequena. juntamente com o de sua esposa.ANÁPOLIS . Durante o ano de 1932 organizou-se intensa propaganda contra o governo Vargas. A polarização militar que existiu de 9 de julho a 2 de outubro. Em 1920. que estimulou a organização de associações civis constitucionalistas. RUA 9 DE JULHO – Bairro São Lourenço 9 DE JULHO DE 1932 é a data de um movimento desencadeado em São Paulo. paternalista e 162 . onde vários projetos de poder se apresentavam.

e sim a velha oligarquia em seu propósito de recuperar o poder. 163 . impediam a volta do coronelismo. Dessa forma é que as elites acabaram por comandar o movimento de 32.SUAS RUAS . filha de tradicional família do Sudoeste do Estado. RUA DONA GERCINA (B. as oligarquias do café. Dr.SEUS VULTOS . Considerando dessa maneira. a São Paulo empresarial ou a São Paulo operária? . Dona Gercina foi o exemplo de raça da mulher goiana. na tentativa de recuperar o poder perdido. por si só.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . dos currais eleitorais. São Lourenço) DONA GERCINA BORGES. pois impediam que o Brasil retrocedesse. Essa versão considera que o movimento de 32 foi uma reação da elite tradicional. a nova elite paulista não foi derrotada. Historiadores modernos nos levam a notar como foi interessante a versão tradicional que pode ser favorável tanto aos getulistas como à nova elite paulista. Ao mesmo tempo. pois foi a responsável pela criação dos maiores serviços de assistência social de Goiás. Pedro Ludovico Teixeira. Sempre se fez presente com a sua atuação marcante na política de assistência aos mais necessitados em qualquer parte do nosso Estado. com a explosão socioeconômica do governo federal e da própria São Paulo. Se isso. A nova elite irá considerar-se vitoriosa moral e politicamente. teoricamente vencedores e perdedores. foi casada com a maior expressão política de Goiás. quando da convocação da Constituinte. mesmo através da guerra.(Dô) pelega. vista como prova de que Getúlio fora forçado a reconhecer a importância de São Paulo. do voto de cabresto. os getulistas tiveram um bom argumento para manter o poder.ANÁPOLIS . Qual São Paulo seria beneficiada pela política getulista? – A São Paulo cafeeira. Mulher dedicada e destemida foi a companheira dos momentos mais difíceis da carreira política de seu marido. principalmente no ano seguinte. Mas de qual São Paulo?.Essa resposta só seria obtida anos depois.

quando Anápolis era o centro de distribuição de toda carga e jornais diários que demandavam para os Estados de Mato Grosso. pois aqui se baseavam não só a Panair. É com boa lembrança que a carroça da história passeia por este logradouro. os responsáveis pela quebra da Panair. que nasce na jusante da Lagoa Formosa. Maranhão. Nacional.(Dô) não bastasse.é um conjunto de três imponentes morros que ponteiam para os céus .ANÁPOLIS . chamada de Serra Geral. no ano de 1965. como: Lóide Aéreo Brasileiro. com certeza. Sadia e Cruzeiro do Sul. que toma o rumo Oeste. no município de Planaltina de Goiás. naquela época.SUAS RUAS . ainda nos deu outro grande nome da nossa política: o Governador Mauro Borges Teixeira. Este é o caso da Panair do Brasil. possuidor de uma visão desenvolvimentista tão grande quanta a do seu pai.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .querendo salientar a sua importância geográfica. sete companhias que formavam o mundo da navegação aérea no Brasil. era o maior centro aeroviário do Centro-Oeste. sendo uma das primeiras companhias aéreas a se basear em nossa cidade. sem a menor dúvida. Aerovias Brasil. AVENIDA PANAIR (Jardim Vera Cruz) Nome forte é todo aquele que caracteriza um indivíduo ou uma entidade. Dr. a maior empresa de viação aérea do Brasil.no município de Cocalzinho de Goiás . Para nosso conhecimento e até certo orgulho. Estão localizados no cume de uma cadeia de montanha. isso lá pela da década de 40. é bom que saibamos que a nossa cidade. Consta dos nossos alfarrábios que foram os militares.SEUS VULTOS . atravessa Goiás 164 . Pedro Ludovico. mas também outras companhias. Vasp. Pará e todo o Norte do País. RUA DOS PIRENEUS – Jardim Vera Cruz PIRENEUS| . Júbilo pela lembrança do povo anapolino. fato provocado pela ascensão da Varig nesse mercado à época.

tomamos emprestados os versos que se seguem para homenagear a beleza dos: PIRENEUS Já de longe se avista bem no alto. Ao teu pé também o rio das Almas Da grimpa explode em borbotões E para o norte estende as águas calmas Buscando o rude caminho dos sertões. São marcos de Deus fincados no planalto No simbolismo eternal dos Pireneus. E correm para o sul qual viandante Buscando o mar que longe está. Estes morros tomam esse nome recordando a grande semelhança que existe entre essa cadeia de montanha e outra de igual importância.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . o divórcio aquário no Continente SulAmericano. Três picos brancos abraçando os céus. Com a permissão do Dr. indo ao encontro dos Andes chilenos. Aos seus garbosos pés já borbulhantes Nascem as águas mansas do Corumbá.SUAS RUAS .(Dô) e Mato Grosso. Olímpio Sobrinho. também chamada de Pyreneus. Garbosos picos que no planalto assentas Ao luar cintilas abraçando o céu. Forma-se ao longo dessa cadeia de montanhas um extraordinário feito geográfico. qual seja. que divide a França da Espanha e do mesmo modo forma o divórcio aquário no continente europeu. Nas noites frias quais noivas ostenta Na fronte erguida alvinitente véu! 165 .ANÁPOLIS .

A proposta foi aceita e o bandeirante retornou ao seio de seus familiares. juntamente com duas amigas.ANÁPOLIS . é publicado no "Anuário Histórico e Geográfico do Estado de Goiás". "O Poema dos Becos de Goiás e Estórias Mais". RUA CORA CORALINA – J. Passado todo esse tempo. muito debilitado e com saudade dos entes queridos. tendo criado. "Tragédia na Roça". mas foi o que nos ocorreu pesquisar levando em conta os seus feitos como valor a ser registrado pela nossa história. Village Lei Municipal nº.é a grande poetisa do Estado de Goiás. Cantídio. é lançado "Meu Livro de Cordel". pela editora 166 . Em 1934. torna-se vendedora de livros da editora José Olimpio que. Vai para Jaboticabal (SP). Em 1976. em 1965. a convite de Monteiro Lobato. Em 1911 conhece o advogado divorciado Cantídio Tolentino Brêtas. em 1922. História meio simplória desse personagem. lança seu primeiro livro. Ísis e Vicência. Jacintha. Enéias.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . empenhou com sua família para que intercedesse por ele junto aos governantes no sentido da sua liberação e que em troca indicaria a localização exata das minas de ouro que havia descoberto. em 1908. com quem foge. Por mais de duas décadas viveu refugiado na selva do interior. Em 1903 já escrevia poemas sobre seu cotidiano. Em 1910. 1703/1989 CORA CORALINA (Ana Lins dos Guimarães Peixoto Brêtas) — 20/08/1889/10-04-1985 .SUAS RUAS . onde nascem seus seis filhos: Paraguaçu.Jardim Village Bandeirante do começo do Século XX foi genro do senhor de engenho Fernão Dias Pais. Em 1928 muda-se para São Paulo (SP). Seu marido a proíbe de integrar-se à Semana de Arte Moderna. já com o pseudônimo de Cora Coralina. acusado de ter assassinado um fidalgo português. o jornal de poemas femininos "A Rosa".(Dô) RUA BORBA GATO . seu primeiro conto.SEUS VULTOS .

em 1989. em 1983. "Minha querida amiga Cora Coralina: Seu "Vintém de Cobre" é. é muito bem recebido pela crítica e pelos amantes da poesia. Seu corpo é velado na Igreja do Rosário... e "O Tesouro da Casa Velha da Ponte". que sensibilidade especial e que lirismo identificado com as fontes da vida! Aninha hoje não nos pertence.SUAS RUAS . Viveu 96 anos. É dela a contundente expressão: feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. que nascemos no Brasil e amamos a poesia ( . Em 1984. ao lado da Casa Velha da Ponte. É poesia das mais diretas e comunicativas que já tenho lido e amado. Sintam a admiração do poeta manifestada em carta dirigida a Cora em 1983: Drummond. Em 1980. Postumamente. após ler alguns escritos da autora. 167 .ANÁPOLIS . "Estórias da Casa Velha da Ponte" é lançado pela Global Editora. quinze netos e 19 bisnetos. foi doceira e membro efetivo de diversas entidades culturais.(Dô) Cultura Goiana.). tendo recebido o título de doutora "Honoris Causa" pela Universidade Federal de Goiás." Editado pela Universidade Federal de Goiás. como era de seu feitio. em 1986. para mim. Poetisa maior que as noites goianas. em 1997..SEUS VULTOS .. desperta o interesse do público leitor e a faz ficar conhecida em todo o Brasil. No dia 10 de abril de 1985. ao ser divulgada. falece em Goiânia. manda-lhe uma carta elogiando seu trabalho.. e de um ouro que não sofre as oscilações do mercado. seu novo livro "Vintém de Cobre .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . torna-se a primeira mulher a receber o Prêmio Juca Pato. moeda de ouro. a qual.Meias Confissões de Aninha". foram lançados os livros infantis "Os Meninos Verdes". como intelectual do ano de 1983.. É patrimônio de nós todos. Carlos Drummond de Andrade. Que riqueza de experiência humana. teve seis filhos. e "A Moeda de Ouro que um Pato Comeu".

através do seu Ministro da Fazenda Roberto de Oliveira Campos. Pelo lado materno possuía ancestrais militares. foi Presidente da República de 15 de abril de 1964 a 15 de março de 1967. todos descendentes do fidalgo português Francisco da Cunha Castello Branco e Silva. Mecejana-CE. Em sua carreira militar.G. (Fundo de Garantia de Tempo de Serviço). nasceu a 20 de setembro 1900. Com o apoio total do comando militar do movimento. Castello Branco faleceu em acidente de aviação no Ceará. 2 (AI-2). Militar e político brasileiro. Pelo lado materno descendia do escritor José de Alencar.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Cursou o Colégio Militar do Porto Alegre. estudando na Escola Superior de Guerra da França e na Escola de Comando e Estado maior. 5 (AI-5). nos Estados Unidos. Comandou o Estado maior do Exército brasileiro até a época da eclosão do movimento militar de 1964.ANÁPOLIS . em 18 de julho de 1967. que nada fez.S. Tornou-se cadete em 1918. RUA JONAS DUARTE – Bairro das Bandeiras 168 . o qual estabelecia a famigerada correção monetária e quebrava o contrato de trabalho. foi indicado por uma junta de políticos civis para concluir o mandato do presidente deposto. Castello Branco foi sucedido pelo General Costa e Silva. fez vários cursos de especialização no Brasil e no exterior.(Dô) RUA CASTELO BRANCO – Vila Marina HUMBERTO DE ALENCAR CASTELO BRANCO. transferindo-se depois para a Escola Militar de Realengo. Durante o seu governo foi editado o Ato Institucional nº.T. inclusive o próprio pai.SUAS RUAS . senão endurecer o regime e editar o hediondo Ato Institucional nº. estabelecendo em seu lugar o F. no Rio de Janeiro.SEUS VULTOS .

governando Goiás por cerca de onze meses. Homem de grande visão empresarial. como gerente das “Casas Pernambucanas”. não caberia nessa compilação. merecidamente. RUA LUIZ CAIADO DE GODOY – B. como também o de Prefeito. transferindo-se para esta cidade na década de 1930. Pedro Ludovico. juntamente com o Dr. àquela época. O senhor Jonas Duarte é considerado pela maioria da população como o melhor Prefeito que já teve Anápolis. Seu mérito maior para o progresso da cidade. abriu a estrada que liga Anápolis à Capital e construiu o estádio de futebol que. Convento Carmelitas. o SENAI.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . com a lentidão da carroça da história. entre outras. O senhor Jonas Duarte foi o retrato melhor revelado da história contemporânea da nossa cidade. S/A. quando teve oportunidade de assumir a titularidade do Poder por três vezes. e citar todo o acervo de suas realizações demandaria tempo que. doador das áreas de terras onde foram construídos o Abrigo dos Velhos de Anápolis.SEUS VULTOS . nascido no Estado do Espírito Santo. Silva Duarte. Nesse período assinou as leis da instalação de telefones automáticos da cidade. em 1944 foi um dos fundadores do Banco Imobiliário e Mercantil do Oeste Brasileiro.(Dô) JONAS FERREIRA ALVES DUARTE. tanto como Vice-Governador. foi a criação e implantação do Bairro Jundiaí. sócio majoritário da Cia. leva seu nome: “Estádio Jonas Duarte”. Colégio São Francisco de Assis. Seus vencimentos. construiu o Cine Imperial. Bandeiras 169 . eram distribuídos à Santa Casa e outras entidades de benemerência. Eleito Vice-Governador de Goiás. segundo a opinião de muitos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . o maior e o mais povoado núcleo habitacional de Anápolis. o primeiro. a maior revenda de automóveis do Estado. a sede do Tiro de Guerra e a Santa Casa de Misericórdia de Anápolis.

onde lecionou geografia. Dr. Foi agrimensor da Intendência Municipal de 1919 a 1932.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . matriculando-se na Faculdade de Agronomia “Luiz de Queiroz”. da Universidade de São Paulo. em Belo Horizonte.(Dô) LUIZ CAIADO DE GODOY nasceu na Cidade de Goiás. onde casou e constituiu família. Estado de São Paulo. Foi Venerável da Loja “Lealdade e Justiça II”. mas em todos os segmentos e clubes de serviços. é o arquiteto brasileiro mais famoso no mundo. no dia 21 de agosto de 1898.SEUS VULTOS . RUA OSCAR NIEMEYER – Bairro das Bandeiras OSCAR NIEMEYER SOARES FILHO. Trabalhou durante muito tempo com o conceituado arquiteto suíço Lê Corbuser no revolucionário desenho dos edifícios dos Ministérios da Saúde e da Educação. e participou ativamente de todos os movimentos sociais e de amparo aos necessitados. na cidade do Rio de Janeiro. da Universidade do Rio de Janeiro. Luiz está inserido na galeria das reservas morais do nosso passado.ANÁPOLIS . Capital do Brasil. 170 . desenho e ensino rural. Formado. Da sua arte e a do seu colega Lúcio Costa nasceu o Parque da Pampulha e a Igreja de São Francisco. Luiz Godoy ainda se destacou no meio social e maçônico da nossa cidade. onde fez seus estudos no Lyceu de Goiaz. Niemeyer foi o mais importante desenhador dos edifícios do Estado em Brasília. transferiu-se para Anápolis. É da sua lavra os famosos edifícios e monumentos de Brasília. Formou-se na Escola de Belas Artes. não só pela Maçonaria. Dr. ambos no Rio de Janeiro. nascido em 1907. quando ali ainda era a Capital do Brasil. mundialmente reconhecidos como obra de arte. Mais tarde mudou-se para Piracicaba. Diretor da “Escola Normal”. por encomenda do então Governador de Minas Juscelino Kubitschek de Oliveira.SUAS RUAS .

citamos a “Ordem de Comendador das Artes e Letras e a Medalha de Ouro da Academia de Arquitetura de Paris”. é um privilégio nosso sermos contemporâneos deste gênio! RUA ALBERICO BORGES CARVALHO – B. o diário mais antigo do Estado. militar de pequena graduação. RUA ARLINDO CARDOSO – Bairro Bela Vista ARLINDO PEREIRA CARDOSO. nascido em Meia Ponte.. Abandonou a carreira militar e foi ser o titular do cartório do registro civil da cidade. fundou em Anápolis a Escola de Instrução Militar nº. O jornalista Arlindo Cardoso faleceu em Anápolis em 1958. onde desempenhou as funções de secretário do Conselho Municipal e de agente do correio. quando ainda era chamada de Santana de Antas. mas a vida. sendo outro feito seu a direção do jornal “O Anápolis”. depois da Revolução dos anos 30. 375 de 1962) ALBERICO BORGES DE CARVALHO. é natural de Bela Vista-GO. Aliancista. – Oscar Niemeyer mora atualmente no Rio de Janeiro e aos 100 anos de idade é considerado o comunista mais convicto e antigo vivo do Brasil.SUAS RUAS .(Dô) Dentre centenas de homenagens e comendas recebidas. transferindo-se para nossa cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . no ano de 1929. no ano 1886. – “O mais importante não é a arquitetura.ANÁPOLIS . 215.” – Com certeza.SEUS VULTOS .. Suas obras encontram-se espalhadas pelos mais importantes países do mundo. Foi forte comerciante e grande pecuarista. 171 . Bela Vista (Lei Municipal nº. o amigo e este mundo injusto que devemos modificar. – Em 1958 é nomeado arquiteto-chefe da NOVACAP-Construtora da Nova Capital e transfere-se para Brasília. fez parte do Conselho Consultivo da Prefeitura Municipal.. hoje Pirenópolis. Faleceu em Anápolis em 1960.

da qual era seu presidente. em 1930.(Dô) RUA CARLOS DE PINA (Bairro Boa Vista) CARLOS DE PINA. Carlos de Pina foi um vulto importante para a nossa história. Começou pela construção do mercado municipal. Comerciante de larga visão fundou a primeira Cia Goiana de Armazéns Gerais. Político de influência no município foi eleito por duas vezes para dirigir o destino dos anapolinos. em 1951. Carlos de Pina foi o responsável pela criação da charqueada e o pioneiro na exportação de carne do nosso Estado. criador do PSD naquele Estado. foi um dos deputados integrantes da Comissão encarregada de examinar o anteprojeto de Constituição preparado pelo Governo Provisório. em 1955 – posição que lhe garantiu assumir a presidência da República após o impedimento de Carlos Luz. no local onde anteriormente havia apenas um alagado. RUA NEREU RAMOS – Bairro Bela Vista NEREU DE OLIVEIRA RAMOS (1888-1958). Apoiou a Revolução Constitucionalista de 1932 e. Presidente da Câmara de Deputados. nasceu em 1902 e faleceu em Anápolis em 1966. elegeu-se Deputado Federal por Santa Catarina.SEUS VULTOS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . em 1933. Bacharel em Direito e fundador do Partido Liberal Catarinense.SUAS RUAS . membro da tradicional família Pina. Durante a sua gestão houve um acentuado surto de progresso. 172 . filho de grandes proprietários de terras. Nasceu em Lages-SC. período este em que Anápolis sentiu um grande impulso no seu desenvolvimento. bem ali no fim da hoje Rua General Joaquim Inácio.ANÁPOLIS . oriunda de Meia Ponte. e Vice-Presidente do Senado. Deu início ao importante serviço de captação de águas da cidade e ainda o asfaltamento de algumas ruas. Nereu Ramos foi governador do Estado de Santa Catarina.

hoje Cidade de Goiás. com mandato até 1958. membro de tradicional família goiana. antes de entrar para a política em 1925. cumprindo ao município as demais despesas com o custeio e 173 . Terminado o seu curso acadêmico. dedicou seu tempo à profissão de médico. e a continuidade democrática. projetou a figura do Ministro da Guerra Henrique Dufles Batista Teixeira Lott. onde o Conselho Municipal de Anápolis. apresentou e defendeu a tese de Doutoramento “Contribuição do Estudo Exoftalmo Pulsátil e seu Tratamento Cirúrgico no Brasil”. até 1954. Ramos Caiado foi eleito Senador em 1930-1934. Retornou a Goiás. 213 de 30/11/1925. em 1924.SEUS VULTOS . autorizando o respectivo Intendente Municipal a fazer a doação ao Estado do necessário prédio.ANÁPOLIS . com mandato até 1929. nasceu em Vila Boa. quando foi eleito Governador do Estado. por ter assegurado a posse de Juscelino Kubitschek de Oliveira e de João Goulart. fez seus estudos preliminares no Lyceu de Goyaz. modelado pelas leis em vigor. após o suicídio de Vargas. exercendo por pouco tempo a profissão de médico e professor. a fim de ser o referido grupo provido de diretor e professores. A crise política em que mergulhara o país. transferindo-se para o Rio de Janeiro. Todos esses fatos ocorreram enquanto Nereu Ramos era presidente. quando foi eleito Prefeito de Goiânia. em sua curta passagem pela Presidência da República (11/11/1955 – 31/01/1956).NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . A denominação dessa rua como Ramos Caiado se liga mais á Lei nº. onde concluiu o curso de medicina na Faculdade de Medicina e Cirurgia. completar o quadriênio presidencial. Findo o seu mandato de governador. eleitos em 1955. fez construir um grupo escolar. RUA RAMOS CAIADO – BRASIL RAMOS CAIADO.(Dô) Coube a Nereu Ramos. quando do seu retorno a Goiás.SUAS RUAS .

em 1932 e exerceu as atividades de fazendeiro e comerciante com grande atuação nesses ramos. Dona Berenice foi deputada estadual por dois mandatos. DR.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . em 29 de janeiro de 1916. ZAQUEU CRISPIM. Formou-se com distinção em Direito.SUAS RUAS . 174 . sendo este o primeiro grupo escolar de Anápolis. Brasil Caiado”. 455 de 1964) Este benemérito cidadão.(Jardim Bom Clima) (Lei Municipal nº. Mulher de personalidade marcante e política de grande atuação no Estado. enquanto Delegado de Polícia. Delegado de Polícia que deixou marcada a sua passagem pela nossa cidade. que foi nomeado Secretario de Segurança Pública do Estado nos anos 1951/1952. Zaqueu foi destaque na administração municipal daquele tempo. RUA ZAQUEU CRISPIM .SEUS VULTOS .ANÁPOLIS . Nessa data foi nomeado diretor do grupo o cidadão Alarico Torres Verano e o novel estabelecimento de ensino denominado de “Grupo Escolar Dr. A Deputada Berenice ocupou a 1ª Secretaria daquela Assembléia. aos 64 anos. vindo a falecer em 1959. De tal forma era o destaque deste anapolino. 1950/54 a 1955/1958. ocupou a viceintendência do Município e foi Juiz Municipal. Pela primeira vez uma mulher chegou ao cargo de direção daquela Casa de Leis. filho de uma das mais tradicionais famílias anapolinas. já se destacava nesse setor. nos meio social e político do Estado. RUA BERENICE ARTIAGA – Bairro Bela Vista BERENICE TEIXEIRA ARTIAGA nasceu em Santa Cruz de Goiás. Foi casada com o Coronel Getulino Artiaga.(Dô) manutenção do prédio. Dr. nasceu aqui mesmo em nossa cidade no ano de 1895. Dona Berenice mora hoje em Goiânia.

a primeira demonstração pública de um veículo levantando vôo por seus próprios meios. possivelmente. apesar de alguns países considerarem os Irmãos Wright como os inventores do avião. O vôo do 14-Bis foi o primeiro verificado pelo Aeroclube da França de um aparelho mais pesado que o ar na Europa e. e por isso Santos Dumont é considerado por parte da comunidade científica e aeronáutica e principalmente em seu país de origem. em Paris. jornalistas e da população parisiense. no Campo de Bagatelle. Santos Dumont foi o primeiro a cumprir um circuito pré-estabelecido sob testemunho oficial de especialistas.SUAS RUAS . Em 23 de outubro de 1906. repetiu o feito e. diante de uma multidão de testemunhas. como o Pai da Aviação. Dr. dentre outros segmentos de assistência social. 20 de julho de 1873 — Guarujá.e pioneiro da aviação. percorreu 220 metros a uma altura de 6 metros. A casa onde nasceu Alberto Santos Dumont situa-se no 175 . o Brasil. Grande benemérito esse Dr. pôde se dedicar aos estudos da ciência e da mecânica vivendo em Paris. Ao contrário de outros aeronautas da época. Ele foi o primeiro a decolar a bordo de um avião. Zaqueu Crispim. Menos de um mês depois. 23 de julho de 1932) foi um engenheiro apesar de não ter tido formação acadêmica nessa área . RUA SANTOS DUMONT (Setor Bouganville) Alberto Santos Dumont (Palmira.SEUS VULTOS . O 14 Bis teve uma decolagem autopropelida. por uma decolagem ocorrida em 17 de dezembro de 1903. Zaqueu.ANÁPOLIS . impulsionado por um motor aeronáutico. deixava suas pesquisas como domínio público e sem registrar patentes.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Herdeiro de uma família de cafeicultores prósperos. voou cerca de 60 metros e a uma altura de 2 a 3 metros com seu 14-Bis. foi o idealizador e um dos responsáveis pela construção do “Abrigo dos Velhos de Anápolis”. sem ser catapultado.(Dô) Vulto reluzente da Maçonaria de Anápolis.

sendo eleito Governador do Estado. sendo eleito com expressiva votação. e dando ênfase à cultura da história de Goiás.SEUS VULTOS . De volta ao seu Estado. nascido em 15 de dezembro de 1916 e filho de David Ferreira e Risoleta Carvalho Ferreira.SUAS RUAS . Também em Petrópolis existe o Museu de Santos Dumont RUA JOSÉ FELICIANO (Calixtolândia) JOSÉ FELICIANO FERREIRA. implementou uma dinâmica que elevou o conceito daquele estabelecimento bancário em toda a região. RUA EURÍPEDES JUNQUEIRA – (Calixtolândia) EURÍPEDES BARSANULFO JUNQUEIRA nasceu em Nova Veneza-Goiás. com mandato até 1961. com mandato até 1950. Fez seus estudos no Ginásio Mineiro e Diocesano de Uberaba. natural de Jataí – GO. com sua veia política latente.(Dô) município de Santos Dumont. permanecendo na Assembléia Legislativa até dezembro de 1955. O local foi transformado no Museu de Cabangu. quando recuou da política para cuidar dos seus interesses na advocacia e assuntos agropecuários.ANÁPOLIS . José Feliciano ainda exerceu o cargo de senador nos períodos de 1961 a 1963 e 1963 a 1971. quando se candidatou a deputado estadual. onde marcou a sua passagem desenvolvendo um dinâmico processo de educação escolar. diplomando-se anos depois em advocacia pela Faculdade Nacional de Direito. zona da mata mineira. começando como Secretário de Estado de Educação e Cultura do Estado de Goiás. 176 . a 240 km de Belo Horizonte e 220 km do Rio de Janeiro. No ano de 1945 foi eleito vereador por Goiânia. Somente em 1959 voltou à política.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . desenvolveu este mister. Presidente do Banco do Estado de Goiás. em 20 de dezembro de 1934.

Eurípedes foi também Vice-Presidente da Federação de Agricultura do Estado de Goiás. sendo posteriormente eleito Grão Mestre do Grande Oriente do Estado de Goiás.(Dô) concluiu todo o ensino básico em Anápolis. Eurípedes Junqueira é membro do Conselho de Administração da Universidade de Anápolis-UNIANA. Diretor e professor do Colégio Estadual José Ludovico de Almeida. e Secretário de Estado da Administração no Governo de Goiás Leonino Ramos Caiado e Procurador Geral de Justiça no Governo Ary Valadão. Domingos da Silva Rabelo e da doméstica Francisca Alexandre Siqueira. chegou a ser Venerável da Loja Maçônica Lealdade e Justiça II. filho do fabricante de vasilhas de flandres.SEUS VULTOS . 177 . professor Hely Alves Ferreira. Títulos e Documentos e Protestos da Comarca de Anápolis. sendo atualmente titular do Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas. em Anápolis. foi 1º Secretário da Prefeitura Municipal de Anápolis nas gestões do senhor Carlos de Pina. Presidente do Rotary Club de Anápolis e Governador do Distrito 4. senhor Jonas Duarte e Dr. teórico e um dos líderes da Confederação do Equador. Raul Balduino.530 de Rotary Internacional. Dr. bacharelando-se em Direito pela FADA-Faculdade de Direito de Anápolis. Figura de alto conceito no mundo maçônico de Goiás. chegando a exercer interinamente a Presidência.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . RUA FREI CANECA (Calixtópolis) JOAQUIM DO AMOR DIVINO RABELO. nasceu no Recife.ANÁPOLIS . de Anápolis. a 20 de abril de 1779. Fundador e Presidente da Cooperativa de Crédito Rural de Anápolis e Presidente do Sindicato Rural de Anápolis. destaque do nosso mundo político e social.SUAS RUAS . Eurípedes Junqueira. Exerceu o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal de Justiça Maçônica do Grande Oriente do Brasil.

marechal Deodoro da Fonseca. e mandato a Salvador. juntamente com outros líderes do movimento. torna-se professor de retórica. onde teve aulas com Benjamin Constant. quando retorna ao Recife. A 25 de dezembro de 1823. que é condenado à forca.SUAS RUAS . poesia. Campos Elísios HERMES RODRIGUES DA FONSECA nasceu no dia 9 maio de 1855. é instalada a comissão militar (presidida pelo coronel Francisco de Lima e Silva. no Convento do Carmo no Recife. era 178 . através do qual defende idéias liberais e a Constituição e ataca o poder absolutista. os revolucionários proclamam a Confederação do Equador.SEUS VULTOS . é preparado o cenário para o enforcamento. e ganhou o apelido de Frei Caneca. pai de Duque de Caxias) para o julgamento de Frei Caneca. mas três carrascos não têm coragem de enforcá-lo. Hermes também foi militar e estudou na Escola Militar de Realengo. A 18 de dezembro de 1824. Participa da Revolta Pernambucana de 1817. só sendo libertado em 1821. no Recife. Quando seu tio proclamou a república brasileira. é preso. Frei Caneca. no Rio Grande do Sul. A 29 de novembro daquele mesmo ano. em 1824.Quando. é fuzilado.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . A 13 de janeiro de 1925. a 2 de julho. por um pelotão comandado pelo coronel Francisco Lima e Silva. . no Recife. geometria e filosofia. na cidade de São Gabriel. RUA MARECHAL HERMES – B.(Dô) Aos 22 anos de idade ordenou-se frade carmelita. então. naquele mesmo dia e local. começa a publicar o seu jornal Typhis Pernambucano. no Forte das Cinco Pontas. a repressão Imperial derrota os revolucionários que são recolhidos à cadeia. Bahia. – Intelectual respeitado em Pernambuco. aumenta a agitação liberal em Pernambuco e. Dom Pedro I outorga a Constituição Imperial. Sobrinho do primeiro Presidente da República.ANÁPOLIS .

como um dos fundadores do Clube Republicano do Círculo Militar. quando chegou a marechal. nomeado pelo Presidente Rodrigues Alves.SUAS RUAS .(Dô) capitão-ajudante-de-ordem e participou da causa. entre eles a Revolta do Forte de Copacabana (1922). desde 1878. o maçom primacial nas ocorrências 179 . em 1781. Foi comandante da Escola Preparatória e Tática de Realengo. que o levou à prisão por seis meses. praticou uma política chamada por ele de salvacionista. comandou a Brigada Policial do Rio de Janeiro. em 1914. o barão de Teffé. retirou-se para Petrópolis. Hermes da Fonseca envolveu-se em diversos incidentes políticos. Ledo foi. Foi eleito presidente da República em 1910. intrépido patriota. responsável pela articulação do movimento que derrubou a monarquia. casou-se com Nair de Teffé. Campos Elísios JOAQUIM GONÇALVES LEDO. em 1906. com o apoio dos conservadores. de 27 anos e filha do almirante Antônio Luis Hoonholtz. infelicidade que o privou dos recursos ideais para a realização do seu grande sonho. De 1899 a 1904. Libertado. onde morreu poucos meses depois. Em 1913. Em sua juventude já sonhava com a Independência do Brasil. incontestavelmente. Quando deixou o poder. aos 58 anos e ainda na presidência.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . reorganizou o Exército e introduziu o serviço militar obrigatório em 1908.ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . que tinha como objetivo recuperar para os militares a influência já exercida anteriormente na esfera pública brasileira. E em 1820 pregava a República nas reuniões secretas da sua Loja Maçônica. RUA GONÇALVES LEDO – B. No governo. Indicado para o cargo de Ministro da Guerra do governo Afonso Penna. nascido no Estado do Rio de Janeiro. não pôde bacharelar-se pela Universidade de Coimbra em virtude do falecimento do seu progenitor. em setembro de 1923.

como. em meados do referido mês de maio. escritas ou faladas.(Dô) que ocasionaram a emancipação política do país. justamente. aguardar os votos da Câmara e Procuradores Gerais da Província. coisa resolvida na Maçonaria. respondeu.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . solicitando ao príncipe regente que aceitasse o título de “Protetor e Defensor Perpétuo do Brasil”. para o movimento político: “o fico”. Em 1921. Este convocou o Senado e a Câmara. aniversário do Rei D. José Clemente Pereira. cada vez mais. o jornal “Reverbero”. esforçando-se para que José Bonifácio entrasse para a Maçonaria. suas palavras. ou seja. Ledo trabalhava grandemente por seu ideal. Logo no mês seguinte Ledo redige o discurso que o Presidente do Senado. ainda teve a iniciativa da convocação de uma Constituinte. realmente. Ministro da Guerra em 1922: “O Chefe supremo. que ouvindo o discurso de Clemente Pereira. João VI. e dedica ao príncipe. Gigante do pensamento. brilhavam pelo estilo e beleza das imagens. 180 . E. o clarim das liberdades nacionais. para adaptarem imediatamente a resolução de fazer. como pedras preciosas. No mês de setembro. nessa rua a carroça da história dá uma parada para alertar a todo historiador que se dedicar ao estudo da História da Independência Brasileira. fundou com o Irmão Cônego Januário da Cunha Barbosa. que ele verá no vulto Gonçalves Ledo. devia proferir no dia 13 de maio. a alma de todo o movimento revolucionário foi o grande fluminense Joaquim Gonçalves Ledo”.ANÁPOLIS . E em 22 de dezembro mandou convidar José Bonifácio. em São Paulo. sendo encarregado de formular a representação dirigida a D. eletrizando o povo brasileiro e orientando a opinião pública.SUAS RUAS . a fim de decidir o caso. em tal conformidade. Pedro I e entregue a Clemente Pereira. a sua saliente participação nos acontecimentos que a prepararam. Gonçalves Ledo. segundo declarações do irmão General Luiz Pereira da Nóbrega de Souza Coutinho. na qualidade de seu diretor máximo.SEUS VULTOS . seduzindo. o batizou.

Coronel José da Silva Batista. RUA JOSÉ BONIFÁCIO – B. Foi o primeiro brasileiro a ocupar um ministério. para formarem uma só nação. e exclamando: “Não se ouça entre vós outro grito que não seja União!” Do Amazonas ao Prata não retumbe outro eco que não seja –INDEPENDÊNCIA! Por mais que se possa parecer exagero da parte do autor – sem medo de errar – ele se atreve a uma comparação: resguardemos a proporção. recapitulava as providências tomadas iniquamente contra o mesmo Brasil. tornou-se Chefe de Polícia do Porto. no ano de 1807. tendo servido como oficial e depois como comandante. Campos Elísios JOSÉ BONIFÁCIO DE ANDRADE E SILVA. os planos da Corte para desunir as providências umas das outras. como Gonçalves Ledo esteve para a história do Brasil. Expulsos os invasores. está para a história de Anápolis. . em 13 de junho de 1763. etc”. Foi professor de geognosia e metalúrgica da Universidade de Coimbra. Tornou-se figura de projeção política a partir de 1821. Por ocasião da invasão francesa em Portugal.SEUS VULTOS . o do Reino.ANÁPOLIS . convocando.(Dô) “Por intermédio da ação convincente de Gonçalves Ledo.SUAS RUAS . em 181 . as desfeitas sofridas pelos deputados brasileiros em Lisboa. todas as províncias do Norte e do Sul. admiravelmente. o Príncipe Regente justificou a sua resolução de ficar no Brasil.Concluía o Príncipe. Após retornar ao Brasil. e se declarar o defensor perpétuo e convocar um Congresso. e membro da Academia de Ciências de Lisboa. onde havia se graduado em Filosofia Natural e Direito Civil. mas é justo dizer que o nosso herói.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . dedicou-se ao estudo de minerais. cognominado o Patriarca da Independência. alistou no Corpo Voluntário Acadêmico. estadista brasileiro. como vice-presidente da Junta Governativa de São Paulo. nasceu na cidade de Santos – SP.

Sua grande capacidade. principalmente. iniciando a oposição a D. pela Regência. foi residir na Ilha de Paquetá. de cujo retiro saiu apenas para assumir a cadeira de deputado pela Bahia. ocupava a Pasta do Império.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . No Primeiro Reinado. um grande líder político.(Dô) janeiro de 1822. ordenadas por Dom Pedro I.SUAS RUAS . Panteão dos Andradas e a casa 15 de Novembro. Praça da Independência. Foi destituído da tutoria. filósofo. afastou-se dos Conselhos da Coroa. ao abdicar à Coroa. – Tendo voltado ao Brasil em 1829. RUA GENERAL OSÓRIO – B. com o seu irmão Martim Francisco. no centro da cidade. quando. poliglota e. junto a Dom Pedro. a 10 de maio de 1808 e falecido no Rio de 182 . Campos Elísios MANUEL LUÍS OSÓRIO. aonde veio a falecer em 1838. seus dotes de inteligência e de caráter tornaram-no. como suplente. teve sua prisão e deportação para a Europa.ANÁPOLIS . nascido em Conceição do Arroio – RS. Rio de Janeiro. Nesse ano. Reaproximou-se do Imperador que. nas sessões legislativas de 1831 e 1832. quando terminou o processo-crime instaurado contra ele por conspiração e perturbação da ordem pública. em 1831. Foi eleito para a Assembléia Constituinte de 1823. o principal obreiro da Independência.SEUS VULTOS . Ficou em prisão domiciliar até 1835. o indicou para tutor do seu filho – o futuro Dom Pedro II. Praça José Bonifácio. um cientista. Mudou-se nos últimos dias de vida para Niterói. Sua importância para o País e sua cidade Santos é tamanha que até foi proposta a mudança do nome do município para Cidade Andradina ou Bonifácia na época da elevação da categoria de vila para cidade. Pedro I. em 1823. em setembro de 1833. Estes monumentos homenageiam o mesmo homem.

as mais significativas foram os títulos de “Barão de Herval” (1866) e “Marquês de Herval”. Ao eclodir a Guerra da Tríplice Aliança (18641870). Ao longo de sua vida foram inúmeras as condecorações. È o patrono da Arma de Cavalaria do Exército Brasileiro. RUA PRUDENTE DE MORAIS–B. no dia 3 de dezembro de 1902. Nascido na cidade de Itu-SP. manteve-se no Exército Imperial e participou das campanhas platinas. Durante os anos 1835-1845. vindo a se destacar como um dos grandes comandantes brasileiros. Osório foi substituído pelo general Polidoro Jordão. organizado no Rio Grande do Sul.SEUS VULTOS . e passou a comandar o III Exército. tomou parte ativa no cerco a Montevidéu. Foi um militar e político brasileiro. governou de 15 de novembro de 1894 a 15 de novembro de 1898.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . sendo sua eleição através do voto direto. Após a invasão do território do Paraguai. durante a Guerra da Cisplatina. Filho de pais humildes adquiriu fama e prestígio enquanto galgava os postos do Exército brasileiro. Encerrada a Revolta. em 1851. Iniciou a carreira militar aos catorze anos de idade. De todas. recebeu o comando do Exército brasileiro. em 1869. herói da Guerra da Tríplice Aliança.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . sobretudo na Batalha de Tuiutí.(Dô) Janeiro em 4 de outubro de 1879. Osório lutou bravamente toda a Guerra dos Farrapos. medalhas e comendas. tendo participado ativamente da Guerra contra Oribe e Rosas. com as quais Osório foi agraciado. combatendo as tropas do Exército português estacionadas na Província Cisplatina (atual Uruguai). durante a Guerra da Independência do Brasil (1822-1823).Campos Elísios PRUDENTE JOSÉ DE MORAIS E BARROS. Político e 183 . foi presidente do Brasil durante o segundo período de Governo Republicano. Posteriormente.

Pouco depois de ter reassumido o cargo. Após deixar o poder. no qual sucumbiu o Ministro da Guerra. Prudente José de Morais e Barros faleceu em Piracicaba-SP. pelo reatamento de relações diplomáticas com Portugal. Vicepresidente do Senado no período entre 1891 e 1894. do voto de cabresto e de outros instrumentos políticos. RUA EVARISTO DA VEIGA– (Campos Elísios) 184 .SEUS VULTOS . perante a Inglaterra. sucedendo a Floriano Peixoto. defendendo várias reformas constitucionais. Com Prudente de Morais. desfeitas desde 1893. por 122 a 95 votos. em 16 de março de 1895. que irrompera no ano anterior à sua posse.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . com o advento da República. o mesmo que. foi derrotado por Deodoro da Fonseca. primeiro presidente civil da república. e pela fixação definitiva. durante a primeira República. Prudente de Morais foi um dos chefes do Partido Republicano Paulista. membro da junta governativa de seu estado. convulsionado pela Revolução Federalista. Entre 10 de novembro de 1896 e 4 de março de 1897 Prudente de Morais esteve substituído.ANÁPOLIS . elegeu-se para a Presidência da República em 15 de novembro de 1894. no dia 2 de dezembro de 1902.SUAS RUAS . Senador à Constituinte de 1890.(Dô) estadista. foi designado seu presidente. que controlariam o estado brasileiro por meio da chamada política dos governadores. comandou a expedição contra Canudos. inclusive a que restabeleceu a eleição indireta. da posse da ilha da Trindade pelo Brasil. algum tempo antes. Candidato à Presidência da República para o primeiro quatriênio. subiram ao poder as oligarquias agrárias de Minas e São Paulo. pelo vice-presidente Manuel Vitorino Pereira. Prudente foi objeto de um atentado em 5 de novembro de 1897. por motivos de saúde. Marechal Carlos Machado Bittencourt. Seu governo caracterizou-se pela pacificação do Rio Grande do Sul. tornando-se. Prudente de Morais chefiou uma dissidência do Partido Republicano.

185 . político.SUAS RUAS . onde foi colega de Pedro Luís.(Dô) EVARISTO DA VEIGA nasceu no Rio de Janeiro. Desencantado com a vida pública. estudando dos 11 aos 13 anos no Instituto Freeze. tornando-se um dos precursores do romantismo no Brasil. RJ. Fazenda da Prata. e faleceu em Nova Friburgo.SEUS VULTOS . porém. sobretudo. em Correntezas. RUA CASSIMIRO DE ABREU– Campos Elísios) CASSIMIRO JOSÉ MARQUES DE ABREU. em 18 de outubro de 1860. poeta. em Nova Friburgo (18491852). na propriedade materna. acentuando assim o caráter ilegal de uma origem que pode ter causado bastante humilhação ao poeta. por escolha do fundador Teixeira de Melo. nasceu em Barra de São João.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Ao contrário dos pasquins da época e outros periódicos “oficiais” que proliferavam naquele tempo. em 4 de janeiro de 1839. seu grande amigo para o resto da vida. Jornalista.ANÁPOLIS . onde se dedicou à literatura. passando a viver em Minas Gerais. De orientação liberal. RJ. no ano de 1799. 6 da Academia Brasileira de Letras. trazia como lema “liberdade e ordem legal”. Recebeu apenas instrução primária. o seu é tido como o primeiro jornal sério da cidade do Rio de Janeiro. Em 1827 fundou o jornal “Aurora Fluminense”. falecendo no mesmo ano. escritor e partidário pela independência. Voltou ao Rio de Janeiro em 1837. O pai nunca residiu com a mãe de modo permanente. Era filho natural do abastado comerciante e fazendeiro português José Joaquim Marques Abreu e de Luísa Joaquina das Neves. É o patrono da Cadeira n. fecharia o jornal em 1835. sendo reeleito por mais três mandatos. Passou a infância. Três anos mais tarde Evaristo elegeu-se deputado pela província das Minas Gerais.

SUAS RUAS . seis meses depois do pai. Revista Popular e no jornal Correio Mercantil. Animava-se em festas carnavalescas e bailes e freqüentava as rodas literárias. onde continuou residindo a pretexto de continuar os estudos comerciais. Fernando (1856). recolhe-se à fazenda de Indaiaçu. No mesmo ano de 1856. e já colaborava na imprensa portuguesa. morreu o pai. voltou ao Rio. seus companheiros em rodas literárias.(Dô) Em 1852 foi para o Rio de Janeiro praticar comércio. nas quais era bem relacionado. em 1859. faltando três meses para completar vinte e dois anos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . trabalhavam dois moços igualmente brilhantes: o jornalista Manuel Antônio de Almeida e o revisor Machado de Assis. Doente de tuberculose buscou alívio no clima de Nova Friburgo. e a que se submetera por vontade do pai. atividade que lhe desagradava. com o qual viajou para Portugal no ano seguinte. com inocente ternura e sensibilidade quase infantil. 186 . que sempre o amparou e custeou de bom grado as despesas da sua vida literária. exaltando as belezas do Brasil e cantando. o jornal O Progresso imprimiu o folhetim Carolina. e na revista Ilustração Luso-Brasileira saíram os primeiros capítulos de Camila. Publicou As Primaveras. Rebelo da Silva e outros. O Espelho. Não escrevia apenas versos. recriação ficcional de uma visita ao Minho.SEUS VULTOS . Em 1860. onde veio a falecer. Sem obter melhora. Em Lisboa iniciou a atividade literária. Colaborou em A Marmota. Nesse jornal. No ano de 1857. ao lado de Alexandre Herculano.ANÁPOLIS . Ele só tinha dezessete anos. em São João. de Francisco Otaviano. Lá compôs também o drama Camões e o Jaú. apesar das queixas românticas feitas contra a imposição da carreira. representado no teatro D. terra de seu pai. publicando um conto e escrevendo a maior parte de suas poesias. A paixão absorvente que consagrou à poesia justifica a reação contra a visão limitada com que o velho Abreu procurava encaminhá-lo na vida prática. suas saudades do país.

(Dô) Aqui a carroça da história pára e ouve do poeta jovem a sua lamúria: “Ó! Que saudades que eu tenho. “O Meu Livro Negro”.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . do insone Álvares de Azevedo. das chácaras e jardins. No poema “Violeta” configura a teoria do amor romântico. pela mãe e pela irmã. a exaltação da juventude. que os anos não trazem mais. Ele pôde sublimar em lânguida ternura a sensualidade robusta. expressa. a religiosidade ingênua. 187 . através de um estilo espontâneo.. Colocado entre os poetas da segunda geração romântica. devendo. macerados. esta era a linha da sua poesia. nos quais não se sente a tensão das vigílias. emoções simples e ingênuas.SEUS VULTOS . dos seus poemas essencialmente diurnos. o pressentimento da morte. Em sua poesia. menos compacto. da aurora da minha vida. onde se arma a rede para o devaneio ou se vai namorar quando rapaz. a saudade da terra natal. A sua visão do mundo externo está condicionada estreitamente pelo universo do burguês brasileiro da época imperial. ao contrário.”. envolvidas num misto de saudade e de tristeza. noutros o drama apenas se infiltra. que melhor transmite a cadência da inspiração “doce e meiga” e o ritmo mais cantante. embora quase sempre bem disfarçada. Casimiro de Abreu desdenha o verso branco e o soneto. o gosto da natureza. nostalgia da infância. é o único momento de amargura violenta e rebeldia mais acentuada. da minha infância querida. ser manifestado com o maior brilho e delicadeza possível o que for idealização de conduta. segundo a qual devem ficar subentendidos os aspectos sensuais mais diretos. a devoção pela pátria e a idealização da mulher amada. À simplicidade da matéria poética corresponde amaciamento paralelo da forma.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . talvez exagerada no sentimentalismo e repleta de amor pela natureza. as emoções se sucedem sem violência.. em toda a sua obra. Estão ausentes na sua poesia a surda paixão carnal de Junqueira Freire. prefere a estrofe regular. Trata de uma natureza onde se caça passarinho quando criança. ou os desejos irritados.

cumulativamente. romance inacabado (1856). Contava com a Infantaria Divisionária (três Regimentos). o General de Divisão João Baptista Mascarenhas de Moraes. com um Batalhão de Engenharia. para melhor desempenho na guerra de então. RUA DOS PRACINHAS – Jardim Eldorado Para combater o inimigo em terras da Europa (alemães e italianos). romance (1856). pelo General Mascarenhas de Moraes e era a força de operações de combate.SUAS RUAS .ANÁPOLIS . comandada pelo General de Brigada Euclydes Zenóbio da Costa. em São Gabriel. nascido em 13 de novembro de 1883. A Virgem Loura. no Rio Grande do Sul. A Divisão de Infantaria (1ª DIE) foi comandada.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . nomeando. serviços e outros órgãos de apoio logístico. Carolina. em 28 de dezembro do mesmo ano. As primaveras (1859). comandada pelo general de Brigada Oswaldo Cordeiro de Farias. um de saúde. prosa poética (1857). 188 . junto com as Forças Aliadas. Camila. em 9 de agosto de 1943. para comandá-la. Os participantes da FEB. o Governo brasileiro criou. teatro (1856). A FEB foi organizada nos moldes americanos.SEUS VULTOS . passaram por rigorosa inspeção de saúde e seleção física. A FEB foi constituída de uma Divisão de Infantaria Expedicionária e de Órgãos não Divisionários. e unidades menores de outros serviços.(Dô) Escreveu as seguintes obras: Camões e o Jaú. Os seus integrantes (pracinhas) foram originários de todos os Estados do Brasil.Força Expedicionária Brasileira. a FEB . um Esquadrão de Reconhecimento. e receberam intensivo adestramento. com a Artilharia Divisionária (quatro Grupos de Artilharia e uma Esquadrilha de Ligação e Observações). Páginas do coração. com tropas de todas as armas. militares da ativa ou da reserva convocados.

Depois proclamada a independência do Brasil. da qual se tornou patrono. Em 1942. embarcou como praticante de piloto na fragata Niterói.. o Brasil declarou guerra às potências do Eixo (Alemanha. em resposta ao torpedeamento de vários de seus navios mercantes.SUAS RUAS . durante o tempo em que esteve em combate. desde pequeno viajava atento às manobras dos barcos e às práticas de navegação. Pedro I. a Divisão brasileira sofreu mais de 400 baixas por morte em ação. Participou da luta contra o general Inácio Luís Madeira de Melo. sob o comando do almirante João Taylor. Designada para operar na Itália. o almirante. quando da organização da Marinha empreendida por D. o País enviou para o teatro de operações europeu uma força expedicionária organizada em curto espaço de tempo. Antes que o conflito terminasse. compondo o V Exército dos Estados Unidos da América. havia feito mais de 15.000 prisioneiros de guerra e capturado duas divisões inimigas.(Dô) A II Guerra Mundial trouxe modificações significativas na evolução do Exército Brasileiro. alistou-se como voluntário e.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . JOAQUIM MARQUES LISBOA. Itália e Japão).SEUS VULTOS . RUA TAMANDARÉ – B. Filho de um capitão de milícias. 189 . Em 1944. aos 15 anos. Nada mais justo do que essa lembrança aos pracinhas. na Bahia e da perseguição da esquadra portuguesa até a foz do rio Tejo. Itamaraty O nome do almirante Tamandaré esteve sempre tão ligado aos empreendimentos navais brasileiros e a sua história se confunde com a da própria Marinha.ANÁPOLIS .. sob o comando do General Mascarenhas de Moraes. Tamandaré nasceu em Rio Grande RS em 13 de dezembro de 1807.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . em 1839. com a deflagração. americano e português. no Maranhão. Essa última missão. da revolução que precederia à Confederação do Equador. primeiro navio misto -.SUAS RUAS . realizou duas importantes operações de salvamento: a dos passageiros de uma galera americana que se incendiara em Liverpool e o de uma nau portuguesa avariada por um tufão e ameaçada de naufrágio. contudo.ANÁPOLIS . mas abandonou-a em 1824. em Pernambuco. Conseguiu escapar e. Afonso. em 1837.(Dô) Ingressou na Academia dos Guardas-Marinhas. em 1838. Solicitou e obteve exoneração. por ser uma luta que envolvia conterrâneos seus. então sob jurisdição brasileira. logo depois. junto com os companheiros libertados. graças à recomendação do almirante Taylor. em colaboração com as forças terrestres do duque de Caxias. em 1827. no litoral do Rio de Janeiro. como o levante da setembrada. em 1835-1836.SEUS VULTOS . dominou a tripulação do barco argentino em que viajavam e o levou para Montevidéu. no Pará. e os motins do ano seguinte em prol da restauração de D. Deu novas demonstrações de coragem como quando. para participar dos combates sob o comando de Lord Cochrane. Retornou em seguida à Academia e. em 1831. mas seu afastamento durou pouco: logo voltaria à atividade. em Pernambuco.a vela e a vapor -. a sabinada. em 1826. Pedro I. a revolução farroupilha. não lhe agradava. no comando da escuna Constança. Tais feitos valeram-lhe o reconhecimento dos governos inglês. capitão-de-mar-e-guerra. no comando da repressão à balaiada. foi aprisionado durante a malograda expedição à Patagônia. a cabanagem.de grande porte da armada nacional. Em 1848 recebeu na Inglaterra a fragata D. em 1847. na Bahia. No comando desse navio. no Rio Grande do Sul. Em 1840 já era capitão-de-fragata e. Teve atuação destacada em todas as ações importantes da Marinha no plano interno. Ao 190 . foi efetivado como segundo-tenente e removido para as guerras do sul.

em 1864. Promovido a almirante em 1867. o de marquês. do qual se exonerou poucos dias antes de morrer. TRAVESSA JEAN JAQUES WIRTH (Lei Municipal nº. Ao irromper a guerra da Tríplice Aliança. Em 1852 foi nomeado capitão do porto do Rio de Janeiro. participou dos combates que puseram fim à Revolução Praieira. recebeu o título de conde e. Joaquim Marques Lisboa comandou a esquadra que conduziu o imperador. em 20 de março de 1897. em 1849. exonerou-se do comando da esquadra. Pedro II às províncias do norte. de quem foi despedir-se no caminho para o exílio. Comandante das forças navais do Prata. em 1854. logo adoeceu e deixou o posto. em 1865. Na visita de D. no Rio de Janeiro.(Dô) fazer escala em Recife PE. No dia de seu nascimento. e Paissandu PR. 498 de 1964) 191 . Pedro II agraciou-o com o título de barão. inspetor do Arsenal de Marinha da corte e. D. Foi posteriormente declarado patrono da Marinha. ordenou o bloqueio do rio Uruguai e ocupou os portos de Salto. Grande amigo de D. na proclamação da república entristeceu-se com a deposição do monarca. de onde desceu para Montevidéu. aliado do Brasil. No ano seguinte. no mesmo ano. Ao completar oitenta anos. Pedro II. Chegou a vice-almirante em 1856.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Pedro II.ANÁPOLIS . determinou o bloqueio do rio Paraguai. 13 de dezembro. no Uruguai. foi promovido a chefe-de-esquadra.SUAS RUAS .SEUS VULTOS . mas permaneceu no cargo de ministro do Supremo Tribunal Militar. Designado comandante da divisão naval do Rio da Prata. Dois meses depois pediu reforma. à rendição de Uruguaiana. então sob o poder do general Venâncio Flores. em companhia de D. em 1888. Assistiu. comemorase o dia do marinheiro. em 1859.

batizados. GOMES DE SOUZA RAMOS mudou-se de Jaraguá para o incipiente vilarejo de Antas no ano de 1870. Homem sem fronteiras. – Gomes de Souza Ramos faleceu em 22 de setembro de 1889 e foi sepultado no mesmo dia.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . principalmente porque o cemitério era na circunferência da igrejinha. Desse dia em diante. Foi seu primeiro vigário Francisco Inácio da Luz que benzeu o santuário e logo começaram as missas e novenas.(Dô) JEAN JAQUES WIRTH. José da Silva Batista – Zeca Batista – assume definitivamente a liderança dos destinos de Anápolis. Aqui fez residência ao lado da casa de Zeca Batista – hoje Museu de Anápolis – e se dedicou ao comércio. lugar em que no ano seguinte construiu uma pequena capela em louvor à Santa. aqui chegando obteve de alguns moradores doação de uma gleba de terras para o patrimônio de Nossa Senhora Santana. bem no meio da 2ª Guerra Mundial. responsável pela melhor narrativa escrita da nossa história.SUAS RUAS . casamentos e recomendações.ANÁPOLIS . Logo mais outras edificações apareceram e nascia assim a denominação de Capela de Santana das Antas. operoso e inteligente. perto da porta lateral e do lado de fora da igreja. junto ao túmulo de sua mãe. 192 . o relojoeiro Fritz Burger. influenciado por um seu patrício que aqui morava. que o convenceu a se transferir daquele país europeu para a nossa cidade.SEUS VULTOS . De tantos anos naquele local tornou-se referência para aquela rua. foi um cidadão suíço do cantão alemão – que aportou em Anápolis no começo da década de 40.Centro Segundo o escritor Humberto Crispim Borges. Foi só o que fez. Gomes de Souza Ramos é definitivamente consagrado como o FUNDADOR da nossa cidade. PRAÇA GOMES DE SOUZA RAMOS . razão da homenagem da municipalidade à sua lembrança.

Os anos que se seguiram foram orientados por esse sonho. uma das mais antigas famílias instaladas na Freguesia de Antas. assumiu a titularidade do governo municipal no período de 1895/97. na Itália. Um misterioso sonho marcou a vida de João Bosco aos nove anos. Itália. ocasião que teve o privilégio histórico de ser o primeiro filho de Anápolis a galgar ao posto de Intendente Municipal. Antônio nasceu em Antas em 1845. numa fazenda de camponeses pobres. sem rumo. e faleceu em Anápolis em 1908. Foi comerciante.SEUS VULTOS . e que só viria a ser aplicada no dia 1º de maio do mesmo ano. Ficou órfão de pai com dois anos. Foi durante o seu governo que ele teve a oportunidade histórica de promulgar a primeira “Lei Orgânica do Município”. em Turim. Ordenou-se sacerdote em 1841. Margarida Bosco suportou humilhações e canseiras incríveis para que seu filho chegasse a ser padre.SUAS RUAS . Filho do vanguardeiro Manuel Pereira Dutra. Na miséria desolada dos subúrbios.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . havia jovens desocupados.(Dô) RUA ANTÔNIO PEREIRA DUTRABairro Filostro Machado ANTÔNIO PEREIRA DUTRA. Aí o novo sacerdote identificou a quem dedicar sua vida. tropeiro e homem público. bem antes da chegada de Gomes de Souza Ramos. como segundo intendente eleito da Vila. 193 .ANÁPOLIS . em Becchi. acontecida em 10 de março de 1896. ou seja. O mundo passava por grandes transformações. mais precisamente no ano de 1830. AVENIDA DOM BOSCO – (Bairro Bom Sucesso) DOM BOSCO nasceu no dia 16 de agosto de 1815. com este descendente começa o que já se fazia necessário. famintos. Foi ainda membro do Conselho Municipal. o resgate da memória do chefe do clã Manuel Pereira Dutra.

Em 1860. além dos padres e irmãs. a família Salesiana é composta.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . o primeiro menino de Dom Bosco ordena-se padre. ensino profissionalizante. alguns lhe pedem para "ser como ele". Nasceu o primeiro Oratório. Entre os jovens que consideram a Dom Bosco como pai e mestre. religião e bondade. baseado em três palavras: razão. Mais uma vez. o ramo feminino da Congregação. trabalhar.ANÁPOLIS . funda com Maria Mazzarello o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora. Deixou sua casa no campo e veio trabalhar como cozinheira e lavadeira dos meninos. começam a funcionar as primeiras oficinas. um lugar onde pudessem morar. começam a funcionar as primeiras oficinas. Mas a maior obra que Dom Bosco deixou para a igreja é o seu sistema de educar os jovens. Hoje. que atuam em oratórios. no mundo todo. O santo dos jovens morreu no dia 31 de janeiro de 1888. Coadjutores e os Salesianos leigos.SEUS VULTOS .(Dô) Em 1853. formados em sua maioria pelos ex-alunos. Dom Bosco faria de tudo para impedir que esses jovens abandonados fossem obrigados a roubar para comer e acabar nas prisões. nas quais o próprio Dom Bosco ensinava. rezar. com 72 anos. etc. em 1854. Em 1853. escolas. pelos Cooperadores. No início de 1872. Dom Bosco idealizou uma grande família para se dedicar ao ensino e catequese dos meninos e meninas abandonados. mamãe Margarida se sacrificaria. nas quais o próprio Dom Bosco ensinava. ALAMEDA DOS PALMARES 194 . Reuniu esses meninos. Nasce assim a Congregação Salesiana.SUAS RUAS .

eles. Este fato propiciou a fuga em massa dos escravos. Aí se fixavam e desenvolvia a sua cultura. RUA COSTA E SILVA – (Jardim Bandeirantes) 195 . muitos dos senhores de engenho acabaram por abandonar suas terras. Durante a época da escravatura no Brasil (séculos XVII e XVIII).SUAS RUAS . A luta contra os negros de Palmares durou cerca de cinco anos. que ficaram conhecidos como quilombos e que costumavam pegar alimentos às escondidas das plantações e dos engenhos existentes em regiões próximas. sendo então este local conhecido como quilombo. Esta situação fez com que os quilombos fossem combatidos. o que incomodava muito a todos os habitantes da região. foram derrotados. E durante a invasão holandesa em Pernambuco (1630). contudo. Em 1670. hoje. os negros que conseguiam fugir das senzalas iam se refugiar no meio das matas. buscando a maioria deles abrigo no Quilombo dos Palmares.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . criado no Estado de Alagoas. Palmares. quanto pelo governo de Pernambuco. apesar de todo o empenho e determinação dos quilombos chefiados por Zumbi. tanto pelos holandeses. representa uma forma de resistência e combate ao preconceito contra os afro-descendentes. por fim.(Dô) (BairroAntônio Fernandes) A história dos quilombos representa a luta dos negros na História do Brasil. este Quilombo já abrigava cerca de 50 mil escravos. o mais famoso deles. rejeitando eles a cruel forma de discriminação e buscam a igualdade e uma vida com dignidade.SEUS VULTOS .ANÁPOLIS . tendo no Quilombo dos Palmares – Zumbi dos Palmares – o maior líder da formação da cultura afrobrasileira e a afirmação dos afro-descendentes na História do Brasil.

quando em manifestação pública o povo vai às ruas protestar. sendo substituído por uma junta militar.(Dô) MARECHAL ARTHUR DA COSTA E SILVA nasceu na cidade de Itaquari-RS. sendo o segundo presidente da ditadura militar instaurada pelo golpe de estado em março de 1964. Chega ao generalato a 2 de agosto de 1952 e alcança o último posto – general de exército – e em 3 de outubro de 1967 é eleito presidente da República pelo Congresso Nacional. em 31 de agosto de 1969. militar e político brasileiro.SEUS VULTOS . no dia 31 de maio de 1857 e falecido em Roma. foi promovido por merecimento. no dia 10/02/1939. Costa e Silva convoca o Conselho de Segurança Nacional e edita o famigerado Ato Institucional nº. Até alcançar o posto de coronel. com a famosa “passeata dos cem mil”. Filho de comerciantes portugueses da Ilha da Madeira. quando participa da tentativa de levante do 1º Regimento de Infantaria da Vila Militar. 196 . Casa-se com Iolanda Costa e Silva. em 1918. cassar políticos e institucionalizar a repressão.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . 5 (AI-5). que lhe dá poderes para fechar o Parlamento. vítima de enfarte. em 3 de setembro de 1902 e faleceu na cidade do Rio de Janeiro. Arthur da Costa e Silva entra para a Escola Militar de Realengo (Rio de Janeiro).ANÁPOLIS . afasta-se da presidência. Após sofrer uma trombose cerebral. Itália. Costa e Silva falece no dia 17 de dezembro do mesmo ano. a 5 de julho daquele ano. de onde saiu segundo tenente em 1923. Em represália. a 17 de dezembro de 1969.SUAS RUAS . A situação política se agrava no seu governo. PRAÇA PIO XI – (Jardim Bom Clima) SCHILLE RATTI era o nome de Pio XI nascido em Desio (próximo a Monza).

enquanto houver homens livres e de bons costumes. apoiado pelo secretário de Estado Eugenio Pacelli (o futuro Pio XII). quando nela encontro a gratificante certeza da compreensão de todos os leitores para qualquer incontinência que venha a cometer no arroubo de minhas emoções. Em várias encíclicas. Nesse mesmo ano. mas que um dia – esperamos – possam compreender as memoráveis lições de brasilidade dessa palavra para erudição do espírito. de repente. ainda ressoa o espírito daqueles libertadores que nos dão a certeza de que. Seu sucessor foi Pio XII. Só depois de receber importantes manifestações de protesto é que se pronunciou contra o nacional socialismo na encíclica Mit Brenneder (1937). é como confesso aos leitores a paradoxal leveza que sinto em carregar o fardo de explicar a nossa independência. na Quadragésimo Anno (1931).(Dô) Pi0 XI. como em política social. condenou o comunismo.SUAS RUAS . que mesmo 185 anos depois.ANÁPOLIS . pelo que.SEUS VULTOS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . procurou consolidar a presença política da Igreja Católica. desde 197 . É sob esta ótica que o escriba tenta se desvencilhar dessa missão de descrever – principalmente aos jovens – a importância de se ouvir a toda hora o eco do “Grito de Ipiranga”. 1929) e com a Alemanha nazista (1933). interveio em questões de atualidade premente. entre os quais se destacaram os pactos com a Itália fascista (Tratado de Latrão. com numerosos acordos. Assim. entender toda a extensão e importância que tem esta palavra INDEPENDÊNCIA. AVENIDA INDEPENDÊNCIA – (Parque Brasília) UM CANTO DE ALERTA AOS JOVENS Bem sabemos das dificuldades que têm aqueles que mal sabem soletrar frases concretas e. haverá no mundo o bom combate contra a iniqüidade dos insensatos e em prol da felicidade humana.

. com suas forças e fraquezas. com seus equilíbrios e degradações. com suas alegrias e suas tristezas. é aqui e agora o momento oportuno para fazermos vibrar as nossas emoções de cada página da história de nossa independência. Portanto. Em fim. . ofertaram-nos esta pátria linda.é a história do ordenamento social. .ANÁPOLIS .é a própria história de seus homens.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) já.é a história de seu meio-ambiente. Muito há que se rememorar nos feitos e efeitos dos fatos que pontificaram os rumos de nossa história. que se fará despertado entre as nações que renascerão neste 3º milênio.SEUS VULTOS .é a história de suas instituições. que a nossa pátria é uma árvore frondosa. seus vultos. a história de cada nação é a história de tudo quando age e interage.SUAS RUAS . . encerra em seu âmago 198 .é a história de sua cultura. nos seus homens e na sua natureza. cuja semente germina no silêncio do seu reto proceder e nos dá frutos sobejos como a romã. com suas harmonias e seus conflitos. Na história do Brasil é maravilhoso e gratificante saber nos seus feitos e pelo seu ser. que a despeito da casca amarga do ambiente que a envolve. como justo preito de gratidão àqueles que. com seus valores e seus vícios. com seus benefícios e seus desvios. Sabemos que a história de cada nação: . . apresso-me em formular-lhes minhas escusas e a rogar a Deus sejam minhas palavras a voz do espírito que anima o coração de todos quantos me lêem agora a discorrer sobre a AVENIDA INDEPENDÊNCIA Cultuar nossas tradições históricas é continuar a plantar a semente de civismo que nossos antepassados semearam.é a história de suas famílias. até com o sacrifício da própria vida. que inquieta o mundo pelo porvir de um gigante abençoado.

Um povo em que muitos são os que vivem subjugados à trama colonialistas dos interesses pessoais de poucos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que souberam cristalizar. José Bonifácio e tantos outros. nem se pode dar-lhes lições da nossa história. E. mais aviva a sua chama. E no ardor dessa emoção. Estopim que a 7 de setembro explodiu na garganta de Dom Pedro I: INDEPENDÊNCIA OU MORTE! 199 . Mas a liberdade de uma nação é como a brasa do lenho. no sentimento da nacionalidade. rubras de sentimento pátrio. deve e pode afirmar-lhes que não há como se construir a grandeza do amanhã.ANÁPOLIS . Januário da Cunha Borba. pela união que fortalece a individualidade dos brasileiros e os transforma em muito mais outras sementes da liberdade. sem que se cultue. de inefável sensibilidade política. fulguraram as luzes da igualdade e ergueram-se as colunas da liberdade e reverberou no coração da Pátria o estopim da independência. não deve. Neste momento coloquial. Mas sabe. hoje. conduzem muitos para o encontro com o seu próprio destino. Luz que divisa os caminhos. para tirar lições dos erros e dos acertos do passado para se encontrar a coragem que enfrenta desafios e a determinação que conquista vitórias.SUAS RUAS . o momento de romper a casca do colonialismo dominador. até que se torne clarão. José Clemente Pereira. o autor não sabe. antes da meia noite desse memorável dia de 20 de agosto de 1822. como Joaquim Gonçalves Ledo. quanto mais for assoprada pelos ventos da opressão.(Dô) milhares de sementes que. E o destino do Brasil colônia era ser uma pátria livre! Disso sabiam insignes brasileiros. faz-se a luz.SEUS VULTOS . é destinado a perecer no amargor da escravidão de si mesmo. a grandiosidade do ontem. num ambiente eclético de uma Loja Maçônica. fazem doce a justiça.

foi indicado por Júlio de Castilhos para 200 . Em seguida. BORGES DE MEDEIROS nasceu em Caçapava do Sul (RS). Ali. Com a Proclamação da República. foi imediatamente nomeado delegado de polícia da cidade e.(Dô) Este grito ecoou. de um porfiar sem sangue derramado. voltou ao seu estado natal para exercer a advocacia em Cachoeira do Sul. E o 7 de Setembro passou para a nossa história como o Dia da Independência. em 1863.SEUS VULTOS . integrou-se à bancada gaúcha na Assembléia Nacional Constituinte de 1890/1891. Advogado iniciou seus estudos universitários na Faculdade de Direito de São Paulo.ANÁPOLIS . em 1889. agremiação liderada por Júlio de Castilhos. em 1893. tomando contato com as idéias positivistas de Augusto Comte e tomando parte ativa no Clube Republicano Acadêmico. no ano seguinte. o que lhe valeu a patente de tenentecoronel do Exército. o DIA DA PÁTRIA Eis a idéia-corpo de UM CANTO DE ALERTA AOS JOVENS. Borges combateu ao lado das forças legalistas. na dor e na alegria.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Em 1885. para onde havia se transferido no ano anterior. A data nacional brasileira. da Revolução Federalista. em 1881. o nascimento de uma nova Pátria. RUA BORGES DE MEDEIROS ANTÔNIO A. no Rio Grande do Sul. Em 1898. concedida por Floriano. que pretendia afastar Floriano Peixoto da Presidência da República. continuou sua militância política e logo se tornou o chefe local do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR). bacharelou-se na Faculdade de Direito de Recife.SUAS RUAS . Com a eclosão.

principal atividade econômica do Estado. Bernardes venceu o pleito. porém. apoiou a candidatura oposicionista de Nilo Peçanha à presidência da República. como o transporte ferroviário e obras portuárias.ANÁPOLIS . promoveu a estatização de serviços públicos. impossibilitado de buscar uma nova reeleição. Borges obteve a vitória mais uma vez.SEUS VULTOS . que. Ao voltar ao governo gaúcho nesse ano. O conflito se estendeu por todo o ano e somente no mês de dezembro as facções em luta chegaram a um acordo. contudo. mas no Rio Grande do Sul a vitória coube à Reação Republicana por larga diferença. apresentou-se mais forte. deflagrado em janeiro de 1923. até então a cargo de companhias internacionais. Somente após a morte desse último. já que contava com o apoio do governo federal comandado por Bernardes e beneficiava-se com a insatisfação de muitos fazendeiros atingidos pela crise da pecuária. porém. apoiado por mineiros e paulistas.(Dô) sucedê-lo na chefia do governo estadual. lançada pela Reação Republicana. Em 1922. oficializado no Pacto de Pedras Altas. Em 1917 reelegeu-se ao governo do Estado.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . a oposição aceitava o novo mandato de Borges de Medeiros que ficava. Borges voltou a apresentar seu nome para uma nova reeleição ao governo gaúcho. em 1903.SUAS RUAS . foi contestada pelos partidários de Assis Brasil que acabaram recorrendo ao confronto armado. liderada por Joaquim Francisco de Assis Brasil. que conservaria de maneira absoluta por mais de duas décadas. Borges assumiu de forma definitiva a liderança do partido. contra Artur Bernardes. Ainda em 1922. Realizado o pleito. 201 . a oposição. cargo para o qual seria reeleito em 1902. Dessa vez. Por esse acordo. ainda por indicação de Castilhos.

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

Em 1924, Borges enviou efetivos da Brigada Militar gaúcha para combater o levante tenentista deflagrado, naquele ano, na capital paulista contra Bernardes. Logo, porém, foi obrigado a enfrentar rebeliões semelhantes em seu próprio Estado, quando guarnições do Exército localizadas em cidades do interior se sublevaram sob o comando do capitão Luís Carlos Prestes. Cumprindo o acordo de Pedras Altas, Borges afastou-se do governo gaúcho em 1928. Comandou, entretanto, o processo de sua sucessão, indicando o nome de Getúlio Vargas para substituí-lo. No decorrer de 1929, as articulações em torno das eleições presidenciais do ano seguinte levaram à ruptura entre mineiros e paulistas que, de acordo com a chamada "política do café com leite", vinham detendo a hegemonia sobre a política nacional nas décadas anteriores. Contrariados pela indicação do paulista Júlio Prestes como candidato situacionista à sucessão do também paulista Washington Luís, os mineiros decidiram articular uma chapa de oposição encabeçada por um gaúcho - Borges de Medeiros ou Getúlio Vargas. O próprio Borges, entretanto, optou pelo nome de Vargas. Formou-se, então, a Aliança Liberal. A campanha eleitoral foi a mais concorrida da República Velha, com grandes comícios sendo realizados em várias capitais brasileiras. Realizado o pleito em março de 1930, Júlio Prestes foi declarado vencedor. Borges pronunciou-se a favor do reconhecimento do resultado, declarando-se contrário qualquer tentativa de questioná-lo pelas armas. Dentro da Aliança Liberal, contudo, ganhavam força os elementos favoráveis a uma solução armada, destacadamente os seus membros mais jovens e os militares
202

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

oriundos do movimento tenentista da década anterior, que desde a campanha eleitoral haviam, na sua quase totalidade, dado apoio a Vargas. Borges só decidiu apoiar os revolucionários dias antes do movimento contra Washington Luís ser deflagrado. Anistiado em maio de 1934, em julho do mesmo ano concorreu à presidência da República na eleição indireta realizada pela Assembléia Nacional Constituinte, reunida desde o ano anterior. Nessa ocasião, foi o segundo mais votado com 59 votos contra os 175 dados ao vencedor, Getúlio Vargas. Em seguida, elegeu-se deputado federal pelo Rio Grande do Sul. Foi cassado em 1937 pelo golpe do Estado Novo, decretado por Vargas, mas mesmo assim divulgou manifesto de apoio à nova ordem. Afastou-se, então, da vida política, falecendo em 1961.

RUA INCONFIDÊNCIA – Vila Esperança A INCONFIDÊNCIA MINEIRA Na segunda metade do século XVIII, Minas Gerais entrou em fase de decadência econômica. As jazidas de ouro estavam se esgotando. Os mineiros foram ficando cada vez mais pobres. Mesmo assim o governo português continuou exigindo pesados impostos dos mineiros e argumentava que a queda na produção era resultado do contrabando de ouro. Só que a realidade era outra. Em 1788, sempre zelosa de sua mais opulenta capitania, a Coroa substitui o corrupto governador Luís da Cunha Meneses por Luís Antônio Furtado de Mendonça, visconde de Barbacena e sobrinho do vice-rei Luís de Vasconcelos e Sousa. O visconde
203

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

chegou a Vila Rica (hoje Ouro Preto) com ordens expressas para aplicar o alvará de dezembro de 1750, segundo o qual Minas precisava pagar cem arrobas (ou 1.500 kg) de ouro por ano para a Coroa. Caso a arrecadação não atingisse essa cota, seria então cobrada a derrama - o imposto extra tirado de toda a população até completar as cem arrobas. O visconde anunciou: a derrama, por mais odiada e temida, seria cobrada em fevereiro de 1789. Um clima de tensão e revolta tomou conta das camadas mais altas da sociedade mineira. Por isso, importantes membros da elite econômica e cultural de Minas começaram a se reunir e a planejar um movimento contra as autoridades portuguesas. Inconfidência Mineira foi o nome pelo qual ficou conhecido o movimento rebelde e foi organizado pelos homens ricos e cultos de Minas Gerais. Ricos que não queriam pagar os impostos abusivos cobrados pela Metrópole. Cultos que tinham estudado na Europa e voltavam ao Brasil com influências do pensamento liberal dos filósofos franceses (Rousseau, Montesquieu, Voltaire e Diderot). Gente que se inspirava nas idéias do Iluminismo, que estavam em alta na Europa e impulsionaram a independência dos Estados Unidos (1776) e a Revolução Francesa (1789). No dia 26 de dezembro de 1788, na casa do tenentecoronel Francisco de Paula Freire de Andrade, chefe do Regimento dos Dragões, alguns dos sujeitos mais importantes de Minas encontraram-se para uma reunião conspiratória. Três tipos de homens estavam na reunião: ideológicos, como o filho do capitão-mor de Vila Rica, José Álvares Maciel; ativistas revolucionários como o alferes Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes) e, em maior número e muito mais voz de comando, mineradores e magnatas endividados, como Alvarenga Peixoto e o padre Oliveira Rolim, notório traficante de diamantes e escravos. Mais tarde, na segunda reunião, no mesmo local, juntarse-ia ao grupo o negociante Joaquim Silvério dos Reis, talvez o homem mais endividado da capitania, com um “passivo” oito
204

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

vezes superior aos “ativos”. Também participaram do movimento Cláudio Manuel da Costa (minerador e poeta, formado em Coimbra), Tomás Antônio Gonzaga (poeta e jurista), Toledo e Melo (padre e minerador), Abreu Vieira e Oliveira Lopes (coronéis). Ficou decidido que, no dia em que fosse decretada a derrama, a revolução eclodiria. Os planos para o golpe eram tão vagos quanto os projetos do futuro governo. Governos que já foram e serão retratados em outros capítulos deste livro. RUA DOS GUARARAPES – Vila Esperança Era o dia 18 de abril de 1648. Mais de 4 mil holandeses avançam para o Sul, vindos do Recife. Na passagem, eliminam um pequeno posto inimigo na Barreta. Os poucos sobreviventes acorrem ao Arraial Novo do Bom Jesus – QuartelGeneral da resistência pernambucana –, onde relatam o incidente. O comando rebelde ordena a marcha na direção do inimigo. Reunido em Ibura decide: "rumo aos Outeiros Guararapes". Sem tempo sequer para jantar, cerca de 2 mil homens preparam-se para o combate, nutridos pela certeza do improvável: bater uma força material e numericamente superior. Prodígio de criatividade, ousadia e bravura a 1ª Batalha dos Guararapes é mais do que um memorável feito militar de nossos antepassados. Neste duelo, em que o Davi caboclo abateu o Golias estrangeiro, assentam-se as raízes da nacionalidade e do Exército brasileiros, que caminham juntos há 350 anos. RUA DOS CANUDOS - Vila Esperança A GUERRA DOS CANUDOS teve estopim num episódio sem importância que faria eclodir uma verdadeira tragédia: com a proximidade do término da construção da igreja nova do Belo Monte (BA), Antônio Conselheiro solicitou, como de hábito, ao Coronel João Evangelista Pereira e Melo a compra de uma partida de madeira em Juazeiro, para a cobertura do
205

ANÁPOLIS - SUAS RUAS - SEUS VULTOS - NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA - (Dô)

templo. Era junho de 1896. O Juiz de Direito Arlindo Leoni, antigo desafeto do peregrino, aproveitou a questão da compra da madeira para retaliar a figura de Conselheiro, convencendo o negociante encarregado da encomenda a não entregar o pedido, que já havia sido pago. Diante de tal fato, Conselheiro decidiuenviar um grupo de seus seguidores para apanhar a referida madeira. Aproveitando a situação de tensão que se instalou, Leoni mandou telegramas ao Governador da Bahia Luís Viana, avisando-o de uma possível invasão dos adeptos de Conselheiro e pedindo providências. Foi assim que surgiu a primeira expedição contra Canudos. Comandada pelo Tenente Manuel da Silva Pires Ferreira, e formada por três oficiais, 113 praças, um médico, dois guias e uma ambulância, essa expedição partiu de Salvador no dia 6 de novembro de 1897, chegando a Juazeiro no dia seguinte. Após cinco dias, o comandante da expedição resolveu atacar Canudos. Aparentemente, o arraial havia sido abandonado. Mas, na madrugada do dia 21, as tropas do exército foram surpreendidas pelos sertanejos de Conselheiro. Estabelecido o confronto e a conseqüente retirada das tropas legais do teatro de operações, a popularidade do peregrino aumentaria ainda mais entre os seus seguidores. Ao receber a notícia do desastre da primeira expedição, Luís Viana organizou uma segunda, esta sob o comando do Major Febrônio de Brito, que contava com 10 oficiais, 609 praças do exército e da polícia estadual. Os aliados do Conselheiro conheciam o movimento das tropas pelos contatos que tinham em Monte Santo e em outras regiões vizinhas. Durante a travessia do Morro do Cambaio, travaram várias batalhas, utilizando a estratégia de usar trincheiras, em sua maioria naturais, e franco-atiradores, para enfraquecer o inimigo, física e emocionalmente. Nas proximidades do arraial, travou-se a luta final dos sertanejos contra o já desgastado exército republicano, que não teve êxito em sua tentativa de destruição de
206

A fragorosa derrota de mais uma expedição militar contra Canudos repercutiu bombasticamente por toda a República.SEUS VULTOS . ambulâncias. além de distúrbios de rua. que não conseguiu tomar a cidadela. os soldados tomaram conhecimento da morte de Moreira César e da decisão de retirada das tropas. onde ficou conhecido por corta-cabeças. mantimentos. O Apóstolo e Liberdade (de tendência monarquista) foram depredados e o jornalista Gentil de Castro foi assassinado. assumindo seu lugar o Coronel Pedro Tamarindo. Depois de três horas de intenso combate. o governo formou uma terceira expedição a Canudos. foi nomeado o Coronel Antônio Moreira César. o jornal “O Comércio”. o massacre das tropas. O comandante partiu com uma tropa de 1600 homens. Para o comando. principalmente por seu desempenho na repressão à Revolução Federalista.(Dô) Canudos. e recuou. de São Paulo. os tiros de canhão dirigidos ao arraial davam início à batalha. munições. o que gerou uma debandada geral. preparando-os para os longos embates do ato final da guerra. Moreira César foi ferido mortalmente. os jornais A Gazeta da Tarde. Ao amanhecer. A vergonha de um numeroso e bem armado destacamento militar posto a correr pelos jagunços broncos e mal-armados liderados por um religioso 207 . e a expropriação do armamento e munição pelos jagunços. Na cidade do Rio de Janeiro. Para Conselheiro e seus seguidores. foram atacados por piquetes conselheiristas. também foi tirado de circulação. cada vez mais se colocava o desafio de enfrentar um exército em maior número e com melhores armamentos.SUAS RUAS . devido à desproporção de homens e armamentos. conhecido pela violência de suas ações. No caminho para o Monte.ANÁPOLIS . Desmoralizado. canhões Krupp.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Na capital paulista. que era visto pela imprensa como um antro monárquico e perigoso. dois médicos e dois engenheiros militares. possibilitando um ataque dos conselheiristas pela retaguarda. Na manhã do dia 3 de março. que hostilizavam os soldados sem atacá-los diretamente. então Distrito Federal.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . o massacre e a destruição completa do Arraial do Belo Monte. destacamentos das polícias militares dos Estados do Amazonas. De junho a outubro de 1897 republicanos e sertanejos travariam inúmeros combates nas duas frentes de batalha. no ato final. sob o comando do General João da Silva Barbosa -. esta comandada pelo General de Brigada Artur Oscar de Andrade Guimarães. um comboio de reabastecimento e a presença no teatro de operações do próprio Ministro da Guerra. Marechal Carlos Machado de Bittencourt que. sendo interceptados diversos comboios de suprimento das tropas federais pelos jagunços.Segunda Coluna.SUAS RUAS . é organizada a quarta investida militar contra o reduto conselheirista. caiu no dia 5.ANÁPOLIS . levando a Quarta Expedição quase à derrota. quando caíram seus últimos defensores. na precisão integral do termo. Expugnado palmo a palmo. e de Aracaju . da base militar de Monte Santo. Envolvendo quase a metade (10. Bahia. via Monte Santo . dividida em duas colunas que assaltariam o arraial do Belo Monte a partir de Queimadas.(Dô) fanático deixaria a Nação em verdadeiro estado de histeria. Como saldo macabro da mais cruel luta fratricida de nossa História restariam dezenas de milhares de mortos. fechando os Sertões: "Canudos não se rendeu. uma expedição de reforço (a brigada de Girad).SEUS VULTOS . sob o comando do General Cláudio do Amaral Savaget. Pará e São Paulo e. que todos 208 . ao entardecer. organizou e dirigiu a logística que levaria à vitória o Exército Republicano. Para Euclides da Cunha.Primeira Coluna.000 homens) do efetivo do Exército nacional de então. resistiu até o esgotamento completo. Exemplo único em toda a história. o degolamento de numerosos prisioneiros de guerra e o fim da tentativa de construção de uma sociedade fraterna em pleno sertão baiano do século XIX. Neste clima.

É necessário que se registre aqui a importância da vida profícua de dons humanitários." RUA JOSÉ FERNANDES VALENTE-B. no ano de 1897. realizou importantes obras. sendo este estabelecimento hoje o “Colégio São Francisco”.SEUS VULTOS .SUAS RUAS . haja vista. Além de notabilizar-se pelos seus conhecimentos profissionais. dois homens feitos e uma criança. durante sua gestão. uma das maiores reservas morais da nossa Anápolis. quando no exercício do cargo de Prefeito Municipal. Eram quatro apenas: um velho. Como homem público prestou relevantes serviços ao município. na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados. Goiano (Lei Municipal nº1068/1983) JOSÉ FERNANDES VALENTE. em 1934. a criação do primeiro ginásio municipal. o Dr. então prefeito de Anápolis em fim de mandato. de exemplo de um grande cidadão e. Em eleição direta. que transformaram áreas improdutivas em grandes plantações de pomares e cafezais. Valente fez deles um verdadeiro sacerdócio precioso de atendimento aos mais necessitados. com certeza.ANÁPOLIS . o 209 .(Dô) morreram. em 1937. assumiu o governo de Goiás . foi criada colonização do Distrito de Cerrado por japoneses. Hoje. quando do golpe que resultou na ascensão de Getúlio Vargas ao poder. filho legítimo de Alípio Valente e de dona Presentação Valente nasceu na cidade de Descalvado-SP. o homem capaz de continuar a governar o município. No fim de novembro de 1937. que viu no senhor Valente. esse distrito é emancipado e chamado de Nerópolis. exercendo aqui a sua profissão de farmacêutico por mais de cinqüenta anos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Ainda. Pedro Ludovico.como interventor . transferindo seu domicílio para a nossa cidade nas primeiras décadas do século passado.Dr.

uns 35.000 homens. a maior parte do exército aliado. uma força de 18.ANÁPOLIS . Havia rumores sobre um grande exército inimigo não 210 . O comandante aliado general Bartolomé Mitre ainda temia um ataque surpresa aos moldes do lançado no dia 2. sob comando do general Osório. como a força inimiga que poderia lançar-se contra eles. Manoel Demóstenes. O avanço continuava lento e cauteloso. sendo este o mandatário que mais tempo administrou a cidade – 1934-1940. Depois da batalha de 2 de maio. O mui ilustre Dr. seguiu para a área ao norte de Estero Bellaco. cercado da mais elevada consideração do povo anapolino. ocupou o terreno à esquerda do acampamento nas imediações do Estero Bellaco. Enquanto isso. quando assumiu o governo municipal o Dr. Antônio Fernandes Valente governou o município por dois mandatos. O Dr. porém.SUAS RUAS . Os batalhões uruguaios foram colocados no centro juntamente com algumas unidades brasileiras e formavam a vanguarda do exército. fixando seu acampamento naquela região. Quase 60. O II Corpo do Exército Imperial. mas os aliados ignoravam completamente não só o terreno à frente. marchou para o norte contornando as margens do rio Paraná. visconde de Porto Alegre.000 homens sob o comando de Antonio Paranhos. O exército argentino fixou-se à direita. RUA TUIUTÍ – Vila Esperança A Batalha de Tuiutí foi o maior encontro militar de toda a guerra contra o Paraguai.(Dô) que aconteceu até o início de 1940. estas unidades não foram dispostas muito à frente do corpo principal do exército. O exército brasileiro. Desta vez. Seu nome deve-se a um vasto campo inundável situado ao norte de Estero Bellaco.SEUS VULTOS .000 soldados tomaram parte na luta. Pequenos encontros entre grupos inimigos eram constantes.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Valente faleceu em Anápolis no ano de 1974.

O general Isidoro Resquin atacaria a direita do acampamento aliado com 9. as tropas teriam que abandonar posições defensivas para atacar um inimigo que todos sabiam ser mais numeroso. Ele desejava jogar os aliados de volta ao Paraná. Não escondia ele sua ansiedade em relação à presença de uma força inimiga em território de seu país.000 homens. 211 . Ele planejava um ataque direto às posições aliadas em Tuiutí. o inimigo teria apoio de todas as peças de artilharia disponíveis e não apenas de algumas como no caso dos paraguaios. López teria chances muito maiores de infringir uma derrota ao inimigo. Para muitos oficiais paraguaios estava claro que o plano de López era um fiasco.000 homens.(Dô) muito distante dali havia também a disenteria e o cólera que acometiam as forças da aliança. o que obrigaria os atacantes a se desviarem o tempo todo. ele planejava enviar o general Vicente Barrios com outros 9. havia convocado seus oficiais para discutir a situação. um engenheiro inglês que lutava na guerra como oficial do exército paraguaio. o terreno da região era propício à defesa e não ao ataque. López. Teria também sob seu comando algumas peças de artilharia. Ele já contava com um exército considerável para tentar expulsar as tropas da aliança.ANÁPOLIS . Por fim. Ele lideraria pouco mais de 5.000 soldados de infantaria. No centro. elas estavam provocando mais baixas que os combates.SEUS VULTOS . Reforços de várias partes do país já estavam sendo enviados para a área de Tuiutí.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . George Thompson. Ele teria o grosso da cavalaria do exército à sua disposição. Contra a esquerda inimiga. por seu lado. A região era alagada e cheia de obstáculos e matas. Além disso. Até então. Em primeiro lugar. o recém promovido General Díaz teria o objetivo de destruir a vanguarda aliada e apoiar Barrios a esmagar qualquer resistência à direita de suas tropas.SUAS RUAS . Estava convencido que uma grande e final batalha teria que ser lutada e vencida. Estava previsto um pequeno apoio do poder de fogo de algumas baterias de canhões nesse ataque. notou que se optasse por aguardar um ataque aliado.

a 1ª e a 3ª divisões de infantaria já haviam se estabelecido. Carlos Gomes nasceu em Campina. Tuiutí foi um imenso desastre para o exército paraguaio. RUA CARLOS GOMES – Jardim Goiano ANTÔNIO CARLOS GOMES. Enquanto isso. Trincheiras eram cavadas e posições de artilharia eram estabelecidas. no dia 16 de setembro de 1895 e ficou conhecido por Nhô Tonico.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . em 11 de julho de 1836 e faleceu em Belém. O dia escolhido para a operação foi o 24 de maio. Estas duas tropas receberiam o pior do ataque inimigo.000 estavam feridos ou foram capturados. As avaliações sobre as perdas variam um pouco de fonte para fonte. Foi o primeiro compositor brasileiro a ter suas obras apresentadas no Teatro Scala. Foi o fim do grande general paraguaio. na Itália. um francês que havia participado das campanhas contra Rosas e Oribe em 1851-52. é considerado o mais importante operista brasileiro. estava firme em sua determinação de atacar. principalmente. nome com que assinava. em Milão. mas todas são enfáticas em apresentarem Tuiutí como o túmulo do exército de López. Próximo a ele. No flanco esquerdo. entretanto. Algumas delas encontravam-se sob comando do capitão Emílio Mallet. como o 40º Batalhão de Infantaria. Ele achava que suas peças estavam demasiadamente próximas às matas do Estero Bellaco.ANÁPOLIS . nas 212 . Algumas unidades. Os mortos somavam 6. Ordenou que se cavassem trincheiras voltadas para aquela região. os aliados tratavam de fortificar suas posições. Outros 6. foram aniquiladas.000 soldados e oficiais. na Europa. o que as tornava vulneráveis a ataques vindos de lá. com carreira de destaque.SUAS RUAS .(Dô) López. Dali por diante López nunca mais reuniria uma força como aquela para se bater contra o inimigo. as tropas brasileiras haviam estabelecido seus canhões.

costurando calças e paletós. Foram seus pais Manoel José Gomes (Maneco Músico) e d. em 11 de julho de 1836. ainda. Aos 15 anos de idade. freqüentemente.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . onde Carlos Gomes iniciou seus passos artísticos. Em 1857. em conjunto com seus irmãos. formou uma banda musical. Desde cedo. Com eles. A vida de Carlos Gomes foi sempre marcada pela dor. ainda hoje cantado pela mocidade da 213 . concertos. fiel companheiro das horas amargas. Quando chegou aos 23 anos. onde realizava. tragicamente. compõe sua primeira Missa. Muito criança. compõe a modinha Suspiro d'Alma. na "cidade das andorinhas". ao estudo das óperas. lecionava piano e canto. e o aperfeiçoamento dos seus estudos musicais. já apresentara vários concertos. Antônio Carlos Gomes alternava seu tempo entre o trabalho numa alfaiataria. A emoção que lhe embargava a voz comoveu a todos os presentes. revelou seus pendores musicais. Nessa época. Na execução cantou alguns solos. com versos do poeta romântico português Almeida Garrett. especialmente ao irmão mais velho. Seu pai vivia em dificuldades. dedicada ao pai e repleta de misticismo. as primeiras apresentações em bailes em concertos. demonstrando preferência por Verdi. José Pedro Santana Gomes.(Dô) suas dedicatórias. Missa de São Sebastião.SEUS VULTOS . em 1854. Paulo. e onde compôs o Hino Acadêmico. Era conhecido também em S. É na banda do pai que ele vai fazer. Nasceu numa segunda-feira. que lhe previa os triunfos. Moço. numa casa humilde da Rua da Matriz Nova.SUAS RUAS . Aos 18 anos. ainda. sempre.ANÁPOLIS . quadrilhas e polcas. compõe valsas. com 26 filhos para sustentar. com afinco. incentivado pelo pai e depois por seu irmão. perdeu a mãe. com o pai. Fabiana Jaguari Gomes. dedicando-se.

214 . apontavam-lhe o rumo da Corte.SEUS VULTOS . realizada em 24 de abril de 1893. segundo a ata da eleição. apesar de notórios. enquanto os demais. e em seguida nomeado pelo Conselho Municipal. RUA DOS PREFEITOS – Bairro Paraíso Aqui. o primeiro chefe do executivo da Vila de Santana. visto que nela haveremos de notar a diferença entre vultos e personagens da cidade e da nossa história. pois que esta rua merece um capítulo à parte. hoje. portanto. os fatos e os feitos daqueles que fizeram das suas vidas um traço de serviços relevantes que marcaram suas presenças ao longo do desenvolvimento da nossa cidade. o tratamento de vultos.ANÁPOLIS . a carroça da história fez uma grande parada. Mas Carlos Gomes não podia viajar porque não tinha recursos. Ali. em cujo Conservatório poderia aperfeiçoar-se.foi Presidente da Junta Administrativa. recebeu os mais amplos estímulos e todos. que serão lembrados apenas pelas placas das nossas ruas que levam os seus nomes. A história de cada um será a própria responsável pela sua classificação. LOPO DE SOUSA RAMOS . Seus feitos já foram cantados em outro capítulo. Sua maior obra é O Guarani. JOSÉ DA SILVA BATISTA – o maior vulto da nossa história .para a história.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . sem discrepância. sendo. em 10 de março de 1892. cabendo-lhes. consta como o primeiro Intendente Municipal eleito para chefiar o Município o nome do senhor LOPO DE SOUSA RAMOS.(Dô) Faculdade de Direito. Assim. é do dever do historiador buscar nos anais do passado. que governou até maio de 1895.SUAS RUAS . serão sempre personagens ou simplesmente figurantes. para o cargo de Intendente. no Bairro Paraíso.

Um dos filhos do senhor Antônio Crispim. governou o município durante dois anos. tendo renunciado e em seu lugar assumiu a titularidade da prefeitura o também eleito a vice-Intendente Miguel Pereira Dutra que completou o mandato até o final de 1903. eleito no dia 21 de maio de 1895/97. Aqui se realça que Antônio Pereira Dutra era pai de Miguel Pereira Dutra.a governar o município. Aqui é importante ressaltar. sendo o primeiro filho de Anápolis a administrarr a cidade. A primeiro de maio de 1896. Vulto de destaque de Anápolis. Dr. segundo o que consta da ata das eleições realizadas nessa data.ANÁPOLIS . foi promulgada a primeira Lei Orgânica do Município. anos mais tarde. sendo Intendente Municipal Antônio Pereira Dutra.SEUS VULTOS . Dr. que o nome dessa rua em nada se relaciona com a data magna do trabalhador que também é comemorada como o “Dia Mundial do Trabalho”. Eleito em 1897.SUAS RUAS . Um fato histórico para nossa cidade se deu nesse governo. Zaqueu foi homem de influência em Goiás. quando terminou o seu mandato em 1899. o quinto Intendente Municipal eleito. como já foi dito em outras notas. nome este que perdura até aos dias de hoje. Zaqueu Crispim que foi Secretário de Segurança Pública no governo de Pedro Ludovico. Sua biografia e seus feitos já foram noticiados e sua memória reverenciada com o seu nome numa das principais ruas da cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . (1845/1908) O segundo Intendente Municipal . Em homenagem a essa tão auspiciosa e importante data. 215 . MANUEL FRANCISCO D´ABADIA-1897/1899.(Dô) ANTÔNIO PEREIRA DUTRA.prefeito eleito . que havia sido decretada a 10 de março daquele mesmo ano. ANTÔNIO CRISPIM DE SOUSA – No final do ano de 1899 foi eleito para governar o município. se daria a uma via pública o nome de rua “1º de Maio”.

Foi juiz 216 . lei 37 adota o Código de Posturas Municipais.(Dô) Foi durante o complemento de mandato por Miguel Pereira Dutra. Nessa época foram promulgadas as leis: nº 34 que deu nomes a ruas praças da vila. Padre Cunha para Xavier de Almeida.SUAS RUAS . MIGUEL PEREIRA DUTRA – 1902/1903 . com marcante passagem pela vida pública. AMÉRICO BORGES DE CARVALHO-1903/07 Eleito no final do ano de 1903 governou a cidade até o começo de 1907. e outras tantas que vieram dinamizar o desenvolvimento da Vila. atualmente. lei 39 cria o cargo de procurador-fiscal. Era seu irmão o senhor Joaquim Pereira Dutra. lei 35 que divide o município em distritos e seções.ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . o nome de Eugênio Jardim. deu-se o nome de Rua 15 de Dezembro que tem. o Intendente senhor Miguel Pereira Dutra mudou o nome da Av. pela Lei Municipal nº 34. O período de governo do senhor Miguel Pereira Dutra foi marcado grandemente pela atuação do Conselho Municipal que. pela mesma lei. nasceu em Meia Ponte e se transferiu para Antas no fim da última década do século IXX. em perfeita harmonia com o Executivo. mais uma rua havia surgido e. Cidadão honrado. lei 41 regula a administração e o aforamento dos terrenos municipais.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .Filho de Antônio Pereira Dutra . lei 45 divide o município em distritos.foi o quinto Intendente Municipal e o segundo filho de Anápolis a assumir os nossos destinos administrativos. Em 1903. Nessa época. de 20 de março de 1903. avô materno do autor dessa notas. Aqui se estebeleceu como comerciante e logo se revelou um hábil político. que surgiu uma época fértil de promulgação de leis que resultaram em fixação de normas que disciplinaram a vida da população. legislaram e deliberaram muitas e importantes leis que deram novos rumos aos destinos do Município.

SUAS RUAS . dada a sua impórtância. Como administrador apenas influiu com grande destaque na política da emancipação da cidade. 31 de julho de 1907. o senhor Joaquim Batista teve o privilégio histórico de acontecer durante o seu mandato a assinatura de lei estadual que elevava a Vila de Antas à categoria de cidade. que a cumpram e a façam cumprir tão inteiramente como nele se contém. filha do coronel José da Silva Batista. Joaquim Prudêncio foi casado com dona Semiramis Batista. Justiça e Segurança Pública a faça imprimir. revogada as disposições em contrário”. JOAQUIM PRUDÊNCIO BATISTA – 1907 a 1911 Major da Guarda Nacional. transcrevemos abaixo seu inteiro teor: “Lei nº 320 – de 31 de julho de 1907: “Miguel da Rocha Lima. de quem foi discípulo e herdeiro de sua influência política. Assinam: Miguel Rocha LimaPresidente e João Alves de Castro. O Secretário do Interior.(Dô) distrital.SEUS VULTOS . Para maior registro de tal feito. 19º da República”. Palácio da Presidência do Estado de Goiás.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Nenhuma outra marca de maior relevo foi deixada para transformá-lo em um grande administrador. portanto.ANÁPOLIS . agente do correio e Intendente Municipal. Prudêncio foi eleito para governar o município pelo período de 1907/1911. Presidente do Estado de Goiás: Faço saber que o Congresso decretou e eu sanciono a seguinte lei: Artigo único – A Vila de Santana das Antas fica elevada à categoria de cidade com a denominação de Anápolis. a todas as autoridades a que o conhecimento e a execução desta lei pertencerem. 217 . publicar e correr. Mando.Secretário.

ainda mais.1911 a 1915 Aqui novamente aparece a figura destacada do mineiro. de quem aceitaste os sábios e santos conselhos.(Dô) Segundo Jarbas Jayme. não só na cafeicultura. que se projetou aqui em Antas.SEUS VULTOS . mas no comércio e na vida pública da cidade. onde atualmente está a praça Gomes de Sousa Ramos. a ti a imortalidade. que soubeste obedecer e observar religiosamente. secundado de perto pelo seu cunhado.” MANUEL FRANCISCO D´ABADIA. Dessa feita se trata da antiga Praça Cristovam Campos.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . ocasião que priorizou o alargamento de diversas ruas. aderiste ao bem. Foste justo. O senhor Cristovam foi um político de grande influência na cidade e dirigiu por vários anos os destinos políticos de Anápolis. Foi prefeito por dois mandatos e seus feitos narrados em outras notas deste livro.SUAS RUAS . deixaste sempre à vontade de Deus. Essa dupla deixou saudades. o Coronel Odorico mandou construir mais uma praça na cidade.ANÁPOLIS . o escritor: “Prudêncio. senhor Arlindo Costa. limpeza geral e sistemática das vias centrais e outros pequenos cuidados com as coisas públicas que incomodavam os cidadãos anapolinos. ODORICO DA SILVA LEÃO-Período 1919-1923 Segue a administração do Intendente ODORICO DA SILVA LEÃO – 1919 a 1923 – que fez introduzir na cidade o seu paisagismo e arborização e. CRISTOVAM CAMPOS – Governou -1915 a 1919 Cristóvam governou Anápolis no período de 1915 a 1919. nascido em Paracatu-MG. No seu governo foi assinado o contrato com os empresários Francisco Silvério de Faria e Ralph Coleman 218 .

cuja efetivação só se daria no ano de 1924. que os feitos desse cidadão foram tão notórios para a sua época que. por ato nomeativo do governo do Estado.ANÁPOLIS .(Dô) para a instalação da luz elétrica. bem como a construção das linhas do telégrafo até à nossa cidade. o Dr. meio-fios. onde é hoje a Praça James Fanstone. naquela época. que foi inaugurado em 1926.SEUS VULTOS . ADALBERTO PEREIRA DA SILVA-1927/1930 Em 1927 assumiu a Prefeitura de Anápolis. já que o antigo ficava na hoje Praça Americano do Brasil e muito no centro da cidade. Acontece. resolveu promovê-lo. Brasil Caiado”. coube ao senhor Graciano Antônio da Silva a patente de oficial superior de Major. GRACIANO ANTÔNIO DA SILVA. um historiador mais atento às glórias do senhor Sanito. por força do costume. o que lhe caiu muito bem e. em boa hora. assumiu a Intendência Municipal o senhor Graciano Antônio da Silva (Sanito). O senhor Sanito. desapropriou o terreno e construiu um belo e moderno jardim. Foi no seu governo que se deu a instalação da luz elétrica. sarjetas. e o “Cemitério São Miguel”. por merecimento.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .1923/1927 No final do ano de 1923. tal apelido chegou até aos nossos dias.SUAS RUAS . Adalberto Pereira da 219 . construindo e recuperando as ruas esburacadas. Grande vulto esse Dr. ao posto de Coronel. Sanito! Aqui cabe um adendo à biografia desse ilustre cidadão: na hierarquia militar dos títulos honoríficos concedidos pela Guarda Nacional aos vultos importantes daquela época. foi no seu governo que o anapolino viu transformar a antiga Antas na verdadeira Anápolis. Na sua gestão também foi criado e instalado em Anápolis o primeiro “Grupo Escolar Dr. homem de larga visão. calçadas junto às casas.

e com ajuda do senhor Jonas Duarte.SUAS RUAS . governando de 1927 a 1930. para construir uma usina no rio Piancó. Assim.Adalberto foi o fundador do primeiro jornal da cidade “Correio de Anápolis”. juntamente com outro vulto anapolino. Pedro Dias de Campos recebeu o nome de Getúlio Vargas. o novo Intendente Municipal determinou a mudança de nome de diversas ruas da cidade. Alarico Gonzaga Jayme. princiaplmente o teatro. Dr. funda o “Abrigo dos Velhos” e inicia um importante ciclo de colonização de Cerrado (Nerópolis). Pedro Ludovico Teixeira. a empresa “Força e Luz de Anápolis”.SEUS VULTOS . JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA-1930/1934 Com a vitória da Revolução de 1930. Dr. verdadeiro surto de progresso se verificou na cidade: Em 1932. liderada pelos empresários Francisco Silvério e Ralf Coleman. a Rua Cel. A Praça Cel. o senhor João Luiz de Oliveira. Genserico Jayme e Alberico de Carvalho. o escolhido para conciliar as duas correntes do Partido Democrata. Dr.ANÁPOLIS .Adalberto Pereira da Silva. Para apagar o rastro do caiadismo reinante no nosso Estado. Era a apologia dos novos mandantes da política do Brasil. No governo do Prefeito JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA. Grande empreendimento que se realizou nessa gestão. nomeado pela Junta Governativa do Estado de Goiás. Adalberto. juntamente com Zaqueu Crispim. foi deposto do cargo de prefeito Dr. a Praça Senador Ramos Caiado passou a se chamar Praça João Pessoa. 220 .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Dr. admitiu como sócios os vultos Aquiles de Pina. liderada pelo Interventor Federal do Estado Dr. A Comercial ou 15 de novembro passou a se denominar Rua Antônio Carlos.(Dô) Silva. Silvério Pedro da Silva (pai de Odorico da Silva Leão) tornou-se Praça Mário Caiado. assumindo em seu lugar. foram os grandes incentivadores das artes na cidade daquele tempo.

Aquiles de Pina. Em 1934. o serviço postal em Anápolis deu um grande salto. Gomes Santana Ramos e Dr.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Domingos Peixoto. 1935 – ANO DA REDENÇÃO: 1934/1940 JOSÉ FERNANDES VALENTE – a moral personificada . cuja empresa responsável tinha à frente o Cel. uma nova era se abriu para o nosso Município. com as proximidades das eleições.ANÁPOLIS . JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA deixa a Prefeitura. IRANI FERREIRA BARBOSA – 1934 -Era filho da cidade de Rio Verde. Adahyl Lourenço Dias. Como Prefeito governou o município por menos de um ano sem deixar a sua marca com o administrador.imaginem só -: Eliseu Jorge Campos.(Dô) Em 1932.foi eleito Prefeito de Anápolis.SUAS RUAS . Ribeirão Preto. Graciano Antônio da Silva. fazendo a ligação de São Paulo-Anápolis. São Paulo e Rio de Janeiro. foi Secretário de Estado e em sua breve administração Anápolis ganhou o seu primeiro estabelecimento bancário – Banco Hipotecário e Agrícola de Minas Gerais .Ficou pouco tempo à frente do executivo municipal. Com essa equipe formada de vultos honrados da nossa cidade tudo teria que dar certo.SEUS VULTOS . Irani foi um mero figurante da nossa história política. No dia 1º de janeiro de 1933. O Dr. Uberaba. Os serviços de construção da estrada de ferro avançavam céleres de Leopoldo de Bulhões em direção a Anápolis. com a inauguração das novas instalações elétricas da usina do rio Piancó. Uberlândia. tendo como vereadores à Câmara Municipal os vultos . sendo nomeado para substituí-lo o: DR. pois o avião do Correio Aéreo Nacional passou a descer na cidade todas as quartas-feiras. Domingos Xavier Nunes. levando correspondência para Araguari. Antônio Dâmaso. Outro grande vulto. E deu! 221 .

No mês de agosto. logo depois das eleições. era inaugurado o tão sonhado “Ginásio Municipal”. onde funcionaria.. Daí em diante Anápolis tomou o rumo do progresso. pagou caro pela sua altivez. inaugurada.. e as carroças. mas também o forum da cidade. com grande participação do vereador Dr. e nela o retrato fiel de uma nova era. no dia 7 de setembro de 1935.linda. Anápolis. No fim desse ano de 1937. com o empresário Washington Carvalho. Em 1937. o Prefeito José Valente preparava-se para entregar a Prefeitura ao seu sucessor.(Dô) JOSÉ FERNANDES VALENTE teve a grande felicidade de ver. a instalação da primeira rede telefônica do Estado de Goiás. no final de sua administração o Prefeito Valente deu início à construção do prédio da Praça Bom Jesus.ANÁPOLIS .. José Valente foi nomeado Prefeito.SUAS RUAS . que sempre foi possuída de um alto espírito de independência. Era uma nova vida. A Praça Americano do Brasil foi mais uma excelente obra do Prefeito Valente. não só a prefeitura. continuando assim uma administração progressista. Sua população foi tomada de um novo ânimo. O Prefeito José Valente foi o único Prefeito que governou o município por dois mandatos seguidos e por maior tempo no cargo: sete anos – 1934 a 1940. Adahyl Lourenço Dias. durante o seu governo. Durante este período de ditadura de Vargas e o excesso de poderes do Interventor Federal. Com o advento do golpe de Getúlio Vargas nesse ano. como era de seu feitio. 222 ..NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . linda. livre e altamente democrática. A Prefeitura dinamizou-se. o Prefeito José Valente assina. Pouco ou quase nada fez o governo estadual em prol dos interesses da municipalidade. voltando a trabalhar freneticamente. os Pretetes e as Morenas” não se cansavam de transportar o progresso de um lado para o outro. a inauguração da Estrada de Ferro Goyaz. desse mesmo ano. pelo Interventor Federal Pedro Ludovico. Mesmo contra tudo e contra todos.

1945/ 223 .SEUS VULTOS . Durante sua gestão concluiu o prédio da Prefeitura e do Forum. Aqui também se ressalta a ação desse homem público com a sua efetiva participação na abertura da tão importante rodovia Anápolis-Ceres. a Usina do rio Anicuns. Como realce de sua administração. Pedro Ludovico. a que tem o nome hoje de Avenida Pedro Ludovico.SUAS RUAS .ANÁPOLIS . Morro da Capuava e redondezas. GRACIANO ANTÔNIO DA SILVA. no Bairro São Jorge. criou a primeira feira livre de Anápolis.legou à Anápolis uma continuidade de feitos morosos e sem nenhum realce que pudesse vir a história registrar a sua passagem como um marco administrativo. No mais. sofreu uma forte oposição à sua administração pela classe política da cidade. Durante seu governo foi inaugurada pela Empresa Força e Luz de Anápolis. JOAQUIM CÂMARA FILHO – 1943/1945. localizado perto dos armazéns de “Pina & Irmão. Este estádio funcionou naquele lugar durante muitos anos e se chamava de Estádio “Manuel Demóstenes”.MANUEL DEMÓSTENES BARBO DE SIQUEIRA.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . abriu uma grande avenida na saída para Nerópolis. que serviria de primeiro acesso da integração nacional rumo ao Norte do País. engenheiro. Foi ainda no governo Demóstenes que se deu a transferência do campo de futebol do Jundiaí para o centro da cidade. nomeado Prefeito no fim do ano de 1940. nomeado pelo então Interventor Federal Dr.(Dô) 1941/1943 . podemos citar um interessante trabalho de arborização das ruas centrais da cidade. È hoje onde se localiza a rua Leopoldo de Bulhões. Com este melhoramento começa a iluminação da parte alta da cidade que se estendia acima da Estação de Estrada de Ferro.

portanto. GONZAGA JAYME – 1946 Outro personagem que devido ao pouco tempo de administração e as condições polítcas desfavoráveis da época.ANÁPOLIS . BALTAZAR DOS REIS – 37 dias de 1947 Pelo exíguo tempo de administração nada pôde realizar. fundou em 1944 o Banco Comercial do Estado de Goiás. Seu nome passa para história como mais um figurante. Registre-se aqui o feito extraordinário desses 224 . sem deixar de ter sido um personagem que se destacou em nossa sociedade.(Dô) Seus feitos já foram narrados em outras notas. S/A e foi o seu primeiro presidente. vulto da história. pouco pôde realizar pelo município. cujos feitos já foram cantados em notas anteriores. esse seu Sanito! PLÍNIO A. CARLOS DE PINA – 1947 a 51– Eleito Notável cidadão anapolino. Grande benemérito. juntamente com alguns empresários. Grande empreendedor. ADAHYL LOURENÇO DIAS – 3/10-1947 Vulto de destaque da nossa história.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . Grande político. mas aqui trata-se de um dos vultos proeminentes da história de Anápolis. pelos seus feitos. grande administrador. empresário e membro de uma família de destaque da nossa sociedade.SUAS RUAS . Sua vida foi reportada em outras notas deste livro SÓCRATES MARDOCHEU DINIZ–1951/52 Vulto de destaque da nossa cidade.

juntamente com o senhor Jonas Duarte. PLÁCIDO DE CAMPOS – 1952 – Provisório Outro personagem que o tempo de administração do município não lhe permitiu expandir o seu espírito empreendedor. João Luiz. Anápolis reverencia a sua 225 . Professor emérito e educador de excepcionais qualidades. Escritor. Assumiu o comando do Municipio como Presidente da Câmara Municipal. não se revelou um adminstrador público como se esperava. JOÃO LUIZ DE OLIVEIRA – Eleito – 1953/54 Cidadão de respeito.ANÁPOLIS . CARLOS DE PINA – 1955/1959 Seus feitos e suas realizações já foram declamadas em outras páginas deste livro. Cidadão de atos aglutinadores e de grande liderança classista. Plácido Campos foi um dos fundadores do Banco Imobiliário e Mercantil do Oeste Brasileiro. vulto de destaque nos meios políticos e literários de Anápolis. com capital realizado unicamente com recursos da cidade. Grande vulto anapolino. S/A. o Bairro Jundiaí. Infelizmente.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . HELY ALVES FERREIRA – 1959/60 – Eleito Pessoa de raríssimo trato humano.SUAS RUAS .SEUS VULTOS . Grande vulto esse Dr.(Dô) ilustres cidadãos que constituíram o primeiro banco particular de Goiás. o segundo banco particular e de capital inteiramente anapolino. bem como co-responsável pelo lançamento do maior empreendimento imobiliário. memorialista e historiador. durante o seu mandato junto à Prefeitura local. jornalista. que é hoje o maior desenvolvimento urbano de Anápolis.

político membro do clube daqueles que escreveram a história sob a égide da decência e da honradez. deputado estadual. Homem público sem pecado. o ilustre político sempre foi o mais votado de todos os candidatos. Este grande vulto da história de Anápolis já está sobejamente reportado por todos os historiadores da nossa cidade. ALVES DUARTE – Eleito – 1961/65 Aqui. Foi vereador. Neste espaço cabem dois registros: em todas as eleições em que o Dr. JONAS F.SUAS RUAS .SEUS VULTOS . Grande vulto! RAUL BALDUINO DE SOUZA – 1966/69 – Eleito Cidadão da mais alta honorabilidade.temos que registrar a injustiça ao 226 . Dr. Henrique Santillo concorreu. terminando sua brilhante carreira política como Ministro Tribunal de Contas do Estado de Goiás.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . com as mesmas virtudes. prefeito municiapal. administrou Anápolis com parcimônia. com certeza. governador do Estado. Aqui também o escriba teve oportunidade de ressaltar os seus feitos. SANTILLO – 1970/72 – Eleito Sucedendo ao seu companheiro Raul Balduino.(Dô) memória como um personagem marcante na vida estudantil de nossa cidade. médico humanista. Henrique Santillo galgou com lisura ímpar quase todos os cargos eletivos da República. deixando aos pósteros a sua marca de como se pode administar um grande município à vista do mais rigoroso crivo administrativo. e em segundo lugar – infelizmente . HENRIQUE A.ANÁPOLIS . Raul é pioneiro do leonismo no Centro Oeste brasileiro. senador da República e Ministro da Saúde. com mais tino administrativo. estamos diante do mais atuante prefeito da história de Anápolis até aos nossos dias.

SEUS VULTOS .000 m2 de asfalto na cidade. Pagou pelo pecado do impacto político que Anápolis sofreu com a sua transformação em Área de Segurança Nacional. Eurípedes Junqueira foi nomeado Prefeito de Anápolis com a aprovação de toda a nossa sociedade e dos polítcos locais. Eleito por vontade popular foi destituído do cargo por força de lei que transformava o nosso município em Área de Segurança Nacional.(Dô) seu nome que não figura em nenhuma das nossas vias públicas. Fora disso não deixou nenhuma marca que o pudesse notabilizar. Mesmo com grandes dificuldades criou a PAVIANA e construiu mais de 200. Devido ao exíguo espaço de tempo na Prefeitura. por pouco mais de um ano. políticos. Apenas foi personagem aceita pela sociedade EURÍPEDES B. Todos os seus méritos.ANÁPOLIS . JOSÉ BATISTA JÚNIOR – 1973/ – Eleito Este político anapolino foi o primeiro prefeito cassado da nossa história. Irapuan teve o grande mérito de ser o idealizador do DAIA-Distrito Agroindustrial de Anápolis. dados culturais. IRAPUAN COSTA JÚNIOR – 1974 – Nomeado Nomeado por Decreto Presidencial como prefeito do Município. Dr.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Irapuan não pôde contar com o apoio do povo anapolino.SUAS RUAS .1974/75 – Nomeado Diferentemente do seu antecessor. JUNQUEIRA. o senhor José Batista Júnior não pôde deixar nenhum rastro que consagrasse a sua administração. Dr. É de se ressaltaar aqui a visão desse ilustre cidadão 227 . Henrique está reportado em outro capítulo dessa obra. sociais e a sua vida maçônica foram noticiados na sua biografia revelada em outro capítulo deste livro.

ANÁPOLIS . LINCOLN G. Fica. infelizmente. no entanto. posto que Anápolis precisava de um choque de dinamismo àquela época. não conseguiu o pódium que o consagrasse como um grande realizador. o registro de sua passagem pela administração municipal a expansão da rede escolar do 1º grau. sede da Prefeitura atual.SUAS RUAS . a 228 . Administrativo. nada mais se registra como feito marcante no progresso de Anápolis. Também não há que se falar em sua administração como uma marca de grandes realizações para Anápolis. Fora esse benefício. Anápolis o homenageia com o seu nome numa grande avenida no Bairro Jundiái. Coisa que. mesmo sendo filho de Anápolis. Na sua administração foi duplicada a Avenida Brasil.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . construiu o Centro JAMEL CECÍLIO – 1976/78 – Nomeado Outro personagem político que. a implantação do transporte escolar. regularização do córregos Cezário e Catingueiro no perímetro urbano. mas há muito fora do nosso convívio. Desagrada novamente a nomeação de um cidadão que nunca teve nada a haver com a nossa história e veio de fora assumir o primeiro posto do município. DECIL DE SÁ ABREU – 1980/81 – Nomeado Neste período é que não se encontra nenhum registro marcante da administração Decil de Sá. quando Prefeito da cidade. DE ALMEIDA –1979/80 – Nomeado Aqui se dá continuidade a um período bastante infértil na história política-administrativa da nossa cidade.(Dô) que. não aconteceu. abertura do segundo trecho da Avenida Brasil e recapeamento de grande parte do asfalto da cidade.SEUS VULTOS . denominada Avenida Jamel Cecílio. Infelizmente.

que não dominavam o espírito político que ainda hoje impera na índole do povo de Anápolis. ligação do centro da cidade com o Setor Universitário. Cônego Trindade e praça das Mães. senhor Fernão Ivan. FERNÃO IVAN J. DE ARAÚJO – 1981/82-Nomeado No início da administração do Prefeito Wolney Martins era visível o reflexo do caos administrativo que imperava no nosso município em virtude dos administradores que o antecederam. OLÍMPIO FERREIRA SOBRINHO-1982/83 229 . nenhuma identificação com a populaçao e muito menos pelo seu perfil administrativo.SEUS VULTOS . Claro que este pequeno espaço de tempo não foi favorável ao alcaide provisório. o então presidente da Câmara Municipal. Fernão Ivan é um personagem de destaque na política de Anápolis. não encontrando nesse cidadão.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . execução de serviços de águas pluviais por diversos bairros. nenhum projeto de força impactante pôde ele realizar e que ficasse marcado na sua administração.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . As primeiras obras de Wolney foran a pavimentação das avenidas Pedro Ludovico e Fernando Costa. Reformou as praças Americano do Brasil. pavimentação da terceira etapa da Avenida Brasil-Sul. o Hospital Municipal e outras tantas obras de manutenção e conservação. assumiu os destinos da Prefeitura local durante alguns meses. WOLNEY M. Por mais boa vontade e disposição ao trabalho que pudesse demonstrar. RODRIGUES-1982-Provisório Por força de uma vacância provisória no cargo de Prefeito de Anápolis.(Dô) nossa cidade pagou mais uma vez pela sua teimosia de assaz independência. imposto à administração da cidade.

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Como prefeito Dr. Grande personagem da nossa cidade. O grande desafio do Dr. Melhorou a segurança pública da cidade aumentando o número de delegacias. a alegria e a disposição ao trabalho e a certeza de que um novo horizonte se despontava. entre elas a implantação do Projeto Dom Bosco. FARIA – 1983/85 – Nomeado Executou várias obras. ANAPOLINO S. ADHEMAR SANTILLO – 1986/2000-Eleito É da sua administração a construção do prédio novo da Biblioteca Municipal. Reformou a Biblioteca Municiapl e aumentou o seu acervo com novos livros. Outros feitos deste vulto destacado de Anápolis estão na sua biografia narrada em outro capítulo. urbanizou diversas praças da cidade e dinamizou o serviço de saneamento básico. o Projeto “Sou Cidadão”.ANÁPOLIS . fundou o 230 . Em parceria com o Estado asfaltou mais 8 km da Avenida Pedro Ludovico.(Dô) O governo do Dr. obrigação que muitos não levaram em conta. Anapolino lançou uma campanha incentivando os moradores a construirem muros e calçadas. Olímpio como prefeito foi reacender no povo anapolino o espírito de unidade. Além de outras obras essa administração legou ao povo de Anápolis o Ginásio de Esportes “Carlos de Pina” e a “Praça do Ancião”. o orgulho saudável de ser antense.SUAS RUAS . acenando para dias melhores para a nossa cidade. Credite-se ao Prefeito Anapolino o zelo que manteve com o pagamento em dia dos funcionários públicos.SEUS VULTOS . Olímpio Sobrinho foi marcado por uma franca recuperação no processo administrativo que vinha sucumbindo desde 1975. período em que Anápolis teve à frente de sua administração alguns prefeitos não identificados com a população.

Durante um ano e pouco de administração. Fanstone. se materializaram e se fizeram presentes durante alguns meses. do Dr. o ânimo ao trabalho. Mesmo assim em nada adiantou Tudo inútil.(Dô) Mercado do Produtor. de José Valente.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . tão necessária para sacudir o moral do povo anapolino 231 . a ânsia por dias melhores se foi e com ela a expectativa de uma renovação de costumes. Anápolis viu reacender as suas luzes. o Banco de Leite Materno. O maior pecado da administração do senhor Adhemar Santillo foi a construção (sic) do “Terminal Rodoviário”.SEUS VULTOS . DE PAULA – 2001-Eleito-Cassado A passagem deste cidadão pela Prefeitura Municipal de Anápolis foi como um cometa: anunciado como o raiar de nossa libertação. a esperança. inutilmente. do progressista Jonas Duarte e de tantos outros.viu renascer o esplendor dos velhos tempos. Em pouquíssimo tempo Anápolis – como a ave fênix .ANÁPOLIS . asfaltou várias ruas de bairros e outras recapeadas e criou o”Cursinho Municipal”. Prefeito Pedro Sahum! ERNANI J. criou o Centro Integrado da Mulher. a pujança do seu povo e a alegria alegre de viver tomaram conta da população.SUAS RUAS . O desafio está lançado. de Francisco Silvério. aos pouco desapareceu sem deixar nenhum rastro de luminosidade. Tonico de Pina. os vultos de Sanito. a pirotecnia administrativa do “boom Ernani de Paula” tornou-se em densa fumaça que subindo ao ar fez escurecer a esperança de renovação do nosso ânimo. no ano de 1935. A saga anapolina estava de volta. mutilando dois grandes marcos da nossa história: o prédio da Estação Ferroviária e a Praça Americano do Brasil. O povo anapolino jamais admitiu tamanho desprezo pela nossa história e algo de urgente terá que ser feito para resgatar estas marcas do grande momento vivido pelo povo antense. quando da chegada dos trilhos férreos à nossa cidade. Dr Genserico.

A cidade espera muito desse plano que prevê seus resultados efetivos a partir da próxima administração. com a manifesta vontade de justiçá-los.SUAS RUAS . E. e quando se entrega apenas ao propósito sadio da exploração da vida dos vultos que à época viveram e outros que existiram. com um programa de governo ambicioso. com a história de Anápolis. a verdade dos feitos que consagraram estes heróis que escreveram a história da nossa cidade. filha da cidade de Arraias. É grande a responsabilidade do escritor com a verdade dos fatos e. era casada com Gomes Pereira 232 . ANA DAS DORES ALMEIDA. quando este pecebe em sua fala a imparcialidade.(Dô) Infelizmente.SEUS VULTOS .ANÁPOLIS . a fênix não voltou a voar! PEDRO F. o autor se atreve a abrir uma nova galeria de vultos notáveis.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . tudo em vão. mas o suficiente para lembrar aos contemporâneos a passagem marcante de seus feitos pela nossa história. mais ainda. C A P Í T U L O VI Esperança de reparo Grandes vultos que fizeram a nossa glória e ela mesma não registra seus feitos por onde está passando a carroça da história. consigo mesmo. principalmente. A cidade espera e confia na visão futurista do nosso Prefeito. Assim. hoje Estado do Tocantins. e que hoje o escriba transmite com sua pena isenta. É gratificante ao historiador. mesmo que em rápidas pinceladas. SAHIUM – 2002/07 – Eleito e em exercício. vem calcando sua plataforma em um plano de desenvolvimento cercado por uma nova ciência administrativa.

O local desse campo santo é hoje a Praça Americano do Brasil. membro de uma das cinco famílias mais antigas de Antas era filho do chefe do clã. Gomes de Sousa Ramos. o primeiro cemitério da então freguesia de Santana das Antas. Estes eram os pais do fundador da nossa cidade. o qual nasceu em Pirenópolis.SUAS RUAS . vulto do qual tratamos em outras notas como sendo o Dr. casou-se com Ana Pereira Dutra. doando-o à igreja que era a responsável por enterrar seus fiéis do lado de fora do prédio da paróquia. Faleceu em nossa cidade em 1885. ANTÔNIO PEREIRA DUTRA -1845/1908. Em 1882 o senhor Ângelo comprou a terra e nela construiu. na cidade de Bonfim. Galeno Americano do Brasil. Lavrador de profissão. Homem de visão ampla. nascido em Pirenópolis e de família numerosa. transferindo-se ainda moço para Antas. Pelo que consta do acervo histórico de Anápolis foi esta admirável dama que fez a doação da imagem de Nossa Senhora Santana para a capela construída pelo seu filho. razão pela qual a nossa cidade tem como padroeira essa Santa. sugeriu que a cidade tivesse esse nome: Ana=Santa + polis=cidade. transferindo-se para Antas em 1860. Dona Ana das Dores Almeida faleceu em em nossa cidade e foi sepultada perto da porta lateral da Matriz de Santana. =que se soletra ANÁPOLIS. sendo enterrado no cemitério que construíra.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Moisés Augusto de Santana. um dos pioneiros da cidade. irmã do segundo intendente da cidade senhor Antônio Pereira Dutra. e tia avó do autor dessa notas. às suas expensas. em 1830 e falecido nesta cidade no ano 233 .(Dô) Ramos. progrediu como lavourista e chegou ao cargo de sub-delegado público. ÂNGELO JOSÉ DE SOUSA nascido no ano de 1831.ANÁPOLIS . senhor Manuel Pereira Dutra. Isso em 1904.SEUS VULTOS . É do nome ANA que um personagem ilustre da nossa história.

o respeitável cidadão Benedito casou-se com dona Júlia Rodrigues dos Santos de tradicional família antense. de 23 de setembro de 1897. filho de Anápolis. sendo eleito em 21 de maio de 1895 para o cargo de Intendente Municipal da Vila de Antas. O admirável cidadão Benedito Borges de Almeida foi o chefe do clã Borges de Almeida. Theodoro Batista Ramos. coletor estadual e federal. no ano de 1867 veio para a nossa cidade muito menino. Em Antas. nome que perdura até hoje. Homem de influência e político perspicaz foi Vice-Intendente Municipal. sendo presidente do Conselho Municipal o senhor Antônio de Sousa Ramos. desempenhou diversas funções públicas. como: delegado de polícia e conselheiro municipal por três mandatos. Ainda na gestão de Pereira Dutra foi assinada a Lei nº 7. Manuel Francisco D`Ábadia Durante a gestão do senhor Antônio Pereira Dutra.(Dô) de 1877. Antônio Pereira Dutra. anos mais tarde. BENEDITO BORGES DE ALMEIDA nascido na cidade de Jaraguá. no dia 1º de maio de 1896. legando à cidade outros 234 . negociante e homem de reconhecido valor no meio político.SEUS VULTOS . além de um seu irmão Miguel Pereira Dutra. era fazendeiro. que havia sido decretada a 10 de março do mesmo ano. João Batista Arantes. o primeiro.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . acompanhando o seu tio Gomes de Sousa Ramos – nosso fundador. Fazia também parte integrante dessa administração. pai de Zeca Batista.ANÁPOLIS . no período de 1895/1897. Em homenagem a essa data. sucedendo Lopo de Sousa Ramos. Tal lei foi transcrita em outras notas dessa edição.SUAS RUAS . foi promulgada a primeira Lei Orgânica do Município. sub-promotor público e juiz distrital e municipal e ainda mais. como: Antônio Batista Ramos. delegado de polícia. dariam a essa via pública o nome de “Primeiro de Maio”. o segundo da história nos documentos pesquisados. nascido no ano de 1845. outros conselheiros de vulto. Francisco Xavier de Oliveira. que alterou os nomes de ruas da cidade.

delegado de polícia e procuradorfiscal da intendência e da prefeitura. cujos nomes constam de ruas de Anápolis.SUAS RUAS . Waldemar Borges de Almeida. transferência esta comandada pelo chefe do clã. sendo juiz distrital. mulher de admiráveis dotes. inclusive um seu sobrinho. ao tempo que também exercia sua profissão de dentista. senhor Manuel Pereira de Sousa Dutra. segundo atesta estudo sério do genealogista-escritor José Sisenando Jayme. FRANCISCO PEREIRA DUTRA. – a personificação da reserva moral . Foi diretor da escola Normal até 1931. criando a todos. sua família foi uma das primeiras a radicar-se em Meia Ponte (Pirenópolis).(Dô) valores morais. CHRISTALINO BERNARDINO DA COSTA. na metade do século XVIII. cujos sucedâneos tornaram-se personagens de relevo da nossa sociedade. onde nasceu em 1895. ainda vivo. quando teve uma infância própria da época. Membro de família de políticos e homem de muitas posses.ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . com pouca educação escolar. 235 . mas secundado por uma orientação básica familiar suficiente para projetá-lo no seu meio. filho do grande poeta Arlindo Costa. nasceu aqui em 1879. onde foi Tabelião do 1º Ofício. natural de Uberaba-MG. O senhor Francisco Pereira Dutra (Chico Pereira) era filho de Antônio Pereira Dutra. respeitável e honrado cidadão Moacir Romeu Costa. Admirável vulto. o senhor Francisco Pereira Dutra exerceu diversas funções no município. transferindo-se para Antas em 1830. Não tendo filhos viveram para os filhos dos outros. o hoje. Faleceu nesta cidade em 1967. transferiu-se para Anápolis.SEUS VULTOS . como seus filhos Narceu de Almeida e o grande Venerável da nossa Maçonaria.Depois de morar alguns anos em Ipaneri. O senhor Chico Pereira – como era conhecido – foi casado com dona Ernestina Elisa das Dores. já noticiado nessas páginas.

236 .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . mas desde muito jovem viveu em Anápolis. em Belo Horizonte. em 1987. que lutavam pela criação do Estado do Tocantins. Um dos políticos mais combativos de Goiás e considerado um dos mais brilhantes parlamentares brasileiros por sua facilidade de expressão e. SP. onde chegou no ano de 1908. em Brasília. foi eleito senador da República pelo Estado de Goiás.SEUS VULTOS . Em 1983 elegeu-se primeiro-secretário do Senado Federal.SUAS RUAS . Em 1974 concorreu à Assembléia Estadual sendo o deputado estadual mais votado. quando se deu a contaminação de algumas ruas da Capital pela ação do Césio 137. HENRIQUE SANTILLO Nasceu em Ribeirão Preto. Chegou ao ponto de colocar à disposição das lideranças nortenses. sendo sepultado no Cemitério da Quarta Parada. Em 1978. Formado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (1963). duas salas da Representação do Governo de Goiás. foi o primeiro e único Governador de Goiás a tomar tal providência. chegando mais tarde a gerenciá-la. da capital paulista. Vereador mais votado da história de Anápolis (1966) elegeu-se prefeito da cidade (1969/73). Concluído o curso. via CONORTE. Aliás. sempre pelo MDB. voltou à Anápolis para especializar-se em pediatria.(Dô) Por influência de amigos transferiu-se para a cidade de São Paulo. sobretudo. deu total apoio à criação do Estado do Tocantins. Quando Governador de Goiás. Era Governador do Estado de Goiás. dedicando-se à faina numa fábrica de tecidos. No Governo do Presidente Itamar Franco. Faleceu o senhor Chico Pereira 1931. a 23 de agosto de 1937.ANÁPOLIS . por seus conhecimentos sobre a vida parlamentar e toda a mecânica legislativa. foi Ministro de Estado da Saúde.

dirigido pelo Prof. Americano do Brasil: Vida e Obra e tantos outros. em 1928. Poetas e Escritores de Anápolis e Estudos Literários de Autores Goianos. pesquisador. Em 1942. História de Silvânia.SUAS RUAS . Gerações em Marcha. Jornalista. intelectual. Chico Trinta. de grande tradição em Anápolis. Da Farda ao Fardão Acadêmico. escritor. educador. Humberto Crispim nasceu na cidade de Anápolis.ANÁPOLIS . segue para Aracati (Sousânia). entre os quais.. Goiás. no dia 16 de julho de 1918. jornalista. estudando com o professor Nestor L. sendo redator da “Voz Juvenil”.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Membro da Academia Goiana de Letras. HUMBERTO CRISPIM BORGES Filho de Anápolis e autor de dezenas de livros. através do Governo de Marconi Perillo.. sem as honras merecidas. terminando por ingressar na Escola Normal de Anápolis. Militar do Exército Brasileiro. historiador. Lamentável. Generais Goianos. a partir de 1934. cronista.(Dô) No ano de 2000. matriculou-se na Faculdade de Medicina de Belo 237 . Moisés Santana: sua vida e obra. em 1932. foi conduzido ao cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Goiás. onde também foi sepultado. Retrato da Academia Goiana de Letras. Coelho. Chico Melancolia.. Faleceu em Anápolis. freqüentou o Ginásio Anchieta e a Escola de Instrução Militar. conferencista. Após freqüentar o Grupo Escolar “Dr. De lá retornou pouco tempo depois. professor. Notabilizado nos livros Letras Anapolinas. ensaísta. da Academia de Letras Anapolina e sócio do Instituto Histórico de Goiás. Goiás. Cacho de Tucum. orador. Brasil Caiado”. Em Silvânia. memorialista. onde também se bacharelou em Ciências e Letras. Alarico Torres Verano. Filho de Antonio Crispim e de Galiana Borges Crispim.SEUS VULTOS . contista. de Mário Ribeiro Martins.

(Dô) Horizonte. Cecino Pereira de Alarcão. editou Cacho de Tucum. não parou de escrever. Adalberto Pereira da Silva.SEUS VULTOS . em 1967. Altamiro de Moura Pacheco. Em 1970. que. Humberto Crispim não tem nome de rua em sua lembrança. Dr. o poeta Eurico Xavier de Velasco.ANÁPOLIS .SUAS RUAS . cujo Patrono é Luiz Gonzaga Camargo Fleury. Quem melhor biografa Humberto Crispim é o grande escritor e dicionarista Mário Ribeiro Martins em seu notável “Dicionário Bibliográfico de Escritores Regionais”. anonimamente. teve o seu livro Chico Melancolia. fazendo naquela cidade o Curso de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) e iniciando aí sua vida militar. na verdade. 238 . Jaci Borges. Eleito para a Academia Goiana de Letras. em 1972. premiado e publicado pela Bolsa de Publicações Hugo de Carvalho Ramos. de que foi fundador Victor Coelho de Almeida. IRON JUNQUEIRA Aqui a carroça da história pára bem em frente ao “Lar da Criança Humberto de Campos” para reverenciar mais um vulto da linha de tantos outros. Valtercides Alves Garcia. Em 1976 foi eleito membro do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás. A partir de então. na Cadeira nº. ao qual nenhum escritor que se preza por detalhes históricos se furtará de consultar. 3. de um dos mais ilustres historiadores e pesquisadores de Goiás. José Diniz. Mesmo com uma vida militar intensa.Luiz Fernando da Silva. como Augusto Pinto. Moacir Romeu Costa. da Prefeitura Municipal de Goiânia. Vulto importante da história da nossa cidade. José Duarte Guimarães e outros grandes beneméritos da nossa cidade. escreveram as páginas mais bonitas da história da solidariedade anapolina. foi recebido pelo Dr. tendo sido titular Alfredo de Faria Castro.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Trata-se. Dr.

“O Pombinho Dourado” e “Páginas Recreativas”. Ciências e Letras. Durante muito tempo. Na Academia Anapolina de Letras e Artes. na Rádio Carajá.(Dô) Destaque para IRON JUNQUEIRA – 1938 goiano. cujo Patrono é seu pai. “As Cigarras Estão Cantando”. de Brazabrantes. etc. cujo Patrono é Antônio Americano do Brasil. a 22 de novembro de 1938. Fundador e Diretor do “Lar da Criança Humberto de Campos”. Pertence a várias entidades culturais e de classe.SEUS VULTOS . jornalista. da União Brasileira de Escritores de Goiás. Sebastião Pedro Junqueira. É Titular da Cadeira 05. genuinamente anapolino. os livros “Páginas Recreativas”. Loja Maçônica João Pedro Junqueira. "Há Tantas Flores no Caminho”. Cursou as primeiras letras na cidade natal. um Programa de caráter espiritualista. filantropo. educador e ficcionista. subseção de Anápolis. literato. contista. professor. sob o pseudônimo de Emiliano Zarra. TRIBUNA DE ANÁPOLIS. manteve.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . da Academia Anapolina de Filosofia. etc. escreveu muitos livros e artigos para jornais. entre as quais. destacando-se. na Academia Anapolina de Filosofia. cuja origem data de 1956. antigo Distrito de Anápolis. Ainda hoje. Na década de 1970. ocupa a Cadeira 16. Começou a vida literária. "Pelo Clarão da Janela”. Sebastião Pedro Junqueira. fundou o “Lar da Criança Humberto de Campos”. autor de dezenas de livros.///////////////////////////////////////// Nasceu em Brazabrantes.ANÁPOLIS . além de continuar na Direção do “Lar da 239 . Iron Junqueira é membro da Associação Goiana de Imprensa. "Esse Rosto Não Me Parece Estranho!”. Ciências e Letras. “O Lado Pitoresco da Vida”. Considerado o mais fecundo escritor da atualidade. cronista. destacando-se. distrito de Anápolis. trabalhando no jornal fundado e dirigido por seu pai. Goiás. Escritor. com sede em Anápolis. onde ampara mais de uma centena de crianças. "Canção ao Amanhecer”. "Na Trilha da Esperança”. União Brasileira de Escritores. poeta. "No Palco da Vida”.SUAS RUAS . com atividades funcionais planejadas.

ANÁPOLIS . Sobre ele e com o título “Iron Junqueira e sua literatura para o Lar”. a Carroça da História depara com mais uma omissão de um fato muito importante da nossa história.SEUS VULTOS .(Dô) Criança Humberto de Campos”. Trata-se do invulgar cidadão Joaquim Rodrigues dos Santos. ainda menino. É um privilégio do autor ser seu amigo e contemporâneo. onde freqüentou o Seminário Santa Cruz. onde se casou com dona Maria Diná Crispim. para Vila Boa. filho de Agostinho Rodrigues dos Santos e de dona Maria dos Santos Pires. JARBAS JAYME De grata lembrança. Grande historiador. funcionário da intendência e da prefeitura. deixou importantes obras. Seu Joaquim foi casado com dona Manuela Gomes dos Santos deixando uma numerosa prole dos seus dois casamentos. transferido ainda muito menino para o sítio das Antas. Faleceu nesta cidade em 1968. comerciante. escreveu excelente matéria. 240 . novamente.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . o crítico literário Mário Martins. onde foi criado em atividades agro-pastoris. Importante vulto da nossa atualidade esse sêo Iron. JOAQUIM RODRIGUES DOS SANTOS Aqui. no ano de 1836. Estamos a falar de um vulto deveras significativo para que se possa contar por inteiro a trajetória da nossa cidade. sendo professor. nascido na cidade de Bonfim. transferindo-se. Aqui na nossa cidade desenvolveu importantes atividades. Ainda jovem veio para Anápolis. cuja união fez gerar dois grandes escritores Haydeé Jayme e José Sisenando Jayme. filha de tradiconal família anapolina.SUAS RUAS . Jarbas Jayme nasceu em Pirenópolis em 1895. é um dos mais respeitados articulistas dos jornais de Anápolis. no livro Escritores de Goiás.

comendador Joaquim Alves de Oliveira.SUAS RUAS .antes de se transferir para a nossa cidade . isso lá pela metade do século XVIII. Cadê a lembrança desse vulto?. De fonte paroquial fidedigna afirma o historiador José Sisenando Jayme que a família de Manuel Pereira Dutra procedia de uma das primeiras famílias radicada em Meia Ponte (Pirenópolis). Seu feito maior e que o consagra como um dos vultos mais importantes da nossa história é ter sido ele o principal doador das terras que viriam formar o patrimônio de Nossa Senhora Santana em cujo solo construiu-se a mais pujante cidade do Oeste brasileiro: ANÁPOLIS! Seu Joaquim veio a falecer no dia 18 de dezembro de 1912.ANÁPOLIS . após a elevação do arraial de Meia Ponte a Vila . MANUEL PEREIRA DUTRA Segundo nos informa o historiador Humberto Crispim.SEUS VULTOS . há mais de duzentos e vinte anos. quando registra o óbito do referido senhor.o senhor Manuel Pereira Dutra foi eleito para o cargo de vereador da primeira legislatura ocorrida em Pirenopolis. sendo seus pares: capitães Joaquim Pereira Vale e José Gomes de Siqueira.. o escritor Jarbas Jayme dá notícia de que. No livro “Esbôço Histórico de Pirenópolis”. o senhor Joaquim Rodrigues dos Santos deixou o sítio Monjolo. e foi morar na Água Fria.. foi possível identificar sua orígem. transferido sua residência para a nossa região no ano de 1835. tenente-coronel Joaquim Ribeiro Camêlo e padres Luiz Gonzaga 241 . no ano de 1832. nascido em Meia Ponte – hoje Pirenópolis – e já casado. no ano de 1877.(Dô) Depois do seu segundo casamento. em sua galeria de “vanguardeiros de Anápolis” e mais o que consta das anotações do cartório local. quando descobrimos ter o senhor Manuel Pereira Dutra.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . às portas da cidade. sempre se dedicando às atividades da terra.

e com o amparo nessa mesma Lei. tendo a oportunidade de assumir a titularidade do governo no ano seguinte. também. chamado de Antônio Pereira Dutra. um outro seu descendente também foi prefeito da nossa cidade. (1895/1897) e o primeiro anapolino a exercer esse cargo. deu-se o nome a ela de Rua 15 de Dezembro. Em 1901 foi eleito Vice-Intendente. Da sua descendência fazem parte não só esse Intendente. mas também o seu outro filho.SUAS RUAS . 242 . Era fazendeiro. Mais contemporaneamente. filho legítimo de Antônio Pereira Dutra nasceu na Vila de Antas. Olímpio Ferreira Sobrinho. Trata-se do seu bisneto Dr. em uma dependência da igreja Matriz de Pirenópolis. Manuel Amâncio da Luz. MIGUEL PEREIRA DUTRA. Em 1903. sendo outros filhos e netos juizes. rua que tem hoje o nome de Eugênio Jardim. realizada em 18 de novembro de 1832. datada de 20 de março de 1903 mudou o nome da avenida Padre Cunha para Xavier de Almeida. foi lavrada em 14 de abril de 1833. o senhor Miguel Pereira Dutra que durante os anos de 1901/03 exerceu o cargo de Intendente municipal. e o Secretário que assina a tal Ata foi o vereador Luiz Gonzaga de Camargo Fleury. onde havia se reunido pela primeira vez os edís eleitos em novembro de 1832. sendo. Nessa época surgiu uma nova rua. seu bisneto.(Dô) de Camargo Fleury.SEUS VULTOS . delegado de polícia e procurador-fiscal da prefeitura da época. negociante e político como o pai. onde foi criado e iniciado nas primeiras letras. A Ata dessa eleição. sendo esta a primeira rua de duas pistas na nossa cidade.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . que veio a ser o segundo intendente eleito do município. pela Lei Municipal nº 34. chegando a exercer o cargo público de Conselheiro Municipal. o autor do presente trabalho. Consta do registro cartorial que o seu primeiro filho nasceu nesta cidade no ano de 1845.ANÁPOLIS .

chefiando a sua família. choferado por uma figura simpática e da mais nobre raça do Oriente Médio. mesmo em detrimento de uma só. carregado de arroz “3/4”. senhor Jibran El Haje. em Trípoli. jovem e destemido.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . rumo ao Brasil. MOUNIR NAOUM Aqui a carroça da história dá uma paradinha – no início da década de quarenta . vítima de um atentado a bala que o vitimou fatalmente. homenageando as mães no seu todo. em 1963. interinamente..(Dô) MOISÉS AUGUSTO SANTANA Moisés Santana nasceu em Vila Boa – Cidade de Goiás – no ano de 1879.para ver passar um caminhão de médio porte. Transferindo-se para a Antas.SUAS RUAS . Moisés Santana foi o principal responsável pelo topônimo ANÁPOLIS. 243 . escrivão de órfãos. Até antes do governo municipal do senhor Jonas Duarte. mais especificamente para a cidade Anápolis. as funções de intendente municipal. empreendeu uma grande viagem. exercendo. sugerido por ele desde 1904. em artigo próprio publicado no jornal “Lavoura e Comércio”. país onde nasceu. há oitenta anos.SEUS VULTOS . procedente da cidade de Trípoli. Sempre haverá tempo de se reparar um descaso. concluiu seu estudo básico pela “Trípoli Boys School” e pouco depois. passou a ser chamada desse nome. a atual “Praça das Mães” chamava-se “Praça Moisés Santana”. aqui desempenhou as funções de delegado de polícia. de Uberaba-MG. atendendo convite do seu tio. Foi nesta cidade que Moisés faleceu em 1922. secretário da intendência. fenício de nascença. primeira Capital do Líbano. Ainda jovem.. a mãe desse vulto.ANÁPOLIS . ainda. que aqui já residia. Depois de reconstruída.

Político. Contista. Alocuções Cívicas. Destacado nos livros Letras Anapolinas. fazendo de Anápolis o eixo central de todas as suas realizações. Escritor. o senhor Mounir Naoum. Meio Século Formando Gerações-História da Associação Educativa Evangélica de Anápolis. notabilizando-se.SUAS RUAS . Procurador do Estado de Goiás. sediado em Anápolis.ANÁPOLIS . Ativista. Goiás. nos últimos 50 anos. Poeta. dentre outros títulos seculares. “Medalha do Pacificador”. o senhor Mounir Naoum é sócio-fundador do GRUPO NAOUM. Cronista. Literato. Jornalistas. O senhor Mounir Naoum é um dos poucos anapolinos a portar as três maiores condecorações das Forças Armadas. no Governo do Presidente João Batista Figueiredo. Deputado Estadual. Memorialista. Comenda “Bernardo Sayão”. Poetas e Escritores de 244 .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Vulto de destaque e muito querido em nossa cidade. Pesquisador. principalmente. Sublime Ideal.SEUS VULTOS . Orador. Conferencista. Além de muitos outros cargos na esfera municipal e estadual. cargo em que se aposentou. escreveu. não se furtando em nenhum momento da sua participação efetiva no desenvolvimento da nossa cidade. Prefeito nomeado de Anápolis. Leonismo. Educador. Pensador. entre outros textos. OLÍMPIO FERREIRA SOBRINHO OLÍMPIO FERREIRA SOBRINHO. filho de Anápolis. entre outros títulos. Canções Guardadas na Memória. Ensaísta. Mounir Naoum jamais se furtou da participação de um chamamento cívico-social da cidade. Intelectual. “Ordem do Mérito Judiciário Militar”. l928. Ficcionista.(Dô) Empresário de visão ampla. conglomerado empresarial. tornando-se vulto imprescindível à sociedade anapolina. pois é detentor da medalha do “Mérito Aeronáutico”. pela sua atuação marcante nas soluções dos nossos problemas sociais. notabilizou-se pelo seu espírito empreendedor.

Olímpio Sobrinho foi bancário pelo período de 1946/1959. Estudos Literários de Autores Goianos e Escritores de Goiás. filho de José Ferreira da Silva e Amélia Pereira Dutra. por concurso. Tornou-se Prefeito Municipal de Anápolis. da Faculdade de Direito de Anápolis – FADA. vice-diretor e diretor da Escola Técnica de Comércio de Anápolis. especializando-se em Direito Comercial e Estudos de Problemas Brasileiros. em Nerópolis. de Haydée Jayme Ferreira.SEUS VULTOS . tornou-se Procurador do Estado.SUAS RUAS .(Dô) Anápolis. onde também fez Pós-graduação.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . bisneto do senhor Antônio Pereira Dutra. Fundador e Diretor. primeiro filho de Anápolis a ser eleito Intendente Municipal em 1895/97. a partir de 4/6/1982. Instalador e gerente Banco Imobiliário e Mercantil do Oeste Brasileiro. Na Escola Técnica de Comércio da cidade natal. Olímpio fez o curso ginasial no Colégio Couto Magalhães. Em 1959 bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Goiás. Encontra-se no livro “Anápolis-Sua Vida-Seu Povo”. Nasceu em Anápolis. de Paulo Nunes Batista e Jarbas de Oliveira.ANÁPOLIS . sendo esta o primeiro núcleo da hoje pujante Universidade Evangélica de Anápolis. S/A. exercendo as atividades como escriturário e gerente da Caixa Econômica Federal em Anápolis. de Mário Ribeiro Martins. No período de 1959 a 1962. do Banco do Estado de São Paulo. foi Deputado Estadual. por um período de 16 anos. cargo em que se aposentou por tempo de serviço. bem como no texto “Anápolis em Tempo de Música”. hoje Banco Itaú. Biografado no Dicionário Bibliográfico de Goiás. Por concurso público. Por duas legislaturas. concluiu o Curso Técnico. a 10 de janeiro de 1928. em virtude de ser 245 . Dr. Foi professor. de 1963 a 1971. escolhido que foi pelo Presidente da República. foi Vereador à Câmara Municipal. Funcionário.

ANÁPOLIS . Professor titular das Cadeiras de Direito Civil e Comercial da Faculdade de Direito de Anápolis. Na Academia Anapolina de Filosofia. Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG). Ocupou na cidade importantes cargos. formando-se em direito no ano de 1932.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . no contexto desta obra. Foi destacado comerciante e fazendeiro no município. Ciências e Letras ocupa a Cadeira nº. chegando a Secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás. vice-intendente municipal. Foram apenas substitutos eventuais. natural de Antas. ZAQUEU CRISPIM Zaqueu Crispim. damos abaixo a relação dos vultos e personagens que exerceram essa função por pequeno espaço de tempo em substituição aos titulares e que não chegaram a ser efetivados no cargo.SEUS VULTOS . cujo Patrono é Florêncio Antônio da Fonseca Grostom. entre as quais.(Dô) a cidade considerada área de segurança nacional. Pertence a várias entidades culturais e de classe. VICE-INTENDENTES/PREFEITOS A fim de dissipar algumas dúvidas ainda existentes. nos anos de 1951/52. ao longo dos anos. 19. Colégio Brasileiro de Faculdades de Direito. como o de delegado de polícia. Lions Clube Anápolis. quando aqui nasceu no ano de 1895. quanto ao efetivo exercício do cargo de intendente/prefeito em nossa cidade. Theodoro da Silva Batista (1899) – Antônio de Sousa Ramos (1902) – Delfino Batista 1904 – Benedito Borges de Almeida ( 1905) – Francisco Silvério de Faria (1906) – Pedro Alexandrno Costa (1913) – Luiz Inácio de Bastos (1915) – Teodoro da Costa Queiroz (1917) – Braz Luiz Gomes de Pina 246 . conselheiro.SUAS RUAS .

cada um na sua área. uma nova etapa. face à cizânia com o prefeito. governador do estado. CAPÍTULO ESPECIAL I Aqui o autor abre um espaço especial para abrigar em sua obra uma mensagem dirigida a toda a população de Anápolis. Primeiro.SUAS RUAS . porque embora eleito de direito não ocupávamos o cargo de fato. iniciando.ANÁPOLIS . levando em conta a CEI já em desenvolvimento na Câmara Municipal e ante solicitação direta da população através de abaixo-assinado 247 . cujos resultados se fixavam. Tal conjuntura. Em plena metade daquele ano. a sede da prefeitura pulverizada em diferentes endereços causando desorientção ao contribuinte. principalmente. o então. sem dúvida. depois de uma administração conturbada (foram mais de 30 secretários substituídos no curto espaço de dois anos. num desejo de renovação. porque as eleições de 2000. por assim dizer. Mesmo sem qualquer atribuição com as conseqüências que então se abatiam sobre a cidade e a sua população.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . haviamos sido eleito vice-prefeito. Em agosto daquele ano. era a exata contradita da grande expectativa reinante com a eleição de 2000. vencimentos dos servidores atrsados em prejuízo de milhares de famílias. segundo.(Dô) (1918) – Vespasiano Batista (1922) – Pacífico Alves da Cruz (1923) – Elizeu Jorge Campos (1936) – José do Couto Dafico (1946) e Plácido de Campos (1952). contribuíram decisivamente para tornar a nossa cidade nessa que é. sentíamos diretamente os efeitos de tal situação. dívidas acumuladas e extrema insatisfação popular). o município estava. Com a palavra o senhor Prefeito: “Era o ano de 2003. sobretudo. a maior cidade da Região Centro Oeste brasileiro.SEUS VULTOS . personagens e figurantes que. aos seus vultos.

Alcides Rodrigues. enquanto as receitas decrescem. a realização e entrega de várias obras e os ingentes esforços. etc. Era o ano de 2004. modernização e prosperidade desta mesma comunidade. quer ao esmerado 248 . Cunpriu-nos aí reoactuar dívidas – com a Celg. determina a intervenção.(Dô) com 71mil subscrições de cidadãos anapolinos. a ânsia de continuidade do progresso e do desenvolvimento a que toda a comunidade aspira – até porque é de seu direito. Em alguns aspectos. E assumimos a Prefeitura evocando este marco secular para a hsitória do Município.ANÁPOLIS . assumíamos a Prefeitura. Mas assumimos também com os olhos postos na busca de soluções que não podiam (e ainda agora não podem) esperar para atender às contingências provindas dos impasses muito naturais da atividade administrativa. E mais: a partir daí houve considerável queda no repasse do ICMS. em quatro anos. E aí se somam também os desejos de bem-estar. Brasil Telecom. Porque cidades como Anpaolis sofrem pesadas perdas no Coíndice (repasse do ICMS). Por outro lado. INSS.SEUS VULTOS . concorrendo em acirrada disputa. esperávamos. O hoje governador do estado. logramos oferecer resultados. que na atividade laborativa de quaisquer prefeituras. que. FGTS. as despesas aumentam para as prefeituras. contraimos outras dívidas e nos vimos obrigado a parcelar outras.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Medidas saneadoras revertem. o Município a uma normalidade convincente e em 1º de dezembro daquele ano. depois de árdua luta.SUAS RUAS . éramos eleito prefeito para um mandato quadrienal em cujo bojo a cidade de Anápolis celebra 100 anos de existência neste 31 de julho de 2007. fossem maiores. mas também para sintetizar. Na seqüência. Nesse ano. o quanto possível seja. é nomeado intercentor. como a da Anaprev no valor de R$ 30 milhões e da Celg R$ 20 milhões. e à época vice-governador. mas que atenderam parcela destas soluções e aspirações tão justamente ansiadas. em parte. Entre elesestão o pagamento de folhas de vencimento em dia.

dos quais apenas 550 comissionados. Essa reestruturação interna pe para n]mim algo excepcional do ponto de vista administrativo. que nos seus dois anos de funcionamento. Estamos em 2007. Informatizamos a Prefeitura Municipal e elaboramos um novo Código Tributário. O cômputo das realizações. cuja vida útil é estimada em três décadas. Ademais. Implantamos o aterro sanitário. o Banco de Leite Materno. na Vila Jaiara. a nova passagem dos córrego Monjolo (Avenida Brasil-Sul e Amazilio Lino de Sousa) e João Cesário (Rua Tonico de Pina. a construção e/ou remodelação de mais de uma centena de praças (dentre as principais a Gomes de Sousa Ramos e a Dom Emmanuel). Para isso fizemos instalar o Pregão Eletrônico e o Rápido. Fizemos um novo Plano Diretor para a cidade. desde 2004 até este ano do primeiro centenário de Anápolis.ANÁPOLIS . Estamos instalando a segunda unidade desse serviço. a reurbanização da Avenida Brasil-Sul. o qual levou dois anos para ser concluído depois de havermos discutido com toda a sociedade. o Hospital Municipal.SEUS VULTOS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . atendeu a mais de 600 mil pessoas. Este último é um sistema de fazenda eletrônico. o Laboratório Central – montado em parceria com o governo do Japãp – o Centro de Especialidades Odontológicas (que atende gratuitamente para serviços mais complexos como ortodontia. Racionalizamos o custo com pessoal – numa cidade que tem 360 mil habitantes há 6 mil funcionários. Fizemos o Choque de Gestão com apreciáveis resultados de economia nas despesas de funcionamento da máquina administrativa. dois Cais 24 horas.SUAS RUAS .(Dô) cuidado doerário – onde o muito conseguido se revela pouco para atender à grande extensão das reais necessidades. há que se considerar que a saúde é referência ( mais de 30 postos funcionando. periodontia. ligando o centro da cidade ao Maracanãzinho). Buscamos modernizar a gestão pública local. a população recebe a construção de escolas como a do Bairro Boa Vista (e já construimos seis outras. a Unidade de 249 . etc). entre elas a do Recanto do Sol).

quando a cidade comemora o marco de seus primeiros 100 anos. para diabéticos e outros. como o Brasil ParkShopping – tendo o Carrefour como loja âncora – e a Caoa (Montadora Hyundai) criando. na educação. ocuparmos o cargo de mandatário. 600 empregos diretos e com perspectiva de 40 mil postos de trabalho até o ano de 2010! Confiante na potencialidade de Anápolis.(Dô) Atendimento à Mulher. os programas de combate à dengue. E mais: anunciadas estão a reabertura das atividades frigoríficas da Vila Fabril. Saudamos Amador de Arimathéa (Dô) pelo seu livro “Anápolis – Suas Ruas – Seus Vultos – Nossa História”. representada entre as comunidades do interior do Estado como membro-mor da econmia goiana. de imediato. à hanseníase. através do Mouran.ANÁPOLIS . Antes que mera vaidade. E isto não tem mensuração nem preço! Há dois infinitos nesta quadra da cidade e na nossa vida que se fundem: de um lado vermos a cidade em que nascemos comemorar o seu primeiro centenário. Outros dois referenciais de nossa administração. pois.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . esta rica 250 . por obra e graça de Deus (pois que todopoder d´Ele emana). trabalhamos para legar ao futuro uma prefeitura organizada. Centro da Juventude e a Casa das Rosas. Na seüência. Registramos. é dada atenção às obras de elevada conquista imaterial da sociedade: estamos investindo na cultura. na formação do ser humano. O Vicunha Trade Center. é um adendo promissor para a zona norte. alicerçada e de tal forma equipada que venha propiciar a tranqüilidade de trabalho do nosso sucessor. a Avenida Brasil vai se revelando um novo centro comercial.na Vila Jaiara. no centro.SUAS RUAS . No comando da Prefeitura Municipal. acaba de se instalar uma filial da rede nacional Loja Marisa. A par disso. um momento de bênçãos! Senão vejamos: nos últimos meses vieram unir-se a nós marcas comerciais e indústrias de elevada estatura. recebemos este encargo com a responsabilidade que ele nos impõe. A um só tempo.

Temos a convicção de que assim fazendo. Abraçamos a nossa centenária -mas inovadora. com zelo e o carinho que a ela devemos como filho. cidadão e prefeito. que tem como escopo traçar novos adendos à história de Anápolis como fizeram Humberto Crispim Borges. Juscelino Polonial e outros. os quais. Almejo ao autor. estamos contribuindo com o “nosso tijolo para a edificação da humanidade”.” Pedro Fernando Sahium Prefeito Municipal CAPÍTULO ESPECIAL II DAIA-DISTRITO AGROINDUSTRIAL Aqui a carroça da história fez uma parada maior para que pudéssemos percorrrer com vagar esse majestoso complexo agroindustrial que consagra o nosso município como o maior polo de desenvolvimento na última década em todo o território brasileiro.(Dô) obra. 251 .ANÁPOLIS .SEUS VULTOS . João Luís de Oliveira.SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . do que mero planejamento de grandes projetos que não se concretizam”. se ocuparam em pesquisar e traçar com lealdade os atos e fatos que traduzem a caminhada da Santana das Antas.cidade. o sucesso que a obra há de merecer de todos os anapolinos e de quantos se interessem pela nossa história. como bem lembrou Saint-Exupéry. E ao fazê-lo deixamos uma breve mensagem para os homens destes dias e para os anapolinos do porvir: “Antes a execução de pequenas obras. Haydée Jayme Ferreira.

SUAS RUAS . com o apoio político de alguns homens púbicos de Anápolis. Partindo da idéia de alguns espíritos desenvolvimentistas da nossa cidade. o que obrigou os indivíduos passarem a depender completamente de uns poucos empreendimentos particulares. Trata-se da região mais desenvolvida do CentroOeste e com um dos mais expressivos potenciais de crescimento sócio-econômico apresentados nas últimas décadas em todo o Brasil.(Dô) A concentração da capacidade industrial em grandes fábricas para a produção em massa trouxe como conseqüência a concentração de grande parte da população nas cidades maiores. surgiu o: O DAIA . distribuídos em 84 municípios circunvizinhos. 252 .SEUS VULTOS . representando um total aproximado de 5.000.000 habitantes.Distrito Agroindustrial de Anápolis está localizado na região do centro goiano.ANÁPOLIS . junto com o entorno de Brasília e Distrito Federal.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

(Dô) Distâncias Rodoviárias (Km) Anápolis Goiânia Brasília Vitória Tubarão Sepetiba Paranaguá Santos Itaqui Pirenópolis Goiás Velho Caldas Novas Três Ranchos Serra da Mesa Rio Araguaia Pantanal Foz do Iguaçú 3 Uberlândia 50 Belo Horizonte 150 Rio de Janeiro 1400 Vitória 1400 Porto Alegre 1300 Assunção 1600 Buenos Aires 1050 Montevideo 2000 São Paulo 70 Palmas 160 Belém 230 São Luíz 320 Cuiabá 250 Campo Grande 360 Fortaleza 1250 Recife 1400 Salvador 400 860 1300 1400 1900 1760 3300 3350 980 800 1970 2000 980 980 2450 2300 1600 253 .SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .ANÁPOLIS .SEUS VULTOS .

Infra-Estrutura Em área de 593 hectares. nesse distrito. o DAIA dispõe de infra-estrutura própria à sua demanda. Tem sistema exclusivo de energia elétrica com subestação própria.SUAS RUAS . numa área de 593 hectares.Espírito Santo e distante do aeroporto civil da cidade apenas 2. de materiais de construção. com ampla resolução de atendimento às empresas.000 KVA e em duas linhas de transmissão. capacidade de 100. A sua Estação de Tratamento de Esgoto é dimensionada para tratar 250 litros/segundo.Minas Gerais . A cidade de Anápolis e. e rede de distribuição de 17.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Agência Bancária e dos Correios. as primeiras indústrias a nele se instalarem foram Cemina e Precon.SEUS VULTOS . o DAIA estão geograficamente eqüidistantes aos pontos extremos do Brasil. indústrias alimentícias.ANÁPOLIS . Em dezembro de 1999.400 empregos. 254 . consequentemente. às margens das rodovias federais BR's 060/153 e da rodovia estadual GO-330. o DAIA contava com 63 empresas. embalagens e adubos. Este complexo é qualificado como ideal por técnicos no assunto. Possui Central Telefônica DDD/DDI. interligado ao ramal da RFFSA .Rede Ferroviária Federal S/A que integra o Corredor de Exportação Goiás . às margens das rodovias federais BRs 060/153 e da rodovia estadual GO-330. O DAIA está apenas 140 km de Brasília.5 Km.(Dô) Inaugurado em 8 de setembro de 1976.000 de litros em seus reservatórios elevados e subterrâneos. Sua infra-estrutura compreende Estação de Tratamento de Água e comporta 10. geradoras de 4. Detentor do primeiro Pólo Farmacêutico do Estado de Goiás há também.000. Junto a EADI Estação Aduaneira do Interior e a um terminal ferroviário.4 Km de extensão.

E neste ano. que passa a fazer parte integrante da história de Anápolis.. já não mais os assustavam. e a carroça da história quase tomba de rodas pro ar.SEUS VULTOS . denodo e dedicação que esta tão importante unidade militar é comandada pelo senhor CoronelAviador Mauro Martins Machado. Era a modernidade chegando e com ela a maior e mais bem equipada Base Aérea do Brasil. com a sua presença aqui. o ranger das rodas de ferro dos trens ferroviários.(Dô) CAPÍTULO ESPECIAL III BASE AÉREA DE ANÁPOLIS Aqui o choque foi inevitável! O Pretete e a Morena levaram um susto desgraçado.SUAS RUAS . desde 1972. isso aí já era demais.ANÁPOLIS . quando Anápolis completa seu primeiro Centenário. o destino que é reservado à Anápolis. o de ser grande! E é com bravura.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . esta Unidade de elite da Força Aérea Brasileira – com a BAAN – vem ratificar. por ocasião do seu primeiro Centenário. isso porque.. /////Base Aérea de/// /////// Anápolis 255 . mas um aeroplano a uma velocidade maior do que o som. a ALADA – 1ª Ala de Defesa Aérea.

com o objetivo de preservar a soberania do espaço aéreo brasileiro e. capazes de rastrear e identificar as aeronaves que sobrevoassem nosso território. capital do Brasil. O primeiro Mirage brasileiro voou. a região central do País. tem como missão executar operações de defesa aérea. especificamente. Com posição geográfica ideal. em Anápolis. Tal concepção visava à atender aos requisitos do Sistema de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (SISDACTA) e implantar uma rede de meios eletrônicos e detecção. com as modernas aeronaves R99-A e R99-B. como o propósito de impedir a utilização do espaço aéreo brasileiro para a prática de atos hostis contra seu território ou contrários aos interesses nacionais. como também é conhecido. Sua função primordial é a defesa aérea de Brasília. mais tarde. integrante do Sistema de Vigilância da Amazônia.ANÁPOLIS . em 6 de março de 1972 na Cidade de Bordeaux.(Dô) A Base Aérea de Anápolis .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Mais uma demonstração da importância creditada pela Força 256 .SUAS RUAS . equipadas com radares e equipamentos de sensoriamento remoto. abriga também o 2º/6º Grupo de Aviação. Eles seriam os responsáveis em adaptar-se à nova aeronave e. embarcaram para a Base Aérea de Dijon. a cidade de Anápolis foi escolhida para o projeto. A Base Aérea de Anápolis. hoje. Em maio de 1972. No dia 27 de março de 1973 foi realizado o primeiro vôo de F-103 no Brasil. a Força Aérea Brasileira iniciou estudos para a formação de uma unidade de interceptação aérea. já ostentando o cocar da Força Aérea Brasileira. o 1º GDA ou Grupo Jaguar. dando início às atividades aéreas da 1a Ala de Defesa Aérea (1a ALADA).SEUS VULTOS . França. oito pilotos brasileiros. França. transmitir a experiência adquirida às próximas gerações de pilotos. Estado de Goiás. No final da década de 60.BAAN é uma base da Força Aérea Brasileira localizada na cidade do Anápolis. Criado em 11 de abril de 1979.

SEUS VULTOS . próxima à Capital Federal. As aeronaves R-99 representam um expressivo salto tecnológico e fator de reformulação doutrinária para a Força Aérea Brasileira como um todo e. sendo o Mirage uma das pontas desse sistema defensivo. guardiã dos vetores de interceptação da Força Aérea Nacional. ininterruptamente em estado de alerta. nos 257 . à cidade de Anápolis e seu povo. Hoje é a primeira Ala de Defesa Aérea .// Esse Esquadrão operará com aeronaves BEM-145 na versão R99A. com missão específica de realizar operações de defesa aérea no território nacional. prontas para atender a qualquer missão. As equipagens operacionais do 1º GDA permanecem. Com o surgimento do jato supersônico e atenta à rápida evolução da tecnologia das aeronaves de combate e dos sistemas de detecção e controle de tráfego aéreo. Assim como a Base Aérea de Anápolis.SUAS RUAS . A parceria exitosa de longos anos entre a BAAN e o 1º GDA veio permitir que o Comando da Aeronáutica encontrasse estas paragens goianas para instalação do 2º/6º Grupo de Aviação. Para tal. com os aviões F-103 e Mirage. a Força Aérea Brasileira sentiu a necessidade de adquirir. capaz de sediar estas aeronaves de combate. perfeitamente integradas ao Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro. aeronaves de interceptação.ANÁPOLIS . enquanto que a versão R99B realizará Reconhecimento Aéreo e Guerra Eletrônica. seus componentes.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . designada para Controle e Alarme em Vôo e Guerra Eletrônica. especialmente. Da efetivação da Base Aérea Em nove de fevereiro de 1972 deu-se o início das primeiras edificações da atual Base Aérea de Anápolis. o 1º GDA tornou-se referência para a aviação de caça nacional e internacional.1ª Alada. para o Brasil. foi necessária a criação de uma Unidade Militar.(Dô) Aérea Brasileira à BAAN.

Há anos que a Base Aérea de Anápolis mantém um programa de visitas às sua instalações. Ayrton Senna e Ipê com 8 citações e com 7 seguem Minas Gerais. além de instrutiva. Firmo Velasco. tomando este nome para lembrar a Lei Municipal nº. 258 . Pedro Ludovico é reverenciado por 19 vezes. Com 5 citações os nomes de Monteiro Lobato. de 1896. sendo a visitação. Osvaldo Cruz.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) campos de Guerra Eletrônica e de Sensoriamento Remoto. Tocantins. Getulino Artiaga. com 10 citações: Bernardo Sayão. Belo Horizonte e Universitária seguem com 12 citações. quando se promulgou a primeira Lei Orgânica do Município. ainda Prof.A Rua “1º de Maio” foi a primeira rua aberta na nossa cidade. Juscelino Kubitschek. cuja intenção principal é aproximar o público daqueles que nela trabalham. Tiradentes. Zaqueu Crispim. Dr. inteiramente gratuita. Pirenópolis. 34. Paraguai e Rua das Rosas. Independência. Gomes de Souza Ramos. assinada pelo então Intendente Antônio Pereira Dutra. Barão do Rio Branco.SUAS RUAS .ANÁPOLIS . o nome de Dr. 3 – Entre praças. Monte Castelo. Sócrates Diniz e Alberico Borges de Carvalho com 9. Araguaia e Goiás com 11. Santos Dumont. recorde absoluto em qualquer outra cidade. Amazonas e o poeta Castro Alves. Benvindo Machado. Corumbá. 2 . Dona Albertina de Pina. Os nomes Brasília. C A P Í T U L O VI CURIOSIDADES DAS RUA 1–Em Anápolis a praça “Oeste” fica no Norte da Cidade . sendo com 6 as ruas e avenidas: Marechal Deodoro da Fonseca. Presidente Getúlio Vargas. avenidas e ruas.SEUS VULTOS . seguindo Souzânia. Engº Portela.

que durante um bom tempo foi denominado de “Bairro Sanatório de Anápolis”.ANÁPOLIS . os portadores desses males eram 259 .SUAS RUAS . E daí resultou hoje o bairro mais populoso e trabalhador da nossa cidade: a Vila Jaiara.SEUS VULTOS . o mesmo que já empreendera a fundação do Clube Recreativo Anapolino. E faz sentido. que sendo essas doenças altamente contagiosas. teremos que recuar no tempo. também. Luiz Godoy.(Dô) Caxias e Aquiles de Pina. além do Morro da Capuava. seu clima de montanha. com quatro ou menos citações. tirando das sílabas dos seus nomes: JAiro e IARA o nome da vila recém fundada. E o grande responsável por tão arrojado empreendimento foi uma das figuras mais respeitadas da nossa história recente. através da voz experiente de muitos moradores antigos da cidade que. Luiz aproveitou a oportunidade para perpetuar a lembrança de seus filhos. como tuberculose e lepra. Ainda há muitos outros personagens. Grande figura este Dr. o Distrito de Traíras. Em meados do ano de 1947. o jornal “O Anápolis”. Luiz Caiado de Godoy. por muitos anos chamada de Aracati – hoje Sousânia – poderia ser cognominada de Suíça das Antas. É certo. foi lançada uma grande campanha publicitária em torno desse grande lançamento imobiliário. o Dr. à procura de melhor ambiente e de uma recuperação mais rápida. pois que era muito comum que em diversos casos de doenças. que o autor tem conhecimento. os doentes eram levados para aquele distrito. do século passado. quando aquela região tornou-se em mais um polo de desenvolvimento urbano. 4 – Dentre muitas perguntas feitas ao autor a respeito das avenidas. 5 – Desde os anos 40/50. dentre outros.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . uma delas é sempre presente: por que Vila Jaiara? Para responder. dada a qualidade de suas águas. ruas e praças da nossa cidade. Dr. Muito dedicado à família e criativo ao mesmo tempo.

Assim pensavam alguns. aniversário da criação da freguesia de Santana de Antas (Resolução Provincial nº 514. desde os primórdios do nosso desenvolvimento.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .São feriados municipais: O dia 10 de Março.. ficando totalmente isolados. deixando o comando de Anápolis em mãos seguras de José da Silva Batista – Zeca Batista. 6 – Abaixo leis que ainda vigoram no município: a) – Lei municipal nº 36.. O dia 6 de Agosto. Lei Provincial nº 811 de 1887 Estes dias são ratificados como feriados municipais pela Lei Municipal nº 93 de fevereiro de 1968. 1º . O dia 1º de Maio.ANÁPOLIS . transferiu seu domicílio para aquele pequeno povoado na expectativa de expansão mais acelerada de seus negócios. aniversário da elevação da Freguesia de Santana de Antas à categoria de Vila. de 1873). (1896). O dia 15 de Dezembro. deslocavam-se para o patrimônio de Traíras. Por outro lado. alguns tropeiros. aniversário da sanção da primeira Lei Orgânica do Município. vendo encalhado o fundo de suas mercadorias. onde aflorava um alvissareiro ponto de comércio. dentre esses o grande homem de visão Gomes de Sousa Ramos – nosso fundador – que não titubeou e. 21 de março de 1903: Art.SUAS RUAS . 260 . aniversário da instalação deste município-1892.SEUS VULTOS . já no fim do Século IXX.(Dô) transferidos para aquele distrito. Deu no que deu.

SEUS VULTOS .(Dô) ÚLTIMA PÁGINA 261 .SUAS RUAS .ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

sua população sentindo-se ameaçada resolveu mandar um emissário até ao comandante Luiz 262 .(Dô) MEU GRANDE VULTO Permitam-me os meus leitores apresentar-lhes o meu grande vulto: JOSÉ FERREIRA DA SILVA – meu pai! Sobre seu Juca Serrador relata o grande poeta.ANÁPOLIS .quando da passagem da Coluna Prestes por Anápolis -.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SEUS VULTOS . escritor e humanista Iron Junqueira .SUAS RUAS .

cercava-se da minha mãe – Amélia Pereira Dutra – dos filhos e dedilhando sua viola fazia explodir da voz macia e canora as canções que embalavam sua alma saudosa. além da dolência própria dos mineiros. Uma pala de qualidade. levado pelo senhor Antônio Costa. e tinha todos os traços do boêmio incorrigível daqueles bons tempos do romantismo. para avisar a Carlos Prestes que a Tropa de Minas estava chegando para um combate inevitável.. Eu só queria pra minha felicidade Um bom fandango por dia. espingarda. Este é o seu retrato e dele essa trova: OI! Seu moço. Pólvora. e seu Juca Ferreira foi o mensageiro da comunidade local. um soldado ferido que fora capturado e. intitulado “As Primaveras”. a um local conhecido como Cerrado. por determinação do comandante da Força Mineira. de Casimiro de Abreu.. “Um homem rompia a cavalo o pedregoso elevado do Capuava..” Ao mesmo tempo bravo. poeta e bom violeiro. alguns pares de cartas de baralho. Um facão fala a verdade. 263 . Nas tardes mais amenas..(Dô) Carlos Prestes para alertá-lo do grande perigo da invasão: Aí. então sob a Intendência de Graciano Antônio da Silva (Sanito). a viola e um único livro de poesias. o chamado “Cavaleiro da Esperança” empreendeu fuga deixando na pressa. cotia. naquele tempo distante do povoado de Sant´ana.ANÁPOLIS .SEUS VULTOS .SUAS RUAS . Com isso. corajoso e destemido Juca Ferreira era um romântico. De sua Minas Gerais – Bom Despacho – no longínquo ano de 1915 – chegou a Anápolis trazendo. caçador e jogador de cartas. dono de um velho caminhão. onde foi fuzilado. hoje Nerópolis.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

. Pinga boa e bom café. Vara de anzó – pouca mágoa.MG – 1893 Anápolis-Goiás . Fumo forte de sobejo E prá completá meu desejo Cavalo bão e muié.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .1935 264 . Bom Despacho .SEUS VULTOS .SUAS RUAS .ANÁPOLIS .(Dô) Uma viola em harmonia Pra chorá minha saudade! Um rancho na beira d´agua..

ANÁPOLIS .(Dô) GALERIA DE FOTOS DE RUAS VULTOS DE ANÁPOLIS 265 .SEUS VULTOS .SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

em 31 de julho de 1907.SEUS VULTOS . tomando o nome de ANÁPOLIS em homenagem à sua Santa Padroeira .SUAS RUAS .ANÁPOLIS .SANTANA. 266 .(Dô) JOSÉ DA SILVA BATISTA – “O CONSOLIDADOR” – o vulto mais exponencial da nossa história.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA . Graças ao seu prestígio a Vila de Santana das Antas foi elevada à categoria de cidade.

(Dô) Praça James Fanstone e o coreto – (Antiga Praça João Pessoa).SUAS RUAS .1942 Praça James Fanstone e Rua Manuel D’Abadia 267 .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .ANÁPOLIS .SEUS VULTOS .

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .SUAS RUAS .SEUS VULTOS .(Dô) Início da Rua Aquiles de Pina – ano 1949 Jardins da Praça Americano do Brasil –Década de 1940 268 .ANÁPOLIS .

ANÁPOLIS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .década de 1940 269 .SUAS RUAS .SEUS VULTOS .(Dô) Catedral do Senhor Bom Jesus – Praça central da cidade Rua Barão de Cotegipe e o fundo da Matriz Bom Jesus.

1949 270 .SEUS VULTOS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .ANÁPOLIS .SUAS RUAS .(Dô) Rua Barão do Rio Branco – esquina com Rua 7 de setembro .

SUAS RUAS .(Dô) Residência da família do senhor Jonas Duarte – Rua Barão do Rio Branco 271 .ANÁPOLIS .SEUS VULTOS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .

.............................................................. Praça do Expedicionário..... CAPÍTULO I .. Jayme...................................SEUS VULTOS ................................... Rua Aluízio Crispim e Praça das Mães........................ Rua Engenheiro Portela......................................................................................................................................................................... Praça Miguel João e Rua Amazilio Lino de Souza......................................................................................................... Prefácio ................................................................................................(Dô) SUMÁRIO In Memóriam ...............NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA ..................... Apresentação .............................................................. Rua 1º de Maio........................ Praça Americano do Brasil......... Travessa Campos Salles............................................................................................ José Lourenço Dias ........................................................ Rua Manuel D`Abadia.................. Rua General Joaquim Inácio...................... Praça Bom Jesus........ Rua Coronel Batista.................................................... Rua Aquiles de Pina....................................................... Rua Arinesto Pinto e Rua 10 de Março.......ANÁPOLIS ........................................ Rua 14 de Julho.......................................................................................... Rua Senador Alfredo Nasser e Praça Manoel Demóstenes............................................................................ Introdução .................................................................................................................................................... Praça do Ancião e Avenida Sen........................................................................................................... Rua Dr........................... Praça James Fanstone........................................................................................................................................................................... Travessa Souza e Praça Santana................................................................................................................ Genserico............ Avenida Brasil .......... 272 .....................SUAS RUAS ............... ................................ Ruas Roberto Mange e Capitão Silvério ................................ Praça 31 de Julho ........................ Rua 15 de Dezembro....................................................... Rua Calixto Abdala.......................... Rua Pina Júnior................................................................................................................................................................... Rua Desembargador........... Rua Quintino Bocaiúva..........Centro Fatos relevantes – primeiras ruas ............................................................

............................................ Avenida Tiradentes........................................................................................................................................ 273 .... Rua Tonico de Pina..................................(Dô) Rua Floriano Peixoto...................................... Avenida Pedro Ludovico Teixeira................................................................. CAPÍTULO III – Bairros Centrais Ruas dos Emboabas.........................................................NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA ............................................. Rua Barão de Cotegipe...................................SUAS RUAS ............ Rua Benjamin Constant............................... Avenida Goiás........ Rua Rui Barbosa.................................................................................................................. Travessa Marcílio Dias............................................................................................................................................................................................. Avenida da Evangélica....................................................................................... CAPÍTULO IV – A carroça através de bairros Rua Francisco Valloz.............................. Rua Guimarães Natal...................................SEUS VULTOS ................................................................................................. Avenida Brasil Sul/Norte – Rua Ermetti Simonetti............................ Travessa Francisco da Luz Bastos e Travessa Dona Senhora.......................................ANÁPOLIS ................................................................................................................. Rua Barão do Rio Branco......................................................................................................... Praça do Maçom............. Avenida Getulino Artiaga.. Rua Nilo Peçanha – Antônio Xavier Nunes......................................... Rua Conde Afonso Celso................................................... Rua Couto de Magalhães.......................................................................................... Rua Senador Sócrates Diniz.......Centro Rua Eugênio Jardim... Rua Dona Sandita e Rua Xavier de Almeida...................................... Avenida Presidente Kennedy............................. Rua Firmo de Velasco................................ Avenida Universitária............................................ CAPÍTULO II ........................................................................................................................................................................ Rua Leopoldo de Bulhões..............................................

............. Rua Washington Carvalho............................................................. Rua João Luiz de Oliveira............................................... Rua Ipiranga....................................................................................................................... Avenida São Francisco............................... 274 .......................................................................................... Rua José de Alencar.......... Rua Senador Canedo e Praça Dom Emanuel.........ANÁPOLIS ................................... Rua Assis Chateaubriand......................... Rua Padre Pitaluga e Rua Odorico da Silva Leão...... Avenida Bernardo Sayão........................................................................................................................ Rua Lopo de Sousa Ramos e Rua Dona Terezona...............SEUS VULTOS .............................. da Silva........................ Adalberto P............................................................ Rua Carlos Gomes e Rua Euclides da Cunha.................................. Rua Olavo Bilac................................................................................................................................................ Rua Pasteur... Rua Vinícius de Morais........................................................................................................... Rua Carlos Drummond de Andrade................................................................. Rua Padre Luiz Gonzaga e Avenida Visconde de Taunay.............................. Rua Coronel Sanito e Rua Assis Brasil....................................... Rua Construtor Puglise.............................................................. Rua Waldemar Borges de Almeida e Avenida Anderson Clayton. Rua Arthur Wesley Archibald......................................... Rua Marechal Deodoro..................... Avenida Presidente Vargas.................... Rua Miguel Couto.............................................................................................................................. Praça General Curado.......................................................................................................SUAS RUAS ..................................................................... Avenida Carmen Miranda................................................................................................................(Dô) Rua Adhemar de Barros e Rua Alarico Verano...... Rua Sinhozinho Cantor................................................................................................ Avenida Mato Grosso.............................................................................................................................................................. Rua Visconde de Itaúna....................................................... Praça Haydée Jayme e Rua Araguaia........................... Rua César Lattes....... Rua Vital Brasil......................NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA ............................. Rua Arthur Bernardes e Rua Castro Alves....................... Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira........... Rua Monte Castelo e Rua Emival Ramos Caiado........... Rua Dr................................................................................................................................................... Rua Dayse Fanstone e Rua Ary Barroso....................................................................... Rua Monteiro Lobato...................................................................................................................

...................... Rua José Feliciano........ Rua Dom Pedro II.......................................... Rua Riachuelo..................................................................................................................... Rua Marcílio Dias.........................................................................................(Dô) Rua Augusto Pinto Pereira......................... Rua Bartolomeu Bueno da Silva.............................................................................. Rua dos Pireneus e Rua Borba Gato...........................SUAS RUAS ...................................................................................................ANÁPOLIS .......................................................................................................NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA ...................................................................................... Rua Castelo Branco...................................................................................... Rua Berenice Artiaga e Rua Zaqueu Crispim...................... Avenida Ayrton Senna e Rua Felipe Camarão.. Rua Paulo Nunes Batista e Avenida José Feliciano.................................... Rua Dona Gercina e Avenida Panair.......................................................................................................................................................................................................... Rua Tancredo Neves.............................. Rua Barão de Cayru...................................................... Rua Frei Caneca............................................................................................. Rua Santos Dumont................................................................................... Rua Pedro Álvares Cabral................................................................................................................................SEUS VULTOS ..................................................... Rua Arlindo Cardoso e Rua Carlos de Pina.................................................................................................................................................................................................... Rua Marechal Hermes... Rua Israel Pinheiro..................... Rua Oscar Niemeyer................................................................ Rua Jonas Duarte.................................... 275 ............................................................................................................................ Rua Luiz Caiado de Godoy...................................................................... Rua Dona Zita Duarte e Rua Major Mauro..................... Rua Cora Coralina........ Rua Jânio Quadros.................................. Rua 9 de Julho.............................................................................................. Rua José Sarney.... Avenida Osvaldo Aranha. Rua José do Patrocínio.................................................................................. Rua Albérico Borges de Carvalho........................................................... Rua Eurípedes Junqueira...................... Rua Padre Manoel da Nóbrega e Rua Mauá........................................... Rua Dom Pedro I................................................................................................................................... Rua Lúcio Costa........ Rua Voluntários da Pátria............................................. Rua Nereu Ramos e Rua Brasil Ramos Caiado................................................................................................. Rua Princesa Isabel...........

........................ Rua dos Pracinhas........................ Rua Borges de Medeiros......... Humberto Crispim Borges.................. Rua José Fernandes Valente....................................................................................................................................................................................................................................... Moisés Augusto Santana......... Rua General Osório.................................. Rua Carlos Gomes........ 276 ..................................................NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .................................................................................. Antônio Pereira Dutra e Benedito Borges de Almeida..................................... Rua dos Guararapes............... Dr..... Rua Inconfidência......... Iron Junqueira.......................................................... CAPÍTULO VII – Novos vultos Ana das Dores Almeida – Ângelo José de Sousa...................... Rua Costa e Silva. Alameda dos Palmares................. Rua dos Prefeitos – De José da Silva Batista a Pedro Sahium......................... Rua dos Canudos..............(Dô) Rua Joaquim Gonçalves Ledo................................................................................... Rua José Bonifácio.................................................................................................................................................................................................. Manuel Pereira Dutra.......................... Miguel Pereira Dutra............. Joaquim Rodrigues dos Santos............................................................................................................. Travessa Jean Jaques Wirth......................................................................................... Praça Gomes de Souza Ramos....................................................................................... Avenida Independência........................................... Christalino Bernardino da Costa e Francisco Pereira Dutra...............................................................................................................................................................................................SEUS VULTOS ................................................................. Henrique Santillo................................................................... Praça Pio XI................................................................................................................................ Avenida Dom Bosco............................................................................. Rua Tamandaré..................................................................................... Rua Cassimiro de Abreu............................... Rua Tuiutí.................................................... Rua Prudente de Morais................................................................................................................................................................................................................................................ Rua Evaristo da Veiga ............ Rua Antônio Pereira Dutra.................... Jarbas Jayme.................................SUAS RUAS ............................................................ANÁPOLIS ...........................

... Bibliografia:....................D A I A Distrito Agroindustrial de Anápolis................................................ANÁPOLIS ..............NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA ................................................Olímpio Ferreira Sobrinho.................................... 1ª Ala de Defesa Aérea – ALADA CAPÍTULO ESPECIAL III ...............................SEUS VULTOS ...........SUAS RUAS .............. CAPÍTULO ESPECIAL I ...................... CAPÍTULO ESPECIAL – IV Mensagem do senhor Prefeito pelo centenário ÚLTIMA PÁGINA Meu grande vulto........... 277 ........................CURIOSIDADES DE RUAS...................................... CAPÍTULO ESPECIAL II ............. GALERIA DE FOTOS Fotos de vultos anapolinos.............................. Fotos de ruas antigas da cidade.....................................(Dô) Dr. Zaqueu Crispim e Vice-Intendentes/Prefeitos...................................BASE AÉREA DE ANÁPOLIS................... ....................

SEUS VULTOS . Silvânia (Bonfim) e Cidade de Goiás.Brasil” . Corumbá. .SUAS RUAS .Jarbas Jayme -“Anápolis-Sua Vida -Seu Povo” .“Dicionário Bibliográfico dos Escritores Regionais do .Museu Histórico de Anápolis .“Esboço Histórico de Pirenópolis” . .Humberto Crispim Borges . . (antiga Capital). 278 .ANÁPOLIS .Haidée Jayme Ferreira .de Mário Ribeiro Martins.“História de Anápolis” . Pirenópolis.NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .Pesquisa na internete.(Dô) BIBLIOGRAFIA .Cartórios de Anápolis.As fotos originais são do acervo particular do autor.Alfarrábios particulares do autor .Pessoas ligadas aos vultos da época .

NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) PATROCINADOR PREFEITURA MUNICIPAL 279 .SUAS RUAS .ANÁPOLIS .SEUS VULTOS .

SEUS VULTOS .SUAS RUAS .NOSSA HISTÓRIA – AMADOR DE ARIMATHÉA .(Dô) QUARTA E ÚLTIMA CAPA DISPONÍVEL PARA a p o i o 280 .ANÁPOLIS .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->